Você está na página 1de 290

See discussions, stats, and author profiles for this publication at: https://www.researchgate.

net/publication/296332341

Morphological analysis of the ovaries of bovine fetuses

Conference Paper · May 2015

CITATIONS READS

0 494

5 authors, including:

Gustavo Guerino Macedo


Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
63 PUBLICATIONS   140 CITATIONS   

SEE PROFILE

Some of the authors of this publication are also working on these related projects:

Fosfosal View project

Environmental and Behavioural factors on reproductive performance of bovine females View project

All content following this page was uploaded by Gustavo Guerino Macedo on 25 April 2016.

The user has requested enhancement of the downloaded file.


Anais do
XXI Congresso Brasileiro de Reprodução Animal
Belo Horizonte, MG, Brasil
27 a 29 de maio 2015

ISSN 1984-8471

Colégio Brasileiro de Reprodução Animal (CBRA)


Belo Horizonte, MG, Brasil
2015
Sumário

Organização……………………………………………………...... 3
Editorial …………………………………………………………... 4
Programa………………………………………………………...... 5

Palestras - publicadas na Revista Brasileira de Reprodução Animal,


v.39, n.1, 2015. Disponível em www.cbra.org.br <abrir cópia>

Resumos científicos e Comunicações técnicas


Bovinos ..................................................................................................... 9-97

Bubalinos .................................................................................................. 98-105

Equinos ...................................................................................................... 106-134

Suínos ........................................................................................................ 135-143


Aves .......................................................................................................... 144-148

Caprinos .................................................................................................... 149-174

Ovinos ....................................................................................................... 175-201

Caninos ...................................................................................................... 202-220

Felinos ....................................................................................................... 221-232

Animais aquáticos ..................................................................................... 233-241

Animais de laboratório .............................................................................. 242-251


Animais silvestres ..................................................................................... 252 -278

Índice de autores....................................................................................... 279-289

Os textos foram reproduzidos conforme os originais enviados,

sendo o conteúdo apresentado de total responsabilidade dos autores.


Organização

Organização geral
• Antônio de Pinho Marques Júnior, UFMG, Presidente do CBRA e do XXI Congresso Brasileiro de
Reprodução Animal
• Carlos Eduardo Ambrósio, USP, Secretário do CBRA e do XXI Congresso Brasileiro de Reprodução
Animal
• Patrícia Ramos Xavier, UFMG, Tesoureira do CBRA e do XXI Congresso Brasileiro de Reprodução
Animal
• Equipe administrativa do CBRA

Comitê Assessor
• Alan Maia Borges (UFMG/EV, Belo Horizonte, MG)
• Alexandre Rodrigues Silva (UFERSA/LCGA, Mossoró, RN)
• Carminda Sandra Salmito-Wanderley (UECE/FAVET, Fortaleza, CE)
• Eliane Vianna Costa e Silva (UFMS/FAMEZ, Campo Grande, MS)
• Erika C Santos Oliveira (UFRPE, Recife, PE)
• Fernando Pandolfo Bortolozzo (UFRGS/FA, Porto Alegre, RS)
• Flávio Vieira Meirelles (USP/FZEA, Pirassununga, SP)
• Geraldo Eleno Silveira Alves (UFMG/EV, Belo Horizonte, MG)
• Leonardo Lara e Lanna (IFNMG, Salinas, MG)
• Maria Isabel Mello Martins (UEL, Londrina, PR)
• Osvaldo de Almeida Resende (EMBRAPA/AGROBIOLOGIA, Seropédica, RJ)
• Rodrigo Costa Mattos (UFRGS/FV, Porto Alegre, RS)

Colégio Brasileiro de Reprodução Animal


Av. Cel. José Dias Bicalho 1224, Lj. 4 - Bairro São José, Pampulha - CEP 31275-050
Belo Horizonte, MG, Brasil
Tel:+55(31)3491-7122 - Site: www.cbra.org.br – E-mail:cbra@cbra.org.br

Congresso Brasileiro de Reprodução Animal (21. : 2015 : Belo Horizonte, MG)


Anais / XXI Congresso Brasileiro de Reprodução Animal. – Belo Horizonte,
MG: CBRA: 2015.
ISSN: 1984-8471 (CD-ROM)
1. Reprodução animal – Congresso. I. Colégio Brasileiro de Reprodução
Animal.
CDD – 636.089 261
XXI Congresso
C B
Brasileiro de
d Reprodu ução Animaal
Beloo Horizontee, MG, 27 a 29 de maiio de 2015

Editoorial

Caross Congressistaas,
Sejam
m bem vindos ao XXI CBRA
A!

O Collégio Brasileirro de Reproduução Animal - CBRA, no ev vento que coinncide com os seus quarentaas anos, prestaa
homennagem póstum ma a figuras importantes
i n cenário da reprodução animal
no a no Braasil, aos quaiss a veterináriaa
brasileira e a sociiedade são peermanentemennte gratos peela atemporal contribuiçãoo prestada no os campos daa
pesquuisa, ensino e extensão, aléém do exercíccio profissionaal cotidiano. Considerando
C o a exiguidadee de espaço e
tempoo, neste eventoo comemoratiivo dos quarennta anos do CBRA,
C a Direttoria optou poor brevementee mencionar a
biograafia do Professsor Renato Campanarut
C B
Barnabé, que faleceu recenntemente, com m a qual tem a intenção dee
repressentar toda a longa
l lista de colegas que mereciam
m ser citados. Para apresentar a biografia do Prof.
P Barnabéé
foi coonvidado o Dr. Osvaldo Alm meida Resendee, sempre pressente e atuante no CBRA ddesde a sua fun ndação.

Prof. Antônio de Pinho Marques Jr..


Dirretoria Executtiva do CBRAA
Gesttão 2011/20155
Beloo Horizonte, junho de 20155

CB
BRA - Homen
nagem In Meemoriam ao Prof.
P Renato Campanarut
C t Barnabé.
1932 – 2013✝
2

O Proof. Renato Cam mpanarut Barnnabé deixou um u grande leg gado, para com munidade cienntifica brasileiira na Área daa
Reproodução. O Proof. Campanaruut, nascidoem m Santana de Parnaíba, SP,, em 24.1.19332, faleceu em m 31.07.2013..
Veterinário formaddo em 1961, pela FMV-U USP. No perío odo de 1965 a 1966 frequuentou Pós Graduação
G em
m
Reproodução Animaal naFMV-US SP, apresentaando a monog grafia "Fatorees ambientais e Reproduçãão”. Em 19677
obteve o título de Mestre,
M com a dissertação "D Desmama preecoce de bezerrros com quanntidades reduzzidas de leite",,
eem 1968,
1 o títuloo de Doutor com a tese “Variações
“ esstacionais no pelame de vacas da raça Jersey e suaa
correllação com a produção
p leiteeira”,na FMVVZ-USP. Em 1969 1 participoou do Curso de Reproduçãão Animal doo
Coléggio Real de Veterinária
V Suueco, sendo orientado
o pelo o Prof. Emérrito Nils Lageerlof. Foi pio oneiro no usoo
mediccamentoso de Prostaglandiinas F2α no Brasil, B tendo participado do d I Simpósioo Nacional dee Reproduçãoo
Animmal do CBRA A, em 1974, comoc palestraante no sobree o tema.Na FMVZ-USPddefendeu, em m 1975, livre--
docênnciacom o trabbalho “Utilizaação da prostaaglandina F2α na sincronizaação do ciclo estral em bov vinos”. Graçass
a sua atuação, a FM MVZ-USP se tornou um centro de referêência de reprodução animall, com criação o do seu cursoo
de Póós-graduação, em 1976, sobb a sua coordeenação. Obtev ve o título de Professor Tittular em 1983 3, trabalhandoo
para a criação do Departamentoo de Reproduução Animal (VRA), ( sendoo o seu primeeiro Chefe. Foi Diretor doo
CIZIP P, e Vice-Dirretor da FMV VZ de 1986 a 1989. De2 2001 a 2013 foi Diretor ddo Centro Brrasileiro paraa
Conseervação de Feelinos Neotropicais. Aposeentado em 2002 continuouu na ativa, tenndo orientando mais de 500
estudaantes de messtrado e douttorado. Teve relevante prrodução bibliográfica, com m 92 trabalho os científicoss
publiccados em reviistas nacionaiss e internacionnais, seis livroos didáticos, e tendo traduziido mais de uma dezena dee
livross e capítulos na
n área de reprrodução, perfaazendo mais de d 245 apubliccações. Particiipou em mais de 50 bancass
examiinadoras, conttribuindo paraa a consolidaçção do ensino da Reproduçãão Animal, poor sua marcan nte atuação naa
formaação acadêmicca de diversos professores universitários no Brasil Recebeu R os títtulos de Profeessor Honoriss
Causaa da FMVZ-U UNESP de Botucatu
B (20055) e de Pesq quisador Emérrito do CBRA A (2001). Foi membro daa
Acadeemia Brasileiira de Mediccina Veterinárria (ABMV) e da Acadeemia Paulista de Medicina Veterináriaa
(APAAMVET), Representante Braasileiro no Staanding Comm mitee, ICAR (11996), Membrro da Academ mie Veterinairee
de Fraance e da Soccietá Italiana per
p il Progressso dela Zooteecnia(1976). Ganhou
G várioss prêmios, destacando-se o
“Lifettime Researchh Award” noo ICAR em 2004. A con ntribuição doo Dr. Renato foi relevante no cenárioo
acadêêmico, servindo como moodelo profisssional para as a sucessivas gerações dee docentes, que q com elee
convivveram e trabbalharam. Com mo reconheciimento à ded dicação profissional na M Medicina Veteerinária e em m
especial na Reproddução Animal,, o CBRA reggistra a homen nagem “in meemoriam” ao estimado proffessor Renatoo
Camppanarut Barnabbé, nesta marccante data de comemoração
c o de 40 anos de
d atividades ppara o progressso da Ciênciaa
Animmal.

O
Osvaldo Almeeida Resendee
EMBRA
APA/AGROB
BIOLOGIA, Seropédica, RJJ
XXI Congresso Brasileiro de Reprodução Animal
27 a 29 de maio de 2015, Belo Horizonte, MG, Brasil

Programa Técnico-científico

27 de maio de 2014, quarta-feira


09:00-11:15 Plenária: Reprodução de equinos: estado da arte
Coordenador: Rodrigo Costa Mattos (UFRGS/FV, Porto Alegre, RS)
09:00-09:45 Complexo endometrite-endometrose na égua: avanços no conhecimento
Rodrigo Costa Mattos (UFRGS/FV, Porto Alegre, RS)
09:45-10:30 Equine semen cryopreservation: state of the art [Criopreservação de sêmen equino:
estado da arte]
Harald Sieme (TIHO, Hannover, Alemanha)
10:30-11:15 Efeito antiluteogênico da prostaglandina F2α
Carlos R. F. Pinto (Louisiana State University/School of Veterinary Medicine, Baton
Rouge, LA)
11:15-12:00 Homenagem aos 40 anos do CBRA
Coordenador: Osvaldo Almeida Resende (EMBRAPA/AGROBIOLOGIA, Seropédica,
RJ)
11:30-12:00 História da inseminação artificial no Brasil
Neimar Correa Severo (Central Bela Vista, Pardinho, SP)

12:00-14:00 Almoço

Simpósio: Reprodução de bovinos de corte


Coordenador: Eliane Vianna Costa e Silva (UFMS/FAMEZ, Campo Grande, MS)
14:00-14:45 Seleção de touros para reprodução a campo: novas perspectivas
Eliane Vianna Costa e Silva (UFMS/Laboratório de Reprodução Animal/FAMEZ, Campo
Grande, MS)
14:45-15:30 Ultrassonografia associada ao exame andrológico de touros: mitos e realidades
Athos de Assumpção Pastore (CRV Lagoa, Sertãozinho,SP)
15:30-16:30 Sessão de Posters
16:30-17:00 Intervalo
17:00-17:45 Sincronização da ovulação: como mimetizar ainda mais a fisiologia da reprodução
para obter melhores resultados?
Gustavo Guerino Macedo (UFU/FAMEV, Uberlândia, MG)
17:45-18-30 Morfologia espermática de touros: sua interpretação e impacto na fertilidade
Rubens Paes Arruda (USP/FMVZ, Pirassununga, SP)

Simpósio: Reprodução de animais silvestres


Coordenador: Alexandre Rodrigues Silva (UFERSA/LCGA, Mossoró, RN)
14:00-14:45 Reprodução assistida em Tatus (Cingulata): peculiaridades e desafios
Alexandre Rodrigues Silva (UFERSA/Laboratório de Conservação de Germoplasma
Animal, Mossoró, RN)
14:45-15:30 Biotecnia reprodutiva no cervídeo
Rodolfo Ungerfeld (UdelaR/FacVet, Montevideo, Uruguay)
15:30-16:30 Sessão de Posters
16:30-17:00 Intervalo
17:00-17:45 Reprodução assistida em Canídeos e Procionídeos Neotropicais
Regina Célia Rodrigues da Paz (UFMT, Cuiabá, MT)
17:45-18:30 Challenges to wildlife preservation: Present and future perspectives [Desafios da
preservação da vida selvagem: perspectivas presentes e futuras]
Nucharin Songsassen (Smithsonian Institution, Washington, DC)
Simpósio: Reprodução de aves
Coordenador: Leonardo Lara e Lanna (IFNMG, Salinas, MG)
14:00-14:45 Estratégias para seleção reprodutiva em aves
Leonardo Lara e Lanna (IFNMG, Salinas, MG)
14:45-15:30 Reprodução na ave: desafios com a nutrição e o manejo
Leonardo José Camargo Lara (UFMG/EV, Belo Horizonte, MG)
15:30-16:30 Sessão de Posters
16:30-17:00 Intervalo
17:00-17:45 Increasing reproductive performance in broilers [Melhorando o desempenho
reprodutivo em frangos]
Jorge A. Vizcarra (Alabama A&M University, Huntsville, AL, USA)
17:45-18-30 Manejo reprodutivo em granjas de matrizes comerciais
Alexandre Pires Rosa (UFSM/Laboratório de Avicultura - LAVIC, Santa Maria, RS)

28 de maio de 2014, quinta-feira

09:00-12:00 Plenária: Reprodução de multiespécies: estado da arte


Coordenador: Fernando Pandolfo Bortolozzo (UFRGS/FA, Porto Alegre, RS)
09:00-09:45 Manejo reprodutivo da fêmea suína: desafios e potencialidades
Fernando Pandolfo Bortolozzo (UFRGS/FA, Porto Alegre, RS)
09:45-10:30 Atividade reprodutiva da cabra e da ovelha: estimulo com esponja vaginal e suas
consequências
Rodolfo Ungerfeld (UdelaR/FacVet, Montevideo, Uruguay)
10:30-11:15 Criopreservação de tecido testicular
Erika C Santos Oliveira (UFRPE, Recife, PE)
11-15-12:00 Regulamentação e fiscalização de Material genético (sêmen e embriões) pelo MAPA
Carla Porto Coelho (SEFIP/DDA/SFA-MG, Belo Horizonte, MG)

12:00-14:00 Almoço

Simpósio: Reprodução de equinos I


Coordenador: Rodrigo Costa Mattos (UFRGS/FV, Porto Alegre, RS)
14:00-14:45 Transporte espermático e alterações endometriais na gestação da égua
Rodrigo Costa Mattos (UFRGS/FV, Porto Alegre, RS)
14:45-15:30 Improving the formation and function of the corpus luteum of the mare [Auxiliando
o desenvolvimento e funcionalidade corpo lúteo da égua]
Harald Sieme (TIHO, Hannover, Alemanha)
15:30-16:30 Sessão de Posters
16:30-17:00 Intervalo
17:00-17:45 O processo inflamatório na formação do corpo lúteo da égua
Carlos Pinto (Louisiana State University/ School of Veterinary Medicine, Baton Rouge,
LA)
17:45-18-30 Efeitos da endometrose no potro recém nascido
Eduardo Malschitzky (ULBRA, Canoas, RS)

18:30-20:00 Assembléia do CBRA

Simpósio: Reprodução de bovinos de leite


Coordenador: Flávio Vieira Meirelles (USP/FZEA, Pirassununga, SP)
14:00-14:45 Herança citoplasmática em vacas leiteiras
Flávio Vieira Meirelles (USP/FZEA, Pirassununga, SP)
14:45-15:30 Uterine physiology and embryo-fetus growth [Fisiologia uterina e crescimento
embrionário e fetal]
Geert Opsomer (University of Gent, Gent, Bélgica)
15:30-16:30 Sessão de Posters
16:30-17:00 Intervalo
17:00-17:45 Effects of heat stress on intestinal integrity, metabolism and follicular physiology
[Efeito do estresse caloric na integridade intestinal, no metabolismo e na fisiologia
folicular]
Lance Baumgard (Iowa State University, Ames, IA, USA)
17:45-18:30 Imunologia uterina e fertilidade
Telma da Mata Martins (UFMG/EV, Belo Horizonte, Minas Gerais)

18:30-20:00 Assembléia do CBRA

Simpósio: Reprodução de cães e gatos I


Coordenador: Erika C Santos Oliveira (UFRPE, Recife, PE)
14:00-14:45 Criopreservação espermática em felinos: estado da arte
Maria Isabel Mello Martins (UEL, Londrina, PR)
14:45-15:30 New approaches to semen improvement in dog [Novas abordagens para melhorar a
qualidade do semen de cães]
Sabine Schafer-Somi (Univ Veterinary Medicine, Vienna, Austria)
15:30-16:30 Sessão de Posters
16:30-17:00 Intervalo
17:00-17:45 Desenvolvimento embrionário e transferência de embriões em cadelas
Maricy Apparício Ferreira (Faculdade de Jaguariúna, Jaguariúna, SP)
17:45-18:30 Domestic canine and feline ovarian tissue culture [Cultura de tecido ovariano de
cadelas e gatas]
Nucharin Songsansen (Smithsonian Institution, Washington, DC, USA)

18:30-20:00 Assembléia do CBRA

29 de maio de 2014, sexta-feira

09:00-12:00 Plenária: Reprodução de bovinos: estado da arte


Coordenador: Alan Maia Borges (UFMG/EV, Belo Horizonte, MG)
09:00-09:45 Reprodução da vaca mestiça: potencialidade e desafios
Alan Maia Borges (UFMG/EV, Belo Horizonte, MG)
09:45-10:30 Uterine inflammation and infection in cows: state of the art [Inflamação e infecção
uterina da vaca: estado da arte]
Geert Opsomer (University of Gent, Gent, Bélgica)
10:30-11:15 Effects of heat stress on the immune system, metabolism and nutrient partitioning:
implications on reproductive success [Efeito do estresse caloric no sistema immune no
metabolism e partição de nutrients: implicações no sucesso reprodutivo]
Lance Baumgard (Iowa State University, Ames, IA, USA)

11:15-14:00 Almoço

Simpósio: Reprodução de peixes


Coordenador: Carminda Sandra Salmito-Wanderley (UECE/FAVET, Fortaleza, CE)
14:00-14:45 Fertilização assistida e conservação ovocitária e embrionária de peixes teleósteos:
estado da arte
Carminda Sandra Salmito-Wanderley (UECE/FAVET, Fortaleza, CE)
14:45-15:30 Congelação de sêmen de peixes brasileiros
Evoy Zaniboni Filho (UFSC/LAPAD, Florianópolis, SC)
15:30-16:30 Sessão de Posters
16:30-17:00 Intervalo
17:00-17:45 Biologia reprodutiva de peixes de água doce
Estefânia de Souza Andrade (UFLA, Lavras, MG)
17:45-18-30 Peixes comerciais: eficiência e controle de sua reprodução
Érika Ramos de Alvarenga (UFMG/EV/Laboratório de Aquacultura)
Simpósio: Reprodução de equinos II
Coordenador: Geraldo Eleno Silveira Alves (UFMG/EV, Belo Horizonte, MG)
14:00-14:45 Longevidade reprodutiva de garanhões: influência das condições genitais e do
manejo
Geraldo Eleno Silveira Alves (UFMG/EV, Belo Horizonte, MG)
14:45-15:30 Alterações genitais passíveis de tratamento cirúrgico na égua: enfrentando
obstáculos
Nereu Carlos Prestes (Unesp/FMVZ, Botucatu, SP)
15:30-16:30 Sessão de Posters
16:30-17:00 Intervalo
17:00-17:45 Mulas como receptoras de embriões: particularidades e vantagens de seu uso
Dr. Gustavo Henrique Marques Araújo (UFG, Jataí, GO)
17:45-18:30 Transferência de embriões equinos: Maximizando resultados com a escolha de
receptoras
Edilson de Paula Lopes (Profissional autônomo, Alto Jequitibá/MG)

Simpósio: Reprodução de cães e gatos II


Coordenador: Maria Isabel Mello Martins (UEL, Londrina, PR)
14:00-14:45 Castração química de cães por meio de injeção intratesticular de zinco x
orquiectomia: análise crítica
Erika C Santos Oliveira (UFRPE, Recife, PE)
14:45-15:30 Common uterine disorders in the bitch: challenges to diagnostic and treatment
[Afecções uterinos comuns na cadela: desafios do diagnóstico e tratamento]
Sabine Schafer-Somi (Univ Veterinary Medicine, Vienna, Austria)
15:30-16:30 Sessão de Posters
16:30-17:00 Intervalo
17:00-17:45 Infertilidade em gatas: abordagem diagnóstica e terapêutica
Lilian Rigatto Martins (UFMT, Sinop, MT)
17:45-18:30 New approaches to treatment of infertility in the bitch [Novas abordagens de
tratamento da infertilidade da cadela]
Sabine Schafer-Somi (Univ Veterinary Medicine, Vienna, Austria)

18:30-18:45 Encerramento do XXI CBRA

Realização:

Colégio Brasileiro de Reprodução Animal


Web site: www.cbra.org.br; E-mail:cbra@cbra.org.br

Apoio institucional:
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da antecipação do luteolítico em protocolos de IATF em vacas da raça Sindi


Luteolitic anticipation effect of TAI protocols in Sindhi cows

Leandro Lopes Queiroz1, Lucas Aquino Rodrigues1, Lucélia Karoline Gonçalves Barbosa1,
José Alcides de Castro Machado Ribeiro1, Deborah Martins Mota Takaki1, Diogo Dias Reis1,
João Marcos Silva Santos1, Bárbara Tatiane Oliveira Crisóstomo1, Júlia Borém de Brito1,
Danillo Velloso Ferreira Murta2,*, Lorena Catalina Martinez Rodriguez2, Robertha Veloso Rebello3
1
Graduando de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
2
Docente de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
3
Mestranda UNIMONTES, Montes Claros, MG, Brasil.
*E-mail: danillo.murta.vet@gmail.com

A reprodução animal em alta escala vem em uma crescente tanto no cenário brasileiro como no cenário mundial
tendo como objetivo principal a ser alcançado uma maior índice produtivo e uma maior eficiência reprodutiva,
com maiores taxas de prenhez e qualidade genética uniforme no rebanho. Algumas técnicas para o aumento da
eficácia reprodutiva são utilizadas com frequência na reprodução animal como a utilização programas hormonais
de IATF (Inseminação Artificial em Tempo Fixo). Objetivou-se neste estudo comparar dois programas
hormonais de IATF para fêmeas cíclicas da raça Sindi. Foram selecionadas 79 fêmeas Sindi na fazenda Barra da
Vereda no Município de São João da Ponte, norte de Minas Gerais, através de exame ultrassonográfico e foram
selecionadas fêmeas ciclando, divididas em dois grupos com uso de diferentes protocolos hormonais, de forma
aleatória. O grupo 1 (G1) foram submetidos 36 vacas ao protocolo, baseando-se em nove dias (D9) de uso de
implante de progestágeno e 300UI de eCG, 0,5 ml de Cipionato de Estradiol e a antecipação da prostaglandina
no sétimo dia (D7), com a inseminação no décimo primeiro dia (D11). O grupo 2 (G2), composto por 43 vacas,
no qual manteve-se sob estímulo de progestágeno por nove dias (D9), associado a 300UI de eCG, 0,5 ml de
Cipionato de Estradiol a aplicação do luteolítico no nono dia (D9). Os animais do G1 apresentou taxa de prenhez
de 63,8% na IATF e 33,3% em repasse por monta natural, totalizando taxa de 97,2% de vacas prenhas. O G2
revelou índice de prenhez de 18,6% no programa de IATF e contabilizando 60,4% do total de vacas gestantes
oriundas do repasse por monta natural, totalizando 79% de prenhez ao final da estação de monta. A antecipação
da o luteolítico para o sétimo dia (D7) apresentou resultado satisfatório em programa de IATF, incrementando
maior taxa de prenhez quando comparado à luteólise no nono dia (D9).

Palavras-chave: prenhez, prostaglandina, IATF.


Keywords: pregnancy, prostaglandin, TAI.

9
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Inseminação artificial em tempo fixo em vacas Nelore no Norte de Minas Gerais


Artificial insemination in fixed time in Nellore cows in the North of Minas Gerais

Daniele Carolina Rodrigues Xavier1, João Marcos Silva Santos1, Leandro Lopes Queiroz1, Lucas Aquino
Rodrigues1, José Alcides de Castro Machado Ribeiro1, Deborah Martins Mota Takaki1, Diogo Dias Reis1,
Lucélia Karoline Gonçalves Barbosa1, Bárbara Tatiane Oliveira Crisóstomo1, Júlia Borém de Brito1,
Danillo Velloso Ferreira Murta2,*, Lorena Catalina Martinez Rodriguez2
1
Graduando de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
2
Docente de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil.
*E-mail: danillo.murta.vet@gmail.com

O rebanho bovino brasileiro é composto por 192 milhões de animais, com predominância de Bos indicus, pela
maior adaptabilidade às condições climáticas de altas temperaturas e umidade. No entanto, para que a
bovinocultura brasileira atinja elevados níveis de produtividade com qualidade a eficiência reprodutiva e o
melhoramento genético são áreas que merecem destaque. No presente trabalho, objetivou-se avaliar o potencial
de eficiência reprodutiva de vacas solteiras cíclicas, através de avaliação ginecológica por ultrassonografia, após
um programa de inseminação artificial em tempo fixo (IATF). Foram utilizadas 165 vacas solteiras ciclando, na
região norte de Minas Gerais, submetidas a um mesmo protocolo de IATF, no qual manteve-se em nove dias
(D9) de uso de implante de progestágeno e 300 UI de eCG, 0,5 ml de ciprionato de estradiol, com a antecipação
da prostaglandina no sétimo dia (D7) e inseminação no décimo primeiro dia (D11). Verificou-se 94 animais
(57%) gestantes após exame ultrassonográfico aos 30 dias após a inseminação artificial em tempo fixo. Os
resultados obtidos aproximam-se dos descritos em outros estudos com fêmeas nelores, verificando-se taxas de
52%, 56% e 60%, utilizando mesmo protocolo hormonal. Tais estudos revelam índices reprodutivos acima de
50% em vacas em vacas nelores solteiras submetidas a protocolo hormonal de IATF.

Palavras-chave: IATF, reprodução, prenhez.


Keywords: TAI, reproduction, pregnancy.

10
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Inseminação artificial em tempo fixo (IATF) como ferramenta para conservação de


bovinos da raça Pantaneiro
Artificial insemination at fixed time (FTAI) as a tool for conservation of Pantaneiro breed cattle

Moacir Ferreira Duarte Júnior,*, Luciana Keiko Hatamoto-Zervoudakis,


Joanis Tilemahos Zervoudakis, Pedro Paulo Tsuneda, Ana Laísa Cândida de Resende Fraga

Programa de Pós Graduação em Ciência Animal, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, MT, Brasil.
*E-mail: moacirjunior_vet@hotmail.com

O bovino Pantaneiro é uma das raças locais brasileiras que foi a base da pecuária no pantanal durante quase três
séculos, sendo decisivo para a ocupação de suas extensas áreas alagáveis. Atualmente estão sob alto risco de
extinção tendo seu efetivo populacional estimado em torno de mil cabeças. Uma vez que a conservação das raças
locais é fundamental para a riqueza da biodiversidade que podem garantir a sustentabilidade de populações e
biomas específicos, o uso de biotécnicas da reprodução pode ser uma ferramenta útil na expansão dos rebanhos
fechados remanescentes. Objetivou-se compreender melhor a fisiologia reprodutiva por meio da mensuração do
diâmetro do folículo dominante (DFOL) no momento da IATF e posterior taxa de concepção. Em um dia
aleatório do ciclo estral (D0), 13 fêmeas da raça Pantaneira (Bos taurus taurus) com idade entre 3 e 9 anos e
escore de condição corporal médio de 3 (escala 1-5), receberam um implante intravaginal contendo 1g de
progesterona e 2,0mg de benzoato de estradiol por via intramuscular (im). No D9 os implantes foram removidos
e foi administrado 25mg de dinoprost e 300UI de gonadotrofina coriônica equina im. No D10 foi administrado
1mg de benzoato de estradiol im. No D11 antes de cada IATF, todos os animais foram submetidos ao exame
ultrassonografico transretal (US) para avaliação ovariana, sendo identificado a presença ou ausência do DFOL, e
classificados em ausente (AF), menor que 11mm de diâmetro (ME) e maior ou igual a 11mm de diâmetro (MA).
Os animais foram mantidos em piquetes de pastagem Panicum maximum cv. Massai. O diagnóstico de gestação
foi realizado 30 dias após a IATF com auxilio da US. O experimento foi realizado em delineamento inteiramente
casualizado, e as médias da taxa de concepção para as classes de DFOL comparadas pelo teste Fischer. A análise
estatística foi feita utilizando o pacote estatístico SAS com nível de significância de 5%. A taxa de concepção
geral do lote foi de 38,5% (5/13), sendo verificada diferença (p=0,0148) entre os grupos AF (0%; 0/4) e MA
(100%; 4/4), já o grupo ME (20%; 1/5) não diferiu dos demais (p>0,05). A ausência do folículo dominante no
momento da inseminação observado no presente estudo pode ser decorrente de uma ovulação antecipada nos
animais ou a falta de resposta ao protocolo de sincronização utilizado. O tamanho do folículo ovulatório no final
do programa de sincronização tem influência na taxa de concepção após a IATF, uma vez que está relacionado
com maiores taxas de concentração de estradiol, que age modificando o ambiente uterino, melhorando o
transporte espermático e beneficiando a concepção. Conclui-se que a presença do DFOL MA no momento da
inseminação é um indicador de melhor resposta ovariana e taxa de concepção de fêmeas Pantaneiras submetidas
a programas de IATF em relação a AF, e pode ser utilizado como forma de incrementar a eficiência dos
protocolos proporcionando uma melhor relação custo benefício e auxiliando na manutenção destes rebanhos
ameaçados de extinção.

Palavras-chave: taxa de prenhez, sincronização de estro, Pantanal, raças locais brasileiras.


Keywords: pregnancy rate, estrus synchronization, Pantanal, local brazilian breeds.

11
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Influência da estação do ano na produção in vitro de embriões de vacas Gir


The season influence on the in vitro embryo production of Gir cows

Paula Piccolo Maitan1,*, Lucas Pereira Balieiro2, Ronaldo Oliveira Silveira2, João Gabriel Viana de
Grázia3, Giancarlo Magalhães dos Santos2, Camila Oliveira Silveira¹
1
Departamento de Veterinária, UFV, Viçosa, MG, Brasil; 2Departamento de Veterinária, UNIVIÇOSA, Viçosa, MG, Brasil;
3
Departamento de Clinica e Cirurgia Veterinárias, UFMG, Belo Horizonte, Brasil.
*E-mail: paulamaitan@yahoo.com.br

A aspiração folicular, seguida da produção in vitro e transferência de embriões, continua sendo considerado um
dos métodos mais práticos para maximizar o número de produtos nascidos de animais de elevado valor
zootécnico. Entretanto existe uma variabilidade nos resultados onde diversos fatores influenciam, estando entre
eles, a estação do ano. A região do Vale do Rio Doce-MG vem adotando a produção in vitro de embriões (PIVE)
como técnica de eleição para a melhoria do rebanho leiteiro, e nesse contexto, doadoras da raça Gir têm sido
utilizadas nos programas de OPU-FIV (Aspiração folicular e fecundação in vitro), principalmente devido à
adaptação das condições climáticas locais. O objetivo do presente estudo foi avaliar o efeito das estações
climáticas do ano na produção de embriões in vitro de vacas da raça Gir na região do Vale do Rio Doce. O
experimento foi realizado com os resultados, do ano de 2013, em uma fazenda comercial no município de
Tumiritinga - MG, região do Vale do Rio Doce, que possui clima tropical quente semiúmido (tipo Aw segundo
Köppen) e temperatura média anual de 22,7°C. Foram utilizadas nove doadoras da raça Gir, com peso corporal
acima de 350 kg e idade variando de 26 a 90 meses. Todas as fêmeas passaram por avaliação ginecológica
completa, utilizando-se os métodos de palpação transretal e ultrassonografia, a fim de detectar qualquer alteração
que impossibilitasse a execução das aspirações. As aspirações foliculares foram realizadas pela mesma equipe
técnica, a fim de evitar variabilidade nos resultados. Os ovócitos das doadoras foram coletados utilizando-se a
técnica de aspiração folicular guiada por ultrassonografia, selecionados e transportados para uma mesma central
de produção de embriões. A maturação in vitro foi realizada em meio acrescido de 10% de SFB em incubadora a
38,5ºC, com 5% CO2 em ar atmosférico e 95% de umidade, por 24 horas. Para a fecundação dos ovócitos, foi
utilizada uma concentração de 2x106 espermatozoides/mL, por período de 18 a 22 horas, nas mesmas condições
atmosféricas da maturação. Os embriões obtidos após o cultivo de 7 dias pós fertilização, foram classificados
quanto ao estágio de desenvolvimento e qualidade conforme a International Embryo Transfer Society (IETS) e
envasados individualmente. As médias de embriões produzidos obtidas foram comparadas pelo teste de Student
Neuman Keuls, considerando-se efeito da estação de ano e as interações entre eles. As médias de embriões
viáveis produzidos em cada período climático avaliado não diferiram entre si (p<0,01): verão (3,33±1,05),
outono (3,22±0,82), inverno (4,22±1,02) e primavera (3,11±1,05). Alguns estudos relatam que os ovócitos
presente nos folículos antrais, são susceptíveis aos efeitos diretos da elevação da temperatura corporal, podendo
em parte, reduzir a fertilidade dos animais. No entanto, no presente estudo, o efeito sazonal não teve influência
na produção de embriões in vitro em animais da raça Gir, o que pode ser explicado, em partes, pela maior
resistência desses animais ao calor. Dessa forma, esses animais se mostram como potenciais doadores para
programas de produção de embriões in vitro durante todo o ano na região do Vale do Rio Doce-MG.

Palavras-chave: estação do ano, produção in vitro de embriões, vacas Gir.


Keywords: season, in vitro embryo production, Gir cows.
 

12
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Adição do óleo essencial de Lippia origanoides no meio de maturação sobre a produção


in vitro de embriões bovinos
Suplementation of essential oil of Lippia origanoides in the maturation medium on the in vitro production of
bovine embryos

Emílio César Martins Pereira1,*, Eliane Beatriz Magalhães Silva2, Virgílio Barbosa de Andrade2,
Marcus Vinícius Prado Silva2, João Gabriel Viana de Grázia2, Alan Maia Borges2, Eunice Oba1
1
Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária, UNESP, Botucatu, SP, Brasil; 2Departamento de Clinica e
Cirurgia Veterinárias; Departamento de Zootecnia, EV-UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil.
*E-mail: emiliovet2004@hotmail.com

A produção in vitro de embriões (PIVE) em bovinos é uma biotécnica da reprodução que tem crescimento
substancialmente nos últimos anos por representar uma excelente ferramenta para o incremente genético de
rebanhos bovinos. Entretanto, as taxas de PIVE são muitas vezes baixas e inconsistentes. Alguns eventos
indesejáveis, como a presença de espécies reativas de oxigênio (EROs), causadas pelas condições artificiais de
maturação e cultivo acredita-se estar relacionado com os baixos índices encontrados nesta biotécnica. Assim, o
emprego de antioxidantes nos meios de maturação in vitro (MIV) torna-se uma alternativa para obtenção de
melhores resultados na PIVE de bovinos. As propriedades antioxidantes do óleo essencial de Lippia origanoides,
um potente antioxidante natural, que tem como princípio ativo o carvacrol e timol, tem se tornado uma
substância promissora a ser utilizada no cultivo embrionário. Diante disso, o objetivo deste trabalho foi avaliar o
efeito da suplementação do meio MIV de bovinos com óleo essencial de Lippia origanoides em diferentes
concentrações. Foram utilizados para maturação 1706 oócitos recuperados de ovários oriundo de matadouro,
divididos em 5 tratamentos constituídos de: T1 (Meio Base (MB): TCM 199 + 10% SFB + 22µg/mL Piruvato +
5UI/mL LH + 0,05µg/mL FSH + 1µg/mL Estradiol + 83,4 µg/mL de Amicacina), T2 (MB + 50 µM/mL de
cisteamina), T3 (MB + 2,5µg/mL de óleo essencial), T4 (MB + 5 µg/mL de óleo essencial) e T5 (MB + 10
µg/mL de óleo essencial). Os oócitos foram maturados à 5%CO2, 38,5ºC por 24 horas. A FIV foi realizada nas
mesmas condições anteriores por um período de 18-20 horas e seguida os embriões foram cultivados por 7 dias.
Foi avaliada a taxa de expansão das células do cumulus após a MIV assim como a taxa de clivagem após 48
horas de cultivo e a produção de blastocistos. Foi utilizado o teste de ANOVA e foi considerado como
estatisticamente significante p<0,05. A taxa de expansão do cumulus foi de 90,7%; 90,9%; 90,3%; 88,8% e 93,0
% para os tratamentos T1, T2, T3, T4 e T5, respectivamente, não diferindo estatisticamente (p>0,05). As taxas
de clivagem e de blastocistos também não diferiram (p>0,05) e foram de 64,8% e 28,2% ; 59,7% e 25,0%;
63,1% e 28,7%; 51,2% e 25,0%; 66,4% e 20,6%, para os tratamentos T1, T2, T3, T4 e T5, respectivamente. O
trabalho ainda encontra-se em andamento. O óleo essencial de Lippia origanoides nas diferentes concentrações
não comprometeu a PIV de embriões, não apresentando toxicidade, e mostrou como uma excelente alternativa
para uso na produção in vitro de embriões bovinos.

Palavras-chave: Lippia origanoides, maturação, PIVE, bovino.


Keywords: Lippia origanoides, maturation, IVPE, bovine.
 
 

13
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Implantação da tecnologia de inseminação artificial em tempo fixo (IATF) para o


melhoramento genético dos bovinos criados no município de Anapurús, MA
Implantation of artificial insemination technology in progress fixed for genetic improvement of cattle created in
the municipality of Anapurus, MA

Abisai de Oliveira Sousa1, Mara Luciana Silva Marques2,*, Dryane Silva Aguiar2,
Tatiane Avelar Ribeiro2, Valéria Raiana Fonseca Ferreira2
1
Departamento das Clínicas, UEMA, São Luís, MA, Brasil; 2Medicina Veterinária, UEMA, São Luís, MA, Brasil.
*E-mail: lu_marxsilva@hotmail.com

O rebanho bovino brasileiro está, atualmente, entre os maiores e que mais se desenvolvem em âmbito mundial,
porém, observa-se que há um hiato entre a realidade brasileira e o que se verifica em algumas regiões como no
caso do município de Anapurús – MA, onde os procedimentos de implantação de tecnologia ainda não
prosperaram. Considerando a necessidade de melhoria genética e verificando que existe possibilidade técnica
para este fim, o trabalho veio possibilitar melhoramento genético dos bovinos de leite e de corte da região, pela
introdução da biotecnologia de inseminação artificial em tempo fixo (IATF), bem como, incentivar o dificação
do manejo, adequando-o a práticas diárias necessárias para possibilitar o aporte de técnicas produtivas eficientes.
Utilizaram-sede questionários para entrevistar os produtores da região e selecionaram-se 30 propriedades para
participação efetiva no projeto. Realizaram-se visitas ás propriedades selecionadas e ministraram-se, para estes,
palestras com fim de esclarecimento da importância e necessidade de desenvolvimento econômico da região,
apresentando-lhes as vantagens, bem como, limitações da implantação dessa biotecnologia. Foram abordadas,
em discussões interativas, as raças bovinas mais indicadas para produção na região e valores de doses dos
respectivos sêmens. O projeto de extensão obteve êxito quanto à instrução dos pecuaristas, visto que, estes,
desconheciam a tecnologia de IATF, mesmo possuindo estruturas adequadas à implantação da mesma. Práticas
mais adequadas de manejo foram adotadas nas propriedades, resultando em aumento significativo na
produtividade do rebanho, evidenciados pelo escore corporal. O projeto, que terá continuidade e posterior
inseminação em tempo fixo, vem causando interesse e incentivando maior investimento na melhoria genética do
rebanho em questão, alcançando pequenos produtores e profissionalizando-os, representando, dessa forma,
alternativa de inclusão social e desenvolvimento rural pela atividade pecuária na produção de carne e leite.

Palavras-chave: biotecnologia, Anapurús, IATF, genético, bovino.


Keywords: biotechnology, Anapurús, AIFT, genetic, bovine.

14
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito do uso de moduladores de AMPc durante a maturação oocitária in vitro sobre a


produção de embriões provenientes de oócitos bovinos criopreservados
Effect of cAMP modulators during oocyte in vitro maturation on the production of
embryos using cryopreserved oocytes

Clara Ana dos Santos Monteiro1, Gabriela Ramos Leal1, Helena Fabiana Reis de Almeida Saraiva1,
Agostinho Jorge dos Reis Camargo2, André Luís Rios Rodrigues1, Carlos Otávio de Paula Vasconcelos1,
Raquel Varella Serapião2, Luiz Altamiro Garcia Nogueira1, Luiz Sérgio de Almeida Camargo3,
Joaquim Mansano Garcia4, Clara Slade Oliveira3
1
UFF, Niterói, RJ, Brasil; 2PESAGRO-RIO, Niterói, RJ, Brasil; 3Embrapa Gado de Leite, LRA-CESM, Valença, RJ, Brasil;
4
UNESP, Jaboticabal, SP, Brasil.
E-mail: clara.oliveira@embrapa.br

A criopreservação de oócitos é uma importante ferramenta para o controle do destino desses gametas, porém não
é uma biotécnica bem estabelecida devido à complexa estrutura celular dos oócitos, sendo a qualidade oocitária
um dos fatores que influencia no sucesso da técnica. Tendo em vista à importância da maturação oocitária in
vitro (MIV) sobre a qualidade dessas estruturas e seu desempenho na produção in vitro de embriões, foi
desenvolvido um sistema denominado Simulated Physiological Oocyte Maturation (SPOM) que utiliza
moduladores de AMPc para alcançar maior competência oocitária através do prolongamento do bloqueio
meiótico. O objetivo deste trabalho foi avaliar o sistema SPOM sobre a fertilização e produção de embriões a
partir de oócitos bovinos criopreservados. Oócitos oriundos de ovários de matadouro foram distribuídos
aleatoriamente em três grupos experimentais: G1 (oócitos não vitrificados/n=76), G2 (vitrificados após a pré-
MIV/n=114) e G3 (vitrificados antes da pré MIV/n=106). As estruturas permaneceram por 2 horas na etapa de
pré-MIV na presença dos moduladores do AMPc, Forskolin (100µM) e IBMX (500µM) a 38,5ºC; Então,
seguiram para a MIV estendida com o modulador do AMPc, Cilostamide (20µM), e o indutor de maturação,
FSH, por 28 horas em estufa de cultivo a 38,5ºC, 5% de CO2 em ar atmosférico e umidade máxima. Após a
maturação os oócitos foram submetidos à fertilização in vitro por 20hs e, em seguida, os possíveis zigotos foram
transferidos para o cultivo in vitro por sete dias. As taxas de clivagem e blastocistos foram avaliadas 72 horas
após a FIV e no D7, respectivamente, e comparadas entre grupos pelo teste exato de Fisher utilizando o
programa Instat GraphPad, a nível de significância de 5%. Os grupos G2 (10,95b) e G3 (3,25b) apresentaram uma
redução significativa (P<0,05) na taxa de clivagem quando comparados ao grupo G1 (76,15a), mas não diferiram
entre si. O mesmo padrão foi observado em relação à taxa de blastocisto relativa aos oócitos viáveis submetidos
ao tratamento (35,6a vs 3,48b vs 1,25b, G1, G2 e G3, respectivamente). E entre as taxas de blastocisto relativas
aos embriões clivados não houve diferença entre os grupos (46,78a vs 21,42a vs 25a). Até o momento não foi
encontrado na literatura referências aos efeitos do SPOM sobre a fertilização e produção de embriões in vitro a
partir de oócitos vitrificados. No presente estudo foi verificado que a pré-MIV antes da vitrificação teve 6,9
vezes menos clivagem e produziu 10,2 vezes menos blastocisto que o grupo fresco, enquanto com a pré-MIV
após a vitrificação a redução na clivagem foi de 23,4 vezes e na produção de blastocisto foi de 28,4 vezes.
Assim, embora esses grupos tenham sido semelhantes, a realização da pré-MIV antes da vitrificação,
numericamente, parece exercer efeito positivo na produção de embriões a partir de oócitos vitrificados e,
portanto, deve ser investigada. Conclui-se que o sistema SPOM não parece influenciar as taxas de produção
alcançadas a partir de oócitos bovinos submetidos à vitrificação.

Palavras-chave: SPOM, vitrificação, forskolin, IBMX, cilostamide.


Keywords: SPOM, vitrification, forskolin, IBMX, cilostamide.

Apoio financeiro: FAPERJ (E26/111.61/2013) e CAPES.

15
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito do peso à desmama na resposta a indução de puberdade em novilhas de corte


utilizando progesterona de quarto uso
Effect of weaning weight in response to induction of puberty in beef cattle heifers using 4th
use progesterone device

Davi Alexandre de Barros Correia1,*, Carlos José de Moura2, Murilo Alves Miranda3,
Robespierre Augusto Joaquim Araújo Silva4, Gustavo Ferrer Carneiro1

1
UFRPE/UAG, Garanhuns, PE, Brasil; 2Fazenda Vale Formoso, Redenção, PA, Brasil; 3Profissional Autônomo, PE, Brasil;
4
UFRPE, Recife, PE, Brasil.
*E-mail: davivet.barros@hotmail.com

No Brasil as novilhas de corte apresentam em média o primeiro parto aos 40 meses. A redução desta idade é um
fator essencial para o aumento da eficiência reprodutiva dos rebanhos. Vários são os fatores que influenciam o
surgimento da puberdade em novilhas, tais como a nutrição, idade, raça, bioestimulação, peso à desmama e os
fatores neuroendócrinos. O uso de fonte de progesterona (P4) tem a capacidade de iniciar a atividade ovariana
cíclica nas novilhas. Este trabalho teve como objetivo estabelecer uma correlação entre o peso à desmama e a
resposta a protocolo de indução farmacológica da puberdade em novilhas nelore (n= 168), cruzadas (n=90) e ½
Nelore ½ Aberdeen Angus (n=130). Foram realizadas duas avaliações ginecológicas através de palpação
transretal e ultrassonografia para determinação do status reprodutivos das novilhas e classificando-as em:
púberes, pré-púberes ou impúberes. Após a primeira avaliação, as novilhas classificadas como pré-púberes foram
submetidas a indução da puberdade utilizando dispositivos intravaginal de quarto uso a base de P4
permanecendo por dez dias, no momento da retirada do dispositivo aplicou-se 1,0 ml de benzoato de estradiol
(BE). Sendo as mesmas reavaliadas após 30 dias para observação da resposta ao tratamento. Para determinação
da influência do peso à desmama, no momento da avaliação ginecológica foram coletados os números de
identificação dos animais e em seguida realizou-se a consulta das fichas de escrituração zootécnica da fazenda.
De acordo com o peso à desmama observado os animais foram agrupados em: < 200 kg; 201-230 kg; 231-260 kg
e > 261 kg. Todos os animais foram desmamados aos oito meses de idade. Posteriormente, realizada uma análise
univariada através dos testes de Qui-quadrado de Pearson ou exato de Fisher, quando necessário. Na avaliação
do grupo das novilhas nelore, pôde-se verificar que as que apresentaram no momento da desmama peso < 200
kg, 31,90% destas se tornaram púberes após o protocolo de indução de puberdade, já as que apresentaram no
momento da desmama peso > 261 kg, 75% destas se tornaram púberes. Na avaliação do grupo das novilhas
cruzadas, pôde-se verificar que as que apresentaram no momento da desmama peso < 200 kg, 64,30% destas se
tornaram púberes após o protocolo de indução de puberdade, já as que apresentaram no momento da desmama
peso > 261 kg, 85,80% destas se tornaram púberes. Na avaliação do grupo das novilhas ½ Nelore ½ Aberdeen
Angus, pôde-se verificar que as que apresentaram no momento da desmama peso < 200 kg, 75% destas se
tornaram púberes após o protocolo de indução de puberdade, já as que apresentaram no momento da desmama
peso > 261 kg, 82,30% se tornaram púberes. Sabe-se que o peso em que as bezerras atingem na desmama é um
ótimo indicador para se usar no manejo reprodutivo do rebanho. Nos dias atuais, onde se busca um sistema de
produção de bovinos de corte de forma mais intensiva, tem-se como objetivo o acasalamento de novilhas de
forma mais precoce, e o peso que as novilhas apresentam no período do desmame influencia o desenvolvimento
reprodutivo das mesmas. Conclui-se que a variável peso à desmama foi numericamente diferente entre os grupos
raciais e houve uma tendência dos animais que desmamaram mais pesados, à apresentarem maior frequência de
puberdade, porém, não houve diferença significativa.

Palavras-chave: desmame, puberdade, progesterona, peso


Keywords: weaning, puberty, progesterone, weigth.

16
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito do óleo essencial de limão (Citrus limon) sobre a integridade do acrossoma e


termorresistência de espermatozoides criopreservados de touros Curraleiro Pé Duro
The essential oil of lemon effect on the integrity of the acrosome and thermotolerance of cryopreserved
Curraleiro hard foot bull sperm

Marlon de Araújo Castelo Branco*, Yndyra Nayan Teixeira Carvalho, Luiz Harliton Cavalcante
Monteiro Mota, Isolda Márcia Rocha do Nascimento, Leopoldina Almeida Gomes, Antonio de Sousa
Júnior, Felipe Pereira da Silva Barçante, Luanna Soares de Melo Evangelista, Filipe Nunes Barros, Felipe
de Jesus Moraes Júnior, Geraldo Magela Cortês Carvalho, José Adalmir Torres Souza

Departamento de Clinica e Cirurgia Veterinárias, CCA-UFPI, Teresina, PI, Brasil.


