Você está na página 1de 11

Professor Florêncio Augusto Filho

MICROFÍSICA DO PODER
MICHAEL FOULCAUT
A governamentalidade

2018
DISCLAIMER
Tempo: 40minutos
Número de slides: 11
Sobre o Autor

Autores citados na obra – atentar para a NÃO uniformidade cronológica do


uso das ideias;
Conceitos importantes – atentar para a NÃO uniformidade cronológica e as
diferenças de modelos políticos vividos entre os países citados.
Sobre a Obra
Prefácio – Cronologia

Discussão sobre o texto

Considerações finais

2
Sobre o autor
Michel Foucault

Nasceu em Poitiers em 1926


e faleceu em Paris em 1984.
Foi um filósofo e professor
da cátedra de História dos
Sistemas do Pensamento no
Collège de France, entre
1970 e 1984.
Temas como loucura,
sexualidade, disciplina, poder
e punição, são discutidos
hoje em várias áreas do
conhecimento.

3
Autores citados na obra

Guillaume de La Perrière
“Le miroir politiqve,
contenant diverses
manieres de govverner”
1557

Nicolau Maquiavel

“O príncipe”
1530
Também citados:
▷ Ambrogio Catarino Politi 1484-1553
▷ Innocent Gentillet 1635-1688
▷ Paolo Paruta 1540-1598
▷ Sir Thomas Elyot 1490-1546
▷ Frederico II – 1712 – 1786
▷ Samuel Pufendorf – 1632 – 1694
▷ Thomas Hobbes – 1588 - 1679-
4
Conceitos Importantes
Artes de Governar Maquiavel La Perrière
▷ A partir do século XVI até o ▷ não é uma verdadeira forma ▷ "governante pode ser chamado de
final do século XVIII, vê-se de arte de governar. monarca, imperador, rei, príncipe,
desenvolver uma série magistrado, prelado, juiz e
▷ É um estado anterior à arte de
considerável de tratados que similares".
governar propriamente dita,
se apresentam não mais como
porque “o príncipe está em ▷ “O governante, as pessoas que
conselhos aos príncipes, nem
relação de singularidade, de governam, a prática de governo
ainda como ciência da política.
exterioridade, de são, por um lado, práticas
▷ Pode ser definida como um transcendência em relação ao múltiplas, na medida em que muita
conjunto de concepções sobre seu principado; recebe o seu gente pode governar: o pai de
governo, como governar e principado por herança, por família, o superior do convento, o
como ser governado. Ao longo aquisição, por conquista, mas pedagogo e o professor em
do texto, Foucault compara os não faz parte dele, é-lhe relação à criança e ao discípulo”.
trabalhos de Maquiavel e de exterior; os laços que o unem ▷ Em contraposição a Maquiavel, La
La Perrière para nos mostrar ao principado são de violência,
as diferentes artes de Perrière não considera que apenas
de tradição, estabelecidos por existe uma forma de governo – a
governar, governos de Estado tratado com a cumplicidade ou
na sua forma política do príncipe - , mas múltiplas
aliança de outros príncipes. práticas de governo.
(ROSÁRIO, 2008).

5
Sobre a Obra


Microfísica do Poder não é uma obra de
Michel Foucault, mas sim uma coletânea de
textos do autor organizada por Roberto
Machado, filósofo brasileiro.
Portanto trata-se de um Curso do Collège de
France em 01-02-1978

6
Prefácio da Obra
Cronologia do processo histórico: da Política da soberania para Governo estatal

SÉC. XVI SÉC. XVII SÉC. XVIII


• Estadualização da sociedade • Crises políticas/Revolução francesa; • Unificação da Alemã e Italiana;
feudal; • Há um novo questionamento da • Há um novo questionamento da
• Reforma/contra reforma; soberania (Maquiavel em voga); soberania (Maquiavel em voga);
• “O príncipe” - Maquiavel; • Obra de La Mothe Le Vayer • Família: Instrumento privilegiado,
• Outras obras “anti-Maquiavel” • Conhecimento do estado – para o “governo da população”;
- ex. La Perrìere; estatística; • Surge a ciência política – técnicas
• Mercantilismo de governo – nascimento economia
• Reforço sobre “O contrato” de política;
Rousseau
• Problemas : expansão demográfica,
monetária e produção agrícola.

Ao percorrer toda a literatura do Governo do séc. XVI ao Séc. XVIII, Foulcaut, pretende encontrar como
surgiu a categoria população, distinta da família como modelo de governo. Seu pensamento flui de:
população como objetivo final de governo, e não como força do Soberano, dando assim a nova
organização do Estado. 7
Discussão sobre o texto

SOBERANIA

• Soberania: “o território é o elemento fundamental tanto do principado de Maquiavel quanto


da soberania jurídica do soberano, tal como a definem os filósofos e teóricos do direito. Nunca
foi dito nem pelos juristas nem afortiori pelos teólogos que o soberano legítimo teria razões
para exercer o poder. Para ser um bom soberano, é preciso que tenha uma finalidade: "o bem
comum e a salvação de todos".

• A arte de governo, marcou passo durante os sécs. XVII e XVIII, limitada, por um lado, pelo
quadro rígido e abstrato da soberania (e por isso, no séc. XVII se formulou a teoria do contrato
social – um compromisso entre o soberano e os súbditos), por outro, pelo modelo bastante
restrito, débil, inconsistente da família.

Mais informações, leia o resumo do Professor Pierre Guibentif: http://www.fd.unl.pt/docentes_docs/ma/PG_MA_6782.pdf

8
Discussão sobre o texto

ARTE DE GOVERNAR
• La Perrière, pelo contrário, considera que governantes são as pessoas que governam (“uma casa, almas,
crianças, uma província, um convento, uma ordem religiosa, uma família”). Existem muitos governos, que
estão dentro da sociedade ou do Estado. Portanto, uma pluralidade de formas de governo e imanência das
práticas de governo com relação ao Estado.

• Outro autor, La Mothe Le Vayer, já no séc. XVII, distingue três tipos de governo: o governo de si mesmo, que
diz respeito à moral; a arte de governar adequadamente uma família, que diz respeito à economia; a ciência
de bem governar o Estado, que diz respeito à política.

• Temos aqui três categorias de substrato de poder: o indivíduo, a família e o Estado.

Mais informações, leia o resumo do Professor Pierre Guibentif: http://www.fd.unl.pt/docentes_docs/ma/PG_MA_6782.pdf

9
Discussão sobre o texto
CONSIDERANDO... ...CONSIDERANDO
O que Foucault pretende mostrar é a Foucault pretende fazer uma história da
relação histórica entre o movimento que governamentalidade, tendo esta palavra três
abala a soberania, numa constante evolução significados:
da organização estadual, colocando o
a) o conjunto de instituições, organizações,
problema do governo, o movimento que faz
procedimentos, tácticas, que têm como
surgir a população como campo de
objeto a população, tendo como
intervenção do governo e o movimento que
instrumentos a economia política e
isola a economia política como ciência
dispositivos de segurança;
política, como instrumento do governo.
b) b) este tipo de poder, pode chamar-se
E é neste conjunto, nesta tensão, em que
governo, até pelos aparelhos específicos
vivemos, desde o séc. XVIII.
de governo;

c) c) o processo pelo qual o Estado


repressivo da Idade Média se tornou no
Estado administrativo. 10
Obrigado
25/05/2018

11