TESTEMUNHO VERÍDICO

Rock n' Roll
“A música do inferno”

O SANGUE DE JESUS CRISTO TEM PODER! ___________________________________________

JUNIOR OMNI

AGRADECIMENTO Agradeço ao Senhor Jesus Cristo em primeiro lugar. Aos meus queridos pais “Edvaldo” e “Antonia” Aos meus irmãos “Jefferson” e “Josie” Aos missionários: Josué Yrion e todo o seu Ministério – EUA Apóstolo Doriel de Oliveira e Ruth Brunelli – Brasília –DF Missionário David Martins Miranda – SP Pastor Marco Feliciano -SP Missionário RR Soares – RJ Missionária Maria da Penha e toda a mocidade da JUCBITEJ do Parque das Bandeiras- São Vicente -SP Pastor Geodásio - Ministério Jardim Brasil – SP Pastor Hilton Pedro – SP Pastor Cristiano Freire de Brito – SP Pastor Jair Máximo – MG Pastor Alcides – SP Pastor Marcos Florenço – SP

Agradeço também ás minhas primas:- “Adriana” e “Fabiana” que, após entregarem seus corações ao Senhor Jesus, não pararam de me convidar para a Igreja. Agradeço as orações de minha querida avó “Iracy”, uma grande mulher de Deus que, sempre me convidava para a igreja, e me falava que um dia eu seria um pregador do evangelho. E esta profecia se cumpriu! Aleluias! Exaltado seja o nome do Senhor Jesus! Agradeço as irmãs de fogo “Joana Darc” e “Núbia”, mulheres consagradas a Deus. Á todos os homens e mulheres de Deus espalhados pelos quatro cantos desta terra, Graça e Paz.

Orem por mim

DEDICATÓRIA

“Dedico este livro ao meu Deus: Jesus Cristo. Pois sem Ele, nada podemos fazer”
Evangelho de João 15:5

* * * * * * * “Para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, na terra, e debaixo da terra e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus pai”.
Filipenses 2:10-11

ROCK N' ROLL – A MÚSICA DO INFERNO
TESTEMUNHO DE UM EX-ROQUEIRO (PRIMEIRA PARTE)

SUMÁRIO CICLO I A ORIGEM__________________________________________________11

CICLO II UM JOVEM REBELDE_________________________________________18

CICLO III A DECADÊNCIA______________________________________________27

CICLO IV NAS ASAS DA PROMISCUIDADE_______________________________45

CICLO V NO VALE DA SOMBRA DA MORTE______________________________55

CICLO VI A REVELAÇÃO_______________________________________________92

CICLO VII O CHAMADO_________________________________________________98 CICLO VIII O SUBMUNDO________________________________________________106

ROCK N' ROLL – A MÚSICA DO INFERNO
TESTEMUNHO DE UM EX-ROQUEIRO

(SEGUNDA PARTE)

CICLO IX A METAMORFOSE_____________________________________________117

CICLO X UMA NOVA CRIATURA_________________________________________122

CICLO XI O TREM _______________________________________________________131

CICLO XIII A NOIVA SEM FACE_____________________________________________139

CONCLUSÃO___________________________________________________159

Que a paz de Jesus Cristo esteja sobre você!

LEIA A BÍBLIA

E SEJA FELIZ!

CICLO I A ORIGEM

Meu nome é Junior Souza da Silva, sou “JUNIOR OMNI”, este é o meu pseudônimo, pois escrevo poemas e poesias cristãs. Sou “JUNIOR” porque sou o menor da casa, “OMNI” porque através desse vocábulo grego, eu posso glorificar o nome de JESUS CRISTO, pois, só Ele é: “ONIPOTENTE – ONIPRESENTE – ONISCIENTE”. Eu nasci no dia 19 de novembro, no ano de 1979, no alto da Moóca, em São Paulo. Sou filho de Edvaldo Muniz e Antônia Silva, que residem atualmente em Suzano, na região da grande São Paulo. A família. Tenho dois irmãos: “Jefferson” (casado com “Adriana”) mãe de minha linda sobrinha “Brenda” e “Josie”, minha querida irmã, (casada com “Cristiano Freire”), pai dos meus lindos sobrinhos: “Mateus” e “Larissa”. Bom, apresentei a você toda a minha família! Quando nasci, os meus pais moravam em São Vicente, no bairro do Parque das Bandeiras, litoral de São Paulo. Meu pai é um homem “baixinho”, mas a minha avó, sua mãe, contava que ele era muito “brigão” em sua infância e adolescência. Mesmo com os seus irmãos, (os meus tios). Ele era muito nervoso, do tipo "pavio curto", e o seu lazer predileto era o Rock ‘n’ Roll. Papai sempre foi sério, e um homem trabalhador, fazia de tudo um pouco. Lembro dele trabalhando em vários lugares. Recordo-me que ele trabalhou numa avícola, e foi lá que ele aprendeu a estrangular frangos, uma prática comum em minha casa. A primeira vez em que vi meu pai matar um frango, eu fiquei muito assustado, pois o frango se batia até morrer, e tudo isso ficava em minha mente durante muito tempo. Meu pai também trabalhou numa metalúrgica, e um dia me levou em seu emprego. La tinha um “cachorro policial” que me impressionava pelo seu tamanho, pois ele era muito grande, e eu tive muito medo dele. Papai me mostrou como tudo funcionava, tanto que aprendi como eles faziam as torneiras que lá eram fabricadas! Eu sempre admirei meu pai, pois ele sempre gostou das coisas certinhas. Meu pai nunca usou drogas, também não era "cachaceiro”. Ele sempre mostrou a nós bons exemplos, embora fosse fanático pela música diabólica – o Rock. Em suas folgas, ele gostava muito de futebol, pois seu sonho era ser “goleiro”, mesmo sendo de baixa estatura. Alguns amigos o chamavam de "toquinho", outros ainda, o chamavam de “montanha”, mas o seu lazer predileto era: o Rock n’ Roll. Sua maior falha era a de ficar nervoso de um momento para outro, às vezes sem ter explicação, e por causa desse nervosismo dele, eu acabava apanhando, pois de todos os filhos, sou o que mais deu trabalho a ele, por esta razão, não tinha jeito: eu apanhava mesmo!

Com o passar do tempo, já na adolescência, eu fui ficando “revoltado” com as surras que eu levava, pois eu não queria parar para reconhecer os meus erros e defeitos, assim, eu só pensava em fugir de casa, pois era exatamente isso que as letras de Rock diziam: “Fuja de casa, “Fuja da escola”, “Abandone os seus pais”. Minha querida mãe ficou grávida aos dezoito anos, ela era ainda solteira, coisa inadmissível pelos pais dela, e assim que minha avó soube da gravidez indesejada, a expulsou de casa. Apesar de minha mãe ter enfrentado muitas dificuldades, e passado por terríveis humilhações, ela se tornou uma mulher guerreira, pois sempre demonstrou seu amor e carinho para com todos nós, e nunca guardou mágoa em seu coração, pelo contrário, mamãe reconheceu seus erros e sempre demonstrou um profundo amor para com todos nós! Mamãe sempre trabalhou para ajudar o meu pai nas despesas da casa. Sou o terceiro filho da família, o Jefferson é o primogênito, o meu irmão mais velho. Era ele que ele ficava em casa cuidando de nós, quando meus pais saíam para trabalhar. Tenho muitas saudades desse tempo! Lembro-me quando criança, o Jefferson brigava comigo ou com minha Irmã Josie, quando fazíamos algo errado, pois ele era o nosso “líder”, e sempre falava sério com a gente, e assim, nós obedecíamos tudo o que ele falava. Meu irmão sempre foi um grande lutador, ele aprendeu uma profissão cedo na vida e jamais gostou de bebidas, cigarros ou outro tipo de drogas. O meu irmão sempre agiu corretamente em tudo que fizera na vida. A Josie, minha querida irmã, era muito carinhosa, porém, às vezes a gente brigava, e se “arranhava” um pouco, coisa de irmãos mesmo! Jamais a machuquei. Eu tive também outra Irmã, a Joice, ela era a caçula da família, mas, pelo fato de ela ter nascido com uma grave doença em seu sangue, morreu com duas semanas de vida, lá mesmo, na maternidade! Foi uma fase difícil para a minha mãe, que com muito carinho esperou a sua chegada! Confesso que não a conheci, nem mesmo pude ver o rostinho dela, mas, eu espero encontrar-me com a minha irmãzinha Joice lá na glória! Ó Jesus! Eu quero chegar lá! Sou de uma família sem luxo, pobre e humilde, mamãe sempre batalhou ao lado do meu pai, para juntos, criarem os seus três filhos. Minha mãe conta que, ainda morando em São Vicente, no litoral paulista, o seu pai, (o meu avô João), certa feita, foi seduzido por uma mulher casada, que se passava por uma “amiga”. Depois de muito tempo essa amizade tornou-se um verdadeiro “laço” para ele, que, sempre dizia não ser “bobo”. Mas, aquela mulher, usando de sua malícia, arrastou meu avô para uma grande armadilha, (como Dalila o fez com Sansão), e assim, um homem que se dizia “experiente”, foi brutalmente assassinado por homens cruéis, que resolveram tirar a vida dele, sem misericórdia! Depois desta tragédia, mamãe perdeu a vontade de morar na baixada santista, pois um pedaço dela ficara ali. Mesmo assim, ela suportou ainda mais dez anos, morando em São Vicente, para depois, mudarmos para a cidade de Suzano, definitivamente. Quando criança, eu morei também no Parque São Rafael, em São Paulo.

Ali moramos por pouco tempo. A casa era de aluguel. Lembro-me que no mesmo quintal morava o Sr. João, um homem do qual eu tinha muito medo, pois me sentia mal com a presença dele. Sempre que ele chegava do trabalho eu corria para dentro de casa, sua aparência era mesmo assustadora, até mesmo outras crianças também tinham medo dele. O Sr. João era barrigudo, com seus cabelos grisalhos, ele até tentava me agradar e vinha para perto de mim com a melhor das intenções, porém na minha inocência de criança corria dele toda vez que ele se aproximava de mim. Não tínhamos brinquedos caros, porem alguns ficou na saudade, lembro-me que certa vez ganhei uma bola de peixinhos, fiquei muito contente, eu e meus irmãos brincávamos muito com ela. Confesso que tive uma infância feliz ao lado dos meus irmãos. Com o passar do tempo, meu pai comprou um terreno em Suzano, uma pequena cidade da grande São Paulo. E como meu pai era pedreiro e sabia fazer de tudo um pouco, ele mesmo fez a nossa casa, com a ajuda de toda a família: eu, minha mãe, e meus dois irmãos, o Jefferson e a Josie. Assim, construímos uma casa simples, muito humilde, que se resumia em dois cômodos apertados e um banheiro, para cinco pessoas. Mas foi nessa casa que meus pais começaram a viver independente de aluguel, desfrutando de uma paz que antes não tinham. Mudamos para o Jardim São José, na cidade de Suzano em 1987, um bairro que, na época, ninguém sabia se pertencia a Suzano mesmo ou fazia pare do município de Mogi das Cruzes. Lá conhecemos dois bons vizinhos, o Sr. Júlio e a dona Josefa, os quais eram “pioneiros” no bairro do Jardim São José! O Sr. Júlio era amigo de meu tio, o “Neco”, irmão de minha mãe, uma figura extraordinária! O Sr. Júlio foi um bom vizinho, e me ensinou muitas coisas sobre Deus, pois ele era um “teólogo”. Mas, desviado do serviço cristão, tornou-se alcoólatra, e depois de muitos anos, uma “cirrose” o matou! Com certeza, ele foi uma grande figura, que, infelizmente não está mais com a gente. Também quero falar aqui de Dona Josefa, uma vizinha muito querida, uma mulher que enfrentou a vida com a ajuda de Deus, e sozinha sustentava a sua casa com seus filhos, todos são nossos amigos até hoje. Muita gente marcou a minha infância, faltaria espaço neste livro para descrevê-las aqui! A escola. Quando completei seis anos de idade, ainda um "toquinho de gente", mamãe me matriculou na pré escola, próxima de nossa casa. No primeiro dia de aula, eu fiquei entusiasmado, então meu irmão Jefferson foi me levar à escola. Depois que ele me deixou lá, nas mãos do professor Manoel - um homem inteligente e trabalhador - eu olhei para o portão, e vi que meu irmão tinha saído.

Então eu comecei a correr ao encontro dele e, deparando-me com o portão fechado, entrei em desespero, comecei a gritar e chorar, pois imaginava que nunca mais sairia dali, pensava que nunca mais veria minha mãe e meus irmãos novamente. Alguns minutos depois, eu me reuni aos outros alunos, mas achei tudo muito esquisito, aquele lugar me dava medo, eu ficava sem jeito, me sentindo completamente estranho. Depois de muitas lágrimas de desespero, o professor contou-me que ali era uma escolinha onde a gente aprenderia ler, escrever e brincar com as outras crianças, assim, depois de muito tempo, me acalmei e fui estudar com as outras crianças. O professor Manoel me ensinou as primeiras letras na pre escola do bairro do jardim São José Suzano – SP. Nas férias escolares íamos ficar na casa da minha avó Josefa, em São Vicente. Lembro-me que certa feita, meu irmão Jefferson ficou observando a mim e ao meu primo Marcelo, na hora do almoço, eu tinha dez anos nessa época, e meu irmão, catorze. A minha mãe havia arranjado um serviço de empregada doméstica, e nós ficamos sob os cuidados de minha avó Josefa, que pediu para que meu irmão ficasse vigiando a gente, para não fazermos nenhuma bagunça. Naquele dia, na hora do almoço, nós jogamos a comida no lixo, pois já não queríamos comer, então, o meu irmão mais velho, foi até a minha avó, e contou pra ela tudo o que a gente tinha feito. Conclusão: a minha avó ficou muito brava com essa nossa atitude rebelde, e nos colocou de joelhos, eu e o Marcelo! E assim, ficamos de castigo até a hora de minha mãe chegar. Quanta malandragem havia em nossas mentes, tão cedo! Mas confesso que o tempo passa muito rápido, e às vezes sinto saudades daqueles dias! A religião Quero também deixar registrado nesse livro, uma revelação importante: meus pais não eram casados no "religioso”, somente em cartório, e por isso eu não era batizado ainda, segundo a tradição católica, mas, o padre Jorge, responsável pela Igreja do Jardim São José, em Suzano, me escolheu para ser “coroinha”, e ajudá-lo na hora da missa, sempre aos domingos. Então minha mãe, contente com isso, sempre me apoiou. Aquele padre me dizia que eu já era um “escolhido de Deus”, desde o ventre de minha querida mãe! Porém, era necessário que eu ficasse ali, na igreja, recebendo o “alimento espiritual”, para que eu nunca abandonasse os caminhos do Senhor e Salvador Jesus Cristo. E mesmo não sendo batizado ainda, segundo os dogmas e as doutrinas do catolicismo, ali eu estava auxiliando o padre, diante de uma multidão de fiéis e devotos, que entravam naquela paróquia! Deus é fiel! Aleluias! Já desde menino, a mão de Deus trabalhava em meu favor! Á Jesus, toda honra e toda glória, eternamente, amém.

Apesar de ser ainda uma criança, eu desejava ser “padre” quando eu chegasse a minha fase adulta, mas, me contentava em ser um simples “coroinha”, porém, a doutrina da igreja não permitia, ou seja, a igreja não queria me aceitar, pelo fato de eu não ser ainda batizado, por que, segundo o estatuto da igreja, meu batismo só seria realizado quando os meus pais se casassem na igreja, e isso me revoltou bastante. Eu me sentia rejeitado, porém, mesmo assim, o padre Jorge me deu o maior apoio, e me dava a minha veste, para eu usá-la na hora da missa, sempre aos domingos. Assim, passei a ser o "coroinha" daquela igreja. E como o profeta Samuel, um “sacerdote mirim”, eu ficava junto do padre, com outra criança, um á direita, e o outro à esquerda. O padre gostava de ver a gente no altar, perto dele, porém, eu ficava triste por que não me deixavam fazer a "primeira comunhão", como fizeram meus irmãos, Jefferson e Josie. Minha mãe ficava muito feliz, em me ver envolvido com a obra de Deus, nessa época fiz o "catecismo" com a professora - "Maria Batalha" - ela tinha muito amor por cada um de seus alunos. Desde a minha infância, todos me falavam que eu nasci para evangelizar, as pessoas ficavam impressionadas com as palavras que eu falava a respeito das Escrituras Sagradas, com apenas dez anos de idade, pois comecei ler a Bíblia muito cedo! Glórias a Deus por isso, aleluias! Entrei como coroinha na igreja católica, perto dos meus nove anos de idade, e durante o tempo em que estive naquela igreja, participei de varias peças de teatro, mas a que ficou em minha mente foi uma peça que mostrava o valor da solidariedade, o amor ao próximo e a compaixão. O cenário era uma estrada vazia, e eu interpretava o papel de um homem pobre, necessitado e carente. Ali eu estava sentado no chão, e as pessoas passavam, porém não me ajudavam, apenas observavam a minha miséria, pois eu era um mendigo, e meu irmão Jefferson, que também participava da peça, interpretava um homem rico que, sentindo compaixão de mim, me deu grande soma de dinheiro e um saquitel com muitas moedas, dizendome: "vá e viva do fruto do seu salário”. Eu tinha onze anos, quando fizemos esta peça! Como o tempo passa! Graças a Deus, eu tive uma parte da minha infância abençoada! Assim, o tempo foi passando e, com ele, a minha infância foi ficando para trás, e a chegada da adolescência foi uma fase muito difícil e complicada, mas, contarei nos próximos capítulos.

Então lhe trouxeram algumas crianças para que lhes impusesse as mãos, e orasse; mas os discípulos os repreenderam. Jesus, porém, disse: Deixai as crianças e não as impeçais de virem a mim, porque de tais é o reino dos céus. Mateus 19:13-14

NO VALE DA MORTE – 1991
Agora eu quero contar um livramento de morte que o Senhor me deu quando eu ainda era uma criança de onze anos de idade. Tudo aconteceu assim... Certa feita, no ano de 1991, meu pai me levou a uma “festa” no bairro do Jardim Dona Benta, na cidade de Suzano, na grande São Paulo. A festa era para os adultos, a única criança da festa era eu. Lá havia “mesa de bilhar” e um balcão onde eram servidas as “bebidas” para todos os que ali estavam. Tinha muitas mulheres naquela noite, o ambiente estava cheio, lotado, super lotado, e todos se divertiam e dançavam ao som da música que era tocada em altos decibéis. O meu pai era a pessoa responsável pelo som da festa, pois ele possuía uma boa aparelhagem e gostava muito desse tipo de serviço, desde garoto meu pai sempre gostou de mexer em caixas de som. Eu era um menino franzino, que estava assistindo tudo de “camarote” eu não conhecia ninguém, mas estava ali, junto ao meu pai. De repente eu notei que, por causa da bebida alcoólica, algumas pessoas já estavam com o rosto estranho. Eu notei um aspecto diabólico em alguns homens que curtiam a festa. Lembro que tive vontade de ir ao banheiro e avisei ao meu pai, então ele me recomendou que eu fosse, mas, voltasse logo para junto dele na mesa de som. Ao chegar ao banheiro, vários homens me perguntaram o que eu estava fazendo ali. Eu já não tinha medo de estranhos, e sabia conversar com qualquer pessoa. Respondi a eles que meu pai estava na mesa de som e me trouxe a festa, e logo voltei para junto de meu pai. Nesse instante percebi que vários policiais entraram naquela festa com armas em punho, passando a ideia de que estavam a procura de alguém. No momento em que eu estava voltando para junto de meu pai um daqueles policiais me perguntou: “_O que você faz aqui sozinho garoto? Confesso que fiquei com medo daquele policial, mas, respondi a ele que o meu pai estava ali presente, no controle do som. Então aquele policial logo me liberou advertindo-me para que eu não saísse de perto do meu pai, pois já eram duas horas da madrugada, e aquele ambiente não era próprio para uma criança. Meu pai percebeu a ação dos policiais e eu disse a ele que um deles havia me perguntado o que eu fazia ali sozinho àquela hora da madrugada. Meu pai me aconselhou mais uma vez a não sair de perto dele e mandou que eu sentasse num banquinho ali mesmo. Então sentei naquele banquinho e fiquei observando as pessoas na festa, enquanto aqueles policiais faziam algumas “revistas”. Foi pedido que abaixasse o som, então meu pai baixou o som até que os policiais terminassem o serviço. Logo que os policiais saíram, a música voltou a agitar aquela madrugada de sábado para domingo. O salão cheio, muitos casais se abraçavam ao som de – Johnny Rivers, Rod Stewart, Nazareth, B.J. Thomas, Madonna, Michael Jackson, e muitos outros.

Lembro-me que uma mulher perguntou ao meu pai se eu aceitaria um “lanche”. Eu aceitei, e logo veio um prato com arroz, feijão, salada e muita carne para eu comer até o dia amanhecer. Pensei comigo assim: “_Que lanche é esse?” E comi tudo, pois estava com muita fome naquele momento, já de madrugada! O dono daquela festa estava presente, pois ele era o aniversariante, que decidiu comemorar a chegada de mais um ano de vida na presença de seus familiares e amigos. Mas, ele não sabia que horas mais tarde ele receberia um estranho presente, que deixaria toda uma família em luto e grande pranto. Tudo corria bem, o aniversariante dançava feliz e contente com várias mulheres, ele se sentia a vontade e livre, afinal de contas, era o personagem principal daquela festa. Mas, de repente, quatro homens armados entraram pelas portas daquele salão, todos eles usavam “meia calça” para esconderem seus rostos. Eles, igualmente aqueles policiais que haviam estado ali momentos antes, entraram com suas armas na mão, eu vi que cada um deles estava procurando alguém que ali estava, entre a multidão. Com seus rostos distorcidos, eles pareciam animais a procura da presa para se alimentarem, foi horrível o que vi naquela madrugada, este episódio eu nunca esqueci, lembro-me de cada detalhe. O som estava alto quando eles se aproximaram do aniversariante, e numa distância de menos de um metro, começaram atirar naquele homem, que estava ali se divertindo junto aos seus melhores amigos e familiares. Um grande desespero se apoderou daquele lugar, eu via o medo na face das pessoas, de repente copos começaram a ser quebrados, cadeiras eram jogadas pra todo lado, enquanto vários tiros eram disparados contra aquele homem, que já sem forças agonizava no chão, sentindo a morte chegar. O chão ficou coberto de sangue, garrafas eram quebradas, mulheres gritavam de medo e desespero, todos queriam sair, porém a porta ficou interditada com muita gente se esbarrando uns nos outros para escaparem com vida. Os tiros pegaram na barriga, nos braços, nas costas, nas pernas, foi uma cena horrível para mim, que tinha apenas onze anos de idade! (...Gritos, choro, pranto, desespero e muito sangue, marcavam aquele cenário que de uma hora para outra se tornou diabólico!) Meu pai, com medo que alguma coisa acontecesse comigo mandou que eu me escondesse num pequeno quarto que havia ali, próximo da gente. Mas, enquanto eu me preparava para descer do banquinho, um dos bandidos, olhando para mim, apontando a sua arma, e disparou um tiro em fração de segundos. Eu acredito que ele chegou a pensar que eu fosse o filho daquele homem que eles mataram, não encontro outra explicação.

