Você está na página 1de 47

MODELO PARA O

MANUAL DO
PROGRAMA 10S’s
SUMÁRIO
1. Apresentação
2. Composição e estruturação do manual do programa
10S’s.
3. Objetivos do programa 10S’s
4. Origem do programa 10S’s
5. Conceitos e significados do programa 10’Ss
6. Organização e implementação da equipe do programa
10S’s
7. Suporte ao programa 10S’s
8. Recursos disponíveis para o programa 10S’s
9. Responsabilidades da equipe do programa 10S’s
10.Critérios para auditoria do programa10S’s
11.Responsabilidades da administração
12.Documentação
1. APRESENTAÇÃO

• Citar os dados da empresa – razão


social, endereço, dados fiscais, etc.
2. COMPOSIÇÃO E ESTRUTURAÇÃO DO
MANUAL DO PROGRAMA 10S’s.
A composição e a estruturação do Manual do
Programa 10S’s está assim definida:
• Objetivo do programa 10S’s;
• Origem do programa 10S’s;
• Conceitos e significados do programa 10S’s;
• Organização e implementação da equipe do programa
10S’s;
• Suporte ao programa 10S’s;
• Recursos disponíveis para o programa 10S’s;
• Responsabilidade da equipe do programa 10S’s;
• Critérios para auditoria do programa 10S’s;
• Responsabilidades da administração;
• Documentação.
3. OBJETIVOS DO PROGRAMA 10S’s
• O programa 10S’s é uma proposta que visa à
reeducação das pessoas, à recuperação de
valores, busca a melhoria nos ambientes, o
aumento da produtividade, não descuidando
da saúde e segurança e da modernização das
organizações, mas, acima de tudo, busca a
conscientização das pessoas para práticas de
cidadania.
• O Programa 10S’s tem como objetivo eliminar
as causas de não-conformidade sobre todos
os aspectos enfocados em cada senso, e será
aplicado em todos os setores da empresa...
3. OBJETIVOS DO PROGRAMA 10S’s
• O maior desafio é torná-lo uma ferramenta
imprescindível como base da melhoria
contínua na manutenção / certificação da NBR
ISO 9000 ou outras.
• Este manual foi desenvolvido para atender
aos requisitos dos itens 6.3 e 6.4 da NBR ISO
9001:2000, no que diz respeito à estruturação
da organização, visando à melhoria da
qualidade do ambiente de trabalho.
• Este manual é aplicável na empresa....
4. ORIGEM DO PROGRAMA 10S’s

• A utilização de técnicas de estímulo a


cultura da qualidade, desenvolvidas pelas
empresas japonesas na década de 70 e
mundialmente difundidas no ocidente nos
anos 80 e 90, provocaram diversas
melhorias no âmbito empresarial, sendo
estendida a todos os setores da
sociedade.
4. ORIGEM DO PROGRAMA 10S’s

• A técnica desenvolvida por Kaoru


Ishikawa em 1950 no Japão denominada
5S (Seiri, Seiton, Seisoh, Seiketsu e
Shitsuke)
Shitsuke constituiu o primeiro passo de
organização nas empresas, inspirado na
necessidade que havia de colocar ordem
na grande confusão que se estabeleceu
no país após a Segunda Guerra Mundial.
4. ORIGEM DO PROGRAMA 10S’s

• Quando começou a ser utilizado nas


organizações brasileiras, a partir de 1991,
houve uma tradução para nossa língua, para
que seus significados pudessem ser entendidos.
Para não perder o conceito dos “S” , foi então
colocada a palavra Senso no início de cada
tradução para o português, ficando assim
definidos: Senso de Utilização, Senso de
Ordenação, Senso de Limpeza, Senso de
Saúde e Senso de Autodisciplina.
4. ORIGEM DO PROGRAMA 10S’s

• Hoje, a prática do 5S’s é amplamente


utilizada nas empresas brasileiras, e na
maioria delas, a implantação do Sistema
de Gestão pela Qualidade é iniciada por
este programa, tendo-se resultados
comprovados em muitas organizações.
4. ORIGEM DO PROGRAMA 10S’s

• Estudos realizados mostram que algum


tempo depois foram lançados pelos
japoneses outros Sensos que ampliavam
os cinco para oito: Shikari Yaro – Senso
de Determinação e União, Shido – Senso
de Treinamento e Setsuyaku – Senso de
Economia e Combate aos Desperdícios.
4. ORIGEM DO PROGRAMA 10S’s

• Foi encontrado em um artigo, do qual infelizmente o


original se extraviou, a sugestão de mais um S: Shisei
Rinri – Senso dos Princípios Morais e Éticos,
ticos que pode
ser definido como sendo o 9º S.
• Para completar ainda mais a prática de conceitos que
estão sendo implantados nas organizações e difundir
um sistema de grande relevância, acrescentou-se o
Senso de Responsabilidade Social, ficando definido
como o 10ºS. Foi feita uma pesquisa com japoneses,
encontrando-se o significado de Responsabilidade
Social como Sekinin Shakai,
Shakai (dialeto de Okinawa).
5. CONCEITOS E SIGNIFICADOS DO
PROGRAMA 10S’s

