Você está na página 1de 23

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept.

Geologia

Depósitos de Ferro em
Formações Ferríferas
Bandadas

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Exs. Minérios de Ferro em FFs

1
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Principais Depósitos no Mundo


Continente Região Tamanho
Cinturão Damara,
Damara, Namí
Namíbia Moderado
África Transvaal-
Transvaal-Griquatown,
Griquatown, África do Sul Muito grande
Escudo Liberiano,
Liberiano, Libé
Libéria-
ria-Serra Leoa Grande
Cadeia de Middleback,
Middleback, Austrá
Austrália Moderada
Oceania
Hammersley Muito Grande
Altai, W-
W-Sibé
Sibéria Moderada
Eurá
Eurásia Krivoy Rog Muito Grande
Bihar – Orissa,
Orissa, India Grande
Grupo Rapitan – NW do Canada Moderada
Lago Superior Grande
Amé
América do Norte
Labrador, Canada Muito Grande
Isua,
Isua, Groenlândia Pequeno
Urucum e Mutum,
Mutum, Brasil – Bolí
Bolívia Moderado
Amé
América do Sul QF, Minas Gerais,
Gerais, Brasil Muito Grande
Carajá
Carajás, Pará
Pará – Brasil Muito Grande

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

2
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Exportação de Minérios de Ferro

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Minérios de Ferro de Alto Teor

Produç
Produção Mundial (milhões
(milhões de ton.)

Brasil 153,0
Austrá
Austrália 108,9
USA 58,5
Índia 52,0
Canadá
Canadá 40,4
África do Sul 26,4
Sué
Suécia 21,7
Venezuela 17,9
Mauritânia 12,0
Libé
Libéria 11,4

3
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Iron ore production by major producing countries 1990-1998.

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

4
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Minérios de Ferro Æ enriquecimento em


ferro de formações ferríferas

Formações Ferríferas - FFs

James (1954) – Rochas sedimentares de origem química,


finamente bandadas ou laminadas, contendo 15% ou mais de
ferro de origem sedimentar e, comumente, mas não
necessáriamente, camadas de chert.

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Origin of high-grade iron ore deposits

Primary Sedimentary
Host Rock (BIF)

B I F
Supergene Enrichment
Superlarge deposits
(2 - 17 Billion tons)

Hydrothermal enrichment
Mineable very large deposits
(0,3-
(0,3-1 Billion tons)

5
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

BIF-hosted ore
BIF-hosted
¾ BIF protore requires expensive beneficiation to
remove silica (chert)
¾ Supergene enrichment process involves
oxidation of magnetite to martite (hematite) &
replacement of chert by goethite
¾ Ore zones are 45-50% thinner than BIF protore

¾ Burial & metamorphism convert goethite to


hematite by dehydration
¾ Exs: Lake Superior region (USA), Quadrilátero
Ferrífero (Brazil) & Hamersley Province (WA)

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Comparison of ore grades


Blockey, 1968

Ave. BIF Ave. iron ore material

Assay Wt Assay Wt
(%) (tons) (%) (tons)

Fe 29.9 6.7 67.3 11.1


O2 10.9 2.4 28.7 4.7
SiO2 47.7 10.6 1.6 0.26
Al2O3 0.5 0.11 1.3 0.22

Total: 22.31 16.56

Strat.
Strat. height 70.5 m 35.5 m

6
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Supergene enrichment
¾ Modelled as large electrochemical cells
¾ Dissolved O2 reduction at magnetite-ground-
water interface: 4e- + O2 + 2H2O = 4OH- (cathode)
¾ Reactions at depth (anode):
Fe2+ = Fe3+ + e-
Fe3+ + 3H2O = FeO(OH)3 + 3H+
¾ e- to surface and H+ dissolves silicates and
carbonates
¾ Ferrous and ferric reactions driven by deep
penetration of ground water along faults

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Tipos de
óxido de
ferro

7
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Ore minerals
¾ A concept exists that the growth of the ore
body toward the surface is driven by supergene
metasomatic replacement of BIF gangue
minerals by hydrous oxides
¾ During this stage, magnetite is oxidised to
hematite, and to kenomagnetite that may invert
to hematite, or replaced by goethite. Keno-
magnetite is a metastable, magnetic phase
between magnetite & maghemite in composition
¾ Pseudomorphs of hematite after magnetite are
known as martite