Surgiram depois diversos comentários a respeito daquela tragédia, muitos diziam que aqueles bandidos já o procuravam há muito tempo, pois ele era do tipo “mulherengo” “conquistador” e havia se envolvido com a mulher de um daqueles assassinos. Outros comentários afirmavam ser um acerto de contas devido à compra de armas e drogas, por essa razão vieram matá-lo. Eu só me lembro que aquele homem mascarado apertou o gatilho em minha direção a fim de ceifar minha vida. Eu vi nitidamente o fogo saindo daquele revólver e jamais me esqueci desse fato que ficou para sempre gravado em minha mente. Ouvi perfeitamente o zunido da bala que passou raspando minha orelha, semelhante ao zunido das abelhas... (zummm). Senti o gelo da morte se aproximando de mim naquele momento, e saí depressa daquele lugar e fui me esconder no quarto que meu pai havia falado. Ao entrar lá eu fiquei debaixo da mesa, e ainda ouvia tiros e mais tiros, a correria era geral. Nesse momento de grande terror eu enfrentei uma batalha espiritual para esquecer as músicas que estavam tocando naquela festa e que ficaram armazenadas em minha mente, mas, eu tapava os meus ouvidos e mesmo assim, não conseguia esquecêlas, então eu orei a Deus dizendo assim: “_Ó Senhor, me faz esquecer essas músicas e livra-me da morte, eu não quero morrer aqui longe da minha mãe, esse lugar agora me dá medo, me tira daqui Senhor Jesus, me tira daqui, eu quero voltar pra minha casa para estar junto de minha mãe, livra-me ó Senhor e salve o meu pai também!” Eu queria me concentrar e pensar somente em Jesus Cristo naquela hora, pois, me lembrei da igreja, onde eu freqüentava com meus irmãos, pois sentia muito medo naquele lugar. Depois de muita insistência, comecei a repreender as músicas que estavam em minha mente para somente cantar um louvor ao Senhor Jesus. Instantes depois um lindo hino começou a fluir em minha mente, substituindo aquelas músicas que não me deixavam orar a Deus. Então me lembrei dos cultos na igreja e comecei a cantar um hino que diz assim: “... Jesus Cristo no altar Jesus Cristo no altar Onde quer que estejamos Ele sempre vai estar...” Eu repetia esses versos várias vezes, e um silêncio de repente, tomou conta daquele lugar, eu chorava muito enquanto cantava esse louvor a Deus, mas, minhas lágrimas já não eram de medo, e sim de agradecimento pelo grande livramento que o Senhor Jesus havia me dado. Acredito que os anjos do Senhor entraram naquele lugar para impedir que outras vidas fossem ceifadas, inclusive a minha, a única criança naquele salão! Louvado seja Deus!

A morte rondava aquele ambiente hostil, a poucos metros de mim, eu arrisco até dizer que ela me procurava também, pois o Senhor Jesus já tinha um plano para me usar em sua Obra gloriosa, e satanás sempre tentou impedir que eu chegasse até aqui, pois o tiro que passou de raspão em mim foi tão forte que a bala bateu na parede e voltou nas costas de uma das caixas de som de meu pai. Percebemos isso por que notamos a pintura “arranhada” e vimos que o “projétil” estava logo ali, no chão. “... O Senhor me chamou desde o ventre, desde as entranhas de minha mãe fez menção do meu nome. Fez a minha boca como uma espada aguda, na sombra da sua mão me cobriu...” Isaías 49.1-2 _______________________________________________________________ Eu não tenho dúvidas que satanás queria ceifar, não só a vida daquele homem, mas a minha também, pois a Bíblia relata que o ladrão (satanás) não vem senão para: “... Matar, roubar e destruir...” João 10:10. Mas creio com todo o meu coração que foi Deus quem enviou um anjo poderoso para “desviar” o curso daquela bala ao sair daquele revólver com destino certo: “minha cabeça”. Deus me livrou da morte aos onze anos de idade, dentro daquele ambiente hostil e tenebroso! No dia seguinte, ao saber da tragédia ocorrida naquela madrugada, minha mãe disse que se eu tivesse morrido ali jamais ela perdoaria meu pai. Lembro que ela chamou meu pai de “louco” por ter me levado a uma festa onde só tinha adultos, pois eu era apenas um menino, o caçula da casa. Meu pai se arrependeu do que havia feito e disse que se eu morresse nunca mais ele trabalharia com festas e aparelhagem de som. Que grande sufoco nós passamos! Mas graças ao Senhor Jesus nada aconteceu, pois naquela madrugada sangrenta eu fui banhado em outro sangue, o Sangue de Cristo, que nos livrou da morte! Ao Senhor Jesus seja dada toda honra, toda glória e todo o louvor, para sempre e eternamente, amém. “... Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vive e crê em mim nunca morrerá. Crês tu isso?”
(Palavras do Senhor Jesus)

João 11:25-26

CICLO II “UM JOVEM REBELDE”
A vida financeira em minha casa não era das melhores, todos precisavam trabalhar para que a família tivesse o mínimo de conforto. Lembro-me que enfrentamos uma situação muito difícil, e quase chegamos a passar fome! Mas com toda aquela crise, meu pai sempre dava um jeito de comprar mais um disco de Rock, para aumentar ainda mais a sua coleção. Papai como disse antes, era um grande fã das bandas de “Rock n’ Roll”, e com ele eu aprendi a gostar desse estilo também. Eu passava horas ouvindo as bandas de minha preferência, e a cada dia ficava mais envolvido com tudo que ouvia, na verdade não entendia muita coisa, pois as bandas que a gente mais gostava, eram bandas inglesas e americanas, e mesmo não entendendo o que os cantores falavam em suas músicas, nós nos sentíamos muito bem ouvindo cada canção. O que me encantava na verdade era o som do “Rock n’ Roll que tocávamos em nossa casa, pois era tão estridente, que certa feita, o barulho das caixas chegou a quebrar os pratos, os copos, os vidros das janelas e até o telhado, pois nossa casa era bem pequena e muito simples! Sempre que isso acontecia, mamãe ficava chateada com meu pai, que era um fanático pelo rock. A minha mãe gostava das músicas mais lentas, românticas, menos do rock "pauleira", porém, com sua paciência, ela deixava a gente escutar o tempo todo, para não arranjar uma tremenda confusão. Mamãe sempre teve paciência para conviver ao lado de meu pai. Ela sempre foi calma, tranquila, mansa, por esta razão, sabia controlar qualquer situação dentro de nossa casa. Eu fui gerado no “berço do rock” e aprendi a gostar desse estilo musical ainda no ventre de minha querida mãe. Com o passar dos anos eu fui conhecendo outras bandas de rock. Cada vez mais meu pai comprava novos discos para ouvir em casa; pois, possuía uma boa aparelhagem de som, e também sabia construir suas próprias caixas. Alguns discos eram “estranhos”, com desenhos de “monstros”, “morcegos”, “mulheres nuas” e até mesmo “demônios”. Existia algo em mim, que me levava a adorar literalmente aquelas figuras diabólicas, na verdade chegava a ser uma espécie de fascinação, havia em mim uma obsessão. Ás vezes chegava a ficar hipnotizado, e fazia vários desenhos também, todos com temas bizarros. Na verdade era o mal agindo em minha mente. Em outros momentos eu sentia uma grande tristeza, um grande vazio, e um grande medo, que sempre me oprimia, tanto que nessas horas eu pensava em suicídio. Como você pode notar, as imagens são assustadoras!

Satanás tenta de todas as maneiras desfigurar a Imagem de Deus, nos homens, nas mulheres, nos jovens, nas crianças e adolescentes! É comum encontrarmos nos discos de rock, muitos insultos á fé cristã! Satanás está vencido e derrotado pelo sangue de Jesu Cristo – O Eterno Deus Jeová!

Sem conhecimento algum, do mal que aquele tipo de música fazia; meu pai, eu e meus irmãos, ouvíamos todas as bandas de Rock que até então faziam sucesso, ou seja, nós não entendíamos nada da letra das musicas, pois eram letras em inglês, e tais bandas eram: Nazareth – Black Sabbath – Led Zeppelin – Scorpions – Kiss – Ac/Dc The Cult – Pink Floyd – Queen – Jymmy Hendrix – Afrodit Child –

O meu irmão Jefferson, era apaixonado pela música eletrônica; este estilo de música também me atraía muito; pois a tendência eletrônica havia contagiado a grande São Paulo no início de 1990, com várias casas noturnas voltadas para esse gênero musical trazido da Europa por diversos DJs e cantores da “Dance Music”. A música eletrônica é uma das vertentes do rock, muitos elementos do “Jazz” e também do “Blues” estão misturados na, “Dance Music”, “Techno” e na “House Music”. Há muito do “Rock n’ Roll” em outros estilos musicais, mas é do rock em especial que eu quero tratar neste livro.

Como relatei antes, cresci ouvindo Rock, gênero considerado polêmico mediante a sociedade puritana, mas para mim, era o melhor som do mundo e, por esta razão, me identificava com este estilo musical polêmico. Logo que surgiram as bandas dos anos 90 eu já podia comprar meus próprios discos (LP), assim fui conhecendo muitas bandas de rock através de discos, reportagens, jornais, televisão. Mas, notei algo em comum em todas estas bandas: elas traziam uma mensagem do inferno!

E com o passar do tempo, percebi que o Rock é um culto de adoração a Lúcifer, o qual era um anjo, da classe dos querubins, no Reino celestial. Lúcifer também era o principal “maestro da música celestial” quando obedecia a Deus, mas ao rebelar-se contra o Criador, logo foi expulso do céu.

Sendo assim, Lúcifer tornou-se "satanás", ou seja, o seu nome significa: "inimigo de Deus", e procura, através da música, destruir a humanidade. (Leia Ezequiel, 28)

(Eis o texto sagrado que faz alusão á queda de Lúcifer, que veio a tornar-se: satanás, o inimigo de Deus) Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: 12 Filho do homem levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-lhe: Assim diz o Senhor Deus: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. 13 Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardónia, topázio, diamante, turquesa, ónix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. 14 Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. 15Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti. 16 Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas. 17 Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti. 18 Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem. 19 Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; em grande espanto te tornaste, e nunca mais subsistirá.

LIVRO DO PROFETA EZEQUIEL CAPÍTULO 28 VERSÍCULOS 13 AO 19

Mensagem oculta transmitida pela cantora “Ivete Sangalo”, em sua famosa canção: “Sorte grande” “A minha sorte grande foi você cair do céu, é lindo o seu sorriso, o brilho dos teus olhos, meu anjo querubim...” “...Poeira levantou poeira.” O Senhor Jesus Afirma: “Eu vi satanás como um raio cair do céu” (Lucas 10:18) Obs. Lúcifer era o querubim da guarda! O maestro da música celestial!

Satanás está derrotado pelo sangue de JESUS CRISTO! Satanás é o mascote do grupo de rock: Led Zeppelin ____________________________________________________ ...o deus deste século (Lúcifer = Satanás) cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus... 2 Coríntios 4:4 _____________________________________________________ Vejamos agora outra referência bíblica sobre a queda de lúcifer no livro do profeta Isaías: (capítulo 14: 12 á 15.) 12 - Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! 13 - E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. 14 - Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. 15 - E, contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo. ...Como caíste do céu, ó estrela da manhã...? Isaías 14:12-14

CICLO III A DECADÊNCIA

Neste capítulo relatarei as tragédias acontecidas envolvendo os amantes do Rock e toda espécie de males causados por esse estilo musical tão polêmico. As reportagens que eu lia, eram assustadoras e todas elas tinham ligação com as forças ocultas. Em 1999 o cantor Marilyn Manson foi acusado de influenciar os dois jovens que realizaram o massacre no Colombine High School. Eric David Harris, 18 Anos, Dylan Klebold 17 Anos. Depois do sangrento massacre suicidaram-se. Frases escritas em um diário de Eric David Harris seis meses antes do massacre que chocou os Estados Unidos: “Quando começar a matar, há provavelmente umas 100 pessoas na escola que não quero que morra, o resto deve morrer, odeio todos por me excluírem de tantas coisas, e será melhor terem medo de mim. Ódio! Estou cheio de ódio, e gosto disso! A natureza humana é a morte". Acrescentou Eric Harris. Eric Harris escreveu em seu diário pessoal, em outubro de 1998. Seis meses depois, em 20 de abril de 1999 o massacre foi executado no Colombine High School, e, logo após, suicidaram-se. Harris” e “Dylan klebold” cometeram um dos maiores massacres da história dos Estados Unidos em 20 de abril de 1999, data do aniversário de 'Adolf Hitler'. Dois jovens armados, caçando vidas para destruí-las. Confundindo a realidade com um jogo de vídeo-game! O cantor Marilyn Manson foi acusado de influenciar os jovens terroristas.

“Eu sou tão americano que te venderia Suicídio” Trecho da canção: "Irresponsible Hate Anthem"- do álbum: Antichrist Superstar = Anticristo Superstar

Lembra-te também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento. Eclesiastes 12:1

Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo. Salmo 23:4

Muitos jovens já morreram por causa do rock, influenciados pelas letras das canções que, em sua maioria, abordam temas satânicos. Citarei a seguir alguns depoimentos e declarações dos trechos de músicas que falam sobre Rock, Mortes, Crimes e Suicídios. São muitos os delitos comprovadamente relacionados não só ao rock, mas aos ritmos dos mais variados que tem surgido nestes últimos anos em geral. A imprensa tem se encarregado de publicar crimes dos mais hediondos, dos mais perversos que se tem noticia. Segue uma lista de alguns destes crimes, noticiados pela mídia impressa e eletrônica. Em agosto de 1969, Charles Manson e sua gangue, chamada 'a família', assassinou a atriz Sharon Tate, que estava grávida de oito meses. Manson, que acreditava ser o próprio Cristo encarnado, cometeu a barbárie de matá-la e a todos os seus convidados, depois de invadir a residência da atriz na Califórnia. Sharon Tate estava grávida quando foi vítima de um ritual satânico! Charles Manson frequentava a “SATAN CHURCH” A IGREJA DE SATANÁS, fundada em 1966, por Anton La Vey. CALIFÓRNIA – EUA. Influenciado pelas músicas dos Beatles, Charles Manson ouvia muitas vozes dizendo a ele: “Mate os porcos”. Para ele, os porcos, seriam as pessoas ricas, famosos e celebridades de alta classe.

Porque a tristeza segundo Deus, opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte. 2 Coríntios 7:10

Rock, Mortes, Crimes e Suicídios O satanista Richard Ramirez, conhecido como Night Stalker (caçador da noite), assassino serial psicopata que aterrorizou a Califórnia na década de 80 (sua prisão foi decretada em Setembro de 1985), tendo matado mais de 14 pessoas e violentar 19 mulheres, se declarou um grande fã do AC/DC, afirmou matar influenciado pelas letras da banda. Nos locais dos crimes, foram encontradas estrelas de 5 pontas (pentagramas) desenhadas nas paredes. Na casa de uma das vitimas a polícia norte-americana encontrou o boné de beisebol do assassino, com as letras AC/DC. Em San Antônio, Texas, um garoto de 16 anos matou uma tia a punhaladas e contou a policia que no momento do crime estava hipnotizado pela musica do Pink Floyd, não podendo sequer se lembrar do ocorrido. Rock, Mortes, Crimes e Suicídios Em 12 de abril de 1985, um garoto fanático por Heavy Metal de 14 anos matou três pessoas. O garoto que tinha tatuado um grande 666 no peito informou estar dominado por Eddie- mascote do Iron Maiden, quando cometeu os assassinatos. Em 1987 foi capturado o assassino serial, ocultista e canibal Gary Heidnik, Em sua casa na Filadélfia os vizinhos escutavam Heavy Metal durante todo o dia.

Rock, Mortes, Crimes e Suicídios Na madrugada de 06 de janeiro de 1985 em São Paulo, Roberto Agostinho Peukert Valente, um jovem de 18 anos, quando ouvia música rock tarde da noite, ficou totalmente fora de si, ao ser repreendido pela mãe. Irado, depois de 20 minutos, acabou matando os pais e mais 3 irmãos a tiros e facadas. 07/01/1985 - Depois de preso, foi apurado que era aficcionado pelo som das bandas Chilliwack do Canadá, Yes, Eletric Light Orchestra e Pink Floyd. (Isto É: 16/01/1985, Jornal da Tarde: 13/07/1985, Folha da Tarde: 13/07/85). Monica Granuzzo Pereira, estudante carioca de 14 anos de idade, foi assassinada por 'apreciadores' do Heavy Metal (rock pesado), que segundo se relatou na época, ouviram vários destes discos antes de cometerem o crime. Os pais do garoto Steve Boucher, que se suicidou com um tiro na cabeça, tentaram processar a banda AC/DC dizendo ser a musica Shoot to Thrill a responsável. O garoto se suicidou, sentado sobre um pôster da banda. Em Fevereiro de 1986, foi encontrado o corpo enforcado do garoto Phillip Morton, enquanto ao fundo o disco The Wall (com a músicas: Goodbye Cruel World e Waiting for the Worms) tocava continuamente.

Em outubro de 1984, John McCollum, de 19 anos, se matou com um tiro na cabeça enquanto ouvia "Suicide Solution" (A solução Suicida), de Ozzy Osbourne. Ele ainda estava com fones de ouvido quando o corpo foi encontrado. (Folha de São Paulo: 23/01/1986). Em dezembro de 1985 dois garotos de 18 anos, Raymond Belknap e James Vance, depois de ouvir "Beyond the Realms of Death" (Judas Priest), foram ao playgroud de uma igreja próxima e se suicidaram com tiros de espingarda. Os pais tentaram mover uma ação contra a banda. Dennis Bartts, 16 anos, de Center Point, Texas informou a um amigo que pretendia encontrar Satan, foi ao campo de futebol da escola e se enforcou na trave enquanto ouvia "Highway do Hell" (AC/DC) em um walkman. Em 9 de Janeiro de 1988, Thomas Sullivan, 14 anos, fã de Ozzy Osbourne, cortou a garganta da mãe e se suicidou.

O SUICÍDIO

O suicídio nada mais é que, o ato de tirar a própria vida, ou matar a si próprio, em outras palavras o suicida também é homicida. A prova de que a música rock contribuiu para o aumento do suicídio entre os jovens, é que entre os anos de 1952 e 1962 o índice de suicídios aumentou 50%. Coincidência? As pesquisas já mostraram que 18% dos suicídios praticados na juventude, entre outros atos de violência, devem ser atribuídos à influência do rock' n Roll. O suicídio hoje já é a terceira causa da morte de jovens e adolescentes, só perdendo para os acidentes e os homicídios. Várias são as referências diretas e indiretas subliminares a respeito do suicídio em quase todos os estilos de música, em especial no rock.

AC / DC AC = Anti Christ: Anticristo DC = Death to Christianity: Morte ao Cristianismo.
A faixa "Wanted for Murder" (Procurado por assassinato) preferida pelo jovem Steve Boucher teria sido a causa de seu suicídio.

Anthony Kiedis Integrante do grupo Red Hot Chilli Peppers fez o seguinte desabafo no fim de uma 'turnê': "Nunca pensei tanto em me matar como nos últimos tempos." _______________________________________________

Blue Oyster Cult Na música intitulada "Don't fear the reaper" (Não tema o ceifador) eles aconselham uma jovem que está pensando em suicidar-se: "Baby, tome a minha mão. Não tenha medo de satanás. Baby tome a minha mão”. No fundo se ouve as palavras "Don't fear the reaper" - “Não tema o ceifador” sendo repetidas várias vezes. _______________________________________________

Deborah Harry Integrante do grupo de punk rock "Blondie" tem uma música que diz: "Morra jovem e fique bonita, não fique velha e feia, você, morra jovem e fique bonita".

...O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância... JOÃO 10:10

CICLO IV NAS ASAS DA PROMISCUIDADE

Tentando entender o que os cantores diziam nas músicas, comecei a estudar inglês em minha própria casa, através de livros, revistas, fitas k7, e vídeos. Aos 12 anos de idade eu comecei a fumar, e logo fui perdendo o desejo de estudar; e assim comecei a faltar na escola, pois estava sendo dominado pelas influências satânicas do mundo do “Rock n’ Roll” que sempre pregou a inversão de valores. Entrei pelo caminho da prostituição aos 14 anos, e já bebia muito com os “amigos”. E, tentando viver “livre” e em “paz”, sem dar ouvidos aos meus pais, na verdade eu caminhava para o fundo do poço a cada dia que passava. Profanei o leito de meus pais com uma “namorada”, eu com 14 e ela com 12 anos de idade, na época nós nos sentíamos “adultos” e muito “responsáveis” longe dos nossos pais. Quando completei 15 anos eu abandonei a escola, minha mãe ficou muito triste com essa má decisão, e em casa, eu brigava diariamente com minha mãe e discutia com meus irmãos; eu sempre dizia para a minha mãe: “Eu odeio viver, eu quero

morrer, eu não pedi para nascer”.
A minha mente foi apagando em ritmo acelerado, sem que percebesse, pois, não havia em mim forças para raciocinar acerca do perigo que me cercava, porém, minha avó Iracy, sempre orava por mim, para que o Senhor Jesus mudasse a minha vida. E as suas orações foram atendidas!

Louvado seja Deus! Aleluias! Hoje estou aqui para contar este testemunho!

“A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” Tiago, 5:16

Com dezesseis anos de idade, ainda um franzino adolescente, meu tio Neco, levou-me a um prostíbulo, na cidade de Santo André, região do grande ‘ABC’ paulista. Meu amigo Sérgio estava presente, ele era o meu grande companheiro no período de minha adolescência, foi ele quem, em 1995, me apresentou ao Sr. José Carlos, gerente do “Mc Donald´s”, que me deu a chance do meu primeiro emprego com carteira assinada. Naquele dia tudo foi muito estranho para mim. Naquela época, o meu amigo Sérgio procurava uma casa para alugar. Nós saímos de casa pela manhã e procuramos várias casas para o Sérgio, andamos por muitos lugares, compramos jornais, pesquisamos, interrogamos diversas pessoas, a fim de encontrarmos uma casa para ele alugar e de tanto procurarmos pela tal casa, o dia passou sem que percebêssemos. Já bastante cansados, olhamos para o céu, e lá estava a grande lua a iluminar a noite. (Neste mesmo ano, embora eu estivesse feliz e muito satisfeito com o meu primeiro emprego, eu perdi uma das pessoas mais importantes de minha vida: O meu querido Avô ‘Manoel Lúcio’, que morava em São Vicente, no litoral paulista.) Nessa época nós já bebíamos demais, confesso que durante aquele dia bebemos muita cerveja e algumas “caipirinhas”, o que fez nossas mentes mudarem os planos, lembro-me que meu tio estava de férias quando resolveu nos levar á cidade, como nós não conseguimos achar uma casa para alugar, meu tio que era o “responsável por nós”, decidiu nos levar a uma “casa de prostituição!” Estávamos sentados num balcão de um bar, quando meu tio, já meio “Tonto”, disse assim: Hoje eu vou apresentar vocês para as minhas amigas e não quero que vocês me façam passar vergonha, eu confio em vocês, Vocês são homens, não vão me decepcionar, por favor. Aquelas palavras me deixaram com certo receio, pois em minha mente surgiam diversas cenas boas e ruins, porém, eu não podia controlar a ansiedade, era o medo e a adrenalina, funcionando em meu ser. Afinal era a primeira vez que eu entrava num prostíbulo, e, sem experiência nenhuma, nem mesmo noção do que havia lá dentro, cada vez mais eu bebia para tentar me controlar. Lá dentro o ambiente era hostil: Luzes neon, música Techno, mulheres nuas se jogando em cima de qualquer um que entrasse ali, muita fumaça de cigarro e outras drogas, bebidas circulando a vontade, várias bandejas indo e vindo em todas as direções. Pude observar lindas mulheres, ainda muito jovens, todas alugando seus corpos por “dinheiro”. A dona da casa, ou seja, a “cafetina” tinha boa aparência e era muito séria, ela também fazia programas com qualquer um que lhe pagasse muito bem. Nós estávamos muito cansados, porém, tinha algo que nos prendia naquele lugar, e logo começamos a dançar entre as mulheres. O “espírito da sensualidade” rondava naquele local, era algo muito forte, por esta razão é que, muitos homens deixam ali o salário do mês inteiro, (só não deixam ali suas calças para não chegarem a casa sem elas). Lembro-me que um “carteiro” entrou naquele ambiente, para visitar as mulheres após seu dia de trabalho, pois ele ainda usava o uniforme do serviço, mas isso não impediu que ele ficasse a vontade.

