Você está na página 1de 4

Portfólio

Sistemas de Comunicação

Memórias RAM e ROM

Aluno: Otávio Priori Alcalde


RA: 8036911
1. Introdução

Em sistemas digitais, memórias são todos os dispositivos que permitem o armazenamento de um


estado / dado, de forma temporária ou permanente. A unidade básica de memória é o digito binário, ou
bit.
As memórias podem ser divididas em dois tipos ou categorias principais, de acordo com a maneira
como ela opera:
RAM – Random Access Memory (Memória de acesso aletório): Como o nome sugere, a RAM é uma
forma de memória usada para ler e gravar dados em qualquer ordem. É utilizada para aplicações em que
as necessidades de leitura e escrita de dados não possui frequência definida, é aleatória. Dados
armazenados neste tipo de memoria são escritos e lidos inúmeras vezes.
ROM - Read Only Memory (Memória somente leitura): A memória ROM é usada para casos onde os
dados são gravados uma vez e depois não são alterados. Os dados armazenados neste tipo de memória
não são perdidos ao se remover a fonte de energia. Por isso, as ROMs são amplamente usadas para
armazenar programas e dados que devem sobreviver quando um computador ou processador é desligado.
Por exemplo, o BIOS de um computador será armazenado na ROM.

2. Memórias ROM
2.1. PROM – Memória de leitura exclusiva programável
É uma memória que só pode ser gravada uma única vez. A partir da gravação, os dados são
permanentes. Essas memórias são fabricadas sem nenhuma informação e são programadas usando um
programador PROM. Normalmente, uma PROM consistirá em uma matriz de links fusíveis, alguns dos
quais são "queimados" durante o processo de programação para armazenar os dados desejados.

2.2. EPROM – Memória somente leitura programável apagável


Esta é uma memória somente leitura programável apagável. Esta forma de memória pode ser
programada e posteriormente apagada. Isto é feito expondo o silício à luz ultravioleta. Para tanta, há uma
janela circular no pacote da EPROM que permite que a luz alcance o silício do chip. Quando a PROM
está em uso, essa janela é normalmente coberta, especialmente quando os dados precisam ser preservados
por um período prolongado.
A PROM armazena dados como cargas capacitores. No entanto, foi constatado que após muitos anos
a carga pode vazar e os dados serem perdidos. Ainda assim, esse tipo de memória foi amplamente utilizada
em aplicações em que uma forma de ROM era necessária, mas os dados precisavam ser alterados
periodicamente, como em um ambiente de desenvolvimento.

2.3. EEPROM – Memória somente leitura programável - apagável eletricamente


Esta memória possui o mesmo principio da EPROM, alterando o modo como ela é apagada, neste
caso por meio de tensão elétrica. Este é o tipo de memoria utilizada nas BIOS dos microcomputadores
atuais. A exclusão da memória é feita normalmente por fechamento de dois pinos.

2.4. Memória Flash


A memória flash é considerada uma evolução das EEPROMs. Os dados podem ser gravados e
excluídos por meio variação das tensões aplicadas nas áreas do chip. Do mesmo modo que as demais
memórias ROM, a memoria Flash também não é volátil, e por este motivo ela hoje é largamente utilizada
em dispositivos de armazenamento como pen drives, discos de estado sólido e cartões de memória.
3. Memórias RAM
3.1. DRAM – Memoria de acesso aleatório dinâmica
Esta memória usa um capacitor para armazenar cada bit de dados, e o nível de carga em cada capacitor
determina estado de cada um. No entanto, esses capacitores não mantêm sua carga indefinidamente e,
portanto, os dados precisam ser atualizados periodicamente. Como resultado dessa atualização dinâmica,
ela recebe o nome de RAM dinâmica. DRAM é a forma de memória normalmente utilizada em
equipamentos, incluindo computadores pessoais e celulares.

3.2. SRAM – Memoria de acesso aleatório estática


Essa forma de memória é nomeada “estática” pelo fato de que, ao contrário da DRAM, não haver
necessidade de atualização periódica. Ela suporta tempos de leitura e gravação mais rápidos do que o
DRAM (normalmente 10 ns contra 60 ns para DRAM) e, além disso, seu ciclo é muito menor por não
realizar pausas entre os acessos. No entanto, consome mais energia, é menos denso e mais caro que o
DRAM. Por isso, é normalmente usada para cache de processadores.

3.3. SDRAM – Memoria de acesso aleatório dinâmica síncrona


Esta forma de memória pode funcionar a velocidades mais rápidas do que a DRAM convencional.
Ela é sincronizada ao clock do processador e é capaz de manter dois conjuntos de endereços de memória
abertos simultaneamente. Ao transferir dados alternadamente de um conjunto de endereços e, em seguida,
do outro, a SDRAM reduz os atrasos associados à RAM não síncrona, que deve fechar um banco de
endereços antes de abrir o próximo.

3.4. MRAM – Memoria de acesso aleatório magneto-resistiva


É uma tecnologia de memória RAM não volátil que usa cargas magnéticas para armazenar dados em
vez de cargas elétricas. Ao contrário das tecnologias que incluem DRAM, que exigem um fluxo constante
de eletricidade para manter a integridade dos dados, a MRAM retém os dados mesmo quando a energia é
removida. Outra vantagem é seu baixo consumo de energia. Como resultado, esta tecnologia pode se
tornar um importante componente na indústria eletrônica.

3.5. PRAM – Memoria de acesso aleatório com mudança de fase


Este tipo de memória também é como memória de mudança de fase, PCM. Baseia-se em um
fenômeno em que uma forma de vidro de calcogeneto muda de estado ou fase entre um estado amorfo
(alta resistência) e um estado policristalino (baixa resistência). É possível detectar o estado de uma célula
individual e, portanto, usá-la para armazenamento de dados. Atualmente, esse tipo de memória não é
amplamente comercializada, mas espera-se que seja um concorrente da memória flash.

3.6. FRAM – Memoria de acesso aleatório ferroelétrica


A RAM ferroelétrica é uma tecnologia de memória que possui muitas semelhanças com a tecnologia
DRAM padrão. A principal diferença é que ela incorpora uma camada ferroelétrica em vez da camada
dielétrica mais comum e isso fornece sua capacidade não volátil. Como oferece uma capacidade não
volátil, o F-RAM é um concorrente direto da memória Flash.
4. Referências Bibliográficas

Alvez, P. Entenda a diferença entre memória RAM e ROM. Disponível em:


<https://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2014/12/entenda-diferenca-entre-memoria-ram-e-
memoria-rom.html> Acesso em 28/09/18.

Dispositivos de Armazenamento – Memórias RAM e ROM. Disponível em:


<http://webeduc.mec.gov.br/midiaseducacao/material/informatica/inf_basico/tutoriais/computador/mem
oria.htm>. Acesso em 29/09/18.

Semiconductor Memory Technologies and types. Disponível em: <https://www.radio-


electronics.com/info/data/semicond/memory/different-types-semiconductor-memory.php>. Acesso em
29/09/18.