Você está na página 1de 2

Política Econômica Brasileira de Collor a Lula: 1990-2007

1º. A crise brasileira dos anos 1980 foi fruto do que?

A crise brasileira dos anos 1980 foi fruto do esgotamento do processo de


substituição de importações e da exaustão das fontes de financiamento do
Estado, com a eclosão da crise da dívida externa provocada pelo aumento
brutal das taxas de juros pelo Federal Reserve System (FED), em
1979/1980.

2º. Como essa crise se manifestou?

A crise do início dos anos 1980 manifestou-se pela aceleração da inflação.

3º. Como estava o Brasil quando Collor assumiu a presidência?

Quando Collor assumiu a presidência, o processo inflacionário brasileiro


havia passado de 50,0% em dezembro de 1989 para mais de 70,0%, em
janeiro e fevereiro de 1990, e para 80,0% em março, segundo o IGP-DI.

4º. Qual o ponto central e mais polêmico do plano Brasil Novo?

O ponto central e mais polêmico desse plano foi o diagnóstico monetarista


da inflação, que seria combatida com o brutal bloqueio dos ativos
financeiros do setor privado.

5º. Quais foram os acertos do plano Real?

Entre os acertos do plano, podem ser apontados:


a) diagnóstico correto das raízes do processo inflacionário, enfatizando-se,
na sua origem, a necessidade de construção de uma âncora fiscal para
garantir o seu êxito;
b) engenhosa terapia prescrita para dar cabo do fantasma da hiperinflação
que rondava o País desde os anos 1980 por meio da criação da URV;
c) resultados obtidos no campo da estabilidade monetária, com a redução
da taxa de inflação de 40% ao mês para níveis moderados, abaixo de um
dígito;
d) compromisso assumido com a modernização da economia e a realização
de reformas necessárias para o aumento de sua produtividade,
principalmente com a redução do “custo-Brasil”.

6º. Quais foram as exigências do acordo com o FMI para o triênio 1999-2001?

O fechamento do acordo com o FMI para o triênio 1999-2001, com a


implementação de programas de conteúdo fortemente recessivo, colocou
como exigência o compromisso do País com a geração de superávits
primários do setor público de 3,5% do PIB para controlar/estancar o
crescimento da relação dívida-PIB.
7º. Na sua segunda fase, quais os pilares que o Plano Real passou a se apoiar?

Na sua segunda fase, o Plano Real, passou a se apoiar nos seguintes


pilares: a) câmbio flutuante; b) regime de metas inflacionárias; c)
estabelecimento de metas para os superávits fiscais primários.

8º. Como caracterizou-se o primeiro mandato do Governo Lula?

Após as turbulências decorrentes da transição em 2003, navegando em


águas e com ventos favoráveis do cenário internacional, o governo Lula
obteve em 2004 o maior crescimento desde 1994, quando o PIB conheceu
uma variação positiva de 5,3%.
Beneficiado por um cenário externo altamente favorável e pelo forte ciclo de
altas das commodities, o governo Lula, mesmo mantendo-se fiel à cartilha
neoliberal, conseguiu reduzir consideravelmente o grau de vulnerabilidade
externa da economia brasileira.

9º. Qual o objetivo do PAC?

PAC teve como objetivo anunciado “romper barreiras e superar limites ao


crescimento econômico”, de forma a sustentar uma taxa de crescimento de
5% ao ano.

10º. Qual a principal motivação da proposta de criação do Fundo Soberano do Brasil?

A proposta de criação do FSB, teve como principal motivação dar


argumentos consistentes a esta ala da política econômica, tanto para se
contrapor às ameaças que vinham sendo feitas pelo Banco Central de dar
continuidade à elevação das taxas de juros, como para reverter a
supervalorização da moeda nacional.