Você está na página 1de 3

Vygotsky e a surdez

Vygotsky foi um ande teórico que estudou a respeito da aprendizagem e


desenvolvimento da criança. Muitos professores, psicólogos estudam suas
teorias durante a graduação.
Esse teórico tão importante também se debruçou a estudar sobre as
deficiências em especial a surdez.
O aprendizado foi estudado por diversos autores, um grande objeto de
pesquisa para a psicologia. Diversas teorias foram criadas, dentre elas
podemos citar teorias Behaviorista, Cognitivistas Humanistas e Sócio Culturais.
Lev Semionovitch Vygotsky, foi um psicólogo, proponente da psicologia
cultural-histórica. Pensador importante em sua área e época, foi pioneiro no
conceito de que o desenvolvimento intelectual das crianças ocorre em função
das interações sociais e no estudo das deficiências, como a surdez.
Ou seja, para Vygotsky, não é suficiente ter todo o aparato biológico da espécie
para realizar uma tarefa se o indivíduo não participa de ambientes e práticas
específicas que propiciem esta aprendizagem.
Muitos acreditam que a criança vai se desenvolver com o tempo. Essa frase
precisa ser contextualizada, pois não devemos comparar o desenvolvimento de
cada criança, mas a criança necessita de estimulo para aprender.
Na escola é comum ter alunos que compreendem melhor a matéria e outros
nem tanto, mas será que parte dessa diferença não seria devido à falta de uma
pessoa auxiliando no aprendizado?
Assim como é quando recebem um aluno com surdez? Ele interage e aprende
com os demais ou fica em seu canto?
Para Vygotsky é a interação social esse estimulo. A questão central de
Vygotsky é a aquisição de conhecimentos pela interação do sujeito com o
meio. Para o teórico, o sujeito é interativo, pois adquire conhecimentos a partir
de troca com o meio, de relações entra e interpessoais e, a partir de um
processo denominado mediação.
Para compreender melhor remetemos ao conceito de Zona de
Desenvolvimento Proximal (ZDP), muitos de vocês professores pode esta
lembrando desse termo das aulas. Para Vygotsky, Zona de Desenvolvimento
Proximal (ZDP), é a distância entre o nível de desenvolvimento real, ou seja,
determinado pela capacidade de resolver problemas independentemente, e o
nível de desenvolvimento proximal, demarcado pela capacidade de solucionar
problemas com ajuda de um parceiro mais experiente.
São as aprendizagens que ocorrem na ZDP que fazem com que a criança se
desenvolva ainda mais, ou seja, desenvolvimento com aprendizagem na ZDP
leva a mais desenvolvimento, por isso dizemos que, para Vygotsky, tais
processos são indissociáveis.
Esse processo é presente diariamente na relação professor aluno na escola,
mediado principalmente pela linguagem.
Sendo assim observamos a centralidade da Linguagem na teoria de Vygotsky.
A linguagem (verbal, gestual e escrita) é nosso instrumento de relação com os
outros e, por isso, é importantíssima na nossa constituição como sujeitos. Além
disso, é através da linguagem que aprendemos a pensar
A linguagem é, antes de tudo, social. Portanto, sua função inicial é a
comunicação, expressão e compreensão. Essa função comunicativa está
estreitamente combinada com o pensamento.
A comunicação é uma espécie de função básica porque permite a interação
social e, ao mesmo tempo, organiza o pensamento.
Para Vygotsky, a aquisição da linguagem passa por três fases: a linguagem
social, que seria esta que tem por função denominar e comunicar, e seria a
primeira linguagem que surge. Depois teríamos a linguagem egocêntrica e a
linguagem interior, intimamente ligada ao pensamento.
Assim a linguagem não tem mera função comunicativa, mas de formação de
pensamento, de planejamento e organização.
A partir desse ponto da nossa discussão podemos começar a refletir de como
seria para as crianças com surdez, visto que ainda hoje a comunicação é um
grande obstáculo.
A perspectiva vygotskiana, com sua ênfase na linguagem e na interação social,
inspira também o trabalho educativo com crianças surdas e surdo-cegas,
apontando elementos que permitem assumir a defesa do ensino de língua de
sinais aos surdos, assim como a necessidade de tornar disponíveis sistemas
que permitam a comunicação dos surdo-cegos, baseados no toque.
Vygotsky, como dito anteriormente, foi um grande estudioso da surdez. O autor
estudou diversas deficiência, e percebeu que a surdez é aquela que traz
maiores prejuízos ao ser humano devido a eu caráter social. Diferente dos
animais, que a cegueira se torna mais prepucial.
A linguagem possibilita um grande salto sensorial no desenvolvimento das
crianças. Ela se caracteriza por possibilitar uma infinidade de alternativas de
utilização que oportuniza o desenvolvimento do raciocínio, por exemplo.
Hoje, a língua mais utilizada pelos povos são as línguas orais, isso dificulta a
aprendizagem espontânea das pessoas com surdez e consequentemente o
seu desenvolvimento. No entanto, vale a pena ressaltar que a linguagem oral
não é a única forma de língua.
As Línguas de sinais podem desenvolver o mesmo papel das orais. Dessa
maneira, podemos concluir que a questão da surdez não é orgânica, mas
social e precisamos responder as seguintes questões: Quantas anos essa
criança com surdez apendeu a língua de sinais? Com quem se comunica para
a realização de seu aprendizado e desenvolvimento, aquele que irá propiciar o
aprendizado da zona real para a proximal, descrita por Vygotsky?
As práticas escolares devem trabalhar para minimizar tais lacunas. Vygotsky
vivia em um tempo em que o moralismo era pratica dominante na educação
para pessoas com surdez. Ele foi um grande crítico e dizia que a aquisição de
linguagem deve ser natural como é para os ouvintes.
A escola tem grande papel no desenvolvimento da criança ouvinte ou com
surdez, visto que segundo Vygotsky, o sujeito – no caso, a criança – é
reconhecida como ser pensante, capaz de vincular sua ação à representação
de mundo que constitui sua cultura, sendo a escola um espaço e um tempo
onde este processo é vivenciado, onde o processo de ensino-aprendizagem
envolve diretamente a interação entre sujeitos.
E quais praticas tem sido realizada para as pessoas com surdez na escola?
Hoje, onde algumas cidades estão em ensino remoto, se faz o ensino por meio
da Libras?
Para aquelas cidades que já estão retornando ao presencial, se faz a
estimulação do ensino da Libras?
Partir dos conhecimentos expostos nesse texto, gostaria que refletisse a
respeito da importância da língua para nós e para o ambiente escolar.