Você está na página 1de 8

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

UNIDADE ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E TECNOLOGIA


BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2018.2
DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

Professora Executora: Maria da Penha S. Viana


Ma. em Administração
VAMOS DAR CONTINUAÇÃO AO NOSSO CONTEÚDO COMPLEMENTAR
MODALIDADES DE ORGANIZAÇÃO DE EMPRESAS

21. Quais as principais formas de organização de empresas?


As principais são três:

 Firma individual

O proprietário de uma firma individual tem direito a todo o lucro da empresa,


porém tem responsabilidade ilimitada sobre as dívidas da mesma. Não havendo
distinção entre rendimentos de pessoa física e de pessoa jurídica, de modo que o
lucro da empresa é tributado como se fosse rendimento de pessoa física.

 Sociedades por cotas:

Gerais – todos os sócios participam dos lucros e prejuízos, e todos têm


responsabilidade ilimitada por todas as dívidas da empresa, e não apenas por
algumas delas.
Limitadas - um ou mais sócios gerais serão responsáveis pela gestão da empresa
e terão responsabilidade ilimitada, mas haverá um ou mais sócios limitados que
não terão participação ativa no negócio.

A responsabilidade de um sócio limitado por dívidas da empresa é restrita ao


montante que tenha contribuído para o capital da sociedade. O contrato social
descreve a maneira pela qual os lucros ou prejuízos da sociedade são repartidos.

 Sociedades por ações: S-Corp e Companhia de responsabilidade limitada


A sociedade por ações é a forma superior de organização de empresas, no que diz
respeito a levantar recursos e transferir a propriedade de um investidor a outro,
mas apresenta a uma grande desvantagem: a dupla tributação.

22. Algumas vantagens e desvantagens da firma individual.


 Vantagens
Mais fácil de ser constituída; regulamentação mínima; um único dono fica com
todo o lucro; tributada uma vez como rendimento pessoal.
 Desvantagens
Patrimônio líquido limitado à riqueza pessoal do proprietário; responsabilidade
ilimitada; dificuldade de vender os direitos de propriedade; limitada à vida o
proprietário.
23. Vantagens e desvantagens da Sociedade por cotas.

 Vantagens

Dois ou mais proprietários; mais capital disponível; relativamente fácil de se


abrir; rendimentos tributados uma vez como rendimentos pessoais

 Desvantagens

Responsabilidade ilimitada (Sociedade Geral e Sociedade Limitada); as


sociedades dissolvem-se quando um dos sócios morrem ou quer vender;
dificuldade de se transferir a propriedade.

24. Sociedades por ações (Corporations)


 Vantagens

Responsabilidade limitada; vida ilimitada; separação dos proprietários e


Administradores; facilidade na transferência da propriedade; maior facilidade de
levantamento de capital.

 Desvantagens

Dupla tributação (rendimentos tributados à taxa das corporações e os dividendos


tributados à taxas pessoais).
FLUXO DE CAIXA

25. Conceitos

O fluxo de caixa tem uma relação direta com a movimentação dos recursos
financeiros e tem a finalidade de controlar os recebimentos e pagamentos do
caixa.

De acordo com Piaveta (2005) o fluxo de caixa é uma demonstração de caráter


dinâmico e prático, que oferece ao gerente financeiro uma bagagem de
informações que o ajudará na tomada de decisões.

Já Reinert e Bertolini definem o fluxo de caixa de uma empresa como o conjunto


de entradas e saídas de recursos ao longo de um determinado período,
consistindo na representação dinâmica da situação financeira de uma empresa.
26. Como é composto o fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é composto dos dados obtidos dos controles de contas a pagar,
contas a receber, de saldos de aplicações e todos os demais que representem as
movimentações de recursos financeiros disponíveis da organização.

O controle de contas a pagar proporciona uma visualização global dos


compromissos assumidos pela empresa, permitindo acompanhar de forma fácil os
pagamentos a serem efetuados em determinado período.

Já o controle de contas a receber, de acordo com Reinert e Bertolini, é


representado por faturas ou duplicatas e são relacionadas com as receitas da
empresa, ou seja, tudo o que a empresa tem a receber.

27. Como se estrutura o fluxo de caixa?

Para Zdanowicz (2004) o fluxo de caixa é estruturado levando em consideração


dois princípios básicos:
 Considera a competência de caixa e não a do exercício social
 Considera apenas os ingressos e desembolsos efetivos de caixa do período.

A projeção do fluxo de caixa depende de vários fatores como o tipo de atividade


econômica, o porte da empresa, o processo de produção e/ou comercialização,
além das fontes de caixa, que podem ser internas e/ou externas,

Bons estudos!