Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO

DEPARTAMENTO DE COMPUTAÇÃO E ELETRÔNICA

ENGENHARIA DE SOFTWARE: FICHAMENTO DE ARTIGO

SÃO MATEUS
2017

Ficha de Leitura

Área de Concentração

Ambiente baseado em ontologias para gestão de artefatos de software.

Referência Completa

Artigo Publicado na ​Revista Militar de Ciência e Tecnologia(RMCT)​ na edição do 4º


trimestre de 2014. Disponível em: http://rmct.ime.eb.br/vol_XXXI_4tri_2014.html

Palavras-Chaves

Rastreabilidade, Gestão de Configuração, Gestão de Artefatos de Software, Engenharia


de Software.

Avaliação da Publicação

( ) Fraco ( ) Regular ( ) Bom ​ (X) Muito Bom​ ( ) Excelente

O artigo apresenta uma solução interessante para um problema que pode ser
frequentemente enfrentado por empresas de Produção de Software, porém utiliza alguns
termos específicos sem a devida explicação.

Resumo

Este trabalho propõe uma abordagem que utiliza duas ontologias, uma para
processo de desenvolvimento de software e outra para o negócio da aplicação. Os
conceitos dessas ontologias são usados para criar regras que permitam a criação de links
de rastreabilidade. Além de rastreabilidade, a gestão de artefatos de software é considerada
neste trabalho. Sistemas de controle de versão convencionais, como o CVS, Subversion,
Git, entre outros, não possuem uma maneira de identificar qual tarefa do processo de
desenvolvimento gerou cada artefato. Geralmente, mesmo que exista um processo de
desenvolvimento padrão definido para a equipe de desenvolvimento, muitas vezes esse
processo não é praticado. Dessa forma, além de uma solução em rastreabilidade, esse
trabalho propõe o uso de ontologias para promover a organização dos artefatos, facilitando
a organização e aquisição dos mesmos.

Principais Ideias

Uma das principais ideias do artigo é propor uma solução para melhorar a
rastreabilidade dos artefatos de software, usando regras de rastreabilidade e ontologias que
classifica esses artefatos.Pelo fato de que podem haver alteração durante o processo de
desenvolvimento que façam que artefatos de outras etapas se tornam inconsistentes, sendo
necessário uma atualização do mesmo.
Outro ponto importante a ser mencionado é o fato de proporcionar uma solução para
classificação de artefatos baseada em uma Ontologia, na qual se foi utilizada uma estrutura
em árvore que representa uma ontologia e descreve todo o processo de desenvolvimento
de software.
Também foi observado uma ideia interessante, que consiste no armazenamento de
todos os Artefatos gerados durante o processo de desenvolvimento, permitindo que se
tenha uma visão geral do estado do sistema em todas as versões.

Aspectos Positivos

Um ponto positivo é que a ferramenta por ele proposta apresenta uma arquitetura
que resolve problemas da gestão de artefatos e rastreabilidade, sendo que, as outras
ferramentas comparadas apresentam somente uma das duas.
Outro ponto é o fato de tentarem facilitar ao máximo o uso do ambiente, por
exemplo, com a utilização de uma ontologia mais simples de Processo de Desenvolvimento
de Software, além de permitir a modelagem da mesma através de outras ferramentas e
depois importá-la para o ambiente.
Mais um ponto é que é mostrado no artigo a forma de utilizar o ambiente
desenvolvido e explica ao máximo o que significa cada coisa.

Aspectos Negativos

Um dos pontos negativos é que o ambiente proposto define possíveis artefatos


desatualizados sempre que um desenvolvedor cria, edita ou exclui um artefato, baseado
apenas nos links entre artefatos.
Um outro ponto, seria o fato de que o ambiente proposto é voltado para projeto de
desenvolvimento de software de médio e grande porte, que são mais complexos e utilizam
mais ferramentas, porém o ambiente não foi submetido a um projeto real, nem de tanta
complexidade devido ao tempo que duraria o mesmo.