*E-mail: marlon704@gmail.com

A criopreservação de espermatozoides nos permite o armazenamento e conservação de recursos genéticos dos


bovinos Curraleiro Pé Duro. Contudo, o congelamento/descongelamento dos espermatozoides provoca uma
redução da capacidade de fertilização dos mesmos. A introdução de lipídios no meio diluidor tem surgido como
uma alternativa para proteger as membranas espermáticas. O presente trabalho teve por objetivo avaliar o efeito
de diferentes concentrações de óleo essencial de limão (Citrus limon) sobre a termorresistência e integridade do
acrossoma de espermatozoides bovinos Curraleiro Pé Duro. O sêmen foi obtido de 8 ejaculados de seis touros da
raça Curraleiro Pé Duro, por meio do método de eletroejaculação. Após as coletas e prévia avaliação, o
ejaculado de cada animal foi submetido à formação de pool e diluído em meio TRIS-Gema e dividido em 4
tratamentos (0, 50, 100 e 150 uM de óleo essencial de limão). Em seguida à diluição o sêmen foi envasado em
palhetas de 0,5mL e congelado em máquina TK-3000. Após descongelação (37 oC; 30segundos) as amostras
foram avaliadas subjetivamente quanto a motilidade (0-100%) e vigor(1-5) no teste de termorresistência(TTR)
nos tempos 0, 60, 120 e 180 minutos. A integridade do acrossomo foi avaliada utilizando a sonda florescente
FITC-PNA, contando-se 200 espermatozoides em microscopia de epiflorescência. As médias obtidas dessas
variáveis foram avaliadas pelo teste de TUKEY a 5% de probabilidade. Os valores médios de motilidade no teste
de termorresistência no tempo 0 minuto foram significamente superiores no tratamento de 150 uM de óleo
essencial de limão (50 ± 25,05) em comparativo com os demais tratamentos de 0 uM (35 ± 8.26), 50 uM (42 ±
17,5) e 100 uM (40 ± 10,3) (P ≤ 0,05), nos demais tempos da termorresistência (60, 120 e 180 minutos) não
houve diferença significativa entre os tratamentos cujo os valores foram de 0 uM (32 ± 8,5; 27 ± 7,5 e 17 ± 5,5),
50 uM (40 ± 9,7; 27 ± 8,6 e 25 ± 9,9 ), 100 uM (42 ± 11,6; 30 ± 10,7 e 22 ± 6,1) e 150 uM (42 ± 13; 27 ± 12,7 e
20 ± 11,4) respectivamente. Não foi encontrada diferença significativa para vigor espermático nos tempos de 0,
60, 120 e 180 minutos da termorresistência cujos valores médios para os tratamentos estudados foram de: 0 uM
(3,1 ± 1,1; 3,1 ± 1,1; 2,7 ± 0,7 e 1,7 ± 0,4), 50 uM (3,5 ± 1,4; 3,3 ± 1,0; 2,7 ± 0,9 e 2,5 ± 0,5), 100 uM (3,5 ± 1,4;
3,6 ± 1,5; 2,8 ± 0,8 e 2,2 ± 0,6) e 150 uM (3,7 ± 1,2; 3,6 ± 1,1; 3 ± 0,8 ; 2,2 ± 0,4). Os valores médios de
integridade do acrossoma para os tratamentos 0 uM, 50 uM, 100 uM e 150 uM de óleo essencial de limão foram
respectivamente de (76 ± 24; 81 ± 27; 80 ± 33 e 74 ± 28), não havendo diferença significativa entre as medias
dos tratamentos (P ≤ 0,05). Conclui-se que a adição de 150 µM de óleo essencial de limão ao meio diluidor de
sêmen melhorou a motilidade espermática no tempo 0 minuto da termorresistência.

Palavras-chave: bovinos, Curraleiro Pé Duro, sêmen, óleo essencial de limão.


Keywords: bovine, Curraleiro Foot Hard, semen, lemon essential oil.

17
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da utilização do sistema de maturação in vitro SPOM sobre a produção de


embriões bovinos
Effect of in vitro maturation SPOM system´s use in bovine embryos production

Gabriela Ramos Leal1,*, Clara Ana Santos Monteiro1, Helena Fabiana Reis de Almeida Saraiva1,
Agostinho Jorge dos Reis Camargo2, André Luís Rios Rodrigues1, Carlos Otávio de Paula Vasconcelos1,
Luiz Altamiro Garcia Nogueira1, Clara Slade Oliveira3, Raquel Varella Serapião2
1
UFF, Niterói, RJ, Brasil; 2PESAGRO-RIO, Niterói, RJ, Brasil; 3Embrapa Gado de Leite, LRA-CESM, Valença, RJ, Brasil.
*E-mail: gabivetleal@gmail.com

A qualidade oocitária determina a proporção de oócitos que se desenvolverão até o estádio de blastocisto e as
condições de maturação influenciam a qualidade dos embriões produzidos in vitro. Devido à importância da fase
de maturação oocitária na produção in vitro de embriões, foi desenvolvido um sistema de maturação in vitro
(MIV), denominado Simulated Physiological Oocyte Maturation (SPOM), que mimetiza os eventos fisiológicos
da maturação in vivo através da utilização de moduladores de AMPc que promovem um aumento da
competência oocitária através do prolongamento do bloqueio da meiose. Sendo assim, o objetivo do presente
estudo foi avaliar o sistema SPOM sobre as taxas de produção in vitro de embriões bovinos. Para tal, foram
utilizados três grupos experimentais: SPOM (n=362), CONTROLE 1 (n=349) e CONTROLE 2 (n=333). Os
oócitos foram obtidos através de ovários de matadouro e submetidos ao processo de maturação in vitro de acordo
com cada tratamento proposto. A etapa de maturação durou 24 horas nos grupos CONTROLE 1 (TCM-199
suplementado com 0,8 mg/mL de BSA, 100 mM piruvato de sódio, 0,5 µg/mL de FSH ,10 UI/mL de hCG, 1
µg/mL de 17-valerato de β-estradiol, 100x de ITS e 10.000UI penicilina, 10 mg/mL estreptomicina) e
CONTROLE 2 ( meio de maturação comercial contendo SFB) em estufa de cultivo a 38,5ºC, 5% de CO2 em ar
atmosférico e umidade máxima. No grupo SPOM, os oócitos foram submetidos, por duas horas à 38ºC, a uma
etapa de pré-MIV (TCM-199 tamponado com HEPES e suplementado com 1,6 mg/mL de BSA, 100mM de
piruvato de sódio, 100xITS, 10.000UI penicilina, 10 mg/mL estreptomicina, 100 µM Forskolin e 500µM IBMX)
e seguiram, posteriormente, para a etapa de MIV estendida (TCM-199 suplementado com 0,8 mg/mL de BSA,
100 mM piruvato de sódio, 0,5 µg/mL de FSH ,10 UI/mL de hCG, 1 µg/mL de 17-valerato de β-estradiol, 100x
de ITS e 10.000UI penicilina, 10 mg/mL estreptomicina e 20 µM de cilostamide) por 28 horas em estufa de
cultivo a 38,5ºC, 5% de CO2 em ar atmosférico e umidade máxima. Após a maturação, os oócitos foram
submetidos à fertilização in vitro, realizada com sêmen convencional de um único touro da raça Holandesa, e
seguiram para a etapa de cultivo in vitro durante sete dias. As taxas de clivagem foram avaliadas 72 horas após a
FIV e as taxas de blastocistos foram avaliadas no D7. Posteriormente, foram comparadas entre grupos pelo teste
exato de Fisher através do programa Instat GraphPad, a nível de significância de 5%. Com relação à taxa de
clivagem, o grupo SPOM (52,01% ) se mostrou significativamente inferior (P<0,05) aos grupos CONTROLE 1
e 2 (65,54% e 60,43%; respectivamente). O mesmo padrão foi observado em relação à taxa de blastocistos
produzidos (16,8% vs 31,2%5 vs 25,5% ; SPOM, CONTROLE 1 e 2, respectivamente). Apesar do efeito
positivo sobre as taxas de produção de embriões apresentados em alguns trabalhos, os resultados desse estudo
corroboram outros trabalhos em que, apesar do sucesso no prolongamento do bloqueio meiótico, os índices
produtivos se mostraram significativamente inferiores. Concluiu-se, então, que a utilização do sistema de
maturação in vitro SPOM reduziu, significativamente, as taxas de desenvolvimento embrionário.

Palavras chave: AMPc, forskolin, IBMX, cilostamide, bovino.


Keywords: cAMP, forskolin, IBMX, cilostamide, bovine.

18
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Inseminação artificial em tempo fixo em vacas Sindi no Norte de Minas Gerais


Artificial insemination in fixed time in Sindhi cows in the North of Minas Gerais

Lucas Aquino Rodrigues1, Leandro Lopes Queiroz1, João Marcos Silva Santos1,
José Alcides de Castro Machado Ribeiro1, Deborah Martins Mota Takaki1, Diogo Dias Reis1,
Lucélia Karoline Gonçalves Barbosa1, Henrique Guedes Moreira1, Alex Marco da Silva1,
Danillo Velloso Ferreira Murta2,*, Lorena Catalina Martinez Rodriguez2, Robertha Veloso Rebello3
1
Graduando de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
2
Docente de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
3
Mestranda UNIMONTES, Montes Claros, MG, Brasil.
*E-mail: danillo.murta.vet@gmail.com

As raças bovinas de origem indiana são de grande importância para a produção de carne e de leite em ambientes
de climas tropicais e subtropicais, e algumas vêm se destacando em termos de eficiência e produtividade em
algumas regiões do Brasil. Desse modo, ao rebanho bovino brasileiro vem sendo acrescentada a raça zebuína
Sindi, caracterizada pela precocidade sexual, longevidade produtiva e eficiência alimentar e reprodutiva.
Objetivou-se avaliar o potencial de eficiência reprodutiva de vacas solteiras cíclicas, da raça Sindi, através de
avaliação ginecológica por ultrassonografia, após um programa de inseminação artificial em tempo fixo (IATF).
Foram submetidas ao protocolo de IATF vacas Sindi, na fazenda Barra da Vereda no Município de São João da
Ponte, norte de Minas Gerais, através de exame ultrassonográfico, foram selecionadas 36 fêmeas cíclicas, após a
identificação de corpo lúteo em alguns dos ovários. O protocolo utilizado baseou-se em nove dias (D9) de uso de
implante de progestágeno e 300 UI de eCG, 0,5 ml de Cipionato de Estradiol e a antecipação da prostaglandina
no sétimo dia (D7) e inseminação no décimo primeiro dia (D11). Verificou-se dos animais em avaliação que 24
vacas (66,7%) apresentaram gestantes após exame ultrassonográfico aos 30 dias após inseminação, sendo notória
a eficiência reprodutiva da raça Sindi, onde as taxas de IATF superam sempre os valores médios encontrados
para esta categoria, em raças zebuínas. As taxas de prenhez na IATF em bovinos da raça Sindi superam os
valores médios encontrados para raças zebuínas, este estudo foi comparado a outros trabalhos sobre a eficiência
reprodutiva em vacas solteiras também zebuínas onde foi correspondida por 52%, 56% e 60%, em diferentes
estudos sendo assim, assim as fêmeas da raça Sindi apresentaram melhor desempenho reprodutivo submetido ao
protocolo hormonal de IATF.

Palavras-chave: IATF, reprodução, prenhez.


Keywords: TAI, reproduction, pregnancy.

19
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da IATF em vacas nelore no período pós parto no Norte de Minas Gerais
TAI effect of Nelore cows in the postpartum period in the North of Minas Gerais

José Alcides de Castro Machado Ribeiro1, Leandro Lopes Queiroz1, Lucélia Karoline Gonçalves Barbosa1,
Lucas Aquino Rodrigues1, Deborah Martins Mota Takaki1, Diogo Dias Reis1, João Marcos Silva Santos1,
Leone de Brito Silva1, Júlia Borém de Brito1, Danillo Velloso Ferreira Murta2,*,
Lorena Catalina Martinez Rodriguez2, Robertha Veloso Rebello3
1
Graduando de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
2
Docente de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
3
Mestranda UNIMONTES, Montes Claros, MG, Brasil.
*E-mail: danillo.murta.vet@gmail.com

É consenso entre a comunidade científica e os criadores que a técnica de inseminação artificial (IA) é uma
importante ferramenta para acelerar a evolução genética dos rebanhos. Um dos maiores entraves para o amplo
uso desta biotécnica é a detecção do estro (cio), por requerer tempo e pessoal adequadamente treinado. Em
fêmeas bovinas a curta duração (em torno de 11 horas) associada à incidência de estro noturno, dificulta a
detecção do mesmo e prejudica a implantação de programas convencionais de IA. A partir do conhecimento
detalhado da dinâmica folicular tornou-se possível o desenvolvimento de tratamentos hormonais capazes de
regular o crescimento folicular e o momento da ovulação, viabilizando a inseminação artificial em tempo fixo
(IATF, ou seja, IA com tempo pré-determinado, sem a necessidade de observar cio) em taurinos e zebuínos. A
IATF é uma ferramenta que incrementa a eficiência reprodutiva em bovinos de corte. A eficiência de protocolos
IATF. Objetivou-se descrever a eficiência reprodutiva após protocolo de inseminação artificial em tempo fixo
em vacas da raça Nelore, entre 30 a 90 dias pós-parto. Foram avaliadas 140 vacas paridas entre 30 a 90 dias pós-
parto, no município da Jaíba, norte de Minas Gerais. Após classificação ginecológica por exame
ultrassonográfico, submeteu as fêmeas a protocolo hormonal baseado nove dias (D9) de uso de implante de
progestágeno, 300UI de eCG, 0,5 ml Cipionato de Estradiol e 2 ml de luteolítico e inseminação no décimo
primeiro dia (D11). Verificou-se dos animais em avaliação que 82 vacas (58,6%) apresentaram gestantes após
exame ultrassonográfico aos 30 dias após inseminação, sendo notória a eficiência reprodutiva da raça Nelore,
semelhante ao descrito em outros estudos nos quais a eficiência reprodutiva 55,6% a 69,9%.

Palavras-chave: inseminação, bovino, gestação.


Keywords: insemination, bovine, pregnancy.

20
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Inseminação artificial em tempo fixo (IATF) com sêmen bovino


criopreservado com Tocoferol
Fixed-time artificial insemination (FTAI) with bovine semen cryopreserved with Tocopherol

Bruno Silva do Espirito Santo1,*, Luciana Keiko Hatamoto Zervoudakis2, Moacir Ferreira Duarte
Júnior2, Pedro Paulo Tsuneda2, Fabiana Mariani Wingert2, Luis Eduardo Senra e Silva2, Walter Augusto
dos Santos Marinho2
1
Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, MT, Brasil; 2Programa de Pós
Graduação em Ciência Animal, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, MT, Brasil.
*E-mail: brunosilvamedvet@gmail.com

A inseminação artificial em tempo fixo (IATF) é uma ferramenta importante para o melhoramento genético,
sendo assim a qualidade seminal mostra-se de suma importância para o sucesso dessa técnica. Contudo, um dos
problemas encontrados é o estresse oxidativo que ocorre nos processos de criopreservação. Na tentativa de
diminuir a perda de células viáveis, a suplementação dos meios de criopreservação com antioxidantes, como o
tocoferol, tem-se mostrado uma alternativa promissora. Objetivou-se reduzir o estresse oxidativo no sêmen
criopreservado com tocoferol, relacionando com taxa de prenhez após IATF. Foram utilizados 3 reprodutores da
raça Nelore, com idade média de 48 meses e peso vivo médio de 750Kg, mantidos em pasto de Brachiaria
brizantha cv. Marandu, usando método de eletroestimulação. O ejaculado foi dividido em duas frações, uma sem
glicerol, sendo resfriado em geladeira por 4 horas com temperatura de 4°C, e em seguida adicionado o extensor
TRIS-citrato-gema e na segunda fração com 8% glicerol. O aditivo foi adicionado somente na diluição final, os
dois tratamentos utilizados foram: Controle (sem aditivos) e Tocoferol (10mmol/ml). Foi feito o
descongelamento do sêmen para avaliações da motilidade espermática e avaliação do estresse oxidativo. Para a
IATF foram utilizadas fêmeas criadas em sistema extensivo, mantidos em pasto. O protocolo utilizado foi no dia
zero (D0), um dispositivo intravaginal de liberação lenta de progesterona, mantido por 9 dias e no dia da
implantação os animais receberam 2,5mg de benzoato de estradiol, por via intramuscular (IM). Na retirada desse
dispositivo (D9), todos os animais receberam, por via IM, 25mg de dinoprost, 500 UI de gonadotrofina coriônica
eqüina e 1mg de cipionato de estradiol. No D11 as vacas foram divididas aleatoriamente entre grupo controle e
tocoferol/10mmol), realizadas em dois lotes, sendo o primeiro de 84 fêmeas Nelore, nos quais 39 foram do grupo
tocoferol e 45 do grupo controle. No segundo lote, as fêmeas utilizadas foram as que não emprenharam da
primeira IATF, constituído por 44 fêmeas sendo que 25 foram do grupo tocoferol e 19 do grupo controle,
totalizando 64 animais para cada grupo, para o diagnóstico de gestação foi realizado por exame ultra-sonográfico
retal 30 dias após a IATF. O experimento foi realizado em delineamento de blocos inteiramente casualizado, e a
taxa de prenhez comparada pelo teste Qui-Quadrado. Os dados foram analisados com nível de significância de
5%. A adição de 10mmol/ml de tocoferol no meio extensor do sêmen criopreservado não influenciou (P>0,05) a
taxa de prenhez após a IATF quando comparado ao grupo controle para as médias do primeiro lote sincronizado
(T=38,5 C=40), e o segundo lote (T=28 C= 31,6) para a média geral dos lotes (T=66,5 C=71,6). O tocoferol age
em proteção das características fundamentais para um programa de IATF como integridade da membrana
plasmática, diminuindo a lipoperoxidação preservando a viabilidade dos espermatozoides durante a
criopreservação, demonstrando neste caso que provavelmente os touros utilizados para coleta de sêmen,
estivessem suprindo suas exigências diárias de tocoferol através da pastagem. Com os resultados obtidos a
utilização do tocoferol ao meio crioprotetor não teve representatividade em relação ao aumento de prenhez.

Palavras-chave: antioxidantes, espermatozóide, estresse oxidativo, fertilidade, pastagem.


Keywords: antioxidants, spermatozoa, oxidative stress, fertility, pasture.

21
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da angiotensina na taxa de blastocisto


Effect of angiotensin in blastocyst rate

Isolda Marcia Rocha do Nascimento1, Antonio de Sousa Junior1, Yndyra Nayan Teixeira Carvalho2, Luiz
Harliton Cavalcante Monteiro Mota2, Felipe de Jesus Moraes Junior3, Marlon Araújo Castelo Branco2,
Leoplodina Almeida Gomes2, Filipe Nunes Barros2, Felipe Pereira da Silva Barçante2,
Amilton Paulo Raposo Costa4, Jose Adalmir Torres de Souza2
1
Colégio Técnico de Teresina, UFPI, Teresina, PI, Brasil; 2Laboratório de Biotecnologia Animal, UFPI, Teresina, PI,
Brasil;3Universidade Estadual do Maranhão, São Luís, MA, Brasil; 4Laboratório de Fisiologia, UFPI, Teresina, PI, Brasil.
*E-mail: isoldamarcia@ufpi.edu.br

Já bastante conhecido por sua função de regulador da pressão arterial, o sistema renina-angiotensina (SRA) tem
sido descrito em muitos órgãos e tecidos. Um dos seus principais componentes, a angiotensina II (Ang. II),
possivelmente atue nas células foliculares desencadeando uma reação em cascata que leva a ativação de outros
fatores que irão atuar no CCOs, permitindo assim o reinício da meiose. Objetivou-se com esta pesquisa avaliar o
efeito do Ang II na taxa de blastocisto bovinos. Neste experimento utilizou-se 575 CCOs de fêmeas bovinas
classificados de graus I e II, de acordo com a qualidade morfológica, e submetida ao processo de MIV,
distribuídos em quatro grupos experimentais: G1 (n=127) – controle; G2 (n=135) – 10 µM de Ang II; G3
(n=178) – 20 µM de Ang II; e G4 (n=135) 40 µM de Ang II, incubados por 22 horas em temperatura 38,5°C na
estufa com atmosfera de 5% de CO2. Após o processo de maturação, 177 CCOs maturados foram colocados com
os espermatozóides e co-incubados em temperatura de 38,5ºC por 20 horas, em 5% de CO2 em ar. Os
presumíveis zigotos foram isolados das células do cumulus mediante sucessivas aspirações. E lavados três vezes
em meio SOF (Nutricell®), suplementado com 5% de SFB. Posteriormente os mesmos foram transferidos para
uma placa de Petri 60 x 15 mm, contendo microgotas de 100 µL de meio SOF (Nutricell®) suplementado com
5% de SFB e mantidos em estufa à temperatura de 38,5ºC, em 5% de CO2, durante 7 dias. No quinto dia de
cultivo foi realizado o feeding (troca de 50% do meio SOF por um novo previamente estabilizado). A avaliação
da taxa de blastocidto foi realizada após 168 horas (D7) do cultivo. A taxas de blastocitos foi avaliada pelo teste
não-paramétrico de Qui-Quadrado (2). A taxa de blastocisto apresentou diferença significativo entre os grupos
(G1=60%; G2=72%; G3=58%; G4=36%), sendo que o G4 apresentou a pior taxa de blastocisto em relação aos
demais grupos. A suplementação do meio de maturação com 40 µM de Ang II influenciou negativamente a taxa
de blastocisto.

Palavras-chave: angiotensina II, PIV.


Keywords: angiotensin II, PIV.

22
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da adição do ácido linoléico conjugado na redução do conteúdo lipídico e


sobrevivência após a vitrificação de embriões bovinos produzidos in vitro
Effect of conjugated linoleic acid addiction in reducing lipid content and survival post vitrification of produced
in vitro bovine embryos

Ana Carolina Leite*, Virgílio Barbosa de Andrade, Eliane Beatriz Magalhães, Álan Maia Borges

Departamento de Clinica e Cirurgia Veterinárias, EV-UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil.


*E-mail: k_rolleite@yahoo.com.br

Considerando a importância da produção in vitro de embriões bovinos no Brasil e as inconsistências existentes


na técnica de criopreservação destes embriões, foi avaliado o efeito da adição de ácido linoléico conjugado
trans-10, cis-12 (CLA) ao meio de cultivo in vitro na redução do acumulo lipídico embrionário e na viabilidade
pós-vitrificação dos embriões. Foram utilizados três meios de cultivo, denominados Controle (n=340 oócitos):
meio Synthetic Oviduct Fluid Medium (SOF) acrescido de albumina sérica bovina (BSA) e soro fetal bovino
(SFB), sem adição de CLA; SFB+CLA (n=359 oócitos): meio SOF acrescido de BSA, SFB e CLA; CLA
(n=339 oócitos): meio SOF acrescido de BSA e CLA, sem adição de SFB. No sétimo dia de cultivo, foi avaliada
a produção de blastocistos, de acordo com cada tratamento. Todos os blastocistos produzidos foram submetidos
à vitrificação pelo método de Open Pulled Straw, para posterior aquecimento e avaliação do conteúdo lipídico e
da viabilidade embrionária. Quinze blastocistos de cada tratamento foram fixados para a análise da concentração
de lipídeos intracitoplasmáticos por meio de coloração com Sudan Black B. Após a coloração, os embriões foram
fotografados por uma câmera Olympus acoplada ao microscópio, e as imagens foram analisadas com o auxílio do
software IMAGE J 1.41 para a mensuração da área ocupada pelas gotas lipídicas coradas. Foi estabelecido um
limiar padrão de marcação das gotas lipídicas, o qual foi utilizado na análise de todas as fotografias. A
comparação foi feita a partir da demarcação da área ocupada pelas gotículas lipídicas, mensurada em pixels. Para
avaliar a viabilidade do embrião produzido, embriões vitrificados foram aquecidos (Controle=27;
SFB+CLA=30; CLA=17) e cultivados in vitro para a observação de sua capacidade de reexpansão e eclosão,
avaliadas 24, 48 e 72 horas após o início do cultivo. O teor lipídico do grupo controle foi superior (P<0,05) aos
demais, apresentando área média de lipídeos de 413.124,9 pixels, correspondente à ocupação de 29,6% da área
média dos blastocistos deste grupo. O grupo SFB + CLA apresentou área média ocupada pelos lipídeos corados
de 301.960,7 pixels, referente a 26,7% da área total dos blastocistos deste grupo. Finalmente, o grupo CLA,
apresentou área corada de 272.554,5 pixels, referente a 22% da área dos embriões submetidos à coloração. A
presença do CLA no meio de cultura resultou na diminuição de gotas lipídicas intracitoplasmáticas, verificando-
se que os embriões cultivados na presença do SFB e na ausência do CLA (Controle) apresentaram maior
proporção de gotículas lipídicas em relação aos demais tratamentos. Em relação à reexpansão, o tratamento CLA
(47,1%) apresentou taxa inferior (P<0,05) ao Controle (70,4%) e superior ao SFB+CLA (43,3%). Os três
tratamentos apresentaram taxas de eclosão semelhantes (P>0,05), observando-se 42,1%; 23,1%; 25% para os
grupos Controle; SFB+CLA; CLA, respectivamente. Apesar dos embriões cultivados com CLA terem
apresentado menor conteúdo lipídico intracitoplasmático, não houve diferença da viabilidade após a vitrificação
entre os tratamentos.

Palavras-chave: ácido linoléico conjugado trans-10, cis-12, CLA, criopreservação de embriões, vitrificação,
quantificação lipídica.
Keywords: conjugated linoleic acid trans-10, cis-12, CLA, embryo cryopreservation, vitrification, lipid
quantification.

23
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Influencia da progesterona exógena na produção de embriões in vitro de novilhas


nelore pré-púberes
Influence of exogenous progesterone in the production of embryos in vitro prepubertal heifers Nelore

Rafael Rodrigues Corrêa*, Adersson Mauricio Ifran, Ricardo Perecin Nociti, Anelise Ribeiro Peres,
Marina Ragagnin Lima, Guilherme Fazzan Rossi, Joaquim Mansano Garcia

Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Reprodução Animal, FCACV/UNESP, Jaboticabal, SP, Brasil.
*E-mail: rafaelrcvet@yahoo.com.br

A progesterona e seus análogos têm sido utilizados para diversas finalidades na reprodução animal. O objetivo
deste estudo foi avaliar a influencia da progesterona injetável produção embrionária de novilhas Nelore pré-
púberes. Foram utilizadas 31 fêmeas com idade entre 16 a 18 meses, não gestantes e sem presença de corpo lúteo
(CL). As doadoras de oócitos foram divididas em 3 grupos experimentais em delineamento crossover da seguinte
maneira: Grupo (P0, n=11), os animais deste grupo receberam duas aplicações de solução placebo (1 mL), com
intervalo de 7 dias iniciando 14 dias (d-14) antes da primeira aspiração (d-0); Grupo (P7, n=10): os animais
receberam uma aplicação de solução placebo (1 mL) 14 dias (d-14) e uma de progesterona (P4) injetável
(150mg) 7 dias (d-7) antes da aspiração; Grupo (P14-7, n=10), neste grupo os animais receberam duas aplicações
de P4 injetável (150mg) com intervalo de 7 dias, a primeira 14 dias (d-14) e a segunda 7 (d-7) dias antes da
aspiração. Realizaram-se um total de três aspirações foliculares em intervalos de 28 dias. Os oócitos recuperados
foram selecionados e submetidos aos procedimentos da PIVE. Após a confirmação da homocedasticidade
(BoxCox) e normalidade (teste de Cramér–von Mises) dos dados, realizou-se a análise de variância (ANOVA).
O teste de Tukey foi utilizado para as comparações das médias das variáveis, para as correlações dos dados foi
utilizado o teste de correlação de Pearson, considerados significantes quando p≤ 0,05. Não foram verificadas
diferenças significativas (p>0,05) em relação ao número de embriões produzidos. As doadoras apresentaram em
média de 4,04, 5,03 e 4,43 para os grupos P0, P7, P14-7 por sessão de aspiração e uma taxa de embriões
produzidos de 36%, 42% e 43% respectivamente. A utilização do tratamento com progesterona não melhorou as
variáveis embrionárias analisadas.

Palavras-chave: embriões, progesterona, puberdade.


Keywords: embryos, progesterone, puberty.

24
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Importância da avaliação ginecológica e atividade ovariana de fêmeas bovinas


submetidas a programa de inseminação artificial em tempo fixo
Gynecological assessment of the importance and ovarian activity of cows subjected to artificial insemination
program in fixed time

Fernanda Almeida Rodrigues1, Lucélia Karoline Gonçalves Barbosa1, Lucas Aquino Rodrigues1, Leandro
Lopes Queiroz1, João Marcos Silva Santos1, José Alcides de Castro Machado Ribeiro1, Deborah Martins
Mota Takaki1, Diogo Dias Reis1, Juliana Guetes Leite1, Alex Marco da Silva1, Danillo Velloso Ferreira
Murta2,*, Lorena Catalina Martinez Rodriguez2
1
Graduando de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
2
Docente de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil.
*E-mail: danillo.murta.vet@gmail.com

A presença de ovários pequenos, com ausência de corpo lúteo, é um sinal que caracteriza o anestro. Os
mecanismos de controle do anestro envolvem uma complexa relação entre hipotálamo, hipófise, ovários e útero
(Santos e Santos, 2000). O atraso na atividade cíclica ovariana está diretamente relacionado ao status energético
do animal. Objetivou-se com este trabalho avaliar a relação da taxa de prenhez de vacas em anestro e novilhas
púberes da raça Nelore, com avaliação ginecológica por ultrassonografia prévia a um programa de IATF. Foram
utilizadas 135 animais da raça Nelore, submetidos ao exame ginecológico por ultrassonografia, e avaliou-se a
presença de corpo lúteo (CL). As novilhas púberes, que apresentaram CL (n= 105) e as vacas com mais de 45
dias pós-parto em anestro devido a ausência de CL (n=30) foram submetidos a um tratamento hormonal de
IATF. Os resultados foram comparadas utilizando-se o teste qui-quadrado, a 5% de significância. Verificou-se
que tanto a taxa de prenhez de novilhas púberes, quanto a taxa de prenhez de vacas em anestro após o protocolo
de IATF foi relativamente proporcional, em torno de 70%. A idade da puberdade em novilhas está diretamente
relacionada ao seu peso e composição corporal (Santos & Sá Filho, 2006). Segundo Scaglia (1997), o peso e
escore de condição corporal (ECC) adequado são determinantes para uma maior taxa de prenhez. Desta forma, é
necessária um bom desenvolvimento corporal, acompanhado de uma avaliação ginecológica das fêmeas antes de
iniciar protocolos de IATF, sobretudo referente as novilhas, como forma de incrementar resultados mais
satisfatórios.

Palavras-chave: ovário, ciclicidade, IATF.


Keywords: ovary, cyclicality, TAI.

25
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Desempenho reprodutivo de novilhas Nelore de 24 a 36 submetidas à IATF no norte de


Minas Gerais
Reproductive performance of heifers 24-36 subjected to AIFT in northern of Minas Gerais

Lucélia Karoline Gonçalves Barbosa1, Leandro Lopes Queiroz1, João Marcos Silva Santos1, José Alcides
de Castro Machado Ribeiro1, Deborah Martins Mota Takaki1, Diogo Dias Reis1, Lucas Aquino
Rodrigues1, Juliana Guedes Leite1, Fernanda Almeida Rodrigues1, Danillo Velloso Ferreira Murta2*,
Lorena Catalina Martinez Rodriguez2, Robertha Veloso Rebello3
1
Graduando de Medicina Veterinária, Montes Claros, MG, Brasil; 2Docente de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do
Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil; 3Mestranda UNIMONTES, Montes Claros, MG, Brasil.
*E-mail: danillo.murta.vet@gmail.com

A atual situação econômica da pecuária mundial exige alta produtividade como garantia de retorno do capital
investido a médio e curto prazo, tendo em vista que a reprodução animal é um dos alicerces da cadeia produtiva.
A puberdade na fêmea, consiste no momento da manifestação do primeiro estro, associado a uma ovulação
potencialmente fértil, seguido pelo desenvolvimento do corpo lúteo e por uma fase luteal de duração normal. O
uso de protocolos de indução e/ou sincronização de estro e ovulação, tornou-se uma ferramenta de grande
interesse econômico devido às limitações de pecuária convencional, assim, diversos protocolos vem sendo
desenvolvidos para o emprego da Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) com índices de concepção
satisfatórios. O presente experimento objetivou avaliar a eficiência da IATF em novilhas da raça nelore
baseando-se na idade, peso e variações de touros na inseminação. Utilizou-se 46 novilhas de uma fazenda no
município de Ponto Chique- MG, submetendo-as a um protocolo de IATF.  O diagnóstico de gestação foi
realizado quarenta e cinco dias após a inseminação por palpação transretal, sendo possível diagnosticar o índice
de prenhez da IATF e quarenta e cinco dias após o término da estação de monta para diagnosticar o índice de
prenhez do repasse com touro. A taxa de prenhez relacionada com as duas faixas etárias, os três grupos de peso e
com o uso de três touros diferentes não apresentaram diferenças significativas. Pode-se concluir que programas
de IATF, aplicados em animais impúberes, apresentam pobres resultados de prenhez, pois essas novilhas são
incapazes de ovular ao final do protocolo IATF e apresentam útero infantil. Em novilhas pré-púberes, as quais já
têm útero desenvolvido e folículos acima de 8 mm nos ovários, a variabilidade de resultados é observada
freqüentemente. Assim, para realizar a IATF em novilhas é ideal que utilize a avaliação ginecológica prévia,
descartando-se do programa os animais impúberes e, dar preferência aos animais púberes.

Palavras-chave: prenhez, novilhas, IATF.


Keywords: pregnancy, heifers, TAI.
 

26
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Comparação entre protocolo de IATF utilizando o BE ou BE associado com GnRH para


indução de ovulação em vacas lactantes da raça Holandesa
A comparison between FTAI protocol using the estradiol benzoate (EB) or EB associated with GnRH for
ovulation induction in Holstein dairy cows

Guilherme Fazan Rossi*, Aderson Maurício Ifran, Anelise Ribeiro Peres, Rafael Rodrigues Corrêa,
Joaquim Mansano Garcia

Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Reprodução Animal, FCAV/UNESP, Jaboticabal, SP, Brasil.
*E-mail: guilhermemedvet@yahoo.com.br

O crescimento da produção leiteira nas ultimas décadas ocorreu pela melhoria nas técnicas de manejo e da
seleção genética, mas ainda o manejo reprodutivo apresenta baixa eficiência. Uma das possíveis causas destas
falhas reprodutivas em rebanhos de alta produção leiteira é a baixa detecção de estro, que culmina na diminuição
da taxa de serviço aumentando assim, o intervalo parto concepção, afetando negativamente o desempenho
reprodutivo. Com isso, os protocolos hormonais de inseminação artificial em tempo fixo (IATF) aparecem como
ferramentas para corrigir as falhas de observação de estro e aumentar os índices reprodutivos dos rebanhos. No
entanto, a variabilidade na resposta aos tratamentos hormonais, tempo e esforço necessário para realizar estes
tratamentos em vacas leiteiras, limitam sua aplicação e generalizam o sucesso desta biotecnologia. Assim, o
sucesso de um programa de sincronização de cio e ovulação está na dependência do uso correto dessa
metodologia. Dentre as alternativas de protocolos hormonais, a prostaglandina (PGF2α) e o benzoato de estradiol
(BE) têm sido utilizados com frequência, porém combinados a outros hormônios, tais como progesterona (P4) e
hormônio liberador de gonadotrofina (GnRH). Os tratamentos com BE e GnRH induzem a ovulação do folículo
dominante através da liberação do hormônio luteinizante (LH). O BE promove a liberação de um pico de LH
dentro de um intervalo de 16 a 30h, já o GnRH apresenta pico de LH em torno de 2h após sua administração e 24
a 32 horas é induzida a ovulação do folículo dominante. Assim, a utilização de dois indutores de ovulação seria
interessante para potencializar os pulsos de LH e promover melhor taxa de ovulação do folículo dominante em
vacas leiteiras. Com isso, o objetivo deste estudo foi avaliar a comparação entre protocolo de IATF utilizando o
BE ou BE associado com GnRH para indução de ovulação em vacas lactantes da raça Holandesa. Com isso,
foram utilizadas 125 vacas Holandesas lactantes da granja leiteira da UNESP Campus Jaboticabal durante o ano
de 2013. Estas foram separadas aleatoriamente em dois grupos para aplicação de protocolo de IATF que se
diferenciavam na aplicação ou não de GnRH como indutor adicional de ovulação. Tanto o grupo 1 (62 animais)
quanto o grupo 2 (63 animais) receberam no Dia 0 (D0) implante vaginal de P4 (Sincrogest, Ouro Fino) e 2 mg
de BE (2 ml; Sincrodiol, Ouro Fino) por via intramuscular (IM) às 8:00h. No dia 8 (D8) foi retirado o implante
de P4, aplicado por via IM 300 UI de eCG (1,5 ml; Gonadotrofina Coriônica Equina; Folligon, Intervet) e 2 ml
de PGF2α (Sincrocio, Ouro Fino) às 8:00h. No dia 9 (D9) foi aplicado por via IM 1 mg de BE (1 ml) as 8:00h e
no dia 10 (D10) foi feita a IATF as 14:00h. A diferença entre os protocolos foi que no D9 apenas as vacas do
grupo 1 receberam 2 ml (IM) de GnRH (Sincroforte, Ouro Fino) às 18:00h, 20 horas antes da IATF. Após 30
dias da IATF foi feito o diagnóstico de gestação por ultrassonografia transretal para verificar a taxa de gestação.
Todas as fêmeas no D0 passaram pela avaliação ovariana (presença ou não de CL) e uterina pela ultrassonografia
transretal. Os dados foram analisados pelo teste do Qui-Quadrado ou Exato de Fisher através do GraphPad Prism
6 com significância de 5%. Os resultados demonstraram que 32% (40/125) das vacas totais ficaram gestantes.
Assim, 37% (23/62) das animais do grupo 1 (com GnRH) ficaram gestantes e do grupo 2 (sem GnRH) 27%
(17/63), não sendo diferentes estatisticamente (p = 0,25). Destes animais que ficaram gestantes temos 16,8%
(21/125) apresentavam CL no D0 e 15,2% (19/125) não apresentavam CL (p = 0,84). Assim, observamos que a
administração de GnRH como segundo indutor de ovulação não foi capaz de elevar a taxa de gestação de vacas
Holandesas em lactação.

Palavra chave: GnRH, IATF, lactação e vacas Holandesa.


Keywords: FTAI, GnRH, Holstein cows and lactation.

27
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Comparação de dois ésteres de estradiol como indutores da ovulação sobre o diâmetro


folicular e a taxa de concepção de bovinos leiteiros submetidos a um programa de IATF
Comparison of two esters estradiol as inductors on ovulation follicular diameter and concepition rate of dairy
cattle subject to a program of TAI

Edivânia Oliveira de Jesus1, Lindomar Marton França2, Alexandra Soares Rodrigues1,*,


Marcus Vinícius Galvão Loiola1, Marcos Chalhoub Coelho Lima1, Priscila Assis Ferraz1,
Rodrigo Freitas Bittencourt1, Walkíria Moura Barreto1, Carlos Henrique Calazans de Oliveira1,
Alessandro Bitencourt Nascimento1, Aloísio Bitencourt Nascimento1, Antonio de Lisboa Ribeiro Filho1
1
Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia (EMVZ), UFBA, Salvador, BA, Brasil; 2Faculdade de Tecnologia e Ciências
(FTC), Feira de Santana, BA, Brasil.
*
E-mail: alexandravet_19@yahoo.com.br

A inserção de biotecnologias da reprodução constituem importantes ferramentas para melhorar a eficiência


reprodutiva em rebanhos leiteiros, entre estas destaca-se a Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF), a qual
vem se difundindo nas últimas décadas, devido a minimização dos impactos da detecção de estro e do anestro
pós-parto característicos dos programas de inseminação artificial (IA) convencional. Desta forma, o presente
estudo teve por objetivo avaliar o efeito da utilização de dois ésteres de estradiol, sobre o diâmetro do folículo
ovulatório (DFOL) e taxa de concepção de fêmeas bovinas leiteiras submetidas a um programa de IATF.
Utilizou-se 94 fêmeas mestiças Holandês-zebu, as quais foram submetidas ao seguinte protocolo hormonal: No
D0 inseriu-se um dispositivo intravaginal de progesterona (P4) associado à 2,0 mg i.m de benzoato de estradiol
(BE). No D8, os dispositivos de P4 foram removidos e foi administrado 500 µg i.m de prostaglandina - F2αe 300
UI i.m de gonadotrofina coriônica equina (eCG). Neste momento, os animais foram divididos em dois grupos
experimentais: 50 vacas foram alocadas no grupo CE e receberam 1mg i.m de cipionato de estradiol- ECP
(ECP®, Pfizer); enquanto outras 44 fêmeas foram classificadas como grupo BE sendo tratadas com 1,0 mg i.m
de BE (Gonadiol ®, MSD), 24 horas após a remoção do dispositivo (D9). No D10 foram realizadas as IATFs
utilizando-se sêmen criopreservado pertencente a um mesmo touro da raça girolando, previamente antes de cada
IA realizou-se a mensuração do diâmetro folicular ovulatório (DFOL) por meio de ultrassonografia transretal. O
diagnóstico de gestação foi realizado por ultrassonografia transretal 55 dias após a IATF. Para a análise
estatística dos dados foi utilizado o pacote estatístico SPSS, versão 19, considerando nível de significância de
5%, as diferenças entre o diâmetro do folículo ovulatório (DFOL) nos grupos BE e CE, foram comparadas
utilizando o teste t de Student. Já a taxa de concepção foi comparada entre os grupos por meio do teste do Qui-
quadrado (2). A média geral do DFOL foi 10,99±2,41mm. Na comparação do DFOL entre os tratamentos não
houve diferença significativa e as médias encontradas para os grupos BE e CE foram respectivamente,
11,45±2,34 e 10,71±2,43mm. No que se refere à taxa de concepção, de um total de 94 animais, 35 ficaram
gestante perfazendo uma taxa de concepção geral de 37,20%. Não foi verificada diferença significativa entre os
grupos experimentais, o grupo BE apresentou um índice de 34,10% (15/44), enquanto no grupo CE apresentou
40,00% (20/50) de taxa de concepção. Conclui-se que a substituição do BE por um tratamento com CE como
indutor da ovulação pode representar uma excelente alternativa para diminuição do número de manejos e
racionalização do trabalho na fazenda sem o comprometimento dos índices reprodutivos em programas de IATF
em fêmeas mestiças holandesas.

Palavras-chave: bovinos, IATF, folículo ovulatório, eficiência reprodutiva, taxa de concepção.


Keywords: cattle, IATF, ovulatory follicle, reproductive efficiency, conception rate.

28
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Associação entre a contagem de folículos antrais e os parâmetros ovarianos de fêmeas


Nelore submetidas a um programa de IATF
Association between the antral follicle count and ovarian parameters of Nellore females subjected to
FTAI program

Mariana de Melo Santos, Alexandra Soares Rodrigues*, Sidnei Nunes Oliveira, Priscila Assis Ferraz,
Marcus Vinícius Galvão Loiola, Mariana Santos Ribeiro de Barros, Edivânia Oliveira de Jesus, Walkiria
Moura Barreto, Rodrigo Freitas Bittencourt, Alberto Lopes Gusmão, Marcos Chalhoub Coelho Lima,
Antonio de Lisboa Ribeiro Filho

Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia (EMVZ), UFBA, Salvador, BA, Brasil.


*E-mail: alexandravet_19@yahoo.com.br

A população folicular antral constitui uma característica de alta variabilidade e repetibilidade individual. Estudos
recentes sugerem que este parâmetro é afetado por uma multiplicidade de aspectos reprodutivos. Deste modo,
objetivou-se avaliar o efeito da presença de Corpo lúteo (CL) sobre a Contagem de Folículos Antrais (CFA),
assim como a associação da CFA com o diâmetro ovariano (DOV) e diâmetro do folículo ovulatório (DFOL).
Para a execução deste trabalho, foram utilizadas 595 fêmeas Nelore que foram submetidas a um protocolo de
sincronização que se iniciou em um dia aleatório do ciclo estral denominado D0 por meio da inserção de um
dispositivo de progesterona (Sincrogest®, Ouro-Fino, São Paulo, Brasil), associado à aplicação de 2,0mg de
benzoato de estradiol pela via intramuscular (im) (Sincrodiol®, Ouro-Fino, São Paulo, Brasil). No D4 do
protocolo foi executada ultrassonografia transretal, utilizando-se um transdutor linear com frequência de 8,0MHz
(Pie-Medical, Falco 100, Maastricht, Holanda), sendo realizado o monitoramento do DOV, da presença de CL e
determinada a população folicular antral por meio da contagem dos folículos antrais ≥3mm (CFA) em ambos os
ovários. No D8 esses animais tiveram os dispositivos intravaginais retirados, foram tratados com 300UI de
gonodotrofina coriônica equina (eCG, Novormon®, MSD Saúde Animal, São Paulo, Brasil) im, 500µg de
cloprostenol sódico (Sincrocio®, Ouro Fino, São Paulo, Brasil) im e 1,0mg de cipionato de estradiol (ECP®,
Pfizer, São Paulo, Brasil) im. No D10 realizou-se a mensuração do DFOL por meio de ultrassonografia
transretal. Para a análise estatística foi utilizado o pacote estatístico SPSS, versão 19, considerando nível de
significância de 5%. As diferenças entre as médias da variável CFA, nos grupos com presença e ausência de CL
foram comparadas por meio do teste T de student. A correlação entre a CFA e as variáveis DOV e DFOL foi
realizada empregando-se o teste de correlação de Pearson. A média geral da CFA foi de 44,27±0,89 folículos
(FOL), verificando-se grande variabilidade individual para esta característica, oscilando de oito a 145 FOL por
animal. A presença de corpo lúteo afetou a população folicular, sendo que as fêmeas que não apresentaram corpo
lúteo tiveram uma CFA de 45,20±1,00FOL, significativamente superior (P=0,0007) à média de 40,30±2,00 FOL
encontrada naquelas que possuíam esta estrutura. Em relação ao DOV, observou-se uma média correlação
positiva (r=0,34) e significativa (P=0,0001) entre o DOV e a CFA. Contudo, no que se refere ao DFOL foi
observada uma baixa correlação negativa (r=-0,12) e não significativa (P=0,24) entre a CFA e o DFOL. Conclui-
se que fêmeas Nelore apresentaram uma elevada média de folículos compondo a população folicular antral e
uma alta variação individual do número de folículos. A presença de corpo lúteo afetou a CFA sugerindo que uma
estrutura luteal no parênquima ovariano pode comprometer o desenvolvimento ou a visualização de folículos
antrais ≥3mm. Adicionalmente, verificou-se uma inter-relação positiva entre o DOV e a CFA, possibilitando a
utilização do DOV como um parâmetro para pressupor a CFA. Entretanto, a CFA parece não exercer efeito sobre
o DFOL de vacas Nelore submetidas a um programa de IATF.

Palavras-chave: população folicular antral, parâmetros reprodutivos e inseminação artificial.


Keywords: follicular population antral, reproductive parameters and artificial insemination.

29
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Análise morfológica dos ovários de fetos bovinos


Morphological analysis of the ovaries of bovine fetuses

Laura Marques Knychala1, Renata de Freitas Ferreira Mohallem3 , Mayara Oliveira4, Gesiel Vitor Silva1,
Carina Diniz Rocha3, Luciana Ribeiro Peixoto1, Bárbara Virgínia Rodrigues Rizoto de Mattos1, Luiz
Carlos da Silva Borges Junior5, Gustavo Guerino Macedo2,*
1
Graduandos em Medicina Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária, UFU, Uberlândia, MG, Brasil; 2Docente,
Faculdade de Medicina Veterinária, UFU, Uberlândia, MG, Brasil; 3Doutorandas em Ciências Veterinárias, Faculdade de
Medicina Veterinária, UFU, Uberlândia, MG, Brasil; 4Mestranda em Ciências Veterinárias, UFU, Uberlândia, MG, Brasil;
5
Graduando em Zootecnia, Faculdade de Medicina Veterinária, UFU, Uberlândia, MG, Brasil.
*E-mail: ggmacedo@gmail.com

A determinação do desenvolvimento pré-natal dos ovários de fetos vem contribuir com as técnicas de
manipulação de ovócitos inclusos em folículos ovarianos pré-antrais (MOIFOPA), para melhor entendimento da
foliculogênese, para tentar verificar o período de surgimento de folículos ovarianos e seus estágios de
crescimento. Objetivou-se caracterizar histologicamente o desenvolvimento ovariano de fetos bovinos provindos
de abatedouro, ressaltando a morfologia e quantificação folicular. Para isso foram utilizadas 18 amostras de
ovários de fetos (com dois a nove meses de gestação), sendo divididos em três grupos com três amostras cada,
onde o grupo 1 – terço inicial de gestação (animais de um a três meses de idade), grupo 2- terço médio de
gestação (animais de quatro a seis meses de idade) e grupo 3 – terço final de gestação (animais de sete a nove
meses de idade). Para as análises histológicas e morfométricas, os ovários foram processados em parafina,
seguidos de cortes com 5µm de espessura em Micrótomo Manual YD315 e submetidos à coloração com
hematoxilina e eosina. As análises e quantificações foliculares foram feitas em microscopia óptica. Foram
efetuadas contagens dos diferentes folículos. No terço médio observou-se 34014 primordiais, o que representa
85,8% da quantidade total de folículos contados e 5614 folículos primários indicando 14,2%, não se encontrou
nessa idade folículos do tipo secundário, terciário e maduro. No terço final observou-se uma média de 19944
folículos primordiais, 7082 folículos primários, 36 folículos secundários, 135 folículos terciários e 7,4 folículos
maduros. Em números totais, esses resultados representam 73%; 26%; 0,13%; 0,5% e 0,03% respectivamente.
Em conclusão, os fetos com até setenta dias de gestação não apresentaram nenhum tipo de folículo. A proporção,
distribuição, quantidade e morfologia de cada tipo de folículo analisado, apresenta-se semelhante à literatura.

Palavras-chave: folículos, fetos, bovinos, histologia, gestação, gônadas.


Keywords: follicle, fetus, bovine, histology, gestation, gonad.
 
 

30
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Análise de eficiência reprodutiva em fêmeas da raça Caracu no norte de Minas Gerais


Analysis of reproductive efficiency in Caracu females in the north of Minas Gerais

Deborah Martins Mota Takaki1, Diogo Dias Reis1, Leandro Lopes Queiroz1, João Marcos Silva Santos1,
José Alcides de Castro Machado Ribeiro1, Lucas Aquino Rodrigues1, Lucélia Karoline Gonçalves
Barbosa1, Leone de Brito Silva1, Verônica Sabrina Ferreira Figueiredo1, Daniele Carolina Rodrigues
Xavier1, Danillo Velloso Ferreira Murta2,*, Lorena Catalina Martinez Rodriguez2
1
Graduando de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
2
Docente de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil.
*E-mail: danillo.murta.vet@gmail.com

Entre as raças de bovino europeu, a raça Caracu vem sendo criada no brasil desde o período colonial, e destaca-
se pela capacidade de adaptação a condições tropicais encontradas no nosso pais, sendo trabalhada tanto animais
de genética pura, quanto em cruzamentos com outras raças de bovino de corte afim de se estabelecer maior
desenvolvimento das atividades trabalhadas com a raça, atendendo assim as exigências do mercado consumidor.
As fêmeas da raça iniciam sua vida reprodutiva a partir dos 14 meses, sendo mantidas na reprodução por 17
anos, e para se conseguir alto índice de prenhez, na tentativa de se explorar maior eficiência reprodutiva,
tecnologias como a Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) são utilizadas para respostas mais favoráveis
a produtividade do rebanho. Tendo em vista as adversidades climáticas no norte minas, o presente estudo teve
como objetivo analisar resultados do método de IATF associado ao repasse com touro, após diagnostico
ultrassonográfico no prazo de 30 dias em fêmeas bovinas da raça Caracu adaptadas a condições da região. Foram
submetidas ao protocolo de IATF vacas da raça Caracu, na fazenda Barra da Vereda no Município de São João
da Ponte, norte de Minas Gerais. Em janeiro de 2015 foram avaliadas 48 fêmeas sendo que 7 novilhas, 41 vacas
paridas em regime de pasto apenas com suplementação mineral e com escore corporal entre 2,5 e 3 com
avaliação ginecológica. As avaliações climáticas foram obtidas segundo banco de dados do centro de
meteorologia ICA-UFMG. Os resultados obtidos na IATF foram 43,7% de prenhez totalizando 21 animais, os
de repasse com o touro 41,7% de prenhez totalizando 20 animais e 14,6% de fêmeas vazias num total de 7
animais. Em outros trabalhos, fêmeas mestiças taurinas tiveram resultados da taxa de prenhez por IATF de 41,30
% e taxa de prenhez por repasse em monta natural foi de 22,73%. Segundo Barros (2008) e Bouissou (1998) as
taxas de prenhez devem variar entre 53% a 65% em programas de IATF e das fêmeas submetidas o repasse por
monta natural 77,22% permanecem gestantes ao final da estação de monta. Verificou-se que a temperatura média
diária foi superior 26ºC e índice pluviométrico anual de 640 mm. Estudos revelam que alguns fatores como
escore de condição corporal e nutrição do rebanho, condições sanitárias, manejo e execução do programa IATF,
qualidade do sêmen, estado reprodutivo da fêmea e os protocolos IATF podem interferir nos resultados.
Portanto, características climáticas da região, como baixa pluviosidade e oferta de pastagens, elevadas
temperaturas são fatores limitantes para menor eficiência reprodutiva da raça na região.