• Os efeitos dos 10S’s são tão abrangentes que o


tornam uma prática fundamental para obtenção
e consolidação do processo educacional de
quaisquer atividades.
• Apesar de ser reconhecido mundialmente como
originário do Japão, a sua essência está
presente em qualquer população, nação,
sociedade, família ou pessoa que pratique bons
hábitos, que zele pela higiene, segurança, bem-
estar, sensatez e respeito ao próximo.
5. CONCEITOS E SIGNIFICADOS DO
PROGRAMA 10S’s

• A denominação 10S’s é dada devido às


dez atividades seqüenciais e cíclicas
iniciadas pela letra “S”, quando nomeadas
em japonês.
• O termo utilizado é 10S’s.
• (Segue tabela com os significados)
6. ORGANIZAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DA
EQUIPE DO PROGRAMA 10S’s

• A Empresa utiliza a sistemática 10S’s para fazer com que todos os


seus Colaboradores conheçam, entendam e cumpram com as
questões relativas a:
– Conscientização para o entendimento e assimilação das
atividades do 10S’s como suporte da melhoria contínua por
meio de palestras, reuniões e integração.
– Representar a situação atual e o estágio de desenvolvimento e
evolução para o atendimento da sistemática através de:
• Fotos (antes e depois);
• Filmagens;
• Dia da Limpeza;
• Registro no livro do dia “D”.
6. ORGANIZAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DA
EQUIPE DO PROGRAMA 10S

– Apresentar os resultados obtidos, ou seja, as


melhorias alcançadas com a implementação do 10S
em:
• Relatórios de Auditoria, Gráficos e evolução;
• Atas de reuniões.
– Para alcançar os objetivos propostos, este manual
aborda e define os seguintes critérios:
• Definição de responsabilidades perante as
atividades de conscientização e divulgação do
10S, conforme relação de representantes de
categorias distintas, indicado na tabela 1 deste
manual.
Tabela 1: Relação dos Integrantes da Equipe 10S’s

N° Nome Função Setor Obs


1
2
3
4
5
6
7. SUPORTE AO PROGRAMA 10S’s

• Para efeitos de estruturação e suporte de apoio ao


10S’s, a empresa estabeleceu duas diretrizes básicas:
– Equipe 10S’s, composta de vários Colaboradores
representando várias funções da empresa, tendo
autonomia, através de seu representante no
Programa da Qualidade Total, para tomar qualquer
ação corretiva no sistema, caso os objetivos não
forem alcançados.
– Disponibilidade de coletores de lixo devidamente
identificados em todos os setores da empresa,
inclusive área externa, bem como área de descarte
final, conforme tabela 2.
Tabela 2: Pontos de Coleta de Lixo Reciclável e Não
Reciclável
Quadro de implantação das lixeiras

Res- Total Tipos de lixeiras


Setor pon- de
sável lixeiras Plásti- Metal / Alumí- Cigar- Não
Papel Cobre Vidro Geral
co ferro nio ro recicl.
7. SUPORTE AO PROGRAMA 10S’s

• A fim de simplificar os relatórios de auditoria,


foram agrupados alguns setores que terão um
laudo de auditoria e um geral. O auditor
escalado para realizar a auditoria nestes
setores deve ter o cuidado de mencionar o
nome do setor no momento em que encontrar
uma não-conformidade específica. Esta
medida é necessária para direcionar a ação
corretiva a ser tomada. A tabela 3 mostra o
agrupamento dos setores.
Tabela 3: Agrupamento dos Setores para Auditoria

QUADRO DE SETORES

SEQ SETORES

4
8. RECURSOS DISPONÍVEIS PARA O
PROGRAMA 10S’s

• A empresa, através de seu representante,


define alguns recursos a serem utilizados para
efeitos de conscientização do 10S’S. Exemplo:
– Cartazes;
– Palestras, reuniões, vídeos ilustrativos;
– Dia da limpeza;
– Literatura, manuais e instruções de trabalho;
– Realização de eventos em todos os níveis da
empresa (interna e externa);
– Apoio de assessoria técnica externa.
8. RECURSOS DISPONÍVEIS PARA O
PROGRAMA 10S’s

• Padronização de etiquetas e
identificação de setores
– A padronização das etiquetas para
identificação dos itens em; gavetas,
gaveteiros, prateleiras, pastas arquivos,
suspensas, AZ, Brasil, caixas de arquivos,
etc, devem seguir os padrões conforme
modelos a seguir:
MODELOS DE ETIQUETAS PADRONIZADAS

