Você está na página 1de 3

“O CONSUMO E OS DANOS CAUSADOS PELO USO DO CRACK”

Por: Gesiel Freire dos Santos.

 Esta proposta busca, através da arte, sensibilizar os alunos para um


problema extremamente preocupante no contexto da sociedade
contemporânea que é o aumento do consumo do crack entre crianças,
adolescentes, jovens e adultos.

Objetivos:

 Dar a conhecer a composição do crack, os efeitos do consumo sobre o


organismo humano, o crescente aumento do número de usuários e as
dificuldades no tratamento e recuperação dos dependentes.

 Expressar através da arte, por meio de seminários e trabalhos artísticos,


o posicionamento crítico dos alunos diante dessa problemática questão.

 Criar um trabalho poético coletivo buscando uma composição


esteticamente interessante. Utilizando-se, para isso, dos elementos da
linguagem visual, tais como: cor, linha, textura, volume, etc.

Metodologia da Ação Pedagógica:

1º Momento: Texto “O que é o crack” e desenhos sobre o tema

Os alunos trabalharam com o texto: “O que é o crack” extraído de um


jornal local que foi xerocado e distribuído para as turmas. Após a leitura
individual e coletiva e o esclarecimento de algumas dúvidas sobre o texto,
os alunos criaram desenhos sobre o tema. Esses desenhos foram
recolhidos e guardados em uma pasta para a construção do painel. No final
da aula os alunos foram informados que nessa semana estava sendo
publicada em um jornal local uma série de matérias sobre o assunto e que
eles deveriam pesquisar e trazer esses materiais para o próximo encontro.

2° Momento: Leitura dos textos e compilação dos pontos mais


importantes

As turmas foram divididas em grupos de três e orientados a ler e retirar


dos textos dos jornais trazidos por eles (esse material também pode ser
obtido através de uma pesquisa requisitada pelo professor(a), em uma aula
anterior, como atividade não presencial) os pontos considerados mais
importantes, fazendo então um resumo para ser apresentado no seminário
da aula seguinte.

3◦ Momento: Seminário

Antes da realização do Seminário, foi feito um sorteio para definir a


ordem de apresentação dos grupos.
Este momento foi extremamente positivo e gratificante por propiciar a
exposição do posicionamento crítico dos alunos, pois, além de apresentar
os resumos, cada aluno trouxe a sua fala pessoal e suas vivências ao
relatar casos conhecidos de usuários e traficantes dentro da comunidade
( um caso a se pensar, pois a comunidade se debate com o problema tem
conhecimento das causas e não vê a solução por parte dos órgãos
competentes).

4° Momento: Pesquisa no Laboratório de Informática

No laboratório de informática os alunos pesquisaram sites que


destacavam o assunto. Nessa aula eles puderam interagir com o
computador navegando pelas páginas da web, como também anotar frases
que eles encontraram em sites pesquisados. É importante salientar que
alguns alunos participantes estavam tendo o seu primeiro contato com o
computador, o que agregou mais valor a esse momento por colaborar com
o processo de Inclusão Digital.

Acesse a página CracK nem Pensar:

http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/cracknempensar/home,0,3710,Hom
e.html

Assistir os vídeos:

O drama dos usuários de crack.

http://mediacenter.clicrbs.com.br/templates/player.aspx?
uf=1&contentID=81274&channel=224

Crack, Nem Pensar - como combater a droga em SC.

http://mediacenter.clicrbs.com.br/templates/player.aspx?
uf=1&contentID=81528&channel=224

5◦ Momento: Construção do Painel

Com as frases e os esboços em mãos partiu-se para a próxima etapa do


projeto que era a criação de um painel coletivo. Esse painel foi composto
por dois suportes em forma de mãos; dois suportes em forma de cabeça, e
um suporte em forma de cunha que, posicionado acima dos outros
suportes, integrou todos num único e grande painel.
Para a construção desses suportes com formas humanas foram
utilizados um retroprojetor, giz-de-cera e papel pardo. O retroprojetor
projetou a luz sobre o corpo de um aluno, projetando a sua silhueta sobre o
papel pardo disposto na parede, servindo de molde para os suportes.
Essa proposta foi desenvolvida pelas quatro etapas (3A, 3B, 4A e 4B)
sendo que as etapas quatro ficaram encarregadas da construção das mãos
e das cabeças e as etapas 3 da construção da base superior.
A escolha da forma desses suportes tem por objetivo completar o
significado do trabalho. Por exemplo, as cabeças, em um sentido figurado,
remetem ao pensamento, a uma reflexão sobre o que está sendo proposto
enquanto que as mãos espalmadas remetem a um pedido ou ordem de
PARE, tanto para pensar sobre o tema, quanto para parar de consumir
crack. Já a base superior busca tão somente unificar as partes criando um
todo coerente e significativo.

6° Momento: Execução da Pintura e Colagem das Gravuras.

Com as silhuetas delineadas os alunos partiram para a prática artística


propriamente dita. Desenhando e pintando dentro das silhuetas. Nessa
etapa os alunos puderam soltar toda a sua criatividade e sensibilidade
criando um jogo estético entre palavras, desenhos e cores.
As etapas que construíram as mãos e as cabeças puderam aprender
sobre conceitos e práticas de desenho e pintura. Conhecendo também
alguns artistas que trabalharam com uma temática de cunho social, tais
como: Picasso, Portinari e Krajcberg. As etapas que construíram a base
superior puderam aprender sobre o uso da gravura e suas técnicas,
conhecendo artistas que trabalharam com essa linguagem, tais como os
brasileiros: Oswaldo Goeldi, Hélio Oitica e Lívio Abramo.

7◦ Momento: Exposição e Reflexão sobre os Trabalhos.

Esse momento é um dos mais significativos dessa e de outras


propostas, pois, é durante a exposição que o aluno atribui um maior valor
aquilo que ele produz. Ë durante a exposição que ele muitas vezes tem a
oportunidade de aumentar a auto-estima (baixa auto-estima na maioria das
vezes), ao ouvir comentários e elogios de seus trabalhos.
E nesse momento a arte, como uma ferramenta de comunicação entre
os homens, através da sensibilidade, cumpre o seu papel. Pois, como forma
de expressão humana, a arte só se faz arte, isto é, só faz sentido quando
sentida, quando apreciada e compreendida por outro ser humano, que é
tocado e levado a uma reflexão, a um sentimento ou emoção
compartilhada, a uma compreensão mais profunda do mundo em que vive.

Componente Curricular: Artes e Saúde.

Recursos Utilizados: Retroprojetor, jornal, xerox, lápis, giz-de-cera,


borracha tesouras, papel sulfite, papel pardo, cola, fita adesivas, pincéis,
tinta guache, máquina digital, computador, internet, data show, etc.