Palavras-chave: IATF, reprodução, prenhez.


Keywords: TAI, reproduction, pregnancy.

31
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Análise da produção de embriões in vitro de bovinos da raça Holandesa na região oeste


do Paraná
Evaluation of in vitro embryo production of Holstein cattle in western Paraná

Ciro Meirelles1,*, Vinícius Fanhani1, Tiago André Frigotto1, Suzana de Almeida2,


Gabriel Schommer Ames1
1
Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Toledo, PR, Brasil; 2Faculdade Assis Gurgacz, Cascavel, PR, Brasil.
*E-mail: meirelles.ciro@pucpr.br

A fertilidade de vacas de aptidão leiteira sofre grande influência da variação climática, portanto, faz-se
necessário o estudo do impacto da variação de temperatura ambiental e estação do ano no resultado de
biotecnologias reprodutivas, tais como a FIV. Buscou-se neste experimento avaliar a viabilidade de
oócitos/embrionária e taxa de prenhez da FIV em relação à variação da média mensal de temperatura e época do
ano. Durante o período de abril a novembro de 2013 foram coletados, via sonda intravaginal, 2.745 oócitos
viáveis, estes foram maturados em incubadora de CO2 a 5% e temperatura de 38,8oC, e após 24 horas foram
fecundados com sêmen de bovinos da raça holandesa, sexado por citometria de fluxo para fêmeas. Os zigotos
foram cultivados em placas de petri nas mesmas condições da maturação e inovulados após 7 dias da
fecundação. As informações meteorológicas relativas aos valores médios de temperatura mensal foram
fornecidas pelo Sistema Meteorológico do Paraná. Os dados foram submetidos ao teste de Tukey (p<0,05) e
coeficiente de correlação de Pearson utilizando-se o software Bioestat 5.0. Observou-se que existe uma alta
correlação entre a conversão de oócitos viáveis em embriões em todo o período estudado (r=0,758),
independente da variação de temperatura. Obteve-se um índice mais elevado de oócitos viáveis e, portanto,
embriões viáveis nos meses com menores médias de temperatura (junho e agosto), porém sem diferença
significativa entre os meses (p=0,87). Nos meses de abril, maio, outubro e novembro forma realizadas menos
coletas de oócitos, porém, as taxas de prenhez não foram diferentes em relação à estação do ano (p=0,3).
Corroborando com o presente experimento, Alves et al. (2009) concluíram que, apesar do menor número de
oócito viáveis, a taxa de conversão em embriões é independente da estação do ano. Não houve variação
significativa da conversão de oócitos viáveis em embriões e taxa de prenhez em relação à variação média de
temperatura ambiental ou época do ano.

Palavras-chave: estações do ano, temperatura, oócitos.


Keywords: seasons, temperature, oocytes.

32
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da idade no desempenho de novilhas de corte submetidas a indução de puberdade


utilizando progesterona de quarto uso
Effect of age on performance of beef cattle heifers treated with induction of puberty using 4th use progesterone

Murilo Alves Miranda3,*, Davi Alexandre de Barros Correia1, Carlos José de Moura2,
Robespierre Augusto Joaquim Araújo Silva4, Gustavo Ferrer Carneiro1
1
UFRPE/UAG, Garanhuns, PE, Brasil; 2Fazenda Vale Formoso, Redenção, PA, Brasil; 3Profissional Autônomo,
Bom Conselho, PE, Brasil; 4UFRPE/Recife, PE, Brasil.
*E-mail: murilo25miranda@hotmail.com

Devido aos custos dos implantes intravaginais de progesterona a reutilização destes em programas de
inseminação artificial em tempo fixo tem como objetivo a melhoria do custo benefício da atividade. Novilhas
quando submetidas a fonte de progesterona (P4) exógena apresentam uma redução no número de receptores de
estradiol no hipotálamo, diminuindo assim o feedback negativo exercido por este hormônio. Entretanto, existem
outros fatores que podem influenciar o surgimento da puberdade em novilhas, tais como raça, nutrição,
bioestimulação e idade. Este trabalho teve como objetivo avaliar a influência da idade na resposta a indução de
puberdade utilizando dispositivo intravaginal a base de progesterona de quarto uso em novilhas nelore (n=198),
cruzadas (n=90) e ½ nelore ½ Aberdeen Angus (n=120) caracterizadas como pré-púberes. Foram realizadas duas
avaliações ginecológicas nas novilhas para determinação do status de desenvolvimento reprodutivo, através de
palpação transretal e ultrassonografia. Após a primeira avaliação, as novilhas classificadas como pré-púberes
foram submetidas a indução farmacológica da puberdade utilizando dispositivos intravaginal de quarto uso a
base de progesterona permanecendo por dez dias, no momento da retirada do dispositivo aplicou-se 1,0 ml de
benzoato de estradiol (BE) por via intramuscular. Sendo as mesmas reavaliadas após 30 dias para observação da
resposta ao tratamento. Para determinação da influência da idade, no momento da avaliação ginecológica foram
coletados os números de identificação dos animais e realizou-se a consulta das fichas de escrituração zootécnica
da fazenda. Foi realizada uma análise estatística descritiva mediante as dispersões das frequências absolutas e
relativas. Posteriormente, foi realizada uma análise univariada através dos testes de Qui-quadrado de Pearson ou
exato de Fisher, quando necessário. No grupo das novilhas nelore pré-púberes o tratamento com dispositivo
intravaginal de P4 de quarto uso associado a BE foi capaz de induzir a puberdade em 41,4 % (77/186) e 66,7%
(08/12) (P > 0,05) das novilhas pré-púberes com idade entre 24-26 e 27-31 meses, respectivamente. No grupo da
novilhas cruzadas pré-púberes o tratamento com dispositivo intravaginal de P4 de quarto uso associado a BE foi
capaz de induzir a puberdade em 68,3% (56/82) e 50% (04/08) (P > 0,05) para as novilhas cruzadas com idade
entre 24-26 meses e 27-31 meses, respectivamente. No grupo das novilhas ½ Nelore ½ Aberdeen Angus o
tratamento com dispositivo intravaginal de P4 de 4º uso mais BE foi capaz de induzir a puberdade em 62,9%
(56/89) e 83,9% (26/31) (P < 0,05) para as novilhas ½ Nelore ½ Aberdeen angus com idade entre 12-14 meses e
15-17 meses, respectivamente. Nesse caso verificou-se uma influência significativa da idade à puberdade na
resposta ao protocolo de indução de puberdade. Portanto, pôde-se verificar que a heterose adquirida com o
cruzamento entre reprodutores de raças taurinas e fêmeas Nelore, proporciona uma boa adaptação e uma maior
velocidade de crescimento dos produtos em climas tropicais, promovendo uma redução da idade à puberdade das
novilhas, aumentando o número de fêmeas púberes no início da estação de monta, melhorando os índices
reprodutivos e econômicos da atividade.

Palavras-chave: progesterona, idade, novilhas, indução.


Keywords: progesterone, age, heifers, induction.

33
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Resposta reprodutiva em vacas pós parto da raça Sindi submetidas a programa de IATF
Reproductive response in Sindhi breed postpartum cows subjected to TAI program

Henrique Guedes Moreira1, Lucas Aquino Rodrigues1, Leandro Lopes Queiroz1, João Marcos Silva
Santos1, José Alcides de Castro Machado Ribeiro1, Deborah Martins Mota Takaki1, Diogo Dias Reis1,
Lucélia Karoline Gonçalves Barbosa1, Alex Marco da Silva1, Danillo Velloso Ferreira Murta2,*,
Lorena Catalina Martinez Rodriguez2, Robertha Veloso Rebello3
1
Graduando de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
2
Docente de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
3
Mestranda UNIMONTES, Montes Claros, MG, Brasil.
*E-mail: danillo.murta.vet@gmail.com

A eficiente reprodução de animais superiores por uso biotecnologias reprodução proporciona maior retorno
econômico à atividade. A inseminação artificial e outras técnicas aplicadas à reprodução vêm cada vez mais
melhorando a pecuária de corte nacional. Objetivou-se, no presente estudo descrever eficiência reprodutiva após
protocolo de inseminação artificial em tempo fixo em vacas da raça Sindi, entre 30 a 90 dias pós-parto. Foram
submetidas ao protocolo de IATF vacas Sindi, na fazenda Barra da Vereda no Município de São Joao da Ponte,
norte de Minas Gerais, através de exame ultrassonográfico foram selecionadas 15 fêmeas entre 30 a 90 dias pós
parto e mantida em repasse de monta natural por 60 dias após a inseminação. O protocolo utilizado baseou-se em
nove dias (D9) de uso de implante de progestágeno, 300UI de eCG, 0,5 ml Cipionato de Estradiol e 2 ml de
luteolítico e inseminação no décimo primeiro dia (D11). Verificou-se que a taxa de prenhez nos animais
avaliados foi de 80%, com repasse em sistema de monta natural de 100% com touros. Estudos na raça Nelore
apresentaram resultados entre 47,6% e 69,9% em protocolos de IATF. Comparado a outros estudos, os quais
apresentaram percentual de 75,3% de prenhez em vacas paridas nelores submetidas à IATF e repasse de 45 dias
em sistema de monta natural. Outros ainda revelaram a taxa de percentual de 63,5%, 92,7% e 91,9% na gestação
após protocolo de IATF e repasse com touro por 60 dias após inseminação. Verifica-se que a raça Sindi
apresenta maior eficiência reprodutiva na IATF e em reposta ao tratamento hormonal em sistema de monta
natural que bovinos da raça Nelore.

Palavras-chave: IATF, reprodução, prenhez.


Keywords: TAI , reproduction, pregnancy.

34
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Gonadotrofina coriônica humana em substituição ao hormônio liberador de


gonadotrofina em protocolo Cosynch para vacas de corte
Human chorionic gonadotropin (hCG) to replace the gonadotropin-releasing hormone in the Cosynch protocol
for beef cows

Monna Lopes de Araujo, Claudinéia Silva Mendes, Mariana Alves de Andrade Silva,
Érica Dias Pereira Barboza, Fernando Henrique Almeida Biscarde,
Ronival Dias Lima de Jesus, Carmo Emanuel Almeida Biscarde, Larissa Pires Barbosa*

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Ilhéus, BA, Brasil.


*E-mail: larissa@ufrb.edu.br

A inseminação artificial em tempo fixo (IATF) é uma importante ferramenta no manejo reprodutivo de bovinos,
no entanto, restrições no comércio de produtos de origem animal, tratados com progestágenos, devem limitar seu
uso no futuro. Uma alternativa ao uso desse hormônio é o emprego de protocolos livres de progesterona. Desta
forma, o estudo teve como objetivo avaliar a eficiência da gonadotrofina coriônica humana (hCG) em
substituição ao hormônio liberador de gonadotrofina (GnRH) no protocolo Cosynch. Onze vacas adultas,
aneloradas, previamente selecionadas, foram distribuídas em dois tratamentos (T), sendo: T1 (n = 6): vacas que
receberam por via intramuscular (IM), 100µg de gonadorelina, análogo de GnRH, no D0; 150µg de d-
cloprostenol, no D7 e 100µg de gonadorelina, no D9 e T2 (n = 5): vacas que receberam por via IM, 1.000UI de
hCG, no D0; 150µg de d-cloprostenol, no D7 e 1.000UI de hCG, no D9. A IATF foi realizada no D9 do
protocolo após aplicação hormonal. Para as avaliações de dinâmica folicular foram realizadas avaliações
ultrassonográficas por via transretal, do D-1 até o D6, de 24 em 24 horas. A partir do D7, as avaliações foram
realizadas a cada 12 horas, até 12 horas após a detecção da ovulação. Foi utilizado o delineamento inteiramente
casualizado (DIC). Os dados foram avaliados quanto à normalidade por meio do teste de Shapiro-Wilk, as
variáveis não paramétricas foram analisadas pelo teste de Mann-Whitney e para variáveis com distribuição
normal foi utilizada ANOVA, a 5% de significância. Não houve diferença para os parâmetros de crescimento
folicular e ovulação entre os tratamentos avaliados (P > 0,05). O tamanho do maior folículo no D0 foi de 9,49 ±
2,57mm e 8,57 ± 2,08mm, para T1 (GnRH) e T2 (hCG), respectivamente (P > 0,05). O tamanho do maior
folículo no D9 do protocolo foi de 11,60 ± 4,92mm (T1) e 12,08 ± 2,03mm (T2) (P > 0,05). O tamanho do
folículo ovulatório foi de 13,98 ± 4,98mm (T1) e 14,07 ± 4,07mm (T2) (P > 0,05). A taxa de crescimento
folicular observada foi de 0,65 ± 0,33mm/dia no T1 e 0,66±0,23mm/dia no T2 (P>0,05). Não houve diferença
para o intervalo entre a segunda aplicação do indutor de ovulação e a ovulação (T1=35,99 ± 8,51h e T2 = 34,38
± 7,03h) (P < 0,05), esse intervalo é importante para determinar o melhor momento para realização da IATF,
garantindo uma melhor eficiência do protocolo. Analisando a população de pequenos (3 à 5mm), médios (6 à
8mm) e grandes (maiores que 9mm) folículos (Ferreira et al., 2004), foi observada diferença apenas para o
número de folículos pequenos no D2 e D10 do protocolo entre os tratamentos (P < 0,05), com média no D2 de
5,5 ± 3,3 (T1) e 13,8 ± 3,1 (T2) folículos pequenos e no D10 de 9,8 ± 1,9 (T1) e 12,7 ± 2,1 (T2) folículos
pequenos, essa diferença pode ser justificada pela ação de 25% de FSH presente na molécula de hCG, o que
possivelmente recrutou um número maior de folículos, em relação à ação do GnRH. Sendo assim, a utilização de
1.000UI de hCG em substituição a 100μg de gonadorelina, como indutor de ovulação, em protocolo Cosynch
para vacas de corte demonstrou ser eficiente, com base no crescimento folicular e taxa de ovulação.

Palavras-chave: taxa de ovulação, Cosynch, ovulação.


Keywords: ovulation rate, Cosynch, ovulation.
 

35
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Viabilidade de folículos ovarianos pré-antrais bovinos resfriados por quatro e 24 horas e


vitrificados em meio contendo acido ascórbico
Viability of bovine preantral follicles cooled for four and 24 hours and vitrified in
medium containing ascorbic acid

Erly Luisana Carrascal Triana*, Carolina Rodriguez Jimenez, Jovana Luiza de Azevedo,
Renata Gomes da Silveira, Jurandy Penitente-Filho, Adriana Moreira Zolini,
Carlos Thiago Oliveira, Ciro Alexandre Alves Torres

Departamento de Zootecnia, Universidade Federal de Viçosa, MG, Brasil.


*E-mail: erlylct@gmail.com 
 
 
A produção de embriões a partir de fêmeas de alto valor zootécnico pode ser ainda mais eficiente com o resgate
de folículos pré-antrais (FOPAs) do ambiente ovariano e posterior armazenamento. Os FOPAs podem ser
conservados por meio do resfriamento e/ou criopreservação se mantendo em baixas temperaturas até o momento
de sua utilização ou armazenando-os para formação de bancos de germoplasma. No entanto, se sabe que todo
processo de criopreservação provoca danos à estrutura celular consequência da formação de espécies reativas ao
oxigênio (ROS), o que reforça a necessidade de adicionar antioxidantes ao meio para minimizar o estresse
oxidativo. Assim, objetivou-se avaliar o efeito do resfriamento e da associação de crioprotetores penetrantes e
não penetrante acrescido de ácido ascórbico na qualidade de folículos pré-antrais bovinos vitrificados. Foram
utilizados ovários (n=10) de cinco novilhas mestiças com 14 meses de idade. No laboratório, fragmentos do
tecido ovariano foram distribuídos: dois para controle fresco imediatamente processados por isolamento
mecânico (zero hora) e o restante resfriados em meio TCM-199+HEPES a 4 ºC nos períodos de quatro e 24
horas e posteriormente vitrificados em quatro tratamentos de criopreservação: T1: TCM-199 + Dimetilsulfoxido
(DMSO) 1,5M + Etilenoglicol (EG) 1,5M; T2: TCM-199 + DMSO 1,5M + EG 1,5M + sacarose (SAC) 0,5M;
T3: TCM-199 + DMSO 1,5M + EG 1,5M + Ácido Ascórbico (AA) 0,1 mM e T4: TCM-199 + DMSO 1,5M +
EG 1,5M + SAC 0,5M + AA 0,1mM. Após a desvitrificação (aquecimento e remoção dos crioprotetores), os
fragmentos ovarianos foram isolados mecanicamente com TCM-199 e 10 % de BSA e em seguida analisada a
viabilidade dos FOPAs por meio da coloração de azul de Trypan. As variáveis foram submetidas ao teste de Qui-
quadrado a 5% de probabilidade ou ao Teste Exato de Fisher. O resfriamento dos FOPAs por quatro e 24 horas
reduziu (P<0,01) a porcentagem de folículos viáveis (78,7 e 74 %, respectivamente) em relação aos folículos do
grupo controle (94 %), esta redução foi provavelmente causada pela manipulação dos FOPAs, em que a
separação das células pode aumentar injurias nas estruturas, no entanto, não foram observadas diferenças
(P>0,05) na porcentagem de folículos a 4 °C entre os dois períodos de resfriamento. Após vitrificação revelou-se
que somente os tratamentos contendo DMSO, EG e AA foram capazes de manter uma percentagem de folículos
viáveis semelhante ao controle 24 h (66 e 74 %, respectivamente; P>0,05), isto ratifica a importância do agente
antioxidante na preservação das membranas celulares e sobrevivência de FOPAs. Conclui-se que FOPAs são
conservados eficientemente a 4ºC e que a associação de crioprotetores com o antioxidante AA melhora as taxas
de sobrevivência e viabilidade durante a vitrificação. Figueiredo JR. Manipulação de Oócitos Inclusos em
Folículos Ovarianos Pré-antrais. Biotécnicas Aplicadas à Reprodução Animal.

Palavras-chaves: ovários, folículos pré-antrais, resfriamento, vitrificação, acido ascórbico.


Keywords: ovaries, preantral follicles, cooling, vitrification, ascorbic acid.

36
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Uso da inseminação artificial em tempo fixo em novilhas Nelore púberes e pré-púberes


Artificial insemination at fixed time uses in pubertal and prepubertal Nellore heifers

Juliana Guedes Leite1, Lucélia Karoline Gonçalves Barbosa1, Lucas Aquino Rodrigues1, Leandro Lopes
Queiroz1, João Marcos Silva Santos1, José Alcides de Castro Machado Ribeiro1, Deborah Martins Mota
Takaki1, Diogo Dias Reis1, Fernanda Almeida Rodrigues1, Danillo Velloso Ferreira Murta2,*,
Lorena Catalina Martinez Rodriguez2, Robertha Veloso Rebello3
1
Graduando de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
2
Docente de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
3
Mestranda UNIMONTES, Montes Claros, MG, Brasil.
*E-mail: danillo.murta.vet@gmail.com

A puberdade consiste no momento da manifestação do primeiro estro, associado à uma ovulação potencialmente
fértil, seguido pelo desenvolvimento do corpo lúteo e por uma fase luteal de duração normal. Já a maturidade
sexual, segundo Romano (1997), é a fase em que o animal atinge a plena capacidade reprodutiva, atingida pela
ocorrência de três ciclos estrais consecutivos completos, demonstrando sinais de comportamento estral e em
intervalos regulares. Objetivou-se com este trabalho comparar as taxas de prenhez entre novilhas púberes e pré-
púberes, submetidas ao programa de IATF e repasse ao final da estação de monta, na região do norte de Minas
Gerais. Foram utilizadas 173 novilhas da raça Nelore acima de 24 meses. Inicialmente, os animais foram
submetidos ao exame ginecológico por ultra-sonografia. Os animais que na avaliação apresentaram pelo menos
um corpo lúteo (CL) foram classificados como púberes (G1; n = 105), enquanto os animais cujos ovários
caracterizaram-se pela ausência de CL e presença de ao menos um folículo grande (FG > 6,0 mm) constituíram o
G2 (n = 68). As taxas de prenhez das novilhas foram comparadas utilizando-se o teste qui-quadrado, a 5% de
significância. A taxa de prenhez em novilhas púberes obtida após IATF (69,52%) foi superior às obtidas em
novilhas pré-púberes (50,00%). Os índices de prenhez atingidos no presente trabalho foram superiores aos
relatados por Sá Filho et al. (2005), de 49,2% e 30,2%, ao submeter novilhas Nelore acíclicas e cíclicas à IATF,
respectivamente. A taxa de prenhez ao final da estação de monta (IATF com repasse) foi superior no G1 em
relação ao G2, confirmando a importância da avaliação ginecológica prévia das novilhas para elaboração de
protocolos de IATF e garantir melhores índices. Destacam que, no caso de novilhas pré-púberes, outros fatores,
como a idade e o peso ao momento do tratamento, exercem um importante efeito sobre o sucesso da IATF.
Dessa forma, o momento da puberdade está estreitamente relacionado à condição alimentar sob a qual são
mantidas as bezerras após o desmame.

Palavras-chave: bovinos, puberdade, reprodução, IATF.


Keywords: cattle, puberty, reproduction, TAI.

37
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Taxa de prenhez de fêmeas aneloradas submetidas aos protocolos de sincronização e


ressincronização de cio
Pregnancy rate of Nelore females submitted to synchronization and resynchronization protocols

Carlos Urbano Freire, Willder Rafael Ximenes Cunha, Gustavo Ferrer Carneiro*
1
Universidade Federal Rural de Pernambuco, Unidade Acadêmica de Garanhuns (UFRPE/UAG), Garanhuns, PE, Brasil.
*E-mail: gustavo@uag.ufrpe.br

A situação econômica da pecuária no mundo exige dos produtores de gado de corte uma máxima eficiência
reprodutiva, para garantir seu retorno econômico. Desta forma, à alta eficiência reprodutiva, deve ser uma meta
que norteie os técnicos e criadores a alcançar melhor produtividade e satisfatório retorno econômico na
atividade. Neste contexto, a otimização da eficiência reprodutiva é um dos principais fatores que contribuem
para uma melhoria da performance produtiva e da lucratividade dos rebanhos bovinos. Dentre os métodos para
aumentar a eficiência reprodutiva, podemos citar a sincronização da ovulação para inseminação artificial em
tempo fixo que possibilita, a programação do período de serviço sem observação de cio e aumento da eficiência
reprodutiva do rebanho. O presente trabalho foi realizado numa fazenda comercial de gado de corte localizada no
município de Barra de Guabiraba-PE (Latitude -08° 25' 12'', Longitude -35° 39' 29''), onde 120 vacas primíparas
e multíparas, todas paridas, nelores e cruzadas, criadas em regime de pastejo com suplementação mineral e água
ad libitum, com escore corporal de 2 a 3,5. Todos os animais foram submetidos a um protocolo de IATF que
constou de 2 mg de Benzoato de Estradiol associado a dispositivo de Progesterona (1 g) no D0, retirando o
implante no D8, aplicação de 300 UI de eCG e Prostaglandina 150 µg . Na indução da ovulação utilizou-se 1 mg
de Benzoato de Estradiol 36 horas antes da inseminação artificial. Após 22 dias do inicio do protocolo (D32), foi
inserido um dispositivo de Progesterona (1 g) em todos os animais do lote associado a 1mg de Benzoato de
Estradiol por via intramuscular. O diagnóstico de gestação foi realizado por exame de ultrassonografia transretal
30 dias após a IATF (D40 do protocolo), realizando a retirada do dispositivo de progesterona, obtendo-se um
resultado de (58/120) 48%, nas vacas diagnosticadas como vazias aplicou-se no mesmo dia 300 UI de eCG,
Prostaglandina 150 µg e 1 mg de Benzoato de Estradiol como indutor de ovulação e após 36 horas realizou-se a
segunda inseminação no D42. Um segundo exame de ultrassonografia transretal com 40 dias após a segunda
IATF obteve-se (32/62) 52%. Somando a sincronização e a ressincronização obteve-se (90/120) 75%, de taxa de
concepção por IATF num intervalo de apenas 42 dias. Conclui-se que a ressincronização de cio antecipada de
diagnóstico de gestação é uma ferramenta que pode ser utilizada para diminuir o intervalo entre serviços,
incrementando assim o aumento da eficiência reprodutiva do rebanho.

Palavras-chave: eficiência reprodutiva, produtividade, diagnóstico.


Keywords: reproductive efficiency, productivity, diagnosis.

38
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Taxa de prenhez com embriões no estágio: blastocisto e blastocisto expandido


Pregnancy rates with embryos in stages: blastocyst and expanded blastocyst

Adriano Oliveira*, Luan Miranda Viero, Baltazar Alves da Silva Junior, Camila da Silva Ferreira,
Felipe Alan Laxe de Paula

Departamento de Medicina Veterinária, Faculdade Anhanguera de Dourados, FDO, Dourados, MS, Brasil.
*E-mail: adrianoliveira17@hotmail.com

A taxa de prenhez em receptoras inovuladas com embriões produzidos in vitro (PIVe) podem ser bastante
variáveis. Estas variações podem estar relacionadas a qualidade dos embriões, influenciada pelas condições de
cultivo, meio de cultivo empregado nas fases da PIVe e avaliação subjetiva do estágio de desenvolvimento dos
embriões inovulados. Os índices de gestação aos 60 dias varia entre 20 e 60% de acordo com o sistema de PIVe
usado pelos diferentes laboratórios. Objetivou-se avaliar a taxa de prenhez em programas PIVe com embriões
em diferentes estágios. Os oócitos foram coletados em diferentes propriedades na região de Dourados-MS, após
a coleta foram selecionados por rastreamento, que separa os oócitos viáveis dos não viáveis, posteriormente
foram depositados em um crio de preservação e encaminhado ao laboratório. Foram usadas receptoras cruzadas
(Nelore x Angus) as quais passaram pelos mesmos manejos nutricional e sanitário, totalizando 392 inovulações.
Destas, foram transferidos 61 embriões classificados como blastocistos (BL) de 7 a 7,5 dias de desenvolvimento
e 331 embriões classificados como blastocistos expandidos (BX) de 7,5 ao 8 dias de desenvolvimento. Utilizou-
se o seguinte protocolo para as receptoras: (D0) implante de dispositivos intravaginais de progesterona e
aplicação de benzoato de estradiol 2 ml/UA; (D8) retirada dos implantes intravaginais, aplicação de 1 ml de
benzoato de estradiol, 2 ml de d-cloprostenol (análogo de PGF2α) e 1,5 ml de gonadotrofina coriônica equina
(eCG); No (D9) foram realizadas as aspirações foliculares (OPU) das doadoras; (D17) inovulação dos embriões.
Após 60 dias da aspiração foram realizados os diagnósticos de gestação através de palpação retal com auxílio de
aparelho de ultrassom. Quanto à inovulação de embriões no estágio de BX em um total de 331 receptoras
inovuladas, 183 apresentaram prenhez confirmada (55%), das 61 receptoras que receberam embriões no estágio
de BL, 30 apresentaram prenhez confirmada (49%). Os resultados demonstram maior índice de prenhez com os
embriões com maior estágio de desenvolvimento BX (7,5 - 8 dias) comparados a embriões no estágio com
menor desenvolvimento BL (7 - 7,5 dias), transferidos a fresco. A inovulação de embriões no estágio de BX
apresentou maior taxa de prenhez confirmada comparada a taxa de prenhez de embriões BL, devido os embriões
no estágio BX apresentarem uma maior taxa de sobrevivência e de eclosão que os embriões classificados como
BL. Diferentes protocolos de sincronização podem ser testados afim de analisar a taxa de prenhez de receptoras
que receberam embriões de PIVe.

Palavras chave: embriões, estágio embrionário, FIV.


Keywords: embryos, IVF, stage embryos.

39
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Taxa de implantação em FIV com embriões a fresco e vitrificados


Implantation rate in IVF with embryos fresh and vitrified

Renato Ferreira da Silva*, Luiz Felipe Alves Cassemiro, Baltazar Alves da Silva Junior,
Camila da Silva Ferreira

Departamento de Medicina Veterinária, Faculdade Anhanguera de Dourados, FDO, Dourados, MS, Brasil.
*
E-mail: renato_vet2015@hotmail.com

A produção in vitro de embriões (PIVe) vem sendo gradativamente incorporada nos programas de melhoramento
genético como técnicas de multiplicação, já que o uso tem aumentado relativamente no país. Entretanto essa
técnica exige um alto investimento financeiro, e para melhores resultados é necessário que sejam minimizados as
perdas. Alguns procedimentos que são realizados tanto a campo como a nível laboratorial, são necessários para
maximizar os resultados da PIVe, tais como: avaliação e manipulação hormonal das receptoras e doadoras,
escolha do sêmen, diagnóstico precoce de gestação, perdas embrionárias, sexagem fetal com o uso de ultrassom
e a qualidade do laboratório. Objetivou-se com este experimento determinar a taxa de implantação de embriões
bovinos provenientes de fertilização in vitro (FIV) inovulados à fresco ou após vitrificação. Os oócitos foram
coletados em receptoras Nelore em fazenda localizada no município de Dourados-MS, após a FIV foram
classificados e somente os graus I e II, (excelente e bom, respectivamente) foram utilizados. Os embriões foram
inovulados em 356 novilhas (Angus x Nelore) que receberam o mesmo manejo nutricional e sanitário e foram
igualmente sincronizadas, sendo que destas, 133 receberam embriões vitrificados e 223 embriões à fresco. Após
30 dias, foi realizado o diagnóstico de gestação e os dados obtidos foram submetidos à analise de variância e
teste de Tukey (p<0,05). Houve diferença significativa entre as médias das taxas de implantação onde foram
obtidos os seguintes resultados: das 133 receptoras inovuladas com embriões vitrificados 40 (33,26%) obtiveram
implantação embrionária, com relação as 223 receptoras inovuladas com embriões à fresco 127 (56,43%)
apresentaram prenhez confirmada. Tais resultados demonstram que a maior taxa de implantação (P>0,05)
ocorreu em embriões à fresco quando comparados aos que passaram por processo de vitrificação. Pode-se então
concluir que a inovulação de embriões vitrificados provenientes de FIV apresentou um índice de implantação
menor devido possivelmente às alterações morfológicas que estes são submetidos no processo de vitrificação.
Apesar da vitrificação apresentar algumas vantagens quanto a logística, essa técnica ainda apresenta um índice
menor de implantação embrionária comparada a inovulação à fresco, sendo este um fator limitante.

Palavras-chave: bovinos, inovulação, vitrificação.


Keywords: bovine, inovulation, vitrification.

40
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Sincronização da ovulação com dispositivo intravaginal de P4 de 1,9 g (nove dias) ou


1,0g (oito dias): eficiência reprodutiva em bovinos
Sinchronization of ovulation with intravaginal device of P4 of 1.9g (nine days) or 1.0g (eight days): reproductive
performance in bovines

José Eduardo Pereira Vicente, Tatiane Silva Maia, Lorena Martins Araujo, Bárbara Virgínia Rodrigues
Rizoto de Mattos, Luciana Ribeiro Peixoto, Luiz Carlos da Silva Borges Junior, Diogenes da Costa Berigo,
Gustavo Guerino Macedo*

Laboratório de Reprodução Animal, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Uberlândia,
Uberlândia, MG, Brasil
*E-mail: ggmacedo@gmail.com

Atualmente laboratórios oferecem ao mercado dispositivos intravaginais de progesterona (P4) contendo 1,9 g ou
1,0 g de P4 utilizados por nove ou oito dias, respectivamente, para a sincronização da ovulação de fêmeas
bovinas. Questões sobre os resultados reprodutivos surgem frequentemente no meio técnico e acadêmico sobre
qual seria o manejo mais eficiente. O objetivo do estudo foi avaliar a interferência do tipo de protocolo e fonte de
P4 na sincronização da de fêmeas bovinas. Tal estudo foi realizado na Fazenda Experimental Capim Branco, no
município de Uberlândia, Minas Gerais. Utilizou-se 110 vacas lactantes Nelore de um mesmo lote distribuídas
aleatoriamente em grupo 3(implante de 1,0 g de P4) ou 4 manejos (implante de 1,9 g de P4). As fêmeas do grupo
3 (n = 54) manejos receberam um implante de P4 de 1 g (Primer®, Tecnopec) e 2 mg de benzoato de estradiol
i.m. no D0 (BE, Sincrodiol®, Ourofino). No D8 foi retirado o implante e aplicado i.m. 1mg de cipionato de
estradiol (Sincroecp®, Ourofino), 300 UI de eCG (Novormon®, Zoetis) e 25 ug de dinoprost (Lutalyze®, Zoetis).
No grupo 4 manejos (n = 56), as fêmeas receberam um implante de P4 de 1,9 g (CIDR®, Zoetis) e 2 mg de
benzoato de estradiol i.m. no D0 (BE, Sincrodiol®, Ourofino). No D7 foi administrado i.m. 12,5 ug de dinoprost
(Lutalyze®, Zoetis). No D9 foi retirado o implante e aplicado i.m. 1mg de cipionato de estradiol (Sincroecp®,
Ourofino), 300 UI de eCG (Novormon®, Zoetis) e 12,5 ug de dinoprost (Lutalyze®, Zoetis). A inseminação foi
realizada em ambos os grupos 48 h após a remoção do implante de P4. Neste momento aferiu-se o diâmetro do
folículo dominante e em qual dos ovários este se encontrava por ultrassonografia. O diagnóstico de gestação foi
efetuado 30 dias após a IA. O ovário direito apresentou maior quantidade de folículos pré-ovulatórios que o
esquerdo (68% vs. 32%). A perda de implante foi de 9,6% e 5,4% para os grupos de 3 e 4 manejos,
respectivamente. O folículo ovulatório foi de 11,6 mm e 12,4 mm e a taxa de ovulação para os grupos 3 e 4
manejos, respectivamente. A taxa de concepção foi de 43% e 58% para os grupos 3 e 4 manejos,
respectivamente prenhez foi de 43 vacas (46,44%). A taxa de ovulação do ovário esquerdo foi 22 (57,8%) e do
direito 31 (50%); e a prenhez foi de 58 (62,64%) vacas. A partir dos dados expostos anteriormente conclui-se
que o manejo de quatro dias com implante intravaginal de 1,9 g de P4 foi o mais eficiente e proporcionou maior
performance reprodutiva.

Palavras-chave: prenhez, vacas, ovulação, reprodução, sincronização.


Keywords: pregnancy, cow, ovulation, reproduction, synchronization.

41
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Maturação in vitro de oócitos bovinos na presença do IGF-LongR3


In vitro maturation of bovine oocytes in the presence of IGF-LongR3

Michelle Silva Araujo1,*, Midyan Daroz Guastali1, Miriam Harumi Tsunemi2,


Anthony César de Sousa Castilho3, Fernanda da Cruz Landim-Alvarenga1
1
Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária, UNESP, Botucatu, SP, Brasil; 2Departamento de
Bioestatística, UNESP, Botucatu, SP, Brasil; 3Departamento de Farmacologia, UNESP, Botucatu, SP, Brasil.
*E-mail: msa.vet@hotmail.com

O fator de crescimento semelhante à insulina-1 (IGF-1) está relacionado a vários eventos reprodutivos, tais como
o desenvolvimento folicular, maturação oocitária, ovulações duplas e desenvolvimento embrionário inicial. Seus
efeitos benéficos sobre a aquisição da competência de desenvolvimento de oócitos durante a maturação in vitro
(MIV) em várias espécies domésticas já foram relatados. O fator de crescimento semelhante à insulina-1
recombinante-3 (IGF-LongR3) é um análogo sintético ao IGF-1 de maior biodisponibilidade, o qual já foi
utilizado em sistemas de cultivo in vitro de células da granulosa, porém ainda não foi adicionado diretamente aos
meios de MIV de oócitos. Portanto, este estudo teve como objetivo avaliar e comparar a progressão meiótica de
complexos cumulus-oócito (COC) bovinos submetidos a MIV na presença de IGF-LongR3 em substituição a
presença de soro fetal bovino (SFB). Ovários bovinos foram coletados em abatedouros, sendo aspirados folículos
de 2-8mm. Apenas complexos cumulus-oócito (COC) de graus 1 e 2 foram selecionados para a MIV. Vinte e três
COC foram maturados em gotas de 90µlde TCM199 acrescido de 0.011g/ml de piruvato, 1000µg/mL de FSH,
5µg/mL de LH e 100µg/mL penicilina e estreptomicina, e100ng/ml de IGF-LongR3ou 10% de SFB. A MIV foi
realizada em placas de petri (60x15 mm) cobertas com óleo mineral estéril, por 22-24 horas em estufa a 38,5ºC e
5% de CO2. Após o período de maturação, os oócitos foram desnudados em solução de DMPBS + 0,1% de PVA
e submetidos à coloração com o corante Hoescht-33342, para visualização dos cromossomos em microscópio de
epifluorescência (filtro de excitação de 365nm e de emissão de 420nm) e classificação do estádio da divisão
meiótica. Oócitos que apresentavam um único material genético fluorescente em azul, eram classificados em
estádio de metáfase I; porém quando apresentavam dois materiais genéticos fluorescentes, eram classificados em
estádio de metáfase II. A análise estatística utilizada foi um modelo linear de efeitos mistos, realizada pelo
programa lme4. Ao final da realização de cinco rotinas de MIV, 83 oócitos foram avaliados para o grupo IGF-
LongR3 e 84 oócitos para o grupo SFB, não sendo observada diferença estatística entre os grupos experimentais
(P>0,05). A taxa de oócitos em estádio de metáfase I foi de 22,89% (19/83)e 34,52% (29/84), enquanto que
77,10% (64/83) e 65,47% (55/84) se encontravam no estádio de metáfase II, para os grupos IGF-LongR3 e SFB,
respectivamente. Em suma, é possível realizar a MIV de oócitos bovinos na presença do IGF-LongR3, em
substituição ao SFB.

Palavras-chave: fertilização in vitro, complexos cumulus-oócito, IGF-1.


Keywords: in vitro fertilization, cumulus-oocyte complex, IGF-1.

42
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Relação entre peso corporal e a taxa de prenhes em novilhas Nelore submetidas a


programa de inseminação artificial em tempo fixo
Relationship between body weight and the pregnant rate in Nelore heifers subjected to artificial insemination
program in fixed time

Diogo Dias Reis1, Lucas Aquino Rodrigues1, Leandro Lopes Queiroz1, João Marcos Silva Santos1,
José Alcides de Castro Machado Ribeiro1, Deborah Martins Mota Takaki1, Lucélia Karoline Gonçalves
Barbosa1, Fernanda Almeida Rodrigues1, Juliana Guetes Leite1, Henrique Guedes Moreira1,
Danillo Velloso Ferreira Murta2,*, Lorena Catalina Martinez Rodriguez2
1
Graduando de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
2
Docente de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil.
*E-mail: danillo.murta.vet@gmail.com

O escore de condição corporal tem sido de grande utilidade para a avaliação do estado nutricional de bovinos.
Estas condições refletem o grau de armazenamento de energia do animal e estão relacionadas com o tempo de
retorno à ciclicidade após o parto e aos resultados de prenhez em programas de IATF (Neto, 2008). Objetivou-se
com este trabalho avaliar a influência do peso sobre a taxa de prenhez de novilhas Nelore criadas a pasto
submetidas ao programa de IATF. Foram utilizadas 172 novilhas, na região Norte de Minas Gerais, com ECC
acima de 3 (avaliadas de 1 a 5). Inicialmente os animais foram selecionados conforme peso corporal, dividindo-
os em três grupos experimentais (G1 = peso corporal entre 260 a 300 kg; G2 = peso corporal entre 301 a 350 kg;
G3 = peso corporal acima de 351 kg). Foi utilizado o mesmo protocolo hormonal para cada grupo, sêmen da
mesma partida e a técnica de inseminação foi realizada pelo mesmo inseminador. As taxas de prenhez foram
comparadas utilizando-se o teste qui-quadrado, a 5% de significância. Verificou-se que a taxa de prenhez em
novilhas criadas a pasto, no Norte de Minas Gerais, após o protocolo de IATF e repasse ao final da estação de
monta foi crescente em relação ao peso corporal. Desta forma, as novilhas com peso corporal superior a 350 kg
de peso vivo apresentaram maiores índices de prenhez, conforme descrito por Scaglia (1997). As análises de taxa
de prenhez ao final da estação de monta, após IATF e repasse com monta natural, apresentaram diferenças
estatísticas significativas (P<0,05), conforme aumentava-se o peso corporal dos animais, semelhante ao descrito
por Scaglia (1997). Segundo Scaglia (1997), os pesos e escore de condição corporal (ECC) são determinantes
para uma maior taxa de prenhez. Em rebanhos bem manejados, com adequados níveis nutricionais, é de se
esperar que 50% dos animais já estejam com atividade cíclica no início do período reprodutivo. O baixo nível
alimentar também pode interagir com os fatores genéticos, ambientais e de manejo, e assim influenciar na função
reprodutiva (Jolly, 1995).

Palavras-chave: desenvolvimento corporal, precocidade sexual, IATF.


Keywords: body development, sexual precocity, TAI.

43
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Relação entre custo com inseminação artificial e custo de produção de leite em dois
sistemas de ordenha em Pelotas, RS
Correlation between artificial insemination and milk production costs in two milking systems in Pelotas, RS

Camila Beatriz Bonatto1,*, Marina Oliveira Daneluz1, Giuliano Orlandi Suzin, Hortência Dias1,
Juliana Fernandes Rosa1, Jéssica Dal Vesco1, Raul Henrique Silva1, Greyce Silveira Mello1,
Daniele Bondan Pacheco1, Natacha Deboni Cereser2, Helenice de Lima Gonzalez2,
Raquel Schiavon Schiavon3
1
Medicina Veterinária, Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas, RS, Brasil; 2Departamento de Veterinária
Preventiva, UFPel, Pelotas, RS, Brasil; 3Universidade Federal de Lavras (UFLA), Lavras, MG, Brasil.
*E-mail: camila.bonatto@hotmail.com

A inseminação artificial, que é consagrada como técnica de melhoramento e de prevenção de doenças sexuais,
está em processo de inclusão em algumas propriedades leiteiras. São muitas as vantagens da inseminação
artificial, das quais cabe ressaltar: melhoramento genético e controle de doenças sexualmente transmissíveis,
segurança e redução de custos. Além disso, oportuniza ou facilita o cruzamento entre raças, possibilitando a
adequação do macho para cada fêmea e reduzindo assim a ocorrência de partos distócicos. No presente trabalho,
nos anos de 2012 e 2013 foi realizado o controle de índices zootécnicos em duas propriedades com sistemas de
produção distintos, uma com ordenha tipo balde ao pé e outra com ordenha canalizada. Foi avaliado em ambas
propriedades os custos com a inseminação artificial em novilhas e vacas, em relação aos custos totais da
propriedade, que inclui alimentação, mão-de-obra e aquisição de animais. Na primeira propriedade avaliada,
onde os animais são da raça Jersey e a ordenha é tipo balde ao pé, a despesa total com o sistema de produção de
leite foi de R$71.044,55, e o custo com a I.A foi de R$1.090. Neste ano o custo com inseminação representou
1,5% da despesa total da propriedade. Já no ano de 2013 a despesa total foi de R$59.412,17. Na mesma, o custo
com materiais para inseminação foi de R$929,30, o que representou 1,6% da despesa total da propriedade. É
uma propriedade em processo de tecnificação e melhoria genética do plantel, então o custo por dose de sêmen
utilizado foi maior, - o que se deve também ao custo maior do sêmen da raça Jersey – e isso pode ter contribuído
para uma maior participação no custo com inseminação artificial na despesa total da propriedade. A segunda
propriedade avaliada conta com um plantel geneticamente melhorado há alguns anos, melhor manejado em
relação à eficiência reprodutiva e também uma boa qualidade de alimentação, que é constante durante o ano.
Esta propriedade conta com um sistema tecnificado, com ordenha canalizada. Em 2012, a despesa total com todo
o sistema foi de R$89.322,15, e a I.A teve o custo de R$1.581,97, o que representou 1,8% das despesas totais no
ano com a atividade leiteira. No ano de 2013, a despesa total foi de R$33.493,34. O custo com inseminação
(sêmen, material para inseminação e serviço do inseminador), durante o mesmo ano foi de R$234,20,
demonstrando que o custo com inseminação nesta propriedade representou 0,7% dos custos totais da
propriedade, demonstrando dessa forma que esta é uma propriedade melhor estabelecida em relação ao plantel
de fêmeas, não tendo a necessidade de maiores custos com sêmen. Além disso, os animais são da raça Holandês,
e o preço do sêmen desta raça é mais acessível em relação ao valor. A implementação do serviço de inseminação
tem possibilitado aos proprietários o acesso a reprodutores mais qualificados, com opções mais adequadas aos
animais do rebanho, permitindo dessa forma a melhoria do plantel em termos genéticos, fato que têm sido
destaque no setor. Ainda há a possibilidade da redução dos custos e dos acidentes, somados também à
diminuição da disseminação de doenças transmitidas pelo coito.

Palavras-chave: custos, inseminação artificial, leite.


Keywords: costs, artificial insemination, milk.

44
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Relação do tamanho do folículo ovulatório e taxa de concepção de vacas Nelore em


protocolos de IATF
Size ratio of the ovulatory follicle and pregnancy rate of Nellore cows FTAI protocols

Ronaldo Oliveira Silveira1,*, Giancarlo Magalhães dos Santos1, Lucas Pereira Balieiro1,
Camila Oliveira Silveira2, João Gabriel Viana de Gràzia3, Paula Piccolo Maitan2
1
Departamento de Veterinária, UNIVIÇOSA, Viçosa, MG, Brasil; 2Departamento de Veterinária, UFV, Viçosa, MG, Brasil;
3
Departamento de Veterinária, UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil.
*E-mail: ronaldo_silveira1@hotmail.com

O diâmetro do folículo ovulatório no final do programa de sincronização de estro destaca-se como importante
fator de influência nas taxas de concepção e na eficiência reprodutiva dos programas de sincronização para
inseminação artificial em tempo fixo (IATF), pois está relacionada com maiores concentrações de estradiol,
maior probabilidade de ovulação e taxa de concepção. Objetivou-se com este estudo avaliar o tamanho do
folículo ovulatório e a taxa de concepção de vacas Nelore (Bos taurus indicus) submetidas a um protocolo de
sincronização do estro e ovulação. O estudo foi realizado na Fazenda Escola CPT Agropecuária situada na zona
rural do município de São Geraldo – MG. Foram utilizadas 58 vacas da raça Nelore com idade média de quatro
anos, submetidas ao protocolo de sincronização apresentado a seguir. Em um dia aleatório do ciclo estral
denominado dia 0 (D0), os animais receberam um dispositivo intravaginal de liberação de progesterona (P4)
associado a 2,0mg de Benzoato de Estradiol por via intramuscular. No dia oito (D8), retirou-se o dispositivo de
P4 e administrou 0,150 mg de D-cloprostenol Sódico e 300 UI de Gonadotrofina Coriônica Equina. No nono dia
(D9) os animais receberam 1,0 mg de Benzoato de Estradiol. No dia 10 (D10), antes da IATF, todos os animais
foram examinados por ultrassonografia transretal com transdutor linear com frequência de 7,5MHz para
mensuração do diâmetro do maior folículo presente no momento da IATF (DFOL). As inseminações foram
realizadas por um mesmo técnico utilizando-se sêmen criopreservado descongelado a 37ºC por 30 segundos. Do
total de 58 fêmeas, 35 ficaram gestantes perfazendo uma taxa de concepção de 60,3%. A média geral do DFLO
foi de 12,52±1,73mm. Na comparação entre o DFOL e a ocorrência ou não de gestação, verificou-se que as
vacas que ficaram gestantes apresentaram folículos com diâmetro médio de 12,79±1,88 mm, semelhante ao
diâmetro médio dos folículos das fêmeas não gestantes que alcançaram 12,12±1,39mm. É relatado na literatura
que existe um aumento linear entre a taxa de concepção e o diâmetro do folículo ovulatório. Alguns autores
observaram que animais com folículos ovulatórios entre 7 a 10 mm obtiveram taxa de concepção de 11,1%,
aqueles com folículos de 10 a 13 mm alcançaram taxa de concepção de 63,8% e enquanto naqueles com
folículos de 13 a 19 mm, foi verificada taxa de concepção de 88,2%, números estes que corroboram com os
diâmetros e porcentagens de prenhez do presente estudo. Outros autores também verificaram que existe relação
entre o diâmetro do maior folículo e a probabilidade de concepção de fêmeas zebuínas, onde os índices
satisfatórios de concepção foram alcançados quando o diâmetro do maior folículo no momento da IATF
encontrava-se em torno de 13 a 15 mm, diâmetros estes superiores a média encontrada neste estudo, o que
explicaria a porcentagem de animais gestantes. A ovulação de folículos de menor diâmetro pode representar a
formação de corpo lúteo de menor volume e, consequentemente, baixa capacidade de produzir P4 promovendo
uma deficiência no desenvolvimento embrionário, uma baixa capacidade de produzir interferon-tau e, por
conseguinte, uma falha na sinalização do embrião para o reconhecimento e estabelecimento da gestação
favorecendo, assim, o mecanismo luteolítico. Em fêmeas Bos taurus indicus submetidas a programas de IATF a
presença de um folículo de maior diâmetro no momento da inseminação é um indicador de melhor resposta
ovariana e taxa de concepção.

Palavras-chave: diâmetro, folículo, Nelore, prenhez, vacas.


Keywords: cows, diameter, follicle, Nellore, pregnancy. 