No local, numa sala escura, havia uma máquina de som, onde as prostitutas não paravam de colocar “fichas” para selecionarem as suas músicas prediletas. E enquanto o som rolava forte e bem alto, aquele carteiro foi atacado pelas mulheres, eu vi o momento quando várias prostitutas avançaram nele, e abrindo a sua bolsa, curiosas, elas diziam: “Que maravilha! Vamos abrir essa bolsa, para a gente ver se tem dentro dela alguma cartinha para nós.” Nesse momento, aquele carteiro via aquelas mulheres rasgando muitas correspondências, elas rasgaram várias cartas que estavam na bolsa dele, complicando assim a sua situação, enquanto uma delas tentava beijá-lo, na intenção de seduzi-lo para arrancar-lhe dinheiro, as outras rasgavam várias cartas. Sem nenhum receio, elas se divertiam com aquela brincadeira. O carteiro ficou apavorado, pois teria que assumir sozinho, a responsabilidade de ter dado um fim ás cartas. Naquele prostíbulo, eu vi muitos homens sendo levados para dentro dos quartos, de mãos dadas, alguns embriagados, outros hipnotizados pelas curvas daquelas “fregas”, a fim de satisfazerem os desejos da carne. As mulheres dançavam sem parar e observavam aqueles que chegavam para faturar o seu dinheiro, entre elas havia uma linda jovem de cabelos longos, ela me olhou, uma, duas, três vezes, eu ali, apenas admirava a sua beleza, pois para mim, ela era uma das mais bonitas que ali estavam e também a mais nova. Meu tio, embora estivesse bêbado, mas experiente, me disse: “_se você não for para o quarto com aquela garota, a partir de hoje você não é mais o meu sobrinho”. Ainda disse mais: “_Aqui é lugar de homem! Você tem que mostrar que é homem! Nunca deve fugir das mulheres, nunca!” Depois destas palavras, eu pensava muito nas garotas, com quem eu já havia “namorado”, pois aquela experiência era nova para mim, nunca antes eu havia estado num “antro de perdição”, tão jovem! Então eu ficava pensando: fazer sexo com uma jovem prostituta? Com apenas dezesseis anos de idade, eu estava num “bordel”, sob a “luz vermelha”, onde as mulheres fazem “sexo por dinheiro”, e não por amor, mas por pura “ganância”, “avareza” e “vaidade”. Depois de muito tempo, já embriagado, sob o efeito das bebidas alcoólicas, e depois de consumir muitos cigarros, pois eu já havia fumado um maço inteiro durante o dia. Eu sentei num sofá, e apenas observava o movimento daquele lugar. Algum tempo depois, uma daquelas mulheres se aproximou de nós e, como de costume, começou a oferecer o seu “serviço”. Nesse momento, o meu amigo propôs a ideia de levarmos uma delas para o quarto para fazer “sexo a três”, porém, eu disse que não toparia fazer tal coisa, jamais participaria dessa “orgia”, mesmo reconhecendo meu estado de embriaguez. Meu tio, que já estava completamente bêbado, decidiu ir a um caixa eletrônico para tirar dinheiro, pois no seu bolso já não havia mais nenhum centavo! Aquelas mulheres não deram mole, elas o deixaram sem nada!

Elas pediam bebidas, cigarro, cervejas, e com isso os seus clientes iam à falência! Nós tentamos fazê-lo desistir dessa ideia, porém, ele não deu ouvidos à nenhum de nós. Minutos depois, ele tentou negociar um “programa” com a dona daquela casa. Depois de muito tempo, eu decidi que entraria num dos quartos com aquela garota que sempre me olhava. Ela me contou que tinha vinte anos, e que sua vida não era nada fácil ali. Com seus seios á mostra, usando uma saia “transparente” e meia calça preta, ela percebeu tudo, pois era experiente demais para um adolescente de dezesseis anos, que literalmente, estava naquele lugar como um “marinheiro de primeira viagem”. Ao pagar no “caixa” o preço da prostituição, que na época não foram “trinta moedas de prata”, mas, “trinta reais”, a dona da casa disse ao meu tio que eu era muito novo para estar ali, alegando que o local era “impróprio para menores”, e que só era permitida a permanência de adultos naquele lugar. Na verdade ela não quis dizer: “adultos” e sim, “adúlteros”. Horas depois, meu tio explicou a ela que havia me levado ali para que eu me tornasse “homem de verdade”, pois, segundo ele, um rapaz só se torna homem de verdade dentro de um “cabaré”, com mulheres experientes que fazem de tudo. Logo após entrarem num “acordo”, aquela cafetina me liberou para que eu entrasse em um dos seus quartos, e aquela linda garota me acompanhou, olhei para trás, e lá estava o meu amigo Sérgio, sem camisa, com um cigarro na mão, bêbado, tentando ficar em pé, enquanto dançava com uma daquelas mulheres. Eu senti uma sensação estranha em meu corpo, que nunca consegui explicar, senti que ali era um pedaço do “inferno”, e as almas estavam amarradas, hipnotizadas, seduzidas, escravizadas por uma força invisível, porém real! Quando entramos no quarto, nós tomamos banho juntos, e percebi que já não havia mais timidez em minha pessoa. Confesso que fiquei “encantado”, pela magia daquele lugar. Aquela garota me contou um pouco de sua história, e eu, com a minha mente ainda “sã”, escutava o seu testemunho de sofrimento. Ela contou-me que saiu da casa dos seus pais, pois queria vencer na vida, porém, não encontrando um emprego “honesto”, depois de bater em tantas portas, e recebendo um “não” em cada esquina, então ela, a convite de uma de suas amigas, começou a se prostituir para pagar as suas contas, me disse também que a única porta que se abriu pra ela foi ali, onde, segundo ela, vivia bem, naquele lugar hostil, cheio de pessoas maliciosas, capazes de tudo para se darem bem na vida. Ela havia chegado ali, fazia poucos meses. Depois de uma longa conversa, ela confessou ser uma mulher “vazia”, “triste” e “solitária”, pois o grande amor de sua vida casou-se com outra mulher, deixando-a “desiludida”, “arrasada” e completamente sem “rumo” na vida. E, com tamanha tristeza no peito e um profundo ódio no coração, ela passou a viver ali, “trabalhando” como uma prostituta. Por dentro ela estava aos “cacos”, completamente despedaçada. Por fora, ela mantinha a “aparência” para conquistar os “clientes” com seu charme e sua beleza física, e seu olhar sedutor, embora triste.

Praticamos a iniquidade juntos, viajamos nas mais densas trevas; descemos junto, ás profundezas do inferno. Entramos num mundo proibido, num lugar tenebroso, onde a alma fica aprisionada, e nosso espírito se abate, na ânsia de ser livre da opressão que lhe assola. É mesmo assim que se sentem, todos aqueles que se prostituem, embora escondam dentro de si essa realidade! O prazer da carne torna-se um laço para a alma, quando esta se encontra longe da graça e da misericórdia que vem das mãos do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo , O Eterno Deus. Eu, tão jovem, sem saber que aquele mundo existia, estava ali, vendo homens e mulheres se entregando á perversão sob a luz vermelha, e me sentindo muito estranho naquele lugar. As doses de whisky serviram-me de “anestésico” para que ali, eu pudesse assistir tudo, e até mesmo participar daquela “festa promíscua”, esta foi a minha primeira e única experiência num prostíbulo! Uma hora depois, nós saímos daquele quarto, pois nosso tempo já havia se esgotado, e confesso que não senti praticamente nada, pois estava embriagado, mas ainda consciente. Após tomarmos um banho novamente, eu vesti minha roupa, cheio de interrogações em minha mente, porém dentro de mim, uma voz me dizia: “missão cumprida”. Eu fui a um lugar estranho nesta viagem, para provar que sou “Homem”! Quanta ignorância de minha parte! Quantas tolices nós cometemos por falta de experiência e também por não obedecermos à palavra de Deus! Quantos jovens hoje, estão na prostituição, buscando nela, o que jamais irão encontrar: “A paz”. O sexo só satisfaz a carne, jamais poderá preencher o vazio da alma! O vazio da alma só é preenchido pelo Senhor Jesus! Só Jesus tem a paz! O sexo é uma dádiva de Deus aos casais que vivem em comunhão e respeito mútuo, não é um tipo de “Diversão” ou “Lazer”. O sexo foi planejado por Deus, para que ambos, homem e mulher possam desfrutar desta benção, unidos pelo sagrado matrimônio.

O matrimônio seja honrado por todos, e o leito conjugal, sem mancha; pois Deus julgará os libertinos e os adúlteros. Hebreus 13:4

Quando saí daquele quarto, meu tio e meu amigo Sérgio, que me esperavam lá fora, sorriram pra mim, e disseram: “_Conte-nos, como foi a sua experiência”? Então, contei a eles que tudo correu muito bem, e que não me assustei com nada. Mas, a verdade é que dentro do meu coração, pelo fato de já ser um “escolhido de Deus”, mesmo andando pelo “Vale da Sombra da Morte”, ali, eu senti grande pena daquela garota de programa. Aquela linda garota estava ali, para ser “Usada”, por qualquer um que pagasse por seu “serviço”. Confesso que durante muitos dias, depois que estive naquele lugar sombrio, ao lembrar-me de tudo o que eu vi naquele ambiente hostil, ao lembrar-me da nossa conversa naquele quarto sujo e tenebroso, eu chorava escondido, tentando entender que tipo de vida aquelas mulheres levavam ali, vendendo e desprezando seus corpos. Lembro-me que aquela linda jovem havia me falado que eu era ainda um “menino”, e que não faria nada comigo, por causa da minha pouca idade. Estas palavras ficaram em minha mente. Então com o passar do tempo eu percebi que as pessoas que estão nessa vida, são pessoas comuns. Eu compreendi que elas precisam ser amadas, respeitadas e acolhidas com muito amor, pois o próprio Jesus, sendo o Deus Eterno, ao encontrar-se com uma mulher adúltera, teve pena dela. E com seu poder, ele expulsou "sete espíritos demoníacos" que usavam o corpo dela na prostituição e no adultério. Estas pessoas precisam de atenção! E você meu caro leitor, daria ouvidos a uma prostituta? Você passaria horas conversando com ela, para entender melhor a razão de ela viver assim?Pequenos gestos causam grandes efeitos! Pense nisso!

O SEXO NÃO PREENCHE A ALMA VAZIA! SÓ JESUS TEM A PAZ...
Eu falei do amor de Deus para aquela jovem prostituta, ali mesmo, sentado em sua cama. E durante muitos anos, todas aquelas “cenas” permaneceram nítidas em minha mente. ...E algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual saíram SETE DEMÔNIOS. Lucas 8:1-3

CICLO V “NO VALE DA SOMBRA DA MORTE”

Em 1997 eu conheci uma banda de Rock muito polêmica; cujo líder é
satanista convicto e também efeminado. Esta banda usa dois nomes de personalidades que entraram para a história dos Estados Unidos: Marilyn Monroe e Charles Manson. Este grupo tem como figura central "Marilyn Manson". Em 1994 Marilyn Manson foi consagrado "Reverendo" da Igreja de Satã pelas mãos de "Anton Szandor Lavey" Fundador da primeira igreja de satã (Satan Church) na Califórnia, EUA. Eu vivia perturbado e completamente sem rumo na minha vida, eu ouvia Rock vinte e quatro horas por dia. Cheguei a queimar dez vezes o mesmo cd intitulado: "Anticristo Superstar". Eu comprava-o na loja, escutava até ficar com desejos de suicídio, depois eu queimava-o com vontade de me libertar daquelas canções de louvor ao diabo, mas, não conseguia. Com o passar do tempo, alguns dias depois, eu comprava novamente o mesmo cd, e outra vez queimava-o, isso acontecia repetidamente, queimava e comprava novamente. Tanto que meus amigos começaram a perceber que havia algo estranho acontecendo comigo, porém eles não sabiam o que realmente havia em minha mente. Eu passava madrugadas inteiras traduzindo as letras de rock, e depois, ao deitar-me, vinham os pesadelos horríveis, e assim, a minha mente ficava perturbada. Eu pensava todos os dias em suicídio, algumas vezes eu até comentava com a minha mãe, mas os pensamentos estranhos e as coisas esquisitas continuavam acontecendo. Nesta época, todos os meus amigos também eram amantes do Rock, quando eles nãos estavam em minha casa, eu estava na deles, puramente com a mesma finalidade: ouvir o Rock. E durante essas reuniões aconteciam coisas esquisitas. Lembro-me de certa noite, quando nós estávamos reunidos na casa de um de nossos colegas, e conversávamos sobre o nosso futuro, sobre o que seríamos nos anos seguintes, ali compramos uma garrafa de vinho para “comemorar” aquela que julgávamos “hora feliz”. Nós bebíamos e conversávamos enquanto o som Rock tocava no aparelho. Alguns de meus amigos ainda não fumavam, nem haviam ainda experimentado algum tipo de droga, mas, sob má influência de minha parte, experimentavam ás vezes um e outro cigarro, isso era normal para nós, pois estávamos cegos e longe da verdade, ou seja, longe de Jesus Cristo.

As músicas de Marilyn Manson estavam em nossos lábios diariamente, não conseguíamos nos libertar daquela vida suja e vazia, na qual, todos nós estávamos. Por mais que lutássemos, nosso esforço era em vão. Quando descobrimos que isso nos fazia mal, queimamos vários CDs de Rock, porém era inútil esta atitude, era algo além de nossas forças, pois havia uma luta espiritual que não sabíamos de onde vinha. Certa vez, meu primo percebeu que nós estávamos afundando mais e mais no consumo do álcool e no vício do Rock. Nós buscávamos “paz” interior, mas parecia que ela fugia de nós o tempo todo. Lembro-me que certa feita; lemos em uma revista especializada em Rock, na seção de anúncios, a seguinte frase: “Procura-se satanistas” Este anúncio era de um jovem roqueiro, procurando músicos para montar sua banda de “Trash Metal”. Ao lermos aquele anúncio, nós ficamos surpresos em saber que alguém era capaz de adorar o próprio satanás. Quanta cegueira espiritual havia em nós naqueles dias! Nós estávamos percorrendo pelos caminhos da morte! Nessa época, eu já entendia o inglês, por isso eu traduzia as letras das musicas de Rock que escutávamos. Às vezes ficávamos chocados com certas traduções, pois muitas músicas falavam de tristeza e solidão, também mortes, sexo, pornografia, crimes, e até suicídios. Depois que fui tomando conhecimento das letras das musicas do Rock que eu escutava, passei a ter sonhos e pesadelos ainda mais terríveis.

METALLICA:
Espalhando Rock e Satanismo para os jovens!
…Its just the beast under your bed… In your closet In your head... Tradução: (...A besta está debaixo da sua cama Em seu guarda roupa Em sua cabeça...)

Trecho da canção: “ENTER SANDMAN”

Eu sentia desejo de suicídio todas as noites, eu imaginava que tirando a minha própria vida eu estaria em paz, mas tudo isso não passava de uma grande investida do diabo para me levar para o inferno. À medida que o tempo passava fui ficando cada vez mais fissurado por coisas estranhas, cheguei ao ponto de desenhar figuras de demônios no meu quarto, pintava cenas de lesbianismo, satanismo, escrevia letras de música com teor mórbido, triste e depressivo. Eu tentei procurar por livros de bruxaria, pois em meu coração nasceu um desejo de ser bruxo, para ter “poderes sobrenaturais”, sucesso, dinheiro e fama. Comecei a ouvir vozes, elas me chamavam mesmo estando sozinho, isso acontecia em qualquer lugar, em casa ou nas ruas, as vozes chegavam a meus ouvidos, misturadas com as músicas de rock que escutava e a cada dia que passava me sentia mais vazio por dentro. Em minha mente estava claro que os efeitos do Rock eram tristeza, pesadelos, angustia e desejos de morte. Eu estava completamente dominado pela força das trevas, e mesmo queimando os meus CDs de Rock, nada adiantava. Pra mim era como se fosse o meu alimento, sentia-me um drogado, aprisionado pelo rock, principalmente o CD de “Marilyn Manson” intitulado: Antichrist Superstar. Já não havia mais amor por mim mesmo, meu sentimento era puro ódio e muita vontade de morrer. Na televisão, pelo canal da “MTV-MUSIC TELEVISION” diariamente o rock e o satanismo são propagados livremente para crianças e adolescentes do mundo inteiro. Com isso o diabo conquista a mente e o coração daqueles que são o futuro do mundo. A MTV – MUSIC TELEVISION - é uma emissora que transmite uma filosofia totalmente contrária à vontade de Deus, destruindo moral e espiritualmente jovens e crianças. Eu estava tão envolvido com o rock, que procurava formar uma banda para cantar com os “amigos”, mas, depois de muito tempo, tentando ser igual aos cantores de rock, nada deu certo! Minha vida não tinha sentido algum, era desregrada, vivia embriagando-me diariamente, o desprezo era total, virei um escravo dos vícios e do rock, me sentia acorrentado pela música satânica.

A DEGENERAÇÃO

No ano de 1997, fui à festa de aniversário de uma criança, e lá, ironicamente, tinha muita bebida alcoólica. Eu tinha 17 anos nessa época. Na festa, como de costume, eu comecei a beber sem parar, pois queria ficar "alto". Lembro-me que após ter tomado muitas doses de "batida", "caipirinha" e “cerveja”, a minha mente fora se apagando, então eu comecei a me sentir muito estranho. Eu fui a um tanque, para molhar meu rosto, para que assim, eu pudesse "despertar" um pouco, mas nada adiantou, pois minha mente já não registrava mais os meus passos, ora eu estava em um lugar, ora em outro, eu estava perdido, e minha mente ficou confusa, com tanta bebida alcoólica que eu consumi naquela festa. Eu não sentia mais os meus pés no chão. Lembro-me que eu tentei chegar ao banheiro da casa, mas, sem forças, eu passei a engatinhar, e logo passei a andar de quatro! Meu corpo estava estranho, “pesado”, eu ouvia vozes bem longe, risos de escárnio, zombando de mim, pois meu estado era caótico. Eu tentava chegar ao banheiro, “engatinhando”, como uma criança. Naquela noite, o “Bob”, um colega meu, apareceu por lá, com um cigarro de maconha. Eu dei uns tragos e a minha situação ficou ainda pior. Ao entrar na sala daquela casa, pensando que fosse o banheiro, percebi que ali havia uma garota, que estava sentada no sofá, sozinha. Neste instante, eu tentava me aproximar dela, e de repente, muitas imagens estranhas começaram a surgir em minha mente. Eu comecei a conversar com aquela menina sem receio nenhum, ela falava comigo naturalmente, mas, para mim sua voz me parecia muito distante, pois eu estava totalmente embriagado, e com meus sentidos, completamente distorcidos, descontrolados. Para mim, ela não era uma simples menina, eu a enxergava como se ela fosse uma pessoa adulta. Lembro-me que eu comecei desejá-la sexualmente, e de repente, várias cenas eróticas surgiam em minha mente. Foi tudo muito rápido que eu não conseguia me controlar, o mais estranho de tudo é que eu me sentia dominado por uma “força sobrenatural”, da qual eu não podia me livrar. Em minha mente distorcida pelo efeito do álcool e da maconha, aquela pobre menina parecia ser uma mulher, com a qual eu deveria ter relações sexuais.

Ainda engatinhando pelo chão, cada vez mais eu tentava me aproximar dela. Na verdade, eu estava sendo possuído por um “espírito satânico”, o qual tentava me levar a cometer um “estupro”. “...he lives inside my mouth tells me what to say...” Tradução: “... Ele vive dentro da minha boca e me ensina o que devo falar…”
(Trecho da canção de Marilyn Manson, intitulada: Kinderfeld - Jardim da Infância)

_____________________________________________________

Dominado por uma “força diabólica”, em minha mente não havia nada, além de um forte desejo de violentar aquela pequena garota, que eu imagina ser uma mulher de verdade. Eu percebi que alguma coisa havia se “incorporado” em mim. Eu percebi que a minha voz havia mudado, meus ouvidos captavam um tom diferente em minhas palavras, mas era eu mesmo ali, em carne e osso, desejando sexualmente uma “inocente criança”. O tempo passava, e esse “espírito satânico”, que dominava a minha mente, me mandava “estuprar” aquela garota. Eu ouvia as vozes dizendo: “_Agarre-a” “_Beije-a” “_Deite-se com ela” “_Toque nela”

Enquanto todos da festa estavam lá fora, eu estava dentro da sala, de quatro, no chão, como um animal, e ouvia bem longe, muitas vozes, diferentes, distintas umas das outras. De repente, apareceu alguém na porta da sala, pelo lado de fora, e me viu conversando com aquela garotinha de apenas 10 aninhos de idade. Ela era a dona da festa, a aniversariante, e satanás, aproveitando-se do meu estado lastimável, usando a minha mente, e me fazia acreditar que aquela simples garotinha, era já uma mulher, com a qual eu poderia ter relações sexuais ali mesmo, naquele sofá.

Momentos depois, muitos apareceram na porta e começaram a rir de mim, perguntando se eu estava "ficando louco" por estar conversando com aquela garotinha, que cansada de tanta folia, acabou pegando no sono, mas, para mim, ela estava acordada. Alguns minutos depois, a minha mente apagou por completo. Quando a festa acabou, meu primo me levou "arrastado" para casa, e quando fui deitar-me para dormir, bati sem querer o meu pé na cabeça do meu pai, e ele, muito bravo, perguntou-me: "você está bêbado"? Eu, nada respondi, apenas deitei-me e adormeci. Dias depois, quando eu estava numa outra festa, também bebendo muito e acompanhado de minha “namorada”, os meus colegas me mostraram um vídeo, e nele estava eu, sentado numa cadeira com o rosto desfigurado, completamente embriagado, com aspecto diabólico, e muitas pessoas jogando bolo em mim, e outras ainda me molhando com vinho e cerveja. Tudo isso aconteceu momentos depois de eu estar na sala com aquela garotinha. A minha mente apagou literalmente, e eu perdi os sentidos, assim, não me lembrava de mais nada do que aconteceu. No vídeo, as imagens eram assustadoras, ao assisti-lo, eu senti pena de mim mesmo. Muita gente ficou estarrecida com o que viu, e minha querida mãe, que também assistiu a todas aquelas cenas, chorou, sentindo muito desgosto! Eu não me lembro de nada, só sei que isso aconteceu por que foi registrado em um vídeo. Lembro-me que o rapaz que filmava tudo com sua câmera, disse-me que levaria esse vídeo para um programa de TV, famoso por denegrir a imagem do ser humano, principalmente quando este se encontra em estado deplorável.

