Você está na página 1de 2

DOCES E SALGADOS

Após 11 meses, produção da indústria aumentou em outubro

Utilização da capacidade instalada avançou para 73% no mês passado;


expectativas dos empresários, porém, permanecem negativas
21/11/2014 - 11:00 - Redação

O desempenho da indústria teve uma leve melhora em outubro. Pela primeira vez em 11
meses, o indicador de evolução da produção ficou acima da linha divisória dos 50 pontos e
alcançou 50,8 pontos. O ritmo de queda do número de empregados diminuiu e o indicador
de utilização da capacidade instalada aumentou de 72% em setembro para 73% em
outubro.

As informações são da Sondagem Industrial, divulgada nesta quinta-feira (20) pela


Confederação Nacional da Indústria.

"Embora outubro mostre melhora na comparação com os meses anteriores (aumento tanto
da produção como da utilização da capacidade instalada), a atividade industrial segue
fraca, abaixo da observada no mesmo mês de anos anteriores", diz a pesquisa. O
levantamento lembra que, tradicionalmente, outubro e novembro são meses de maior
atividade na indústria.

Produção - Em outubro do ano passado, o indicador de evolução da produção era de 54,5


pontos. Neste ano, ficou em 50,8 pontos. O aumento da produção foi puxado pelas
grandes empresas, segmento em que o indicador alcançou 52,7 pontos no mês passado.
Nas pequenas, o indicador de produção fechou em 48 pontos e, nas médias, em 49,8
pontos. Os indicadores da pesquisa variam de zero a cem. Abaixo de 50 indicam queda
na produção. O indicador de utilização da capacidade instalada foi de 75% em outubro de
2013 e, em outubro deste ano, baixou para 73%.

Emprego e estoques- O indicador de evolução do número de empregados ficou em 47,1


pontos, abaixo da linha divisória de 50 pontos. Em outubro do ano passado era de 49,9
pontos. O nível de estoque efetivo em relação ao planejado ficou em 51 pontos, acima da
linha divisória dos 50 pontos, o que indica que as empresas estão com estoques
indesejados. Isso ocorre especialmente nas grandes indústrias, segmento em que o
indicador subiu para 53,8 pontos.

Perspectivas - Em novembro, as expectativas dos empresários para os próximos seis


meses continuam negativas. O indicador de expectativa em relação a demanda ficou em
50 pontos, o de quantidade exportada recuou para 48,2 pontos, o de número de
empregados ficou em 47,9 pontos e o de compras de matérias-primas foi de 46,4 pontos.
Os valores variam de zero a cem. Abaixo de 50 prevem expectativas negativas.

A pesquisa foi feita entre 3 e 12 de novembro, com 2.236 empresas. Dessas, 892 são
pequenas, 801 são médias e 543 são de grande porte.
Veja a íntegra aqui.

Interesses relacionados