Você está na página 1de 25

SISTEMA ELÉTRICO DE

POTÊNCIA - SUBESTAÇÕES

SENAI - Barra Mansa / RJ, 09/07/2019


Jorge Henrique Marques Mariano
 Objetivos da aula:

O objetivo desta aula é transmitir aos participantes determinados


conhecimentos técnicos a respeito das subestações de energia,
porém serão abordados mais especificamente sobre as configurações
e características típicas dos barramentos das subestações.
 Assuntos abordados:

 Subestações de Energia
 Barramentos

 Principais
configurações e características típicas dos barramentos
das subestações
Subestações de Energia
 Subestação de Energia (SE) é uma instalação elétrica de tensão e
potência elevadas, contendo circuitos conectados a um
barramento comum, possibilitando a realização das funções de
transformação de tensão, manobra, proteção e controle do sistema
de energia.
 As subestações estão presentes em todos os ramos de atividades
que envolvam energia elétrica, desde a geração, transmissão,
distribuição, e nos pontos de entrada de energia dos consumidores
finais.
Subestação Saudade em Barra Mansa – Vila Ursulino
Subestação Fontenelle em Barra Mansa – Estamparia
Subestação Abrigada:
Subestação Interna:
Barramentos Elétricos de Subestações
Os barramentos das subestações são um conjunto de condutores
utilizados para fazer a interconexão dos circuitos existentes na
subestação, assim como para interligar dois ou mais transformadores,
geradores, e demais equipamentos que constituem a subestação.
Os barramentos podem ser rígidos ou flexíveis, e podem ter formatos
variados, como tubos, barras, e cabos.
Configurações e características típicas
dos barramentos das subestações
 Barrasimples: é o arranjo mais simples, possuindo apenas um barramento ao
qual se conectam as cargas por meio de um disjuntor, apresentando
confiabilidade e flexibilidade limitadas, pois caso haja necessidade de
manutenção em qualquer chave seccionadora ligada ao barramento,
todas as cargas serão desligadas.
 Barrasimples seccionada: este arranjo é indicado quando existe dupla
alimentação da SE. No centro do barramento existe um disjuntor junto com
suas chaves seccionadoras, e no caso de falha, apenas uma parte das
cargas serão desenergizadas, logo esta é uma configuração que apresenta
maior flexibilidade e confiabilidade que a anterior.
 Barra dupla com 1 disjuntor: este arranjo é composto por duas barras
interligadas por um disjuntor, onde cada uma das barras pode alimentar
todas as cargas. Apresenta grande flexibilidade e confiabilidade, porém
falhas no disjuntor do alimentador desligam o respectivo alimentador.
 Barradupla com disjuntor duplo: este arranjo é composto por duas barras
redundantes, alimentadas por duas fontes distintas. Cada barra pode
alimentar todas as cargas de forma totalmente independente da outra
barra. Apresenta grande flexibilidade e confiabilidade. A SE só é desligada
caso haja falha simultânea em ambas as barras.
 Barra dupla a 4 chaves: arranjo composto por duas barras que podem ser
interligadas por meio de disjuntor de interligação, sendo que cada barra
pode alimentar qualquer uma das cargas. Nessa configuração é possível
utilizar o by pass para manutenção dos disjuntores, e a barra ‘B’ pode ser
utilizada como barra de transferência.
 Anel múltiplo: Apresenta melhor flexibilidade, e confiabilidade em relação
ao anel simples, Nessa configuração existem 8 conjuntos de disjuntor +
chaves seccionadoras para cada 7 circuitos. Caso um disjuntor venha a
falhar, a alimentação das cargas podem ser realizadas pela outra barra.