O ANJO LEONARDO

Em 1999 eu conheci uma pessoa muito inteligente e especial, o meu amigo Leonardo, esse cara, de espírito alegre e jovial, sempre me convidava para ir á igreja, onde ele frequentava, num bairro muito humilde da cidade de Suzano, na grande São Paulo, lembro que o conheci, quando consegui um emprego numa multinacional. Na cidade de Suzano. Nessa ocasião trabalhávamos no mesmo setor, assim, cada dia nós nos conhecíamos mais e mais, e nossa amizade se fortalecia, ele era animado, contente, alegre e de bem com a vida, ao passo que eu era um jovem “Perturbado”, “Oprimido”, “Cheio de Frustrações”, com apenas 19 anos de idade. Nessa época eu vivia “rastejando”, tentando encontrar uma razão para viver, e por várias vezes fui convidado pelo Leonardo, para participar dos cultos em sua humilde igreja. Mas, com meu coração endurecido, e sem nenhum interesse pelas maravilhas do céu, eu rejeitava a todos os seus convites, desprezando a palavra de Deus, pois só desejava viver somente de “sexo, drogas e rock ‘n’ roll”. Assim, depois de algum tempo, meu amigo já não me convidava mais com tanta insistência, pois percebera que o meu coração ainda estava ligado a esse mundo de pecados e ilusões. Nessa época eu tentava parar de fumar, pois me sentia um “escravo” dos vícios, e realmente o cigarro me escravizou durante dez anos, confesso que eu chorava para abandonar esse vício maligno, minha vontade era tamanha que cheguei a ficar “três meses” sem colocar um cigarro na boca! Foram noventa dias de abstinência total! Foi muito difícil para mim, que já estava dominado pelo vício, mas eu consegui! Só que essa alegria durou pouco tempo, pois, numa noite, em uma “casa noturna” que, na ocasião celebrava o “Halloween”, o dia das bruxas, me envolvi com uma mulher. Ela era a tia de um dos meus colegas, e nessa ocasião, o meu primo já havia me apresentado a ela, então, logo que nos conhecemos, tão rápido, marcamos um encontro, e tudo ocorreu de um jeito tão estranho que, confesso: fiquei até sem jeito! Naquela noite, dentro daquele baile, depois de lutar contra os meus próprios desejos carnais, e observar muitas pessoas, bebendo e fumando naquele ambiente hostil, eu quebrei aquele “jejum” de três meses. E assim, decidi que voltaria a fumar só aquela noite. Eu voltei a fumar por causa daquela mulher que me acompanhava, naquela noite. E cheio de malícia em minha mente, eu pensava só em fazer “sexo” com ela, o que mais um jovem aprisionado pelo pecado poderia pensar?

Depois de algum tempo, eu já estava com um cigarro na boca e uma latinha de cerveja na mão! Assim, na mesma noite, voltei a “beber”, “fumar” e a me “prostituir”, depois de três meses tentando mudar de vida por conta própria, sem contar com a ajuda de Deus, pensava que eu poderia resolver meus problemas sozinho, sem a ajuda de Deus, mas eu estava completamente enganado. Ora, havendo o espírito imundo saído do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso, e não o encontra.

Então diz: Voltarei para minha casa, donde saí. E, chegando, acha-a desocupada, varrida e adornada. Então vai e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele, e entretanto, habitam ali; e o último estado desse homem vem a ser pior do que o primeiro. Mateus 12:43-45

Quero relatar aqui sobre dois colegas que, também amavam o rock, ‘Ricardo e Reginaldo’. Eles tinham cabelos compridos e se vestiam de preto quando saíam para as “baladas”. Eles cultuavam o “gótico”, ouviam suas bandas prediletas como: “The Cure”, “The Cult”, “The Smiths”, “Opera Mult Steel” e outras... O Ricardo e o Reginaldo tinham uma banda de “Rock Industrial” e tocavam em suas casas, as suas músicas prediletas. Eles tinham letras sombrias, tristes, depressivas, sem uma perspectiva de futuro. Ás vezes, eu me reunia com eles para ensaiarmos algumas canções, e criarmos algumas músicas. Assim, passávamos várias horas falando de rock n' roll, que era o nosso assunto predileto. Após essas reuniões, eu voltava para casa e, quando ia dormir, colocava um cd de rock para eu ouvir durante a madrugada, mas eu tinha pesadelos horríveis com frequência. Minha música predileta na hora de dormir era “bloody kisses” (beijos sangrentos), da banda: “Type o Negative”. Uma banda de Black metal com influências góticas também. Então vinham os sonhos perturbadores pelas madrugadas, e eu me via num mundo estranho e assustador.

Eram sonhos e pesadelos horríveis que me perturbavam durante toda a madrugada. Um dia eu acordei chorando e meu irmão perguntou-me o que havia acontecido comigo, porém eu nada quis relatar. Naquela ocasião eu tive um terrível pesadelo, onde eu reencontrava a minha primeira namorada, que havia entregado a sua vida ao Senhor Jesus. Mas, naquele sonho eu estava com minhas roupas sujas, e ela vinha ao meu encontro toda limpa e com seu rosto brilhando, ela me convidava para servir a Jesus de todo o meu coração, porém, eu fugia dela, dizendo que eu odiava ao Senhor Jesus Cristo. Tive ainda outro pesadelo terrível, onde eu fugia dos cristãos e "xingava" e "blasfemava" do santo nome de Jesus – o Deus Eterno. E saía pelas ruas correndo como um louco, fugindo das pessoas que me chamavam para participar de um banquete com eles, mas eu, todo sujo e mal arrumado, fugia para bem longe dos servos de Deus. Nos meus pesadelos, eu sentia um profundo ódio dos cristãos.

Eis um trecho da música de Marilyn Manson:

“…Hate every in your way...” Tradução:
“... Odeie todos os que estão em seu caminho...”
Trecho da canção : “THE BEAUTIFUL PEOPLE” (Pessoas bonitas)

O ANJO GUTEMBERG
Ainda no ano de 1999, lembro-me que eu havia voltado a estudar, depois de quatro anos longe da escola, quando abandonei os estudos. Na escola, onde eu estudava, fiz amizade com um companheiro de classe, o Gutemberg. Naquela época, nós tínhamos o costume de sair da escola e passar num “Bar” para beber cerveja e conversar um pouco. Ainda hoje me lembro que, numa noite, após a aula, Gutemberg me convidou para conhecer o bar do seu amigo, eu aceitei, pois sempre gostava de me “aventurar” pela noite. Ao chegarmos naquele estabelecimento, logo fui apresentado ao proprietário, que me recebeu muito bem, com um sorriso feliz em seu rosto. Um homem de espírito jovem, muito alegre e descontraído, ali, eu me senti a vontade. Logo, nós sentamos em uma mesa, e pedimos uma cerveja, para “quebrar o gelo”, e espantar a timidez daquela noite. Gutemberg já era “filho da casa”, eu, contente, porém, sem jeito, estava ali pela primeira vez. O som estava alto, a casa estava cheia, e eu ali, só observava o “movimento”. Depois de algumas cervejas, e muitas doses de “caipirinha”, eu já estava com aquele olhar de: “peixe morto”, meu rosto estava se desfigurando a medida que eu consumia aquelas bebidas alcoólicas, não só meu rosto, mas, meus pensamentos, a minha voz e o meu comportamento também. O meu amigo, que não fumava, mas bebia comigo na mesa, logo percebeu uma mudança radical em mim. Nesse momento, enquanto eu observava alguns casais dançando, olhei de lado, e vi uma mulher muito bonita, que estava sozinha, parada junto ao balcão daquele bar. Lembro-me que eu levantei da mesa, e fui ao encontro dela, e perguntei se ela gostaria de dançar um pouco, ela aceitou, e logo começamos a dançar. Aquela mulher usava uma roupa extremamente “sensual”, e logo que comecei a dançar, eu lembro que fiquei elogiando a sua beleza física, e o seu comportamento. Nós dançávamos um “forró”, cuja letra falava de “sexo”, “traição”, “ódio”, “vingança”. Ouvindo aquela música, confesso que comecei a desejá-la, pois o som estava acima do limite, e nossos corpos estavam “grudados”, nem preciso aqui entrar em detalhes. Aquela mulher dançava com muita “empolgação”, e se esfregava em mim, sem receio algum. Naquele instante, depois de muitas doses de bebida alcoólica, cerveja, caipirinha, uísque, e dançando sem parar, a minha cabeça começou doer e girar. O efeito do álcool já me dominava por completo, nessa hora, lembro-me que eu queria beijá-la, entendendo que, se já estávamos “grudados”, um beijo seria ‘bobagem’. Então eu tentei beijá-la de todas as maneiras, mas, ela não deixava, eu cheguei a usar a “força”, mas, ela não deixava, não queria de jeito nenhum. Lembro-me que eu tentei abraçá-la, como se eu fosse o namorado dela, mas, ela também não queria que eu a abraçasse daquele jeito. Eu perguntei a ela qual o motivo de estar “fugindo” de mim, porém ela não me respondeu nada a esse respeito.

Então, quando a música acabou, eu fui ao banheiro, e lá, comecei a “quebrar tudo”, sentindo um profundo ódio, por não ter conseguido nada com aquela mulher. Eu chutei o “vaso sanitário”, quebrei a torneira, e logo aquele banheiro ficou “alagado”. Lembro-me que cheguei a tirar meu sapato, e com ele, quebrei as “lâmpadas” que estavam acesas, e tudo ficou escuro. Uma crise de nervos tomou conta de mim naquela noite, e eu perdi o controle, tornando-me um “monstro”, eu não conseguia me controlar, e deixei aquele banheiro destruído e com grandes prejuízos para o dono do bar. O que eu jamais poderia imaginar naquela noite, é que, enquanto eu estava dançando a vontade, e tentando beijar aquela mulher de qualquer jeito, eu estava sendo observado por alguém que eu nem desconfiava. Era o “esposo” daquela mulher, que, de longe me olhava, sentindo um profundo ciúme dentro de seu coração. “Enquanto dançava com aquela mulher, seu marido me observava atentamente, e tinha uma arma escondida, a trás do balcão, ele colocava “bala por bala”, em seu revólver calibre ‘38’, e assim, maquinava uma “tragédia” em sua mente maligna. Ele era o “dono do bar”, e ali, esperava o momento certo, cheio de malícia e crueldade, para me atacar. O mesmo homem que me saudou com um sorriso no rosto, logo que chegamos naquele lugar, eu e o meu amigo Gutemberg. Agora, cheio de ódio, com seu olhar cruel e acusador, pensando em morte! Ele pensava em me arrastar para dentro de uma floresta, próxima daquele local, e lá me “executar friamente”, como se eu fosse um “cachorro”, ou um animal qualquer. Ele, julgando-me “safado” e “perverso”, defendia sua esposa, que já estava acostumada a dançar com seus “clientes”. Percebi que aquele homem era como dizem os cantores de forró: um “corno conformado”, pois não se importava que sua esposa dançasse com outros homens, mas sentia ciúmes se alguém tentasse fazer algo contra ela. Nesse momento de alvoroço, meu amigo conversou com o dono daquele bar, que já estava com sua arma na cintura, pronto para fazer o “serviço”, porém, depois de ouvir as palavras do meu amigo, ele se acalmou e pediu que meu amigo me levasse embora dali, para que eu nunca mais voltasse, pois ele, cheio de ódio, disse que nunca mais queria me ver em sua frente.

O livramento de morte
Aquele homem ficou completamente transformado, ao me ver dançando com sua esposa, e tentando beijá-la, mas só fiz isso por que pensava que ela era solteira e livre. Confesso que tem mulher que gosta de se sentir “disputada”, “cobiçada” por vários homens, mas na verdade, tais “desejos” são de procedência diabólica, pois só trazem destruição e morte.

Confesso que se eu tivesse uma arma naquela noite, eu teria feito uma grande “besteira”, pois, no estado em que estava, eu não pensaria duas vezes em dar um “tiro” naquele homem, que se sentia o “todo poderoso” com aquele revólver na cintura. Mas graças ao Senhor Jesus Cristo, eu nunca gostei de arma de fogo. Deus me deu um Grande Livramento de Morte! Desde cedo aprendi que uma arma só serve para causar “desgraça”. Depois de uma longa conversa, meu amigo me tirou daquele bar, pagando todas as despesas, e me puxando pelo braço, pois meu estado era de miséria total. Meu amigo conversou com aquele homem, pois eram amigos há muito tempo, e explicando tudo a ele, pagou a conta e me levou para a sua casa. Mas, cada passo que ele dava, olhava para trás, pois temia que aquele homem pudesse mudar de ideia, e nos alcançar para nos fazer uma maldade. Meu amigo tinha medo que eu fosse “assassinado” ali, com apenas dezenove anos de idade. Depois que o meu amigo me tirou daquele bar, eu fui “arrastado” para a casa dele. Mas uma coisa muito estranha aconteceu. O meu amigo me contou que eu, logo que cheguei em sua casa, procurei um lugar para sentar. Enquanto isso, ele me disse que eu ia conhecendo os seus pais, seus irmãos e toda a família, que despertaram naquela madrugada com a nossa chegada, nada “silenciosa”. O estranho de tudo é que, eu não me lembro de nada, a minha mente “apagou” a partir do momento que cheguei à casa dele. Nunca me lembrei dos seus pais, tampouco dos irmãos daquele meu amigo de Escola! Não consigo me lembrar do momento em que conheci “um por um”, dos familiares daquele meu amigo que, embora estivesse num bar, foi usado por Deus para me livrar da morte! Isso aconteceu em 1999, há exatos onze anos, porém, nunca me esqueci. Até hoje eu agradeço a Deus por mais um “grande livramento de morte”. Satanás havia armado um “laço” para ceifar a minha alma. Mas o senhor Jesus me cobriu com o seu sangue poderoso, e me livrou das garras do maligno, pois já tinha um plano traçado para a minha vida: “transformar-me em um pregador do evangelho, para resgatar as almas perdidas que se encontram nas trevas!” Você que está lendo este relato, se ainda não entregou o seu coração e a sua vida ao Senhor e Salvador Jesus Cristo, faça-o agora mesmo. Jesus Te Ama!

Ao Senhor Jesus Cristo seja dada toda honra e toda glória, eternamente, amém.

A VISÃO DO INFERNO
Certa vez eu fui dormir, já de madrugada, e senti que algo entrou na minha boca, mas, não sabia o que era. Comecei a me revirar na cama tentando cuspir, tentava escapar daquela situação, mas não conseguia. De repente, a minha boca começou a pronunciar palavras em uma espécie de “dialeto” estranho que não pude entender o que eu mesmo falava. Entrei em desespero, comecei a gritar, mas, ninguém me ouvia. Eu senti a minha alma sair do meu corpo e seguir descendo um profundo abismo escuro, que parecia não ter mais fim. Eu olhava para as paredes rochosas e escuras daquele abismo, e não tinha dúvidas de que eu estava entrando no inferno. Enquanto eu descia aquele abismo, ficava desesperado querendo voltar para o meu quarto. Bem longe, eu ouvia muitos gritos de desespero e dor, e me esforçava para voltar ao meu quarto, para minha cama, mas não conseguia. Era uma situação real, ia além de um simples sonho, era uma revelação para mim, pois em mim não havia o temor de Deus. Por esta razão eu estava passando pelo “vale da sombra da morte”, pois eu vivia a minha vida nas drogas e na prostituição, sem me importar com o Senhor Jesus que morreu na cruz para me salvar, eu estava num mundo espiritual, sofrendo pela minha rebeldia e desprezo ao senhor Jesus. Enquanto eu agonizava, um homem com lindas vestes brancas e resplandecentes apareceu para mim, dentro daquele abismo profundo e escuro, pois lá, não havia nenhum raio de luz. Tudo eram trevas e sofrimento, mas, de repente, apareceu ao meu lado, aquele homem que, segurando a minha mão ele me disse: “_Não tenha medo jovem! Eu estou contigo, não se desespere!” Naquele momento pude sentir uma paz que jamais encontrei antes. Aquele homem, sem nenhuma duvida, era o Senhor Jesus! Ele me levou a um lugar sombrio, e enquanto caminhávamos, percebi que havia vários buracos e crateras no solo daquele abismo onde pisávamos. Enquanto andávamos, saía fogo e fumaça dos buracos no chão, e havia um mau cheiro terrível de carniça naquele lugar! Eu vi vários vultos negros saindo daqueles buracos, eles fugiam de medo, e se escondiam nas brechas rochosas das crateras. E nos observavam com seus olhos que brilhavam no escuro. Seus movimentos eram muito rápidos, eram velozes. Eram os demônios! Ali era o inferno! Eles estavam fugindo daquele homem de vestes brancas que estava segurando em minha mão. Quando entramos em outra parte daquele abismo, num lugar ainda mais tenebroso, aquele homem de aspecto angelical mostrou-me onde estavam homens e mulheres, todos eles acorrentados, sofrendo e pedindo socorro. Nesse momento eu senti um grande medo daquele lugar e desejei sair dali o mais rápido possível, pois os gritos eram horríveis, e vinham de toda parte.

“Meu corpo estremecia de medo e pavor, pois havia ali: choro e ranger de dentes!”
Aquele cenário era iluminado apenas com as chamas avermelhadas do fogo que saía dos buracos do solo. Eu vi que alguns homens trajavam roupas rasgadas, surradas, como mendigos e ébrios naquele abismo. Vi também que muitas mulheres estavam nuas, outras estavam com seus seios expostos, outras ainda estavam também com roupas sujas e rasgadas. O mau cheiro daquele lugar era insuportável! Alguns homens olhavam para mim, bem como algumas mulheres, eles gritavam e me pediam socorro, sentindo muitas dores e em grande agonia! Eles clamavam em voz alta, em grande tormento, pois o desespero estava em cada grito que era emitido. Seus rostos estavam distorcidos, suas faces estavam desfiguradas e tristes. Nesse instante eu chorava de medo, e pensava apenas em fugir daquele terrível lugar! Porém, aquele homem com vestes brancas que estava ao meu lado me disse: “_olha jovem, não estenda a sua mão para ajudá-los, pois estes que estão acorrentados e presos aqui são prisioneiros neste abismo, você nunca poderá libertá-los, por que eles jamais poderão sair daqui...” E com uma voz de autoridade, aquele homem que estava ao meu lado seguiu dizendo: “_Todos estes homens e mulheres viveram suas vidas na terra ao seu bel prazer e, não se importaram com a salvação de suas almas. Por esta razão eles estão presos nestas correntes que você está vendo aqui. Eles me rejeitaram, durante as suas vidas passageiras, por isso, eles não alcançaram a salvação, antes, todos eles me desprezaram, blasfemando e negando o meu nome...” Enquanto eu ouvia aquelas duras palavras, eu olhava para aquelas pessoas e sentia uma profunda agonia ao ver quão terrível é o sofrimento daqueles que vão para o inferno, por desprezarem ao senhor Jesus Cristo! Eu vi que naquele lugar havia uma galeria para cada grupo de pessoas, de um lado estavam os homens que não honraram o nome do Senhor Jesus, como “pastores, missionários, evangelistas, presbíteros, padres, bispos e diáconos”, outro lugar estava reservado para os “assassinos, estupradores, atores e artistas pornográficos, artistas de novelas, sequestradores, terroristas, suicidas, assaltantes e traficantes”... Outra ala, era reservada para os “bruxos, roqueiros, satanistas, feiticeiros, magos, alquimistas, encantadores, esotéricos, astrólogos, homossexuais, pedófilos, necrófilos, adivinhos, mágicos, médiuns, espíritas” e outros que mantinham relações com as forças ocultas.

Na galeria das mulheres estavam as “lésbicas, prostitutas, garotas de programa, as “top models”, “mulheres assassinas, abortistas e adúlteras”. Todos eles gritavam de dor e desespero. Os demônios os atormentavam de todas as maneiras, com espancamentos, com abusos sexuais, com palavrões e insultos de toda espécie. Ali dentro, o tormento era geral! Havia ali um portão de bronze enorme, que ficava fechado. Quando nós passávamos, percebíamos a revolta dos demônios, que se deslocavam de um buraco para o outro em fração de segundos. Eles voavam por toda parte, sempre fugindo da presença daquele que estava caminhando comigo, cujo aspecto era como relâmpago, sua luz brilhava de maneira sobrenatural! Depois de algum tempo, nos aproximamos daquele enorme portão que estava trancado, de repente, estávamos em frente a um trono de cor escura.

“...Edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela...”
Mateus 16:18 Naquele trono não havia ninguém, nem ao seu lado, tudo estava em silêncio, mas via-se que aquele trono era de satanás, ali era o seu posto, no qual ele se assentava para observar o sofrimento das almas acorrentadas com grandes cadeias de ferro. Observei que ali não havia nuvens nem vento algum naquele lugar; apenas escuridão, fogo, fumaça, um clima seco e um calor insuportável, e eu estava ali, diante daquele cenário e pude contemplar entre lágrimas a tamanha crueldade de satanás e seus anjos. Ali eu tive a certeza de que:

“O inferno é real” (Lucas 16:19-30)
Eu sempre duvidava da existência de um lugar de tormento eterno, mas, depois disso tudo que eu vi, e não mais duvidei, o inferno existe mesmo, e é tão real quanto nossas vidas! Observei também que existe um reino organizado por satanás, que trabalha incansavelmente para destruir a humanidade em todas as suas áreas como: social, moral, econômica, mental, física, geográfica, psicológica, cultural, conjugal e espiritual. Nestas dez áreas, satanás tem centralizado os seus ataques contra a raça humana, tirando dos homens a imagem e a semelhança de Deus e estampando uma marca diabólica em suas vidas.

Depois que tive todas estas visões, eu pedia ao Senhor Jesus que me tirasse daquele lugar horrível, mas ouvi uma dura repreensão de sua parte, pois ele me disse: “_Se você me obedecer e procurar uma igreja para ouvir a minha palavra, eu não te deixarei vir para este lugar e passar toda a eternidade em tormentos. Porém, se não me obedecer, você ficará neste lugar desde já, e se ajuntará aqueles que aqui já estão em agonia, e nunca mais voltará para o seu quarto, nem mais verá os seus pais.” Após ouvir tais palavras, eu comecei a chorar muito e pedir perdão por todos os meus pecados. E prometi ao Senhor Jesus, ser obediente á sua palavra. Naquela madrugada eu urinei na cama, como uma criança, pois acordei assustado no meu quarto. Porém, o meu irmão dormia tranquilamente na sua cama, ao lado da minha, porém, ele não ouviu nada! Nas paredes do meu quarto tinham vários desenhos diabólicos. Eram pinturas que eu mesmo fazia, quando comprava revistas de rock n' roll. Eram temas como: Sexo, lesbianismo e satanismo

“Pelo que Deus os abandonou ás paixões infames. Por que até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário á natureza” Romanos 1:26

Após o tormento real que vivi, eu acordei, e quando abri os meus olhos, os desenhos que eu havia pintado nas paredes do meu quarto, estavam todos olhando para mim e davam risadas de zombaria e sarcasmo. A minha mente ficou perturbada naquela madrugada. Espantado com aquela cena horrível, não pude mais dormir, e nem tive coragem de levantar da minha cama; e mesmo sabendo que o meu colchão estava úmido com a minha urina, assim fiquei, com lágrimas nos olhos, todo molhado e com meu corpo trêmulo, até o dia amanhecer. Ao me levantar pela manhã, eu fiz uma oração a Deus, pedindo paz e proteção, pois eu tive a certeza de que, durante aquela madrugada, eu estive vivo dentro do inferno, e que aquilo era uma “grande revelação de Deus”, através de um arrebatamento de sentidos.