45
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Relação entre equipes de OPU e taxas de recuperação de oocitos e produção de embriões


em animais da raça Gir
Relationship between OPU teams and oocyte recovery rates in Gir cows

Iuri Antunes Pereira Lima1,*, João Gabriel Viana de Grázia1, Carolina Marinho de Assunção2,
Emilio César Martins Pereira3
1
Departamento de Clinica e Cirurgia Veterinárias; Departamento de Zootecnia, EV-UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil;
2
Laboratório de Reprodução Animal, Embrapa Gado de Leite, Juiz de Fora, MG, Brasil; 3 Departamento de Reprodução
Animal e Radiologia Veterinária, UNESP, Botucatu, SP, Brasil.
*E-mail: iuri_antunes01@hotmail.com
 
 
Com grandes demandas da técnica de PIVE (produção in vitro de embriões), o uso das técnicas de OPU (ovum
pick up) e consequentemente procura e seleção de oócitos são de grande importância para que se obtenha um
bom número de oócitos em cada procedimento. No entanto, as taxas de recuperação de oócitos das doadoras
podem variar de acordo com a equipe técnica que fará a aspiração folicular dos animais. Contudo, não existe um
consenso se a equipe de OPU pode interferir também na produção de embriões in vitro. Diante disso, o presente
trabalho teve como objetivo avaliar a relação da equipe de aspiração folicular com as taxas de recuperação de
oócitos totais, viáveis e o possível efeito na produção de embriões in vitro. Para isso, foram analisados dados
referentes a 7 diferentes equipes de aspiração folicular que trabalhavam com doadoras da raça Gir em
propriedades da Zona da Mata Mineira e Vertentes e região sul do estado do Rio de Janeiro. A aspiração
folicular foi realizada com auxílio de equipamento de ultrassom portátil equipado com transdutor setorial de 7,5
MHz adaptado para ser utilizado transvaginal e com guia para agulha de biópsia (Aquila, Esaote-Pie Medical,
Maastricht, Holanda). Agulhas descartáveis (20 G) foram acopladas a um sistema de vácuo com pressão
aproximada de 50 mmHg ou equivalente ao fluxo de 11 ml por minuto. O líquido folicular e os complexos
cumulus-oócitos foram aspirados para um tubo de 50 mL contendo 10 ml de Dulbecco’s PBS (DPBS) (Nutricell,
Campinas, SP, Brasil), suplementado com 10% de soro fetal bovino (Nutricell) e 100UI de heparina sódica
(Liquemine, Roche, Basileia, Suíça), e aquecido a 36ºC. Todos os oócitos recuperados foram mantidos em
criotubos devidamente identificados com meio tamponado, e transportados para o laboratório localizado na
cidade de Juiz de Fora – MG no intervalo de 3 a 12 horas a 37ºC. Os procedimentos de maturação, fertilização e
cultivo dos zigotos foram realizados pelo mesmo técnico em cada equipe. Os dados foram verificados quanto a
normalidade através do teste Shapiro-Wilk e os não normais foram transformados para distribuição normal, os
quais foram submetidos a ANOVA onde diferenças entre médias foram comparadas pelo teste Tukey, com nível
de significância de 0,05. Para o parâmetro oócitos totais, de todas as equipes analisadas apenas uma, equipe 7,
teve média superior às demais (29,40±21,7), assim como para recuperação de oócitos viáveis essa mesma equipe
se manteve superior as demais (16,64±12,7)(p<0,05). Em relação a produção de embriões não houve diferença
estatística entre as equipes, 1 (42,57±40,5); 2 (30,81±31,7); 3 (21,59±22,7); 4 (40,33±34,6); 6 (37,61±37,5)
p>0,05, contudo é possível notar uma tendência de melhor desempenho das equipes 5 e 7, com as médias de
54,77±32,6 e 41,89±28,4, respectivamente. Tais resultados demonstraram que a equipe de aspiração tem
influência direta nas taxas de recuperação de oócitos e possivelmente na produção de embriões, no entanto,
outras fatores também podem exercer influência nos resultados de produção de embriões in vitro.

Palavras-chave: OPU, oócitos, embriões, Gir.


Keywords: OPU, oocytes, embyos, Gyr.

46
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Relação entre estágio do desenvolvimento de embriões bovinos produzidos in vitro sobre


a taxa de gestação
Relationship between bovine embryo development stage produced in vitro on the pregnancy rate

João Gabriel Viana de Grázia1,*, Emilio César Martins Pereira2, Carolina Marinho de Assunção3,
Giancarlo Magalhães dos Santos4, João Henrique Moreira Viana3
1
Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinárias, UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil; 2Departamento de Reprodução
Animal e Radiologia Veterinária, UNESP, Botucatu, SP, Brasil; 3Laboratório de Reprodução Animal, Embrapa Gado de
Leite, Juiz de Fora, MG, Brasil; 4CPT Cursos presenciais e Univiçosa, Viçosa, MG, Brasil.
*E-mail: jgvgrazia@gmail.com

Nos últimos anos, uma das biotécnicas de eleição para maximizar o número de descendentes dos melhores
animais e acelerar o progresso genético dos rebanhos é a produção in vitro de embriões (PIVE) associado a
aspiração folicular guiado por ultrassom. No entanto, durante os programas de PIVE ocorre um desenvolvimento
assincrônico dos embriões, sendo possível observar no 7º dia pós fertilização embriões em diferentes estágios de
desenvolvimento. O objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito do estágio de desenvolvimento do embrião
bovino produzido in vitro na taxa de gestação. O estudo foi realizado com os resultados do laboratório comercial
de produção in vitro de embriões bovinos, Ativa Embriões, localizado em Juiz de Fora, MG. Foram utilizados
dados de vacas da raça Gir, Holandesa e mestiças F1 (Gir X Holandês) provenientes de rebanhos diferentes das
regiões da zona da mata mineira, vertentes e sul do estado do Rio de Janeiro. A maturação in vitro dos COC foi
realizada em meio TCM 199 (Gibco) acrescido de 10% de soro fetal bovino, FSH, LH e estrógeno, piruvato e
antibiótico, na estufa incubadora a 38,8 ºC, com 5% de CO2 e 95% de umidade, por 24 horas. Os COC
maturados foram fecundados utilizando sêmen de touros provados. A fecundação foi realizada em meio FIV
contendo heparina, por um período de aproximadamente de 18-22 horas, nas mesmas condições atmosféricas da
maturação. Para o cultivo dos presumíveis zigotos, foram utilizado o meio CR4aa contendo, soro fetal bovino e
BSA. No 7º dia de cultivo os blastocistos foram avaliados, classificados quanto ao estágio de desenvolvimento
(blastocisto eclodido, blastocisto expandido, blastocisto e blastocisto inicial) e envasados para a posterior
transferência. As receptoras selecionadas foram submetidas ao protocolo de sincronização do ciclo estral. No dia
zero foi feito a inserção do dispositivo intravaginal de 1g de progesterona e aplicação intramuscular de 2mL de
benzoato de estradiol. No oitavo dia, o dispositivo de progesterona foi retirado, juntamente com aplicação
intramuscular de 2mL de gonadotrofina coriônica equina (eCG), 2mL de prostaglandina F2α (PGF2α) e 0,5mL
de cipionato de estradiol. No dia da transferência dos embriões (n=1.274), as receptoras tiveram seus ovários
avaliados por ultrassonografia para a determinação do corpo lúteo e o lado que ocorreu a ovulação. Para a
transferência dos embriões, cada receptora foi anestesiada com 4mL de cloridrato de lidocaína 2%, via epidural
baixa, e a vulva higienizada com água corrente e papel-toalha. O embrião foi depositado no corno uterino
ipsilateral ao corpo lúteo. O diagnóstico de gestação foi realizado 28 dias após a transferência do embrião,
utilizando o aparelho de ultrassonografia. A análise estatística utilizada foi o teste qui-quadrado e o nível de
significância considerado foi p<0,05. Os estágios embrionários mais avançados (blastocisto eclodido (50,0%) e
blastocisto expandido (44,3%)) apresentaram significativamente maiores taxa de prenhez quando comparados
com os estágios menos desenvolvidos (blastocisto (34,8%) e blastocisto inicial ( 33,0%) (p<0,05). Conclui-se
que os embriões em estágios mais avançados podem ser preferencialmente transferidos em programa de PIVE
como forma de melhorar os índices de prenhez.

Palavras-chave: estágio de desenvolvimento, embrião, bovino, FIV.


Keywords: stage of development, embryo, bovine, IVF.

47
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Presença do herpesvirus bovino no fluido folicular em vacas sorologicamente positivas


Presence of bovine herpesvirus on follicular fluid in serological positive cows

André Penido Oliveira1,2,*, Paula Maria Pires do Nascimento Penido2, Marcos Brandão Dias Ferreira1,
Beatriz Cordenonsi Lopes1, Marcela Ribeiro Gasparini2, Juliana Marques Bicalho2, Joana Palhares
Campolina Diniz2, Grazielle Cossenzo Florentino Galinari2, Rômulo Cerqueira Leite2
1
EPAMIG, Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais, Uberaba, MG, Brasil; 2Retrolab, Departamento de Medicina
Veterinária Preventiva, Escola de Veterinária, UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil.
*E-mail: andre.oliveira@epamig.br
 
 
O herpesvírus bovino tipo 1 (BoHV-1) é um vírus de grande prevalência nos rebanhos bovinos, levando a perdas
produtivas e econômicas. O aumento da utilização das tecnologias de reprodução assistida em fêmeas é uma
realidade no agronegócio mundial, sendo o Brasil o maior produtor de embriões produzidos in vitro (PIVE) do
mundo. Contudo, existe grande preocupação da transmissão de doenças por gametas e embriões, logo torna-se
necessário melhor conhecimento sobre a presença do BoHV-1 em complexos cumulus-oócito e fluido folicular
(FF). O presente trabalho objetivou estudar a presença do vírus no FF de doadoras sorologicamente positivas em
condições de manejo fidedignas à realidade nacional da produção de bovinos leiteiros mestiços. Utilizou-se de
um protocolo de imunossupressão com dexametasona para induzir a recrudescência viral e a forma aguda da
doença em animais naturalmente infectados pelo BoHV-1. Para tal, foram utilizadas nove (n=9) fêmeas bovinas
sorologicamente positivas e não vacinadas para serem doadoras de FF. Em seis animais (n=6) foi administrado
dexametasona (0,1 mg/Kg/pv) durante cinco dias consecutivos, grupo tratado (GT) o restante dos animais (n=3)
receberam solução salina nos mesmos momentos, compondo o grupo não tratado (GNT). Os animais foram
aspirados no D0, D4 e D8, seguindo a técnica de aspiração folicular guiada por ultrassonografia. As amostras de
FF para o experimento foram coletadas no oitavo dia (D8) após o início do protocolo e aspirações foliculares. As
amostras de FF obtidas foram enviadas para a PCR. Os resultados obtidos demonstram a presença do DNA viral
em todas as amostras avaliadas independente do tratamento, indicando que em animais sorologicamente
positivos para o herpesvirus bovino e não vacinados, o estresse causado pela administração de injeções e
contenções diárias e a aspiração folicular em intervalos curtos representa risco para a transmissão do virus via
gametas e possivelmente embriões.

Palavras-chave: herpesvirus, dexametasona, fluido folicular, bovinos.


Keywords: herpesvirus, dexamethasone, follicular fluid, bovines.

48
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da idade e gordura subcutânea no lombo sobre características reprodutivas de


fêmeas Senepol
Effect of age and backfat thickness on reproductive traits in Senepol females

Erika Aline Ribeiro Dias1,*, Maria Eugênia Zerlotti Mercadante1, Suzane Peres Campanholi2,
José Antônio Fernandes Junior3, Alex T. Marconato3, Luciano de Camargo Aranha3,
Fabio Morato Monteiro1
1
Centro APTA Bovinos de Corte, Instituto de Zootecnia, Sertãozinho, SP, Brasil; 2UNESP, FCAV, Jaboticabal, SP, Brasil;
3
Gramamais Senepol, Jaboticabal, SP, Brasil.
*
E-mail: erikaaline.rd@gmail.com

Dentre diversos fatores que exercem influência sobre a reprodução bovina, a nutrição e a idade afetam
diretamente aspectos da fisiologia e desempenho reprodutivo. Para maximizar o potencial reprodutivo da fêmea
bovina e melhorar os índices produtivos, o foco atual tem sido a aplicação de diversas biotécnicas. O estudo de
aspectos reprodutivos básicos em uma fêmea, como a foliculogênese e a ovulação, incluindo os diferentes fatores
que interferem nessas características, é essencial para o sucesso na aplicação destas biotécnicas. Neste contexto,
o objetivo do trabalho foi avaliar o efeito da idade e da espessura de gordura subcutânea no lombo (EGL) sobre a
população folicular (PF) e o escore do trato reprodutivo (ETR). Para isso, 347 novilhas da raça Senepol com
idade entre 14 e 21 meses (17,67 ± 1,94 meses), foram submetidas a duas avaliações do trato reprodutivo com
intervalo de 15 dias entre as avaliações. As avaliações foram realizadas com auxílio de um aparelho
ultrassonográfico (US) (Pie Medical, Aquila, transdutor 6,0 MHz) via transretal. A PF foi avaliada pela
somatória da contagem de folículos com diâmetro >3 mm nos dois ovários. O ETR foi classificado de acordo
com Anderson et al. (1991) em uma escala de 1 a 5, sendo o escore um (1) designado para novilhas com
aparelho reprodutor infantil, indicado por cornos uterinos pequenos e sem tônus e ovários pequenos sem
estruturas significativas, enquanto que o escore cinco (5) foi designado a novilhas com útero maturo, com tônus
forte e presença de corpo lúteo funcional. Para mensuração da espessura de gordura subcutânea no lombo (EGL),
foram coletadas imagens nos animais entre a região da 12ª e 13ª costelas, transversalmente sobre o músculo
Longissimus com aparelho de US e transdutor linear 3,5Mhz (Aloka® SSD 500, Tokio, Japan). As médias de
PF, ETR e EGL foram 25,48 ± 14,4 folículos, 3,67 ± 1,1 mm, 6,36 ± 2,5 mm, respectivamente. Os dados foram
submetidos à análise de variância pelo proc GLM (SAS, Inst., Inc., Cary, NC). Não houve efeito da idade e EGL
sobre a PF (P=0,44 e P=0,24, respectivamente). Foi observada grande variabilidade individual entre as novilhas
quanto à quantidade de folículos, entretanto foi observada também alta repetição da contagem dos folículos no
mesmo animal considerando as duas avaliações, independente da idade. Com relação ao ETR, houve efeito da
idade (P<0,003) e da EGL (P<0,0001). A idade tem relação com o início da puberdade que gera mudanças no
desenvolvimento do trato reprodutivo, refletindo essa influência. Com relação à EGL, uma maior deposição de
gordura corporal pode influenciar positivamente a reprodução das fêmeas pela alteração do folículo ovariano e
função do corpo lúteo, por melhorar o status energético e pelo aumento dos precursores das sínteses dos
hormônios reprodutivos como os esteroides e as prostaglandinas. Portanto, conclui-se que a idade e EGL
influenciam o ETR das fêmeas Senepol.

Palavras-chave: escore do trato reprodutivo, novilhas, população folicular, ultrassom.


Keywords: follicular population, heifers, score of reproductive tract, ultrasound.

Agradecimentos: Os autores agradecem a Fazenda da Grama Senepol Pirajuí/SP e a FAPESP pelo apoio
financeiro.
 

49
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Eficiência da inseminação artificial em tempo fixo (IATF) associado à detecção de estro


e avaliação do diâmetro folicular no dia da inseminação em vacas Nelore
Efficiency of artificial insemination in fixed time ( FTAI ) associated with estrus detection and assessment of
follicular diameter on the day of insemination in Nelore cows

Ícaro Oliveira Torres de Souza1, José Adalmir Torres de Souza2,*, Felipe de Jesus Moraes Júnior2,
Cícero Soares dos Santos1, Yndyra Nayan Teixeira Carvalho1, Luiz Harliton Cavalcante Monteiro Mota1,
Amilton Paulo Raposo Costa3
1
Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, CCA-UFPI, Teresina, PI, Brasil; 2Departamento de Clínica e Cirurgia
Veterinária, CCA-UFPI, Teresina, PI, Brasil; 3Departamento de Morfofisiologia Veterinária, CCA-UFPI, Teresina, PI, Brasil.
*E-mail: adalmir@ufpi.edu.br

Objetivou-se com o presente trabalho avaliar a eficiência da inseminação artificial em tempo fixo, associada à
detecção do estro e mensuração do diâmetro folicular no dia da inseminação, em vacas da raça Nelore. Foram
utilizadas 917 fêmeas multíparas, com no mínimo 45 dias de pós-parto e escore corporal 3,0 a 3,5 (escala de 1 a
5). Todas as fêmeas foram submetidas ao mesmo protocolo de sincronização de estro, onde: D0-colocação dos
dispositivos intravaginal de P4 e aplicação via IM de 2mL de benzoato de estradiol; D9- retirada dos dispositivos
de P4 e aplicação via IM de 2,5mL de PGF2α, 0,3mL de cipionato de estradiol e 300UI de Gonadotrofina
Coriônica Equina; e D11-inseminações, 48 a 54 horas após a retirada dos dispositivos. Foram constituídos dois
grupos experimentais, em três etapas cada um, durante a Estação de Monta 2014/2015: G1 (n=489) formado por
fêmeas que, além de submetidas ao protocolo de sincronização, foram marcadas na garupa com tinta fluorescente
no D9 e, no D11, previamente às inseminações, verificadas se estavam ou não com a garupa borrada, com ou
sem presença de muco vaginal, e feito mensuração do maior folículo, este qualificado como grande (G≥10mm),
médio (M=6-10mm) e pequeno (P≤6mm), além de coletas de sangue para dosagem de P4, estas também
realizadas no D0 e D9; e G2 (n=428) formado por fêmeas apenas sincronizadas e inseminadas. O diagnóstico de
gestação foi realizado por ultrassonografia 30-35 dias após as inseminações. As taxas de gestação foram
avaliadas pelo teste do qui-quadrado (2) ao nível de 1 % de significância e as concentrações séricas de P4
avaliadas em termos de média±dp. Nos grupos G1 e G2 as taxas de gestação foram respectivamente de 46,01% e
41,12% não diferindo entre si. No G1, as fêmeas borradas ou não borradas tiveram taxas, respectivamente de
52,19% e 21,78%, mostrando diferença significativa entre os dois subgrupos, o que também se verificou na
presença ou não de muco vaginal, que foram respectivamente de 62,57% e 35,97%. Quanto ao diâmetro
folicular, fêmeas com folículos grandes ou médios tiveram taxas respectivamente de 51,85% e 46,93 %, não
diferindo entre si, porém, fêmeas com folículos pequenos, a taxa de 2,44 % foi significativamente inferior às
fêmeas com folículos grandes ou médios. Fêmeas do G1, no D0, com concentrações de P4 baixas (≤0,50ng/mL),
médias (0,5–1,0ng/mL) ou altas (≥1,0ng/mL) tiveram taxas respectivamente de 57,89%, 37,50% e 46,67%, não
diferindo entre os subgrupos. As concentrações de P4 no D0 indicaram que 37,50% das fêmeas estavam na fase
folicular (P4≤1,0ng/mL) e 62,50% na fase luteínica (P4≥1,0ng/mL), sinalizando que a maioria estava na fase de
diestro. No D11, fêmea com concentrações baixa (X=0,23ng/mL), média (X=0,72ng/mL) ou alta
(X=1,39ng/mL), tiveram taxas de 82,14%, 57,14% e 8,57%, respectivamente, não diferindo entre fêmeas com P4
baixa ou média, porém, menor em fêmeas com folículos pequenos, à inseminação. Conclui-se que a garupa não
borrada e a ausência de muco vaginal não são marcadores fiéis da ausência de estro, e que na presença de apenas
folículos pequenos à inseminação, as fêmeas podem ser imediatamente resincronizadas.

Palavras-chaves: bovinos, sincronização do estro, inseminação artificial.


Keywords: cattle, synchronization of estrus, artificial insemination.

50
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Temperaturas da superfície da glândula mamária em vacas da raça Holandesa


negativas ao California Mastitis Test (CMT)
Surface temperatures of the mammary gland in Holstein cows negative to the
California Mastitis Test (CMT)

Guilherme Pepino Bastos1, Marcelo George Mungai Chacur1,*, Douglas Sanches Vivian1,
Leandro da Silva1, Luana Nayara de Freitas Chiari1, Juliana de Souza Araujo1, Camila Dutra de Souza1,
Luis Roberto Almeida Gabriel Filho2
1
Laboratório de Reprodução Animal, UNOESTE, Presidente Prudente, SP, Brasil; 2Faculdade de Engenharia,
UNESP, Tupã, SP, Brasil.
*E-mail: chacur@unoeste.br

A termografia digital por infravermelho é um exame de imagem não invasivo com acurácia para detectar
elevações de temperatura de 0,08ºC da glândula mamária de vacas com onze dias de antecedência em relação aos
primeiros resultados de positividade frente ao California Mastitis Test (CMT) no diagnóstico de mastites do tipo
subclínica. Objetivou-se mensurar as temperaturas da superfície da glândula mamária de vacas prenhes da raça
Holandesa, negativas ao California Mastitis Test (CMT), por meio da termografia digital por infravermelho.
Utilizou-se dezoito vacas prenhes da raça Holandesa, negativas ao California Mastitis Test (CMT) por um
período mínimo de 20 dias. As vacas foram mantidas em pasto de Urochloa decumbens, recebendo 2kg de
ração/animal/dia com mistura mineral e água ad libitum. Termografias digitais por infravermelho foram
realizadas com o uso de câmara termográfica (E40®, Flir), sendo o foco emissor direcionado a distância de 1m
da lateral direita e da porção caudal da glândula mamária. As imagens termográficas (termogramas) foram
analisadas pelo software Flir Tools 2.1®. Após as termografias da glândula mamária de cada vaca, foi realizada
a mensuração da temperatura retal com termômetro clínico digital. Para os dados das temperaturas da superfície
da glândula mamária, realizou-se análise de variância e comparação de médias pelo teste de Tukey a 5%. As
seguintes médias de temperaturas foram obtidas dos animais avaliados: temperatura retal 38,97±0,81ºC e
temperaturas da superfície da pele da glândula mamária, para os quartos dianteiros, sendo: cisterna da glandula
mamaria anterior direita 36,15±3,29ºC; base do teto anterior direito 35,13±3,56ºC; terço médio do teto anterior
direito 34,40±3,24ºC; e extremidade do teto anterior direito 32,93±4,89ºC; base do teto anterior esquerdo
36,18±3,11ºC; terço médio do teto anterior esquerdo 35,01±3,70ºC; e extremidade do teto anterior esquerdo
33,64±4,20ºC. Para os quartos traseiros da glândula mamária, as seguintes médias de temperaturas da superfície
da pele foram obtidas: base do teto posterior direito 34,78±2,60ºC; terço médio do teto posterior direito
34,42±3,66ºC; extremidade do teto posterior direito 33,55±3,95ºC; base do teto posterior esquerdo
35,10±3,89ºC; terço médio do teto posterior esquerdo 34,56±2,62ºC; extremidade do teto posterior esquerdo
33,47±3,30ºC. Para a cisterna do quarto mamário posterior direito a temperatura média foi de 36,35±3,30ºC;
para a cisterna do quarto mamário posterior esquerdo 35,95±2,74ºC; base do teto posterior direito 34,91±3,93ºC;
terço médio do teto posterior direito 33,70±4,45ºC; extremidade do teto posterior direito 32,05±4,96ºC; base do
teto posterior esquerdo 35,19±4,11ºC; terço médio do teto posterior esquerdo 33,95±4,86ºC; extremidade do teto
posterior esquerdo 32,74±5,24ºC. Não houve diferenças (P>0,05) entre as temperaturas das cisternas dos quartos
das glândulas mamárias. Não houve diferenças (P>0,05) entre as temperaturas das bases dos tetos, nem entre as
temperaturas dos terços médios dos tetos (P>0,05) e entre as temperaturas das extremidades dos tetos (P>0,05).
Conclui-se que a termografia digital por infravermelho deve ser utilizada como exame complementar da
glândula mamária de vacas visando a detecção precoce da elevação da temperatura da superfície da pele,
colaborando para o manejo preventivo da mastite subclínica nas granjas de leite.

Palavras-chave: vaca de leite, úbere, lactação, termografia por infravermelho.


Keywords: dairy cow, udder, lactation, infrared thermography.

51
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Padrão hormonal sanguíneo do hormônio anti-mülleriano em fêmeas bovinas Nelore:


dados preliminares
Blood hormonal pattern of anti-Mullerian hormone in Nelore cows: preliminary dates

Alini Silva Peixoto*, Luiz Carlos César Costa Filho, Ellen Caroline Soligo, Gabriela Damasceno Jacques,
Maria Inês Lenz Souza, Carmem Estefânia Serra Neto Zúccari, Eliane Vianna Costa e Silva*

Grupo de Pesquisa em Reprodução Animal (GERA-MS/CNPq), Universidade Federal do Mato Grosso do Sul,
Campo Grande, MS, Brasil.
*E-mail: alinipeixoto@hotmail.com;eliane.silva@ufms.br

Em bovinos a seleção da característica idade a puberdade é de extrema importância no sentido de melhorar a


taxa de desfrute do rebanho. Os rebanhos de seleção tem adotado como método de seleção o desafio precoce de
fêmeas. Na medicina humana a dosagem do hormônio anti-mülleriano (AMH) vem sendo usada como marcador
da puberdade precoce (AMH baixo) e a puberdade tardia (AMH alto). Dessa forma o AMH pode atuar como um
possível marcador para a detecção da puberdade precoce em novilhas. O objetivo deste trabalho foi verificar o
ritmo biológico do AMH em fêmeas da espécie bovina durante 24 horas. Realizou-se coletas sanguíneas, por
meio da punção da veia ou artéria coccígea em seis fêmeas Nelore com idades médias de 10-11 meses e média
de peso de 222,67 ± 10,06 Kg nos horários de 00:00, 03:00, 06:00, 09:00, 12:00, 15:00, 18:00 e 21:00 horas,
estabelecendo o ritmo biológico. O soro foi obtido por centrifugação e essas amostras, em duplicata, foram
armazenadas em freezer a -18°C para a dosagem do AMH com quite comercial. Na análise estatística as
variáveis foram correlacionadas. Os dados foram avaliados por análise de variância de uma via e as médias
comparadas por teste de Duncan a 5%. Os valores encontrados na dosagem hormonal para o AMH foram 0,622
± 0,316; 0,577 ± 0,257; 0,654 ± 0,244; 0,566 ± 0,342; 0,600 ± 0,290; 0,626 ± 0,296; 0,580 ± 0,321 e 0,648 ±
0,315 ng/ml nos horários de 00:00, 03:00, 06:00, 09:00, 12:00, 15:00, 18:00 e 21:00 horas, respectivamente. A
análise de variância não revelou efeito significativo de horário (P>0,05), não caracterizando ritmicidade
biológica na liberação hormonal, mostrando então a possibilidade de coleta dos animais para dosagem sorológica
do AMH a qualquer momento do dia sem interferência nas dosagens hormonais.

Palavras-chave: precocidade sexual, marcador molecular, ritmo biológico.


Keywords: sexual precocity, molecular marker, biological rhythm.

52
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Resposta ao protocolo de estimulo em novilhas Nelore desafiadas precocemente


Response to the stimulation protocol in heifers early challenged

Ellen Caroline Soligo*, Luiz Carlos Cesar Costa Filho, Alini Silva Peixoto, Maria Inês Lenz Souza,
Carmem Estefânia Serra Neto Zúccari, Eliane Vianna da Costa e Silva*

Grupo de Pesquisa em Reprodução Animal (GERA-MS/CNPq), Universidade Federal do Mato Grosso do Sul,
Campo Grande, MS, Brasil.
*Email: carolsoligo@hotmail.com; eliane.silva@ufms.br

Uma das características adotadas para seleção para precocidade sexual é a prenhez de novilhas desafiadas
precocemente a estação de monta (EM), para tanto, necessita-se esperar o diagnóstico de gestação para obter os
resultados. A utilização de progestágenos ou da progesterona (P4) em Protocolos de indução da ciclicidade (PIC)
em fêmeas bovinas tem sido adotada. Na raça Nelore, vários estudos estão sendo desenvolvidos com novilhas
buscando antecipar a puberdade e melhorar as taxas de gestação. O objetivo do estudo foi verificar a resposta de
novilhas Nelore desafiadas precocemente após adoção de PIC pré-estação de monta. Trabalhou-se com 222
fêmeas Nelore, contemporâneas, com idade entre 11 e 14 meses. Trinta dias antecedentes a EM as novilhas
passaram por um PIC (D0- implante de P4 + 2 mg de benzoato de estradiol; D10- retirada do implante + 2 mg de
PGF2α). Sete dias antes do início da EM registrou-se: peso vivo (PESO), Escore de condição corporal - ECC (1
a 5) e avaliação ginecológica, sendo divididas de acordo com o estado fisiológico (0-anestro, 1-presença de
folículo dominante, 2-presença de CL) e realizou-se coleta sanguínea, para posterior dosagem hormonal
(hormônio anti-mulleriano -AMH, P4, Estrógeno – E2) por meio de kits comerciais. A EM teve duração de 120
dias e após 45 dias desta encerrada, as novilhas foram submetidas ao diagnóstico de gestação. Foi realizada
análise de regressão logística incluindo-se no modelo P4, E2, AMH, peso, mês de nascimento, ECC, estado
fisiológico, presença de CL, tamanho de folículo. A taxa de gestação foi comparada pelo teste de Qui-quadrado a
5%. Os resultados apresentaram uma porcentagem de concordância de 87,6% considerando a probabilidade de
prenhez sob efeito significativo das variáveis P4 e ECC após protocolo indutivo. A taxa média de gestação foi de
60,74%. As novilhas que apresentaram P4 maior que 1 ng/mL apresentaram uma maior probabilidade de saírem
gestantes da EM. Para a comparação do ECC os resultados mostraram maior taxa de gestação para novilhas com
ECC > 3,5 (86,96%a), sendo diferente significativamente das com ECC 3 (58,18%b) e ECC < 2,5 (25,19%c). As
novilhas que iniciaram a EM com melhor ECC e já apresentando dosagens séricas de P4 maiores tiveram a
maior taxa de gestação, mostrando que o protocolo de indução favoreceu as fêmeas que responderam ao mesmo.

Palavras-chave: novilhas, precocidade sexual, protocolo de indução.


Keywords: heifers, sexual precocity, induction protocol.

53
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Relação entre ocorrências puerperais e transcrição endometrial de receptores de


padrões moleculares microbianos em vacas Holandesas, Gir e F1 Holandês x Gir
Puerperal occurrences and endometrial transcription of pattern recognition receptors in
Holstein, Gyr and F1 crossbred Holstein x Gyr cows

Telma da Mata Martins1,*, Clarice de Souza Muniz1, Virgílio Barbosa de Andrade1,


Tatiane Alves da Paixão2, Renato de Lima Santos1, Álan Maia Borges1
1
Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinárias, Escola de Veterinária, Belo Horizonte, MG, Brasil; 2Departamento de
Patologia Geral, Instituto de Ciências Biológicas, UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil.
*
E-mail: telmavet03@hotmail.com

Receptores específicos localizados nas células endometriais são responsáveis pelo reconhecimento de
microrganismos invasores e pela ativação da imunidade inata uterina. A regulação dos níveis de transcrição
gênica dos receptores de padrões moleculares microbianos na primeira semana após o parto pode estar
relacionada com o grau de inflamação do endométrio e com a suscetibilidade à ocorrência de doenças uterinas. O
objetivo do presente estudo foi verificar a associação entre ocorrências puerperais e os níveis de transcrição
gênica endometrial de receptores de padrões moleculares microbianos em vacas leiteiras recém-paridas.
Quarenta vacas pluríparas, sendo nove Holandesas com retenção de placenta (RP), 10 Holandesas, nove Gir e 12
F1 Holandês x Gir sem RP, foram submetidas a biópsias endometriais no primeiro e no sétimo dia após o parto.
O puerpério foi monitorado até 42 dias pós-parto (dpp) por meio de exames ginecológicos semanais, avaliando-
se a presença de quadros de infecção e o período de involução uterina. Os níveis de transcrição gênica dos TLRs
(Toll-Like Receptors) 1/6, 2, 4, 5 e 9, NLRs (Nucleotide Binding Domain [NOD]-Like Receptors) 1 e 2), e
coreceptores CD14 (Cluster of Differentiation 14) e MD2 (Myeloid Differentiation protein 2), foram verificados
por meio de PCR quantitativo em tempo real. A associação entre as ocorrências puerperais e os níveis de
transcrição dos imunomediadores avaliados foi determinada por meio de análises de regressão múltipla, a partir
da equação modelo: Y = β0 + β1 (X1) + β2 (X2) + ..., na qual: Y = variável dependente (ocorrência puerperal); X1,
X2, ... = variáveis independentes (níveis de transcrição dos imunomediadores); β0, β1, β2, ... = parâmetros a
estimar. O programa GraphPad Instat, versão 3.10, foi utilizado para realização das análises estatísticas,
considerando o nível de significância de 5%. Verificou-se que a ocorrência de retenção de placenta foi associada
de forma altamente significativa com o aumento dos níveis de transcrição de CD14 no primeiro dia após o parto
(P = 0,0064; r = 0,4050). O aumento da transcrição de CD14 no primeiro dia após o parto foi associado com a
ocorrência de metrite puerperal aguda (P = 0,0371; r = 0,4700) aos sete dpp. A diminuição da transcrição de
TLR2 (P = 0,0477; r = -0,3956) e o aumento da transcrição de CD14 (P = 0,0118; r = 0,3297) no primeiro dia
após o parto, foram associados com a ocorrência de endometrite clínica aos 28 dpp. Menores níveis de
transcrição de CD14 no primeiro dia após o parto foram associados com o término da involução uterina até 28
dpp (P = 0,0477; r = -0,4643). Juntamente com o TLR4 e o MD2, o CD14 é responsável pelo reconhecimento da
endotoxina LPS, componente da membrana externa da Escherichia coli, principal bactéria presente no útero das
vacas nas primeiras semanas após o parto. Falhas ocorridas nos mecanismos de indução e controle da resposta
imunológica endometrial desencadeada a partir da interação com o LPS, podem resultar na ocorrência de
quadros inflamatórios exacerbados e/ou persistentes, seguidos de processos infecciosos agudos e/ou crônicos, e
atraso da involução uterina. Conclui-se que a retenção de placenta interfere na regulação da resposta
imunológica inata uterina. O CD14 foi o único imunomediador cuja variação dos níveis de transcrição gênica
endometrial foi relacionada com a retenção de placenta e demais ocorrências puerperais no presente estudo.

Palavras-chave: vacas leiteiras, puerpério, imunidade inata uterina, TLRs.


Keywords: dairy cows, puerperium, uterine innate immunity, TLRs.

54
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Procedimentos para diagnóstico de infecções pós-puerperais em bovinos leiteiros


Procedures for the diagnosis of post-puerperal infections in dairy cattle

Jairo Pereira Neves*, Vitor Fernandes, Carlos Antônio de Carvalho Fernandes,


Miller Pereira Palhão, Marilu Martins Gioso, Fabiana Cristina Varago
1
Programa de Pós-Graduação em Reprodução, Sanidade e Bem Estar Animal, da Universidade José do Rosário Vellano,
Alfenas, MG, Brasil.
*E-mail: jpneves@terra.com.br

Objetivou-se comparar procedimentos clínicos para diagnóstico de infecções uterinas no período pós-parto, em
vacas leiteiras. Adicionalmente procedeu-se um exame citológico na secreção uterina das vacas clinicamente
sadias, para verificação da ocorrência de casos subclínicos. Para tanto foram utilizadas vacas Girolandas (n= 60)
provenientes de rebanhos leiteiros comerciais, avaliadas entre 20 e 60 dias pós-parto. O experimento consistiu
da avaliação comparativa utilizando os métodos de palpação retal, vaginoscopia e ultrassonografia. As variáveis
dos exames realizados foram estimadas de acordo com escores e posteriormente analisadas pelo teste do Qui-
quadrado. Para a variável parto primeiro serviço por apresentar distribuição normal utilizou-se analise de
variância. Já as variáveis PMN e número de serviços por concepção, foram analisados através do teste de
Kruskall-Wallis. Para todas estas variáveis, os níveis de significância foram de 1-5% de probabilidade. Este
estudo mostra que os itens avaliados para diagnóstico de endometrites, pela palpação retal indicaram que: a
simetria, a espessura e posição uterinas serviram de subsídios para as vacas sadias, mas não caracterizaram
adequadamente os casos de endometrite. Os itens avaliados para diagnóstico de endometrites, pela vaginoscopia
indicaram que a cor da mucosa, e o caráter da secreção caracterizaram adequadamente tanto os casos de animais
sadios quanto aos com endometrite. Com estes resultados observa-se que a vaginoscopia contribui
significativamente para um diagnóstico conclusivo. Estas características foram bons indicativos para diagnóstico
das endometrites. Dos animais avaliados, 28,5 % apresentaram percentuais acima de 5% de polimorfonucleares
(PMN), caracterizando uma endometrite subclínica. Os animais com endometrites subclínicas apresentaram um
intervalo-parto-primeiro serviço (DPP) e número de serviços por concepção (SC) maiores (P< 0,05) em relação
aos demais grupos. Este experimento permite concluir que a avaliação uterina pela palpação retal indica boa
precisão na determinação de vacas sadias, mas não é segura para definir um diagnóstico de endometrite. A cor da
mucosa e o caráter da secreção, avaliados pela vaginoscopia são indicativos confiáveis para o diagnóstico das
endometrites. A ultrassonografia demonstrou ser um método confiável pela determinação da presença de
conteúdo uterino e suas características ecogênicas. O exame citológico realizado em animais clinicamente sadios
permite a detecção de animais com endometrites subclínicas, as quais afetam o DPP e SC.

Palavras-chave: exames ginecológicos, reprodução, vacas leiteiras.


Keywords: dairy cows, exams, reproduction.

Suporte: Fapemig e CNPq.

55
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeitos da administração prévia de estradiol e progesterona sobre o desenvolvimento


mamário e produção leiteira em novilhas freemartin da raça holandesa induzidas
artificialmente à lactação
Effects of a previous treatment with estradiol and progesterone on mammary development and milk production
in freemartin heifers artificially induced to lactate

Luiz Felipe Silva Pereira, Lucas de Freitas Pereira, Valéria Amorim Conforti*
1
Laboratório de Reprodução Animal, Universidade de Franca (UNIFRAN), Franca, SP, Brasil.
*
E-mail: valeria.conforti@unifran.edu.br

A fêmea denominada freemartin nasce de gestação gemelar com um feto do sexo masculino, e, tipicamente, é
descartada pelo produtor por ser infértil. A produção hormonal nessas fêmeas é insuficiente para promover o
desenvolvimento mamário normal. No entanto, novilhas freemartin podem vir a produzir leite com o uso de
protocolos hormonais de indução da lactação. O presente estudo teve como objetivo testar a hipótese de que a
exposição prévia a hormônios exógenos da reprodução, simulando ciclicidade ovariana, poderia contribuir para o
desenvolvimento mamário e maximizar a produção de leite em novilhas freemartin induzidas à lactação. Este
estudo encontra-se em andamento e está utilizando nove novilhas freemartin da raça holandesa com 24 meses de
idade. As novilhas foram distribuídas aleatoriamente em dois grupos experimentais: grupo Lactação (LAC, peso
= 416  30 kg, média  erro padrão; n = 5) e grupo Ciclicidade-Lactação (CiLAC, peso = 390  35 kg; n = 4). O
grupo LAC recebeu apenas o tratamento de indução da lactação e o grupo CiLAC recebeu, primeiramente, um
tratamento hormonal durante três períodos consecutivos (de 21 dias cada) com prostaglandina (PGF2α),
cipionato de estradiol (ECP), benzoato de estradiol (BE) e um dispositivo auricular com progestágeno para
simular ciclicidade ovariana (três ciclos estrais), antes do protocolo de indução da lactação. Os dois grupos
receberam, simultaneamente, o mesmo protocolo de indução da lactação. Durante o protocolo de indução da
lactação, as novilhas dos grupos CiLAC e LAC receberam uma dose de somatotropina bovina (bST) nos dias
D0, D7, D14, D21, e a cada 12 dias após o D21. Do D1 ao D7, as novilhas foram tratadas diariamente com BE e
P4 injetáveis (i.m.). Do D8 ao D14, receberam dose diária de BE. Nos dias D18 e D19, as novilhas receberam
PGF2α e dos dias D18 ao D20, injeções de dexametasona. Dos dias D15 a D21, as novilhas foram levadas até a
sala de ordenha para estimulação manual do conjunto mamário. No D22, será realizada a primeira ordenha. O
comprimento e a espessura dos tetos foram aferidos antes do início dos tratamentos e vem sendo mensurados
regularmente, com intervalo de 21 dias, com o uso de paquímetro. As dimensões dos quatro tetos de cada fêmea
foram usadas para o cálculo da média do comprimento e da espessura dos tetos. Ao término dos 63 dias de
simulação da ciclicidade ovariana, o comprimento e a espessura dos tetos do grupo CiLAC (C = 2,85  0,31 cm;
E = 1,16  0,14 cm) apresentavam-se maiores (P < 0,05) que as dimensões do grupo LAC (C = 1,54  0,01 cm;
E = 0,68  0,05 cm). Os resultados parciais indicam que o tratamento com estradiol e progestágenos aumenta o
comprimento e a espessura dos tetos de novilhas freemartin. Os dados de pesagem do leite serão utilizados para
verificar se a produção leiteira é maximizada pelo tratamento com estradiol e progestágenos anterior ao
protocolo de indução da lactação. Espera-se, com este estudo, concluir se o tratamento prévio com hormônios
reprodutivos seria benéfico ou não para a produção de leite de novilhas freemartin induzidas artificialmente à
lactação. Além disso, espera-se, também, determinar a relação custo-benefício de manter novilhas freemartin
vinculadas ao sistema de produção em propriedades leiteiras.

Palavras-chave: bovinos, desenvolvimento mamário, freemartinismo, hormônios exógenos, indução artificial da


lactação.
Keywords: cattle, mammary development, freemartinism, exogenous hormones, artificial induction of lactation.

56
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Indução da tolerância materno-fetal por antígenos maternos em fêmeas bovinas


receptoras de embriões
Induction of maternal-fetal tolerance by maternal antigens in female bovine recipients of embryos

Talita Vieta Junqueira1,*, Nadia Fagundes Simarro2, Amanda Lima Rezende2, Felipe Benedetti Justo2,
Paula Batista de Alvarenga2, Layane Queiroz Magalhães2, Sara Hissae Hiraiwa1, Marcelo José Barbosa
Silva1, João Paulo Elsen Saut2, Marcelo Emilio Beletti1
1
Instituto de Ciências Biomédicas, UFU, Uberlândia, MG, Brasil; 2Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinária,
UFU, Uberlândia, MG, Brasil.
*E-mail: talitajunqueira@hotmail.com

As taxas de aborto após transferência de embriões bovinos produzidos in vitro (TE-PIV) têm sido altas,
principalmente no início da gestação. O fracasso no estabelecimento da gestação pode ser consequência de uma
falha no reconhecimento materno da gestação e/ou de uma intolerância materna aos antígenos do embrião
(alogênico). Vários estudos com estimulação imunológica têm demonstrado resultados promissores na indução
da tolerância materna aos antígenos paternos ou maternos do embrião. O presente estudo propõe determinar se a
administração de antígenos maternos (PBMCs) no útero de fêmeas bovinas receptoras de embrião, no dia do
estro, antes do procedimento de TE, aumenta a tolerância materno-fetal. Para isto, foi avaliada a expressão de
genes pró-inflamatórios e anti-inflamatórios de maior importância na imunomodulação durante a gestação no
útero bovino. As fêmeas bovinas cruzadas selecionadas para o experimento foram sincronizadas ao estro e
divididas em 2 tratamentos: T0: Grupo controle e T1: Grupo tratado com PBMCs. A indução imunológica foi
realizada no dia do estro (D0) e biópsias uterinas foram coletadas in vivo no dia da inoculação (D0), para
controle cinético, e 7 (D7) e 14 (D14) dias após a indução imunológica, para avaliar o ambiente uterino no
momento em que ocorreria a TE-PIV e próximo ao início do processo de placentação, respectivamente. As
reações de RT-qPCR foram realizadas em duplicada no instrumento StepOnePlusTM (Applied Biosystems) com
placa de 96 poços MicroAmp® Fast Optical, 0,1ml (Applied Biosystems, Foster, CA, USA). O tipo de
experimento conduzido foi de quantificação, utilizando-se o método comparativo de threshod cycles (Ct),
cDNA, reagentes GoTaq® qPCR Master Mix (Referência: A6001, Promega, Madison, WI, USA), ram speed de
2 horas, gene de referência GAPDH e Ratio = (Etarget)ΔCTtarget (control – sample)/ (Eref)ΔCTref (control – sample). Resultados
preliminares mostraram, por meio de análise estatística (P<0.05), que não existe diferença significativa na
expressão gênica de FOXP3, IL-10 e CSF-1 entre os grupos T0 e T1 do D7, e entre os grupos T0 e T1 do D14.
Os resultados demonstram que esse perfil gênico já é expresso normalmente na fêmea nos D7 e D14 após o
estro. A ausência de controle da região uterina coletada, caruncular ou intercaruncular, pode ser responsável por
variações na expressão gênica entre algumas amostras, pois se sabe que a expressão gênica nessas regiões é
diferente. Assim, é possível que o tratamento com PBMCs não altere a expressão gênica de FOXP3, IL-10 e
CSF-1 no útero bovino e, consequentemente, não propicie aumento da tolerância materno-fetal mediada por
esses genes.

Palavras-chave: indução imunológica, imunomodulação, início da gestação.


Keywords: immune induction, immunomodulation, early pregnancy.

Agradecimentos: FAPEMIG.

57
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Taxa de concepção de fêmeas leiteiras submetidas à sincronização da ovulação e


inseminadas através do uso do Estrotect
Conception rates in dairy cows undergoing synchronization of ovulation and inseminated by using the Estrotect

Daniel Cardoso1,*, Acyr Wanderley de Paula Freitas2, Geraldo Balieiro Neto2, Luiz Carlos Roma Junior2,
Márcia Saladini Vieira Salles2, Maria da Graça Pinheiro2
1
APTA, Polo Extremo Oeste, Araçatuba, SP, Brasil; 2APTA, Polo Centro Leste, Ribeirão Preto, SP, Brasil; 1,2Secretaria de
Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.
*E-mail: danielcardoso@apta.sp.gov.br

Nas últimas décadas o declínio na fertilidade observado em vacas leiteiras tem sido associado a fatores
fisiológicos reprodutivos e ao aumento da produção de leite, diminuindo as taxas de detecção de estro, serviço e
concepção. A falha na detecção de estro é um dos principais fatores que diminuem a eficiência reprodutiva em
bovinos leiteiros. Com o uso dos protocolos hormonais, há a possibilidade de induzir uma nova onda de
crescimento folicular sincronizada, controlar a duração do crescimento folicular até o estágio pré-ovulatório e
induzir a ovulação sincronizada em vários animais simultaneamente. Quando utilizada corretamente em vacas
leiteiras de alta produção, aproximadamente de 25 a 35% das fêmeas sincronizadas emprenham com apenas uma
inseminação. O objetivo do presente trabalho foi avaliar o uso do Estrotect (dispositivo retangular, colante, de
fácil visualização e que muda de cor após a aceitação de monta, decorrente de atritos e fricções) como preditor
do momento ideal da inseminação artificial em fêmeas submetidas a protocolo de sincronização da ovulação.
Sessenta fêmeas da raça Jersey PO e mestiças, em lactação (produção média de 15,7 kg/dia), pertencentes ao
Rebanho Experimental da APTA Regional (SAA, SP; APTA, Polo Centro Leste, Ribeirão Preto, Estado de São
Paulo) foram submetidas ao protocolo hormonal: Dia 0 (manhã): aplicação do dispositivo intravaginal de
progesterona (DIP) e Benzoato de Estradiol (BE/2,0 mg/i.m.); Dia 8 (manhã) retirada do DIP e administração de
150 g de D-Cloprostenol (i.m.) e 300 UI de gonadotrofina coriônica equina (eCG; i.m.); Dia 9 (manhã): 1,0
mg/i.m. de BE). Posteriormente as fêmeas foram divididas em dois grupos: Grupo ESTROTECT (n = 31): dez
horas após a retirada do DIP as fêmeas foram submetidas à observação do estro (início da manhã e final da
tarde). Os animais considerados positivos para o Estrotect (mudança de cor caracterizada por mais de três
montas) foram inseminados 10 horas após esta detecção; Grupo IATF (n = 29): inseminadas em tempo fixo (56
horas) após a retirada do DIP. O diagnóstico de gestação foi realizado 30 dias pós-inseminação artificial, por
ultrassonografia. A análise estatística da variável taxa de concepção foi realizada pelo teste de Fisher’s, ao nível
de significância de 5%, programa GrafPad InStat versão 3.00 for Windows. Quatro fêmeas (12,9%) não
apresentaram alterações na cor do dispositivo Estrotect, foram consideradas negativas e não inseminadas. O
grupo ESTROTECT apresentou tendência (P=0,06) de maior taxa de concepção (n = 17; 63%) quando
comparado ao grupo IATF (n = 10; 37%). O tempo decorrido da retirada do implante de progesterona até o
momento da inseminação artificial (Grupo ESTROTECT) foi de 48, 56, 74 e 126 horas, respectivamente
constituindo as porcentagens de 11,11%, 77,78%, 7,41 e 3,7% das fêmeas disponíveis do grupo. Para protocolo
utilizado, observou-se uma maior concentração das inseminações, 56 horas (77,78%) após a retirada do DIP. O
uso do Estrotect como determinador do momento da inseminação artificial mostrou-se como uma alternativa
para minimizar os efeitos de diferentes variáveis que induzem divergências no momento da ovulação,
potencializando maiores taxas de concepção, aumento da eficiência reprodutiva e diminuição dos custos
envolvidos nos processos reprodutivos, com o menor uso de doses de sêmen. A partir das informações analisadas
verifica-se a necessidade de mais estudos científicos objetivando ampliar o número de animais estudados e a
acurácia da metodologia empregada.

Palavras-chave: bovinos, detecção cio, reprodução, taxa de prenhez.


Keywords: cattle, heat detection, pregnancy rate, reproduction.

58
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Influência da estação do ano na quantidade de oócitos obtidos por aspiração folicular


em vacas Gir
Influence of season on amount of oocytes obtained by follicular aspiration in Gir cows

Lucas P. Balieiro1*, Ronaldo O. Silveira1, João Gabriel V. de Grázia2, Giancarlo M. dos Santos1,
Camila O. Silveira3, Paula P. Maitan3
1
Departamento de Veterinária, UNIVIÇOSA, Viçosa, MG, Brasil; 2Departamento de Veterinárias, UFMG, Belo Horizonte,
Brasil; 3Departamento de Veterinária, UFV, Viçosa, MG, Brasil.
*E-mail: lucasbalieiro@hotmail.com

O Brasil é um país predominantemente de clima tropical com temperaturas médias, na maioria dos estados,
acima da zona de conforto térmico de bovinos, que varia de 4 a 25°C dependendo da raça. A região do Vale do
Rio Doce vem adotando a produção in vitro de embriões (PIVE) como técnica de eleição para a melhoria do
rebanho leiteiro e nesse contexto doadoras Gir têm sido utilizadas nos programas de OPU-FIV. A identificação
da capacidade de produção de oócitos das doadoras dessa raça nas condições climáticas local é importante para
se estabelecer uma estratégia de produção de embriões na região. O objetivo do presente estudo foi avaliar as
variações da produção de oócitos de vacas da raça Gir na região do Vale do Rio Doce durante as quatro estações
climáticas do ano. O estudo foi realizado com os resultados de uma propriedade particular localizada em
Tumiritinga - MG, região do Vale do Rio Doce, que possui clima tropical quente semiúmido (tipo Aw segundo
Köppen), tendo temperatura média anual de 22,7°C. Foram utilizados dados de vacas Gir, com histórico
reprodutivo (idade, número de aspirações, taxa de produção de oócitos) normal e mantidos em um mesmo
manejo. A aspiração folicular foi realizada sempre pela mesma equipe técnica uma vez durante cada estação
climática do ano, utilizando as mesmas doadoras, com auxílio de equipamento de ultrassom portátil equipado
com transdutor setorial de 7,5 MHz, adaptado para exame intravaginal e com guia para agulha de biópsia , foram
acopladas a um sistema de vácuo com pressão aproximada de 50 mmHg ou equivalente ao fluxo de 11 ml por
minuto. O líquido folicular e os complexos cumulus-oócitos (COC) foram aspirados para um tubo de 50 mL
contendo 10 ml de PBS (DPBS), suplementado com 5% de soro fetal bovino e 100UI de heparina sódica, e
aquecido a 36ºC. Todos os COC recuperados foram mantidos em criotubos devidamente identificados e foram
classificados segundo Viana et al, por uma mesma pessoa e enviados sempre para a mesma central de produção
de embriões. Os dados de produção de oócitos por vaca foram comprados pelo teste de Student Neuman Keuls,
considerando-se efeito da estação de ano. Comparando a produção de oócitos obtidos com a aspiração folicular
durante as quatro estações climáticas observou-se uma variação (p<0,01) com uma maior produção durante o
inverno (15,1±2,5). Não foi observada diferenças significativas na média de oócitos recuperados durante as
outras estações outono (9,1±1,5), primavera (7,8±2,2) e verão (8,9±2,7). Durante o estresse térmico o diâmetro
do folículo dominante é menor, o que, associado a alterações bioquímicas ocorridas na glicose, no IGF-1, nos
ácidos graxos não esterificados, no colesterol total e na ureia do microambiente folicular, pode comprometer a
capacidade de desenvolvimento do oócito. A menor produção de oócitos nas outras estações do ano quando
comparado ao inverno, além de ser a estação com temperaturas mais amenas na região do presente estudo, pode
está associada a fatores como o fotoperíodo e nutrição que influenciam na quantidade e a morfologia dos oócitos
recuperados. Deste modo, o presente estudo mostra que houve influencia da estação do ano na quantidade de
oócitos obtidos por aspiração folicular em vacas da raça Gir, na Região do Vale do Rio Doce e que a estação do
ano deve ser levada em consideração nos programas de OPU-FIV.

