Você está na página 1de 73

Instalações de Redes

de Comunicação
Curso Técnico em Eletrotécnica
Introdução – O que é uma rede
de comunicação?
• É um sistema que permite a
comunicação de dados
através da interligação de
dispositivos, equipamentos
e periféricos, com a
finalidade de trocar
informações e partilhar
recursos.
Introdução – O que é uma rede
de comunicação?
• Infraestrutura de hardware
e software usada para
transferir informação entre
dois ou mais entidades
• A interconexão pode ser
feita através de algum meio
físico capaz de transferir a
informação
• Cabeamento de cobre
• Fibra ótica
• Microondas
• Links de satélite, etc.
Introdução – Por que usar uma
rede de comunicação?
• Partilha recursos diversos

• Permite o acesso mais


rápido a informação

• Facilita a transferência de
dados
Introdução – Por que usar uma
rede de comunicação?
• Partilha recursos físicos
• Discos, impressoras, etc.)

• Partilha de programas e
ficheiros

• Intercâmbio de mensagens
e informação

• Melhor organização do
trabalho em grupo
Introdução – Por que usar uma
rede de comunicação?
• Confiabilidade de no
compartilhamento de recursos
• Economia
• Gerar e transferir informações é
ponto chave nos negócios de
hoje
• O fluxo de informação reflete e
modela as estruturas das
organizações, as redes viabilizam
este processo
Introdução – Por que usar uma
rede de comunicação?

• A informática, passou e continua adquirindo cada


vez mais relevância na vida das pessoas e
empresas
Introdução – Por que usar uma
rede de comunicação?
• Pessoas
• Acesso a informação a qualquer hora
• Comunicação pessoal e em grupo (email, chats,
encontros, aulas a distância, etc.)
• Encurta distâncias e o tempo

• Empresas
• Compartilhamento de recursos (programas,
equipamentos)
• Vasta redes de serviços já disponíveis (telefônica,
rádio, televisão, satélites, etc.)
• Tecnologia é chave para vantagem competitiva no
mercado
Introdução – Princípios da
comunicação
• O que é necessário para duas pessoas se comunicarem?
Um canal de comunicação entre elas

.ëoS :bem ???


Introdução – Princípios da
comunicação
• O que é necessário para duas pessoas se comunicarem e se
entenderem?
Uma linguagem comum entre as duas partes

Olá! Tudo Oi! Tudo, e


bem? com você?
Introdução – Princípios da
comunicação
• Para se comunicar, faz-se necessário então um transmissor e
um receptor e um meio de transmissão ou canal.
• Os dados são transportados por ondas eletromagnéticas ou
luminosas.
• Os meios de transmissão de dados podem ser guiados (cabos)
ou não-guiados (ar).
Introdução – Princípios da
comunicação
• Dados podem ser analógicos ou digitais

• Digital: representado por valores discretos (0, 1, 2,3, etc) e


trabalhado com esse tipo de valor
• Normalmente trabalham em uma base binária (0, 1)
• A tendência é a generalização para o uso dos sinais digitais.
Introdução – Princípios da
comunicação
• Dados podem ser analógicos ou digitais

• Analógicos: representado por valores contínuos e trabalhado


com esse tipo de valor.
Introdução – Princípios da
comunicação
• Transmissão de dados

• Analógicas: Transmissão de dados analógicos (como por


exemplo voz ou dados digitais modulados por um modem). O
sinal ao longo do canal, perde energia e fica distorcido. Por
isso, usam-se amplificadores que recuperam a energia, mas
aumentam a distorção.
• Digital: A transmissão normalmente é feita na base binária. Ao
longo do canal, perde-se energia e fica distorcido. Porém,
neste caso utilizam-se repetidores que leem os padrões de
binários e os reproduzem, num sinal “limpo” e com a energia
inicial.
Introdução – Princípios da
comunicação
• Alguns tipos de informação digital

• Dados (textos, email, dados de aplicação)