“... e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões...” Joel 2:28

CICLO VI A REVELAÇÃO
Em verdade que não convém gloriar-me; mas passarei às visões e revelações do Senhor. 2 Coríntios 12:1 _________________________________________________________ Neste capítulo quero relatar a grande revelação que certa feita recebi. Era já de madrugada, quando eu estava folheando algumas páginas da minha Bíblia, e, após ter fumado meu último cigarro, me deitei para dormir, pois estava muito cansado, embora eu gostasse de ficar até altas horas da madrugada, escrevendo poemas, lendo e traduzindo letras de rock. Naquela madrugada, sonhei que eu estava dentro de um bar, em pé, encostado no balcão, e ali, eu bebia algumas doses de bebida alcoólica. O bar estava praticamente vazio, tinha somente eu e o proprietário. Lembro-me que ali, eu contava um pouco da minha vida para aquele homem, que me ouvia atento. De repente, num piscar de olhos, aproximava-se de nós um homem montado a cavalo. O seu estranho cavalo era negro, com pernas enormes, como as pernas de um camelo. Eu vi quando ele parou na porta daquele bar, e o seu cavaleiro inclinou-se para ver quem estava dentro. Nesse momento o dono do bar percebeu que aquele cavaleiro estranho me chamava para fora, fazendo gestos e sinais com suas mãos. E assim, o dono do bar agindo com muito medo, me expulsou do seu estabelecimento e fechou as portas. Eu fiquei paralisado diante daquele cavaleiro que trajava um manto preto, o seu rosto estava envolto num capuz, e sobre suas costas havia uma enorme foice afiada. Ao aproximar-se de mim, aquele cavaleiro me disse: “_Não é você que vive a me chamar, cantando as minhas músicas?” Nesse momento, eu fiquei totalmente sem ação, pois o aspecto daquele cavaleiro era diabólico, semelhante a uma caveira, então ele continuou a dizer: “_Não é você que fala das minhas músicas para os seus amigos? Quando você levava os meus discos para ouvir com seus amigos, você estava me chamando e clamando a mim, por isso eu vim ao seu encontro...” Naquele momento criei coragem e lhe perguntei: Quem é você? Então aquele cavaleiro tirou o capuz que cobria seu rosto e respondeu: “_Eu sou Marilyn Manson!” Quando ele me respondeu quem realmente ele era, percebi que nesse momento ele levava sua mão ao capuz e descobria o seu rosto esquelético. Pude então notar que aquele cavaleiro estava sendo enviado pelo diabo, para trazer uma mensagem do inferno pra mim.

Logo me chamou para cumprir uma “ordem”; e caso eu me negasse a cumpri-la, eu seria morto. Aquele homem tinha uma imagem cadavérica, sua semelhança era a de um cadáver. Eu reconheci que ele era o mesmo cantor de rock satânico que eu idolatrava vinte e quatro horas por dia! Aquele cavaleiro me chamava para cumprir uma missão; cujo objetivo era: “Matar todos os seguidores de Jesus Cristo que eu encontrasse pelo caminho”. Imediatamente foi trazido á minha presença um cavalo preto e uma grande foice afiada, no mesmo instante, um profundo ódio entrou em meu coração transformando-me em um monstro. E já fora de mim, eu não me controlava mais, só me lembro que fui levado de um lugar para outro na velocidade da luz. Daquele cenário urbano onde havia um bar, fui levado para um grande deserto arenoso e sombrio. Lembro-me de ter dito a ele que não poderia matar os cristãos; pois, eu também tinha familiares cristãos. Mas aquele cavaleiro gritou com grande ira e me disse: “_Não fale do nome nem do sangue de Jesus Cristo, pois, nós somos satanistas, odiamos Jesus e vamos acabar com o cristianismo nesta terra e dominaremos o mundo...” Então, completamente possuído por um ódio inexplicável, eu montei naquele cavalo negro, já vestido com uma capa preta e segurando uma enorme foice em minhas mãos, e saí ao encontro dos cristãos para matá-los. Eu ouvi como que um barulho de uma grande cavalaria se aproximando de mim, quando olhei para os lados vi milhares de cavaleiros vestidos com capas pretas e com foices nas mãos. Havia algumas montanhas ao redor, de onde desciam milhares de cavaleiros preparados para uma sangrenta batalha, eles traziam um símbolo satânico estampado em suas costas, em forma de um raio vermelho, apontando para baixo.

Disse Jesus: “Eu vi satanás, como raio, cair do céu.” Lucas 10:18

Eu escutei que todos aqueles cavaleiros exaltavam o nome de “Adolf Hitler”, e diziam que aquela guerra seria como a segunda guerra mundial. Eles desciam das montanhas com bandeiras pretas nas mãos; todos prontos para o confronto entre: “Satanistas x Cristãos”. Nesses momentos de terror eu via muitos cristãos em desespero, fugindo daqueles cavaleiros, para salvarem suas vidas, muitas mulheres protegiam os seus filhos; muitos pastores com suas bíblias nas mãos clamavam em alta voz dizendo: “_O sangue de Jesus tem poder” E em desespero continuavam pedindo proteção a Jesus. Lembro-me que eu comecei a matar a muitos homens e mulheres de Deus naquela guerra cruel. Eu não tinha sentimento por ninguém ao meu redor; eu estava terrivelmente possuído pelos demônios que comandavam meu corpo e minha mente; levando-me cativo a fazer aquelas atrocidades sem misericórdia. Algo que jamais faria estando em sã consciência, jamais, nunca, de maneira nenhuma. Eis a razão porque existem tantos crimes bárbaros e cruéis em nossos dias; e os psicólogos não conseguem explicar por que tais atos, bárbaros e cruéis acontecem. Estes crimes são organizados por satanás, que veio para: “Matar, roubar e destruir a humanidade” (João 10:10) Naqueles instantes de verdadeiro terror, eu me convulsionava em minha cama, tentando acordar de qualquer jeito, mas não conseguia. Por mais que eu tentasse, era inútil meu esforço. Assim, eu continuava naquela guerra cruel e sangrenta. Eu vi muitas pessoas mortas, jogadas pelo chão. Outras, agonizando, com ferimentos graves pelo corpo, elas pediam socorro, até silenciarem com a morte. Eu senti naqueles instantes o terror, pois o céu se tornou cinzento de uma hora para outra, e todos os cavaleiros desapareceram sem deixar rastros, até mesmo o mentor daquela tragédia desapareceu rapidamente, após acompanhar aquele terrível massacre contra os inocentes cristãos. Nesse instante, eu entrei em desespero e grande agonia, pois queria fugir daquele lugar, mas, eu me perguntava: “Para onde eu irei? Porque eu matei tantos cristãos? Como eu vou responder por isso? O que eu vou falar para Deus? Ai de mim, certamente eu vou para o inferno”. Toda aquela correria havia acabado; somente eu estava ali em cima daquele cavalo com a foice na mão. Nesse momento, um grande sentimento de culpa invadiu meu coração, então comecei a chorar amargamente, por causa das vidas inocentes que eu havia assassinado. Eu pensava em uma forma de escapar daquela situação. Fiquei desesperado, assustado e trêmulo, comecei a gritar alto e cada vez mais forte, eu queria sair imediatamente daquela cena horrível e mórbida. Então eu comecei a dar voltas por aquele deserto de areia suja de sangue – o sangue dos fiéis seguidores do Senhor Jesus Cristo - eu também estava ensanguentado e muito abatido, e ali, fui abandonado completamente, pois todos os assassinos sumiram. Então, em um dado momento, voltei ao meu estado normal de consciência, pois, aquela legião de demônios já havia desincorporado de mim. E assim, pude perceber com detalhes, as atrocidades que eu havia cometido, e um grande pavor tomou conta do meu ser minutos depois.

Naquele cenário sombrio, tudo se fez calmo, um profundo silêncio se apoderou daquele lugar grotesco. Tanto a minha direita como a minha esquerda não se via mais os corpos mortos, pois estes eram levados para outro lugar, e aos poucos iam desaparecendo à medida que uma forte luz cruzava a linha do horizonte e se aproximava em minha direção. Eu fiquei assustado, e já não podia mais me mover. Aquela luz se aproximava cada vez mais forte, e seu brilho era tão intenso que ofuscou minha visão. Logo percebi que um homem com compridas vestes brancas, caminhava em minha direção. Ele tinha um aspecto angelical e sublime, Ele era alvo como a neve, sua face eu não pude ver, era como uma chama de fogo ardente. Eu vi quando Ele se aproximou de mim e, levantando a sua mão direita para o céu, disse-me com uma voz suave:

“_Jovem, eu sou Jesus! eu te conheço”.

CICLO VII O CHAMADO
Quando aquele homem de aspecto celeste apareceu, caminhando em minha direção, Durante aquela perseguição sangrenta, contra os cristãos fiéis, Eu senti minhas pernas grudarem no cavalo em que eu estava montado. O meu corpo amoleceu, e eu fiquei paralisado da cintura para baixo. Nessa hora, a minha foice, toda ensanguentada, caiu no chão, e senti meus lábios colarem um no outro, assim, já não havia mais boca em minha face, eu fiquei mudo naquele momento, e não pude falar nenhuma palavra diante daquele homem que caminhava em minha direção com muita autoridade! Mesmo assim, eu tentava me justificar diante daquele homem cheio de luz, pois o seu brilho era sobrenatural, e ofuscava a minha visão. Ele parou em minha frente, e nesse momento o meu cavalo ficou muito agitado com sua presença, porém, suas patas estavam grudadas no chão, assim, aquele animal de aspecto diabólico, não podia sair do lugar. Eu percebi que o meu cavalo não conseguia olhar para o homem de branco, que de pé estava em nossa frente! Meu cavalo agitou-se violentamente, ao ver aquele homem de branco. E com muita fúria tentava escapar, mas, como eu já disse, as suas patas ficaram grudadas no chão. Realmente a presença daquele homem com lindas vestes brancas era algo sobrenatural, celeste, divino e maravilhoso! O meu corpo entrava em convulsão e numa espécie de “transe” inexplicável, até o cavalo parecia querer desmaiar de pavor! Com medo daquele homem, cuja face era uma chama de fogo ardente! Lembro-me perfeitamente quando ele levantou a sua mão direita, e logo começou tremer o céu e a terra, as nuvens ficaram cinzentas, e uma profunda agonia começou a me envolver. E no meio de grande estrondo no céu, enquanto eu olhava assustado para as nuvens que se dissolviam rapidamente e mudavam de cor, aquele homem, cuja face era uma chama de fogo me disse: “_jovem, por que matas os meus escolhidos? Por que persegues, sem causa, os inocentes?”. Naquela hora, eu senti que o meu fim havia chegado. Então eu comecei a chorar desesperadamente, mas sem boca em minha face, eu agonizava, como alguém que está morrendo afogado, sem fôlego, sem ar para respirar. O Senhor Jesus tirou o meu fôlego de vida naquele instante, para eu conhecer a agonia da morte! Lembro-me quando Ele me disse assim: “_Eu tenho te chamado para pregar a minha palavra, porém, você tem sido muito rebelde, amando mais os ídolos deste mundo do que a Deus. Eu sei que você me conhece, porém não me obedece. Cuidado! Eu estou voltando para buscar os meus escolhidos.”

Neste momento senti meu coração desmanchar-se dentro de mim, e um amor profundo pela palavra de Deus e o evangelho nasceu em minha alma, transformando todo o meu ser. Então, com meu corpo cheio de sangue. O Sangue dos Cristãos inocentes que eu havia assassinado cruelmente, quando fui possuído por um ódio infernal. Eu chorava muito enquanto aquele homem continuava dizendo: “_Muito em breve eu voltarei, e ai de ti se não estiver fazendo parte do meu rebanho! Agora eu apago as suas transgressões e os seus pecados e te envio para pregar aos jovens que estão presos pelo Rock, adorando e servindo a satanás. Vá e pregue a minha palavra por que o fim está próximo! Mas, se não me obedecer, você irá para o inferno onde os vermes não morrem e o fogo nunca se apaga”. Marcos 9:45

Depois destas visões eu fiquei assustado e dobrei os meus joelhos no chão e pedi proteção a Deus, pois aquela revelação me abalou muito. Depois de muitos dias, após estas revelações, o espírito da morte passou a me perseguir novamente, e eu voltei a pensar em tirar a minha própria vida, por causa das tristezas que eu sentia, e não sabia como me livrar de tal situação. Lembro-me que o meu amigo “Osiel”, um jovem cristão, que sempre me chamava para eu entregar a minha vida ao Senhor Jesus, falou-me a respeito dos meus CDs de rock. Ele disse-me que os desejos de suicídio, no meu caso, estavam me perturbando por que eu tinha contato direto com as trevas, dentro da minha própria casa, através do Rock n’ Roll, por isso eu não tinha paz, nem sossego.

CICLO VIII O SUBMUNDO

Depois de muito tempo, o medo passou, e então aquela visão foi caindo no esquecimento, pois comecei a me envolver com as drogas mais pesadas, sem o medo que tanto me assombrou naquela noite, o qual me sobreveio com a terrível revelação do inferno. Em 1999, sai da cidade de Suzano, e fui morar com minha avó em são Vicente no litoral paulista, (ela agora já descansa na mansão celestial, ao lado do senhor Jesus Cristo). Lá, comecei a sair pela noite, então eu me reunia com meus “amigos” para “beber” e usar “drogas” durante a madrugada, nós saíamos em busca de “festas” e “música” por todos os lugares. Assim, conhecemos um “amigo” que sempre nos trazia “presentes”, então nós usávamos estes “presentes” durante a madrugada, dentro dos banheiros, nos bares e nas casas por onde passávamos, porém, “Sentíamos um profundo vazio em nossos corações, e a cada vez mais tentávamos preencher este grande vazio usando drogas.”

Na tentativa de disfarçar o vazio que se apoderava do meu ser, eu me envolvia com garotas promíscuas, até mesmo, mulheres casadas, que se entregavam á prostituição e ao adultério, para tentarem encontrar um sentido em suas vidas, a fim de saírem da mesmice cotidiana. Mas, com tudo isso, a minha tristeza aumentava ainda mais! Os desejos de suicídio também! Por várias vezes eu nem desejava olhar o meu rosto no espelho, sentindo nojo de mim mesmo! Alguns meses se passaram, e o “amigo” que nos trazia “presentes” foi cruelmente assassinado com um tiro dentro do olho, quando estava sentado junto ao balcão de um bar, bebendo com seus colegas. Ele morreu tragicamente deixando para trás sua filhinha de apenas três anos e sua esposa. Que triste fim teve este pai de família!

“DIGA ‘NÃO’ ÁS DROGAS” JESUS TE AMA!

Fiquei muito chocado com a morte dele, mas pra dizer a verdade, a minha vida era só tristeza que nem fazia diferença uma vida a mais ou uma a menos, era mais um que partira desta vida para a eternidade sem volta, e o que é pior, ele partiu sem Jesus Cristo. E mesmo com essas experiências, nada mudava, ou seja, o rock continuava ativo em minha mente, eu andava ainda mais pelas madrugadas em busca de “diversão” e “lazer”. Durante essas andanças, notei que um forte cheiro de necrotério a me perseguir, era como se seguia meus passos, a fim de me tragar. Algumas vezes alguém me dizia:

“_Jovem... Jesus te ama!”

Outros ainda me falavam do chamado de Deus para a minha vida, eu sempre ouvia alguém me dizendo que eu era um “escolhido de Deus” para pregar a sua palavra, mas não dava muita atenção; pois, estava cego demais para enxergar o amor e a misericórdia do senhor Jesus Cristo. Mais uma vez decidi queimar os meus discos e vídeos de rock juntamente com os meus desenhos, pois queria ter um pouco de “paz” em minha mente, assim queimei tudo o que era relacionado ao rock, porém, não demorou muito tempo, e a minha coleção de discos em vez de diminuir, aumentou consideravelmente, pois comprei outros discos novamente! O tempo passou e os desejos de suicídio me atormentavam todos os dias.

Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele conduz à morte. Provérbios 14:12

A VOZ DO DEMÔNIO
Lembro-me de certa feita, quando eu preparava o almoço, sozinho em minha casa, percebi que uma tristeza invadiu meu coração em fração de segundos, e nesse momento eu senti uma “pessoa” encostar do meu lado. Era um demônio! E ouvi a voz dele me dizer assim: “_Coloque veneno em sua comida e acabe com todos os seus problemas ainda hoje...” Eu fiquei hipnotizado por aquela voz, então deixei o meu prato na mesa, e fui até uma prateleira onde minha mãe guardava seus produtos de limpeza. Eu queria pegar o veneno de matar ratos para colocar na minha comida e assim me suicidar, mas, não pude vê-lo ali, pois, havia sumido de repente. Eu tinha certeza de que o veneno estava ali, porém não podia enxergá-lo entre os demais produtos que estavam organizados naquela prateleira. No outro dia, o meu pai precisou daquele veneno, e o encontrou no mesmo lugar, e eu estava ao seu lado, e pude ver com meus próprios olhos o tal veneno. Hoje sei que foi o Senhor Jesus que não permitiu que eu cometesse um suicido com aquele terrível veneno! Ele vendou os meus olhos para me livrar da morte! Ao senhor Jesus, seja toda honra e todo louvor eternamente!

Deus fez o veneno desaparecer para me salvar da morte!
Não tenho palavras para agradecê-lo. Depois disso, aquela tristeza agonizante, afastou-se por alguns dias.

Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo e leve. Mateus 11: 28-30

O FILHO PRÓDIGO
Certa feita, fui visitar uma ex-namorada, depois de muitos anos que o nosso “namoro” havia acabado e, ao chegar lá, percebi algo diferente nela. O seu sorriso e seu olhar estavam radiantes, ela estava feliz! O tempo havia passado, e nós, que éramos um casal de namorados tão jovens, nos reencontramos outra vez, depois de três anos longe um do outro. Ela foi a minha primeira namorada, com a qual, já relatei que: profanei o leito dos meus pais. Mas quando tudo acabou eu fiquei muito triste, e assim, desgostoso, muito cedo me entreguei ao álcool e as outras drogas. Para mim, tudo havia perdido o sentido. E sem parar para pensar na vida, fui entrando num beco sem saída! Lembro-me que aquela jovem tornara-se uma serva de Deus, pois ela havia entregado a sua vida para o Senhor Jesus Cristo. Logo que eu soube da notícia fiquei meio estranho. Confesso que eu tive vergonha de estar ao lado de uma jovem cristã, transformada por Jesus Cristo. Eu pensei em ir embora da casa dela imediatamente, para não ouvir a palavra de Deus. Perturbado de alma e espírito também, ás vezes eu sentia pena de mim mesmo. Alguns meses depois daquela visita, eu sonhei que muitos cristãos estavam reunidos em um lindo e farto banquete. Naquele sonho eu reconhecia um amigo que muitas vezes me convidava para a igreja, o Domício, um excelente tecladista - inclusive foi ele quem me ensinou a tocar teclado. Lembro-me que naquele sonho, um banquete estava posto, e sobre ele estavam diversos pratos com vários tipos de comida. Naquela ocasião, enquanto eu sonhava, eu me via trajado com roupas rasgadas, todo sujo e mal acabado, um mendigo. Eu estava todo arranhado, cortado, meus cabelos estavam arrepiados, meu visual era um horror. Eu vi que todas as pessoas que participavam do banquete estavam alegres e cantavam hinos ao Senhor Jesus. Mas, dentro de mim, naquele momento em que eu ouvia aqueles hinos de louvor a Deus, um profundo ódio contra os cristãos se ascendeu em meu coração, e sentindo muita raiva daquelas pessoas, mesmo sem nenhuma explicação, eu fugi daquele lugar, deixando todos para trás. Lembro-me que eu comecei a correr feito um louco, desesperado, pois a alegria daqueles cristãos me causava ódio, e eu sentia raiva deles que, felizes, sorriam e se regozijavam na presença do Senhor dos Exércitos. Eu não podia parar de correr, cada vez mais eu corria, para longe, bem longe. Depois de algum tempo avistei um dos meus tios que, também estava indo para aquele banquete, e quando ele me viu, perguntou-me: _ “Vamos Junior, ao banquete? Lá está a maior festa!” Nesse momento eu olhei e vi que, junto ao meu tio, estavam os meus primos, pois eles também iam para aquele banquete entre os servos de Deus. Naquele momento as minhas lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto, porém, eu não tinha forças para voltar atrás e me ajuntar aos cristãos que estavam em festa, na verdade eu queria estar com eles, mas sentia que uma força maior que a minha, me fazia fugir de todas aquelas pessoas que, contente se alegravam na presença de Jesus Cristo.

Logo após o meu tio ir embora com meus primos, eu comecei a sentir o gelo da morte se apoderando de mim lentamente. E eu agonizava na minha cama querendo acordar, mas não conseguia sair daquela terrível perturbação! Este sonho foi terrível, hoje sei que este sonho era um chamado de Deus, convidando-me para ser um servo seu, por amor, não por força nem por violência. Aprendi também que: “Deus é amor e carinho, e jamais obriga alguém a servi-lo”. Por várias vezes no meu quarto eu sentia alguém mexendo comigo, mas, quando eu olhava não via a ninguém. Muitas vezes eu “cochilava”, e em fração de segundos sentia que umas “mãos estranhas” tentavam me matar enforcado. Certa feita eu deitei para dormir e quando adormeci sonhei que por debaixo da porta entrava uma fumaça preta, escura, que se aproximava da minha cama, ela vinha se rastejando e, lentamente ia subindo pelo meu corpo, prendendo meus pés, a minha cintura, e os meus braços. Aquela fumaça tomava a forma de um ser estranho, com várias mãos que me aprisionavam. Eu passei a agonizar em cima da cama, sentindo calafrios terríveis, e um profundo gelo que tirava todas as minhas forças. Aquelas mãos me enforcavam, e tentavam me matar de todo jeito. Era o “espírito da morte” que havia entrado no meu quarto para buscar-me e me levar para o inferno! Eu posso confessar que: A morte é gelada! Pois essa era a sensação que eu sentia várias vezes, em pesadelos, visões e tormentos que me assustavam de madrugada. Enquanto me batia na cama tentando acordar, meus pais dormiam tranquilos, ninguém escutava nada! Absolutamente nada! Envolvido com o rock n’ roll e o satanismo, eu passei por diversas situações horríveis, vivendo essas lutas espirituais. Ainda hoje, enquanto escrevo este livro, sinto que as forças do mal tentam me amedrontar. Mas eu sei a razão destes ataques. Satanás, o príncipe dos demônios, não quer de jeito nenhum que eu e milhares de servos de Deus publiquemos algo que vá desmascará-lo. Por esta razão ele tenta colocar enfermidades, desânimo e tristeza em nós. Satanás também levanta pessoas para nos perseguir, julgar, difamar, caluniar. Tudo isso acontece com qualquer servo de Deus por que aconteceu com o nosso Deus e Professor: JESUS CRISTO. Conosco não será diferente!

