Você está na página 1de 13

EE DR° JOAQUIM SILVADO

A COMUNA DAS ASTÚRIAS®

VICTOR HUGO MARQUES DA SILVA, 34, 3° ANO C;

RENAN SUCS LEITE, 21, 3° ANO C;

RAMON GOMES DA SILVA, 18, 3° ANO C;

VITOR RIBEIRO, 35, 3° ANO C.

SÃO PAULO

10/11/2010
2
VICTOR HUGO MARQUES DA SILVA;

RENAN SUCS LEITE;

RAMON GOMES DA SILVA;

VITOR RIBEIRO.

A COMUNA DAS ASTÚRIAS

Trabalho sobre a Comuna das Astúrias,

que ocorreu durante a Revolução Espanhola

SÃO PAULO

10/11/2010

3
DEDICATÓRIA

Dedicamos este trabalho primeiramente a Deus, pois sem ele não estaríamos aqui hoje,
apresentando este trabalho;

Aos nossos pais, por nos apoiarem neste momento;

Aos professores por nos apoiarem na busca pelo conhecimento;

Aos colegas por nos incentivarem.

4
LISTA DE FIGURAS

Figura 1: Comuna..................................................................................................08

Figura 2: Mapa das Astúrias..................................................................................09

Figura 3: CNT.........................................................................................................10

Figura 4: Francisco Franco.....................................................................................12

5
SUMÁRIO

1. Introdução............................................................................................................................07
1.1 O que é uma Comuna?........................................................................................................08
1.2 O que é Astúrias?.................................................................................................................09
1.3 A CNT...................................................................................................................................10
1.4 A Comuna das Asturias........................................................................................................11
1.5 Francisco Franco..................................................................................................................12
2. Bibliografia............................................................................................................................13

6
INTRODUÇÃO

 Esse trabalho procurou informar e demonstrar o que foi a Comuna das Astúrias e mais
algumas informações adicionais.
 Com breves textos feitos com o intuito de facilitar o entendimento dos mesmos.
 Não há muito conteúdo, pois a Comuna das Astúrias foi um acontecimento que ocorreu
dentro da Revolução Espanhola, portanto não houveram tantos acontecimentos pois a Comuna
ocorreu em um curto período dessa Época.

7
O QUE É UMA COMUNA?

A palavra comuna, na Idade Média, é a designação para a cidade que se tornava livre pela
obtenção de carta de liberdade fornecida pelo chefe de estado ou Senhor Feudal.

As raízes do movimento comunal encontram-se nas aspirações dos burgueses das cidades que
queriam liberdade, segurança, isenção de impostos feudais e justiça própria; estas exigências
resultavam do desenvolvimento comercial, que era afetado pela rigidez das estruturas feudais.
Embora apresentem características semelhantes aos municípios portugueses, nem as cartas
comunais francesas são comparáveis a forais que eram as cartas monárquicas que regulamentava
a administração de terras conquistadas, que na maioria dos casos não passavam de listas de
encargos a satisfazer à coroa pelos conselhos. Nos próprios burgos onde a burguesia mercantil
predominava (como o Porto) e o grau de dependência ao rei diminuía, dificilmente se poderá falar
de autonomia política no sentido comunal.

As comunas eram grandes unidades de produção rural, abrangendo a agricultura e


pequenas indústrias. Cada comuna estruturava-se de forma coletiva e centralizada. Os
lotes agrícolas familiares, distribuídos na reforma agrária de 1950, foram eliminados, e toda a terra,
colocada sob o controle das comunas. As comunas organizavam também a vida social e
a educação das crianças. A implantação desse sistema teve forte impacto sobre a vida familiar,
diminuiu a força tradicional da autoridade paterna.

Figura 1

8
O QUE É ASTÚRIAS?

O Principado de Astúrias (castelhano Principado de Astúrias e asturiano Principáu d'Asturies) é


uma comunidade autônoma e uma província da Espanha. Príncipe de Astúrias é o título atribuído
ao herdeiro do trono da Espanha. E é apelidada de "Paraíso Natural", devido ás suas belezas
naturais.