Etiqueta adesiva para gavetas


3,8cm x 2,1cm
Fonte: Arial normal - Tamanho: 10

Etiqueta para pasta suspensa


5,2cm x 2,5cm
Fonte: Arial normal - Tamanho: 10
9. RESPONSABILIDADES DA EQUIPE DO
PROGRAMA 10S’s
• É responsabilidade de todos os integrantes da equipe
10S: acompanhar, avaliar, fazer análise crítica, sugerir
melhorias, participar de reuniões ordinárias e
extraordinárias, por meio de:
– Atividades que visem à conscientização dos
colaboradores na correta aplicação do 10S’s;
– Avaliar com periodicidade (reunião mensal) a eficácia
das atividades do 10S’s;
– Realizar as auditorias (mensais) e divulgar os
resultados em todos os níveis e áreas da empresa,
através do quadro 10S’s.
– Refletir sobre a importância da realização do Dia da
Limpeza, que pode ser setorial ou geral, dependendo
da situação.
10. CRITÉRIOS PARA AUDITORIA DO
PROGRAMA 10S’s
• A auditoria do 10S’s deve ser realizada no
mínimo por 02 (dois) auditores.
• Serão avaliados todos os 10 Sensos para
qualquer área ou setor.
• O responsável de cada área ou setor deve ser
informado através do cronograma das auditorias
para poder programar sua participação ou
definir um representante.
• É facultativa a participação do representante do
setor junto à auditoria 10S’s.
10. CRITÉRIOS PARA AUDITORIA DO
PROGRAMA 10S’s

• A equipe auditora (conforme mencionado na


tabela 1) deve ser composta no máximo por 2
(dois) auditores, sendo que o colaborador que
pertence a uma área ou setor não pode auditá-
lo.
• Após a auditoria, os auditores devem apresentar
os laudos para o Coordenador da equipe, que
fará a análise e lançamento dos dados no
sistema para formação dos gráficos.
10. CRITÉRIOS PARA AUDITORIA DO
PROGRAMA 10S’s

• O Coordenador deve enviar os relatórios


(auditoria, gráficos) para o responsável do setor,
a fim de receber sua aprovação, o qual deve
retornar os relatórios em dois dias para a
coordenação com o prazo definido para as
ações corretivas a serem tomadas, bem como a
assinatura do responsável por arquivar a
documentação 10S’s durante um período de 06
(seis) meses e em seguida descartá-la, ou
armazenar por meio eletrônico.
10. CRITÉRIOS PARA AUDITORIA DO
PROGRAMA 10S’s

• O sistema de pontuação e avaliação geral


é meramente orientativo e está ilustrado
no anexo xx deste manual.
• O responsável da área deve apresentar o
gráfico da auditoria no quadro de avisos
do setor, relatando os resultados obtidos a
todos os envolvidos, inclusive as não-
conformidades aos responsáveis das
áreas auditadas.
11. RESPONSABILIDADES DA
ADMINISTRAÇÃO

• Dar condições para promover continuamente a


conscientização e educação (interna e externa)
do 10S’s, considerando todos os aspectos e
diretrizes para implantação.
• Colaborar com informações que possibilitem
auxiliar a eficácia das atividades de
conscientização para a melhoria continua dos
10S’s.
• Aprovar os documentos pertinentes ao
Programa 10S’s e acompanhar sua eficácia.
12. DOCUMENTAÇÃO

• A documentação do Programa 10S’s ficou assim


definida:
– Critérios de avaliação (Anexo xx);
– Quadro SEFTI (Anexo xx);
– Cronograma de auditoria (Anexo xx);
– Laudo de auditoria (Anexo xx);
– Relatório de não-conformidade (Anexo xx);
– Gráfico de auditoria e evolução (Anexo xx);
– Quadro do sistema de pontuação (Anexo xx).
Modelo de critérios de avaliação

2
1 3 4 5
Item Insatisfa-
Ruim Regular Bom Ótimo
tório

Acúmulo de
materiais nas
Não há Há materiais
mesas, O acúmulo de
evidências de sobre mesas e Há poucos Os poucos
armários, materiais é
preocupação superfícies materiais, materiais
escrivani- temporário
em não horizontais, porém alguns existentes
nhas, mas ainda há
deixar porém sem sem identifica- encontram-se
prateleiras, bastante
acumular causar má ção identificados
arquivos, quantidade
materiais impressão
corredores,
balcões, etc.
Modelo de quadro SEFTI
QUADRO DE NOTAS SETFI
S – Segurança: O problema
compromete a segurança?
E – Emergência: A solução
do problema é urgente?
T – Tendência: Existe forte
tendência ao agravamento do
problema?
F – Facilidade: Haveria
facilidade para a execução de
uma solução?
I – Investimento: A solução
desse problema envolveria
grandes investimentos?
Modelo de cronograma de auditoria
Modelo de laudo de auditoria
Modelo de laudo de auditoria
Modelo de laudo de auditoria
Modelo de laudo de auditoria
Modelo de laudo de auditoria
Modelo de laudo de auditoria
Modelo de laudo de auditoria
Modelo de laudo de auditoria
Modelo de laudo de auditoria
Modelo de laudo de auditoria
Modelo de relatório de não conformidade
Modelo
de
gráfico
de
auditoria
Modelo de quadro de pontuação

Interesses relacionados