Você está na página 1de 1

O CAMINHO

Naquela noite, a tempestade castigava o povoado, tudo estava escondido no breu,


até que cada relâmpago revelava as sombras na noite, a fúria da água que caia do céu,
parecia querer derrubar o pequeno povoado de onde estava encarapitado nas partes mais
baixas da montanha. Um ancião aguardava na estrada rumo ao povoado, encharcado, ele
deveria estar ali, a floresta havia lhe dito. Entre um clarão e outro ele avistou uma figura,
fugindo na noite, fazendo resistência à chuva, protegendo o mundo.
Do vilarejo era possível ver a grande floresta que circundava todo a montanha, o rio
que o dividia ao meio tinha a água fria, da neve derretida dos picos, a vida natural era
bela, havia tantos animais e uma profusão incontável de flores que faziam com que a vida
ali tivesse cheiro de liberdade. O equilíbrio com o mundo natural deveria ser mantido,
comer o que a terra oferecesse, caçar somente o necessário para o alimento e proteger
toda a vida daqueles que ousavam ceifá-la. Apesar de pequeno, o vilarejo não era
indefeso, havia quem dizia que o próprio Pai Carvalho o protegia, mas muitos que ali
moravam, também sabiam se proteger, aprendiam cedo, para guardar aqueles que
precisassem de ajuda.
Tahani crescera ali, seu passado a garota carregava no nome, Tahani Stormborn,
Zamael, o ancião da tribo foi quem lhe dera aquele nome, pois contava ele que em uma
noite de intensa tempestade ela nasceu, de uma mulher que também se chamava Tahani,
que estava perdida na mata e foi guiada até ali pela floresta. Após dar a luz sua mãe
nunca mais foi vista no vilarejo, deixou para trás a menina. Agora uma mulher Tahani
havia se tornado uma bela flor, daquelas que tem espinhos, assim como era bela, era
hábil com o arco, sempre honrou o compromisso de defender a vida selvagem e fazia isso
muito bem. Em seu décimo quinto aniversário, a floresta a chamou, disse que o próprio
Pai Carvalho tinha uma missão para ela, que prontamente aceitou, ela deveria treinar, e
esperar o momento certo em que seu teste viria para ela.
Após dois anos, por fim ela foi novamente chamada, havia ali quem protegesse
aquela floresta, mas uma outra estava morrendo, ela deveria ir até la, trazer de volta o
equilíbrio e trazer justiça aqueles que destruíam o mundo natural. A mata a levou até a
torre na água, mostrou a ela, outros que também estavam tentando proteger a floresta,
Tahani os seguiu até uma pequena vila que parecia destruída, ela aguardou, ate que eles
saíssem de la.

Interesses relacionados