“Satanás não quer que nós venhamos publicar que suas obras são enganosas e destruidoras, por isso ele nos persegue de dia, de noite e pelas madrugadas, enquanto estamos dormindo”

É ele quem invade nossos sonhos e os transforma em horríveis pesadelos. É ele quem engana os médicos, quando estes não encontram a causa da doença. É ele quem está por trás da ciência moderna, que nega a existência de Deus. É ele quem persegue os justos, que fielmente servem a Jesus de corpo, alma e espírito. É ele quem usa a mídia para promover, a “idolatria”, a “pornografia”, a “carnalidade”, a “desvalorização da mulher”, através de músicas profanas. É ele quem está por trás do divórcio, separando casais, antes tão apaixonados, tão amigos, tão amorosos e inseparáveis. É ele quem está nas ruas escravizando o viciado, a prostituta e o mendigo, por que a ele importa humilhar e denegrir o homem e a mulher, feitos á imagem e á semelhança de Deus. É ele quem está por trás dos filmes e das novelas que promovem o adultério, a traição, a luxúria, a avareza, a inveja, o ódio, o ciúme, a violência e a criminalidade. É ele que está por trás dos jogos eletrônicos, controlando a mente de milhares de crianças, roubando delas a inocência e o seu tempo precioso, enchendo-as de ódio, rebeldia e malícia. É ele mesmo que está por trás do governo humano, manipulando o globo terrestre, levando milhares para o abismo. Enganando as famílias, destruindo as sociedades, espalhando o terror pelas ruas das grandes metrópoles. É ele mesmo quem está manchando as páginas dos principais jornais, de sangue e lágrimas de dor e desespero. É ele mesmo quem está conduzindo milhares de pessoas ás clínicas e hospitais psiquiátricos. É satanás quem está entrando nas igrejas que se dizem cristã, e explorando a fé daqueles que buscam luxo e prosperidade financeira, fazendo por torpe ganância comercial, como disse o apóstolo Pedro em sua segunda epístola:

“... e por torpe ganância, farão de vós comércio...”
2 Pedro 2:3

Como nunca antes, satanás tem se levantado para destruir a humanidade, usando todas as suas artimanhas. Pois ele sabe que já está vencido e derrotado pelo sangue de Jesus Cristo. Sabe também que ao redor do mundo existem milhares de pessoas que ainda não entregaram seus corações ao Filho de Deus. Por esta razão ele investe no rock, na pornografia – que é uma peste que se espalha rapidamente na internet, destruindo crianças e adolescentes – na corrupção política, no crime organizado, nas disputas entre pastores e igrejas que querem ser ricas nesse mundo de ilusão, desprezando os pobres e necessitados. Satanás sabe que já caiu do céu, com a terça parte dos anjos, que se uniram a ele quando tentou dominar a força, o reino celestial. Ele é um querubim envergonhado e sem glória, pois toda honra e toda glória pertence ao Senhor Jesus Cristo, o qual esmagou a cabeça da serpente maligna! Em minha adolescência tive pesadelos horríveis que não posso descrevê-los aqui. Tais pesadelos eram tão absurdos que tenho nojo de descrevê-los nestas páginas. Mas, hoje sou feliz com Jesus Cristo, e espero em breve a sua gloriosa vinda!

“Meu desejo ardente é que o Senhor Jesus Cristo transforme a sua vida à medida que você vai lendo este livro. Deixe o Senhor Jesus mudar você! Abra o seu coração. Abra o seu entendimento para que a palavra de Deus entre em você.”

_______________________________

“Quem tem ouvidos ouça o que o espírito diz ás igrejas”.
Apocalipse 3:6

A PINTURA SATÂNICA
Certa feita, eu resolvi pintar o rosto de Marilyn Manson em uma tela que eu mesmo havia feito. Após terminar a pintura eu contemplei seu rosto naquele quadro e assim guardei a tela num cômodo de casa que nessa ocasião estava desocupado. Nesse cômodo costumávamos guardar alguns utensílios e alguns brinquedos. Um dia, meu sobrinho, de apenas dois anos de idade, resolveu entrar neste cômodo para pegar os seus brinquedos. De repente, ele saiu gritando, desesperado e agarrou-se em sua mãe, a minha irmã Josie. Meu sobrinho disse que viu o quadro se mexer sozinho na parede, e ao olhar para aquele quadro viu que dele saiam uns braços para tentar agarrá-lo. Achei muito estranho isso, mas, confesso que uma criança inocente jamais poderia mentir assim. Eu mesmo, confesso que ás vezes sentia medo daquele quadro, com o rosto do cantor Marilyn Manson, como de um cadáver! Pois esta é a filosofia do rock: A Morte! Percebi que realmente havia algo estranho naquele quadro. Dias mais tarde eu queimei aquele quadro que eu mesmo, por cegueira espiritual e idolatria, havia pintado com as minhas próprias mãos. Satanás queria que eu idolatrasse a figura de Marilyn Manson, de dia e de noite sem parar. Porém, eu estava cego; sem nenhuma afeição por aquele que morreu na cruz para nos salvar, Jesus Cristo. Minha oração hoje é que este testemunho possa alcançar jovens, crianças e adultos. E que esta minha experiência no mundo das trevas do rock n’ roll, possa edificar muitas vidas, não para a minha glória, jamais! Meu desejo é que o Senhor Jesus, pela Sua misericórdia, liberte aqueles que estão presos pelos grilhões do inferno!

Ao Senhor Jesus Honras e Glórias!

“Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz ás igrejas”.
Apocalipse 3:6

ROCK N’ ROLL
“A MÚSICA DO INFERNO”
___________________________________________________________

TESTEMUNHO DE UM EX-ROQUEIRO

(SEGUNDA PARTE)

CICLO IX A METAMORFOSE

A segunda parte deste livro vai começar com um relato, onde eu falo de minha conversão a Cristo Jesus, quando uma senhora cristã, temente a Deus, me convidou para assistir a um vídeo evangélico em sua casa. Depois daquele dia, a minha vida nunca mais foi a mesma! Louvado seja Deus! Foi a irmã "Leninha", mãe do "Ailton", um amigo de infância que, no dia 31 de outubro do ano 2000, pediu que eu ficasse em sua casa para assistir a pregação do missionário cristão: Josué Yrion. Um pastor pentecostal que percorre o mundo anunciando a Palavra de Deus. A partir deste dia, Deus, pela sua infinita misericórdia, transformou a minha vida. No vídeo, o pastor inspirado por Deus falou sobre o satanismo que é real hoje em muitas partes do mundo, inclusive nos Estados Unidos, uma nação alicerçada no Evangelho.

“Eu fui transformado pelo Espírito Santo com estas mensagens e notícias que me abriram os olhos de uma vez por todas. O meu coração e a minha mente haviam sido bloqueados por satanás, através do Rock - A música do inferno!”

Lembro-me que as horas se passaram, e quando eu fui embora, eu pedi para aquela irmã, que me emprestasse aquele vídeo, para que eu pudesse assisti-lo na minha casa. Chegando em minha casa, coloquei aquele vídeo, e comecei assisti-lo novamente, desta vez, sozinho, pois tinha ânsia de escutar a Palavra de Deus, pois ainda pensava em suicídio naquele dia. Então chorei arrependido e pude escutar perfeitamente a voz do Senhor Jesus chamando-me para ser um pregador do seu Evangelho Sagrado. Aquele pastor, enquanto fazia uma oração pela salvação das almas, dizia aos que estavam na igreja: “_Saia diferente, saia mudado”

E enquanto ele falava estas palavras, eu me ajoelhei no chão da sala. E chorando muito, com os meus olhos fixos na tela da televisão, escutando a voz de Deus me chamando, sentia as minhas lágrimas que escorriam pelo meu rosto, em confirmação do meu chamado. E cada vez mais eu sentia que o meu corpo recebia uma incrível mudança de temperatura, cheguei a pensar que ia pegar fogo ou desmaiar. Ainda que eu tente explicar como foi que a minha conversão aconteceu, faltariam palavras para me expressar.

“E mesmo diante da televisão, percebi que línguas de fogo começavam a surgir em meus lábios, pois eles estremeciam, querendo falar palavras que, naquele momento eu desconhecia. Mas sentia uma alegria muito forte ao ouvir o som da minha voz. Então eu passei a escutar a mim mesmo chorando como uma criança, mas notei que a minha voz já não era a mesma!”

O som da minha voz era como de alguém que falava com poder e autoridade, ao glorificar o santo nome de Jesus! Meu corpo começou a se arrepiar, a minha voz começou a mudar e um calor enorme surgiu em mim. Dos pés até o alto de minha cabeça, eu senti uma descarga elétrica fazer meu corpo estremecer. Percebi meus poros se arrepiando, então diante da televisão, levantando as minhas mãos para o alto, gritei:

“Aleluia! sou livre do Rock n’ Roll! Eu sou livre da escravidão satânica! Aleluias!”

O importante é que hoje eu sou livre, bendito seja o nome do Senhor Jesus Cristo para sempre e eternamente! Eu assisti ao vídeo, das dez horas da noite até ás seis horas da manhã do dia seguinte. Na verdade eu fiz uma “vigília” em frente da televisão, e saí transformado pelo poder do Espírito Santo! Satanás ficou envergonhado ao perder a minha alma para o Senhor e Salvador Jesus Cristo. Era o dia 31 de outubro – dia de “halloween” - festa do diabo, dia das bruxas. Então me lembrei dos filmes diabólicos que eu assistia, e das festas que já havia participado. Lembrei das noites nos bailes, mas, o importante é que, naquele momento, eu estava entregando a minha vida para o Senhor Jesus Cristo que, segundo a sua vontade, determinou que eu fosse resgatado através de um vídeo na televisão. Pois Deus faz como Ele quer, na hora que Ele quer, contrariando os “dogmas” dos homens, e quebrando todo “protocolo” humano e carnal, Aleluias! Então ajuntei todos os meus discos, CDs e vídeos de Rock e queimei tudo! Lembro-me que o meu pai ficou bravo por que eu queimei um dos seus CDs, mas em meu coração eu estava feliz, pois, “Todo o ‘metal’ foi derretido pelo fogo do Espírito Santo!” Aleluias! O sangue de Jesus tem poder! Naquele vídeo cristão, ouvi também sobre o testemunho de um jovem roqueiro, que morava na Holanda, e que não conhecia o seu pai havia dezoito anos, pois sua mãe era uma prostituta. Este jovem usava uma camisa que trazia uma mensagem diabólica que dizia: “eu nasci para ir ao inferno”. Mas, Deus abrira os seus olhos, e ele se converteu ao Senhor Jesus, e tirou sua camisa de rock n’ Roll e a lançou no lixo dizendo: “_Vou para a minha casa sem camisa, mas, vou com Jesus dentro do meu coração”. Aquele jovem decidiu viver ao lado de Jesus, e desprezando as artimanhas do diabo, recebeu a Cristo dentro do seu coração e foi para sua casa. Sem camisa, mas, feliz! Eu nunca vou me esquecer deste testemunho maravilhoso, que só o Senhor Jesus pode realizar! Ao Senhor Jesus seja dada toda honra e toda glória para sempre! Amém. Ao assistir aquele vídeo, minhas lágrimas começaram a escorrer pela minha face. Senti que um calor extraordinário começou a me envolver de tal maneira, que já não podia mais suportar. Era a “Unção de Deus” me transformando em um novo ser! Bendito seja o nome de Jesus eternamente! Eu passei a sentir uma alegria que nunca antes havia sentido em lugar nenhum! E cada vez que aquele pregador exaltava o nome do Senhor Jesus, eu sentia no meu coração o chamado ao ministério. Eu olhava para os meus braços e os poros estavam arrepiados e minha face pegando fogo de tanto calor que eu sentia, sozinho naquela sala! As minhas lágrimas quentes escorriam pela minha face. Enquanto eu ouvia nitidamente a voz do Espírito Santo dizendo-me: “_Venha Junior, pois vou te usar como este pregador, e você falará do meu nome para muitos jovens que estão sendo escravizados pelo pecado, neste mundo de ilusão..” E entre muitas lágrimas e soluços eu dizia: “Obrigado Senhor Jesus, por salvar a minha alma!” Ao Senhor Jesus, honras e glórias!

CICLO X UMA NOVA CRIATURA

Depois de assistir por várias vezes as pregações do Dr. Josué Yrion, o Espírito Santo tocou fortemente em meu coração, dizendo-me: “_Eu usarei você para anunciar o evangelho por toda parte.” Então, o presbítero ‘Silvalino’, que há muitos anos servia ao Senhor Jesus, convidou-me para ir a sua congregação. Eu aceitei ao seu convite, e fui com ele em sua igreja. Confesso que em meu coração já ardia uma chama. Era um desejo enorme de contar á outras pessoas que o Senhor Jesus havia transformado a minha vida, como fez nas bodas de Caná da Galiléia, transformando a água em vinho! Santo é o nome de Jesus! Aleluias! Na noite em que fomos á igreja, eu me entreguei a Jesus entre muitas lágrimas, e no momento em que eu me ajoelhei no chão daquela igreja, meu corpo foi tomado por um calor extraordinário, e logo as lágrimas começaram a encher meus olhos, deixando a minha visão turva. E lá, eu senti novamente meus poros se arrepiando, comecei a suar e estremecer, e ao glorificar o nome de Jesus, eu percebia que a minha voz já não era a mesma, era uma voz de alguém que tinha grande ousadia em pronunciar o nome de Cristo! Enquanto escrevo este livro, as minhas lágrimas molham o meu rosto, pois ainda sinto o Espírito Santo me envolver de uma maneira tão gloriosa, que me dá vontade de sair correndo pelas ruas. Pois a manifestação do Espírito Santo é gozo e alegria na alma! É por isso que não resistimos e choramos como crianças, e logo surgem em nossos lábios, as línguas de fogo!

Querido Leitor, se quiser, pode dar uma pausa na leitura deste livro, e deixe o Espírito Santo te envolver, e entre no mistério de Cristo Jesus, o qual é: FOGO e PODER!

Depois que desci as águas do batismo em Cristo Jesus, tornei-me um “evangelista”. Mas nunca briguei por uma “carteirinha”, “títulos eclesiásticos”, “posições”, “cargos”, jamais dei importância a isso dentro da igreja. Eu apenas me preocupava com a voz de Deus que me enviou para testemunhar publicamente acerca da minha conversão á Cristo Jesus. Logo, eu evangelizava qualquer pessoa que me desse atenção, ora nos ônibus, ora nos trens e metrôs de São Paulo, enfim, por onde eu passava, eu contava as grandes maravilhas, que Deus, pela sua infinita misericórdia, fez em minha vida, chamando-me ao ministério! Sempre dei um jeitinho para anunciar a salvação que só o Mestre Jesus pode nos dar! Ao Senhor Jesus seja dada toda honra e toda glória, eternamente, amém. Com o passar do tempo, na igreja Assembléia de Deus, na cidade de Suzano-SP, eu comecei a testemunhar publicamente das maravilhas que o Senhor Jesus fez em minha vida, transportando-me das trevas para a sua gloriosa luz! Quero também registrar aqui, que, quando eu entreguei a minha miserável vida nas mãos de Jesus, todos os meus “amigos” me deixaram, e já não me procuravam mais. Eles foram desaparecendo, perdendo o contato, pois para eles eu havia me tornado um jovem “chato”, “sem graça”, “sem valor”. Mas não me abalei com isso, pois sabia que minha vida mudaria mesmo, em todos os sentidos, e assim, após a minha conversão a Cristo, eu sempre ia à casa de minha avó Iracy, para ouvir o programa de rádio do missionário David Miranda, cujas orações fervorosas me faziam refletir ainda mais acerca da salvação. Quero dizer que, durante toda a minha infância e adolescência, sempre que eu entrava na casa de minha querida avó, lá estava ela, ora lendo a Bíblia, ora de joelhos no chão, orando pela família, ora fazendo “crochê” e escutando as pregações daquele missionário cheio de fé. E às vezes, ela me dizia que, um dia o Senhor Jesus me salvaria. A minha avó me falava que, não adiantaria eu tentar fugir de Jesus, pois seria pior ainda. Então, conhecendo a aflição, pela qual passou o profeta Jonas, quando foi engolido por um grande peixe, eu somente escutava as sábias palavras dela, e nada lhe falava, mas, logo corria pra casa, para chorar escondido em meu quarto. Deus nunca me deixou confundido, nem enganado, jamais!

Á Cristo toda honra e toda glória, eternamente, amém.

Logo após a minha conversão, eu conheci o pastor Hilton Pedro, um homem de Deus, simples, porém cheio de fé. Foi com ele que eu e outros jovens, saímos pelas ruas do bairro do Jardim São José, em Suzano – SP. Foi a primeira vez que eu saí nas ruas após a minha conversão, para evangelizar. Lembro-me que no ano de 2002, num domingo ensolarado, o pastor Hilton Pedro dirigia o seu carro, na época, uma Brasília verde, enquanto eu, a pé, caminhava com um microfone na mão, e anunciava o evangelho, convidando a todos os moradores do bairro para estarem na igreja á noite. Confesso que nunca tive vergonha de anunciar a salvação em Cristo no mesmo bairro em que eu morava, pois muitas pessoas sabiam que eu vivia nos bares, fumando, bebendo e arranjando várias confusões, e dando muito desgosto aos meus pais. Aqueles dias de evangelismo nas ruas do jardim São José, ficaram gravados para sempre em minha memória, e aquela experiência me fez amadurecer bastante, pois marcou a minha vida! Oh, glória! Que tempo bom! Eu também posso dizer como o Apóstolo Paulo:

“Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê”.
Romanos 1:16

“A MULHER-DEMÔNIO” Rompendo os laços do pecado
No ano de 2001, o Senhor Deus preparou para mim, uma porta de emprego, num supermercado, próximo de minha casa, situado no bairro do jardim Dona Benta, na cidade de Suzano-SP. Ali, eu trabalhei no setor da padaria. A verdade é que eu fui contratado por uma empresa terceirizada, que fornecia pães para vários supermercados da região da grande São Paulo. Naquela época, eu conheci um dos donos da empresa que havia me contratado. E com o passar do tempo, descobri que ele era “Ateu”, pois muitos funcionários diziam que ele não acreditava na existência de Deus, O Criador do universo. Quando eu soube dessa notícia, logo orei ao Senhor, pedindo a Deus uma estratégia para anunciar o evangelho com sabedoria, no meu ambiente de trabalho, pois eu acreditava que era possível cumprir o que a Bíblia ensina quando o apóstolo Paulo diz:

"Prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo.” 2 Timóteo 4:2. __________________________________
Durante o meu trabalho, eu me esforçava para cumprir o meu papel de funcionário, sempre obedecendo aos meus superiores, cumprindo os meus horários, e respeitando cada cliente que ali entrava. Naquela época, eu tinha vinte anos de idade, e como sempre gostei de fazer novas amizades, a cada dia eu conhecia mais e mais pessoas. Depois de alguns meses, as pessoas naquele supermercado começaram a me chamar de: “Pastor”, vejam só! Mas eu nunca desejei ser nada dentro da igreja do Senhor Jesus, pois para mim, a salvação em Cristo já é o suficiente. Nunca briguei por “cargos” e “posições” dentro da igreja do Senhor, jamais! Na verdade eu nunca gostei de ser nomeado por nenhum título eclesiástico, nunca. Diante do Senhor, digo a verdade, não minto. No meu trabalho, com sabedoria, eu arranjava um jeito de evangelizar, contando a muitos clientes que o Senhor Jesus me libertou do Rock e do mundo da prostituição. Alguns roqueiros me escutavam, outros me davam as costas, eu, porém, sentia-me satisfeito em levar a boa nova para todos eles. “Quem vos ouve a vós, a mim me ouve; e quem vos rejeita a vós, a mim me rejeita.” Lucas 10:16 -17

Dentro da padaria eu orava a Deus, pedindo que ele me ajudasse na caminhada da fé. E para a minha surpresa, ali trabalhava: o Milton, (nosso encarregado), o Junior, meu xará, (o padeiro), o Robson, (também padeiro), eu e o Renato, que atendíamos os clientes no balcão. Naquela padaria só tinha cristãos! Aleluias! Aqueles dias foram de muito contentamento e alegria para mim! Louvado seja o nome de Jesus! Nessa época, com o pouco dinheiro que eu ganhava, eu comprei um teclado musical, para louvar ao Senhor na minha casa e também na igreja. Mas quero confessar a você, caro leitor que, a partir do momento em que eu determinei comprar aquele instrumento musical para adorar somente a Deus, e não para tocar músicas que promovem a idolatria sexual, a violência e o satanismo. Não! Meu propósito era usar o meu talento musical, (algo que surgiu em mim após a minha conversão), para adorar somente ao Senhor Jesus Cristo, e ninguém mais. Por esta razão, satanás levantou-se com grande fúria contra a minha vida, pois ele sabia que havia perdido o seu domínio sobre a minha vida, que outrora estava em suas mãos. Então vieram os velhos sonhos pornográficos e pesadelos horríveis, para me atormentar e me aprisionar num mundo de medo e pavor. Eu passei ter desejos de tirar a minha própria vida novamente, mesmo já caminhando na presença de Jesus! Uma grande batalha espiritual havia começado! Mas, na verdade era o Senhor Jesus que já havia decretado guerra contra satanás, que de maneira covarde, e cheio de astúcia, passou a levar naquele supermercado, uma ex-namorada, com a qual eu levava uma vida de prostituição e terríveis pecados. Então eu percebi que ela estava acompanhada de seu parceiro, e assim, ela passou a frequentar aquele supermercado, para mostrar-me que já não estava sozinha, pois havia outra pessoa em sua vida. Ela tentava chamar a minha atenção, pois nosso “namoro” acabou quando eu entreguei a minha vida miserável nas mãos do Senhor Jesus. Mas, ao tentar chamá-la para o caminho da salvação, ela, cheia de ódio e influenciada pelas suas amigas, me disse uma vez: “_Jesus tirou você de mim, então vá você e ele para o inferno! Esquece-me! Vá você e Jesus Cristo para o inferno!” Depois de ouvir estas palavras de blasfêmia, eu decidi nunca mais procurá-la novamente, pois eu sabia que ela jamais me faria feliz, pois ela rejeitava a luz, preferindo andar nas trevas, longe do Salvador Jesus! Foi doloroso para eu ter que abandoná-la, porém sempre acreditei que o Senhor tinha o melhor para mim. Assim, eu resolvi viver aos pés de Cristo e esperar aquela que seria a minha esposa e companheira fiel! Aquela garota, na verdade, estava atrapalhando a minha vida, pois enquanto eu estava ligado a ela, levando uma vida imoral, fumando, bebendo, sem paz na alma, desempregado e completamente sem rumo, eu só pensava em desgraças.