8
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

9
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Classificação genética Minério de Ferro de


• Hipogênicos Alto Teor
• Supergênicos Fetotal > 64%
Classificação de acordo com características físicas
• Compacto:
Compacto: maciç
maciço, bandado,
bandado, brechado
• Friá
Friável:
vel: laminado,
laminado, bandado,
bandado, pulverulento,
pulverulento, brechado

Classificação composicional (Quadrilá Ferrífero)


Quadrilátero Ferrí
• Hematí
Hematíticos/martí
ticos/martíticos
• Hematí
Hematíticos (granoblá
granoblásticos)
sticos)
• Hematí
Hematíticos (especularí
especularíticos)
ticos)
• Goethí
Goethíticos (martí
martíticos – goethí
goethíticos)

Classificação CSIRO – AMIRA (Austrá


Austrália)
• Miné
Minérios martí
martíticos-
ticos-goethí
goethíticos (goethita maciç
maciça e ocre)
• Miné
Minérios de hematita microlamelar

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Modelos de Forma ção de Min


Formação érios em FFs
Minérios
Classificação Gen
Classificação ética
Genética
Fetotal > 64%

• Singenético- com ou sem modificações subse-


qüentes por processos diagenéticos, supergê-
nicos ou metamórficos

• Hipogênico- hidrotermal

• Supergênico- associado com superfícies de


intemperismo, com ou sem modificações sub-
seqüentes metamórficas ou intempéricas

10
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Min érios de Ferro de Alto Teor


Minérios
Fetotal > 64%
Modelos Gen éticos
Genéticos

¾ Singenéticos

Em desuso e descré
descrédito.
dito.
Sedimentaç
Sedimentação de óxidos de ferro em porç
porções
restritas da bacia.
bacia.
Lixiviaç
Lixiviação da sílica no sedimento inconsolidado.
inconsolidado.

Evidências
• Corpos concordantes
• Bandamento definido por variaç
variação na porosidade
• Trama e mineralogia

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

¾ Supergênicos
Enriquecimento por águas conatas ou meteó
meteóricas
recirculadas.
recirculadas.
Concentraç
Concentração residual ou substituiç
substituição da sílica por
intermé
intermédio de águas superficiais.
superficiais.
circulação da água (grande profundid.)
Controle estrutural da circulaç
Pré
Pré - metamorfismo (miné
minérios compactos)

Evidências
• Miné
Minérios friá
friáveis atingindo grandes profundidades(!),
profundidades(!),
associados a miné
minérios compactos
• Grandes corpos associados a paleosolos e superfí
superfícies
de erosão
• Associaç
Associação com corpos carboná
carbonáticos
• Mineralogia oxidada
• Substituiç
Substituição da sílica por goethita

11
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

¾ Hipogênicos
Enriquecimento por fluidos hidrotermais de origem
variada.
variada.
Oxidaç
Oxidação de minerais de Fe.
Lixiviaç
Lixiviação da sílica ou carbonato.
carbonato.
Remobilizaç
Remobilização e concentraç
concentração e-
e-ou adiç
adição de Fe e
possí
possível substituiç
substituição dos minerais de ganga.
ganga.

Evidências
• Corpos discordantes
• Pseudomorfose.
Pseudomorfose. Reproduç
Reprodução das estruturas da BIF
• Cristais precipitados em microcavidades
• Dúvidas quanto à eficiência de processos
supergênicos comuns
• Contradiç
Contradições quanto às condiç
condições de Eh/pH no
intemperismo

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Classificação b
Classificação ásica dos modelos gen
básica éticos de
genéticos
min érios de ferro hospedados em FFB
minérios

Singenético
• Concentraç
Concentrações sedimentares/diagen
sedimentares/diagené
éticas não modificadas
• Modificado pelo metamorfismo ou atividade ígnea
• Modificado por processos supergênicos