Palavras-chave: estação do ano, Gir , oócito.


Keywords: season on amount, Gir cows, oocytes.

59
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Caracterização morfológica do fígado de embriões bovinos


Morphological characterization of bovine embryo liver

Rafael Garcia Karam1,*, Ana Flávia de Carvalho2, Carlos Eduardo Ambrósio3,


Celina Almeida Furlanetto Mançanares2
1
Graduando do 3º ano de Medicina Veterinária, Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos, São João da
Boa Vista, SP, Brasil; 2Professores do Curso de Medicina Veterinária, Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio
Bastos, São João da Boa Vista, SP, Brasil; 3Departamento de Medicina Veterinária, Faculdade de Zootecnia e Engenharia de
Alimentos (FZEA), USP, Pirassununga, SP, Brasil.
*E-mail: rafgkaram@gmail.com

O grande aumento dos índices produtivos na bovinocultura, fez com que os bovinos tornassem alvos de intensos
estudos em todas as áreas, principalmente a biotecnologias ligadas a reprodução animal. O fígado, principal
órgão de destoxificação do corpo é também um importante órgão hematopoiético, devido a sua possível
pluripotencialidade na fase embrionária, fato este, que pode ser a chave para o futuro tratamento de doenças
hepáticas. Os embriões bovinos foram divididos em cinco grupos perante suas idades gestacionais sendo
dissecados e observados macroscopicamente e em seguida passado pelo processo simples histológico para a
visualização microscópica. No grupo 1, os embriões com Crown Rump (CR) 0,4 cm e idade gestacional de 24 a
26 dias, apresentaram-se pequenos, levemente encurvados e com tubo neural em formação. Histologicamente
pode-se observar o brotamento do fígado centralizado, toda a região cefálica, coração, rim (não formado
completamente) e o cordão umbilical. Os embriões do grupo 2, com CR 0,9 cm e idade gestacional de 27 a 29
dias, pode-se observar os arcos braquiais indiferenciados e em intenso processo de evolução. O fígado neste
período ocupa uma grande cavidade abdominal devido a sua importante função hematopoiética. Na histologia o
fígado apresenta hepatoblastos ainda desorganizados e circundados por inúmeras células precursoras sanguíneas,
denominadas eritroblastos. Podemos descrever o fígado dos embriões bovinos nesta fase como um grande
aglomerado de hepatoblastos literalmente banhados em sangue (eritroblastos) e cercados por uma fina camada
serosa. Nos embriões do grupo 3, com CR 1,4 cm e idade gestacional de 30 a 35 dias, com uma curvatura crânio
caudal em formato de “C”, os arcos braquiais ainda indiferenciados. Nesta fase as células do fígado
(hepatoblastos) apresentam-se mais organizadas e os núcleos maiores que as células que os circundam. No grupo
4, com CR 2,5 cm e idade gestacional de 36 a 46 dias, foi possível observar o fígado ocupando quase toda a
cavidade abdominal, além da vesícula biliar, apresentando-se oca. O fígado apresentou o parênquima com uma
cápsula de revestimento com pouco tecido conjuntivo e no seu interior grande número de células, os hepatócitos
que apresentaram-se em cordões contornando capilares sinusóides que se irradiavam para uma veia central. No
grupo 5, com CR 5,8 e idade gestacional de 47 a 60 dias, foi observado uma diminuição do tamanho do fígado,
as câmaras estomacais começam a crescer mais pelo lado direito, deslocando o fígado lateralmente para a
esquerda. Com o evoluir do desenvolvimento embrionário pudemos observar que os hepatoblastos vão se
organizando e o tecido mesenquimal vai sendo substituído por pequenos capilares sinusóides e uma grande
quantidade de células hepáticas especializadas. Concluímos com estes dados presentes até o momento que o
fígado sofre intensas mudanças no decorrer do seu desenvolvimento embrionário, estava localizado centralmente
ocupando grande parte da cavidade abdominal, caudal ao diafragma, coração e pulmão e cranial ao duodeno,
pâncreas e estômago, visto que os compartimentos estomacais ainda não cresceram o bastante para deslocar o
fígado para a direita.

Palavras-chave: desenvolvimento embrionário, fígado, bovinos.


Keywords: embryonic development, liver, bovine.

60
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação da relação de sexo em partos bovinos no rebanho Girolando da Pesagro-Rio.


Evaluation of the births sex ratio in cattle herd Girolando of Pesagro-Rio

Osvaldo Almeida Resende1*, Pedro Afonso Moreira Alves2, Rosane Scatamburlo Lizieire Fajardo2,
Sergio Trabali Camargo Filho2, Helcimar Barbosa Palhano3
1
Embrapa Agrobiologia, Seropédica, RJ, Brasil; 2Pesagro/Cepao, Seropédica, RJ, Brasil; 3UFRRJ/IB, Seropédica, RJ, Brasil.
*E-mail: oaresende@uol.com.br

O rebanho bovino da Pesagro-Rio é oriundo do plantel do extinto Instituto de Pesquisas e Experimentação


Agropecuária do Centro-Sul (IPEACS) do Ministério da Agricultura, formado por cruzamentos das raças
Holandesa, Gír e Guernsey. Nos últimos quarenta anos optaram-se pelos cruzamentos entre as raças holandesas
(H) e Gír (G) para formar a raça Girolando. Na ultima década o rebanho ativo variou de 396 a 234 animais. O
sistema reprodutivo tem sido de inseminação artificial, com sêmen congelado, em duas estações anuais (EI e
EII), com a finalidade de atender as necessidades dos projetos de pesquisas da Empresa. Objetivado estudar as
proporções de sexos nas parições (P) ocorridas no rebanho Girolando da Pesagro-Rio, no período de 2005 a
2014, foram utilizados os registros do rebanho nos sistemas de fichários e software Gera leite®. Os dados
relativos aos sexos foram avaliados em relação: 1) Anos, 2) Estações reprodutivas e 3) Raças dos touros, sendo
submetidos ao teste qui-quadrado. Os resultados obtidos para as taxas de fêmeas(F) e machos(M) foram: 1)
Anos: 2005= 34,1 F e 65,9% M (47 P); 2006 = 30,9 e 69,1% M (68 P); 2007= 46,7 F e 53,3% M (90 P); 2008=
60,7 F e 39.3% M (84 P); 2009 = 45,9 F e 54,1% M (98 P); 2010 = 37,0 F e 63,0% M (73 P); 2011 = 39,1 F e
60,9 % M (115 P); 2012 = 45,2 F e 54,8% M (84 P); 2013 = 32,9 F e 67,1 % M (70 P); 2014 = 33,9 F e 66,1% M
(112 P); Medias = 41,1 F e 58,9% M (841 P); 2) Estações reprodutivas: EI = 39,3 F e 60,7% M (476 P); EII =
43,6 F e 54,4% M (365 P); Medias = 41,1 F e 58,9% M (841 P); 3) Raças dos touros: H = 41,7 F e 58,3% M
(619 P); G = 39,6F e 60,4% M (222 P); Medias = 41,1 F e 58,9% M (841 P); Pela análise dos dados verifica-se
que em relação aos fatores anos, estações reprodutivas e raças dos touros houve uma predominância significativa
de nascimentos de machos (p<0,01), com exceção do ano de 2008 no qual foi usado sêmen sexado de fêmea em
experimentos. Como não foi possível encontrar uma hipótese plausível para justificar a causa dos resultados
obtidos diferirem da relação 0,50 x 0,50 de nascimentos fêmeas e machos, há necessidade de realizar pesquisas
para elucidar o problema, pois essa relação não permite a produção e a seleção de fêmeas suficientes para a
reposição do rebanho, o que poderia justificar a utilização de outras biotecnias reprodutivas complementares.

Palavras-chave: bovinos, parições, sexos, raças, estações reprodutivas.


Keywords: cattle, calving, genders, races, breeding seasons.

61
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito de diferentes níveis de proteína degradável e não degradável no rúmen sobre a


concentração de nitrogênio ureico no plasma, fluido folicular e viabilidade de oócitos em
vacas Girolando (Bos taurus taurus x Bos taurus indicus) em lactação
Effect of different levels of degradable and undegradable protein in rumen on the concentration of urea nitrogen
in plasma, follicular fluid and oocyte viability in Girolando (Bos taurus taurus x Bos taurus indicus)
lactating cows

Luciano de Rezende Carvalheira2,*, Gustavo Bervian dos Santos2, Clóvis Ribeiro Guimarães3,
André Luís Rios Rodrigues2, Fernanda Samarini Machado1, Mariana Magalhães Campos1,
Marcos Wilson Vargas4, Luiz Altamiro Garcia Nogueira2, Bruno Campos de Carvalho1,*
1
Embrapa Gado de Leite, Juiz de Fora, MG, Brasil; 2UFF, Niterói, RJ, Brasil; 3UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil;
4
Unifenas, Alfenas, MG, Brasil.
*E-mail: lrcarvalheira@gmail.com; bruno.carvalho@embrapa.br

A amônia ruminal não utilizada na síntese protéica de microrganismos ruminais é absorvida pela parede ruminal
e convertida em uréia no fígado. Concentrações acima de 19-20 mg/dL de nitrogênio ureico plasmático estão
associadas com queda na eficiência reprodutiva de bovinos leiteiros. Avaliou-se o efeito de dietas com
proporções decrescentes de proteína degradável no rúmen (PDR) e crescentes de proteína não degradável no
rúmen (PNDR) sobre a concentração de nitrogênio ureico no plasma (NUP), no fluido folicular (NUF) e
viabilidade de oócitos de vacas mestiças. Utilizou-se 22 vacas Girolando (10 3/4 HG; 12 7/8 HG) com peso
médio 475,8±7,75 Kg, ECC 3,22±0,03 e 105,33±23,15 DEL. Os animais foram distribuídos em quatro grupos
experimentais alimentados duas vezes ao dia, por 68 dias, com dieta total a base de silagem de milho e
concentrado. A dieta de cada grupo variou na relação entre PDR:PNDR, com manutenção da proteína
metabolizável (1888g/dia) e redução da proteína bruta (PB) (PDR:PNDR 1,68: 15,4% PB, 62,7% PDR, 37,3%
PNDR; PDR:PNDR 1,31: 13,6% PB, 56,7% PDR, 43,3% PNDR; PDR:PNDR 1,08: 13% PB, 52% PDR, 48%
PNDR; PDR:PNDR 0,83: 12,4% PB, 45,4% PDR, 54,6% PNDR). Foram realizadas coletas de sangue por via
coccígea e aspiração de fluido do folículo dominante no 4° dia antes e nos 22°, 38°, 52° e 68° dias de consumo
das dietas. Coletas de oócitos ocorreram nos 29°, 33°, 59° e 63° dias de consumo das dietas. A onda folicular foi
sincronizada por aspiração folicular cinco dias antes das coletas de fluido folicular e três dias antes das coletas de
oócitos. Os oócitos recuperados foram classificados como viáveis (G1, G2 e G3) e não viáveis. Foi realizada
análise de variância, modelo linear generalizado (PROC GLM) e comparação das médias pelo teste t de Student
(P<0,05) para as concentrações de NUP e NUF e média de oócitos viáveis. O percentual de oócitos viáveis foi
avaliado pelo teste exato de Fisher. As concentrações de NUP reduziram da maior para a menor relação
PDR:PNDR (PDR:PNDR1,68: 31,6A±8,45 mg/dL; PDR:PNDR1,31: 27,16B±4,49 mg/dL; PDR:PNDR1,08:
23,56C±5,09 mg/dL; PDR:PNDR0,83: 19,13D±4,87 mg/dL), a maior concentração de NUF foi observada na
maior relação PDR:PNDR e as menores concentrações nos grupos com as duas menores relações PDR:PNDR
(PDR:PNDR 1,68: 25,44A±8,91 mg/dL; PDR:PNDR1,31: 22,09AB±5,17 mg/dL; PDR:PNDR1,08: 18,85B±5,83
mg/dL; PDR:PNDR0,83: 17,66B±12,32 mg/dL). Não foi observado efeito significativo sobre o total de oócitos
viáveis (PDR:PNDR1,68: 1,25±2,28; PDR:PNDR1,31: 2,80±3,17; PDR:PNDR1,08: 2,00±2,51;
PDR:PNDR0,83: 3,25±4,27) mas foi observado sobre o percentual de oócitos viáveis (PDR:PNDR1,68:
39,47%B[30/76]; PDR:PNDR1,31: 51,38%AB[56/109]; PDR:PNDR1,08: 54,35%AB[50/92]; PDR:PNDR0,83:
62,7%A[79/126]). Estes resultados indicam que em dietas com a mesma disponibilidade de proteína
metabolizável, a redução da PDR e aumento da PNDR da PB leva a redução de NUP e NUF e baixa relação
PDR: PNDR é capaz de aumentar o percentual de oócitos viáveis em vacas Girolando lactantes.

Palavras-chave: uréia; ambiente folicular, reprodução, nutrição.


Keywords: urea, follicular environment, reproduction, nutrition.

62
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Fornecimento de acetato de melengestrol após a inovulação de embriões em novilhas


Melengestrol acetate supply after embryo transfer in heifers

Ana Laísa Cândida de Resende Fraga1,*, Luciana Keiko Hatamoto-Zervoudakis1,


Moacir Ferreira Duarte Júnior1, Pedro Paulo Tsuneda1, Fabiana Mariani Wingert1,
Juliana de Oliveira Moraes2
1
Pós-Graduação em Ciência Animal, FAMEVZ-UFMT, Cuiabá, MT, Brasil; 2Graduação em Medicina Veterinária,
FAMEVZ-UFMT, Cuiabá, MT, Brasil.
*E-mail: analaisa.fraga@hotmail.com

A produção in vitro de embriões bovinos está sempre em busca de melhorias nos índices produtivos. Porém as
taxas de concepção pós inovulação ainda são baixas, devido às perdas embrionárias precoces que coincidem com
período da maturação do corpo lúteo (CL). A inadequada função luteínica afeta a liberação de progesterona (P4),
e consequentemente o reconhecimento materno, afetando negativamente as taxas de concepções das receptoras.
O Acetato de Melengestrol (MGA®) é um progestágeno de uso oral, de fácil administração, baixa toxicidade,
sendo uma alternativa promissora para contornar possíveis deficiências de P4 e auxiliar o reconhecimento
materno nas receptoras bovinas. Assim, objetivou-se avaliar o efeito do fornecimento de MGA® sobre a taxa de
concepção de novilhas submetidas à inovulação de embriões. Foram selecionadas 52 novilhas mestiças (Nelore x
Caracu), de 22 meses de idade e com escore de condição corporal de 3,5 (escala de 1-5), pesando em média 330
kg. Foi realizada ultrassonografia transretal (US), e verificou-se que todas apresentavam CL. As novilhas então
foram submetidas a um protocolo de sincronização de estro com duração de 10 dias, e no 18˚ dia foi realizada a
inovulação dos embriões (embriões com 7 dias de desenvolvimento). Imediatamente após o procedimento, as
receptoras foram divididas ao acaso, em dois grupos: grupo controle (GC, n=25), onde as receptoras recebiam
um suplemento proteíco de baixo consumo, a base de farelo de milho, soja e núcleo mineral (0,1 % do peso
vivo/animal/dia); grupo com MGA® (GM, n=27), sendo fornecido o mesmo suplemento do GC, porém passados
seis dias da inovulação (13˚ dia do desenvolvimento embrionário), foram adicionados 2,28 g de MGA®
animal/dia (MGA® Premix, Pfizer). O MGA® foi ofertado durante uma semana. As receptoras, independente de
tratamento, foram mantidas em piquetes formados uniformemente por Brachiaria Brizantha cv. Marandu e
tinham acesso livre à água. O diagnóstico de gestação foi realizado com US, 30 dias após a ovulação das
receptoras. Os dados foram analisados pelo teste qui-quadrado, com nível de significância de 5%. O GC
apresentou taxa de concepção semelhante (P=0,4296) ao GM (56% vs 66%, respectivamente). Dessa forma,
conclui-se que a suplementação de MGA® para receptoras, durante o 13-19˚ dias de desenvolvimento
embrionário não contribuiu significativamente para o aumento das taxas de concepção das mesmas.

Palavras-chave: receptora, taxa de concepção, progestágeno.


Keywords: recipient, conception rate, progestogen.

63
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Comparação entre as técnicas cirúrgica e imunológica para castração de novilhas Nelore


na Amazônia Legal
Comparison of surgical and immune castration techniques of Nelore heifers in the the Amazon Legal

Márcio Gianordoli Teixeira Gomes1,*, Michel José Sales Abdalla Helayel1, Silvia Minharro Barbosa1,
Gustavo Andrade de Toledo1, Adriano Cardoso Bomfim1, Mônica dos Santos Buzzi1, Adriano Tony
Ramos2, Deborah Alves Ferreira1, Sandro Estevan Moron1, Karina Almeida Maciel1, Wanderson Campos
Jardim1, Allana Martins Costa1
1
Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal do Tocantins, Araguaína, TO, Brasil; 2Curso de Medicina
Veterinária, Universidade Federal de Santa Catarina, Curitibanos, SC, Brasil.
*E-mail: mgianordoli@hotmail.com

Atualmente vários métodos são utilizados para castração em fêmeas bovinas, no entanto alguns ainda não
apresentam comprovação científica de sua eficiência. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a atividade
do aparelho reprodutor de novilhas Nelore, castradas por uma técnica cirúrgica e outra imunológica, através da
ultrassonografia. Utilizou-se 33 novilhas Nelore, entre 18 e 24 meses, divididas em 3 grupos com 11 animais;
Castração Cirúrgica, com aplicação de anéis de látex nos pedículos ovarianos pelo método do elastrador via
flanco direito; Castração Imunológica com vacina antiGnRF (Bopriva®-Zoetis), com duas aplicações com
intervalos de trinta dias e Grupo Controle sem castração. Foram realizados exames ultrassonográficos por via
transretalnos dias 0 (castrações), 7, 12, 37, 72 e 120 dias após as castrações. No grupo controle, a média do
tamanho do útero cresceu linearmente apresentando diâmetros de 23,8; 30,7 e 32,6 mm, para os dias 37, 72 e
120, não acompanhados (P< 0,005) nos demais grupos com as médias entre 22,0 a 26,0mm até o dia 120. Isto
indica pouca ação dos hormônios gonadais sobre o útero dos animais submetidos às técnicas de castração. Em
relação ao número de folículos ≥3mm notou-se que o grupo cirurgia já apresenta redução desde o dia 12, com
média 0,75, enquanto a média dos demais apresentava-se em 2,9. O grupo imunológica apresentou redução
(P<0,001) em relação ao grupo controle a partir do dia 37, média de 2,9 e 4,9 folículos, mantendo-se até o dia
120. Isto nos revela que a castração cirúrgica apresenta efeito mais rápido na supressão do crescimento folicular
que a imunocastração, quando seus efeitos são observados após a aplicação da segunda dose. Em relação ao
tamanho de ovário, a média do grupo cirurgia apresentou-se superior em comparação aos grupos controle e
imunológico no dia 12, com médias 33,7; 18,4 e 19,8mm respectivamente, devido ao processo inflamatório e
edema ocasionados no órgão em função da anóxia produzida pela isquemia. No entanto no dia 72 apresentou-se
menor (P<0,05), com média de 16,2mm, ao passo que o controle e imunológica apresentavam-se em 24,4 e
23,9mm. O grupo imunológica apresentou média do tamanho ovariano igual ao controle durante todo período
experimental, mesmo revelando média inferior para folículos≥3mm a partir do dia 37. No entanto este grupo
apresentou grande população de folículos ≤3 mm, o que nos revela continuar havendo ação de fatores de
crescimento ovariano, mas ausência da ação de gonadotrofinas. No dia 72, dois animais do grupo imunológico
apresentaram corpo lúteo e um animal do grupo cirurgia. No grupo cirurgia explica-se pelo rompimento do anel
de látex do pedículo ovariano, confirmado ao abate, enquanto no grupo imunológico nestes animais o fármaco
ainda não havia atingido seu efeito, o que pode ser alcançado na última avaliação, aos 120 dias, quando 100%
dos animais não apresentaram corpos lúteos. As técnicas de castração pela colocação de anel de látex no
pedículo ovariano e a imunocastração demonstraram-se eficientes na supressão do crescimento folicular e,
consequentemente, do ciclo estral para novilhas Nelore.

Palavras-chave: anestro, atividade ovariana, GnRH, involução uterina.


Keywords: anestrus, ovarian activity, GnRH, uterine involution. 

64
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da colheita de sêmen por eletroejaculação na temperatura da bolsa escrotal em


touros Nelore, Bos taurus indicus
Effect of semen collection by electroejaculation in the scrotal temperature in Nellore bulls, Bos taurus indicus

Marcelo George Mungai Chacur1,*, Camila Dutra de Souza1, Felipe Rydygier de Ruediger2, Isamara
Batata Andrade1, Júnia Souza Cartocci1, Guilherme Pepino Bastos1, Eunice Oba2, Alcides Amorim
Ramos2, Luis Roberto Almeida Gabriel Filho3, Fernando Ferrari Putti3, Camila Pires Cremasco3
1
Laboratório de Reprodução Animal, UNOESTE, Presidente Prudente, SP, Brasil; 2Departamento de Reprodução Animal e
Radiologia Veterinária, UNESP, Botucatu, SP, Brasil; 3 Faculdade de Engenharia, UNESP, Tupã, SP, Brasil.
*E-mail: chacur@unoeste.br

Objetivou-se estudar o efeito da colheita de sêmen por eletroejaculação na temperatura da superfície da bolsa
escrotal por meio da termografia digital por infravermelho e a correlação dessa temperatura com a qualidade do
sêmen e temperatura retal. Foram utilizados 80 touros da raça Nelore, com idade média de 60 meses, criados
extensivamente. Termografias digitais por infravermelho (E40®, Flir) da bolsa escrotal foram realizadas antes e
após a colheita do sêmen (Autoejac®, Neovet) e mensurada a temperatura retal. Os ejaculados foram analisados
quanto às características quantitativas e qualitativas. Para as características do sêmen, realizou-se análise de
variância e comparação de médias pelo teste de Tukey a 5%. Para as temperaturas da superfície da bolsa escrotal
e defeitos espermáticos correlações foram obtidas pelo coeficiente de Pearson a 5%. Houve diferenças (P<0,05)
para as temperaturas da superfície da bolsa escrotal, antes e após a colheita de sêmen, entre os pontos anatômicos
direito e esquerdo estudados, sendo: (T1) temperaturas dos cordões espermáticos, (T2, T3 e T4) temperaturas
dos terços dorsal, médio e ventral dos testículos, respectivamente e (T5) temperaturas das caudas dos
epidídimos. Houve redução na temperatura da superfície da bolsa escrotal no sentido dorso-ventral, resultando
na boa qualidade do sêmen: motilidade 76±3%, vigor 4, defeitos menores 6±2% e defeitos maiores 9±2%. Não
houve diferenças (P>0,05) entre momentos, antes e após a colheita de sêmen entre as temperaturas de cada ponto
anatômico (T1, T2, T3, T4 e T5) da bolsa escrotal. A diferença entre a temperatura do cordão espermático T1,
em relação à cauda do epidídimo T5 foi de 4,04ºC. Houve correlação entre: T2 x defeitos espermáticos totais
(r=0,30; P<0,05); T3 x defeitos menores (r=0,35; P<0,05); T3 x defeitos maiores (r=0,30; P<0,05) e T3 x
defeitos totais (r=0,42; P<0,05); T4 x defeitos menores (r=0,30; P<0,05); T4 x defeitos maiores (r=0,28; P<0,05)
e T4 x defeitos totais (r=0,37; P<0,05); T5 x defeitos maiores (r=0,29; P<0,05) e T5 x defeitos totais (r=0,28;
P<0,05). Houve correlação entre temperatura retal (TR) x T1 (r=0,51; P<0,05); TR x T2 (r=0,43; P<0,05); TR x
T3 (r=0,37; P<0,05); TR x T4 (r=0,33; P<0,05) e TR x T5 (r=0,32; P<0,05). Conclui-se que a colheita de sêmen
por eletroejaculação não causou elevação significativa da temperatura da superfície da bolsa escrotal, podendo a
termografia digital por infravermelho ser realizada antes ou após a colheita de sêmen. A temperatura retal
influencia de forma positiva a temperatura da superfície da bolsa escrotal. A temperatura da superfície da bolsa
escrotal influencia de forma positiva os defeitos espermáticos menores, maiores e totais. A termografia digital
por infravermelho demonstrou alta acurácia na mensuração da temperatura da superfície da bolsa escrotal, sendo
recomendada como exame complementar na avaliação andrológica para fins de atividade reprodutiva de touros
criados extensivamente.

Palavras-chave: termorregulação escrotal, termografia, touro zebu, espermatozoide.


Keywords: scrotal thermoregulation, thermography, zebu bull, sperm.

65
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Análise das proteínas do plasma seminal de touros da raça Gir-leiteiro (Bos taurus
indicus) clinicamente normais e com hipoplasia testicular
Analysis of proteins in seminal plasma of bulls Gir-dairy breed (Bos taurus indicus) clinically normal and with
testicular hypoplasia

Cíntia Libéria Faria Santos1, Vicente Ribeiro do Vale Filho1, Arlindo de Alencar Araripe Noronha
Moura2, Jorge André Matias Martins2, Guilherme Silva Moura1, Venício José de Andrade1,
Ticiano Guimarães Leite1, Lucas Luz Emerick1
1
EV, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil;
2
Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.
*E-mail: cintia.vet2@yahoo.com.br

A raça Gir-Leiteiro é uma excelente opção para os rebanhos leiteiros no Brasil, principalmente nos cruzamentos
com animais da raça Holandês, por gerar animais rústicos, com boa conversão alimentar e alta produção leiteira.
A fertilidade dos touros é influenciada por diversos fatores que podem ser de origem genética, congênita e
adquirida. Proteínas do plasma seminal tem sido foco de estudos como potenciais marcadoras de fertilidade e/ou
subfertilidade em touros. A hipoplasia testicular, uma patologia de ordem genética, afeta a fertilidade dos
animais por reduzir a eficiência do epitélio germinativo dos testículos, com consequente falhas na
espermatogênese. No presente trabalho, objetivou-se avaliar o perfil proteico diferencialmente expresso entre
touros Gir-leiteiro normais clinicamente (grupo 1) e com hipoplasia testicular (grupo 2). Foram coletadas
amostras de sêmen de 18 animais com idades entre 23 e 60 meses, divididos em dois grupos de nove animais. O
plasma seminal foi centrifugado e submetido à eletroforese bidimensional (2-DE). Os géis foram corados com
Coomassie Blue G-250, digitalizados e as imagens analisadas pelo programa PDQuest™ 2-D AnalysisSoftaware
para identificação dos ¨spots¨. Estes foram cortados dos géis, submetidos à espectrometria de massa e a
identificação das proteínas realizadas por meio de pesquisas em bancos de dados internacionais. O delineamento
experimental foi inteiramente casualizado. As variáveis estudadas foram submetidas ao teste de normalidade de
Shapiro-Wilk (W, p>0,05), e avaliadas quanto à assimetria e curtose de sua distribuição por meio do
procedimento UNIVARIATE, com opção NORMAL do aplicativo SAS v. 9,0. Variáveis paramétricas foram
submetidas à análise de variância e comparadas entre os grupos, as variáveis não paramétricas foram comparadas
segundo o teste de Mann-Whitney. Foram identificados 33 spots diferencialmente expressos entre os grupos de
animais correspondendo a 38 proteínas, sendo 26 spots mais intensamente expressos no grupo de animais
hipoplásicos (P ≤ 0,05). Spots identificados como o grupo das Binder of Sperm Protein (BSP) corresponderam a
52,85±6,1% de todos os diferencialmente identificados neste grupo de animais. Outra proteína presente em
vários spots foi a platelet-activating factor acetylhydrolase (PAF-AH), correspondendo a 19,21±4,4% da
intensidade de todos os diferencialmente expressos nos hipoplásicos. As demais proteínas identificadas nos
touros hipoplásicos apresentaram funções variadas ligadas à fertilidade, sendo muitas delas associadas
positivamente à fertilidade. Possivelmente outros fatores presentes no plasma seminal, como por exemplo
hormônios, poderiam estar influenciando ou mesmo modulando a ação dessas proteínas.Concluiu-se que apesar
de identificado um perfil proteico diferencial nos animais hipoplásicos, não foi possível definir potenciais
marcadores para o diagnóstico desta patologia.

Palavras-chave: touros Gir-leiteiro, hipoplasia testicular, proteínas do plasma seminal.


Keywords: Gir-dairy bulls, testicular hypoplasia, seminal plasma proteins.

66
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação computadorizada da motilidade espermática: influência do meio diluidor e da


câmara de avaliação
Computer-assister sperm motility analysis: effect of extender and evaluation chamber

Rebeca Marques Mascarenhas1,*, George Afonso Vitor Caldeira1, Luiza Fernandes Mendonça Kling1,
Fabiana Cristina Varago2, Marcos Xavier Silva3
1
Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro/MG), Pedro Leopoldo, MG, Brasil; 2Universidade José Rosário Vellano
(UNIFENAS), Alfenas, MG, Brasil; 3Departamento de Medicina Veterinária Preventiva,
EV-UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil.
*Email: rebecavet01@gmail.com

A avaliação subjetiva da motilidade espermática é padrão para a maioria das centrais de sêmen e é atualmente
recomendada oficialmente pelo CBRA. Entretanto, por ter caráter subjetivo essa metodologia é susceptível a
variações entre avaliadores. O potencial de objetividade e precisão gerada pelos CASAs – Computer-assisted
sperm analyzer é enorme, entretanto sua aplicação prática esbarra na falta de padronização dos métodos sendo
seus resultados influenciados por variáveis como: taxa de aquisição de imagens, tipo de câmara utilizada para
deposição do sêmen, numero e posição dos campos avaliados, concentração do sêmen, tipo de diluidor e
software de análise. O presente trabalho faz parte de um projeto que busca identificar as principais fontes de
variação na técnica de análise do sêmen bovino congelado com o CASA, e padronizar uma metodologia cujos
resultados sejam equivalentes ao padrão estabelecido pelo CBRA. Neste trabalho avaliamos a influência do meio
diluidor usado pós-descongelamento e da câmara de deposição do sêmen sobre os resultados de motilidade
obtidos pelo SCA – Sperm Class Analyser® versão 5.1. Para cada experimento foram utilizadas 16 doses de
sêmen padronizadas (n=16). Foram avaliados os parâmetros: motilidade subjetica (MS) avaliada em microscopia
ótica de contraste de fase, motilidade total (MT) e motilidade progressiva (MP) avaliadas pelo SCA. O
delineamento experimental foi inteiramente casualizado. As variáveis foram estudadas por estatística descritiva,
sendo as de distribuição normal submetidas à análise de variância e ao teste de t e as que não apresentaram
distribuição normal submetidas ao teste de Kruskal-Wallis. O nível de significância foi de 5%. Para avaliação do
meio diluidor o sêmen descongelado foi ressuspendidos, na proporção de 1:6, para atingir a concentração ideal
de análise recomendada pelo fabricante, utilizando: meios diluidores de congelamento originais, solução de
citrato de sódio 2,98%, e meio diluidor Tris sem adição de gema de ovo. Após a diluição as amostras foram
avaliadas no SCA. As médias de MT e MP foram iguais nas amostras diluídas nos meios de congelamento
(média±desvio padrão 67,87±8,87 e 42,15±9,80) e no meio Tris (65,82±13,56 e 43,01±14,65) e menores quando
diluídas em solução de citrato (49,59±19,26 e 29,61±13,18). Concluímos que a diluição no meio Tris sem gema
não altera a motilidade espermática quando comparado aos meios originais de congelamento e oferece as
vantagens: dilui as partículas de gema de ovo que podem interferem na análise nos CASAs e pode ser utilizado
na diluição de sêmen congelado em diferentes meios. Para avaliação da câmara de deposição do sêmen utilizou-
se como padrão a avaliação subjetiva do sêmen entre lâmina e lamínula e testou-se as câmaras de Makler, Leja e
lâmina e lamínula para avaliação no SCA. A média de MS (60,62±11,81) foi igual às de MT e MP obtidas com
lâmina e lamínula (60,87±10,59 e 44,06±11,26) e à MP obtida com a Makler (53,06±11,64). Dos três parâmetros
cujas médias se igualaram às do padrão a MT avaliada com lâmina e lamínula foi a que apresentou maior
correlação com os valores MS (r=0.75; P=0.0008) seguido da MP avaliada com a Makler (r=0.61; P=0.01) e da
MP avaliada com lâmina e lamínula (r=0.55; P=0.03). Concluímos que os resultados de motilidade obtidos no
SCA com lâmina e lamínula são os que melhor refletem a motilidade avaliada pela técnica subjetiva, sendo que o
parâmetro MT apresentou a maior correlação com a MS.

Palavras-chave: CASA, diluidores, Makler, Leja.


Keywords: CASA, extenders, Makler, Leja.

67
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação de diferentes desafios de resistência espermática in vitro e sua relação com os


resultados a campo
Evaluation of different in vitro challenge of sperm resistance and its relationship with field bull fertility

Lucas Bernardes Ribeiro1, Fabio Morato Monteiro2, Erika Aline Ribeiro Dias2, Suzane Peres
Campanholi2, José Mario Pozetti Filho3, Marcelo Zoccolaro Costa3, Halim Atique Netto1,
Leticia Zoccolaro Oliveira1,*
1
Departamento de Reprodução Animal e Obstetrícia, UNIRP, São José do Rio Preto, SP, Brasil; 2Instituto de Zootecnia, IZ-
Sertãozinho, SP, Brasil; 3Agropecuária SANYO, Água Clara, MS, Brasil.
*E-mail:leticiaoliveira@unirp.edu.br

O presente trabalho teve por objetivo desafiar in vitro a qualidade do sêmen descongelado, e comparar os
resultados laboratoriais com os resultados de fertilidade a campo de touros utilizados em um programa de IATF.
Para tal, foram desafiadas e avaliadas laboratorialmente doses de sêmen congelado de 4 diferentes touros
Brangus (uma partida de cada touro). Essas partidas de sêmen foram previamente utilizadas em um programa de
IATF de uma propriedade comercial, onde foram inseminadas 332 vacas da raça Brangus. Foram realizadas 3
repetições do experimento laboratorial para cada partida. Para cada dose de sêmen, o seguinte procedimento foi
realizado: Inicialmente, a amostra de sêmen foi descongelada à 37ºC por 30 seg (Controle) e realizou-se a
avaliação da motilidade computadorizada do sêmen (CASA; Ivos-Ultimate®; Hamilton Thorne Biosciences,
Beverly, EUA) e a avaliação da integridade da membrana plasmática pela sonda fluorescente Iodeto de Propídeo
(PI; Sigma, 28,707-5) por microscopia de epiflourescência (LEICA®, Solms, Germany). Em seguida, uma
alíquota de 150 µL da amostra foi incubada em banho-maria a 45ºC por 40 min (Grupo desafio térmico; GDT) e
outra alíquota de 150 µL da amostra foi centrifugada a 500 x g, em gradiente de Percoll 45%/90%, por 15 min
(Grupo desafio centrifugação; GDC). Este sêmen centrifugado e diluído foi ainda submetido à outra avaliação de
termo-resistência, sendo incubado em banho-maria a 45ºC por 40 min (Grupo centrifugação + desafio térmico;
GCDT). Ao final de cada desafio (GDT, GDC e GCDT), os mesmos testes laboratoriais realizados para o grupo
controle foram repetidos. As análises estatísticas dos dados de campo foram realizados pelo procedimento
GLIMMIX do SAS (SAS Institute Inc. 2001; Cary, NC) e os dados laboratoriais foram submetidos à análise de
variância pelo Graph Pad Instat (GraphPad Software Inc. 11452; San Diego, USA). Estabeleceu-se grau de
significância de 5%. Não foi observada diferença (P>0,05) entre inseminadores, ECC, ou entre touros (T) para
taxa de concepção (TC). Os seguintes resultados de TC foram observados para cada touro: T1 = 48,9% (44/90);
T2 = 44,2% (23/52); Touro 3 = 55,5% (40/72); Touro 4 = 43,2% (51/118). Embora não tenha sido observada
diferença estatística entre touros, houve numericamente maior taxa de concepção do T3 com relação ao T4. De
acordo com os resultados do CASA, foi interessante notar que T4 foi o touro que apresentou menores (P<0,05)
valores de Motilidade Total (MT) e Motilidade Progressiva (MP)tanto após descongelação (Controle: MT = 62,0
± 10,0 e MP = 47,2 ± 8,5) como após todos os desafios espermáticos (GDT: MT = 54,0 ± 6,6 e MP = 40,0 ± 4,6;
GDC: MT = 49,0 ± 6,2 e MP:45,7± 7,3; GCDT: MT = 6,7 ± 8,8 e MP = 4,7 ± 7,2) quando comparado ao T3
(Controle: MT = 82,0 ± 4,2 e MP = 63,0 ± 5,3; GDT: MT = 79,3 ± 0,6 e MP = 56,0± 1,7; GDC: MT = 71,0 ±
12,8 e MP = 64,2± 12,5; GCDT: MT = 11,0± 3,5 e MP = 7,7± 3,8). Adicionalmente, embora T3e T4 tenham
apresentado semelhantes percentuais de membrana plasmática íntegra (MPI) no Controle (T3 = 66,7 ± 1,3 e T4 =
65,2 ± 3,3), o sêmen do T3 apresentou maior (P<0,05) porcentagem de MPI (T3 = 37,2 ± 2,5) do que T4(26,7 ±
3,3) após passar pelo maior desafio in vitro do presente experimento (GCDT). De acordo com os resultados
obtidos, concluiu-se que o sêmen do touro 3 se apresentou como o sêmen mais resistente aos desafios
laboratoriais propostos, principalmente quando comparado ao touro 4, o que se assemelha ao desempenho
reprodutivo obtido a campo por estes animais. Portanto, o presente estudo sugere que desafiar laboratorialmente
as amostras seminais antes de submetê-las aos testes de avaliação seminal parece ser uma alternativa interessante
para definir partidas que podem apresentar maior desempenho reprodutivo de fertilidade a campo.

Palavras-chave: Brangus, desafio laboratorial do sêmen, efeito touro, fertilidade, IATF.


Keywords: Brangus, laboratory sperm challenge, bull effect, fertility, Timed-AI.

Agradecimentos: FAPESP (2014/07606-4) e Agropecuária SANYO.

68
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação in vitro do sêmen refrigerado e congelado de touros 5/8 Girolando criados no


sertão de Pernambuco
In vitro evaluation of chilled and frozen semen of bulls 5/8 Girolando created in Pernambuco

Maiana Silva Chaves1,*, Rita de Kassia Oliveira de Andrade1, Matheus Cavalcanti de Farias1, Sebastião
Inocêncio Guido2, Antônio Santana dos Santos Filho2, Cláudio Coutinho Bartolomeu1
1
Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, PE, Brasil; 2Instituto Agronômico de Pernambuco, Recife, PE, Brasil.
*E-mail: maiana-@hotmail.com

A melhoria produtiva de um rebanho passa pela seleção de reprodutores com capacidade de transmitir
geneticamente suas características produtivas e reprodutivas, sendo relevante a associação entre raça e ambiente
para aprimorar os resultados. Diante de condições ambientais adversas, touros da raça 5/8 Girolando conseguem
aliar rusticidade, precocidade e disponibilizar material genético, que se traduz em vantagens socioeconômicas
para seus criadores. Apesar dessas vantagens produtivas, são escassas as análises seminais que pontuam danos
causados na manipulação e durante seu armazenamento in vitro que predizem com confiabilidade e
repetibilidade a capacidade de fertilização de reprodutores 5/8 Girolando, possibilitando alternativas que a
minimizem e otimizem sua exploração. Assim, o presente trabalho buscou analisar in vitro (cinética, integridade
da membrana plasmática, integridade da membrana acrossomal, potencial da membrana mitocondrial e
condensação da cromatina) o sêmen de touros, comparando alterações de ejaculados submetidos a refrigeração
por 24 horas (SR24), por 48 horas (SR48) e congelação (SC), suas correlações e principalmente favorecer o
estabelecimento de valores padrões para as variáveis avaliadas. As respostas entre os tratamentos foram testadas
pelo teste estatístico ANOVA e “t” de Student (P<0,05). Os reprodutores pertencentes ao Instituto Agronômico
de Pernambuco-IPA com sede em Arcoverde, sertão do estado de Pernambuco/Brasil, são criados confinados,
alimentados com silagem de cana de açúcar (3% de proteína) e água ad libitum. Em um total de 11 ejaculados,
foram observadas apenas diferença estatística entre a refrigeração e congelação e nas seguintes variáveis:
motilidade total (MT): 64,97±2,31, 64,88±2,13, 39,21±4,12; motilidade progressiva (MP): 48,8±1,62,
48,38±2,52, 28,92±3,31; velocidade curvilínea (VCL): 86±6,64, 90,18±6,1, 60,56±5,43; linearidade (LIN):
53,18±0,91, 50,43±1,68, 56,61±1,33; amplitude lateral da cabeça (ALH): 2,54±0,09, 2,82±0,18, 1,85±0,1;
batimento flagelar cruzado (BCF): 11,17±0,73, 11,9±0,48, 8,92±0,55; integridade da membrana plasmática
(IMP): 51,72±2,17, 52,32±2,08, 34,26±2,26; potencial da membrana mitocondrial (PMM): 56,81±3,79,
51,3±7,47, 31,83±7,49, para os tratamentos SR24, SR48 e SRC, respectivamente. Correlações (>0,9) foram
obtidas em variáveis que apresentam similaridade funcional, como: MT, MP, BCF e PMM; LIN com amplitude
lateral da cabeça (ALH) e retilinearidade (STR). As variáveis estudadas se encontram dentro das características
seminais preconizadas para reprodutores bovinos e trazem informações importantes para a raça 5/8 Girolando.

Palavras-chave: sêmen, criopreservação, 5/8 Girolando.


Keywords: semen, cryopreservation, 5/8 Girolando.

69
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Classificação por analises de imagem computacional das alterações cromatínicas de


espermatozoides bovinos corados com azul de toluidina e sua correlação com a
produção in vitro de embriões
Classification by computational image analysis of chromatin alterations of bull sperms stained by Toluidine
Blue and its correlation with in vitro embryo production

Sara Hissae Hiraiwa1,*, Alexsandra Alves Bezerra Martins1, Paulo Henrique Mazzuti Alves2, Talita Vieta
Junqueira1, Aline Costa de Lucio1, Bruno Augusto Nassif Travençolo3, Marcelo Emilio Beletti1
1
Instituto de Ciências Biomédicas, UFU, Uberlândia, MG, Brasil; 2Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinária,
UFU, Uberlândia, MG, Brasil; 3Faculdade de Computação, UFU, Uberlândia, MG, Brasil.
*E-mail: sara_hiraiwa@hotmail.com

A avaliação das alterações cromatínicas de espermatozoides bovinos é rotineira na área de reprodução animal. O
método mais utilizado é o SCSA (Sperm Chromatin Structure Assay), entretanto seu custo é altíssimo. Como
alternativa a esta metodologia, a coloração com azul de toluidina (AT) associada a análises computacionais se
apresenta como uma ferramenta equivalente e acessível. Este trabalho tem como objetivo propor uma
classificação das alterações cromatínicas de espermatozoides bovinos de acordo com a localização da
descompactação e correlacionar cada tipo de alteração com a eficiência da produção in vitro de embriões (PIV)
bovinos. Os touros utilizados passaram por um período de dois dias de insulação escrotal, induzindo alterações
na cromatina espermática. Esfregaços de espermatozoide foram fixados em etanol-ácido acético 3:1 por 1 minuto
e etanol 70% por 3 minutos; após a secagem foram hidrolisados em ácido clorídrico 4N, lavados com água
destilada e corados com AT 0,025%, pH 4,0. Utilizando análise de imagem computacional, foi possível fazer a
seguinte classificação das alterações cromatínicas: Descompactação na base da cabeça (DB), na metade basal
(DMB), no eixo central da cabeça (DEC) e em toda a extensão da cabeça (DT). Após ensaios de fertilização in
vitro com esses espermatozoides, as análises estatísticas (p<0,05) indicaram correlações negativas e
significativas entre DB e DMB em relação à clivagem dos embriões (r = -0.47, r = -0.33), bem como entre eles e
a quantidade de blastocistos morfologicamente normais (r =-0.51, r = -0.37, respectivamente). As correlações
não foram significativas com DEC e DT em relação aos embriões clivados (r = -0.18, r = -0.23) tampouco em
relação à formação de blastocistos (r = 0.01, r = -0.31, respectivamente). Uma das causas desta correlação
negativa não significativa pode ser o baixo número de alterações cromatínicas manifestado nessas localizações.
As correlações negativas entre DB, DMB e a taxa de clivagem demonstram que estas alterações interferem na
capacidade de fecundação dos espermatozoides; a correlação negativa entre as alterações cromatínicas e o
número de blastocistos demonstra que tais alterações também interferem no desenvolvimento embrionário
inicial, enfatizando que a taxa de blastocisto foi analisada em relação à quantidade dos oócitos clivados. Ao
analisar os dados, houve baixa correlação entre clivagem e blastocisto (r = 0.080), mostrando que, nessas
condições o desenvolvimento embrionário não está relacionado com a capacidade fecundante dos
espermatozoides. Assim, alterações localizadas na cromatina dos espermatozoides podem refletir na
produtividade e qualidade dos embriões. Comitê de ética: CEUA/UFU 031/12.

Palavras-chave: cromatina espermática, análise computacional, produção in vitro de embriões.


Keywords: sperm chromatin, computational analysis, in vitro production of embryos.

Agradecimentos: FAPEMIG.

70
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Comparação da avaliação computadorizada da cinética espermática bovina pós


descongelação utilizando as câmaras CELL-VU® e Leja®
Comparison of computed evaluation of post thaw bovine sperm kinetics using the
CELL-VU® and Leja® cameras

Anne Kemmer Souza1, Carlos Augusto Alves Melanda1, Cristiane Sella Paranzini1, Luiz Guilherme Corsi
Trautwein1, Fernando Roberto Pereira2, Maria Isabel Mello Martins1,*
1
Departamento de Clínica Veterinária, CCA, Universidade Estadual de Londrina, PR, Brasil; 2Empresa PremiumGen-
Pecuária Sustentável, Londrina, PR, Brasil.
Email: imartins@uel.br

O desenvolvimento de sistemas automatizados de análise espermática (CASA) fornece confiabilidade, acurácia e


velocidade na obtenção dos dados, por meio de análise objetiva do ejaculado. Entretanto, alguns fatores podem
interferir nos resultados, entre eles, o instrumento usado, frequência de aquisição de imagens, identificação da
espécie, concentração espermática, temperatura de análise e experiência do observador (Mortimer, 2000). A
profundidade da câmara pode afetar a estimativa da concentração ou influenciar a expressão de motilidade por
restringir o deslocamento ou por levar a interações das células com as suas paredes (Verstegen et al., 2002).
Dentre as câmaras mais utilizadas estão a Leja®, que é descartável; a Mackler®, a CELL-VU® que são
reutilizáveis, e utilizam variadas lamínulas e volumes para a avaliação no CASA. Com o objetivo de minimizar
os custos de operação foram realizadas análises de sêmen de bovinos na câmara Leja® (3µL) e na câmara
CELL-VU® utilizando lamínula de 24x24 em um volume de (5µL). O volume de 5µL utilizado na CELL–VU®
foi definido após testes realizados previamente no laboratório. Foram descongeladas em banho Maria (37°C por
30 segundos) 40 palhetas de sêmen bovino, as quais foram submetidas à análise computadorizada no Hamilton
Thorn Research (Animal Version 12,0 L, EUA), no setup para bovinos. Cinco campos de cada amostra foram
avaliados, utilizando as câmaras: a descartável LEJA® com 8 poços (3µL) e a reutilizável CELL-VU® (5µL)
com lamínula de 24x24 descartável. Foram analisadas motilidade total (MT), motilidade progressiva (MP), LIN,
e VAP, VCL, VSL, ALH, STR para que fossem calculados os índices de oscilação espermática (WOB),
movimento (SMI) e velocidade espermática (SVI). Os dados foram analisados no programa Epi-info 7.0,
utilizando nível de significância (p<0,05). Os valores médios obtidos na LEJA® versus CELL-VU® foram:
MT(%) 41,5 versus 47,9; MP (%) 19,6 versus 23,6 ; LIN (%) 44,2 versus 48,2; WOB (%) 55,7 versus 58,2 ;
SMI 218,1 versus 226,5; SVI 242,6 versus 233,8. Não houve diferença significativa nas médias de MT e MP.
Variações nos valores de VCL e VSL foram detectadas tanto nas analises realizadas com um tipo de câmara
como quando foram comparadas as duas câmaras; como essas derivações apresentam uma correlação positiva
com os índices de LIN, WOB e SMI, esses índices apresentaram diferenças estatísticas. Entretanto, Roldan et al.
(1998), atribui essa variabilidade aos efeitos genéticos que influenciam na estrutura do espermatozoides,
podendo acarretar a alterações na qualidade do ejaculado visível apenas em análises multivariadas do CASA,
não correlacionando essas alterações com o tipo de equipamento utilizado. Portanto, baseado nos resultados
obtidos podemos concluir que a utilização da câmara CELL-VU® utilizando um volume de 5µL da amostra é
viável, apresentando uma relação custo/benefício favorável.

Palavras-chave: bovino, CASA, sêmen, CELL-VU®, LEJA®.


Keywords: cattle, CASA, semen, CELL-VU®, LEJA®.