O idioma oficial é o castelhano. Também é usado o asturiano (asturiano ou bable), empregado fora
das grandes cidades, e mais usado nas zonas rurais. É uma língua derivada diretamente do latim.

Figura 2

9
A CNT (Confederação Nacional do Trabalho)

A Confederação Nacional do Trabalho (CNT) (em espanhol Confederación Nacional Del Trabajo) é
uma confederação de sindicatos autônomos de ideologia anarcossindicalista da Espanha que está
aderida a organização de caráter transnacional, Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT).
Conhece-se por este motivo também com o nome de CNT-AIT. É uma organização que vem
desempenhando um papel muito significativo dentro dos movimentos sociais relacionados com
o anarquismo.

Atualmente CNT prossegue participando no movimento operário espanhol baseando-se nos


princípios da autogestão, do federalismo e da ajuda mútua.

Figura 3

10
A COMUNA DAS ASTÚRIAS

A Comuna das Astúrias foi um evento premonitório do que viria a ocorrer dois anos depois. Em 5
de Outubro de 1934, uma insurreição conjunta dos socialistas (UGT) e dos anarquistas (CNT)
contra o governo de direita fracassou em todo o território espanhol, exceto nas Astúrias. Nessa
região, os trabalhadores da CNT e UGT haviam trabalhado juntos, numa colaboração que foi
realizada muito mais pelas bases do que pelas lideranças de cada organização. Em Gijón,
barricadas foram construídas imediatamente. Os mineiros de Oviedo acorreram à defesa da capital.
A fábrica de armas caiu em mãos dos operários. As indústrias metalúrgicas trabalharam dia e noite
para fabricar mais armas. Entretanto, a cidade já havia sido cercada pelas tropas marroquinas
de Francisco Franco. A cidade resistiu até 18 de Outubro, e durante o período de
combates, conselhos operários foram responsáveis pela organização da resistência.

11
FRANCISCO FRANCO

Nascido em Ferrol que é um município espanhol situado no noroeste da Galiza, estudou na


Academia de Infantaria de Toledo e entre 1912 e 1917, destaca-se pelo seu valor e frieza no
combate. Em 1923, apadrinhado por Afonso XIII, casa-se com Carmen Polo, de uma família da
burguesia das Astúrias.

Destinado novamente a Marrocos com o grau de tenente-coronel, assume o comando da Legião


em 1923 e participa ativamente na reconquista do Protetorado (1925).

Na implantação da República (1931) é afastado de cargos de responsabilidade. O triunfo das


forças de direita em 1933 fá-lo regressar a altos cargos do exército. Planifica a cruel repressão
da Revolução das Astúrias (1934) com tropas da Legião. Quando Gil Robles ocupa o Ministério da
Guerra, é nomeado chefe do Estado-Maior Central (1935). Em 1936, o governo da Frente Popular
nomeia-o comandante militar das Canárias. Dali mantém contato com Emilio Mola (chamado O
diretor) e Sanjurjo, que preparam o levantamento militar.

No princípio da decomposição do regime. Franco morre após uma longa doença num hospital de
Madrid.

Figura 4

12
BIBLIOGRAFIA

Mecanismo de Pesquisa: Google Inc. – http://www.google.com.br/

Fonte Texto I: O que é uma Comuna: Wikipédia a Enciclopédia Livre, Enciclopédia Abril -
http://pt.wikipedia.org/wiki/Revolu%C3%A7%C3%A3o_Espanhola#A_Comuna_das_Ast.C3.BArias;

Fonte Texto II: O que é Astúrias: Wikipédia a Enciclopédia Livre -


http://pt.wikipedia.org/wiki/Ast%C3%BArias;

Fonte Texto III: A CNT: Wikipédia a Enciclopédia Livre - http://pt.wikipedia.org/wiki/CNT_(sindicato);

Fonte Texto IV: A Comuna das Astúrias: Abaciente - http://abaciente.blogs.sapo.pt/92335267.html

Fonte Texto V: Francisco Franco: Wikipédia a Enciclopédia Livre -


http://en.wikipedia.org/wiki/Francisco_Franco

Todos os Direitos Reservados™

13