• Voz
• Imagem
• Vídeo

• Este tipo de informação pode ser digitalizado, manipulado e


enviado por redes de computadores digitais.
Introdução – Modelo de
comunicação digital
Introdução – Ciclo da
comunicação Digital
• Codificação
• A informação é codificada num conjunto de bits e bytes (ex:
imagem, .jpg, áudio, .mp3, etc)

• Processamento
• Manipulação e tratamento da informação em formato digital
(programas, aplicativos, etc)

• Transmissão
• Transmissão e recepção dos bits referentes à informação
Aspectos da Transmissão da
Informação
• O uso de sinais eletromagnéticos para levarem a informação

• Meio de Transmissão (cabos, fibras óticas, ar livre, etc)

• Técnicas de comunicação (codificações, interfaces de


comunicação, protocolos)

• Largura de banda – capacidade de transmissão de informação


de um canal
Demanda de evolução das
redes
• Inicialmente as redes eram compostas basicamente por links
de comunicação ligando diretamente alguns sistemas

• Ligar todos os equipamentos era caro (surge redes


multiponto)

• Acesso a storage externo

• Uso extensivo do correio eletrônico e recursos computacionais

• Aumento da confiabilidade de recursos computacionais


Demanda de evolução das
redes
• Em 1969 criou-se a Arpanet, considerada o embrião da Internet

• A primeira rede Arpanet interligava 4 nós (Stanford Research


Institute e nas Universidades da California, Santa Barbara e UTAH)

• Interligados em links de 50 kbps (kilobit por segundo) usando linhas


telefônicas dedicadas adaptadas

• Em 2014 um grupo de cientistas britânicos e franceses alcançaram a


marca de 1,4 Tbps de velocidade de conexão, através de um tipo de
protocolo chamado Flexgrid utilizando sete canais de 200 Gbps

• Nesta velocidade é possível carregar 44 filmes HD em um segundo


Demanda de evolução das
redes
• A rede Arpanet inicial foi criada com propósitos de teste e
quatro anos depois (1973) já interligava 30 instituições.
• Sempre que possível, um nó era interligado a pelo menos dois
outros, de forma a permitir que a rede ainda funcionasse
mesmo com a interrupção de várias conexões
• As mensagens eram roteadas entre os nós e as interrupções
eram detectadas rapidamente, sendo bastante confiável
• Enquanto houvesse pelo menos 1 caminho possível, os
pacotes de dados eram roteados até finalmente chegarem ao
destino, de forma similar a Internet atual
Demanda de evolução das
redes
• Em 1974 surgiu o TCP/IP que se tornou o protocolo definitivo
para uso na ARPANET e posteriormente na Internet

• O TCP/IP é uma “pilha de protocolos”. Seu nome deriva de


dois: TCP: Protocolo de Controle de Transmissão e IP:
Protocolo de Internet

• É um modelo de camadas, onde cada camada é responsável


por um grupo de tarefas e fornecer um conjunto de serviços
para a camada superior
Demanda de evolução das
redes
• Cray-1, fabricado em 1976
numa manutenção de
rotina

• Um dos supercomputadores
mais poderosos da época

• Contava com 8MB de


memória
Demanda de evolução das
redes
• A segunda parte da história começa em 1973, no laboratório
de desenvolvimento da Xerox (PARC), quando foi realizado o
primeiro teste de transmissão de dados usando o padrão
Ethernet

• O teste originou o primeiro padrão Ethernet, que transmitia


dados a 2.94 megabits através de cabos coaxiais e permitia a
conexão de até 256 estações de trabalho
Demanda de evolução das
redes
• Ethernet é um padrão de transmissão de dados para rede local
baseada no princípio da conexão de todas as máquinas da
rede conectadas a uma mesma linha de comunicação

• O padrão Ethernet surgiu antes mesmo do primeiro micro PC,


que só surgiu em 1981. O padrão Ethernet surgiu da
necessidade de ligar diversas estações de trabalho em rede
Demanda de evolução das
redes
• Estes modelos de ARPANET e Ethernet deram origem à
Internet e as redes locais como conhecemos e revolucionaram
a comunicação

