Você está na página 1de 2

CAPÍTULO 07

INTRODUÇÃO
- Apresentar as correntes teóricas antropológicas: Evolucionismo,
Difusionismo e o Culturalismo.
- Evolucionismo: No século XIX a Europa passava por profundas
transformações em diversos domínios da sociedade. Uma dessas mudanças era a expansão
imperialista européia. A estrutura social estava solidificando-se na técnica e na razão. O
paradigma evolucionista abarcava diversas disciplinas. Procura identificar leis gerais sociais
(leis históricas universais). A evolução social era natural e necessária. Definia-se uma
hierarquização das sociedades por meio do olhar ocidental europeu. Unicidade biológica da
humanidade.
- Características: descoberta de leis universais, elaboração de séries
comparativas de dados, generalização das explicações, busca pela verdade e pela objetividade
científica.
- Roberto DaMatta (características do Evolucionismo): comparação das
sociedades entre si através de seus costumes; os costumes possuem origem, substância e telos;
desenvolvimento linear das sociedades (irreversível) e a ideia de progresso culmina na
sociedade ideal industrializada do século XIX.
- Pensadores evolucionistas: Morgan, Coulanges, Maine, Bachofen,
Mclennan, Tylor e Frazer.
- Modelo de Morgan: selvageria, barbárie e civilização. 1º, 2º e 3º estádios do
progresso, respectivamente.
- A importância do modelo evolucionista está contida nas pesquisas
profissionais sobre a vida humana e a discussão sobre seus movimentos.
- Difusionismo: foca o propagação cultural por meio dos empréstimos
culturais, identificando a movimentação geográfica das sociedades primitivas.
- Escola Difusionista Inglesa (hiper-difusionismo): toda cultura existente no
mundo teria seu epicentro no Egito. (Smith e Perry).
- Escola Difusionista da Áustria e da Alemanha ou Escola histórico-
geográfica austro-alemã: perspectiva pluralista da origem social, concebendo a existência de
vários centros de distribuição. (Graeber e Padre Wilhelm Schmidt).
* Círculo de cultura (Kulturkreis): centros culturais compartilhado por
diversos grupos.
- Escola Difusionista Americana (transição do séc. XIX para o XX): estudo
dos empréstimos culturais. Mais do as outras correntes, incentivavam a coleta de material
etnográfico nas sociedades para depois construir seus modelos teóricos sobre a trajetória e
distribuição cultural. (Wissler: conceito de área cultural semelhante ao círculo cultural austro-
alemão).
- Surge uma sombra da ideia de cultura em sua pluralidade.
- Culturalismo: primeira teoria a romper com o ideal evolucionista de
progresso linear das sociedades.
- Franz Boas: pesquisa de campo e etnografia. A comparação só deveria
ocorrer após a identificação dos princípios estruturais no contexto de cada sociedade, havendo
limites. Permite a visão antropológica que entende as sociedades como portadoras de cultura e
história próprias. Preocupa-se em identificar padrões através dos quais as sociedades se
organizavam.
- A influência do pensamento social alemão (filósofo von Herder primeiro a
entender cultura como um elemento que indica especificidade de uma coletividade).
- Escola de Cultura e Personalidade. (Boas, Benedict, Herskorvists, Mead).