Você está na página 1de 1

E por que tudo isso?

Certamente não porque acredito que a terra ou a região tenha algo a ver
com ela, pois em qualquer lugar e em qualquer clima a sujeição é amarga e ser livre é
agradável; mas apenas porque sou da opinião de que se deve ter pena daqueles que, ao
nascer, chegam com o jugo no pescoço. Devemos exonerá-los e perdoá-los, uma vez que eles
não viram nem a sombra da liberdade e, não tendo consciência disso, não podem perceber o
mal sofrido pela própria escravidão. Se houvesse realmente um país como o dos cimérios
mencionado por Homero, onde o sol brilha de outra maneira que não o nosso, espalhando seu
brilho constantemente por seis meses sucessivos e deixando a humanidade se esquivar na
obscuridade até retornar no final da outra metade -ano, Deveríamos nos surpreender ao saber
que os nascidos durante essa longa noite se acostumam tanto às trevas nativas que, a menos
que lhes digam sobre o sol, não desejam ver a luz? Nunca se anseia pelo que nunca conheceu;
o desejo só vem depois do gozo e constitui, em meio à experiência da tristeza, a lembrança da
alegria passada. É verdadeiramente a natureza do homem ser livre e desejar ser assim, mas
seu caráter é tal que ele segue instintivamente as tendências que seu treinamento lhe dá. o
desejo só vem depois do gozo e constitui, em meio à experiência da tristeza, a lembrança da
alegria passada. É verdadeiramente a natureza do homem ser livre e desejar ser assim, mas
seu caráter é tal que ele segue instintivamente as tendências que seu treinamento lhe dá. o
desejo só vem depois do gozo e constitui, em meio à experiência da tristeza, a lembrança da
alegria passada. É verdadeiramente a natureza do homem ser livre e desejar ser assim, mas
seu caráter é tal que ele segue instintivamente as tendências que seu treinamento lhe dá.