• Na década de 90 com a abertura do acesso a Internet as redes


se popularizaram de forma assustadora

• Conectava-se via linha telefônica a Internet e compartilhava-se


a conexão através da rede local. Com a popularização das
conexões de banda larga, a escolha ficou ainda mais evidente
Demanda de evolução das
redes

• Resumo: levar cada vez mais informação, mais


distante, de forma mais rápida.
Classificações

• Segundo a extensão geográfica:


• Redes pessoais (Personal Area Networks - PANs)
• Redes locais (Local Area Networks – LANs)
• Redes metropolitanas (Metropolian Area Networks – MAN)
• Redes de longa distância (Wide Area Networks – WAN)
Classificações

• Rede Pessoal (PAN)


• O conceito de rede pessoal se relaciona não só com a sua
reduzida dimensão, mas também com a comunicação sem fio.
Seu alcance se limita a algumas dezenas de metros. Até
aproximadamente 1Mbps.
• Ex: Bluetooth, NFC
Classificações

• Redes Locais (LAN)


• Cobrem pequenas distâncias
• Geralmente um prédio ou conjunto de prédios
• Geralmente pertencentes a uma mesma organização
• Taxas da ordem de Mbps, podendo até chegar a Gbps
• Pequenos atrasos de propagação
• Ex: Ethernet, WiFi, etc.
Classificações

• Redes Locais (LAN)


Classificações

• Redes Metropolitanas (MAN)


• Cobrem distâncias maiores que a LAN
• Uma cidade
• Liga edifícios numa mesma cidade, geralmente de uma
mesma organização
• É semelhante a uma WAN reduzida. Permite interligações de
LANs
Classificações

• Redes Metropolitanas (MAN)


Classificações

• Redes Metropolitanas (MAN)


• Pode incluir redes ponto-a-ponto

• Áreas metropolitanas envolvem utilização do espaço público,


estas redes só podem ser instaladas por empresas licenciadas
pelo estado
• Ex: Net
Classificações

• Redes de Longa Distância (WAN)


• Cobrem distâncias muito grandes
• País, continente
• Transmissão através de comutadores de pacotes interligados
por enlaces dedicados
• Maiores atrasos de propagação
• Geralmente possuem taxas de transmissão menores
Classificações
Classificações
Classificações

• Segundo a topologia
• Estruturas físicas de interligação dos equipamentos da rede

• Cada uma destas apresenta suas características e vantagens,


atendendo a uma necessidade específica
• Custo, Confiabilidade, Alcance

• Tipos mais comuns


• Malha, Estrela, Anel, Barramento, Híbridas
Classificações

• Malha
• Usada principalmente em redes de longa distância
• Em geral não atende as redes locais
• Custo associado aos meios físicos é pequeno em redes locais
• Complexidade da decisão de por onde enviar a mensagem é o
fator que aumenta o custo
• Armazenamento e processamento de cada mensagem a cada nó
intermediário aumenta o atraso e diminui a vazão

• Pode ser completa ou irregular


Classificações

• Malha completa
• Cada estação é conectada a todas as outras estações da rede
Classificações

• Malha completa
• Vantagens
• Não há compartilhamento do meio físico
• Não há necessidade de decisões de por onde encaminhar a
mensagem (roteamento)
• Desvantagem
• Grande quantidade de ligações
• Custo elevado
Classificações

• Malha irregular

• Topologia mais geral possível


• Cada estação pode ser conectada diretamente a um número
variável de estações
Classificações

• Malha irregular

• Vantagem
• Arranjo de interconexões pode ser feito de acordo com o tráfego
• Pode escolher por onde enviar a mensagem, evitando
congestionamento de informações
• Desvantagem
• Necessita de decisão de encaminhamento
Classificações

• Estrela

• Decisões de encaminhamento centralizadas em um nó central


• Cada estação é conectada a este
Classificações

• Estrela

• Vantagem
• Boa para situações onde o fluxo de informações é centralizado
• Desvantagem
• Dependência de um nó centralizado pode ser uma desvantagem
quando o fluxo não é centralizado
• Problema de confiabilidade no nó central
• Usada principalmente em redes locais
Classificações

• Anel
• Mensagens circulam nó a nó até chegar ao destino
• Tem de reconhecer o próprio nome (endereço) nas mensagens e
copiar as que lhe são destinadas
Classificações

• Anel
• Vantagens
• Boa para situações onde o fluxo de informações não é
centralizado
• Não há necessidade de decisões de encaminhamento
• Como não há armazenamento intermediário, pode-se obter um
melhor desempenho de atraso e vazão
• Desvantagens
• Necessita de mecanismos de acesso ao meio compartilhado
• Confiabilidade da rede depende da confiabilidade individual dos
nós intermediários
• Usada principalmente em redes locais
Classificações

• Barramento
• Mensagens transferidas sem a participação dos nós
intermediários
• Todas as estações “escutam” as mensagens
• Necessidade de reconhecer o próprio nome (endereço)
Classificações

• Barramento
• Vantagens
• Não há necessidade de decisões de encaminhamento
• Como não há armazenamento intermediário, pode-se obter um
melhor desempenho em termos de atraso e vazão
• Desvantagens
• Necessidade de mecanismos de acesso ao meio compartilhado
• Usado principalmente em redes locais
Classificações

• Topologias híbridas
• Existem ainda as configurações híbridas
• Anel-estrela
• Barramento estrela
• Estrela-anel
• Árvore de barramentos
Modos de transmissão de
informação
• Simplex:
• Neste modo, os dados estão fluindo em um único sentido de
uma direção
• Rádio, TV
Modos de transmissão de
informação
• Half-duplex:
• Neste modo, os dados fluem em ambos os sentidos, porém
não simultaneamente
• Ex: walkie-talkie
Modos de transmissão de
informação
• Full-duplex:
• É caracterizado pelos dados fluindo em ambos os sentidos de
propagação simultaneamente
• Ex: Telefonia
Intranet

• Centralização das informações em uma rede local


• Ex: uma empresa
• Método de comunicação interna para diminuir custos
• Idem a internet, porém restrita ao público da rede local
• Acesso restrito, com senhas para cada usuário
Extranet

• Uma forma de extensão da Intranet, porém com acesso de


qualquer local
• Ex: uma empresa, com acesso remoto de qualquer lugar via
internet
• Acesso continua restrito
• Não restrito a uma rede local
Ethernet

• As primeiras redes utilizavam cabos thicknet, que consiste em


um cabo coaxial grosso, pouco flexível com cerca de 1cm de
diâmetro. Um único cabo era usado como backbone para toda
a rede e as estações de trabalho eram conectados a ele
através de transceptores.
Ethernet
Ethernet

• Rapidamente estas redes migraram para redes 10BASE-2, ou


thinnet, pois utilizavam cabos vem mais finos.
• Os transceptores foram movidos para dentro das placas de
rede e as ligações eram feitas por um conector em forma de T.
• Permitiu a ligação direta entre as estações.
Ethernet

• Nas pontas, utilizava-se terminadores, para evitar que os


dados retornassem na forma de interferência.
• A principal razão para utilização dos cabos thinnet era que a
rede 10BASE-2 era muito mais barata e simples do que a
tecnologia anterior.
• A única desvantagem era o alcance mais curto. O cabo mais
fino permite um alcance máximo da rede de 185m.
• Os padrão 10BASE-5 é até hoje, com exceção da fibra ótica, o
padrão para fios de cobre com maior alcance.
Ethernet
Ethernet
Ethernet
Ethernet
• Os cabos coaxiais seguem o mesmo princípio básico, que
consiste em uma camada de blindagem para proteção do cabo
central de interferências eletromagnéticas exteriores. Quanto
mais espesso o cabo e maior a blindagem, melhor o
isolamento permitindo um maior alcance do sinal transmitido.
Ethernet

• Os cabos coaxiais deram lugar aos cabos de par trançado, que


por muito tempo foram praticamente os únicos utilizados em
redes locais
• São mais finos, flexíveis e suportam velocidades maiores
• São também mais baratos
Ethernet
Ethernet

• Apesar disso, até hoje os cabos coaxiais são utilizados,


principalmente nos sistemas de TV a cabo e outros sistemas
de telecomunicações
• Existem diversos tipos de cabos de par trançado, que se
diferenciam conforme padrões estabelecidos
• Os sucessores dos cabos de par trançado são os cabos de fibra
ótica que suportam velocidades ainda superiores e permitem
transmitir a informação por distâncias praticamente ilimitadas
através do uso de repetidores
• Estes cabos são utilizados para criar os backbones que
interligam os principais roteadores da Internet
Ethernet
Redes sem fio

• Continuando, existem ainda as redes sem fio, ou wireless, que


possuem a sua origem ainda mais antiga. A primeira rede
wireless surgiu antes mesmo da Arpanet
• Surgiu da necessidade de comunicação entre diferentes
campus da universidade do Havaí, que se localizavam em
diferentes ilhas
• Hoje em dia as redes wireless se tornaram muito populares
dada a facilidade de criar redes locais rapidamente sem
necessidade de instalação de cabos
Redes sem fio

• Existem basicamente dois tipos de redes wireless


• Redes modo infraestrutura, baseadas em um ponto de acesso
central ou roteador wireless que permite a conexão dos
usuários
• Redes ad-hoc, um tipo de rede onde as estações se conectam
diretamente. Tem o alcance reduzido, porém são uma forma
prática de interligar notebooks rapidamente, uma vez que
todos os notebooks atualmente possuem placas wireless
integradas
Padrões Ethernet

• Existem diversos padrões Ethernet que são utilizados pela


maioria das tecnologias de rede local.
• Estes padrões definem em detalhes a forma como os dados
são transmitidos permitindo que produtos de diferentes
fabricantes funcionem perfeitamente em conjunto
• Os padrões Ethernet foram definidos pelo IEEE (Institute of
Electrical and Electronics Engineers) e o grupo responsável
pelos padrões de rede é o “IEEE 802 LAN/MAN Standards
Committee” que é subdividido em grupos menores, que
recebem uma numeração sequencial
Padrões Ethernet

• Os quatro subgrupos mais importantes são:


• 802.3: Responsável pelos diferentes padrões Ethernet
cabeados, incluindo algoritmos usados para transmissão de
dados, detecção de colisões e outros detalhes
• Todos os padrões são intercompatíveis, porém sempre
respeitando a velocidade de transmissão mais lenta. Isto
significa que se pode juntar placas diferentes velocidades,
bem como misturar segmentos de cabeamento diferentes
• Ex: 10BASE-2 padrão de 10 megabits de par trançado; 10BASE-T
padrão de 10 megabits de cabo de par trançado; 100BASE-T, etc...
Padrões Ethernet

• Os quatro subgrupos mais importantes são:


• 802.11: Grupo de trabalho para redes wireless. Responsável
também por definir os padrões de segurança, um dos
problemas fundamentais das redes wireless
• Ex: 802.11b rede de 11 megabits, faixa de frequência 2,4GHz;
802.11a rede de 54 megabits utilizando faixa de frequência de
5GHz, etc
• Ex: 802.11i padrão de segurança que engloba o WPA e WPA2
Padrões Ethernet

• Os quatro subgrupos mais importantes são:


• 802.15.1: Padrão referente ao Bluetooth (também é
considerado uma rede sem fio).
• 802.16: Também dedicado ao desenvolvimento de redes
wireless, porém para longas distâncias, que podem ser
utilizadas para oferecer acesso a web em grandes cidades
entre outras aplicações