Você está na página 1de 32

2.

6 Fixação de pedras naturais

Quanto à forma de fixação, as rochas pétreas podem ser


classificadas:

• Sistema convencional (ou aderente):


- argamassa convencional (grossa);
- argamassa colante (fina).

• Fixado por inserts metálicos (não aderente):


componentes metálicos.

Fonte: adaptado de Sabbatini at al (2006) e Flain (1995 apud CAVANI, 2010)

Materiais de Acabamentos para Construção


114
Prof. Roberta Vendramini

2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 96: Fachada revestida com pedra


Fonte: Freitas Junior (2012)
Fonte: Freitas Junior (2012)
Materiais de Acabamentos para Construção
115
Prof. Roberta Vendramini
2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 97: Sistema de fixação de pedras naturais


Fonte: Flain (1995 apud CAVANI, 2010) 116

2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 98: Sistema de fixação de pedras naturais: sequência executiva


117
Fonte: Sabbatini at al (2006)
2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 99: Sistema convencional com massa grossa


Fonte: Sabbatini (2003, apud FREITAS JUNIOR, 2012)

Fonte: Freitas Junior (2012)


Materiais de Acabamentos para Construção
118
Prof. Roberta Vendramini

2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 100: Fixação de pedras naturais no piso com argamassa convencional (farofa)
Fonte: Flain (1995 apud CAVANI, 2010)

Materiais de Acabamentos para Construção


119
Prof. Roberta Vendramini
2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 101: Fixação de pedras naturais na fachada com argamassa convencional grossa
Fonte: Sabbatini at al (2006)

Materiais de Acabamentos para Construção


120
Prof. Roberta Vendramini

2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 102: Sistema convencional - fixação de grampos e chapisco na pedra para melhorar aderência
Fonte: Sabbatini (2003, apud FREITAS JUNIOR, 2012)

Materiais de Acabamentos para Construção


121
Prof. Roberta Vendramini
2.6 Fixação de pedras naturais

Fonte: Freitas Junior (2012)


Materiais de Acabamentos para Construção
122
Prof. Roberta Vendramini

2.6 Fixação de pedras naturais

Fonte: Freitas Junior (2012)


Materiais de Acabamentos para Construção
123
Prof. Roberta Vendramini
2.6 Fixação de pedras naturais

Fonte: Freitas Junior (2012)


Materiais de Acabamentos para Construção
124
Prof. Roberta Vendramini

2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 103: Detalhe do grampo


Fonte: Granato (200? apud FREITAS
Fonte: Freitas Junior (2012) JUNIOR, 2012)
Materiais de Acabamentos para Construção
125
Prof. Roberta Vendramini
2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 104: Fixação de pedras naturais no piso com argamassa colante (fina)
Fonte: Flain (1995 apud CAVANI, 2010)

Materiais de Acabamentos para Construção


126
Prof. Roberta Vendramini

2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 105: Fixação de pedras naturais na fachada com argamassa colante (fina)
Fonte: Sabbatini at al (2006)
Materiais de Acabamentos para Construção
127
Prof. Roberta Vendramini
2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 106: Desplacamento de pedras em fachada de prédio no Rio de Janeiro


Fonte: Granato (200? apud FREITAS JUNIOR, 2012)
Materiais de Acabamentos para Construção
128
Prof. Roberta Vendramini

2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 107: Inserts metálicos para instalação de pedras naturais em fachadas


Fonte: Freitas Junior (2012)
Materiais de Acabamentos para Construção
129
Prof. Roberta Vendramini
2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 108: Detalhe de instalação de pedras naturais


com inserts metálicos
Fonte: Freitas Junior (2012)

Fonte: Freitas Junior (2012)


Materiais de Acabamentos para Construção
130
Prof. Roberta Vendramini

2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 109: Fixação de pedras naturais na fachada com inserts metálicos


Fonte: Flain (1995 apud CAVANI, 2010)

Materiais de Acabamentos para Construção


131
Prof. Roberta Vendramini
2.6 Fixação de pedras naturais

Figura 110: Fixação de pedras naturais na fachada com inserts metálicos


Fonte: Flain (1995 apud CAVANI, 2010)

Materiais de Acabamentos para Construção


132
Prof. Roberta Vendramini

2.7 Patologias em pedras naturais


Manchas

A origem do problema pode ser


a argamassa de assentamento
ou o contato dos grampos
metálicos chumbados no dorso
das placas (os grampos se
oxidam).

