Você está na página 1de 9

Emmanuel

O E VA N G E L H O POR

C O MEN T Á R I O S AO
Evangelho Segundo Marcos
Coordenação
Saulo Cesar Ribeiro da Silva
Sumário

Agradecimentos ...................................................................21
Apresentação........................................................................11
Prefácio ..................................................................................15
Introdução ao Evangelho segundo Marcos. .................23

Marcos 1:15 ...........................................................................33


Marcos 1:20 .....................................................................35
Marcos 1:24 .....................................................................36
Marcos 1:38 .....................................................................37
Marcos 2:4 .............................................................................38
Marcos 2:14 .....................................................................39
Marcos 2:17 .....................................................................41
Marcos 2:27 .....................................................................43
Marcos 3:5 .............................................................................44
Marcos 3:23 .....................................................................46
Marcos 3:28-29 ...............................................................47
Marcos 3:35 .....................................................................48
Marcos 4:3 .............................................................................50
Marcos 4:15 .....................................................................52
Marcos 4:17 .....................................................................53
Marcos 4:19 .....................................................................55
Marcos 4:24 .....................................................................57
Marcos 4:25 .....................................................................59
Marcos 4:26 .....................................................................63
Marcos 4:28-29 ...............................................................65
Marcos 4:32 .....................................................................67
Marcos 4:33 .....................................................................68
Marcos 5:9 .............................................................................69
Marcos 5:19 .....................................................................72
Marcos 5:23 .....................................................................74
Marcos 6:8 .............................................................................75
Marcos 6:31 .....................................................................76
Marcos 6:32 .....................................................................80
Marcos 6:37 .....................................................................82
Marcos 6:56 .....................................................................84
Marcos 7:7 .............................................................................85
Marcos 7:10 .....................................................................86
Marcos 7:34 .....................................................................90
Marcos 8:2 .............................................................................92
Marcos 8:3 .......................................................................94
Marcos 8:5 .......................................................................95
Marcos 8:11 .....................................................................98
Marcos 8:24 .................................................................. 100
Marcos 8:34 .................................................................. 101
Marcos 8:25 .................................................................. 104
Marcos 8:36 .................................................................. 105
Marcos 9:2 .......................................................................... 108
Marcos 9:24 .................................................................. 109
Marcos 9:35 .................................................................. 110
Marcos 9:41 .................................................................. 112
Marcos 10:5 ........................................................................ 114
Marcos 10:14 ................................................................ 115
Marcos 10:15 ................................................................ 120
Marcos 10:43 ................................................................ 122
Marcos 10:45 ................................................................ 127
Marcos 10:50 ................................................................ 129
Marcos 10:51 ................................................................ 130
Marcos 11:22 ..................................................................... 132
Marcos 11:23 ................................................................ 134
Marcos 11:25 ................................................................ 135
Marcos 12:17 ..................................................................... 137
Marcos 12:27 ................................................................ 140
Marcos 12:29 ................................................................ 142
Marcos 12:31 ................................................................ 143
Marcos 12:38 ................................................................ 145
Marcos 12:43 ................................................................ 146
Marcos 13:5 ........................................................................ 148
Marcos 13:11 ................................................................ 149
Marcos 13:33 ................................................................ 150
Marcos 14:31 ..................................................................... 153
Marcos 14:38 ................................................................ 155
Marcos 14:45 ................................................................ 157
Marcos 14:71 ................................................................ 159
Marcos 15:17 ..................................................................... 160
Marcos 15:21 ................................................................ 161
Marcos 15:30 ................................................................ 163
Marcos 15:32 ................................................................ 166
Marcos 16:7 ........................................................................ 167
Marcos 16:15 ................................................................ 169
Marcos 16:16 ................................................................ 171
Marcos 16:17 ................................................................ 173

Tabelas de correspondências de versículos.............. 175


Relação de comentários porordem alfabética ......... 179
Índice geral ........................................................................ 181
Diz-lhes: Vamos a outros lugares, aos que possuem povoados,
para que também ali proclame, pois vim para isto.
Marcos
1:38
Pregações