Lembro-me que, numa noite de quarta - feira, a minha mãe me disse que a minha avó Iraci tinha um recado para mim. Então, logo fui até a casa dela, e chegando lá ela me disse: “_Olha meu filho, quando eu estive na igreja, o Senhor Jesus usou uma irmã que veio de longe pregar a palavra de Deus. E enquanto ela orava, ela me disse que um dos meus netos trabalhava num supermercado, e estava sendo perseguido por uma mulher. E acrescentou ainda dizendo que esta perseguição era por causa do chamado ao ministério, por isso satanás tentava frustrar o plano Deus...” Depois que ouvi estas palavras de minha querida avó, eu fui para o meu quarto e comecei a repreender toda força das trevas, invocando o nome de Jesus, e derramando muitas lágrimas. Com meu rádio ligado, ouvindo louvores, ali mesmo de joelhos, eu adormeci. Momentos depois sonhei que eu chegava da igreja, com a minha Bíblia na mão, e ao entrar em meu quarto, eu ficava surpreso ao ver a minha ex-namorada, lá dentro. Ela estava sentada em cima de uma mesa, completamente nua, e com sua cabeça girando em trezentos e sessenta graus, exatamente como no filme diabólico: “o exorcista”. Naquele sonho que tive, lembro-me que eu entrava em meu quarto, segurando a Bíblia Sagrada na mão, porém, a minha ex-namorada, já com seu rosto desfigurado e mexendo com a língua, semelhante a uma serpente, dizia-me constantemente estas palavras: “__Eu quero você! Deixe esta Bíblia de lado!” “__Eu quero você! Eu não quero a Jesus!” E assim, ela vinha para cima de mim, e me jogava na cama, com uma força violenta, porém eu comecei a compreender que aquela mulher era um demônio, ele estava usando a imagem da minha ex-namorada para tentar me arrastar novamente para o pecado. Eu comecei a clamar o sangue de Jesus em alta voz, porém eu não conseguia acordar. Aquele sonho foi assustador, confesso que fiquei durante muito tempo fugindo daquela jovem que, insistia em me perseguir no meu ambiente de trabalho. Ainda me lembro que, durante aquele sonho, eu vi que, no teto do meu quarto, apareceu um olho enorme, que piscava sem parar, só não posso dizer se isso foi no sonho mesmo, ou eu já estava acordado, mas vi diversas figuras se mexendo, figuras esverdeadas, amarelas, cinzas, de diversas cores. Na verdade aquilo foi um pesadelo horrível!

O Sangue de Jesus tem poder!

Confesso que, durante o tempo em que estive com aquela jovem, todas as portas estavam fechadas para mim. Mas, ao rompermos com o nosso “namoro”, eu senti forças para me entregar de corpo e alma ao Senhor Jesus. Eu sentia um forte chamado para descer as águas do batismo, e a partir de então, começar uma árdua jornada missionária. Com certeza, ao lado daquela garota, isso não seria possível! Eu louvo ao Senhor Jesus por ter me chamado ao ministério.

“Os que estão na carne não podem agradar a Deus.” Romanos 8:8
_________________________________________________________________

O ATEU
Quero também deixar registrado aqui, o momento em que eu estive frente a frente com o meu patrão, o homem, “ateu”. Nós tivemos uma conversa educada, e sem perder muito tempo, eu disse a ele que Deus é o mesmo Jesus que foi pregado na cruz do Calvário. E não há outro! Eu disse ainda a ele que, toda filosofia dos homens não preenchem o vazio da alma, Mas Jesus Cristo pode nos dar a paz que tanto buscamos, muitas vezes, nas drogas, nos jogos, no sexo, na bebida, nas festas e baladas, nas casas de show. Quando eu olhei em seus olhos, ele sorriu, e me disse que jamais tinha dado atenção a uma pessoa que lhe falasse do amor de Jesus, mostrando de forma “explícita” que: Jesus é Deus! Aquelas palavras, guiadas pelo Espírito Santo, penetrou no coração daquele homem que, se autodenominava: “ateu”. Para mim, ele nunca foi um “ateu acredito que, mesmo sendo um empresário importante, ele era um homem “à toa”, vivendo longe de Jesus: A verdade absoluta!

“Diz o néscio em seu coração: não há Deus.” Salmos 14:1

CICLO XI A PROMESSA

No dia em que o meu irmão Jefferson foi para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) por causa de uma forte convulsão, uma grande tristeza se apoderou de minha casa. Lembro-me do estado em que ficou a minha querida mãe ao ver seu filho naquela triste situação, sem saber o que realmente estava acontecendo. Eu estava deitado quando o meu irmão foi trazido pelos seus colegas de trabalho já num estado deplorável e assustador. Eu escutei um alvoroço às 5 horas da manhã e me levantei para saber o que era aquilo que estava acontecendo dentro de casa. Ao abrir a porta do meu quarto, caminhei em direção a cozinha e ali estava meu irmão sentado numa cadeira, junto à mesa. Sua roupa estava suja, pois ele havia caído no chão logo após sentir um forte cheiro de perfume enquanto se preparava para entrar no ônibus da empresa nem que trabalhava. Sua boca estava roxa, como a de um ‘cadáver’, foi assustadora aquela cena. Minha mãe chorava desesperada, eu, porém sabia que aquilo era uma obra satânica, embora muitos ali não entendessem nada a esse respeito. Meu irmão tremia e se batia em desespero, inconsciente, como alguém que está morrendo, pois, seu aspecto era mesmo de um morto. Logo meus Pais o levaram ao Hospital. Seus lábios estavam sangrando, pois ele havia mordido com muita força até cortálos. Logo me lembrei da passagem bíblica, onde o Senhor Jesus explica a um pai desesperado a respeito dos ataques epilépticos e das convulsões de seu filho...

“... Mas esta casta de demônios não se expulsa senão à força de oração e de jejum...”
Mateus 17.15-21

Quando os meus pais o levaram para o hospital, ao chegar lá, ele foi direto para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Segundo informações dos médicos, o caso era muito grave. Eles informaram aos meus pais que, devido a uma falta de oxigênio no cérebro, meu irmão teve uma forte convulsão. A minha mãe havia pedido ajuda em oração, para toda a igreja, mas eu, ao receber esta notícia de minha mãe que estava muito abalada, chorei, e dobrando os meus joelhos, na sala de minha casa, eu orei ao Senhor Jesus e disse: “_Ó Senhor Jesus, se o Senhor trouxer o meu irmão de volta para casa, eu prometo que vou pregar o Seu Evangelho por toda parte, para que o seu nome seja glorificado através da minha vida, e contarei a todos esse milagre. Agora ó Senhor, restaura a saúde do meu irmão Jefferson, para que ele também venha ser um vaso usado por Ti na sua obra, te peço isso em nome de Jesus Cristo, seja feita a Tua vontade, amém...” Eu orei com fé e lágrimas, de repente eu comecei a sentir meu corpo estremecer. As minhas pernas tremiam sem parar, e uma forte onda de calor invadiu aquela sala, de maneira inexplicável! Meu rosto começou esquentar, como se eu estivesse pegando fogo literalmente, então uma coragem surgiu dentro de mim, e logo me coloquei de pé, como um soldado valente na guerra. Eu percebi que um “HOMEM DE FOGO” passeava pela sala de casa. Enquanto eu reparava que os poros dos meus braços estavam todos arrepiados, e até a minha voz havia mudado de tom, pois em meus ouvidos, eu também estranhava aquela voz, mas sentia muita coragem e autoridade naquela oração. Lembro-me que eu comecei a repreender o “espírito da morte” que havia sido enviado por satanás para ceifar a vida do meu irmão, a fim de trazer o luto, e um grande vazio para a minha casa Então eu dizia em voz alta: “_Satanás, você está derrotado, solte a vida do meu irmão em nome de Jesus!” Eu levantei e comecei a profetizar que meu irmão seria um servo de Deus e que também pregaria o Evangelho de Jesus Cristo para muitas pessoas que ainda não haviam encontrado o Salvador de suas almas. Enquanto eu derramava minhas lágrimas no chão da sala, senti que o Espírito Santo me consolava e falava ao meu coração: “_O seu irmão logo voltará”. Dois dias depois, o meu irmão voltou para a nossa casa, então glorifiquei a Deus e disse ao Senhor Jesus: “_Agora ó Senhor, me ajude a cumprir a promessa, pois quero pregar a Tua Palavra em toda parte, para sua honra e para a Sua glória”. Desde então eu tenho me esforçado para cumprir a promessa que fiz ao Senhor Jesus. E disse-lhes:

“... Ide por todo o mundo, e pregue o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado...” Marcos 16.15

O TREM

Ainda no ano de 2002, no mês de Setembro, em uma terça feira, por volta das dez e meia da manhã, eu e meu amigo “Marcelo”, um jovem cristão, embarcamos num trem, na cidade de Suzano, na grande São Paulo. Eu estava pregando o evangelho para as pessoas que iam para o trabalho. Ali, dentro daquele trem, eu testemunhava de minha conversão ao Senhor Jesus, e também falava a todos sobre os perigos da música satânica, em especial – o rock n' roll. Depois de algum tempo, exaltando o nome do Senhor Jesus, uma mulher, levantando sua voz contra mim, pedia com muita fúria, que eu calasse a minha boca, e não mais falasse do evangelho. Nesse instante, ao olhar para dentro dos olhos dela, meu corpo começou a estremecer, não de medo, mas, percebi que um “calor extraordinário” subiu dos pés até o alto de minha cabeça. Então olhei para os meus “poros”, e vi que estavam “arrepiados”. Nesse instante o meu corpo se revestiu de uma “coragem sobrenatural”, que eu já não sentia mais os meus pés no chão. Naquela hora, eu me sentia um “gigante”, caminhando de um lado para o outro, dentro daquele trem, sem medo! As pessoas presentes me olhavam, umas com raiva, outras, interessadas na Palavra de Deus. Nesse instante, eu ouvi uma voz suave dizendo-me: “_Eu estou contigo por onde quer que andares, não temas, mas fale do meu amor para eles.”

Ao ouvir estas palavras, meu ser encheu-se de coragem, não só para anunciar o evangelho, como também para andar pelos vagões daquele trem, “para lá e para cá”, pois sentia o meu rosto “queimando” com a “unção de Deus” que descera do céu para me ajudar a jogar por terra as afrontas do diabo. Muitas pessoas, com ódio e com fúria, diziam em alta voz, que abririam as portas do trem para nos jogar para fora, caso eu não parasse de pregar o evangelho. Mas, o Senhor Jesus livrou-nos deste grande mal. Ao Senhor Jesus, toda Honra e toda Glória!

Muito tempo depois daquele dia, eu já nem lembrava mais do que havia acontecido naquele trem. Lembro-me que eu estava na cidade de cidade de Bertioga, no litoral norte de São Paulo. E ali, eu andava sozinho, pela areia da praia. Então, um jovem aproximou-se de mim, e me fez a seguinte pergunta: ”_Você é aquele jovem pregador que estava no trem, contando o seu testemunho sobre o rock n' roll?” Nesse momento, eu fiquei surpreso, ao descobrir que aquele rapaz estava naquele dia, dentro daquele trem, e viu tudo o que lá aconteceu. Então, muito feliz, respondi-lhe: “_Sim, sou eu!”. Ele sorriu para mim, e contou que estava sentado num daqueles bancos, no mesmo vagão por onde eu passava anunciando a Salvação em Cristo.

Naquele trem, ele ouviu a Palavra de Deus, e confessou que foi procurar uma igreja cristã, depois de ter ouvido a “Voz de Deus”, que tocou o seu coração. Ele afirmou que escutava atentamente tudo o que eu falava, testemunhando publicamente de minha libertação do Rock n’ Roll e conversão á Jesus Cristo. Aquele foi um dia muito feliz para mim, momentos depois eu chorei escondido, glorificando o nome de Jesus, o Único digno de toda adoração! Ao Senhor Jesus seja dada toda honra e toda glória, eternamente Amém. Lembrei-me das palavras do Senhor Jesus.

“Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” Marcos 16.15

CICLO XII DAS TREVAS PARA A LUZ

O Batismo nas Águas.

O dia do meu batismo foi uma benção, enquanto eu olhava para a água dentro daquela piscina, as lágrimas desciam sobre a minha face. E uma voz suave me dizia: “_Chegou o momento. Agora você será transformado em uma nova criatura, as coisas velhas serão esquecidas.” E nesse instante, olhei para a minha mãe, que tanto eu fiz sofrer, causando a ela grande desgosto. E dentro de mim, eu dizia: "Ó Senhor Jesus, perdoa-me". Ao relatar esse trecho, contando tudo o que aconteceu em minha vida, a emoção foi tão parecida que, chorei novamente. Enquanto cantávamos louvores, numa chácara, um vizinho furioso disse que o barulho estava incomodado ele, e que ia pegar uma espingarda, para dar tiros, em todos nós. Ele morava ao lado, atrás do muro, e o diabo, furioso com aquela festa, usou aquele homem para atrapalhar o batismo. Mas, logo começamos a orar e esse homem desmaiou e caiu no chão, sem ninguém tocar nele! Louvado seja Deus! Assim continuamos em festa, felizes, louvando o nome do Senhor Jesus. No momento do batismo, um filme de toda a minha vida passou em minha mente! As imagens da infância, as cenas de minha adolescência rebelde, as brigas na rua, as revoltas, as bebedeiras, as noites nas baladas, as garotas com quem vivi na prostituição, as surras que levei dos meus pais, quando tentavam me “corrigir”. As pessoas que me diziam que eu era um "escolhido de Deus" já desde o ventre de minha querida mãe. Vieram também em minha mente, as lembranças do programa cristão no rádio, que minha avó Iracy sempre escutava. Tudo isso veio em minha mente, momentos antes de eu descer ás águas do batismo. Ali eu me lembrei do Sr. Júlio,e dos seus conselhos, conforme a palavra de Deus. Lembrei-me também das missas na igreja católica, na qual eu era "coroinha".

Lembrei-me dos momentos em que eu pensava em tirar a minha vida, pensando em me jogar na frente dos carros, tomar veneno, pular do trem em movimento, viver embriagando-me até morrer. Lembrei-me das pessoas que conheci e já partiram deste mundo sem ter a certeza da salvação eterna com Jesus Cristo. Lembrei-me que um dia um jovem pregador, ao encontrar-me na rua, triste e abatido, me disse: "_Jesus te ama, Ele quer usar você". Lembrei-me que um dia namorei e não fui correspondido com o mesmo amor que sentia por uma linda jovem. Lembrei-me das traições que sofri, dos “chifres” que levei, e das pessoas que eu tanto magoei, causando a elas, tristeza e desgosto. Enfim, em minha mente, em fração de segundos, passou um filme de toda a minha vida. E ali, em frente daquela piscina, as minhas lágrimas escorriam sem parar, e com minha voz embargada, eu tive vontade de pegar no colo a mim mesmo, pois percebi que aquele momento era decisivo pra mim, e eu deveria escolher entre as opções: Vida ou Morte? O céu estava limpo e com um azul maravilhoso! Jamais esquecerei o dia em que desci ás águas do batismo.

Obrigado Senhor Jesus!

...Provai e vede que o Senhor é bom... Salmos 34:8

“... Recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo...” Atos 1:8
____________________________________________________

O Batismo com o Espírito Santo.

No ano de 2003 eu estava tocando teclado e cantando quando uma força sobrenatural me pegou dos pés a cabeça. Eu senti meu corpo se arrepiar e comecei a transpirar. Meu corpo ficou quente, quente, muito quente mesmo… Então fechei os meus olhos, e inclinei a minha cabeça, sentindo a presença de Deus passar por mim… Então eu comecei a falar em outras línguas, e percebia meus poros arrepiados, e muitas lágrimas molhando meu rosto. Eu parei de tocar o teclado, e as pessoas que viram se maravilharam, e choraram junto comigo naquela noite…

Ao Senhor JESUS CRISTO toda honra e toda glória. Ontem, Hoje e Eternamente, Amém.

A Jesus honras e glórias... Eternamente Amém

CICLO XIII A NOIVA SEM FACE

“No ano de 2003, no mês de Setembro, na cidade de Suzano, na grande São Paulo, após acabar de ler algumas páginas da minha Bíblia, já era tarde da noite quando fiz uma oração antes de deitar-me para dormir.”
Logo peguei no sono e adormeci completamente. Naquela noite, eu tive um sonho que para mim, foi tão real quanto a minha própria vida. Eu sonhei que estava em uma cerimônia do meu casamento, dentro de uma linda igreja, e ali, aguardava a chegada da “Noiva”. Pensei por alguns instantes: “Que estranho isso!” No sonho, havia uma igreja, toda branca, e muito iluminada, era um lugar lindo e maravilhoso. Ali, estavam muitas pessoas que eu não podia enumerá-las, havia muita gente naquele lugar! Ao olhar para as pessoas que ali estavam, percebi que elas estavam felizes e muito contentes, eu notei isso em seus rostos. Aquele ambiente era muito agradável e aconchegante. Eu via as pessoas conversarem entre si, e outras caminhavam de uma parte para outra cuja aparência era formidável! Notei em algumas pessoas certa “Ansiedade”, naturalmente elas aguardavam o momento mais importante da festa. Enquanto o tempo passava, lembro-me que eu olhava para mim mesmo, e sorria feliz, estava trajando um terno azul-marinho, com botões dourados. Sentia-me muito bem, tranquilo e a vontade naquele lugar. Algumas pessoas passavam e me cumprimentavam com um belo sorriso no rosto, outras, aproximavam-se e me diziam: “Parabéns!”. E eu ali, feliz aguardando a chegada de minha noiva, a qual ainda não a conhecia, nem mesmo sabia como ela era. O que mais me chamava à atenção era o fato de eu não conhecer a minha noiva, com a qual, naturalmente eu me casaria naquele lugar. Então, em meus pensamentos, indaguei: “_Quem é a minha noiva?” Lembro-me que eu estava de corpo presente no meio daquela multidão, eu podia sentir várias sensações, como a fragrância de vários perfumes, que se misturavam no ar, as luzes, as vozes, cada detalhe, os sons, vindo de diversas partes, os movimentos distintos, daquelas pessoas, que certamente eram os convidados da festa. Eu vivi cada momento ali, como se fosse mesmo tão real, e jamais duvidei que não fosse real.

Eu acredito que aquele sonho foi uma tremenda revelação. Não posso calcular se isso demorou algumas horas, talvez sim, não tenho certeza em relação ao tempo em que vivi aquele sonho. Foi real do começo ao fim, foi algo estranho, estou tentando explicar. Jamais duvidei disso, em nenhum momento, para mim, mesmo sem entender direito o que estava acontecendo, eu acreditava que aquilo era uma “Mensagem de Deus” para a minha vida, e nisso eu sempre acreditei.

Recordo-me agora das palavras do profeta Joel que disse assim:

“E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões”. Joel 2:28

No meio daquela multidão, eu não fazia ideia de quem seria a minha noiva, pois ali, havia muitas moças lindas, bonitas, bem vestidas e elegantes, mas, nenhuma delas me despertava interesse, eu as observava de longe, porém, não as desejava, nem mesmo deixava surgir qualquer fantasia em minha mente. Em meu coração, eu aguardava alguém, mesmo sem saber exatamente “quem”, nesse momento, escutei a voz da minha própria consciência, dizendo assim: “_Até no sonho as noivas demoram a chegar”. Estranho é que eu sabia que aquilo era um sonho, mas um sonho real, no qual, tudo acontecia de verdade. É um pouco estranho para eu poder explicar como foi tudo isso. Eu tive realmente um sonho complexo! Passado algum tempo, chegaram mais pessoas para me cumprimentar e parabenizar, e perguntavam assim: “_Como pode a sua noiva ser tão linda?”. Ainda outros me perguntavam assim: “_Onde você a conheceu, como foi o seu primeiro encontro?” Ainda outros diziam: “_Nossa, ela é linda, ela é muito bonita!”

Mas, eu, sem saber o que dizer para aquelas pessoas naquele momento, apenas balançava a cabeça, concordando com tudo o que elas falavam, pois não sabia ainda quem era a minha noiva, eu não a conhecia ainda. Então afirmava a todos dizendo: “_Sim, a minha noiva é linda, ela é maravilhosa!”. E com medo deles perceberem que eu ainda não a conhecia, então eu sorri, pois imaginava que ela já havia chegado naquele lugar. Eu ouvia vários comentários a respeito de sua beleza, deduzi que certamente seria uma ”bela noiva”. Mas, dentro de mim, havia uma pergunta que, aos poucos, foi me deixando ansioso, inquieto e angustiado. Afinal de contas eu também queria saber quem era a minha noiva. Lembro-me que dei algumas voltas por entre aquelas pessoas, procurei em cada rosto, em cada olhar, uma pista, alguma resposta para aquela pergunta que passou a incomodar-me naquele lugar. Nesses instantes de muita espera e agonia, eu ficava me perguntando: “_Quem será a minha noiva? Por que tanta demora? Onde ela está?” Então, a minha agonia e inquietação foram aumentando cada vez mais, pois, quanto mais eu a procurava, mais desesperado e nervoso eu ficava. Depois de muito tempo, consegui me acalmar um pouco mais, porém, ainda estava preocupado em saber quem era a minha noiva. De repente, de maneira inexplicável, olhei para fora daquela igreja, em direção a porta de entrada, e notei que na rua havia um carro, que acabara de chegar naquele exato momento. Percebi também que muitas pessoas correram para a porta de entrada para ver quem sairia daquele carro que estava acabando de estacionar ali. As pessoas observaram quando uma das portas se abriu, e, para surpresa de todos, (inclusive a minha). Era a noiva que havia chegado! “Até que enfim ela chegou!” . Imaginei em silêncio, entre aquelas pessoas que ali estavam, aguardando o momento mais esperado, porém, eu não conseguia vê-la de longe, apenas sua imagem, meio distorcida. Todos ali presente ficaram maravilhados, alguns até choraram, emocionados com aquela linda cena. Entrou uma jovem vestida de noiva, caminhava em direção aos portais daquela igreja, que de tão cheia, o seu som era como a voz de muitas águas. Num dado momento, eu tentei avistar aquela noiva, mesmo de longe, mas, eu estava apertado, e espremido entre muitas pessoas que estavam na minha frente. Depois de algum tempo, percebi que aquela noiva, com um vestido branco maravilhoso, lindo, deslumbrante, começou a caminhar em minha direção. Eu estava no interior da igreja, junto ao altar, entre muitos homens e mulheres que ali, educadamente esperavam por aquele momento divino! Ela vinha caminhando lentamente, “passo a passo”, em minha direção. Com seu rosto coberto pelo véu, não pude vê-la exatamente, mas percebi que era uma linda jovem, e fiquei feliz, sentindo um "calafrio" surgir lentamente em minha espinha dorsal, que tentava me dominar por completo, mas me contive, e me controlei, e esperei aquela linda noiva se aproximar. Enquanto ela caminhava dentro da igreja, eu notava a felicidade no rosto de cada pessoa, e eu, sorrindo, não podendo mais me segurar, deixei uma lágrima cair. Eu não estava triste ou amargurado, o que sentia naquele instante era uma alegria imensa, que não pude conter em silêncio.