Supergênico
• Concentraç
Concentração residual por oxidaç
oxidação de magnetita e lixiviaç
lixiviação
• Enriquecimento por substituiç
substituição de ganga com oxidaç
oxidação
• Enriquecimento com subsequente metamorfismo burial

12
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Hipogênico
Metamó
Metamórfico
ƒ Concentraç
Concentração residual por fluidos conatos aquecidos ou meteó
meteóricos
recirculados
ƒ Enriquecimento por substituiç
substituição de ganga por hematita atravé
através de
fluidos conatos ou meteó
meteóricos recirculados
ƒ Físico-
sico-quí
química:
mica: diferenciaç
diferenciação ou dínamotermal

Ígneo
ƒ Concentraç
Concentração residual por fluidos juvenis aquecidos e-ou meteó
meteóricos
recirculados
ƒ Enriquecimento:
Enriquecimento: substituiç
substituição de ganga por ferro em parte derivado de
uma rocha intrusiva

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Gênese dos miné


minérios
de ferro de alto teor
Processos associados

1 mm

Carbonataç
Carbonatação Oxidaç
Oxidação Metassomatismo Laterizaç
Laterização

13
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Minério
bandado

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Miné
Minério
brechado

14
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Miné
Minério
brechado

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Hydrothermal
Fe-ores

15
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Minério hipogênico
concordante

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Minério
supergênico

16
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Minérios
supergênico e hipogênico

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Minério
supergênico

17
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Modelos genéticos
Controle estrutural por dobramento (Guba,
Guba, 1982)

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Modelos genéticos minério friável

Rosiè
Rosière & Rios 2004

18
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Modelo de Gruner (1937)


Lixiviaç
Lixiviação hidrotermal de miné
minérios de ferro do tipo Lago
Superior.
Aquecimento de águas meteó
meteóricas por emanaç
emanações magmá
magmáticas

1. As emanaç
emanações quentes surgem de uma fonte mais profunda,
principalmente na forma gasosa.
2. Possuem alta mobilidade e alta capacidade de aquecer.
3. Vapor pode ser o constituinte principal.
4. É possí
possível que se condensem, caso sejam colocadas em contato com
quantidades suficientes de água meteó
meteórica.
5. Segundo alguns autores, essa água carrega em soluç
solução cerca de
390 toneladas de material em 24 horas, dos quais uma parte
significativa é SiO2.

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Oxidaç
Oxidação e lixiviaç
lixiviação
¾ As FFs,
FFs, principalmente na bacia Mesabi,
Mesabi, são muito fraturadas,
permitindo fá
fácil acesso de águas subterrâneas ao longo das fissuras.
¾ A quantidade de sísílica que foi carreada em soluç
solução no processo pode
ter sido similar à do Parque Yellowstone,
Yellowstone, onde algumas águas contêm
cerca de 800 ppm.
¾ Essa sísílica foi amplamente depositada na superfí
superfície e, alé
além de
proteger temporariamente o miné minério subjacente da erosão, esse
capeamento tem a funçfunção de selar os canais primá
primários, causando a
distribuiç
distribuição lateral do material lixiviado.
¾ Como a água e os gases são expelidos, a água subterrânea pode
penetrar lateralmente e segundo o mergulho. Isso ocorre em algum
horizonte na FF dependendo das condiç
condições locais.

19
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

1 Mistura de águas meteó meteóricas com


emanaç
emanações magmá
magmáticas ascendentes
em diferentes horizontes da FF.
Lixiviaç
Lixiviação da sí
sílica e concentraç
concentração do
miné
minério.

2 Está
Estágio final de lixiviaç
lixiviação.
Deposiç
Deposição de sínter protegendo o
miné
minério dos processos erosivos.