71
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Diluidores contendo lipoproteínas de baixa densidade (LDL) e colesterol, suas interações


com o tempo de equilíbrio e efeitos sobre peroxidação lipídica e estabilidade (fluidez)
das membranas na criopreservação do espermatozoide bovino
Extenders with low density lipoproteins (LDL) and cholesterol, their interactions with equilibration time and
effects on lipid peroxidation and stability (fluidity) of sperm membranes in bovine sperm cryopreservation

Rubens Paes de Arruda2, Ticiano Guimarães Leite1,2, André Furugen César de Andrade1, Daniela Franco
Silva1, Lucas Luz Emerick2, Fabio Morato Monteiro3, Neimar Corrêa Severo4, Gilson Passos de Moraes2,
Cíntia Libéria Faria Santos2, Venício José de Andrade2, Vicente Ribeiro do Vale Filho2
1
Laboratório de Biotecnologia do Sêmen e Andrologia (LBSA), Departamento de Reprodução Animal, FMVZ-USP, São
Paulo, SP, Brasil; 2Escola de Veterinária, EV-UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil; 3Instituto de Zootecnia de São Paulo (IZ),
Nova Odessa, SP, Brasil; 4ABS Pecplan, Uberaba, MG, Brasil.
*E-mail: arrudarp@usp.br

O tempo de equilíbrio é uma etapa importante na criopreservação do sêmen. O colesterol desempenha papéis
importantes em várias funções espermáticas, incluindo efeitos sobre as propriedades da membrana. Um desses
efeitos é o de estabilizar as membranas a baixas temperaturas. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da
associação do colesterol (Ciclodextrinas com Colesterol - CLC) e das lipoproteínas de baixa densidade (LDL) e
das possíveis interações destes crioprotetores e o tempo de equilíbrio, na criopreservação, sobre a peroxidação
lipídica e estabilidade das membranas pós-descongelamento. Amostras de sêmen de 15 touros Nelore foram
coletadas, divididas em 4 alíquotas e diluídas a 32ºC (30 x 106 sptz/mL) com os seguintes diluidores: 1) Tris-
Gema (controle); 2) LDL (8%); 3) LDL+CLC (8% LDL + CLC); 4) L-CLC (0,8% LDL + CLC). Para a
criopreservação utilizaram-se três aparelhos automatizados (TK-3000), com as mesmas curvas de resfrigeração
(-0,25°C/min) e de congelação (-20°C/min) para todos os tratamentos, variando apenas o tempo de equilíbrio a
5ºC: 0h (T0), 4h (T4), e 6h (T6) totalizando doze tratamentos. Após o congelamento, as palhetas foram
armazenadas em N2 líquido (-196ºC). O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, com arranjo de
parcelas subdivididas. As variáveis foram submetidas à ANOVA. As médias comparadas pelo teste SNK a 5%
de significância. Para aquelas que não apresentaram distribuição normal foram utilizados testes não paramétricos
(Friedman e Wilcoxon). A peroxidação lipídica (PI/C11-BODIPY581/591/H33342) e capacitação através da
estabilidade da membrana plasmática (Merocianina 540/Yo-Pro1/H33342) foram analisadas pela técnica de
citometria de fluxo. Os tratamentos sem tempo de equilíbrio (T0) apresentaram os menores valores de
integridade da membrana plasmática (MPI), maiores valores de apoptose (Yo-Pro(+)) e os menores valores de
Meroc (-) (células MPI não capacitadas), para todos os diluidores. O diluidor LDL (8%) apresentou a melhor
atividade crioprotetora em todos os tempos, maior MPI, e a maior proporção de células Meroc (-). O diluidor
Tris-Gema apresentou a melhor proteção contra a peroxidação lipídica das membranas espermáticas. O diluidor
L-CLC apresentou a pior atividade crioprotetora (maior peroxidação e apoptose). A adição de colesterol através
do pré-tratamento com CLC não permitiu uma redução do tempo de equilíbrio e não reduziu a peroxidação
lipídica e a criocapacitação. Além disso, a adição de CLC à diluidores a base de LDL purificado, reduziu a
sobrevivência espermática em T0 e T6. Os diluidores Gema e LDL se beneficiaram de um maior tempo de
equilíbrio (6h). O melhor tratamento foi LDL-T6. Concluiu-se que o tempo de equilíbrio é necessário no
processo de criopreservação do sêmen bovino para preservação da integridade das membranas espermáticas,
independente do diluidor utilizado. Além disso, conclui-se que a CLC sozinha ou associada a baixas
concentrações de LDL não protegem adequadamente as membranas espermáticas dos efeitos lesivos da
criopreservação (peroxidação lipídica).

Palavras-chave: colesterol, criopreservação de sêmen, lipoproteína de baixa densidade, metil-β-ciclodextrina,


tempo de equilíbrio.
Keywords: cholesterol, semen cryopreservation, low density lipoprotein, methyl-β-cyclodextrin, equilibration
time.

Financiamento: CNPq (Nº 471767/2010-7; 141816/2009-0) e FAPESP (Nº 2012/18277-6).

72
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Diluidores contendo lipoproteínas de baixa densidade (LDL) e colesterol, suas interações


com o tempo de equilíbrio e seus efeitos sobre a motilidade na criopreservação
do sêmen bovino
Extenders with low density lipoproteins (LDL) and cholesterol, their interactions with equilibration time and its
effects on post-thaw motility in bovine semen cryopreservation

Ticiano Guimarães Leite1,2, Rubens Paes de Arruda2, André Furugen César de Andrade2, Daniela Franco
Silva2, Lucas Luz Emerick1, Fabio Morato Monteiro3, Neimar Corrêa Severo4, Cíntia Libéria Faria
Santos1, Venício José de Andrade1, Vicente Ribeiro do Vale Filho1
1
Escola de Veterinária, UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil; 2Departamento de Reprodução Animal, FMVZ-USP,
Pirassununga, SP, Brasil; 3Instituto de Zootecnia de São Paulo (IZ), Nova Odessa, SP, Brasil; 4ABS Pecplan,
Uberaba, MG Brasil.
*E-mail: ticiano.gleite@yahoo.com.br

O colesterol desempenha papéis importantes em várias funções espermáticas, incluindo efeitos sobre as
propriedades da membrana. Um desses efeitos é o de estabilizar as membranas a baixas temperaturas. O objetivo
do presente estudo foi avaliar o efeito da associação do colesterol (Ciclodextrinas Carregadas com Colesterol -
CLC) e das lipoproteínas de baixa densidade (LDL) e das possíveis interações entre estes agentes crioprotetores
e o tempo de equilíbrio, na criopreservação, sobre a motilidade espermática pós-descongelamento. Amostras de
sêmen de 15 touros Nelore foram coletadas por vagina artificial, divididas em 4 alíquotas e diluídas a 32ºC (30 x
106 sptz/mL) com os seguintes diluidores: 1) Tris-Gema (controle); 2) LDL (8%); 3) LDL+ CLC (8% LDL +
CLC); 4) L-CLC (0,8% LDL + CLC). O sêmen diluído foi resfriado (25ºC) e envasado em palhetas de 0,5 mL.
Para a criopreservação utilizaram-se três aparelhos automatizados (TK-3000®), com as mesmas curvas de
resfriamento (-0,25°C/min) e de congelamento (-20°C/min) para todos os tratamentos, variando apenas o tempo
de equilíbrio a 5ºC: 0h (T0), 4h (T4), e 6h (T6) totalizando doze tratamentos. Após o congelamento, as palhetas
foram armazenadas em N2 líquido (-196 ºC). O delineamento experimental foi em blocos ao acaso (reprodutor),
com arranjo de parcelas subdivididas. As variáveis foram submetidas à análise de variância. As médias
comparadas peloteste SNK (Student-Newman-Keuls), ao de 5% de significância. A motilidade pós-
descongelamento foi avaliada por um sistema computadorizado (CASA). Os tratamentos sem tempo de
equilíbrio (T0) apresentaram os menores valores, tanto para a motilidades total (MOT (%); T0 = 56,6 ± 16,3c; T4
= 71,5 ± 12,5b; T6 = 73,7 ± 11,6a) quanto para a progressiva (PROG (%); T0 = 45,1 ± 13,6b; T4 = 56,4 ± 10,3a;
T6 = 58,1 ± 9,3a), para todos os diluidores. O diluidor LDL (8%) apresentou a melhor atividade crioprotetora em
todos os tempos, com maiores motilidades (MOT; Gema = 64,7 ± 14,1C; LDL = 76,7 ± 10,8A; LDL+CLC = 72,7 ±
14,1B; L-CLC = 54,8 ± 13,4D / PROG; Gema = 49,1 ± 11,2B; LDL = 58,5 ± 10,0A; LDL+CLC = 59,7 ± 12,1A; L-
CLC = 45,5 ± 10,8B), e as melhores características do movimento espermático (alto VAP, VSL e VCL), maior
porcentagem de células rápidas (Rapid). O diluidor L-CLC apresentou a pior atividade crioprotetora. A adição de
colesterol através do pré-tratamento com CLC não permitiu uma redução do tempo de equilíbrio. Além disso, a
adição de CLC à diluidores a base de LDL purificado a 8%, reduziu a motilidade total em relação ao meio
apenas com LDL. O tempo de 6 h de equilíbrio apresentou as maiores motilidades espermática, independente do
diluidor utilizado. O melhor tratamento foi o LDL-T6 (MOT = 82,3 ± 6,1; PROG = 62,7 ± 6,2). Concluiu-se que
o tempo de equilíbrio é necessário para preservação da motilidade total e progressiva, independente do diluidor
utilizado. Além disso, conclui-se que a CLC sozinha ou associada a baixas concentrações de LDL não protegem
adequadamente os espermatozoides dos efeitos lesivos da criopreservação.

Palavras-chave: colesterol, criopreservação de sêmen, lipoproteína de baixa densidade, metil-β-ciclodextrina,


tempo de equilíbrio.
Keywords: cholesterol, semen cryopreservation, low density lipoprotein, methyl-β-cyclodextrin, equilibration
time.

Financiamento: CNPq (Nº 471767/2010-7; 141816/2009-0) e FAPESP (Nº 2012/18277-6).

73
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Alterações cromatínicas em espermatozoides de touros identificadas por análise de


imagem computacional de esfregaços de sêmen corados com azul de toluidina e
citometria de fluxo
Chromatin alterations in bull sperm identified by computational image analysis of semen smears stained by
toluidine blue and flow cytometry

Alexsandra Alves Bezerra Martins1,*, Sara Hissae Hiraiwa1, Bruna Gomes Alves1, Paulo Henrique
Mazzutti Alves1, Bruno Augusto Nassif Travençolo2, Aline Costa de Lúcio1, Marcelo Emílio Beletti1
1
Universidade Federal de Uberlândia, Laboratório Biologia da Reprodução, Uberlândia, MG, Brasil; 2Universidade Federal
de Uberlândia, Faculdade de Ciências da Computação, Uberlândia, MG, Brasil.
*E-mail: alexsandrabezerra.advet@gmail.com

Reprodutores com espermograma normal podem vir a se comportar como subférteis ou apresentar intervalos de
subfertilidade inexplicáveis pelo espermograma de rotina, e alterações na compactação da cromatina dos
espermatozoides foram observadas na maioria destes eventos, indicando uma possível causa para tal fenômeno.
A análise da estrutura da cromatina espermática (sperm chromatin structure assay - SCSA) é o método
considerado padrão (ouro) internacionalmente, porém é de alto custo e baixa repetibilidade. No entanto, existem
outros métodos com menor custo, contudo ainda não padronizados ou correlacionados com o SCSA. Diante
disso, o objetivo deste estudo foi correlacionar dois métodos distintos de avaliação de cromatina espermática em
touros: análise computacional de esfregaços de sêmen corados com azul de toluidina (AT) e citometria de fluxo
(SCSA). Quarenta amostras de sêmen de touros insulados foram avaliadas pelos dois métodos. Nos esfregaços
de sêmen corados com AT foram avaliados os tipos de alterações na cromatina de acordo com a localização da
descompactação, e por SCSA avaliou-se a fragmentação do DNA pela proporção de cabeças de espermatozoides
coradas em verde e vermelho, sendo estas as que possuem alterações na cromatina. Após as análises estatísticas
utilizando-se ANOVA e correlação de Pearson, conclui-se que a descompactação cromatínica identificada pela
avaliação computacional de esfregaços de sêmen corados com AT é semelhante à alteração identificada por
SCSA. A análise por AT por possibilitar identificar diferentes tipos de alterações de cromatina com prováveis
diferentes etiologias, ser mais acessível e possuir objetividade semelhante ao SCSA é um método alternativo de
análise da cromatina espermática. Aprovação do Comitê de ética: CEUA/UFU 031/12.

Palavras-chave: azul de toluidina, citometria de fluxo, cromatina, espermatozoide, touro.


Keywords: bull, chromatin, flow cytometry, sperm, toluidine blue.

Agradececimentos: aos órgãos de fomento à pesquisa: CAPES, CNPq e FAPEMIG pelo apoio financeiro.

74
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da adição de vitamina C no sêmen criopreservado de bovinos Pantaneiro


Effect of adding vitamin C on cryopreserved semen of Pantaneiro bulls

Juliana de Oliveira Moraes1,*, Luciana Keiko Hatamoto-Zervoudakis1, Luis Eduardo Senra e Silva1,
Alexandre Floriani Ramos2, Joanis Tilemahos Zervoudakis1, Moacir Ferreira Duarte Júnior1, Pedro
Paulo Tsuneda1, Ana Laísa Cândida de Resende Fraga1, Fabiana Mariani Wingert1
1
FAMEV, UFMT, Cuiabá, MT, Brasil; 2EMBRAPA/CENARGEN,
Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT),
Cuiabá, MT, Brasil.*E-mail: vet.jumoraes@hotmail.com

A raça Pantaneiro (Bos taurus) é de origem europeia e hoje está completamente adaptada a região Centro Oeste
do Brasil, sendo considerada uma raça naturalizada e excelente opção para a manutenção da pecuária sustentável
no Pantanal, suportando áreas alagadas e oferta de forragem nativa. Contudo, pouco ainda se sabe sobre os
parâmetros reprodutivos dos seus reprodutores, bem como o ambiente da região central do Brasil pode
influenciar qualidade seminal e o potencial de criopreservação. Nesse contexto, estima-se que durante o processo
de criopreservação, a fertilidade espermática seja reduzida em 50%, por isso, a utilização de antioxidantes no
meio diluidor, tem sido uma estratégia para diminuir estes efeitos deletérios, agindo como um protetor às células
espermáticas por diminuir a produção de espécies reativas ao oxigênio (EROs). Desta forma, objetivou-se avaliar
o efeito da adição da vitamina C sobre a qualidade seminal de touros Pantaneiros após o processo de
criopreservação. No experimento foram utilizados 7 touros Pantaneiros, com idade média de 48 meses e peso
vivo médio de 606,1 ± 92,09 Kg, mantidos em pasto de Brachiaria brizantha cv. Marandú, recebendo
suplementação e água ad libitum, provenientes da Fazenda Santo Augusto, município de Rochedo–MS. As
coletas foram feitas pelo método de eletroejaculação e cada ejaculado foi diluído em extensor tris-gema em
fração única na concentração de 40x106 espermatozoides/mL, envasado em palhetas de 0,5 mL. Após a adição
deste, as amostras foram divididas em duas partes iguais, uma controle apenas com o diluente e outra com a
adição de vitamina C na dosagem de 2,25 mg/20x106 de espermatozoides. As amostras foram descongeladas à
35-37 Cº durante 30 segundos e 10 μL foram utilizados em microscopia óptica para análises das variáveis de
motilidade(%), vigor (1-5) espermático, viabilidade espermática e integridade de membrana acrossomal. O
experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado e o efeito de tratamento foi comparado
através do Tukey, com nível de significância de 5%. Nos resultados das variáveis estudadas, viabilidade
espermática, vigor espermático e integridade de acrossoma não obtiveram interação estatística (P>0,05) em
relação a adição de vitamina C ao meio diluidor. Já em relação a variável motilidade (%), sofreu diminuição com
a adição de vitamina C (7,36±2,05) em relação ao tratamento controle (15,57±2,45). A vitamina C adquirida pela
dieta, no caso de ruminantes é quase totalmente destruída pelos microrganismos, em contrapartida ocorre a
síntese endógena pelo fígado, para isto são utilizados a glicose e a galactose como substratos. Sendo assim,
exceto em condições de estresse ou doenças, a suplementação com vitamina C não é necessária para atender as
necessidades fisiológicas do animal. No experimento realizado, os animais utilizados estavam em boas condições
de manejo nutricional e sanitário, neste contexto, provavelmente não tinham deficiência de vitaminas, de modo
que a suplementação do meio de congelamento não promoveu incremento em sua fertilidade. Portanto, de acordo
com os resultados obtidos, a suplementação com vitamina C no meio diluidor, na dosagem utilizada e nas
condições de manejo dos animais, não influenciou os parâmetros qualitativos do sêmen criopreservado.

Palavras-chave: criopreservação, EROs, fertilidade.


Keywords: cryopreserved, EROs, fertility.

75
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da melatonina sobre a cinética e termoresistência de espermatozóides


criopreservados de touros Guzerá
Melatonin effect on the kinetics and thermotolerance cryopreserved sperm Guzerá bull

Yndyra Nayan Teixeira Carvalho*, Marlon de Araújo Castelo Branco, Luiz


Harliton Cavalcante Monteiro Mota, Isolda Marcia Rocha do Nascimento, Leopoldina Almeida Gomes,
Antonio Sousa Júnior, Ícaro Oliveira Torres Souza, Felipe Pereira da Silva Barçante, Luanna Soares de
Melo Evangelista, Filipe Nunes Barros, Micherlene da Silva Carneiro Lustosa, José Adalmir Torres Souza

Departamento de Clinica e Cirurgia Veterinárias, CCA,UFPI, Teresina, PI, Brasil.


*Email: yndyranayan1@hotmail.com

A criopreservação é um mecanismo adverso para o espermatozoide, podendo promover desestabilização da


membrana plasmática e elevação da concentração de cálcio intracelular (Cormier et al., 1997). Neste sentido,
tem sido amplamente demonstrado que a criopreservação leva a uma diminuição na motilidade espermática
(Dorado et al., 2007, 2009). Desta forma alguns estudos sugerem que a adição de antioxidantes, como a
melatonina, melhoraria a qualidade de espermatozóides submetidos a processos de crioinjúria (Hardeland, 2005).
Objetivou-se avaliar o efeito da melatonina sobre a cinética e sobre o teste de termoresistencia lento (TTR) de
espermatozoides criopreservados de touros. Utilizou-se 54 ejaculados de seis touros da raça Guzerá, obtidos
através da técnica de eletroejaculação. Após as coletas e prévia avaliação, o sêmen foi diluído em meio TRIS-
Gema, com a adição de melatonina, em conformidade como os grupos experimentais: Controle, meio com 0 μM
de melatonina; M10, meio com 10μM de melatonina; M100, meio com 100μM de melatonina; e M200, meio
com 200μM de melatonina. Em seguida à diluição o sêmen foi envasado em palhetas de 0,25mL e congelado em
máquina TK-3000. Após 30 dias as doses foram descongeladas a 37°C por 30 segundos, para avaliação quanto
ao TTR de forma subjetiva utilizando a média encontrada a partir da avaliação de dois técnicos diferentes e a
cinética espermática por meio de um sistema computadorizado de análise - CASA (Nikon ™ H5505, Eclipse
50i, Japão). Os resultados foram analisados pelo SAS e submetidos à análise de variância (ANOVA) e de
regressão ao nível de 5%. Verificou-se que a motilidade foi significativamente maior (p <0,05) nos tratamentos
Controle (27.21 + 8.26) e M10 (23.07+ 7.07), os demais parâmetros de VCL (48.75 + 23.38) e (53.20 + 25.47),
VSL (22.71 + 14.95) e (25.21 + 14.81), VAP (29.91 + 17.18) e (32.74 + 17.17), LIN (41.71 + 14.51) e (45.20 +
10.85), ALH (2.78 + 1.19) e (2.75 + 1.19) e BCF (8.50 + 4.07) e (8.76 + 4.01) não diferiram estatisticamente
(P<0,05) entre as concentrações de 0µM e 10µM de melatonina, respectivamente, no entanto se apresentaram
maiores que as demais concentrações. Para motilidade e vigor espermático ao TTR foram observados melhores
resultados nos tratamento de 0 e 10µM de melatonina nos tempos de 0 min e 180 min (P>0,05). Conclui-se que a
adição de 10µM de melatonina ao meio diluidor atua potencializando os parâmetros cinéticos de Motilidade e
vigor, velocidade curvilínea, retilínea e índice de oscilação.

Palavras-chave: bovinos, cinética, criopreservação, melatonina.


Keywords: bull, kinetics, cryopreservation, melatonin.

76
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Localização de alterações cromatínicas em espermatozoides de touro e sua relação com a


marcação imunocitoquímica de protamina
Location of changes in chromation of bull spermatozoa andits relation with immunocytochemistry
protamine marking

Elisson Terêncio Souza1,*, Cláudio Vieira Silva2, Bruno Augusto Nassif Travençolo3,
Marcelo Emílio Beletti1
1
Lab. Biologia da Reprodução ICBIM/PPGBC/UFU, Uberlândia, MG, Brasil; 2Lab. de Tripanossomatídeos
ICBIM/PPGBC/UFU, Uberlândia, MG, Brasil; 3Fac. de Computação/UFU, Uberlândia, MG, Brazil.
*Email: elissonsouza@yahoo.com.br

As alterações na cromatina dos espermatozoides vêm sendo relacionada como causa de subfertilidade em
diversas espécies de mamíferos. Um dos fatores que leva a essas alterações é a deficiência de protamina. No
presente trabalho analisou-se a localização das alterações da cromatina de espermatozoides de touros e a sua
relação com a marcação imunocitoquímica da protamina. Amostras de sêmen de touros férteis e subférteis foram
examinadas pela análise computacional de imagens de esfregaços corados com azul de toluidina (AT), DAPI e
marcados com anticorpo anti protamina 1 (PR1). Para avaliação das lâminas de AT foram utilizadas duas
análises computacionais distintas: uma convencional, em que se obtêm o valor da descompactação percentual
(DESC%) e heterogeneidade (HET) médias da cromatina dos espermatozoides e outra alternativa, na qual se
classifica as alterações de acordo com a localização da alteração na cabeça do espermatozoide e se calcula a
porcentagem de espermatozoides com cada tipo de alteração nas amostras. Em ambas se comparavam as
amostras de touros férteis e subférteis. A análise convencional mostrou um aumento significativo (p=0,01) tanto
de DESC% quanto de HET nas amostras subférteis. Já análise alternativa mostrou um aumento nas amostras
subférteis das alterações na metade basal (AMB) p=0,05 e cabeças totalmente alteradas (CTA) p=0,04. Essa
análise computacional alternativa também foi aplicada à coloração com DAPI onde as amostras subférteis
apresentaram um aumento das alterações na base (AB) p=0,02. Já as alterações dispersas (AD) foram maiores
com o p=0,02 nas amostras férteis. Na marcação com anti-PR1 as alterações na base (AB) mostraram-se maiores
nas amostras subférteis com o p=0,01. A porcentagem de coincidência das marcações com DAPI e anti-PR1 foi
baixo. Com esses resultados concluímos que, com a técnica alternativa foi possível propor uma classificação das
alterações nas colorações e na imunomarcação, porém essa técnica apresentou uma baixa eficiência para
distinguir touros férteis dos subférteis. A coloração com DAPI avaliada em microscopia confocal se apresentou
como uma possível alternativa para a coloração com AT. A técnica convencional com AT foi a que mostrou um
melhor resultado para diferenciação entre os grupos férteis e subférteis. A imunomarcação de PR1 mostrou que
essa proteína se distribui por toda cabeça do espermatozoide de touro e que as alterações cromatínicas nessas
células não possuem relação com a quantidade de PR1.

Palavras-chave: análise computacional de imagens, cromatina espermática, protamina.


Keywords: computational image analysis, sperm chromatin, protamine.

Agradecimento: FAPEMIG.

77
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito individual de touros Nelore e Red Angus sobre a taxa de gestação em protocolos
de IATF
Individual effect of Nellore and Red Angus bulls on the pregnancy rate in FTAI protocols

Camila Oliveira Silveira1,*, Ronaldo Oliveira Silveira2, Giancarlo Magalhães dos Santos2, Paula Piccolo
Maitan1, Lucas Pereira Balieiro2, João Gabriel Viana de Gràzia3
1
Departamento de Veterinária, UFV, Viçosa, MG, Brasil; 2Departamento de Veterinária, UNIVIÇOSA, Viçosa, MG, Brasil;
3
Departamento de Veterinária, UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil.
*E-mail: camilasilveiravet@yahoo.com.br

A bovinocultura de corte brasileira constitui uma das atividades econômicas que mais contribui para o
desenvolvimento da economia nacional. Durante os últimos anos, novas tecnologias aplicadas à reprodução
animal vêm contribuindo de maneira importante para o melhoramento genético. Dentre elas, a inseminação
artificial em tempo fixo (IATF) se tornou uma das principais biotecnologias reprodutivas de impacto econômico
na produção de bovinos, pois possibilita a utilização em massa de touros com características produtivas
desejáveis. A identificação e seleção de touros a serem utilizados em programas futuros é a principal estratégia
que determina bons resultados em programas de IATF, pois já existem evidencias da existência do efeito
individual na fertilidade de touros nos programas de IATF. Objetivou-se com este estudo comparar os efeitos da
raça do touro sobre a ocorrência de prenhez de vacas de corte submetidas à inseminação artificial em tempo fixo
(IATF). O estudo foi realizado na Fazenda Escola CPT Agropecuária situada na zona rural do município de São
Geraldo – MG, no período de fevereiro a março de 2014. Foram utilizadas 58 vacas da raça Nelore com idade
média de quatro anos. As fêmeas foram submetidas ao protocolo de sincronização apresentado a seguir. Em um
dia aleatório do ciclo estral denominado dia 0 (D0), os animais receberam um dispositivo intravaginal de
liberação de progesterona (P4) associado a 2,0 mg de Benzoato de Estradiol por via intramuscular. No dia oito
(D8), retirou-se o dispositivo de P4 e a administração de 0,150 mg de D-cloprostenol Sódico e 300 UI de
Gonadotrofina Coriônica Equina. No nono dia (D9) os animais receberam 1,0 mg de Benzoato de Estradiol. No
dia 10 (D10), todos os animais foram inseminados. Neste estudo, com a finalidade de evitar efeito do
inseminador, as inseminações foram realizadas por um mesmo técnico. Para a realização das inseminações,
utilizou-se sêmen criopreservado comercial de dois touros, da raça Nelore (n = 29) e Red Angus (n = 29)
descongelados a 37ºC por 30 segundos. Para comparação entre as médias foi utilizado o teste F, além da
estatística descritiva. A porcentagem de fêmeas gestantes, dentre as 58 utilizadas, foi de 60,3%. Resultados
semelhantes (62,3%) com o uso da IATF em vacas Nelore foram encontrados em um estudo realizado em sete
fazendas da região Norte de Goiás utilizando o mesmo protocolo, demonstrando a boa eficiência do mesmo. No
presente estudo não foram observados efeitos da raça dos touros (P > 0,05) sobre a ocorrência de prenhez. A
utilização de sêmen oriundo de touros provados na IATF poderia explicar esses resultados. Resultado este que
não corrobora com os achados descritos na literatura que provam haver efeito individual de touros sobre a
fertilidade na IATF (“efeito touro”). Martins Junior e colaboradores (dados não publicados) encontraram
diferença de até 15,6% na taxa de prenhez quando testado quatro diferentes animais. Entretanto, não há estudos
relacionando diferenças de fertilidade entre as raças existentes no mundo, atribuindo os efeitos apenas a
fertilidade de cada touro independente da raça. Deste modo, fica evidente a necessidade de novos estudos para
determinar o efeito individual na fertilidade de touros nos programas de IATF, e para evitar baixos resultados é
necessário realizar análise laboratorial por partida de sêmen e utilizar somente touros com histórico de alta
fertilidade em programas de IATF.

Palavras-chave: bovino, inseminação, prenhez.


Keywords: bovine, insemination, pregnancy.

78
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeitos de diluidores contendo lipoproteínas de baixa densidade (LDL) e colesterol, e


suas interações com o tempo de equilíbriosobre a integridade das membranas na
criopreservação do sêmen bovino
Effects of extenders with low density lipoproteins (LDL) and cholesterol, and their interactions with
equilibration time on membranes integrity in bovine semen cryopreservation

Vicente Ribeiro do Vale Filho1,*, Rubens Paes de Arruda2,Ticiano Guimarães Leite1,2, André Furugen
César de Andrade2, Daniela Franco Silva2, Lucas Luz Emerick1, Gilson Passos de Moraes1, Fabio Morato
Monteiro3, Neimar Corrêa Severo4, Cíntia Libéria Faria Santos1, Venício José de Andrade1
1
Escola de Veterinária (EV-UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil; 2Departamento de Reprodução Animal, FMVZ-USP,
Pirassununga, SP, Brasil; 3Instituto de Zootecnia de São Paulo (IZ), Nova Odessa, SP, Brasil;
4
ABS Pecplan, Uberaba, MG, Brasil.
*E-mail:vicdovale@hotmail.com

O colesterol desempenha papéis importantes em várias funções espermáticas, incluindo efeitos sobre as
propriedades da membrana. Um desses efeitos é o de estabilizar as membranas a baixas temperaturas. O tempo
de equilíbrio é uma etapa importante do processo de criopreservação do sêmen. O objetivo do presente estudo foi
avaliar o efeito da associação do colesterol (Ciclodextrinas Carregadas com Colesterol - CLC) e das
lipoproteínas de baixa densidade (LDL) e das possíveis interações entre estes agentes crioprotetores e o tempo de
equilíbrio, na criopreservação, sobre a integridade membranas plasmática e acrossomal pós-descongelamento.
Amostras de sêmen de 15 touros Nelore foram coletadas por vagina artificial, divididas em 4 alíquotas e diluídas
a 32ºC (30 x 106sptz/mL) com os seguintes diluidores: 1) Tris-Gema (controle); 2) LDL (8%); 3) LDL+CLC (8%
LDL + CLC); 4) L-CLC (0,8% LDL + CLC). O sêmen diluído foi resfriado (25ºC) e envasado em palhetas de
0,5 mL. Para a criopreservação utilizaram-se três aparelhos automatizados (TK-3000®), com as mesmas curvas
de resfriamento (-0,25°C/min) e de congelamento (-20°C/min) para todos os tratamentos, variando apenas o
tempo de equilíbrio a 5ºC: 0h (T0), 4h (T4), e 6h (T6) totalizando doze tratamentos. Após o congelamento, as
palhetas foram armazenadas em N2 líquido (-196ºC). O delineamento experimental foi em blocos ao acaso
(reprodutor), com arranjo de parcelas subdivididas. As variáveis foram submetidas à análise de variância. As
médias comparadas peloteste SNK (Student-Newman-Keuls), a 5% de significância. A integridade das
membranas plasmática e acrossomal (PI/FITC-PSA/H33342)foi analisada pela citometria de fluxo. Observou-se
interação entre os efeitos de tempo de equilíbrio e diluidor (P<0,05). Os tratamentos sem tempo de equilíbrio
(T0) apresentaram os menores valores para a integridade das membranas plasmática e acrossomal (AIMPI(%)),
para todos os diluidores (Gema-T0 =18,6 ± 6,9B; LDL-T0 = 25,5 ± 5,5A; LDL+CLC-T0 = 21,2 ± 6,4B; L-CLC-T0
= 18,9 ± 7,9B). O diluidor LDL (8%) apresentou a melhor atividade crioprotetora em todos os tempos (LDL-T0 =
25,5 ± 5,5cA; LDL-T4 = 39,4 ± 7,6bA; LDL-T6 = 43,7 ± 10,6aA). O diluidor L-CLC apresentou a pior atividade
crioprotetora (L-CLC-T0 = 18,9 ± 7,9; L-CLC-T4 = 28,5 ± 8,2; L-CLC-T6 = 30,9 ± 8,0). A adição de colesterol
através do pré-tratamento do sêmen com CLC não permitiu uma redução do tempo de equilíbrio. Além disso, a
adição de CLC à diluidores a base de LDL purificado a 8%, reduziu a sobrevivência espermática em T0 e T6. O
tempo de 4 h foi adequado, independente do diluidor utilizado, porém, os diluidores Gema e LDL se
beneficiaram de um maior tempo de equilíbrio (6h) (Gema-T6 = 35,6 ± 6,2B; LDL-T6 = 43,7 ± 10,6A; LDL+CLC-
T6=38,0 ± 9,9B; L-CLC-T6 = 30,9 ± 8,0C). O melhor método de criopreservação foi LDL-T6. Concluiu-se que o
tempo de equilíbrio é necessário no processo de criopreservação do sêmen bovino para preservação da
integridade das membranas espermáticas, independente do diluidor utilizado. Além disso, conclui-se que a CLC
sozinha ou associada a baixas concentrações de LDL não protegem adequadamente as membranas espermáticas
dos efeitos lesivos da criopreservação.

Palavras-chave: colesterol, criopreservação de sêmen, lipoproteína de baixa densidade, metil-β-ciclodextrina,


tempo de equilíbrio.
Keywords: cholesterol, semen cryopreservation, low density lipoprotein, methyl-β-cyclodextrin, equilibration
time.

Financiamento: CNPq (Nº 471767/2010-7; 141816/2009-0) e FAPESP (Nº 2012/18277-6).

79
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Influência da câmara de análise nos resultados da avaliação computadorizada do


movimento espermático (CASA)
Influence of sperm chamber on the results of computer assisted semen analysis (CASA)

Yolanda Henrichs Garcia Bandeira Bastos1, Cristiano Ferreira da Silva2, Marcella Vaz Dinelli2,
Kleber Peixoto Jr2, André Maciel Crespilho1,2*
1
Universidade Severino Sombra, USS, Vassouras, RJ, Brasil; 2Universidade Santo Amaro, UNISA, São Paulo, SP, Brasil.
*E-mail: contato@vetsemen.com.br

O padrão de movimento desempenhado pelos espermatozoides representa uma das características mais
importantes associadas ao potencial de fertilização de uma amostra seminal. Nesse sentido, a análise
computadorizada do movimento espermático (CASA) corresponde ao principal método de avaliação da cinética
de espermatozoides das diferentes espécies, proporcionando informações objetivas baseadas na observação de
centenas de células por campo de análise. No entanto, muitos fatores podem comprometer a acurácia, precisão e
repetibilidade dos resultados de CASA, dificultando a avaliação do potencial de fertilidade de uma dose de
sêmen. Estudos anteriores demonstraram que diferentes câmaras utilizadas para a análise computadorizada
podem determinar resultados diferentes para a cinética de espermatozoides pertencentes a uma mesma amostra
seminal. O objetivo desse trabalho é comparar dois tipos de câmaras de análise utilizadas na avaliação
computadorizada do sêmen bovino. Para o trabalho foram selecionadas 150 partidas comerciais de sêmen bovino
congelado. As amostras foram descongeladas em banho Maria a 37ºC por 30 segundos, homogeneizadas em
microtubos graduados de 1,5 mL previamente aquecidos em banho seco a 37ºC e analisadas através do sistema
CASA ISAS® V.1.2 (Proiser, Espanha) seguindo duas metodologias: G1, deposição de 5 µL de sêmen em
lâmina de vidro previamente aquecida recoberta por lamínula; G2, deposição de uma gota de 5 µL de sêmen na
câmara modelo Spermtrack® (Proiser, Espanha), que apresenta altura de 20 µm entre a base e a lamínula
correspondente. As amostras dos dois grupos foram avaliadas quanto à Motilidade Espermática Total (MT, %) e
Progressiva (MP, %); Velocidade de Trajeto (VAP, µm/s) e Velocidade Curvilínea (VCL, µm/s); Frequência de
Batimentos de Cauda (BCF, Hz); Amplitude Lateral da Cabeça Espermática (ALH, µm); Linearidade (LIN,
µm/s) e Retilinearidade (STR, µm/s); porcentagem de espermatozoides rápidos (VR, %) e índice de oscilação
(WOB, %). Os dados obtidos foram submetidos à análise estatística através de modelo linear geral (GLIMMIX,
SAS Institute Inc, Cary, USA), sendo apresentados na forma de média e erro padrão. Dentre os parâmetros
considerados foram observadas diferenças para a MT (52,5±1,3a vs 59,7±1,3b; p<0,0001), VCL (72,1±1,3a vs
79,8±1,3b, p<0,0001), VAP (40,8±0,7a vs 45,9±0,8b p<0,0001), ALH (3,3±0,1a vs 3,7±0,1b; p<0,0001), VR
(26,5±1,3a vs 34,9±1,5b; p<0,0001) e WOB (56,7±0,3a vs 57,06±0,3b, p= 0,0372), respectivamente para as
amostras avaliadas em lâmina e lamínula e na câmara Spermtrack®. Os resultados demonstram que a câmara de
análise exerce influência significativa sobre os resultados da cinética espermática avaliada por CASA. De uma
forma geral, menor percentual de células móveis e rápidas foi observado para as amostras do G2, resultados
provavelmente associados à pressão mecânica exercida pela lamínula que recobre os espermatozoides. Como a
câmara Spermtrack® possui altura de 20µm (superior ao tamanho médio da cabeça de um espermatozoide
bovino) não ocorre interferência no movimento espermático, justificando os resultados superiores apresentados
para a maioria dos parâmetros estudados.

Palavras-chave: sêmen bovino congelado, CASA, câmara de análise espermática.


Keywords: frozen-thawed bull semen, CASA, sperm chamber.

80
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Fertilidade do sêmen de bovinos da raça Pantaneiro criopreservados com Trolox


Fertility Pantaneiro breed cattle semen cryopreserved with Trolox

Fabiana Mariani Wingert1,*, Luciana Keiko Hatamoto Zervoudakis1, Luis Eduardo Senra e Silva1,
Alexandre Floriani Ramos2, Joanis Tilemahos Zervoudakis1, Moacir Ferreira Duarte Júnior1,
Pedro Paulo Tsuneda1, Ana Laísa Cândida de Resende Fraga1, Juliana de Oliveira Moraes1
1
FAMEV UFMT, Cuiabá, MT, Brasil; 2EMBRAPA/CENARGEN, Universidade Federal de Mato Grosso,
UFMT, Cuiabá, MT, Brasil.
*E-mail: fabianamw.veterinaria@gmail.com

No Brasil dentre as raças para produção de carne tem-se o zebuíno como base para o rebanho, contudo durante o
período de colonização os animais trazidos pelos Portugueses e Espanhóis foram sofrendo adaptações dando
origem a raças naturalizadas dentre elas a do bovino Pantaneiro, que hoje corre risco de extinção. Ainda que seja
de origem Européia, o Bovino Pantaneiro passou por séculos de adaptação e hoje a raça se destaca por estar
completamente adaptada as condições adversas da região do pantanal, além da sua resistência a ecto e
endoparasitas que afetam o desempenho reprodutivo do animal. No que diz respeito à criopreservação de sêmen,
sabe-se que uma das principais causas da redução da sua qualidade é o estresse oxidativo, sendo que os
processos de resfriamento e congelamento têm se mostrado deletérios à qualidade seminal. Neste sentido, a
adição de antioxidantes ao meio de congelação já foi demonstrada como uma forma de diminuir os danos
causados às células espermáticas, dentre eles a adição de vitamina E. Várias formas de vitamina E têm sido
empregadas no estudo da preservação seminal, seja a forma lipossolúvel (α-tocoferol) ou um análogo
hidrossolúvel (Trolox). que apresenta maior facilidade na diluição e preparo de soluções, objetivou-se avaliar se
a adição de Trolox no meio de congelamento diminui o estresse oxidativo e melhora a atividade mitocondrial do
sêmen criopreservado de touros da raça. Foram utilizados 7 touros Pantaneiros com idade média de 48 meses e
peso vivo médio de 606,1 ± 92,09 Kg, mantidos em pasto de Brachiaria brizantha cv. Marandú, recebendo
suplementação e água ad libitum, dos quais foi coletado sêmen por eletroejaculação e no momento da diluição
adicionado 10 mM de Trolox/20x106 espermatozóides. Após o descongelamento foi realizada a análise de
atividade citoquímica mitocondrial através de adição de 25 μL de DAB (3,3'-diaminobenzidina) em 25 μL de
sêmen e peroxidação lipídica espontânea (TBARS). O experimento foi realizado em delineamento inteiramente
casualizado, e as médias foram analisadas através da ANOVA e comparadas pelo teste de média de Tukey com
nível de significância de 5%. A adição de Trolox não apresentou efeito sobre o estresse oxidativo (Controle:
130,32 ± 10,08; Trolox: 98,42 ± 12,95), sendo que a dose utilizada pode ter inibido a sinalização de eventos
como a hiperativação e movimentação do espermatozóide. Também se observou que o Trolox, foi prejudicial à
atividade mitocondrial (P < 0,05) provavelmente porque eles neutralizaram as EROs que por sua vez não tiveram
concentração suficiente para estimular o metabolismo e a atividade das mitocôndrias do espermatozóide.
Contudo, vale ressaltar que a vitamina E está presente nas forragens e pode ter sido suprida pela forragem
consumida, tendo potencial para suplementação do meio com Trolox em situação de restrição alimentar.
Conclui-se que a adição de Trolox na concentração utilizada não diminuiu o estresse oxidativo e piorou a
atividade mitocondrial.

Palavras-chave: atividade mitocondrial, antioxidantes, estresse oxidativo.


Keywords: mitochondrial activity, antioxidants, oxidative stress.

81
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Termogramas por infravermelho da bolsa escrotal e características do sêmen em touros


Nelore, Bos taurus indicus
Infrared thermograms of the scrotum and semen characteristics in Nellore bulls, Bos taurus indicus

Camila Dutra de Souza1,*, Marcelo George Mungai Chacur1, Felipe Rydygier de Ruediger2, Isamara
Batata Andrade1, Júnia Souza Cartocci1, Guilherme Pepino Bastos1, Eunice Oba2, Alcides Amorim
Ramos2, Luis Roberto Almeida Gabriel Filho3, Fernando Ferrari Putti3, Camila Pires Cremasco3
1
Lab. Reprodução Animal, UNOESTE, Presidente Prudente, SP, Brasil; 2Dept. de Reprodução Animal e Radiologia
Veterinária, UNESP, Botucatu, SP, Brasil; 3Faculdade de Engenharia, UNESP, Tupã, SP, Brasil.
*E-mail: camiladutrasouza@hotmail.com

A termografia apresenta acurácia na mensuração da temperatura da pele da bolsa escrotal e existe uma alta
correlação entre a temperatura da pele da bolsa escrotal e as temperaturas dos cordões espermáticos, testículos e
epidídimos. Objetivou-se estudar a correlação da imagem termográfica da bolsa escrotal e dos fatores climáticos
com as características seminais, concentração de testosterona e temperatura retal em touros Nelore, criados
extensivamente. Oitenta touros da raça Nelore com idade média de 60 meses foram submetidos à colheita de
sêmen por eletroejaculação (Eletroejac®, Neovet) e sangue por venopunção jugular (Vacutainer®) para dosagem
de testosterona por RIA (Cout a Count®, USA); capturadas imagens termográficas (E40®, Flir) da bolsa escrotal
e aferição da temperatura retal. Os fatores climáticos: WGBT (temperatura do bulbo negro), temperatura
ambiente, temperatura do globo (radiação térmica) e umidade relativa do ar, foram mensurados com um
termômetro de globo (TG 1000®, Instrucom). Os termogramas do escroto foram processados (Flir Tools®, Flir)
e classificados: 1 (termograma satisfatório: padrão simétrico das bandas de temperatura decrescente ao longo do
escroto); 2 (termograma questionável: padrão assimétrico das bandas de temperatura ao longo do escroto) e 3
(termograma insatisfatório: bandas de temperatura com mesclas de pontos de calor). Os dados foram submetidos
à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5%. Realizaram-se correlações pelo
coeficiente de Pearson a 5%. As seguintes médias foram obtidas: volume testicular (708,19±158,15 cm3),
defeitos espermáticos menores (14,61±13,42%), maiores (8,92±6,67%) e totais (23,23±11,11%), WBGT
(21,86±0,26ºC), temperatura ambiente (32,90±1,17ºC), temperatura do globo (32,62±0,87ºC) e umidade relativa
do ar (19,04±3,63%). Não houve diferenças (P>0,05) entre as três classes de termogramas para a temperatura do
cordão espermático, testículo e cauda do epidídimo. Porém, o gradiente de temperatura escrotal, diferença entre a
temperatura do cordão espermático em relação à cauda do epidídimo diminuiu entre as imagens (satisfatório
4,25ºC; questionável 3,92ºC e insatisfatório 2,16ºC). Houve correlação entre os padrões de imagem termográfica
com: volume testicular (r=0,07; P<0,05), defeitos de peça intermediária (r=0,20; P<0,05) e gota proximal
(r=0,21; P<0,05). Houve correlação (P<0,05) da temperatura escrotal média (36,82±1,63ºC) com os defeitos
espermáticos menores, maiores e totais (r=0,12; 0,21 e 0,20, respectivamente). Houve correlação (P<0,05) da
temperatura retal (38,85±0,62ºC) com a temperatura ambiente, temperatura do globo e umidade relativa do ar
(r=0,25; 0,37 e -0,32, respectivamente). Não houve correlação (P>0,05) entre testosterona (210,34±94,63 µg/dL)
e os fatores climáticos. Conclui-se que a qualidade do sêmen sofre influência da termorregulação da bolsa
escrotal. Os fatores climáticos influenciam na temperatura retal e da bolsa escrotal. A termografia digital por
infravermelho deve ser utilizada como exame complementar na avaliação andrológica de touros, pois possibilita
identificar reprodutores com termorregulação escrotal mais adequada para a boa produção de sêmen.

Palavras-chave: termorregulação escrotal, touro zebu, termografia, temperatura ambiente.


Keywords: scrotal thermoregulation, zebu bull. thermography, environmental temperature.

82
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da adição de ciclodextrina carregada com colesterol sobre a qualidade do sêmen


congelado/descongelado de touros adultos da raça Nelore
Effect of addition of Cholesterol-loaded cyclodextrin on the quality of frozen/thawed semen of Nelore bulls

André Giarola Boscarato1, Leonardo Franco Martins1, Rogério Oliveira Pinho2,*, Yamê Fabres Robaina
Sancler da Silva3, Valmir Fernandes1, Henrique Jacques Lippi1, Nathalia Fernanda Franco Oliveira4,
Maria Augusta Dorigan Bondezan4, Silvio Henrique Ferreira Dias4, Caio Eduardo Philippsen4, Victor
Henrique Miquelanti4, Frederico Ozanam Papa3
1
Mestrado em Ciência Animal, UNIPAR, Umuarama, PR, Brasil; 2Departamento de Zootecnia, UFV, Viçosa, MG, Brasil;
3
Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária, UNESP, Botucatu, SP, Brasil; 4Departamento de Medicina
Veterinária, UNIPAR, Umuarama, PR, Brasil.
*E-mail: rogerio_op@yahoo.com.br

A perda de colesterol da membrana plasmática durante o processo de criopreservação de espermatozoides


bovinos pode causar uma capacitação prematura, reduzindo a viabilidade no trato reprodutivo feminino. A
adição de colesterol à membrana plasmática pode ajudar a minimizar estes efeitos deletérios. Neste experimento
avaliou-se o efeito da adição de ciclodextrina carregada com colesterol (CCC) previamente ao processo de
criopreservação do sêmen de touros adultos da raça Nelore, sobre os aspectos físicos, morfológicos e viabilidade
do sêmen congelado/descongelado. O ejaculado foi dividido em três frações: grupo controle e adição de 2mg e
3mg de CCC para cada 120x106 espermatozoides. As amostras congeladas/descongeladas foram avaliadas
quanto aos aspectos físicos e morfológicos sob microscopia óptica e a cinética espermática pelo sistema CASA
(Computer Assisted Sperm Analysis). Foram utilizadas as colorações supravital e de epifluorescência, e o teste
hiposmótico para a avaliação da integridade da membrana plasmática dos espermatozoides
congelados/descongelados. Houve diferença em relação aos valores médios dos defeitos maiores e totais, entre o
sêmen in natura e o congelado/descongelado (p < 0,05), porém não foi observada diferença entre os
tratamentos controle, adição de 2mg ou 3mg de CCC. As médias dos valores observados do teste supravital
para o sêmen congelado/descongelado foi 54,3 ± 9,5%, e não foram observadas diferenças entre os outros
tratamentos (p > 0,05). Não houve diferenças entre os tratamentos ao se analisar os resultados da coloração por
epifluorescência (p > 0,05), que teve uma média de 28,2 ± 6,7% de espermatozoides íntegros. Os valores médios
da cinética espermática analisada pelo sistema CASA foram: 63,0 ± 12,3% para a Motilidade total, 48,0 ± 9,4%
de Motilidade Progressiva, 58,9 ± 13,3% de espermatozoides rápidos, 71,2 ± 3,8 μm/s de velocidade linear
progressiva, 135,5±10,9 μm/s velocidade curvilínea e 85,1 ± 6,3 μm/s de velocidade média de trajeto. Também
não houve diferenças entre os tratamentos e entre touros para os valores da cinética espermática (p > 0,05).
Conclui-se com este trabalho, que a adição de CCC ao ejaculado in natura de touros da raça Nelore previamente
à criopreservação não melhora a qualidade do sêmen congelado/descongelado nas condições deste experimento,
pois não foram observadas diferenças estatísticas entre os tratamentos para os valores médios de todos os
parâmetros avaliados.

Palavras-chave: bovinos, CASA, criopreservação, membrana espermática, testes complementares.


Keywords: bovine, CASA, criopreservation, spermatic membrane, complementary tests.

83
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Altura do epitélio sensitivo do órgão vomeronasal de machos Nelore aos 30 meses de


idade com e sem bloqueio dos ductos incisivos
Height sensory epithelium of the vomeronasal organ of Nellore males at 30 months of age with and without
blocking the incisors ducts

Daniel Ottoni1,*, Lucas Luz Emerick1, Germán Arturo Bohórquez Mahecha2, Juliano Cesar Dias3,
Ticiano Guimarães Leite1, Jorge André Matias Martins4, Fabiano Alvim Barbosa1,
Venício José de Andrade1, Vicente Ribeiro do Vale Filho1, Cíntia Libéria Faria Santos1
1
EV, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil; 2ICB, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo
Horizonte, MG, Brasil; 3Universidade Federal da Fronteira Sul, Laranjeiras do Sul, PR, Brasil; 4Universidade Federal do
Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.
*E-mail: daniel.ottoni@hotmail.com.br

O órgão vomeronasal (OVN), estrutura tubular quimioreceptora do sistema olfatório acessório responsável pela
detecção de feromônios, está localizado na base do septo nasal e se comunica com a cavidade oral por meio do
ducto incisivo, que se abre no palato lateralmente à papila incisiva. Possui epitélio quimiorreceptor, que se
associa ao eixo hipotalâmico-hipofisário-gonadal, influenciando a liberação de GnRH, que controla a secreção
de LH e de esteroides. Contudo, a associação do OVN na secreção de esteroides depende da experiência sexual
prévia. O touro Nelore apresenta alta frequência de reflexo de flehmen (RF) e cheirar e lamber a genitália da
fêmea (CH/L) em testes de comportamento sexual, sugerindo que os estímulos olfatórios, através do OVN,
possuem elevada importância na ativação do comportamento sexual desses machos, já que o reflexo de flehmen é
um comportamento que facilita a condução de feromônios para este órgão. Com o intuito de verificar se o
bloqueio dos ductos incisivos altera o epitélio sensitivo do OVN, o objetivo deste estudo foi avaliar a altura do
epitélio sensitivo do OVN em machos Nelore aos 30 meses de idade, que tiveram os ductos incisivos bloqueados
aos 14 meses. Foram utilizados 11 animais, sendo quatro do grupo controle e sete dos animais com os ductos
incisivos bloqueados. O bloqueio dos ductos foi realizado pela cauterização bilateral utilizando-se termocautério.
Os animais foram abatidos para obtenção do OVN, a qual foi realizada por meio da transecção da cabeça do
animal, na altura do primeiro pré molar superior. Os OVN bilaterais foram armazenados em líquido de Bouin.
Os fragmentos obtidos das amostras do OVN foram incluídos em glicol metacrilato e os blocos foram
seccionados em ultramicrótomo, obtendo-se cortes de três milímetros de espessura, montados em lâminas
histológicas e corados pelo azul de toluidina-0,5% com borato de sódio a 1,0%. De cada fragmento foram
confeccionadas três lâminas com quatro cortes cada. A mensuração histomorfométrica do epitélio sensitivo do
OVN foi realizada utilizando-se microscopia de contraste de fase, sendo as imagens digitalizadas e medidas em
quatro pontos de diferentes campos, utilizando-se o programa de análise Motic Images Plus 2.0®. O
delineamento experimental foi inteiramente casualizado. A altura do epitélio sensitivo foi submetida a estatística
descritiva e apresentou distribuição normal, sendo realizada análise de variância e o teste “t” de Student. O nível
de significância foi de 5%. Os resultados estão expressos em média e desvio padrão. Os OVN direito e esquerdo
não apresentaram diferenças estatísticas e por isto foram avaliados em conjunto. Os animais com os ductos
incisivos bloqueados apresentaram menor altura do epitélio sensitivo do OVN (0,14 ± 0,03 versus 0,17 ± 0,03
mm) (P ≤ 0,05). Estes resultados sugerem que a cauterização dos ductos incisivos acarretou em redução da
entrada dos estímulos feromonais para o interior do OVN em machos Nelore, por meio do bloqueio dos ductos
incisivos. Conclui-se que o bloqueio dos ductos incisivos resulta em redução dos estímulos ao epitélio sensitivo
do OVN, com consequente hipotrofia dos mesmos.

Palavras-chave: experiência sexual, feromônios, Bos taurus indicus.


Keywords: sexual experience, pheromones, Bos taurus indicus.

84
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Padrão hormonal sanguíneo do hormônio anti-mülleriano em tourinhos Nelore:


dados preliminares
Blood hormonal pattern of anti-Mullerian hormone in Nelore bulls: preliminary dates

Luiz Carlos Cesar Costa Filho*, Gabriela Damasceno Jacques, Ellen Caroline Soligo, Alini Silva Peixoto,
Maria Inês Lenz Souza, Carmem Estefânia Serra Neto Zúccari, Eliane Vianna da Costa e Silva*

Grupo de Pesquisa em Reprodução Animal, GERA-MS/CNPq, Camo Grande, MS, Brasil.


E-mail: luizccesar@hotmail.com;eliane.silva@ufms.br

É sabido que durante a puberdade a expressão do hormônio anti-mülleriano (AMH) é negativamente regulada
por hormônios androgênicos, por exemplo, a testosterona, a qual aumentada suas dosagens à puberdade
correlaciona-se com a baixa do AMH sanguíneo. A dosagem do AMH vem sendo adotada como marcador da
puberdade precoce (AMH baixo) e da puberdade tardia (AMH alto) em humanos. Dessa forma é possível que o
AMH possa atuar como marcador biológico da puberdade precoce em tourinhos. A curva padrão de machos
bovinos não está estabelecida e o conhecimento desta é extremamente interessante para que se possa ter um
parâmetro clínico de comparação ã puberdade na raça Nelore sob condições de campo, bem como definir
horários de coleta, caso haja ritmicidade na liberação. O objetivo deste trabalho é estabelecer a ritmo biológico
de liberação do AMH em machos da espécie bovina. Realizou-se coletas sanguíneas em seis tourinhos Nelore, os
quais iniciaram o experimento com idade entre 10-11 meses de idade, com peso médio de 273,5 kg. As coletas
sanguíneas foram feitas por meio da punção da veia ou artéria coccígea, realizadas num intervalo de 24 horas,
intercaladas em 3 horas: 00:00, 03:00, 06:00, 09:00, 12:00, 15:00, 18:00 e 21:00 horas, perfazendo oito
amostras/animal no período. Logo após a coleta, as amostras foram centrifugadas a 3.000 rpm por 10 minutos, o
soro obtido foi identificado, acondicionado em microtubos tipo eppendorf e armazenado em freezer a -18°C para
posterior dosagem de AMH por meio de Kit ELISA comercial Bovine AMH ELISA (ANSHLABS®). Os dados
foram avaliados por análise de variância de uma via e as médias comparadas por teste de Duncan a 5%. Os
valores encontrados para as dosagens do AMH foram: 15,293 ± 7,618; 14,840 ± 6,189; 13,632 ± 5,825; 14,874 ±
6,546; 15,592 ± 7,222; 15,775 ± 8,045; 13,872 ± 6,192; 15,142 ± 6,503 ng/mL nos horários 00:00, 03:00, 06:00,
09:00, 12:00, 15:00, 18:00 e 21:00 horas, respectivamente. A análise de variância não revelou efeito significativo
de horário (P>0,05), não caracterizando ritmicidade biológica de liberação hormonal, mostrando então a
possibilidade de coleta dos animais para dosagem sorológica do AMH a qualquer momento do dia sem
interferência nos resultados das dosagens hormonais.

Palavras-chave: biomarcador, precocidade sexual, ritmo biológico.


Keywords: biological marker, sexual precocity, biological rhythms.

85
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação comparativa das características biométricas e parâmetros espermáticos entre


testículos e epidídimos direitos e esquerdos de touros zebuínos
Comparison of biometrics and sperm parameters between right and left testicles and epididymis of zebu bulls

Melina Andrea Formighieri Bertol1,*, Romildo Romualdo Weiss1, Tacia Bergstein1, Ana Cláudia
Machinski Rangel de Abreu2, Luiz Ernandes Kozicki2
1
Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil. 2Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, PR, Brasil.
*E-mail: melbertol@hotmail.com

A capacidade reprodutiva de touros é um dos principais fatores que interferem no aumento da produtividade e
consequentemente no sucesso da bovinocultura de corte. O estudo da fisiologia e morfologia dos órgãos do
aparelho genital masculino além da eficiente produção de gametas nos testículos, bem como o armazenamento
adequado nos epidídimos são pontos fundamentais para garantir boa fertilidade de um reprodutor. O presente
estudo teve como objetivos comparar os testículos e epidídimos direitos e esquerdos de touros, quanto à
dimensão, peso e parâmetros espermáticos (motilidade, morfologia e concentração), além de verificar a
correlação entre o peso do testículo e a reserva espermática no epidídimo. Foram utilizados 10 touros em
atividade sexual da raça Tabapuã, entre 36 e 84 meses de idade, submetidos à orquiectomia bilateral com
anestesia local, e após a remoção dos testículos e epidídimos esses foram divididos em dois grupos conforme sua
localização anatômica em direitos e esquerdos (n=10). Após limpeza de restos de sangue com solução fisiológica
aquecida e secção da porção proximal do cordão espermático, os órgãos foram pesados em balança digital e suas
dimensões (altura, largura e comprimento) foram mensuradas através do uso de uma fita métrica. O epidídimo
foi cuidadosamente liberado do testículo com auxílio de tesoura e bisturi, e procedeu-se a colheita de
espermatozoides diretamente da cauda do epidídimo através da técnica de fluxo retrógrado conforme descrito
por Bertol, 2012. Após a colheita as amostras de sêmen foram avaliadas em microscopia ótica para determinação
do percentual de células móveis, vigor, defeitos morfológicos dos espermatozoides através da contagem de 200
células (Blom, 1973) e concentração espermática em câmara de neubauer. A avaliação estatística dos dados foi
realizada pela análise de variância (ANOVA), com nível de significância (p<0,05) através do software StatView
(SAS Institute Inc., Cary, NC, EUA). Os resultados encontrados na mensuração do peso foram em média:
testículos direitos 275,4g e testículos esquerdos 265,7g, epidídimos direitos 34,7g e epidídimos esquerdos 33,7g.
O comprimento, largura e altura testicular foram semelhantes, independente da posição anatômica no animal
(P>0,05). No que diz respeito aos parâmetros espermáticos, os valores médios encontrados para os lados direito
e esquerdo foram, respectivamente: motilidade total 63,5 e 62,5%, vigor 4,6 e 4,5, total de defeitos morfológicos
14,7 e 16,8% e concentração por mL de 243,75x106 e 254,25x106, não diferindo entre si (P>0,05). Isso demostra
que o par de testículos e epidídimos em um reprodutor bovino atua de forma análoga na produção e
armazenamento de gametas. Na relação da concentração espermática por mL com o peso testicular, o valor
encontrado na análise dos dados demonstrou correlação negativa, moderada e não significativa (r=0,20; P>0,05)
entre os parâmetros. Conclui-se que ambos os testículos e epidídimos (direito e esquerdo) de um indivíduo,
possuem dimensões e peso semelhantes e mantêm uma produção de gametas com motilidade, vigor, morfologia
e concentração similares. Além disso, nesse estudo pode-se observar baixa correlação da concentração
espermática recuperada diretamente no epidídimo com o peso testicular em gramas.

Palavras-chave: touro; sêmen; testículo, epidídimo.


Keywords: bull, sperm, testicles; epididymis.

86
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Evolução da circunferência escrotal em touros da raça Sindi


Evolution of scrotal circumference in bulls Sindi

Rayra Rego Ramos Pereira1, Lucélia Karoline Gonçalves Barbosa1, Lucas Aquino Rodrigues1, Leandro
Lopes Queiroz1, João Marcos Silva Santos1, José Alcides De Castro Machado Ribeiro1, Deborah Martins
Mota Takaki1, Diogo Dias Reis1, Juliana Guedes Leite1, Fernanda Almeida Rodrigues1,
Danillo Velloso Ferreira Murta2,*, Lorena Catalina Martinez Rodriguez2
1
Graduando de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil;
2
Docente de Medicina Veterinária, Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros, MG, Brasil.
*E-mail: danillo.murta.vet@gmail.com

Nos mamíferos, o crescimento das gônadas está associado à secreção de esteroides, e a circunferência escrotal
(CE) apresenta correlação significativa com idade à puberdade. Fêmeas de raças cujos touros têm CE mais
desenvolvida possuem melhores índices de fertilidade e são mais precoces sugerindo que medidas testiculares
constituem parâmetros que podem auxiliar no processo de melhoria da eficiência reprodutiva dos rebanhos,
dessa maneira, as interações entre medidas testiculares, peso corporal e a circunferência escrotal tem sido
utilizada em programas de seleção para precocidade sexual. Sendo assim, este estudo objetivou avaliar a
evolução da circunferência escrotal em touros da raça Sindi contemporâneos em duas faixas etárias. Foi utilizado
um grupo de touros com coletas realizadas em dois tempos, onde foram avaliados, em cada momento, o peso
corporal, a produção espermática e as circunferências escrotais dos indivíduos de cada grupo. Verificou-se que
os touros com idade média de 13 meses apresentaram peso médio de 384,67 kg e circunferência escrotal média
de 32,5 cm. Na segunda coleta, os mesmos indivíduos já com idade média de 25 meses apresentaram peso médio
de 494 kg e circunferência escrotal média de 38 cm. Os valores de CE e peso apresentaram diferenças
significativas entre os dois grupos nas diferentes faixas etárias. Em função da idade, relacionando-a com o peso
corporal e circunferência escrotal dos animais, conclui-se que o perímetro escrotal dos touros Sindi assemelha-se
as medidas citadas dos taurinos, que se destacam no quesito precocidade quando comparados as raças zebuínas.
Além disso, os animais proporcionaram desenvolvimento significativo de peso quando mantidos em um sistema
especial de confinamento, oferecendo condições para expressar seu potencial genético, sendo capazes de atingir
maior peso em menor tempo e iniciar a vida reprodutiva precocemente.

Palavra chave: circunferência escrotal, desenvolvimento testicular, Sindi.


Keywords: scrotal circunference, development testicular, Sindhi.
 

87
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Proteínas do plasma seminal e índice de fertilidade a campo em touros jovens Guzerá


Seminal plasma proteins and field fertility rate in young Guzerat bulls

Juliano Cesar Dias1,*, Lucas Luz Emerick2, Jorge André Matias Martins3, Venício José de Andrade2,
Vicente Ribeiro do Vale Filho2
1
Universidade Federal da Fronteira Sul, Laranjeiras do Sul, PR, Brasil; 2Universidade Federal de Minas Gerais,
Belo Horizonte, MG, Brasil; 3Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.
*
E-mail: julianocdias@yahoo.com.br

As proteínas do sêmen dos animais são de origem testicular, epididimária e de glândulas sexuais acessórias, e
têm como funções básicas a modulação da maturação espermática pós-testicular, auxiliar na capacitação e reação
acrossômica, atuar no transporte espermático e no processo de fertilização no trato reprodutor feminino. O
presente estudo objetivou buscar associação das concentrações de proteínas do plasma seminal (PPS) e das
proteínas do plasma seminal com afinidade a heparina (PPAH) na fertilidade de touros jovens Guzerá. Foram
utilizados sete touros com idades variando de 24 a 34 meses, avaliados andrologicamente. O sêmen após ser
coletado por eletroejaculação foi imediatamente resfriado; para cada touro foi coletado um mililitro de sêmen
para as análises das proteínas, diluído em solução tampão contendo inibidores de protease na proporção de 1:1,
sendo o restante da amostra submetida a criopreservação para o teste de fertilidade a campo. As concentrações
de PPS e PPAH foram avaliadas utilizando-se dos procedimentos bioquímicos de dosagem de proteínas,
estabelecendo-se o perfil cromatográfico destas. As amostras de proteínas do plasma seminal foram submetidas
inicialmente a uma coluna de Superose-12, em sistema de cromatografia líquida de desempenho rápido (FPLC),
para verificação das diferentes frações de proteínas presente no material analisado. Com base na faixa de peso
molecular mais descrita na literatura (entre 10 e 60 kDa), optou-se pela utilização do material da fração três de
proteínas do plasma seminal (entre 25 a 31 minutos de retenção, que correspondem as proteínas de 33 a 11 kDa)
para ser aplicado em uma coluna de afinidade a heparina. Foi criopreservado um número variável de 20 a 25
doses por animal, com aproximadamente 80 x 106 espermatozoides na palheta. Para verificar o efeito da
concentração de proteínas do sêmen na fertilidade, realizou-se a inseminação artificial em fêmeas azebuadas
multíparas (n = 73), separando os animais em touros com alta (≥ 60% prenhez) e baixa (< 60% prenhez)
fertilidade. A taxa de prenhez foi comparada pelo método do qui-quadrado, e as médias das concentrações de
PPS e das PPAH comparadas pelo teste de Tukey, com nível de significância de 5%. A concentração de PPS
variou de 2,86 a 42,52 mg/ml, mostrando grande variabilidade entre os touros. As médias das concentrações das
PPS dos touros com alta e baixa fertilidade foram, respectivamente, 14,00 ± 19,12 e 12,13 ± 5,56 mg/ml. Já a
concentração de PPAH variou de 0,01 a 0,15 mg/ml. As médias das concentrações de PPAH foram de 0,08 ±
0,05 e 0,05 ± 0,05 mg/ml para os touros de alta e baixa fertilidade, respectivamente. A taxa de prenhez verificada
foi de 65,8 ± 7,9% para os touros de alta fertilidade e 43,8 ± 11,1% para os animais de baixa fertilidade, com
diferença entre os grupos (p<0,05). Não foram verificadas diferenças (p>0,05) nas concentrações de PPS e
PPAH de touros Guzerá, conforme a taxa de prenhez. A ausência de diferença entre os grupos de proteínas nos
animais de alta e baixa fertilidade encontradas pode ser devido a alta variabilidade entre as concentrações de
proteínas nos grupos avaliados e, ainda, ao fato de ter trabalhado com grupos de proteínas e não com proteínas
específicas, que segundo a literatura estariam ligadas a fertilidade dos animais. As concentrações de proteínas
do plasma seminal e de proteínas do plasma seminal com afinidade a heparina não influenciaram o índice de
fertilidade de touros jovens Guzerá.

Palavras-chave: andrologia, fertilidade, proteínas do sêmen, zebu.


Keywords: andrology, fertility, semen proteins, zebu.

88
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Comportamento sexual de touros Nelore aos 24 meses de idade, com os


ductos incisivos bloqueados
Sexual behavior in Nellore bulls at 24 months old, with blocked incisors ducts

Lucas Luz Emerick1,*, Germán Arturo Bohórquez Mahecha2, Juliano Cesar Dias3,
Ticiano Guimarães Leite1, Jorge André Matias Martins4, Fabiano Alvim Barbosa1,
Venício José de Andrade1, Vicente Ribeiro do Vale Filho1, Cíntia Libéria Faria Santos1,
José Mauro de Carvalho Andrade Júnior1
1
EV, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil; 2ICB, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo
Horizonte, MG, Brasil; 3Universidade Federal da Fronteira Sul, Laranjeiras do Sul, PR, Brasil; 4Universidade Federal do
Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.
*E-mail: lucaslemerick@yahoo.com.br

Comportamentos sexuais como o ato de cheirar a genitália da fêmea ou o reflexo de Flehmen estão associados à
condução de substâncias feromonais para o interior do sistema olfatório principal e acessório. A captação
periférica do sistema principal é dada pela mucosa olfatória situada na cavidade nasal, já a captação periférica do
sistema acessório é realizada pelo órgão vomeronasal (OVN). Este órgão possui estrutura tubular
quimiorreceptora e está localizado na base do septo nasal que se comunica com a cavidade oral por meio do
ducto incisivo. Ambas as estruturas do sistema olfatório fazem conexões com a região hipotalâmica. O OVN
influencia a secreção de GnRH, de maneira dependente da experiência sexual prévia. O touro Nelore apresenta
alta frequência de reflexo de Flehmen e de cheirar e lamber a genitália da fêmea em testes de comportamento
sexual, sugerindo que os estímulos olfatórios, possuem elevada importância na ativação do desejo sexual desses
machos. O objetivo deste estudo foi avaliar o comportamento sexual de touros Nelore aos 24 meses , com os
ductos incisivos bloqueados, aos 14 meses de idade. Foram utilizados 21 animais, sendo 11 do grupo controle e
10 com os ductos incisivos bloqueados. O bloqueio dos ductos foi efetuado pela cauterização bilateral
utilizando-se termocautério. O teste de comportamento sexual foi realizado em curral e em dupla, e teve duração
de cinco minutos. Quanto ao escore da libido (ESCL) os animais foram classificados em quatro categorias:
escore 0 = sem interesse sexual; escore 1 = cheirar e lamber a genitália da fêmea (CH/L) e/ou reflexo de
Flehmen (RF); escore 2 = impulso de monta e/ou tentativa de monta; escore 3 = monta abortada e/ou completa.
O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, com as médias sendo comparadas como
dados não paramétricos pelo teste de Mann Whitney. O nível de significância foi de 5%. Os animais com os
ductos incisivos bloqueados apresentaram menor prevalência de RF (valores expressos em mediana, 3 versus 5)
(P ≤ 0,05), maior CH/L (6,5 versus 1) e semelhante ESCL (1,5 versus 2) (P ≥ 0,05) que os animais controle.
Estes resultados sugerem que o aumento de CH/L nos animais com ductos incisivos bloqueados foi uma
tentativa olfatória de compensar a redução do RF. A justificativa para esta hipótese é o fato de, que nas
amígdalas e na área pré óptica medial do hipotálamo, os dois sistemas olfatórios se comunicam, como
previamente descrito em camundongos. Conclui-se que touros da raça Nelore, com 24 meses de idade, adquirem
experiência sexual, mesmo com os ductos incisivos bloqueados, e que CH/L e RF são estímulos olfatórios que
conduzem a mesma resposta no comportamento sexual de animais sexualmente maduros.

Palavras-chave: comportamento sexual, epitélio neuro sensitivo, órgão vomeronasal, sistema olfatório
acessório, Bos taurus indicus.
Keywords: sexual behavior, neuro sensory epithelium, vomeronasal organ, accessory olfactory system, Bos
taurus indicus.

89
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Classificação de alterações cromatínicas espermáticas em microscopia eletrônica de


transmissão
Classification of sperm chromatin alterations in transmission electron microscopy

Paulo Henrique Mazzutti Alves1,*, Sara Hissae Hiraiwa2, Alexsandra Alves Bezerra Martins2,
Marcelo Emílio Beletti2
1
Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias (PPGCV), UFU, Uberlândia, MG, Brasil; 2Instituto de Ciências
Biomédicas (ICBIM), UFU, Uberlândia, MG, Brasil.
*E-mail:mazzutti@gmail.com

O espermatozoide é a célula responsável pelo transporte do material genético masculino até o oócito. Seu
processo de formação envolve a substituição de histonas por protaminas, que se ligam ao DNA para formar uma
estrutura mais compacta e protegida, a cromatina. Problemas durante esse processo podem levar a alterações na
estabilidade desta e prejudicar a fertilidade do animal. Técnicas como o SCSA (sperm chromatin structure
assay), SBH (sperm bos halomax) e coloração por azul de toluidina permitem a identificação das alterações na
cromatina espermática utilizando-semicroscopia de luz ou citometria de fluxo, fornecendo dados quantitativos
médios para um indivíduo. A microscopia eletrônica de transmissão também é um método para avaliação da
cromatina capaz de mostrar detalhes não visualizados em microscopia óptica. A contrastação, especialmente com
acetato de uranila, um sal de metal pesado (urânio) que se liga aos ácidos nucleicos, permite o desvio do feixe de
elétrons produzido pelo microscópio eletrônico formando a imagem. Objetivou-se neste trabalho classificar as
alterações da cromatina avaliadas em microscopia eletrônica de transmissão. Touros mestiços submetidos à
degeneração testicular induzida por insulação escrotal durante dois dias através de manta de algodão envolvida
com saco plástico de parede dupla fixados com fita adesiva foram submetidos a coletas de sêmen semanais
durante sessenta e três dias. As amostras coletadas foram processadas conforme protocolo do departamento de
microscopia eletrônica do ICBIM (UFU) e avaliadas em microscópio eletrônico de transmissão Zeiss EM 109
com sistema de captura de imagem digital modelo Olympus MegaView V. As imagens obtidas foram avaliadas e
a cromatina classificada em seis categorias: compactada (0), em que toda área apresenta-se negra; muito leve (1),
com a presença de uma única pequena área levemente mais clara ou um ponto de muita descompactação; leve
(2), com a presença de poucos pontos de descompactação ou algumas áreas levemente mais claras; moderada
(3), com a presença de vários pontos de descompactação bastante claros ou grandes áreas levemente mais claras;
grave (4), em que pelo menos 50% da área visível da cromatina estão bastante claras; e muito grave (5), em
situações que a cromatina está bastante clara e, portanto totalmente descompactada. A avaliação da cromatina em
microscopia eletrônica fornece detalhes não visualizados em outras técnicas e o resultado da sua classificação
ainda deve ser utilizado para comparações com os demais métodos de avaliação de cromatina, com resultados de
testes de fertilidade e na produção in vitro de embriões.

Palavras-chave: esperma, bovino, estabilidade cromatínica, integridade cromatínica.


Keywords: sperm, bovine, chromatin stability, chromatin integrity.

Agradecimentos: à FAPEMIG pelo apoio financeiro.

90
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Influência da descompactação e heterogeneidade da cromatina espermática sobre a


produção in vitro de embriões bovinos
Influence of decompaction and heterogeneity of sperm chromatin on in vitro embryo production in cattle

Marcelo Emilio Beletti1,*, Sara Hissae Hiraiwa1, Lays Oliveira Rocha2, Alexsandra Alves Bezerra
Martins2, Paulo Henrique Mazzuti Alves2, Aline Costa de Lucio1, Bruno Augusto Nassif Travençolo3
1
Instituto de Ciências Biomédicas, UFU, Uberlândia, MG, Brasil; 2Faculdade de Medicina Veterinária Ciências Veterinária,
UFU, Uberlândia, MG, Brasil; 3Faculdade de Computação, UFU, Uberlândia, MG, Brasil.
*E-mail: mebeletti@ufu.br

Geralmente a fertilidade do reprodutor macho bovino é avaliada pelo espermograma de rotina. No entanto, a
fertilidade do macho não se caracteriza apenas pelo processo de fecundação do ovócito, mas também por dar
condições do embrião se desenvolver adequadamente. Alterações de cromatina espermática normalmente não
são avaliadas no espermograma e são comprovadamente causas de morte embrionária precoce. Por isso, estas
alterações tem se caracterizado como importante fator a ser considerado na avaliação destes reprodutores. Dentre
muitas técnicas existentes para avaliação cromatínica está a coloração com azul de toluidina seguida por análise
de imagem computacional. Nesta técnica são determinados os índices de heterogeneidade e de descompactação
médios dos espermatozoides da amostra de sêmen avaliada. Objetivou-se com o presente trabalho verificar a
influência da descompactação e da heterogeneidade da cromatina espermática sobre a produção in vitro de
embriões bovinos. Foram realizadas 22 rotinas de produção in vitro de embriões utilizando sêmen de touros
reconhecidamente subférteis, sendo utilizados em média 200 oócitos por rotina, retirados de ovários oriundos de
frigorífico. Foram calculadas a porcentagem de oócitos que entraram em clivagem e a porcentagem de oócitos
clivados que chegaram a blastocistos morfologicamente normais. Posteriormente, foram calculados os
coeficientes de correlação de Pearson entre as variáveis avaliadas. Apenas a correlação entre a heterogeneidade e
a clivagem (r=-0,59) foi estatisticamente significante (p<0,05). Esta correlação negativa demonstra que
cromatina heterogênea interfere na capacidade de fecundação dos espermatozoides, porém não no
desenvolvimento embrionário até blastocisto. A ausência de correlação significativa entre as porcentagens de
clivagem e de blastocisto e a taxa de descompactação média dos espermatozoides das amostras de sêmen
utilizadas demonstra que esta característica seminal não é boa opção para identificar touros subférteis. Comitê de
ética: CEUA/UFU 031/12.

Palavras-chave: cromatina espermática, análise de imagem computacional, produção in vitro de embriões.


Keywords: sperm chromatin, computational image analysis, in vitro embryo production.

Agradecimentos: FAPEMIG.

91
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação ultrassonografia da ecogenicidade do parênquima testicular em touros da


raça Nelore
Echogenecity evaluation of the testicular Parenchyma in Nellore bulls

Antonio Matos Fraga Junior1,*, Rafael de Mesquita Pereira2, Hilderley de Almeida Santos2,
Kerly Priscila de Santana Vieira Santos2, Eraldo Fredson Lopes Carinhanha2,
Emerson Israel Mendes2, Heder Nunes Ferreira2, Gustavo Ferrer Carneiro1
1
Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal Tropical, Recife,
PE, Brasil; 2Faculdade Pio Décimo, Aracaju, SE, Brasil.
*E-mail: fragaam@gmail.com

A bovinocultura de corte vem apresentando cada vez mais um fortalecimento no país e no mundo, neste contexto
os reprodutores são de fundamental importância na produtividade final do sistema. Tanto em monta natural
quanto em programas de inseminação artificial ou outras biotécnicas da reprodução, os machos são os principais
responsáveis pelo melhoramento genético do rebanho por ser passível de maior pressão de seleção. Assim, a
escolha de um reprodutor deve estar baseada em sua produção, avaliando-se o teste de progênie, e também
através da realização de um exame clínico-andrológico minucioso. O exame ultrassonográfico dos testículos é
um método não invasivo e rápido, que, aliado aos dados de exame clínico, pode conduzir ao diagnóstico precoce
de desordens desse órgão. Sendo assim, instituir valores aos diferentes tons da escala de cinza possibilita a
determinação quantitativa do padrão de normalidade para a ecogenicidade do parênquima testicular. O
experimento foi realizado em três fazendas na região centro-sul do estado Sergipe. Foram realizados exames
ultrassonográficos dos testículos de 40 bovinos hígidos da raça Nelore com 36±6,7 meses de idade, criado em
sistema extensivo com suplementação de sal mineralizado. Os exames ultrassonográficos foram realizados com
aparelho KX2600 VET, ligado a um transdutor linear multifrequencial de 4,5 a 7 MHz. Após contensão dos
animais em tronco e aplicação de gel acústico diretamente sobre o escroto, foram realizadas varreduras em
planos transversais e longitudinais nos testículos direito e esquerdo. Com o auxílio do software EIV, foram
selecionadas duas regiões de interesse (RI) em cada plano de varredura nos testículos direito e esquerdo. Cada RI
foi delimitada por um quadrado de 6 mm de lado, e elas foram localizadas lateral e medialmente ao mediastino
testicular no plano transversal, e no polo ventral e dorsal do testículo, excluindo-se o mediastino testicular, no
plano longitudinal. As RI contiveram o máximo de parênquima testicular, sem englobar pele, túnicas, epidídimo
e o mediastino testicular. Automaticamente o software EIV calculou a ecogenicidade do parênquima testicular
nas RI, em uma escala que variou de zero a 100%, sendo 0% para uma imagem totalmente preta ao monitor
(parênquima testicular menos ecogênico), e 100% para uma imagem totalmente branca (parênquima testicular
mais ecogênico). Também por meio do software EIV foram feitas as aferições da espessura do mediastino
testicular, sempre no plano longitudinal de varredura dos testículos. As análises estatísticas dos dados
apresentados foram realizadas de acordo com o programa SPSS for Windows 11, através da comparação
múltipla das médias pelo método de Bonferroni. O padrão ultrassonográfico do parênquima testicular dos
animais deste estudo mostrou-se homogêneo e com baixa ecogenicidade (Transversal: 52,48±6,85, Longitudinal:
48,76±4,56). Apenas três animais apresentaram parênquima testicular heterogêneo Transversal: 71,25±4,35,
Longitudinal: 70,43±3,60) com múltiplos pontos hiperecóicos que não produziam sombra acústica, estes
testículos não tinham alterações de tamanho, forma, posição, simetria, mobilidade, consistência e sensibilidade.
Conclui-se que a ultrassonografia é uma ferramenta eficaz para predizer as modificações ou alterações do
parênquima testicular, facilitando um diagnóstico precoce de alterações testiculares.

Palavras-chave: andrologia, bovinos, Nelore, parênquima testicular.


Keywords: andrology, bovine, Nellore, testicular parenchyma.

92
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da suplementação de caroço de algodão na qualidade seminal de touros Nelore


Cotton seed supplementation effect on semen quality of Nelore bulls

Antonio Henrique Kuczmarski3,*, Luciana Keiko Hatamoto Zervoudakis2, Pedro Paulo Tsuneda1,
Fabiana Mariani Wingert1, Ana Laísa Cândia de Resende Fraga1, Moacir Ferreira Duarte Júnior1,
Luis Eduardo Senra e Silva1, Juliana de Oliveira Moraes3
1
Programa de Pós Graduação em Ciência Animal, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, MT, Brasil;
2
Departamento de Clinica Médica Veterinária, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, MT, Brasil;
3
Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, MT, Brasil.
*E-mail: ah.kucz@gmail.com

A nutrição animal representa os maiores gastos para o produtor pecuário, cerca de 75% dos custos. A utilização
de coprodutos da agroindústria na dieta pode ser uma forma de diminuir os custos com a dieta dos animais, sem
interferir na produção e reprodução. O caroço de algodão é o coproduto resultante do descaroçamento, cujo
objetivo é a retirada da pluma, principal produto de interesse do cultivo do algodão. O uso desse coproduto na
dieta de bovinos reduz o impacto ambiental, transformando um resíduo da agroindústria em proteína animal de
alto valor biológico, diminuindo os custos da dieta. Porém, o gossipol, uma toxina de ocorrência natural na
planta do algodão, pode ser o fator limitante da sua utilização em dietas de bovinos por estar relacionada às
patologias do sistema reprodutor de machos suplementados. Desta forma, objetivou-se avaliar o efeito da
suplementação com caroço de algodão na qualidade seminal de touros Nelore. No experimento foram utilizados
40 reprodutores da raça Nelore com idade média de 30 meses e peso vivo médio de 472±23,23 Kg, pertencentes
ao setor de Bovinocultura de corte da fazenda experimental da Universidade Federal de Mato Grosso, município
de Santo Antônio do Leverger-MT, criados em sistema semi-intensivo, distribuídos aleatoriamente em esquema
fatorial com dois níveis de caroço de algodão. Para cada suplemento foram sorteados dois lotes de cinco animais
cada, sendo cada lote alocado em um piquete de 1,45 há cobertos uniformemente com Brachiaria brizantha cv.
Marandú, providos de bebedouros e cochos cobertos para fornecimento do suplemento que permitem acesso
simultâneo de todos os animais. No primeiro dia e a cada 10 dias foram realizadas coletas de amostras de
forragem para a estimação da massa de forragem, matéria seca potencialmente digestível (MSpd). A
suplementação teve duração de 84 dias, sendo realizada a coleta seminal no dia 85 do experimento. Os
suplementos foram fornecidos diariamente às 10 horas, em quantidades equivalentes a 4 kg por animal com base
a matéria natural, representando oferta de 0,75% de peso corporal médio dos animais. Foi coletado um ejaculado
de cada reprodutor, através do método de eletroestimulação, em seguida foram realizados os exames imediatos
(vigor e motilidade) do ejaculado. As análises laboratoriais foram realizadas no Laboratório de Reprodução
Animal da Universidade Federal de Mato Grosso, sendo avaliados a concentração (1/100), a morfologia
(contraste de fase), a integridade de membrana (eosina-nigrosina) e integridade acrossomal (coloração rosa-
bengala). O experimento foi realizado em delineamento inteiramente casualizado, para as variáveis paramétricas
os dados foram analisados através da ANOVA e comparados pelo teste de Tukey. As variáveis não paramétricas
foram avaliadas pelo teste de Wilcoxon. Os dados foram analisados com nível de significância de 5%, o
programa estatístico utilizado foi o SAS (versão 9.2). Nos resultados das variáveis estudadas, a motilidade (%), o
vigor, a concentração, integridade acrossomal e integridade de membrana não sofreram alterações com o uso do
caroço de algodão na suplementação (P>0,05). Portanto, de acordo com os resultados obtidos, pode-se concluir
que a suplementação com caroço de algodão na dieta dos animais, em substituição do milho, não alterou os
parâmetros seminais.

Palavras-chave: gossipol, patologia, fertilidade.


Keywords: gossipol, pathology, fertility.

93
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Infrared thermography to evaluate the climate effects on sperm traits in Brangus bulls
Utilização da técnica de termografia infravermelho para avaliação dos efeitos do clima nas características
seminais de touros da raça Brangus

Silvio Renato Oliveira Menegassi1,*, Gabriel Ribas Pereira1, Eduardo Antunes Dias1, Carolina Bremm2,
Celso Koetz Jr.3, Flavio Guiselli Lopes3, Eneder Rosana Oberst4, Rubia Branco Lopes1, Marcela
Kuczynski da Rocha1, Helena Robattini Carvalho1, Julio Otavio Jardim Barcellos1
1
Animal Science Department, UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil; 2Animal Production Department, FEPAGRO, Porto Alegre,
RS, Brasil; 3Animal Reproduction Laboratory, UNOPAR, Arapongas, PR, Brazil; 4Clinical Pathology Department, UFRGS,
Porto Alegre, RS, Brasil.
*
E-mail: programa.paat@gmail.com

The successful evaluation of seasonal effects on thermoregulation and reproductive changes is crucial to identify
these alterations in bovine physiology and health. The increased frequency of extreme weather events eventually
leads to reproductive failure in bulls due to heat stress. The objective of this study was to evaluate the seasonal
effects of the environment detected by temperature and humidity index (THI) on sperm quality in subtropical
region. We used 20 Brangus bulls (5/8 Angus x 3/8 Nellore) aged approximately 24 months. Semen were
collected from each bull using a automatic operated electro-ejaculator. Semen evaluation were performed twice
per season as follow: 10.29.2013 and 11.30.2013 (Spring); 01.20.2014 and 02.19.2014 (Summer); 05.20.2014
and 06.19.2014 (Autumn); and 07.11.2014 and 08.14.2014 (Winter). Climate THI data were collected hourly
from the automatic weather station from the National Institute of Meteorology (INMET). Thermograph images
were collected using a FLIR T300 infrared camera and thermograms were analyzed by FLIR QuickReport v.1.2
software to determine temperature gradient (TG). The seasonal effects on physiological variables [TG, ocular
temperature (OcT), rectal temperature (RT)], seminal variables [motility (M), major defects (MaD), minor
defects (MiD), total defects (TD)], and climatic variables (THI) were analyzed with GLM ANOVA using SAS.
Significance level was set as 5%. Sperm motility in spring, summer and autumn (60.1%, 57.6% and 64.5%,
respectively) showed difference only when compared to the winter season (73.0%; P<0.01). The TG was
negatively correlated with THI at 18 days (spermiogenesis) (-0.76; P<0.05) and at 12 days (epididymis transit)
(-0.85; P<0.01). OcT had a positive correlation with THI at 18 days (0.78; P<0.05) and at 12 days (0.84; P<
0.01). Motility showed a negative correlation with THI only at 18 days (-0.79; P<0.05). During spermiogenesis,
the TG had higher negative correlation with OcT (-0.97; P<0.01) than RT (-0.72; P<0.05). The TG decrease in
summer (2.1) compared to autumn (6.6), winter (4.4) and spring (3.6) (P<0.01). The increase of THI at 30 and
18 days prior to semen collection are related to decreased TG and increased OcT in the summer (P<0.01).
Spermatozoa with bent or coiled tail were strongly correlated with THI during transit epididymis (0.72;
P<0.05) but sperm morphology is not altered in the presence of higher THI. Seminal plasma parameters are not
affected when THI reaches 93 (spermiogenesis) and 88 (epididymis transit). The present study demonstrated that
infrared thermography can be adopted as an indirect method in order to assess the effect of environmental
changes in TG and OcT of Brangus bulls.

Keywords: environmental changes, semen quality, infrared thermography.


Palavras-chave: mudanças climáticas, qualidade seminal, termografia infravermelho.

94
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Parâmetros seminais de touros Nelore suplementados com caroço de algodão e glicerina


Seminal parameters of Nellore bulls supplemented with cottonseed and glycerin

Pedro Paulo Tsuneda1, Luciana Keiko Hatamoto-Zervoudakis1, Joanis Tilemahos Zervoudakis1,


Adriano Jorge Possamai1, Luis Eduardo Senra e Silva1, Moacir Ferreira Duarte Júnior1, Fabiana Mariani
Wingert1, Ana Laísa Cândida de Resende Fraga1, Rodrigo Delbem de Almeida2,
Juliana de Oliveira Moraes2
1
Programa de Pós Graduação em Ciência Animal, UFMT, Cuiabá, MT, Brasil; 2Graduação em Medicina Veterinária,
Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, MT, Brasil.
*E-mail: tsunedapedro@gmail.com

Os coprodutos agroindústriais, antes considerados um problema para a natureza, ressurgem demonstrando seus
potenciais. O caroço de algodão e a glicerina podem substituir alimentos tradicionais, reduzindo o custo com a
alimentação. Porem, o gossipol presente no caroço de algodão e o glicerol presente na glicerina podem causar
avarias na espermatogênese e nos parâmetros seminais. O objetivo do presente trabalho foi de avaliar se o caroço
de algodão e a glicerina usada na dieta interferem nos parâmetros seminais de touros da raça Nelore. Foram
utilizados 40 reprodutores da raça Nelore (Bos taurus indicus) com idade média de 30 meses e peso vivo médio
de 472±23,23 Kg, criados em sistema semi-intensivo, distribuídos em Grupo SP (animais consumindo
suplemento comum); CA (animais consumindo suplemento com caroço de algodão, contendo 50g/gossipol/dia);
GLIC (animais consumindo suplemento com 15% de glicerina em substituição da matéria seca) e CAGLIC
(animais consumindo suplemento com caroço de algodão contendo 50g/gossipol/dia e 15% de glicerina em
substituição a matéria seca da dieta). Para cada suplemento foram sorteados dois lotes de cinco animais/cada,
sendo cada lote alocado em um piquete de 1,45 ha cobertos uniformemente com Brachiaria brizantha cv.
Marandú, A suplementação teve duração de 84 dias, sendo disponiblizado 04 Kg/animal/dia com base a matéria
natural. Realizou-se a coleta seminal por eletroestimulação após 85 dias de suplementação. Os parâmetros
seminais analisados foram: motilidade (MOT) e vigor (VIG) espermáticos, concentração do ejaculado (CON),
integridade de membrana acrossomal (IMA) e integridade de membrana plasmática espermática (IMP). O
experimento foi realizado em delineamento inteiramente casualizado com esquema fatorial (2x2) de tratamento.
Para as variáveis paramétricas os dados foram analisados através da ANOVA e comparados pelo teste de Tukey.
As variáveis não paramétricas foram avaliadas pelo teste de Wilcoxon. Utilizou-se como nível de significância
5%. Nas variáveis: MOT, VIG, CON e IMA não houve influência dos tratamentos (P > 0,05), talvez o tempo de
administração do gossipol e glicerol na dieta não tenha afetado a funcionalidade dos túbulos seminíferos. A
integridade de membrana plasmática sofreu interferência negativa (P: 0,0156) pelo tratamento, CAGLIC (23,062
± 14,63) se comparado ao grupo GLIC e CA, (49,784 ± 17,60) e (48,039 ± 13,02), respectivamente. A interação
do gossipol e do glicerol, possivelmente alterou o perfil de acido graxos das membranas plasmáticas nos
espermatozoides ou causou a diminuição no aporte de lactato para o desenvolvimento das células germinativas
causando comprometimento da membrana plasmática. Concluímos que a inclusão de caroço de algodão e
glicerina na dieta de touros Nelore interferiu nos parâmetros seminais.

Palavras-chave: bovinos, fertilidade, resíduo de bio-diesel.


Keywords: bovines, fertility, coproducts of bio-diesel.

95
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da imunização anti-hormônio liberador de gonadotrofinas (GnRH) sobre o


desenvolvimento testicular e espermatogênese de bovinos pré púberes
Effect of immunization against gonadotropin-releasing hormone (GnRH) on testicular development and
spermatogenesis of prepubertal bull calf

Cristiano Silva Ferreira1,*, Kleber da Cunha Peixoto Junior1, Gustavo Mendes Gomes2,
Karoline Gil Brás1, André Maciel Crespilho1,2
1
Universidade de Santo Amaro, UNISA, São Paulo, SP, Brasil; 2Universidade Severino Sombra, USS, Vassouras, RJ, Brasil.
*E-mail: cristiano_ferr@hotmail.com

As diferentes técnicas convencionalmente empregadas para castração de bovinos provocam dor e estresse,
podendo gerar perdas de produtividade. Nesse contexto, métodos alternativos de castração como o uso vacinas
que promovem a inibição do hormônio liberador de gonadotrofinas (GnRH) tem se popularizado. Embora
diversos trabalhos tenham comprovado a eficácia da vacinação anti-GnRH para imunocastração de machos
bovinos adultos, questões como a reversibilidade dos efeitos clínicos da vacinação especialmente quando
utilizada em animais pré e peri púberes permanece sem uma definição clara na literatura. Este trabalho teve por
objetivo avaliar o efeito da imunização anti-GnRH sobre a espermatogênese e desenvolvimento testicular de
bezerros mestiços. Para o estudo foram selecionados 18 animais 1/2 sangue Holandês/Gir com idade média de 5
meses. Os animais foram divididos em 03 grupos: Controle (GC, n=6), animais inteiros não submetidos à
vacinação; Grupo Tratamento pré-púbere (G1, n=6), administração de 1 ml da vacina anti-GnRH Bopriva®/sc 1
vez ao mês por 3 meses; Grupo Tratamento peri-púbere (G2, n=6) tratamento iniciado apenas quando os animais
atingiram 10 meses de idade, na mesma dose e frequência do G1. Todos os bezerros foram avaliados
mensalmente através de punções aspirativas testiculares e exame clínico reprodutivo pelo período de 8 meses. Os
dados gerados foram avaliados por modelo linear geral (GLIMMIX, SAS®, Cary, USA). Não foram observadas
diferenças para o percentual de espermatogônias, espermatócitos primários, secundários, espermátides e células
de Sertolli comparando-se os 3 grupos experimentais durante os dois primeiros meses do estudo (p>0,05). No
entanto, menor número de espermatogônias foi observado após a 2ª aplicação de vacina nos animais do G1
(16,91a, 11,41b e 17,27a, respectivamente para os grupos GC, G1 e G2; p=0,0003) e posteriormente também para
os animais do G2 após a segunda vacinação (15,58ª, 11,58ab e 10,50b, respectivamente para GC, G1 e G2,
p=0,0287). O percentual médio de espermatogônias testiculares foi normalizado 3 meses após o término do
protocolo vacinal para o G1 e após 2 meses para o G2. A contagem de células de Sertolli foi superior para os
animais do G1 após a 2ª aplicação da vacina em comparação ao grupo controle (41,00a e 23,83b,
respectivamente; p<0,0001), elevação não observada após as vacinações do G2. Diminuição da consistência
testicular foi observada após a 2ª aplicação da vacina para ambos os grupos experimentais (p<0,05) havendo, no
entanto, recuperação do tônus fibroelástico 3 meses após o término da última aplicação. Não houve diferença na
circunferência escrotal quando comparados os animais dos 3 grupos (p>0,05). Além da diminuição do número
de células primordiais, a vacinação anti-GnRH foi responsável pelo aumento da proporção de células de
Sertolli/células espermatogênicas, sinal característico dos casos agudos de degeneração testicular. Em ambos os
grupos tratados foi comprovada à reversibilidade dos efeitos da vacina, não havendo nenhum benefício adicional
para a vacinação de animais jovens. Bezerros do G2 apresentaram normalização mais rápida do número de
espermatogônias testiculares e não apresentaram variação significativa na proporção de células de Sertolli,
resultados que sugerem uma maior resistência aos efeitos da imunocastração em comparação aos bezerros pré-
púberes.

Palavras-chave: imunocastração, GnRH, espermatogênese, bovinos.


Keywords: immunocastration, GnRH, spermatogenesis, cattle.

96
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação Andrológica de touros jovens partipantes do pré teste do programa de


melhoramento da raça Girolando
Young bulls Andrological review partipantes pre test Girolando breed improvement program

Marcos Brandão Dias Ferreira1,*, Beatriz Cordenonsi Lopes1, José Camisão de Souza2,
Marcello de Aguiar Rodrigues Cembranelli3, André Penido Oliveira1
1
EPAMIG, Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais, Uberaba, MG, Brasil; 2Departamento de Zootecnia, UFLA,
Lavras, MG, Brasil; 3Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, Uberaba MG.
*E-mail: marcos.ferreira@epamig.com

O Brasil possui o segundo maior rebanho bovino do mundo, sendo constituído na maioria por animais Bos
taurus indicus e seus cruzamentos, representando 80% ou mais do efetivo nacional. A raça Girolando se faz
muito importante neste contexto, pois é principal raça explorada na pecuária leiteira do Brasil. A subfertilidade
de touros representa impacto econômico negativo na cadeia produtiva do leite, portanto os touros da raça
Girolando que irão participar do teste de progênie (TP) do Programa de Melhoramento da Raça Girolando da
EMBRAPA-ABCG passam por um pré-teste de avaliação andrológica. Desta forma são identificados
previamente os touros de fertilidade superior e doadores de sêmen aprovados para criopreservação. Cento e trinta
e três (n=133) touros da raça Girolando foram submetidos ao pré teste, 68 em 2013 e 65 em 2014, sendo
recriados a pasto nos cinco primeiros meses dos respectivos anos (Janeiro à Maio), com 30 dias de adaptação e
quatro coletas mensais de sêmen com eletro ejaculador. Para análise foram considerados os dados do melhor dos
quatro exames andrológicos. Os touros foram considerados aprovados (AP) ou reprovados (NEG) no pré teste, e
todos avaliados para circunferência escrotal (CE), patologia espermática total (PATT), percentual de motilidade
dos espermatozoides (MOT), peso vivo (PES), idade (ID) e ranqueados para a Classificação Andrológica de
Pontos (CAP). Variáveis contínuas foram submetidos à regressão múltipla e os efeitos ao procedimento e as
relações entre parâmetros seminais e morfofuncionais ao procedimento GLM (SAS®) e as médias comparadas
pelo teste de Tukey (5%). Os graus de sangue avaliados foram ¾ Holandês (n=34), 5/8 Holandês (n=82) e Puro
sintético (PS) (n=17). Os touros AP apresentaram maior MOT que os NEG (média ± desvio padrão de 57,6 ±
2,4 % de espermatozoides moveis versus 37,6 ± 2,3), maior CAP (69,6 ± 2,6 versus 41,5 ± 2,5 pontos), bem
como menor PATT (29,2 ± 2,6 versus 62,4 ± 2,5 % de espermatozoides com defeito) (P ≤ 0,05), a mesma CE
(36,7 ± 0,5 versus 35,5 ± 0,5 cm), a mesma idade (29,6 ± 0,9 versus 30,5 ± 0,9 meses) e mesmo peso (604,4 ±
18,5 versus 596,8 ± 20,3 kg). Quanto ao grau de sangue não foram encontradas diferenças para as características
avaliadas para os ¾, 5/8 e PS, com CAP 55,8± 2,5 e 54,6± 2,5 e 56,3± 2,5 pontos, com CE 36,2± 3,1 e 35,4±
2,0 e 36,6±4,4 cm, com PATT 48,6± 3,1 e 45,9± 2,0 e 42,8± 4,4 %, com MOT 45,6± 2,4 e 50,1± 1,9 e 47,0± 4,1
%, com PES 611,0± 25,3 e 594,2± 15,6 e 596,5± 33,4 kg e ID 29,9± 1,1 e 29,3± 0,7 e 30,8± 1,6 meses,
respectivamente. Correlação positiva, leve e significativa foi encontrada entre o MOT e as características CE e
PES (r2 = 0,08; P≤0,05). Correlação positiva, leve e significativa foi encontrada entre PATT e as características
CE e ID (r2 = 0,14; P ≤ 0,05). O objetivo foi identificar características associadas com a criopreservação e
parâmetros andrológicos em touros da raça Girolando sendo aprovados 58 (43,6%) no teste de criopreservação e
andrológico. Estes animais foram enviados para as centrais onde tiveram o sêmen industrializado, codificado e
distribuído nos rebanhos colaboradores do TP. Conclui-se que CE associada a peso e idade, pode ser utilizada
como potencial moderado de predição de touros de maior fertilidade e que os graus de sangue avaliados
apresentam características seminais e de classificação semelhantes.

Palavras-chave: sêmen, patologia, circunferência escrotal, bovino de leite.


Keywords: semen, pathology, scrotal circumference, milk cattle.
   

97
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

População folicular ovariana de búfalas submetidas à aspiração folicular guiada por


ultrassom após adoção de protocolos hormonais em duas estações do ano
Ovarian follicular population of buffaloes submitted to ovum pick up after adoption of hormonal protocols
during two seasons of the year

Marcus Vinícius Prado Silva1, Emilio César Martins Pereira2, Virgílio Barbosa de Andrade1,
Jaci de Almeida1, Bárbara Vanelli Rocha Couto1, Marc Roger Jean Marie Henry1,
Álan Maia Borges1, Eunice Oba2
1
Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinárias, EV-UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil; 2Departamento de Reprodução
Animal e Radiologia Veterinária, FMVZ-UNESP, Botucatu, SP, Brasil.
*E-mail: marcusvp.silva@outlook.com

A produção in vitro de embriões (PIVE) de búfalos é uma alternativa para melhoria genética e vem sendo
adotada nos rebanhos brasileiros. A eficiência da técnica é limitada pelo reduzido número de folículos
disponíveis para a aspiração folicular guiada por ultrassom (OPU), bem como pela sazonalidade reprodutiva da
espécie que diminui a ciclicidade ovariana durante a primavera/verão. Este estudo objetivou avaliar o número de
folículos e a presença de corpos lúteos (CL) nos ovários de doadoras bubalinas durante as estações de ciclicidade
(outono/inverno) ou de anestro sazonal (primavera/verão), e a eficiência de protocolos hormonais utilizados para
induzir o estro e aumentar a disponibilidade de folículos ovarianos para a OPU. Foram utilizadas 12 búfalas
adultas pertencentes ao Centro de Biotecnologia em Bubalinocultura, localizado em Pedro Leopoldo, MG
(19º38'05''S, 44º03'02''O), avaliadas mensalmente por ultrassonografia (Mindray®DP-2200Vet, transdutor
microconvexo de 5MHz) para quantificar o número de folículos com diâmetro mínimo de 3mm e a presença de
corpos lúteos. As búfalas foram submetidas a quatro tratamentos: T1(animais não submetidos a tratamento
hormonal); T2 (aspiração total dos folículos ovarianos no D0 e OPU no D4); T3 (2mg de benzoato de estradiol
[Ciclovar®] + 50mg de progesterona injetável [Sincrodiol®]+ 0,500mg de PGF2α[Ciosin®] + implante
intravaginal contendo 1g de progesterona [Sincroget®] no D0 e retirada do implante + OPU no D6); T4
(protocolo do T3 + 150mg de FSH [Folltropin-V®] entre 24 e 36h antes da OPU). Foi realizada avaliação
quantitativa do número de folículos de cada ovário antes da OPU. Nas análises estatísticas, a normalidade da
variável foi verificada previamente por meio do teste de Shapiro-Wilk. A presença ou não do CL foi verificada
pelo testeQui-quadrado, o número de folículos por ovário foi avaliado pelo teste T e a influência do protocolo no
número de folículos por ovário foi avaliado por ANOVA, considerando-se 5% como nível de significância. O
número médio de folículos por ovário foi maior (P<0,05) nas estações outono/inverno (8,36 ± 4,54) que nas
estações primavera/verão (7,20 ± 3,54). Foi verificada presença de corpo lúteo em 67,9% (19/28) e 61,0%
(25/41) das búfalas nas épocas de ciclicidade e anestro, respectivamente, não diferindo (P>0,05) entre os
períodos experimentais. O número médio de folículos por ovário não diferiu (P> 0,05) entre os tratamentos,
sendo observados: T1 (9,47 ± 3,46 folículos); T2 (8,0 ± 2,58 folículos); T3 (9,94 ± 3,23 folículos) e T4 (11,39 ±
2,85 folículos). Conclui-se que a população folicular ovariana disponível para aspiração guiada por ultrassom é
maior no período de outono/inverno, estações de aumento da ciclicidade ovariana em búfalas.