Os materiais de rejuntamento
com base polimérica e
epoxídica (notadamente os
selantes como silicones e
Figura 111: Manchas em pedras naturais poliuretanos) também podem
Fonte: Ciocchi (2002) provocar manchas nas placas
de pedra.

Materiais de Acabamentos para Construção


133
Prof. Roberta Vendramini
2.7 Patologias em pedras naturais
Eflorescências

São mais comuns nas fachadas


executadas com placas
assentadas com argamassa.

A causa principal é a dissolução


de sais solúveis presentes na
argamassa que depois migram
e se cristalizam na superfície
das placas.

Esses sais têm como principais


fontes a hidratação do cimento
e da cal (quando Figura 112: Eflorescência em pedras naturais
inadequadamente utilizada) Fonte: Ciocchi (2002)
empregados nas argamassas.
Materiais de Acabamentos para Construção
134
Prof. Roberta Vendramini

2.7 Patologias em pedras naturais


Fissuras

Ocorrem normalmente em
fachadas com placas assentadas
com argamassa, mas podem
ocorrer também com outros
métodos de fixação.

As principais causas dessa


patologia são: movimentação
da estrutura de suporte,
Figura 113: Fissuras em pedras naturais
impactos e a cristalização de
Fonte: Ciocchi (2002) sais solúveis da argamassa.

Materiais de Acabamentos para Construção


135
Prof. Roberta Vendramini
2.7 Patologias em pedras naturais
Destacamentos ou descolamentos

Apesar de ocorrerem com menor


frequência comparativamente com os
revestimentos cerâmicos, os
destacamentos de placas de rocha
podem trazer grandes prejuízos,
principalmente devido ao elevado peso
das placas.

As principais causas são as


movimentações da estrutura, a
inadequada execução das juntas e
falhas gerais de assentamento ou
colocação. Cuidados especiais devem
ser observados no projeto para evitar Figura 114: Destacamento de pedras
este tipo de problema. naturais em fachadas
Fonte: Costa (2011)
Materiais de Acabamentos para Construção
136
Prof. Roberta Vendramini

3. Rochas industrializadas
• Atualmente, podem ser encontradas no mercado também
as rochas ornamentais nas versões industrializadas -
pedriscos prensados com resina -, que apresentam cores
uniformes e boa resistência à abrasão. O Corian®, por
exemplo, foi lançado pela DuPont™ há mais de 40 anos.

• O acabamento é quase perfeito, com características


superiores às dos produtos naturais de acordo com os
fabricantes, podendo ser usado desde revestimento de
pisos e paredes até fabricação de pias de banheiro e
bancadas de cozinha.

• Para corte e acabamento de bordas, utiliza-se a mesma


tecnologia usada em marmorarias para mármores e
granitos.
Materiais de Acabamentos para Construção
137
Prof. Roberta Vendramini
3.1 Silestone®
• o Silestone® tem uma aparência sofisticada, o
tato e o peso da pedra natural, mas com uma
qualidade superior, segundo o fabricante;
• composto em 94% por quartzo natural, um dos
elementos mais resistentes e belos da natureza, o
Silestone® permite criar desde a mais bela
bancada de cozinha até ao projeto comercial mais
inovador;
• a consistência da sua cor é incomparável a
qualquer outra pedra natural;
• o Silestone® é marca da Cosentino, empresa do
setor da pedra natural.
Fonte: Terrazzo Mármores (2011)
Materiais de Acabamentos para Construção
138
Prof. Roberta Vendramini

3.1 Silestone®

Figura 115: Alumínio Nube Terra Cotto e Verde Stellar


Fonte: Terrazzo Mármores (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


139
Prof. Roberta Vendramini
3.1 Silestone®

Figura 116: Silestone® - variedade de cores e granulometria


Fonte: Terrazzo Mármores (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


140
Prof. Roberta Vendramini

3.1 Silestone®

Figura 117: Bancada em Silestone Rojo Eros


Fonte: Cosentino (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


141
Prof. Roberta Vendramini
3.1 Silestone®

Figura 118: Bancada em Silestone Rojo Eros


Fonte: Cosentino (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


142
Prof. Roberta Vendramini

3.1 Silestone®

Figura 119: Bancada e Box em Silestone Blanco Zeus


Fonte: Cosentino (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


143
Prof. Roberta Vendramini
3.1 Silestone®

Figura 120: Bancada em Silestone Blanco Zeus


Fonte: Cosentino (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


144
Prof. Roberta Vendramini

3.2 Marmoglass
• produto de alta performance, desenvolvido através da
microcristalização de cristais de vidro e pó de mármore,
unindo tecnologia com as propriedades do vidro,
proporcionando qualidade e um produto de agradável
observação;

• possui vantagens físicas e químicas, como textura


homogênea, alta densidade e é feito da escolha de minerais
puros e brutos por meio de sedimentação dupla;

• como um tipo inorgânico de material cristalizado com


constantes funções químicas, com base de estrutura de vidro,
tem melhor resistência a alcalinos, a corrosivos, especial
resistência ao calor e é inalterável à ação do tempo.
Fonte: Alicante (2011)
Materiais de Acabamentos para Construção
145
Prof. Roberta Vendramini
3.2 Marmoglass

Características:

• resistente à abrasão;
• superfície e cor uniformes;
• brilho intenso;
• alta resistência e dureza;
• excelente durabilidade ao tempo;
• absorção nula;
• resistente a produtos ácidos e alcalinos.

Fonte: Alicante (2011)


Materiais de Acabamentos para Construção
146
Prof. Roberta Vendramini

3.2 Marmoglass

Utilização

Ambientes internos e externos como hotéis,


escritórios, aeroportos e shopping. Devido a suas
características, o Marmoglass pode ser utilizado em
revestimentos, pavimentos, tampos de balcões, pias
e peças de mobiliário.

Fonte: Alicante (2011)


Materiais de Acabamentos para Construção
147
Prof. Roberta Vendramini
3.2 Marmoglass

Figura 121: Chapa de Marmoglass White


Fonte: Alicante (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


148
Prof. Roberta Vendramini

3.2 Marmoglass

Figura 122: Chapa de Marmoglass Spoted White


Fonte: Marmotec (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


149
Prof. Roberta Vendramini
3.2 Marmoglass

Figura 123: Marmoglass Bege


Fonte: Marmotec (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


150
Prof. Roberta Vendramini

3.2 Marmoglass

Figura 124: Marmoglass Light Grey


Fonte: Marmotec (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


151
Prof. Roberta Vendramini
3.2 Marmoglass

Figura 125: Bancada e piso em Marmoglass


Fonte: Marmotec (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


152
Prof. Roberta Vendramini

3.2 Marmoglass

Figura 126: Bancada e piso em Marmoglass


Fonte: Marmotec (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


153
Prof. Roberta Vendramini
3.2 Marmoglass

Figura 127: Bancada em Marmoglass


Fonte: Marmotec (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


154
Prof. Roberta Vendramini

3.3 Corian®
• lançado em 1967, é um material sólido, não poroso, homogêneo,
composto de ± 1/3 de resina acrílica (também conhecida como
PoliMetilMetacrilato ou PMMA) e ± 2/3 de minerais naturais. O
principal mineral é TriHidrato de Alumina (ATH), derivado da bauxita,
da qual o alumínio é produzido;

• é um material durável, pois não descasca e suporta o uso diário.


Resiste à maioria dos impactos e arranhões que ocorrem em áreas de
uso intenso;

• a aparência da superfície é renovável: pode ser totalmente recuperada


usando o lado abrasivo de uma esponja comum de limpeza - quando o
acabamento for fosco, ou com polimento profissional;

• peças de Corian® podem ser coladas de maneira imperceptível para


criar a aparência de uma única peça, permitindo, praticamente,
ilimitadas possibilidade de design.
Fonte: DuPont (2011)
Materiais de Acabamentos para Construção
155
Prof. Roberta Vendramini
3.3 Corian®
Características
• 100% higiênico;
• não é poroso;
• resistente a manchas;
• há cores lisas;
• as emendas são imperceptíveis;
• há cubas no mesmo material;
• resistente a impactos;
• pode ser reparado;
• sua temperatura não é fria;
• não queima com cigarros;
• não propaga chamas;
• é resistente à umidade e maresia.

Fonte: DuPont (2011)


Materiais de Acabamentos para Construção
156
Prof. Roberta Vendramini

3.3 Corian®

Figura 128: Cores de Corian®


Fonte: DuPont (2011)
Materiais de Acabamentos para Construção
157
Prof. Roberta Vendramini
3.3 Corian®

Figura 129: Cores de Corian®


Fonte: DuPont (2011)
Materiais de Acabamentos para Construção
158
Prof. Roberta Vendramini

3.3 Corian®

Figura 130: Cores de Corian®


Fonte: DuPont (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


159
Prof. Roberta Vendramini
3.3 Corian®

Figura 131: Corian®: versatilidade e flexibilidade


Fonte: DuPont (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


160
Prof. Roberta Vendramini

3.3 Corian®

Figura 132: Bancada em Corian®: curvas nas laterais


Fonte: DuPont (2011) - foto e design: Hofman Dujardin Architecten

Materiais de Acabamentos para Construção


161
Prof. Roberta Vendramini
3.3 Corian®

Figura 133: Bancadas em Corian®


Fonte: DuPont (2011)
Materiais de Acabamentos para Construção
162
Prof. Roberta Vendramini

3.3 Corian®

Figura 134: Corian®: emendas perfeitas


Fonte: DuPont (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


163
Prof. Roberta Vendramini
3.3 Corian®

Figura 135: Bancada em Corian®: reprodução de pedras naturais


Fonte: DuPont (2011)
Materiais de Acabamentos para Construção
164
Prof. Roberta Vendramini

3.3 Corian®

Figura 136: Corian®: aplicações coloridas


Fonte: DuPont (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


165
Prof. Roberta Vendramini
3.3 Corian®

Figura 137: Recepção com tampo em Corian® na cor Hot


Fonte: DuPont (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


166
Prof. Roberta Vendramini

3.3 Corian®

Figura 138: Mesa Bicho Grilo de Maurício Queiroz (Studio Vitty). Os


desenhos são rebaixados na chapa de Corian®, deixando passar mais luz.
Fonte: DuPont (2011)
Materiais de Acabamentos para Construção
167
Prof. Roberta Vendramini
3.3 Corian®

Figura 139: Efeito de luzes coloridas nas peças decorativas em Corian®.


Fonte: DuPont (2011)
Materiais de Acabamentos para Construção
168
Prof. Roberta Vendramini

3.3 Corian®

Figura 140: Paredes retro-iluminadas em Corian®.


Fonte: DuPont (2011)
Materiais de Acabamentos para Construção
169
Prof. Roberta Vendramini
3.3 Corian®

Figura 141: Luminária em Corian®


Fonte: DuPont (2011)

Materiais de Acabamentos para Construção


170
Prof. Roberta Vendramini

3.3 Corian®

Figura 142: Luminárias Medusa, feitas em Corian®


Fonte: DuPont (2011) - Design de Claudia Carrasco

Materiais de Acabamentos para Construção


171
Prof. Roberta Vendramini
Considerações finais
• embora muito aceitas pelo mercado, o custo médio das rochas naturais e
industrializadas é mais elevado em relação às placas cerâmicas e ao
porcelanato, o que dificulta o acesso às mesmas pelas classes menos
favorecidas, principalmente para uso em pisos e fachadas;
• nas rochas naturais, há muita variação nas cores e nos padrões,
complicando posteriormente a substituição de peças desgastadas;
• convém evitar o uso, em bancadas e áreas molhadas, de alguns tipos de
rochas naturais que, em contato com água, apresentam alteração de cor
que provocam manchas não removíveis;
• é necessário escolher a rocha adequada ao seu uso, evitando a instalação
de mármores em áreas molhadas e externas, embora exista a tendência
mundial do uso de pedras naturais com tratamentos impermeáveis para
estes fins;
• quando utilizadas em pisos e fachadas, é fundamental a análise das ações
atuantes e características físicas das placas antes da definição do processo
construtivo.
Materiais de Acabamentos para Construção
172
Prof. Roberta Vendramini

Referências
ALICANTE. Consulta geral à homepage oficial. Disponível em:
<http://www.alicante.com.br/>. Acesso em: 23 mar. 2011.

BOTELHO, M.H.C.B. Concreto armado eu te amo para arquitetos. São Paulo: Editora
Edgar Blücher, 2006. 223p.

CAVANI, R.G. Tecnologia em rochas para revestimento: sistemas de fixação. Mestrado


Profissional em Habitação, Instituto de Pesquisas Tecnológicas, São Paulo, 2010. (Aula
da disciplina Materiais e Técnicas de Acabamentos, Revestimentos e Restauro de
Edifícios, ministrada em out. 2010).

CIMAGRAN DESIGN. Consulta geral à homepage oficial. Disponível em:


<http://cimagran.com.br/>. Acesso em: 23 mar. 2011.

CIOCCHI, L. Pedra por pedra. Revista Téchne. São Paulo, n. 61, a. 10, p.36-40, abr.
2011.

Materiais de Acabamentos para Construção


173
Prof. Roberta Vendramini
Referências
COSENTINO. Pesquisa de imagens de ambientes com Silestone. Disponível em:
<http://www.silestone.com/br/>. Acesso em: 23 mar. 2011.

COSTA, M.P.R. Manual de controle de qualidade para revestimentos de fachadas em


pedra. 2011. 148f. Dissertação (Mestrado) – Instituto Superior Técnico, Universidade
Técnica de Lisboa, Lisboa, 2011. Disponível em:
<https://dspace.ist.utl.pt/bitstream/2295/904713/1/final1.pdf>. Acesso em: 14 ago.
2011.

DUPONT. Pesquisa de dados e imagens de Corian. Disponível em:


<http://www2.dupont.com/Brazil_Country_Site/pt_BR/index.html>. Acesso em: 02
abr. 2011.

FREITAS JUNIOR, J.A. Execução de revestimentos. Setor de Tecnologia, Universidade


Federal do Paraná. (Aula da disciplina TC-025: Construção Civil II). Disponível em:
<http://www.dcc.ufpr.br/wiki/images/a/af/TC025_Revestimentos_2.pdf >. Acesso em:
06 mar. 2012.
Materiais de Acabamentos para Construção
174
Prof. Roberta Vendramini

Referências
GALERIA DO MÁRMORE. Consulta geral ao blog da empresa. Disponível em:
<http://galeriadomarmore.blogspot.com/>. Acesso em: 23 mar. 2011.

GOOGLE IMAGES. Pesquisa de imagens de rochas ornamentais. Disponível em:


<http://images.google.com.br/>. Acesso em: 23 mar. 2011.

INFOESCOLA. Consulta geral à homepage oficial. Disponível em:


<http://www.infoescola.com/>. Acesso em: 23 mar. 2011.

MARMO DESIGN. Consulta geral à homepage oficial. Disponível em:


<http://www.marmodesign.com.br/>. Acesso em: 23 mar. 2011.

MARMORARIA ITAARTE. A Itaarte: desde 1985 assinando a sua obra de arte. Apresentação da
empresa em Power Point. São Paulo, 2010. (homepage oficial: <www.itaarte.com.br>).

MARMORARIA TONS DE PEDRA. Consulta geral à homepage oficial. Disponível em:


<http://tonsdepedra.com/>. Acesso em: 23 mar. 2011.

Materiais de Acabamentos para Construção


175
Prof. Roberta Vendramini
Referências
MARMOTEC. Pesquisa de dados e imagens de Marmoglass. Disponível em:
<http://www.marmoglass.com/marmoglass/>. Acesso em: 23 mar. 2011.

MEDEIROS, C.; MEDINA, E.; ALVES, L.A. Mármores e granitos em alta. Revista
Arquitetura e Construção, São Paulo, n. 3, a. 27, p.88-93, mar. 2011.

MIDORI, C.; MEDINA, E.; ALVES, J.T. A hora das pedras nobres. Revista Arquitetura e
Construção, São Paulo, jul. 2006. Disponível em:
<http://casa.abril.com.br/arquitetura/livre/edicoes/0231/pisos/mt_147919.shtml>.
Acesso em: 23 mar. 2011

QUITETE, E.B.; FRASCÁ, M.H.B.O. Rochas Ornamentais: noções básicas. Mestrado


Profissional em Habitação, Instituto de Pesquisas Tecnológicas, São Paulo, 2010. (Aula
da disciplina Materiais e Técnicas de Acabamentos, Revestimentos e Restauro de
Edifícios, ministrada em out. 2010).

Materiais de Acabamentos para Construção


176
Prof. Roberta Vendramini

Referências
REVISTA ARQUITETURA E CONSTRUÇÃO. Paginação: múltiplos efeitos. São Paulo,
[200?]. Disponível em:
<http://casa.abril.com.br/arquitetura/livre/semsegredos/ceramica/0203.shtm>.
Acesso em: 23 mar. 2011.

SABATTINI, F. H. at al. Aula 14: Revestimentos de parede: pétreos (com placas de


rocha). Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006. (Aula da
disciplina PCC-2436 – Tecnologia da Construção Civil II, ministrada no segundo
semestre de 2006)

TERRAZO MÁRMORES. Consulta geral à homepage oficial. Disponível em


<http://www.terrazzomarmores.com.br/>. Acesso em: 23 mar. 2011.

WIKIPEDIA. Consulta geral à homepage oficial. Disponível em:


<http://pt.wikipedia.org>. Acesso em: 23 mar. 2011.

Materiais de Acabamentos para Construção


177
Prof. Roberta Vendramini