Você está na página 1de 4

Marcelo Douglas N: 20172103773

Trabalho
De
Química

Turma: I2103MA
Curso: Eletrotécnica
Data: 17/12/2019
Eletrólise
Podemos definir eletrólise como um processo eletroquímico que
desencadeia uma reação química não espontânea através de um
potencial elétrico aplicado sobre o sistema. Através das células
eletrolíticas que são estudados esses fenômenos. Esse processo é muito
empregado nas indústrias de obtenção de Alumínio, cobre eletrolítico,
soda cáustica, na produção de metais, na obtenção de cloro e gás flúor,
por exemplos. Tal processo também é empregado na galvanização de
peças de aço ou ferro, consistindo em sobrepor uma camada protetora de
zinco, por exemplo, sobre esses metais aumentando, desse modo, a
resistência à corrosão. A eletrólise consiste em reações de oxidação e
redução, isto é, na transferência de elétrons que são liberados dos
reagentes que compõem o sistema, provocada pela corrente elétrica
aplicada ao sistema. As reações espontâneas redox são empregadas na
confecção de pilhas e baterias. Através do processo da eletrólise pode-se
promover reações não espontâneas com o uso da energia elétrica.

No exemplo abaixo, pode ser observado a célula eletroquímica onde ocorre a


eletrólise:

A célula é composta por uma fonte de tensão elétrica, a bateria, por um


componente que chamaremos de cátodo, de pólo negativo e outro de ânodo, de
pólo positivo. Esses componentes são denominados de eletrodos, o fluxo dos
elétrons é em direção ao pólo negativo, então, do ânodo para o cátodo. Nesse
mecanismo só existe um eletrólito e, geralmente, as concentrações e pressões
não estão nas condições padrão, a corrente passa pelo eletrólito carregada pelos
íons presentes na célula.
Classificação dos tipos de Eletrólise
 Eletrólise Ígnea: Sem a presença de água
A eletrólise ígnea ocorre em uma célula eletrolítica e consiste na reação
redox não espontânea provocada pela passagem de corrente elétrica
através de um composto iônico fundido.

A temperatura de fusão do NaCl(s) é em torno de 808oC. O sal fundido,


no estado líquido, dissocia-se em íons Na+(aq) e Cl⁻(aq), os cátions
Na+(aq) migram em direção ao cátodo, as cargas positivas são atraídas
pelo eletrodo de pólo negativo, há ganho de elétrons devido o processo
de redução, desse modo, os cátions sempre vão para o cátodo em uma
célula eletrolítica. Os ânions Cl⁻(aq) migram em direção ao ânodo, as
cargas negativas são atraídas pelo eletrodo de pólo positivo havendo uma
perda de elétrons devido o processo de oxidação, desse modo, os ânions
sempre vão para o ânodo em uma célula eletrolítica, No eletrodo positivo,
no ânodo, é produzido gás cloro e no eletrodo negativo, no cátodo, é
produzido sódio metálico, A transferência de elétrons nessas condições,
ocorrem através da eletrólise.
 Eletrólise Aquosa: com presença de água
A eletrólise aquosa ocorre em uma célula eletrolítica e consiste na reação
redox não espontânea provocada pela passagem de corrente elétrica
através de uma solução aquosa de um eletrólito inerte.
Exemplo: Eletrólise aquosa do Cloreto de Sódio (NaCl)
Na eletrólise aquosa a água poderá sofrer redução e oxidação e os íons
da água competem com os íons dos eletrólitos presentes em solução,
sendo um processo importante na obtenção de substancias comerciais
como, o gás cloro, gás hidrogênio e a soda cáustica (NaOH). O NaOH
permanece em solução, no pólo negativo, no cátodo, há a liberação de
gás de hidrogênio e no pólo positivo, no ânodo, há a liberação de gás
cloro.