3 Corpo de miné
minério apó
após erosão do
capeamento e deposiç
deposição de geleira
glacial.

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Modelo de Morris
Modelo
Modelo supergênico
supergênico com
com metamorfismo
metamorfismo superimposto.
superimposto..
superimposto
A maior parte dos modelos supergênicos para miné minérios do tipo
hematita microlamelar (microplaty hematite) envolvem enriquecimento
por águas meteó
meteóricas conatas ou recirculadas.
recirculadas.
Águas infiltram ao longo de falhas, que podem atingir grandes
profundidades.
Metassomatismo ocorreu em cé células eletroquí
eletroquímicas hidrodinâmicas,
hidrodinâmicas,
movidas por reaç
reações cató
catódicas na zona de FFB superior durante
estaç
estações chuvosas (4e- + O2 + 2H2O → 4OH-).
Fe+2 de reaç
reações biogênicas na zona vadosa foi carreado para grandes
profundidades, afastadas da atmosfera.
Pseudomorfos de ferro, silicatos e carbonatos, substituí
substituídos por
goethita, ocorrem devido à oxidaç
oxidação anó
anódica em profundidade:
Fe+2 → Fe+3 + e-, dada por “ferró
ferrólise”
lise” Fe+3 + 3H2O → Fe(OH)
Fe(OH)3 + 3H+
Camadas de magnetita/kenomagnetita
magnetita/kenomagnetita na FFB agiram como condutores
elé
elétricos, com água subterrânea como agente de transferência iônica.

20
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Magnetita

O2 - Fe+2

Martita kenomagnetita Maghemita

Inversão + H2O

Martita Goethita

Miné
Minério a martita-
martita-goethita

21
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

Taylor et al. 2001


4 está
estágios de alteraç
alteração da FFB para produzir o miné
minério a martita &
hematita microlamelar são sugeridos:

1. Primá
Primário – toda a sísílica livre foi removida a T de 150-
150-250º
250ºC por
soluç
soluções hidrotermais salinas (salmouras bacinais expulsas sob
pressão), com substituiç
substituição parcial de carbonato. Retenç
Retenção de
magnetita original, carbonato e silicato, sem oxidaç
oxidação, resultou
em uma associaç
associação final tí típica com magnetita-
magnetita-siderita-
siderita-
estilplomelana-
estilplomelana-pirita-
pirita-apatita.
apatita. Houve uma considerá
considerável diminuiç
diminuição
de volume ao fim desse estáestágio.
2. Circulaç
Circulação de água meteó
meteórica profunda e oxidaç
oxidação a altas Ts
martita, e siderita é convertida em
onde magnetita oxida para martita,
hematita microlamelar (mpl H) + ankerita,
ankerita, sem perda de volume.
Envolve fluido com baixa salinidade e produz abundante mpl H
ané
anédrica.
drica.

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

3. Está
Estágio de lixiviaç
lixiviação – carbonato remanescente é quase
completamente lixiviado,
lixiviado, deixando a associaç
associação magnetita-
magnetita-
apatita porosa ou hematita-
hematita-apatita.
apatita. Mais alguma compactaç
compactação
pode ter ocorrido nesse está
estágio, mas a maior parte do aumento
em ferro foi devido à perda da ganga remanescente e rápido
aumento da porosidade.
meteó-
4. Intemperismo – Envolve águas frias oxidantes, isto é, meteó
ricas rasas. Há
Há remoç
remoção de quase todo Ca e P, ficando um
resí
resíduo final de miné
minério martita-
martita-hematita microlamelar de alto
teor e baixo P. As bandas de folhelho reduzidas em volume
constituem argila com alto Al e Ti, correspondendo à principal
impureza do corpo de miné
minério.

Tom Price, Austrália

22
Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

The stages of hypogene and supergene alteration at the North and Southern Ridge deposits. Both deposits are
shown juxtaposed to one another only to illustrate relationships of fluid flow and alteration. a Stage 1a early
hypogene magnetite-
magnetite-siderite-
siderite-iron silicate formed by ascending 150–
150–250°
250°C basinal brines. b Stage 1b early
hypogene hematite-
hematite-ankerite-
ankerite-magnetite alteration formed by ascending 300–300–400°
400°C basinal brines. c Stage 1c late
martite-
martite-microplaty hematite-
hematite-apatite alteration formed by ascending ~120°
~120°C basinal brines. d Stage 2 supergene
martite-
martite-microplaty hematite-
hematite-goethite alteration formed by descending shallow meteoric waters (<100°(<100°C).

Geologia Econômica Profa. Lydia Maria Lobato - Dept. Geologia

23