Pensei em gritar forte e bem alto de muita alegria, mas, com receio não o fiz, deixei as coisas fluírem naturalmente para não estragar o clima que a essa altura já havia contagiado a todos naquele ambiente celestial, puro e agradável. Mais alguns passos à frente, e aquela que haveria de tornar-se minha esposa, se aproximava, sempre em direção ao altar, onde ansiosos esperávamos. Tudo estava preparado naquela hora, em cima do altar estava a Bíblia Sagrada, e a decoração estava impecável, sem dúvidas, arrisco a dizer que aquele lugar realmente era um pedaço do céu! Muito lindo mesmo! Maravilhoso! Depois de muitas expectativas, e muita demora, chegou então o momento de olharmos um para o outro, notei que ela era uma jovem de pele morena, com os cabelos pretos, encaracolados, na altura dos ombros, e de baixa estatura, pouco mais que um metro e meio. Fiquei muito contente ao vê-la se aproximando de mim, confesso que fiquei um pouco sem jeito e meio acanhado, pois não a conhecia, nunca antes tinha estado com ela, em lugar nenhum desse mundo. Achei muito estranho o fato de ela não mostrar seu rosto para que eu realmente a contemplasse, pois, ao se aproximar de mim, ela parou a uma determinada distância e ficou de costas, então eu não conseguia ver exatamente como era o seu rosto. Mas, me recordo perfeitamente que, quando eu fui chegando perto dela, para vêla e contemplar a sua beleza, tão comentada por várias pessoas daquela festa. No momento exato em que cheguei perto dela, feliz, com um sorriso estampado em meu rosto, e algumas lágrimas de felicidade e satisfação, ela virou-se, para se revelar a mim, e ao vê-la bem de perto, eu fiquei completamente frustrado, atônito e pasmo; Minha noiva, não tinha face! E completamente perplexo, desesperado, assustado, apavorado e confuso, eu cheguei a fazer uma série de exclamações: “_Uma noiva sem face! sem rosto, sem olhos, sem boca, sem nada! Não havia rosto nela, ela era uma mulher sem face, sem absolutamente nada em seu rosto. E infelizmente, foi justamente quando ela virou o seu rosto para mim, revelando-se finalmente, ao notar que ela não tinha nada em sua face, então eu, completamente confuso, sem entender nada daquele estranho sonho, que mais parecia um grande “enigma” para mim. Eu acordei, e levantei da minha cama muito nervoso por ter acordado sem saber exatamente quem era aquela noiva, pois eu imaginava que seu rosto apareceria dentro de alguns instantes, ou haveria uma “transformação”, uma espécie de “metamorfose”, ali mesmo, repentinamente. Eu queria mesmo ver com clareza e exatidão quem estava por trás daquela “face oculta”. Cuja presença me deixava confuso e completamente desnorteado. Eu pensava que aconteceria alguma coisa diferente para me esclarecer tudo o que estava acontecendo dentro daquela igreja, decifrando assim aquele enigma, dentro do qual, eu me sentia totalmente perdido, sem saber o que fazer nem para onde ir. Esse sonho sem dúvida me abalou muito. Eram três horas da madrugada quando acordei daquele sonho, pesadelo, ou visão. Fiquei completamente aborrecido com tudo aquilo que se passou em minha cama durante aquela madrugada.

No dia seguinte compartilhei isso com minha mãe, e ela me disse que Deus estava tentando me dizer por meio de uma revelação, que aquela “noiva sem face”, seria a minha esposa no futuro, por isso ela estava com o rosto incompleto, sem nada, coberto, sem que eu pudesse vê-la. Minha mãe me disse que no futuro, eu a encontraria em algum lugar. A partir desse dia, a minha vida mudou, pois eu não tirava mais essa ideia da minha cabeça. Eu nunca fui ansioso para me casar, na verdade, nunca tinha dado importância pra isso, tampouco pensava em ser pai, ou constituir uma família, pois antes de receber a Jesus, sempre fui oprimido, triste e só. E sempre que tentava namorar alguma moça, logo tudo acabava, e eu ficava cada vez mais revoltado, porque nunca os meus relacionamentos davam certo. Mas dessa vez foi diferente, eu entendi que realmente aquele sonho não foi em vão, havia nele uma mensagem real e verdadeira para a minha vida, afinal, fazia três anos que eu havia entregado a minha vida nas mãos do Senhor Jesus, abandonando totalmente a adoração ao ‘rock satânico’, a ‘prostituição’ e as ‘drogas’, para viver ao lado de Cristo, o Amado Mestre. Acredito sim, que o Senhor já estava preparando para mim, aquela que seria a minha verdadeira esposa, sábia, temente a Deus e fiel. Jamais duvidei deste sonho, em momento algum passou pela minha cabeça que aquilo que sonhei era uma “bobagem” ou “loucura”, jamais. Sempre acreditei que tudo aquilo que presenciei naquele cenário, um dia se cumpriria em minha vida. Quanto a isso, não tinha dúvidas nenhuma, sempre guardei a fé a esse respeito. Ninguém sabia a interpretação exata daquele sonho tão estranho e complexo, porém, depois de muitos dias, eu decidi morar na casa de minha avó, em São Vicente, no litoral paulista, para fazer a obra do Senhor, e cumprir o “Ide” de Jesus Cristo. E lá, depois de muitas visitas em diversas igrejas, andando e conhecendo vários ministérios cristãos, eu finalmente conheci face a face uma linda jovem, e tive a certeza que era ela aquela, que, de maneira completamente estranha, aparecera para mim num sonho.

Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele dito, não o fará? Ou, havendo falado, não o cumprirá? Números 23:19 Deus é Fiel!

___________________________________________

“No ano de 2004, eu conheci pessoalmente aquela mulher que aparecera para mim num sonho: ‘A Noiva Sem Face’. Ela era uma jovem cristã, realmente muito linda! Porém, ao pedi-la em casamento, fui por ela, desprezado por ser um rapaz pobre!”
__________________________________________________

...Porque o amor do dinheiro é a raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores... 1 Timóteo 6:10

A Jesus, toda honra e toda glória!

CICLO XIV A CAVERNA
O oráculo profético

No dia 24 de Fevereiro de 2003, eu recebi uma profecia de uma missionária cujo nome é “Joana D’arc”. Estávamos numa sala, onde nos reunimos para uma oração logo após voltarmos da “Consagração” pela manhã, na Igreja Assembléia de Deus, no bairro do Jardim São José, na Cidade de Suzano – São Paulo. Ali estavam presentes: a minha querida mãe - “Antonia”, minha irmã “Josie”, e suas duas cunhadas, “Regina e Rejane”, a irmã “Núbia” e a irmã “Bel”. Começamos a orar agradecendo ao Senhor Jesus por mais um dia de vida e pelas bênçãos alcançadas. A oração não se estendeu muito, pois já havíamos estado na igreja momentos antes. Quando a oração terminou, a missionária “Joana Darc” veio em minha direção e me disse assim: “_olha jovem, eu tive uma visão com você nesse exato momento enquanto orávamos”. E continuou dizendo: “_olha jovem, enquanto estávamos orando aqui, todos juntos, o Senhor Jesus me mostrava você trabalhando dentro de uma agência cheia de computadores, era como se fosse um estúdio, cheio de aparelhos, e ali você estava operando os computadores e preparando eventos para a obra de Deus.” Ela ainda acrescentou dizendo: “_Não sei se isso é no plano material ou no plano espiritual, mas Deus cumprirá isso em sua vida, acredito que seja uma grande porta de emprego para você, somente creia que o Senhor Jesus sempre cumpre o que Ele promete.” Então eu disse “amém” e guardei em meu coração aquela profecia, mas ficava imaginando como seria esse emprego, às vezes pensava: “_Será, que vou trabalhar em uma agência bancária? Como será essa agência ou esse estúdio? No início do ano de 2007 passei por muitas aflições espirituais, pois, eu não conseguia um emprego, e sem dinheiro nenhum para me manter, morando longe dos meus pais, na casa de minha querida avó Josefa (que já descansa em Cristo), eu pedia para o Senhor Jesus me ajudar, pois, eu havia distribuído muitos currículos por vários lugares, mas, sem sucesso, e sempre que eu chegava em casa, eu ia chorar escondido no meu quarto, longe das pessoas.

Eu dobrava os meus joelhos e clamava a Deus dizendo assim: “_Ó Senhor Jesus, eu saí da casa dos meus pais, para cumprir a Sua Palavra, pois me chamaste ao ministério para pregar o Seu Evangelho. O Senhor mesmo me prometeu dizendo que todo aquele que deixar pai, mãe, amigos e filhos por amor de Ti, receberá muito mais neste mundo e no porvir, a vida eterna.” Lucas 18:29-30 __________________________________________________ Depois que orei dizendo ao Senhor estas palavras, percebi que uma grande paz acalmou o meu coração, e continuei na fé, acreditando que dias melhores estavam por vir em minha vida. Lembro-me que eu fiquei sem água para tomar banho, então pedi um “tambor” ao meu tio “Gerivaldo”, para enchê-lo com a água da chuva, e o coloquei ao lado da porta, e fiquei esperando os primeiros pingos de chuva caírem do céu, eu não fiz a tradicional “dança da chuva”, mas, fui orar ao Senhor Jesus, e quando a noite chegou, uma forte chuva desceu do céu fazendo aquele tambor transbordar, então eu pude ver a “Provisão de Deus” nas horas difíceis. Eu sei que para muitos, isso não é nada, mas para mim, que vivi e presenciei isso, foi um grande Milagre! Deus trabalha de diferentes formas na vida de cada pessoa, existem pessoas que passam pelo “Vale da sombra da morte”, outros “perdem um ente querido”, outros ainda “chegam ao fundo do poço” depois de uma vida cheia de luxo e riqueza. Existem testemunhos daquelas pessoas que morreram e ressuscitaram e comprovam tal fato através de documentos. Enfim, existem muitas formas de Deus trabalhar e operar na vida de uma pessoa, para transformá-la num verdadeiro vaso para ser usada com poder e autoridade em suas mãos. Aleluias! Cristo é o Oleiro! Aquela chuva foi tão forte, que, se eu tivesse mais tambores, com toda certeza acredito que todos ficariam cheios, e transbordando. Isso me faz lembrar aquela pobre viúva, cujos filhos estavam para ser vendidos à escravidão a fim de pagar as dívidas deixadas pelo pai. Mas ela, a fim de proteger seus filhos, foi ao profeta Eliseu em busca de ajuda. Tudo que ela possuía de algum valor era um pouco de azeite. Logo o profeta Eliseu sugeriu que ela pedisse emprestados, de seus vizinhos, tantos jarros quantos conseguir para enchê-los com o azeite do seu jarro. Ela continuou despejando azeite do seu jarro até encher todas as vasilhas que conseguiu. Eliseu então lhe diz que venda o azeite para pagar as dívidas e com a sobra do dinheiro poderá viver com seus filhos. (2 Reis 4:1-7) Que milagre extraordinário! Que maravilha Deus fez na vida daquela pobre mulher!

Naquela ocasião, eu experimentei. A “Provisão De Deus”, como muitos profetas do passado e muitos missionários da atualidade, que deixaram de lado uma vida de conforto, para pagarem um “alto preço” pelas almas perdidas nesse mundo de ilusões e vaidades. O preço é realmente alto e nos faz chorar e soluçar na presença de Deus, mas, como diz uma serva de Deus abençoada: “O escape o descanso a cura a recompensa vem, sem demora...” (Ludmila Ferber).

Pela manhã eu escovava os dentes com a água daquele tambor, eu não tinha creme dental, então usava sabão mesmo, eu não tinha frescura, foi estranho, mas não morri por isso. Com o passar do tempo, eu percebi que havia muitas “larvas” que se proliferavam naquela água. Mesmo sabendo do risco de contrair uma doença, até mesmo a “Dengue” tão comentada em nossos dias, eu usava aquela água para tomar banho, escovar os dentes, e ainda matava a minha sede, sem engolir nenhum mosquito recémnascido! Deus me livrou das enfermidades por que Ele é Fiel! Deus me guardou nesses “dias difíceis”, dias de provações em que Ele estava formando a minha personalidade e meu caráter cristão. A verdadeira escola de Deus não é uma faculdade teológica, com equipamentos de última geração, salas climatizadas e uma série livros para consultas e pesquisas. Não, não é assim a escola de Deus! E nunca o será! “Os valentes marcham com fé. Os covardes dão marcha ré.”

Todo aquele que quiser fazer a obra do Senhor como deve ser, após ter a “Convicção do Chamado”, passará por grandes provações e tribulações, para depois receber o seu “Diploma” das mãos do Mestre Jesus. Quero também deixar registrado aqui um sonho que tive ainda em meio as provas e tribulações, no ano de 2007. No momento em que eu estava pensando em voltar para a casa dos meus pais, para “fugir” das provações que me cercavam. Eu havia arrumado as minhas malas, pois, muita gente dizia para eu voltar para a casa de meus pais, que sendo assim, a minha vida ia melhorar e Deus me abençoaria grandemente. Eu escutava esse tipo de conselho de várias pessoas, algumas até bem experientes na vida cristã, porém, dentro do meu coração, a minha vontade era de ir até o fim da prova, estava disposto a morrer ali, pois, não sairia do meu lugar sem antes receber a vitória das mãos do Senhor que não tolera os covardes.

Lembro-me que de madrugada, por volta das três horas, eu tive um sonho, e nesse sonho eu estava preparado para voltar para a casa dos meus pais, na cidade de Suzano, na grande São Paulo. Eu havia arrumado as minhas malas, e elas estavam no chão. Então eu vi que de repente apareceu um mensageiro do Senhor, com certeza era um anjo enviado por Deus, que parou na entrada da porta e me olhando disse assim: “_Onde você pensa que vai?” Eu estava sentado no chão, perto das minhas malas, e respondi-lhe: “_Eu já não aguento mais, eu estou cansado de sofrer aqui, eu vou voltar para a casa dos meus pais!” Nesse momento, aquele anjo de Deus, cheio de autoridade do céu, levantou sua voz, ao me ver prostrado no chão, sentindo-me um derrotado, e me disse assim: “_Levanta-te e fique de pé, pois você está no meio de uma grande provação. V você está sendo provado por Deus, desfaça agora mesmo as suas malas. V você não voltará para a casa dos seus pais, não seja covarde, a sua prova já vai passar. Muito em breve estarás cantando o hino da vitória e se alegrando na presença do Senhor, que te escolheu para pregar a Sua Palavra com poder e autoridade na terra!” A verdade é que eu já não estava mais aguentando a agonia de ficar desempregado, sem dinheiro para me manter, sem ter o que comer, tendo que esperar pelos outros, um ou outro favor, e escutando humilhações. Depois que recebi com fé as palavras daquele “Mensageiro”, ganhei forças para continuar orando e evangelizando, mesmo desempregado e sem dinheiro. Pelas manhãs eu levantava e saía pelas ruas para entregar folhetos da Palavra de Deus, pois sempre gostei de me aproximar das pessoas para conversar e fazer amizades. Eu compartilhava com muitas pessoas o grande milagre que Deus fez em minha vida, libertando-me do Rock e das drogas. Depois daqueles dias de grandes provações, eu consegui uma vaga de emprego num depósito de reciclagem, e ali, eu trabalhei satisfeito, pois para mim, a fase do desemprego havia chegado ao fim. Naquele depósito de reciclagem, eu separava garrafas, plástico, papelão, e outros materiais que ali entravam. Muitas portas de emprego surgiram para mim, depois daqueles dias difíceis, lembro-me que trabalhei de ajudante de pedreiro com o irmão “Toninho”. Com ele também trabalhei contente e satisfeito, cheguei a levantar algumas paredes de tijolos vermelhos, tudo no prumo e na medida certa, é claro. E, por falar em “prumo”, quero dizer que nossas vidas também passam pelo prumo de Deus, que é Santo, Justo e Fiel! Que o Senhor Jesus, por meio de Sua infinita misericórdia, nos conserve em temor e tremor diante de Sua presença! Á Jesus Cristo, toda honra e Toda Glória, eternamente, amém.

Enfim, o tempo passou, então eu conheci o proprietário de uma LAN HOUSE – também servo de Deus - na cidade de São Vicente, no litoral paulista, o qual me ajudou muito, abrindo uma porta de emprego para mim. E meses depois, mesmo sabendo que eu não tinha dinheiro algum - pois eu estava passando por uma grande provação - aquele servo de Deus, decidido a deixar o ramo comercial, me vendeu o seu estabelecimento, para que eu pagasse da forma que eu pudesse, com o suor do meu rosto.

"Não prosperará nenhuma arma forjada contra ti; e toda língua que se levantar contra ti em juízo, tu a condenarás."
Isaías 54:17
_______________________________________________________

Desta forma, eu, sem nenhum centavo no bolso, depois de passar por vários lugares trabalhando como: faxineiro, ajudante de pedreiro, atendente de loja, vendedor, inspetor de alunos, pintor e artista plástico - por um milagre de Deus, comprei uma Lan House, que tinha por nome: “Caverna”. E foi dentro daquela “caverna” que comecei a escrever este livro, para a honra e para a glória do Senhor Jesus! Então eu pude notar que, depois de muitos anos, Deus cumpriu a profecia daquela missionária, que falou que teve uma visão comigo, enquanto orávamos, e ela me viu trabalhando entre muitos computadores, organizando eventos para a obra de Deus! E assim aconteceu! No momento em que eu estava pensando em voltar para a casa dos meus pais, para “fugir” das provações que me cercavam. Pois eu já havia arrumado as minhas malas, influenciado por muita gente que me dizia para eu voltar para o conforto da casa dos meus pais, pois só assim, a minha vida ia melhorar e Deus me abençoaria grandemente.

Mas em meu coração eu não aceitava a ideia de ter que voltar atrás, num ato covarde, pois eu tinha fé que Deus cumpriria a sua Palavra e me abençoaria grandemente, pois Ele cumpre o que promete. Eu trabalhei com humildade diariamente, com fé e bom ânimo, para a honra e para a glória do Senhor Jesus! Com o passar do tempo, depois de muitas pesquisas na internet, descobri que o nome do homem que Deus usou para me abençoar significava: “Floresta”, “Bosque”, “Campo Fértil”. Então, eu agradeci a Deus, mais uma vez, por me tirar do “Deserto”, da “Miséria”, da “Vergonha”, da “Humilhação”, e transportar-me para um lugar fértil, onde verdadeiramente a minha vida começou a mudar em todos os sentidos! Louvado seja o nome do Senhor Jesus para sempre e eternamente, amém. Eu passei pelo "Vale da humilhação", chorei várias vezes escondido em meu quarto sozinho, longe dos meus pais, ouvi insultos e calúnias de toda espécie, mas estou aqui de pé para dizer a você que eu venci, pois Jesus Cristo é Fiel. Estive mesmo "rodeado de computadores" do jeito que aquela missionária me falou em profecia no dia 24 de Fevereiro de 2003.

Disse-me o Senhor: Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra para a cumprir.
Jeremias 1:12

Jesus Cristo não se esqueceu de mim! Ele é Fiel!

CONCLUSÃO

Após a minha conversão a Cristo, minha irmã Josie, também entregou sua vida nas mãos do Senhor. Mais tarde, por um milagre de Deus, minha querida mãe Antônia, também decidiu seguir os passos do Mestre Jesus. Algum tempo depois o meu irmão Jefferson, depois de muitas lutas e dificuldades, entregou-se a Deus. E por último, o meu pai Edvaldo, na virada do ano de 2003, vendo toda a sua casa servindo a Cristo, o Espírito Santo o chamou para participar desta benção! Assim, toda a minha casa passou a servir o Cristo Santo e Ressurreto! Ao Senhor Jesus, seja dada toda honra e toda glória, eternamente, amém. A partir do momento em que eu comecei a escrever este livro, muitas coisas estranhas passaram a acontecer, tais como: “ataques demoníacos” durante as madrugadas, enquanto eu tentava dormir e descansar a minha mente. “Calúnias”, “fofocas” contra a minha pessoa. “Graves acusações”, problemas com irmãos de ministério, “inveja”, “ciúme”. Não poderia deixar de relatar aqui, o livramento que o Senhor Jesus me deu. Na mesma semana em que um rapaz me deu os seus discos de rock n’ roll - afirmando não querer mais ouvir a música satânica - eu fui assaltado por dois jovens que entraram armados com revólveres em minha Lan House. Por esta razão, entendi a fúria de satanás contra o meu ministério ali naquele lugar.

Satanás tem sede de destruir as almas!

...Jesus veio para destruir as obras do diabo... 1 João 3:8

Também fui muito perseguido por “mulheres casadas”, que vinham me tentar para que eu caísse, com elas, no laço da prostituição. Vieram as enfermidades, o cansaço físico e mental. Eu perdi minha querida avó “Josefa”, senti muitas saudades dos meus pais, pois trabalhava treze horas por dia, para ver esse livro chegar nas mãos de milhares de jovens que se encontram nas garras de satanás, oprimidos pelo rock n’ roll e o satanismo. Tive ainda vários pesadelos horríveis, fui criticado por anunciar o evangelho nas ruas, fui traído e humilhado por uma namorada que me desprezou por ser pobre. Passei fome morando sozinho, longe dos meus pais. Ouvi insultos e humilhações de muitas pessoas. Até mesmo uma de minhas tias chegou a ficar ‘endemoninhada’, tentando me expulsar do quintal onde eu morava, pois ela não suportava ouvir o evangelho de Jesus. Eu vi quando seus olhos mudaram de cor ao olhar para mim, e em alta voz ela gritava, dizendo que eu tinha que sair daquele lugar, e ir embora. Em sua face eu pude ver nitidamente a fúria de satanás contra a minha vida, por estar trabalhando para o Senhor Jesus, a fim de desmascarar as obras das trevas. Passei por vários momentos de solidão e angústia, muitas provações, muitas tentações de mulheres que me perseguiam, para me arrastarem para a prostituição. Entrei em consagração de corpo e alma para vencer o maligno através de jejuns e orações diariamente, pois a luta espiritual existe, e a força das trevas tenta nos atacar, lançando contra nós o medo, a culpa de pecados passados, o orgulho, a falta de perdão, que gera um câncer maligno e nos deixa infeliz. O esgotamento, o desânimo, a frieza, a dúvida em situações extremamente difíceis. Derramei muitas lágrimas dentro do meu quarto, escondido de tudo e de todos. Mesmo assim, eu não podia desistir do meu objetivo que era e ainda é, relatar esse testemunho á todos que passaram ou passam por situações parecidas com as que vivi.

Disse Jesus: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei” Mateus 11:28 _______________________________________

(Fim)

"EM DEUS NÃO HÁ TREVAS"

Estas coisas vos escrevemos, para que o vosso gozo se cumpra. E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que DEUS É LUZ. E não há NELE TREVA NENHUMA. 1JOÃO 1:3-5

_________________________________________

O AUTOR

JUNIOR OMNI

N as c eu e m 1 9 7 9, no alto da Moóc a, na grande São Paulo. Viveu pa rt e da sua infância e m são Vic ente, litoral paulista. Em 1 9 8 6, os seus pais mudara m par a a cidade de Suzano, no interior de São Paulo, onde reside m a tualm ente. Sempre foi ap aixonado pelas a r t es plástic as, músic a e literatura. Em 2 0 0 1 re c ebeu o cha m ado de J esus Cristo, para ser um pr egador do evangelho. Em 2 0 0 6 fez t eologia pelo Seminário N a cional I TEJ – Brasília – DF. Como um simples poet a cristão, usando o pseudônimo “JUNIOR OMNI”, os seus poem as e poesias – bem como o seu polêmico t es te munho: “ROCK N' ROLL – A MÚSICA DO INFERNO” – encontra m-se espalhados pela inte rne t.

À JESUS, TODA HONRA E TODA GLÓRIA!

Toda honra e toda glória seja dada ao Senhor e Salvador Jesus Cristo, eternamente, amém. ________________________________

WEBSITE:
http://issuu.com/junioromni30 WWW.A-VISAO-DO-INFERNO.BLOGSPOT.COM
junioromni.xanga.com/707562085/a-vision-of-hell---testimony-of-a-rocker/

E-MAIL: junior_silva_739@hotmail.com

******* JESUS AMA VOCÊ! JESUS LOVES YOU!

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful