Você está na página 1de 3

DIREITO DO CONSUMIDOR 28.01.

19

Prof.: Leonardo Vieira

Conteúdo: 1 – Apresentação da Disciplina, do Cronograma e do método de


avaliação;

2 - Conceito de Direito do Consumidor e sua contextualização no


sistema jurídico brasileiro.

1. Apresentação

2. CDC como Microssistema Legislativo

- O que define um microssistema legislativo?

- Diplomas monotemáticos X Microssistemas.

- Microssistemas não se preocupam com a divisão do direito em


múltiplos ramos, mas sim com sua efetividade.

- O CDC realmente pode ser considerado um microssistema?

- Ex no CDC: Art. 81 e ss. E art. 91 e ss (direito processual); Art. 61 e ss


(direito penal); Art. 55 e ss (penalidades administrativas);

- Ex de outros microssistemas legislativos: estatuto do idoso e ECA.

3. CDC como norma de “ordem pública e interesse social”

- Art. 1º do CDC: O presente código estabelece normas de proteção e


defesa do consumidor, de ordem pública e interesse social, nos termos dos
arts. 5°, inciso XXXII, 170, inciso V, da Constituição Federal e art. 48 de suas
Disposições Transitórias.

A- Normas de “ordem pública” significa que são normas cogentes. Ok, e


o que são normas cogentes? São normas que não aceitam renúncia.

B – normas em relação às quais são inválidos eventuais contratos que


busquem afastar sua incidência.

C – Normas que podem ser reconhecidas de ofício pelo juiz.

- Exceção: súmula 381 do STJ – “nos contratos bancários, é vedado ao


julgador conhecer, de ofício, da abusividade das cláusulas”.

- O advento do art. 10 do CPC alterou essa característica da norma


consumerista?
Art. 10. O juiz não pode decidir, em grau algum de jurisdição,
com base em fundamento a respeito do qual não se tenha
dado às partes oportunidade de se manifestar, ainda que se
trate de matéria sobre a qual deva decidir de ofício.

OBS: se o CDC não fosse uma norma de ordem pública toda a proteção
deferida ao hipossuficiente da relação de consumo (consumidor) estaria
ameaçada, pois na prática o fornecedor iria restringir seus direitos legalmente
conquistados através de uma cláusula em qualquer contrato de adesão.

- Jurisprudência sobre o tema:

(...)3. As normas de proteção e defesa do consumidor têm índole de “ ordem


pública e interesse social” . São, portanto, indisponíveis e inafastáveis, pois
resguardam valores básicos e fundamentais da ordem jurídica do Estado
Social, daí a impossibilidade de o consumidor delas abrir mão ex ante e no
atacado. (...) (STJ - REsp: 586316 MG 2003/0161208-5, Relator: Ministro
HERMAN BENJAMIN, Data de Julgamento: 17/04/2007, T2 - SEGUNDA
TURMA, Data de Publicação: 20090319 --> DJe 19/03/2009)

OBS: Norma de ordem pública é sinônima de norma de direito público?

D – Limites à autonomia privada

- Evolução da autonomia da vontade: do pacta sunt servanda à teoria da


imprevisão e a função social dos contratos.

Art. 421. A liberdade de contratar será exercida em razão e


nos limites da função social do contrato.

Art. 2.035. A validade dos negócios e demais atos jurídicos,


constituídos antes da entrada em vigor deste Código,
obedece ao disposto nas leis anteriores, referidas no art.
2.045, mas os seus efeitos, produzidos após a vigência deste
Código, aos preceitos dele se subordinam, salvo se houver
sido prevista pelas partes determinada forma de execução.

Súmula 302, STJ: É abusiva a cláusula contratual de plano de


saúde que limita no tempo a internação hospitalar do
segurado.

4 – CDC como lei de função social

- O CDC regulamenta a Constituição Federal e tem com ela conexão


direta em diversos dispositivos. Assim, não poderia sofrer derrogações ou ab-
rogações provindas de outros diplomas legais, ainda que de mesma hierarquia,
no sentido de restringir direitos.

- Natureza jurídica do CDC. Poderia ser mudado por uma Lei


complementar?

- Efeito “Cliquet” ou vedação ao retrocesso.

- O novo CPC derrogou o CDC? Diálogo das fontes

- Jurisprudência do STJ

CONSUMIDOR E CIVIL. ART. 7º DO CDC. APLICAÇÃO DA


LEI MAIS FAVORÁVEL. DIÁLOGO DE FONTES.
RELATIVIZAÇÃO DO PRINCÍPIO DA ESPECIALIDADE.
RESPONSABILIDADE CIVIL. TABAGISMO. RELAÇÃO DE
CONSUMO. AÇÃO INDENIZATÓRIA. PRESCRIÇÃO. PRAZO.
- O mandamento constitucional de proteção do consumidor
deve ser cumprido por todo o sistema jurídico, em diálogo de
fontes, e não somente por intermédio do CDC.

5 – FUNDAMENTO CONSTITUCIONAL DO CDC

- Art. 5º, XXXII - o Estado promoverá, na forma da lei, a defesa do consumidor;

- Art. 170. A ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e


na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos existência digna, conforme os ditames
da justiça social, observados os seguintes princípios: V - defesa do consumidor;

- Art. 48. O Congresso Nacional, dentro de cento e vinte dias da promulgação


da Constituição, elaborará código de defesa do consumidor (LEI Nº 8.078, DE 11 DE
SETEMBRO DE 1990).

OBS: importante mencionar que as normas constitucionais tem aceitação direta


frente às relações privadas, é a chamada eficácia horizontal dos direitos
fundamentais ou drittwirkung”.

- Jurisprudência do STF:

As violações a direitos fundamentais não ocorrem somente no


âmbito das relações entre o cidadão e o Estado, mas
igualmente nas relações travadas entre pessoas físicas e
jurídicas de direito privado. Assim, os direitos fundamentais
assegurados pela Constituição vinculam diretamente não
apenas os poderes públicos, estando direcionados também à
proteção dos particulares em face dos poderes privados RE
201819 / RJ - RIO DE JANEIRO. Relator(a): Min. ELLEN
GRACIE Relator(a) p/ Acórdão: Min. GILMAR MENDES
Julgamento: 11/10/2005