1HVWH YHUV¯FXOR GH 0DUFRV -HVXV GHFODUD WHU YLQGR DR


PXQGR SDUD D SUHJD©¥R 7RGDYLD FRPR D VLJQLȴFD©¥R GR FRQ-
ceito tem sido erroneamente interpretada, é razoável recordar
que, com semelhante assertiva, o Mestre incluía no ato de pregar
WRGRVRVJHVWRVVDFULȴFLDLVGHVXDYLGD
Geralmente, vemos na Terra a missão de ensinar muito
desmoralizada.
$ FL¬QFLD RȴFLDO GLVS·H GH F£WHGUDV D SRO¯WLFD SRVVXL WUL-
EXQDVDUHOLJL¥RIDODGHS¼OSLWRV&RQWXGRRVTXHHQVLQDPFRP
exceções louváveis, quase sempre se caracterizam por dois mo-
dos diferentes de agir. Exibem certas atitudes quando pregam, e
adotam outras quando em atividade diária. Daí resulta a pertur-
bação geral, porque os ouvintes se sentem à vontade para mudar
a “roupa do caráter”.
7RGD GLVVHUWD©¥R PROGDGD QR EHP « ¼WLO -HVXV YHLR DR
mundo para isso, pregou a verdade em todos os lugares, fez dis-
cursos de renovação, comentou a necessidade do amor para a
VROX©¥R GH QRVVRV SUREOHPDV 1R HQWDQWR PLVWXURX SDODYUDV H
testemunhos vivos, desde a primeira manifestação de seu apos-
tolado sublime até a cruz. Por pregação, portanto, o Mestre en-
tendia igualmente os sacrifícios da vida. Enviando-nos divino
ensinamento, nesse sentido, conta-nos o Evangelho que o Mestre
YHVWLDXPDW¼QLFDVHPFRVWXUDQDKRUDVXSUHPDGR&DOY£ULR

(Caminho, verdade e vida. FEB Editora. Cap. 38)

C OMENTÁ RI OS A O EVANGELHO SEGUNDO MARCOS 33


Não podendo trazer-lhe, por causa da turba, após
remover a cobertura do teto onde ele estava, cavando-a,
baixam o catre no qual o paralítico jazia.
Marcos
2:4

O paralítico

Muitas pessoas confessam sua necessidade do Cristo, mas


frequentemente alegam obstáculos que lhes impedem a sublime
aproximação.
Uns não conseguem tempo para a meditação, outros expe-
rimentam certas inquietudes que lhes parecem intermináveis.
Todavia, para que nos sintamos na vizinhança do Mestre,
como legítimos interessados em seus benefícios imortais, faz-se
imprescindível estender a capacidade, dilatar os recursos pró-
prios e marchar ao encontro dele, sob a luz da fé viva.
Relata-nos o Evangelho de Marcos a curiosa decisão do pa-
ralítico que, localizando a casa em que se achava o Senhor, ple-
namente sitiada pela multidão, longe de perder a oportunidade,
amparou-se no auxílio dos amigos, deixando-se resvalar por um
EXUDFR OHYDGR D HIHLWR QR WHOKDGR GH PDQHLUD D EHQHȴFLDUVH
no contato do Salvador, aproveitando fervorosamente o ensejo
divino.
Recorda o paralítico de Cafarnaum e, na hipótese de en-
FRQWUDUHVJUDQGHVGLȴFXOGDGHVSDUDJR]DUDSUHVHQ©DGR&ULVWR
pelos teus impedimentos de ordem material, dirige-te para o
Alto, com o amparo de teus amigos espirituais, e deixa-te cair aos
seus pés divinos, recebendo forças novas que te restabeleçam a
paz e o bom ânimo.

(Caminho, verdade e vida. FEB Editora. Cap. 118)

34 O E VANGELHO POR EMMANUEL


3DVVDQGRDGLDQWHGDOLYLX/HYL>ȴOKR@GH$OIHXVHQWDGRQD
coletoria, e diz-lhe: Segue-me. Após levantar-se, ele o seguiu.
Marcos
2:14

Levantar e seguir14

É interessante notar que, por todos os recantos onde Jesus


deixou o sinal de sua passagem, houve sempre grande movimen-
tação no que se refere ao ato de levantar e seguir.
André e Tiago deixam as redes para acompanhar o Salvador.
Mateus levanta-se para segui-lo. Os paralíticos que retomam a
VD¼GHVHHUJXHPHDQGDP/£]DURDWHQGHOKHDRFKDPDPHQWRH
levanta-se do sepulcro. Em dolorosas peregrinações e profundos
esforços da vontade, Paulo de Tarso procura seguir o Mestre di-
vino, entre açoites e sofrimentos, depois de se haver levantado
¢V SRUWDV GH 'DPDVFR1XPHURVRV GLVF¯SXORV GR (YDQJHOKR QRV
tempos apostólicos, acordaram de sua noite de ilusões terrestres,
ergueram-se para o serviço da redenção e demandaram os teste-
PXQKRVVDQWLȴFDGRVQRWUDEDOKRHQRVDFULI¯FLR
Isso constitui um acervo de lições muito claras ao espírito
UHOLJLRVRGRV¼OWLPRVWHPSRV
A maioria dos cristãos vai adotando, em quase todos os
seus trabalhos, a lei do menor esforço. Muitos esperam pela visi-
ta pessoal de Jesus, no conforto das poltronas acolhedoras, outros
fazem preces, por intermédio dos discos. Há os que desejam com-
prar a tranquilidade celeste com as espórtulas generosas, como
também os que, sem nenhum trabalho em si próprios, aguardam
intervenções sobrenaturais dos mensageiros do Cristo pelo bem
estar de sua vida.

14
Texto publicado em Levantar e seguir. Ed. GEEM. Cap. “Levantar e seguir”, com pequenas alte-
rações. Segue-me!... Ed. O Clarim. Cap. “Segue-me! E ele o seguiu...”

C OMENTÁ RI OS A O EVANGELHO SEGUNDO MARCOS 35


Pergunta a ti mesmo se estás seguindo a Jesus, ou apenas
DVQRUPDVGRFXOWRH[WHUQRGRWHXPRGRGHȴOLD©¥RDR(YDQJH-
lho. Isso é muito importante, porque levantar e renovar-se ainda
é o nosso lema.

(5HIRUPDGRU, jan. 1942, p. 1)


Mc
2:14

36 O E VANGELHO POR EMMANUEL


Jesus, ouvindo [isso], diz: Os sãos não têm
necessidade de médico, mas os que estão doentes.
Não vim chamar justos, mas pecadores.
Marcos
2:17

Doença e remédio15

1RWUDWRFRPDVFKDJDVGDLJQRU¤QFLDQDHVIHUDGDKXPD-
nidade, quais sejam a incompreensão e o crime, a crueldade e a
rebeldia, anotemos a conduta da Misericórdia divina, no quadro
das doenças terrestres.
3RUTXHDOJX«PDFXVDRVUHȵH[RVWµ[LFRVGHVVDRXGDTXH-
la enfermidade, não sofre condenação a permanente desajuste.
Recebe a atenção da Ciência, que lhe examina as possiblidades
de cura ou melhoria.
Porque o médico deve tocar detritos corruptores, não lhe
LPSHOH D VD¼GH ¢ SHUWXUED©¥R H DR UHOD[DPHQWR '£OKH OXYDV
protetoras.
Porque processos infecciosos alterem a constituição celu-
lar nessa ou naquela parte da província corpórea, não sentencia
a zona atacada a simples extirpação. Oferta-lhe recurso adequa-
do para que elimine a infestação virulenta.
Se grandes lesões comparecem na estrutura do carro fí-
sico, ameaçando-lhe a segurança, traça o plano necessário à
LQWHUYHQ©¥R FLU¼UJLFD PDV Q¥R GHL[D R GRHQWH D LQVXODUVH QR
desespero, estendendo-lhe à dor o amparo da anestesia.
Se moléstias epidêmicas surgem, insidiosas, distribui a va-
cinação que susta o contágio.
Vemos, assim, que a Lei de Deus não se conforma com o
mal; ao contrário, opõe-lhe a cada instante o socorro do bem.

15
Texto publicado em Canais da vida. Ed. Cultura Espírita União. Cap. 18, com pequenas altera-
ções.

C OMENTÁ RI OS A O EVANGELHO SEGUNDO MARCOS 37