Palavras-chave: bubalinos, corpo lúteo, folículos, sazonalidade reprodutiva.


Keywords: Buffaloes, corpus luteum, follicles, reproductive seasonality.

98
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação das taxas de prenhez em búfalas com o uso de sêmen refrigerado vs.
congelado em programas de IATF durante a estação reprodutiva desfavorável
Evaluation of the pregnancy rates in buffalo with the use of cooled semen vs .frozen in FTAI program for
reproductive during the off breeding season

Jaci de Almeida1,*, Mayara Ferreira Brito1, Patrícia de Alencar Auler1, Camila Maria Leite Morais1,
Guilherme de Oliveira Andrade1, Beatriz Parzewski Neves1, Pietro Sampaio Baruselli2, Marc Henry1
1
Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil;2Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da
Universidade de São Paulo, SP, Brasil.
*E-mail: jacialmeida01@yahoo.com.br

Alguns fatores interferem na eficiência reprodutiva da espécie bubalina, dentre eles a detecção de estro apresenta
maior destaque, devido à discreta sintomatologia. Para transpor estas limitações, existe a possibilidade da
utilização de protocolos de IATF, associados à sincronização da ovulação, tornando esta biotecnia aplicável a
campo. Objetivou-se comparar a eficiência reprodutiva de búfalas leiteiras submetidas à IATF com sêmen
refrigerado e congelado (diluídos em Botu-Bov®), durante a estação reprodutiva desfavorável. Este experimento
foi realizado em Oliveira/MG, Brasil Latitude 20° 41' 45'' Sul e Longitude 44º 49’ 37'' Oeste, no período de
dezembro de 2014. As coletas de sêmen foram realizadas com vagina artificial, sendo utilizados 4 touros, com 3
coletas consecutivas, tendo os parâmetros avaliados segundo recomendações do CBRA (2013). Para tanto, 136
fêmeas bubalinas com idade variando de 3,6 a 14,6 anos, peso médio de 720 kg e ECC = 4,5 (1-5) foram
utilizadas. As búfalas foram distribuídas aleatoriamente em três grupos: G1 (n = 34), G2 (n = 52) e G3 (n = 50).
Os três grupos foram inseminados com dois touros cada, sendo que o ejaculado de cada touro foi fracionado em
duas alíquotas (½ refrigerado/24hs e ½ congelado ambos com dose de 50x106 SPTZ viáveis/dose). Na manhã
(M) D0 (8:00hs), os animais receberam 2,0mg i.m de BE (Estrogin®, Farmavet, SP, Brasil) e implante
intravaginal (CIDR® 1,9g de P4, Zoetis, Saúde Animal, SP, Brasil), no D9 (M) retirada do implante e aplicação
de 400UI i.m eCG (Novormon®, MSD Saúde Animal) + 2mg de PGF2α dinoprost i.m (Lutalyse®, Zoetis, SP,
Brasil). No D10 (M) aplicados 1,0mg i.m de BE (Estrogin®, Farmavet, SP, Brasil)) e no D11 (14:00hs) IA.
Cinquenta dias após a IATF os animais foram submetidos ao diagnóstico de gestação por palpação retal. Os
resultados foram submetidos ao teste z (Triola, Statdisk, 2013). A taxa de prenhez total obtida foi de 11%
(15/136), sendo 7 (10,3%) com sêmen refrigerado e 8 (11,8%) com congelado. Os valores similares encontrados
para os dois tipos de sêmen utilizados, e o baixo índice obtido impossibilitam fazer comparações. A baixa taxa
de prenhez observada em búfalas sincronizadas durante a estação reprodutiva desfavorável é indicativo de que,
mesmo com a estimulação hormonal exógena utilizada, as fêmeas continuam apresentando marcante
estacionalidade. Essa característica reprodutiva da espécie corrobora com o que tem sido demonstrado em
trabalhos científicos.

Palavras-chave: búfalas, sêmen refrigerado, diluidor, IATF, prenhez.


Keywords: buffaloes, cooled semen, diluents, FTAI, pregnancy.

99
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Número médio de folículos e qualidade dos oócitos bubalinos ao longo de três estações
do ano
Follicular population and quality of buffalo oocytes from over three distinct seasons

Virgílio Barbosa de Andrade1, Emílio César Martins Pereira2, Marcus Vinícius Prado Silva1,
Natalia Vieira Sollecito1, Eliane Beatriz Magalhães Silva1, Álan Maia Borges1,*, Eunice Oba2
1
Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinárias, Escola de Veterinária da UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil;
2
Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária,UNESP, Botucatu, SP, Brasil.
*E-mail: virgiliobarbosa@hotmail.com

As fêmeas bubalinas (Bubalus bubalis) são consideradas poliéstricas sazonais de dias curtos quando mantidas
em regiões subtropicais. Nessas condições, a duração do dia é a principal determinante da função reprodutiva,
controlando o período de restabelecimento da atividade ovariana luteal cíclica após o parto, a regularidade e a
duração do ciclo estral. O objetivo do presente estudo foi avaliar a influência de três épocas do ano sobre o
número médio de folículos e a qualidade morfológica de oócitos recuperados de ovários de búfalas oriundos de
abatedouro localizado em Pará de Minas, MG. O período experimental compreendeu as estações de inverno (21
de julho a 23 de setembro), primavera (23 de setembro a 21 de dezembro) e verão (21 de dezembro a 21 de
março). No total, foram coletados 437 ovários, os quais foram transportados em solução fisiológica contendo
0,9% de NaCl, gentamicina e estreptomicina, previamente aquecida de 35 a 37ºC. O tempo médio de transporte
até o Laboratório de Cultivo de Células Tronco e Embrionárias da EV-UFMG foi de aproximadamente duas
horas. Os ovários foram acondicionados em béquer contendo solução semelhante à de transporte mantida entre
35 e 37°C. Os folículos visíveis foram contabilizados e aspirados por meio de seringas acopladas a agulhas
hipodérmicas 40x12. O conteúdo aspirado foi depositado em tubo Falcon de 15 ml. Após 15 minutos de
decantação, os oócitos eram recuperados por meio de lavagens sucessivas com solução composta por TCM 199,
10% de soro fetal bovino, 22μg/ml de piruvato de sódio e 83μg/ml de sulfato de amicacina. Os oócitos foram
transferidos para placas de Petri e classificados em graus A, B, C, D, expandidos ou desnudos, com auxílio de
estereomicroscópio (Nikon SMZ 745), de acordo com a classificação morfológica proposta por Gasparini et al.
(2011). Para realização das análises estatísticas, os resultados obtidos foram submetidos ao teste de normalidade
de Shapiro-Wilk e comparados pelo teste de Tukey, considerando o nível de significância de 5%. Foram
aspirados 4.692 folículos durante o período experimental. A média por ovário foi de 9,35 ± 7,65; 9,74 ± 6,24 e
10,69 ± 7,83 folículos durante o inverno, primavera e verão, respectivamente, não diferindo entre os períodos (p
> 0,05). Em relação à qualidade dos oócitos durante o inverno, foram encontrados 1,75 ± 0,74 de grau A; 1,16 ±
0,59 de grau B; 0,60 ± 0,35 de grau C; 0,13 ± 0,16 de grau D; 0,58 ± 0,44 expandidos e 0,62 ± 0,88 oócitos
desnudos por ovário. Durante a primavera, foram encontrados 1,37 ± 0,24 oócitos de grau A; 0,77 ± 0,34 de grau
B; 0,18 ± 0,15 de grau C; 0,21 ± 0,17 de grau D; 0,35 ± 0,18 expandidos e 0,15 ± 0,15 oócitos desnudos por
ovário. Durante o verão, foram encontrados 1,37 ± 0,78 oócitos de grau A; 1,09 ± 0,31 de grau B; 0,34 ± 0,22 de
grau C; 0,23 ± 0,05 de grau D; 0,65 ± 0,22 expandidos e 0,44 ± 0,09 oócitos desnudos por ovário. Apenas o
número de oócitos de grau C (0,60 ± 0,35) no inverno foi significativamente maior que o de oócitos de grau C
(0,18 ± 0,15) recuperados durante a primavera (p < 0,05). Apesar da sazonalidade reprodutiva das fêmeas
bubalinas, conclui-se que nas condições experimentais do estudo atual, não houve variação expressiva da
população folicular e qualidade dos oócitos provenientes de ovários coletados em abatedouro, ao longo das
estações de inverno, primavera e verão.

Palavras-chave: Bubalus bubalis, população folicular, sazonalidade reprodutiva, qualidade de oócitos.


Keywords: Bubalus bubalis, follicular population, reproductive seasonality, oocytes quality.

100
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Pós-parto e lactação em búfalas na Baixada Maranhense


Postpartum and Lactation of Buffaloes at the Baixada Maranhense

Dryane Silva Aguiar1*, Raquel da Silva Lima1, Mara Luciana Silva Marques1, Abisai D’Oliveira-Sousa1,
Valéria Raiana Fonseca Ferreira1, Tatiane Avelar Ribeiro1, Ana Clara Gomes dos Santos1,
Leônidas Antônio Chow Castillo2, Diego Carvalho Viana3, Isabela Christie dos Santos Sousa1,
Ítala Mayara Silva Araújo1
1
Departamento de Clinica Veterinária, CCA-UEMA, São Luís, MA, Brasil; 2Departamento de Medicina Veterinária,
CESI-UEMA, São Luís, MA, Brasil; 3Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, FMVZ-USP, São Paulo, SP, Brasil.
*E-mail: dryaneaguiar@hotmail.com

O pós-parto se inicia com o nascimento ou final do processo gestacional. É um período de anestro, inatividade
reprodutiva ou quiescência sexual, é um mecanismo fisiológico para reduzir a chance de nova concepção antes
da cria ser desmamada. Sua duração é variável, pois pode ser afetada por fatores como produção de leite e
ordenhas, estados nutricionais, peso e condição corporal. O manejo nutricional tem relevante correlação à
duração do pós-parto. Objetivou-se com esse trabalho avaliar os parâmetros reprodutivos em bubalinas Murrah,
que foram monitoradas a partir de uma amostra composta por (19) fêmeas em diferentes momentos do pós-parto
(e lactação), pois seus acasalamentos férteis tinham ocorrido entre abril e agosto. Estas foram submetidas a duas
ordenhas diárias entre julho e dezembro e, a uma ordenha de janeiro a junho sendo que foram suplementadas
com cevada, capim picado e silagem e receberam concentrado composto por milho triturado e farelo de soja em
quantidade de um e de dois quilos conforme o período de ordenhas e ainda sal mineral proteinado. Avaliaram-se
variações dos parâmetros reprodutivos e sua variação ponderal e a produção leiteira e realizaram-se exames
copropasitológico, para avaliar o estado sanitário. Constatou-se que o intervalo entre os partos (IEP) foi de
(17,37 ± 1,61) meses. Revelou-se período gestacional médio de (311,10 ± 5,39) dias e pós-parto de (205,53 ±
39,64) dias em média, o que pode ter origem em estresse ou na relação mãe-filho estabelecida pela sucção do
leite até seu aparte natural, que causam anestro. Verificou-se que apesar do IEP longo estas búfalas mostraram
fertilidade em todas as estações haja vista o fotoperíodo estável nas proximidades do equador. Conforme as
parições ocorridas em 2013, percebeu-se que os acasalamentos ocorreram entre abril e agosto de 2012, e, relativo
às parições em 2014, refletem acasalamentos férteis entre novembro de 2013 e fevereiro de 2014. Existe neste
período, um histórico de menor eficiência reprodutiva para animais submetidos à criação extensiva, nesta região.
O período lactacional médio foi (9,05 ± 1,58) meses. A média de produção diária foi de (5, 92 ± 1,52) litros e a
produção média por búfala alcançou (1.603 ± 492,55) litros por lactação. Baseado nas avaliações acima,
concluiu-se que há necessidade de estudar as causas fisiológicas que interferiram no anestro pós-parto nas
condições em que este estudo foi realizado, haja vista que apesar do IEP longo a fertilidade possibilitou
fecundações no período considerado de menor eficiência reprodutiva em criações extensivas.

Palavras-chave: búfalas, pós-parto, lactação, Murrah.


Keywords: buffaloes, postpartum, lactation, Murrah.

101
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Manejo em búfalas leiteiras na Baixada Maranhense


Management buffaloes dairy at Baixada Maranhense

Raquel da Silva Lima1, Mariane Boaz Lima1, Claudenilde de Jesus Pinheiro1, Dryane Silva Aguiar1,
Mara Luciana Silva Marques1, Abisai D’Oliveira-Sousa1,*, Ana Clara Gomes dos Santos1,
Leônidas Antônio Chow Castillo2, Diego Carvalho Viana3, Isabella Christie dos Santos Sousa1
1
Departamento de Clinica Veterinária, CCA-UEMA, São Luís, MA, Brasil; 2Departamento de Medicina Veterinária,
CESI-UEMA, São Luís, MA, Brasil; 3Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, FMVZ-USP, São Paulo, SP, Brasil.
*E-mail: abisaigarreto@hotmail.com

A cada dia o rebanho bubalino (Bubalus bubalis) da raça Murrah aumenta, com seus produtos mais presentes na
alimentação. Sobretudo em ambientes onde os bovinos não conseguem bom desempenho. Caracteriza-se como
animal forte, rústico, de grande porte, de temperamento manso e de importância econômica na baixada
maranhense. Objetivou-se com este trabalho obter dados e informações sobre seu desempenho produtivo e
reprodutivo, e o status nutricional na exploração leiteira sob as condições estressantes do trópico úmido (baixada
maranhense). O trabalho foi realizado em empreendimento situado no município de Vitória do Mearim que
desenvolve seleção de búfalas leiteiras, introduzindo critérios tecnológicos modernos em produtividade bubalina,
possibilitando-se avaliar suas condições da exploração que estão submetidas às búfalas, no enfoque nutricional e
reprodutivo. A região é formada por planícies baixas que alagam no período chuvoso, inundando extensas áreas
de pastagem entre os meses de janeiro a abril com elevada precipitação pluviométrica. Os fatores climáticos do
trópico úmido, a temperatura, a umidade e a radiação solar afetam diretamente a termorregulação, o
comportamento animal, o consumo de forragem e água com prejuízo no desempenho produtivo e reprodutivo.
Estudou-se 19 búfalas em lactação com idade média de (5,12 ± 2,22) anos, com variação de idade de 2 a 10 anos.
Sua variação ponderal foi registrada em seis intervalos médios de (10,4 ± 1,52) semanas, mostrando variação
negativa de aproximadamente 10% no peso, ao final do período não chuvoso e, no período chuvoso (janeiro a
abril) se restabelecendo em maio. Quanto ao controle nutricional em relação à produção de leite avaliou-se o
desempenho dos animais através de mensuração individual, com auxílio de fita métrica, valores que foram
calculados, anotados e identificados. O acompanhamento reprodutivo foi feito por meio de observações e
anotações, foram acompanhados os puerpérios e suas durações, os ciclos estrais e acasalamentos das búfalas
verificando-se fertilidade ao longo do ano. Conforme estabelecido no manejo produtivo instalado, houve oferta
de sal mineral e água de boa qualidade à vontade, receberam ainda suplementação em cochos, composta por
capim mombaça ou cana de açúcar picada (25 kg) e cevada (5 kg), sendo em média 30 kg de volumoso por vaca.
De janeiro a junho adicionou-se 01 kg de concentrado composto por 60% de milho 35% de soja e 5% de sal
proteinado cuja produção média foi (4,24 ± 1,42) litros. De julho a dezembro adicionou-se ao volumoso 02 kg de
concentrado, e ofertou-se pasto de melhor qualidade, as búfalas eram conduzidas para áreas sombreadas se
necessário, realizaram-se duas ordenhas, com produção média de (7,53 ± 2,05) litros ou 33,4% maior. Os valores
reprodutivos estudados se referem à dois partos, nos primeiros, os acasalamentos férteis ocorreram de maio a
junho de 2012, nos segundos, os acasalamentos férteis foram de novembro 2013 a fevereiro de 2014. O estudo
investigou o manejo introduzido e seus rendimentos. Concluiu-se que: de julho a dezembro existe melhores
condições para estabelecer duas ordenhas; que não houve a expressão da sazonalidade; que, a boa higiene e
sanidade foram reveladas pelo baixo índice de parasitismo e produção de leite sem contaminações, nas condições
em que este trabalho foi realizado.

Palavras-chave: búfalas, manejo, produção de leite, Vitória do Mearim (MA).


Keywords: buffaloes, management, milk production, Vitória do Mearim (MA).

102
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Extrato de Aloe vera apresenta efeito crioprotetor durante o congelamento de


sêmen de búfalos
Aloe vera extract has cryoprotectant effect during the freezing of buffalo semen

Mayara Ferreira Brito, Camila Maria Leite de Morais, Beatriz Parzewski Neves,
Guilherme de Oliveira Andrade, Jaci de Almeida, Patricia de Alencar Auler, Marc Henry*

Departamento de Clinica e Cirurgia Veterinárias, EV, UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil.
*Email: henrym2601@gmail.com

Com as crescentes exigências para controle de transmissão de doenças através de produtos biológicos,
alternativas ao uso de produtos de origem animal como crioprotetores em extensores de sêmen têm sido
buscadas. A Aloe vera possui em sua composição substâncias similares aos crioprotetores convencionais, além
de serem descritas propriedades antioxidantes, antimicrobianas e de regeneração celular. A ação crioprotetora de
diferentes concentrações de A. vera, em substituição à gema de ovo, em diluidor TES-TRIS-leite foi testada
nesse trabalho. Os ejaculados de seis touros búfalo (Bubalus bubalis) foram coletados por meio de vagina
artificial. Imediatamente após a coleta, o sêmen foi avaliado quanto às suas qualidades físicas, estando todos os
ejaculados de acordo com os padrões estabelecidos pelo manual CBRA (2013). Cada ejaculado foi fracionado e
diluído de acordo com o tratamento, até atingir a concentração final de 50x106 espermatozoides/mL. Cinco
tratamentos foram testados: TES-TRIS-leite + 2,5% A. vera; TES-TRIS-leite + 5% A. vera; TES-TRIS-leite +
10% A. vera, TES-TRIS-leite + 20% de gema de ovo; TES-TRIS-leite. O sêmen diluído foi envasado em
palhetas de 0,25mL, resfriado em máquina computadorizada (TK 4000), utilizando uma curva de resfriamento de
-0,25°C/min até 5°C e mantido nessa temperatura por 4 horas. O congelamento foi realizado em caixa de isopor,
3cm acima do nível do nitrogênio. Após o descongelamento, foram realizados os testes de termo resistência
(TTR) para a motilidade pelo CASA (120 minutos), teste hiposmótico, integridade física da membrana
plasmática e índice de fragmentação da cromatina através de citometria de fluxo (corantes Pi/Sybr green e
Acridine Orange, respectivamente). As médias dos resultados obtidos foram comparadas pelos testes de Scott e
Knott (motilidade total em cada tempo) e de Tukey (teste hiposmótico e integridade física da membrana), ao
nível de 5% de probabilidade. Os espermatozoides bubalinos pós-descongelamento apresentaram baixo índice de
fragmentação do DNA (abaixo de 0,5% de fragmentação total, independente do extensor), mostrando que o
congelamento não afetou consideravelmente a estrutura da cromatina. Foi percebido que, no extensor contendo
gema de ovo, o excesso de glóbulos de gordura foi prejudicial para análise no CASA. Apesar disso, a presença
de gema ou A. vera como crioprotetores adicionais foram igualmente essenciais para garantir a motilidade pós-
descongelamento até os primeiros 30 min de incubação, quando comparado ao meio com leite apenas (de 32 a
39% versus 22%, no tempo 0min e de 18 a 23% versus 15% no tempo 30min, respectivamente). O tratamento
contendo gema de ovo garantiu maior motilidade ao longo do tempo, de 60 a 90 min, em relação aos demais
tratamentos (29% versus de 12 a 17%, no tempo 60min e 25% versus de 5 a 11% no tempo 90min,
respectivamente), e todos se igualaram na análise aos 120 min de incubação. Quanto à integridade estrutural da
membrana plasmática, houve diferença aparente (P=0,02) na capacidade de proteção entre o tratamento que
continha gema de ovo e os demais tratamentos (30,2% versus de 19 a 20% de células viáveis). Para integridade
funcional das células, pelo teste hiposmótico, todos os extensores proporcionaram proteção similar (P>0,05).
Com base nos resultados obtidos, o extrato de A. vera exerceu efeito crioprotetor quando adicionado ao meio
TES-TRIS-leite, porém seu mecanismo de ação ainda precisa ser elucidado.
Palavras-chave: crioproteção, Aloe vera, Bubalus bubalis, TES-TRIS.
Keywords: cryoprotection; Aloe vera; Bubalus bubalis, TES-TRIS.

103
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Diferentes soluções de teste hiposmótico (HOST) em sêmen bubalino fresco


Different solutions of hypo-osmotic swelling test (HOST) on fresh buffalo semen

Antonio Jorge Del Rei1,*, Claudio Coutinho Bartolomeu², Caio Tarcito Gomes Álvares3,
Fernando Sergio Souza Maciel1
1
Laboratorio de Reprodução Animal, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Itapetinga, BA, Brasil;
2
DMV, UFRPE, Recife, PE, Brasil; 3DCAA, UESC, Ilheus, BA, Brasil.
*E-mail: jdelrei@yahoo.com .br

O teste de solução hiposmótica (HOST) vem sendo utilizado para avaliar a integridade funcional da membrana
espermática de varias espécies. Entretanto uma melhor condição de uso desta técnica em búfalos (Bubalus
bubalis), concentrações de soluções hiposmótica (HO) não tem sido bem testadas. Objetivou-se o presente
estudo, estabelecer a melhor solução (HO) para testar a integridade da membrana de espermatozóide (SPTZ) no
sêmen fresco de tourinhos búfalos da raça Murrah. Soluções (S) baseadas em citrato de Na e frutose com as
seguintes osmolaridades (mOsm/L); foram: (S1)- 50, (S2)-75, (S3)- 125, (S4)- 200, (S5)-250 e (S6)- 300. Sete
machos bubalinos Murrah com idade entre (24 e 30 meses), com peso vivo variando de 450 a 510 kg, e
apresentando escore corporal médio 4 em uma escala de (1-6): 1 = magro e 6 = obeso. Foram coletadas, durante
estação reprodutiva favorável (outono- 21-31 de março-2014), 21 amostras de sêmen, através de vagina artificial
(modelo curto segundo o autor), utilizando fêmeas estrogenizadas (2mg de benzoato de estradiol IM),
totalizando 3 coletas por animal com intervalo de 48:00h. Após avaliação macro e microscópica, 10 µL de
sêmen foi adicionado em 2 mL de cada (S) e incubadas por 1:00h a 37°C. Em seqüência 20µL de sêmen, e foram
avaliados em óleo de imersão utilizando microscopia de contraste de fase, num total de 200 SPTZ quantificados
em 5 diferentes campos, e as caudas dos SPTZ classificadas em: (Não Dobradas, Dobradas e Fortemente
Dobradas). O delineamento experimental foi inteiramente casualizado e as variáveis estudadas foram submetidas
ao teste de Kruskal-Wallis, e o nível de significância foi de 5%, considerando o efeito do teste (HO). Os
respectivos % de SPTZ com caudas (Dobradas e Fortemente Dobradas) nas 6 soluções testadas foram : 31,1 (S
1), 37,6 (S2), 52,3 (S3) , 35,7 (S4), 27,7(S5) , 23,3 (S6), e 6,7 (S1), 10,2 (S2), 25,0 (S3), 19,6 (S4), 12,5 (S5), e
7,4 (S6) respectivamente. De acordo com o total de cauda (Dobrada) S3 foi superior a S1,S4 ,S5 e S6 (P< 0,05),
enquanto as (Fortemente Dobradas) S3 foi superior a S1, S2, S5 e S6 (P < 0,05).Os resultados indica que a
solução com 125 mOsm/L, seria dentre das testadas a que pode contribuir para uso no (HOST) em SPTZ de
sêmen fresco na espécie bubalina. Outros estudos serão realizados com diferentes soluções hiposmóticas.

Palavras-chave: búfalo, teste hiposmótico, espermatozóide, citrato sódio-frutose.


Keywords: buffalo, hipoosmotic swelling test, spermatozoa, fructose-sodium citrate.

104
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

A sazonalidade não altera as características seminais de touros bubalinos (Bubalus


bubalis) criados na latitude 19º 37’ 12’’ sul e longitude 44º 02’ 38’’ oeste
(Estado de Minas Gerais)
Season does not affect seminal characteristics in buffalo bulls (Bubalus bubalis) raised in latitude 19º 37’ 12’’
south and longitude 44º 02’ 38’’ west (Minas Gerais State)

Guilherme de Oliveira Andrade*, Mayara Ferreira Brito, Patrícia de Alencar Auler,


Camila Maria Leite Morais, Jaci de Almeida, Beatriz Parzewski Neves, Marc Henry

Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinárias, EV-UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil.


*E-mail: goandrade13@gmail.com

A espécie bubalina é considerada um animal sazonal tendo pico de fertilidade em dias curtos, similar aos ovinos
e caprinos. Porém, ao passo que em fêmeas essa característica já é muito bem relatada e consolidada, em
machos, os poucos estudos são controversos e, em sua maioria, realizadas no Hemisfério Norte. Dessa forma, o
objetivo do presente estudo foi avaliar o efeito da sazonalidade sobre as características físicas do sêmen de
bubalinos criados na região de Pedro Leopoldo, Estado de Minas Gerais. O experimento foi realizado no Centro
de Biotecnologia em Bubalinocultura – UFMG em Pedro Leopoldo, região de clima tropical úmido com altitude
média de 710 metros, latitude 19º 37' 12" sul, longitude 44º 02' 38" oeste e média de temperatura anual de
20,9ºC. Foram utilizados 9 touros bubalinos da raça Murrah com idade superior a 30 meses, nascidos e criados
na região. As coletas de sêmen foram realizadas pelo método da vagina artificial convencional por um período
de 12 meses, sendo efetuada uma coleta por semana por animal durante todo o período de avaliação.
Imediatamente após cada coleta, as amostras de sêmen foram avaliadas quanto ao seu volume (mL), motilidade
progressiva (%), concentração espermática (sptz/mL) e número total de espermatozoides por ejaculado. O
delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, sendo o animal o bloco. As variáveis volume,
concentração e número total de espermatozoides por ejaculado foram avaliadas por análise de variância e as
diferenças entre as médias de cada mês comparadas pelo Teste de Tukey (p < 0,05). A variável motilidade
progressiva foi analisada pelo método não paramétrico Teste de Friedman. O volume (p > 0,05) e motilidade
progressiva (p > 0,6337) não apresentaram diferença entre os meses durante o ano. A concentração espermática e
o número total de espermatozoide por ejaculado apresentaram valores médios similares durante todos os meses
do ano com exceção de três meses. Neste período os valores foram significativamente menores, porém, a época
correspondeu ao final do Outono e começo do Inverno, quando a atividade reprodutiva é maior na espécie
bubalina. Dessa forma, a queda detectada no atributo espermatozoides ejaculados não expressa uma influência
fisiológica da sazonalidade, sendo a causa mais provavelmente resultante de fatores externos. Adicionalmente,
não houve influência da sazão sobre as tentativas de coleta de sêmen, estas foram realizadas com sucesso em
todos animais e durante todo o ano. Conclui-se portanto, que a sazonalidade não afeta as características seminais
e de touros bubalinos criados na latitude 19º 37' 12" sul e longitude 44º 02' 38" oeste.

Palavras-chave: búfalos, sazonalidade, sêmen, Sudeste, Minas Gerais.


Keywords: buffaloes, seasonality, sperm, Southeast, Minas Gerais.

105
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Viabilidade da biópsia guiada por ultrassonografia transvaginal para avaliar a


expressão gênica do corpo lúteo de éguas
Biopsy viability guided by transvaginal ultrasound to assess the gene expression of the mares corpus luteum

Rubia Schmith1,*, Jair Camargo Ferreira1, Fabiana Ferreira de Souza1, Yatta Boakari1, Paula Lima2,
Cezinande de Meira1
1
Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária, FMVZ, Botucatu, SP, Brasil; 2Departamento de Fisiologia,
IB, UNESP, Botucatu, SP, Brasil.
*E-mail: rubiaschmith@hotmail.com

O corpo lúteo (CL) é uma glândula endócrina transitória responsável pela síntese de progesterona (P4) e
caracterizada pela rápida remodelação, diferenciação e morte celular. A vida útil do CL pode ser dividida em
luteogênese, fase de manutenção e luteólise, e seu desenvolvimento e regressão são importantes para manter a
ciclicidade, assim como a gestação. Um dos principais métodos de estudo do status reprodutivo é a
ultrassonografia. Contudo, este método não permite investigar a fisiologia molecular das estruturas ovarianas,
apesar de auxiliar na colheita de amostras que podem ser utilizadas para este propósito. Assim, objetivou-se
investigar a viabilidade da biópsia do tecido luteal guiada por ultrassonografia transvaginal de éguas na fase do
diestro natural ou induzido para estudos de biologia molecular. O estudo foi dividido em dois experimentos: 1)
biópsias do CL (n=7 éguas/grupo) foram realizadas na luteogênese (D2) e manutenção do CL (D8), sendo D0
considerado o dia da ovulação; 2) biópsias foram obtidas no D8 com indução da luteólise, sendo que 21 animais
foram subdivididos em três grupos (n=7 éguas/grupo) de acordo com o tempo de tratamento com 10 mg de
dinoprost trometamina: H0 (imediatamente antes do tratamento), H6 e H24 (6 horas e 24 horas após o
tratamento, respectivamente). Antes da biópsia todas as éguas foram sedadas com 20µg/kg de cloridrato de
detomidina, IV e o relaxamento retal foi induzido com 0,2mg/kg de hyoscina n-butyl bromide, IV. A biópsia do
tecido luteal foi guiada por ultrassonografia transvaginal (Mindray DP-2200, Mindray Medical International
Limited, China), com transdutor transvaginal convexo e agulha de biópsia acoplada (SABD-1648-1615-T, Argon
Medical Devices, USA). O fragmento de CL foi depositado em microtubo e congelado imediatamente no
nitrogênio líquido, e posteriormente armazenado a -80°C para a extração do RNA. A extração foi realizada
(Trizol® Plus RNA Purification Kit, Invitrogen Corporation, USA) e a concentração e qualidade (relação
A260/280) de RNA mensurada por nanoespectrofotômetro (NanoDrop® 2000, Thermo Fisher Scientific, USA).
Amostras de sangue foram colhidas para mensurar a concentração plasmática de P4 e determinar a
funcionalidade do CL. Não foram observados distúrbios foliculares nos ciclos estrais subsequentes. Foi possível
colher amostras lúteas (50x10mm) durante a fase inicial, média e tardia do diestro. Efeito do grupo foi detectado
(P<0,01) para a concentração de P4 em ambos os experimentos. No primeiro experimento a concentração de P4
em D8 (14,2±1,6 ng/mL) foi superior ao D2 (3,9±0,3 ng/mL). No segundo experimento, os valores mais
elevados e inferiores de P4 foram detectados em H0 (12,4±1,5 ng/mL) e H24 (2,8 ± 0,8 ng/mL),
respectivamente. A quantidade de RNA extraído não variou (P>0,1) entre os grupos, com média ± erro padrão de
648,5 ± 23,73 ng/µL. A relação A260/280 foram em média 1,78 ± 0,02. A biópsia guiada por ultrassonografia
transvaginal mostrou ser um procedimento minimamente invasivo e uma ferramenta de diagnóstico eficiente
para a funcionalidade lútea com mínimo desconforto e complicações para as éguas. Ademais, foi possível obter
amostras suficiente para extração de RNA em quantidade e qualidade adequadas para aplicação na PCR.

Palavras-chave: diestro, progesterona, luteólise.


Keywords: diestrus, progesterone, luteolysis.

Esta pesquisa foi apoiada pela Fapesp e Capes.

106
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Influência da incidência de chuva sobre a recuperação de embriões equino


Influence of rain incidence on the recovery equine embryos

Lucas da Rocha Ribeiro1, André Maciel Crespilho1, Letícia Patrão de Macedo Gomes1,
Daniele da Silva Ramos2,Felipe de Azevedo Athayde2, Gustavo Mendes Gomes1,*
1
Universidade Severino Sombra, Vassouras, RJ, Brasil; 2Centro Avançado de Reprodução Equina, Vassouras, RJ, Brasil.
*E-mail: bigugomes@gmail.com

Mudanças climáticas têm sido observadas a nível global, bem como no Brasil. Dentre estas mudanças estão as
alterações nos padrões pluviométricos. Hoje em dia pode-se observar em alguns momentos períodos de seca
durante épocas de chuva, ou até mesmo índices de chuva acima da média neste mesmo período. Entretanto,
existe uma escassez de informação sobre a influência das chuvas nas taxas de recuperação embrionária em
equinos. O objetivo do presente estudo foi identificar se existe influência da chuva na recuperação de embriões
equinos. Este trabalho foi realizado em um haras localizado no município de Vassouras/RJ durante a estação de
monta de 2014/2015. Foram utilizadas 19 éguas doadoras de embriões da raça Mangalarga Marchador com
idades entre 6 e 15 anos, durante os meses de outubro a fevereiro. As éguas foram submetidas ao mesmo sistema
de manejo sanitário e nutricional. Todos os animais apresentavam histórico de fertilidade comprovada. Foi
utilizado um único garanhão da raça Mangalarga Marchador com 8 anos, onde o mesmo apresentou em todas as
colheitas de sêmen características de boa a ótima em relação à qualidade do sêmen. O sêmen fresco foi diluído
com o diluente seminal Botu-Special® na diluição de 1:1 e as inseminações aconteceram todas em até trinta
minutos pós-colheita. As inseminações e as recuperações dos embriões foram realizadas de acordo com técnica
convencional descrita em literatura. Os registros de precipitação foram coletados no haras diariamente às 8 horas
da manhã, com auxílio de um pluviômetro da marca Incoterm®. Foi analisado incidência de chuva em três
momentos distintos do ciclo estral das éguas doadoras: D0 (dia da ovulação da doadora), D5 (quinto dia pós-
ovulação) e D8 (dia do lavado uterino). Os dados gerados foram analisados através do software Bioestat 5.0
utilizando um modelo de regressão logística múltipla onde a recuperação embrionária foi considerada como
variável dependente. Foram analisados 31 lavados, destes lavados foram recuperados embriões em 24 lavados
(77%) não havendo, no entanto, efeito da égua doadora sobre a taxa de recuperação (p>0,05). Houve influência
da chuva sobre a taxa de recuperação embrionária (p=0,0958), sendo que em dias não chuvosos a probabilidade
de recuperação foi de 91,46%. De acordo com o modelo de regressão, a probabilidade de recuperação
embrionária foi de 88,85% (p=0,7850), 58,23% (p=0,0662), 59,67% (p=0,0725) se a precipitação ocorrer no dia
da ovulação da doadora, no D5 ou no dia do lavado uterino (D8), respectivamente. A incidência de chuva
somente no dia da ovulação não influenciou a recuperação de embriões, porém, se ocorrer chuva no D5 e no dia
do lavado da doadora (D8) concomitantemente, a taxa de sucesso na recuperação embrionária caiu para apenas
16,15% (p<0,06). De acordo com os resultados foi possível concluir que a chuva exerce influência sobre a taxa
de recuperação embrionária no momento da descida do embrião do oviduto até o dia do lavado uterino,
provavelmente por ser um período mais susceptível para o embrião.

Palavras-chave: éguas, embrião, chuva.


Keywords: mares, embryos, rain.

107
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação ultrassonográfica transretal da junção útero –placentária (JUPT) de éguas da


raça Mangalarga Marchador gestantes que vieram a termo ou abortaram
Ultrasonographic transrectal evaluation of the combined thickness of the uterus and the placenta (CTUP)
pregnant mares Mangalarga Marchador to term or aborted

Isabela Syllos Campos1,*, Diego Guedes Campos2, Sabina Gaia Campos de Lemos1, Mário Felipe Alvarez
Balaro1, Mário Antônio Pinto Romão1, Márcia Carolina Salomão1, Aline Emerim Pinna1,
Ana Maria Reis Ferreira1
1
Departamento de Patologia e Clínica Veterinária, UFF-RJ, Niterói, RJ, Brasil; 2UFRRJ,
Seropédica, RJ, Brasil.
*E-mail: isabelasyllos@ig.com.br

A inflamação da placenta, placentite, ocorre comumente, por via ascendente e é uma das principais causas de
abortamento em gestações avançadas. Em éguas, a ultrassonografia transretal é uma ferramenta importante no
diagnóstico precoce da placentite por meio da avaliação da junção útero-placentária (JUPT). O estudo objetivou
avaliar a JUPT de quatro éguas da raça Mangalarga Marchador que abortaram no terço final da gestação e quatro
éguas Mangalarga Marchador que levou a gestação a termo. A partir do quinto mês de gestação até o décimo, as
JUPT foram avaliadas mensalmente por meio da ultrassonografia transretal modo-B, com transdutor 7,5MHz. Os
resultados das JUPT obtidos nas avaliações das quatro éguas que abortaram foram no quinto mês (4,3mm ± 1,3),
sexto mês (4,4mm±1,0), sétimo mês (4,2mm±0,3), oitavo mês (4,8mm±0,8), nono mês (4,9mm±0,5) e décimo
mês (10,3mm ±0,0), sendo que destas, três éguas abortaram no nono mês e uma no décimo mês. Apenas uma
égua deste grupo apresentou um aumento significativo de espessura no último mês avaliado antes do
abortamento. As éguas que levaram a gestação a termo apresentaram as mensurações no quinto mês
(4,5mm±0,2), sexto mês (4,0mm±0,6), sétimo mês (4,9mm±1,3), oitavo mês (4,8mm ±0,7), nono mês (5,8mm
±0,5), décimo mês (6,4mm±0,5). Todos os dados foram avaliados por ANOVA. No presente estudo não houve
efeito (p>0,05) do abortamento sobre a JUPT na média dos dez meses avaliados. No entanto, na avaliação
mensal, foi observada uma tendência (p<0,08) no quinto mês com valores médios do grupo que abortou (4,3 ±
1,3) e do grupo que levou a gestação a termo (4,5 ± 0,2). Troedsson et al (1997) verificaram que éguas que
abortaram entre o quinto e sétimo mês de gestação, sem apresentarem sinais clínicos, também demonstraram
espessamento da JUPT acima do esperado para a idade gestacional. Houve diferença (p<0,01) no décimo mês no
grupo que abortou (10,3 ± 0,0) e no grupo que levou a gestação a termo (6,4 + 0,5). Concluiu-se que a avaliação
da JUPT por meio da ultrassonografia transretal pode diagnosticar precocemente a placentite e permitir um
tratamento adequado, evitando o abortamento em éguas com gestações avançadas.

Palavras-chave: ultrassonografia, placenta, égua.


Keywords: ultrasonography, placenta, maré.

108
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação ultrassonográfica do transplante alogênico de células-tronco mesenquimais de


cordão umbilical equino em tecido muscular em diferentes tempos
Sonographic evaluation of allogeneic mesenchymal stem cells from equine cord in muscle
tissue at different times

Marianne Camargos Dias1,*, Leandro Maia1, Carolina Nogueira Moraes1, Caroline Keli Lopes Oliveira2,
Caroline Medeiros Geraldini1, Gustavo Fernandes Viana1, Lais Melicio Cintra Bueno1, Vânia Maria de
Vasconcelos Machado1, Fernanda da Cruz Landim-Alvarenga1
1
Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária, FMVZ-UNESP, Botucatu, SP, Brasil, 2Médica
Veterinária autônoma.
*E-mail: marianne.vet07@gmail.com

As células-tronco mesenquimais (CTMs) medeiam efeitos imunorreguladores na imunidade inata e adaptativa,


indiretamente através de fatores solúveis ou por contato físico direto. Devido à essa capacidade
imunomoduladora, parece ser perfeitamente viável o uso de CTMs alogênicas e seu efeito tem sido testado em
transplantes de diversos tipos. O tecido muscular é um dos tecidos moles mais adaptados ao exame
ultrassonográfico e permite avaliar a presença de inflamação demonstrada por uma imagem em que as fibras
musculares se tornam hiperecogênicas e a presença de exsudato tornam os septos fibroadiposos hipoecogênicos.
O presente trabalho teve como objetivo avaliar, por meio da ultrassonografia, o efeito do transplante
intramuscular de CTMs alogênicas derivadas de cordão umbilical (CU) sobre o tecido muscular de equinos
hígidos em diferentes momentos. Para o transplante alogênico foram utilizadas CTMs-CU criopreservadas de um
único doador, previamente caracterizadas quanto ao perfil imunofenotipico e resposta a diferenciação
osteogênica e adipogenica. O transplante celular foi realizado no músculo glúteo médio direito e esquerdo, em
dois pontos diferentes (grupo tratado), após a descongelação e expansão das células em frascos de cultura. Foi
inoculado, em cada região, um volume de 0,9µl dividido em 9 pontos contendo 3 milhões de células
ressuspendidas em Solução Balanceada de Hank´s (HBSS). Da mesma forma como descrito, foram feitas
injeções em outras duas regiões do músculo glúteo médio, mas com 0,9µl de HBSS sem células, servindo como
grupo controle. Exames ultrassonográficos foram realizados em cada animal imediatamente antes do transplante
celular (D0) para que fosse observado o aspecto da musculatura íntegra e a agulha fosse guiada a uma
profundidade determinada, 48 horas (D2) e 7 dias (D7) após o transplante, totalizando dois momentos após
aplicação. No momento D0 o exame ultrassonográfico mostrou um músculo com aspecto normal, no qual as
fibras musculares estão organizadas paralelamente como zonas hipoecogênicas e o septo fibroadiposo aparece
como linhas hiperecogênicas separando as fibras em uma aparência marmoreada. No D2, o exame indicou a
presença de reação inflamatória, sendo que a musculatura do glúteo médio apresentou-se heterogênea, com
presença de regiões hipo a anecogênicas, com contornos pouco definidos e irregulares. No D7 pôde-se observar
reorganização das fibras musculares e ausência das regiões hipo-anecogênicas observadas no D2. Entretanto, em
relação ao D0, a musculatura apresentou-se ainda com ecotextura heterogênea e presença de discretas regiões
hipoecogênicas em permeio às fibras musculares. O resultado descrito se aplica tanto para a região que recebeu
CTMs quanto para a região infiltrada apenas com HBSS, não observando diferenças aparentes entre as duas
regiões em cada momento. Assim, podemos inferir que a inflamação no D2 foi causada pelo trauma causado
pela inserção das agulhas e injeção de líquido e que no D7 este processo já estava em resolução de forma
independente. Nas condições experimentais as CTMs-CU não provocaram reação inflamatória significativa
baseado na análise das imagens geradas por ultrassonografia.

Palavras-chave: células-tronco mesenquimais, alogênico, transplante, músculo, ultrassom.


Keywords: mesenchymal stem cells, allogeneic, transplantation, muscle, ultrasound.

109
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação por ultrassonografia Doppler de corpos lúteos em éguas com ovulação


induzida
Corpus luteum evaluation by Doppler ultrasonography in ovulation induced mares

Victor Netto Maia1,*, André Mariano Batista2, Sílvio Cunha Neto3, Diogo Manoel Farias da Silva4,
Aurea Wischral2
1
Doutorando. Programa de Pós-graduação em Ciência Animal Tropical, UFRPE, Recife, PE, Brasil; 2Departamento de
Medicina Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil; 3Graduando em Medicina Veterinária. UNINASSAU, Recife, PE, Brasil;
4
Doutorando. Programa de Pós-graduação em Ciência Veterinária. UFRPE. Recife, PE, Brasil.
*E-mail: victormaiavet@yahoo.com.br

Consideráveis esforços têm sido feitos para melhorar a aplicação das técnicas de reprodução assistida na espécie
equina, no entanto ainda são escassos os estudos sobre vascularização do corpo lúteo (CL) e sua relação com a
progesterona em éguas induzidas com deslorelina. Neste sentido foram utilizadas éguas com ovulação natural
(GN) e induzida (GI) com deslorelina (folículos com 35 mm). Estas foram acompanhadas por ultrassonografia
Doppler, nos dias 4, 8 e 12 após a ovulação, quando também foram obtidas amostras de sangue para dosagem de
progesterona. Os CLs foram analisados quanto a sua vascularização, usando ultrassom com transdutor de 6,5
MHz, e gravação das imagens em vídeo. A análise dos vídeos considerou o percentual de área do parênquima
luteal que estava apresentando vascularização. A concentração de progesterona foi analisada por enzima-
imunoensaio. Os resultados foram apresentados em média ± desvio padrão. As médias de vascularização foram
no GN 76,25 ± 17,97; 70,00 ± 16,33 e 57,50 ± 26,61% e no GI 85,00 ± 10,80, 90,00 ± 0,00 e 58,75 ± 16,01%,
respectivamente para os dias 4, 8 e 12 após a ovulação. As concentrações de progesterona foram no GN 6,21 ±
1,23; 5,82 ± 2,89 e 4,63 ± 1,58 ng/mL e no GI 5,79 ± 2,93; 4,67 ± 2,12 e 4,49 ± 2,37 ng/mL respectivamente
para os dias 4, 8 e 12 após a ovulação. Nem os padrões de vascularização, nem as concentrações de progesterona
apresentaram diferenças significativas entre grupos ou momentos estudados. Conclui-se que a indução de
ovulação com a deslorelina, foi eficiente para a indução de ovulação em éguas e que não altera as respostas
fisiológicas do corpo lúteo no que diz respeito a vascularização do seu parênquima e a concentração plasmática
de progesterona.

Palavras chave: desrorelina, progesterona, equino, vascularização.


Keywords: desrorelin, progesterone, equine, vascularization.

110
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação do desenvolvimento de fetos equinos através do diâmetro da órbita e aorta


fetal do 5° ao 9° mês de gestação
Evaluation of the development of equine fetuses through the diameter of the orbit and fetal aorta of the 5th to the
9th month of pregnancy

Gabriela Castro da Silva*, Carlos Eduardo Wayne Nogueira, Patricia Soares Vieira,
Leonardo Motta Fornari, Ilusca Sampaio Finger, Luan de Andrade Kickofel,
Bruna dos Santos Suñé Moraes, Bruno Albuquerque de Almeida, Bruna da Rosa Curcio

Departamento de Clínicas Veterinária, UFPel, Pelotas, RS, Brasil.


*Email: elcas@ibest.com.br

A avaliação da gestação em éguas é importante para o reconhecimento precoce de fatores que comprometem a
gestação, viabilidade do feto e posteriormente do neonato. Em equinos da raça crioula e raças de tiro, a idade
gestacional pode ser determinada através da palpação retal e exame ultrassonográfico, sendo que através da
utilização deste, pela via transretal pode-se realizar a medição do diâmetro da órbita ocular fetal podendo-se
assim estimar a fase gestacional. Este estudo tem como objetivo avaliar o desenvolvimento de fetos equinos
através do diâmetro da órbita e aorta fetal do 5º ao 9º mês de gestação. O presente estudo utilizou 14 éguas
mestiças apresentando peso médio de 390 Kg e idade média 9,35+3,77 anos, durante a temporada reprodutiva
2012-2013. Essas éguas eram provenientes do plantel de éguas do Centro de Ensino e Experimentação em
Equinocultura da Palma (CEEP), da Universidade Federal de Pelotas, localizada no município de Capão do
Leão/RS. Todos os animais foram avaliados do quinto ao nono mês de gestação, com auxílio de ultrassom
portátil, equipado com um transdutor linear com frequência de 5.0 mHz, via transretal para determinar o
diâmetro da órbita ocular, e transdutor convexo com frequência de 3.5 mHz via transabdominal para obter o
diâmetro da aorta fetal. Os animais foram contidos e submetidos à palpação retal para avaliação do tônus,
espessura e assimetria uterina. Para mensuração da órbita ocular fetal, identificava-se a órbita e o comprimento
da mesma era obtido através da medição realizada paralelo ao cristalino. Através do exame transabdominal,
localizava-se o tórax fetal, na região próxima do coração, medindo o diâmetro da aorta fetal (eixo longitudinal)
de uma parede a outra da artéria, realizando-se três medidas em tempos diferentes e sendo o valor final a média
das três. A análise estatística foi realizada com auxílio do software Statistix8.0® (Analytical Software,
Tallahassee, FL, USA). Foi realizada análise de regressão linear para observação do crescimento das órbitas e
aorta fetal de acordo com o mês gestacional. No período do 5º ao 9º mês de gestação, foi observado crescimento
fetal baseado na mensuração das medidas da órbita via transretal e aorta via transabdominal, demonstrando ser
um crescimento linear, sendo representado neste estudo pela fórmula: Y=11,29 + 1,9690X, onde X representa o
tempo gestacional em meses (5°; 6°; 7°; 8°; 9° meses; r2=0,61; p<0,001) e Y representa o comprimento da órbita
fetal em milímetros (Média±DP, respectivamente nos meses: 19,94±1,88; 23,9±1,42; 25,63±2,05; 26,86±2,64;
28,8±2,20). Após 100 dias de gestação as curvas de crescimento para fetos divergiram e desta forma, a aferição
de mais de uma medida, como aorta e órbita fetal, são importantes para a correta avaliação da curva de
crescimento intrauterino e mensuração do período gestacional. O diâmetro da aorta fetal foi representado pela
fórmula Y=1,943+1,2848X onde X representa o tempo gestacional em meses (5°; 6°; 7°; 8°; 9° meses; r2=0,70;
p<0,001) e Y o valor do diâmetro da aorta em milímetros (Média±DP, respectivamente nos meses: 8,65±0,94;
9,78±1,02; 10,52±0,58; 12,25±1,23; 13,72±1,66). Pode-se concluir que a mensuração do diâmetro da aorta e
órbita fetal pode ser utilizada para estimar o tempo de gestação em éguas mestiças, apresentando padrão de
crescimento linear no período do 5º ao 9º mês de gestação.

Palavras-chave: obstetricia, ultrassonografia, potros.


Keywords: obstetrics, ultrassonography, foals.

111
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação da perfusão sanguínea uterina de éguas susceptíveis e resistentes à


endometrite persistente pós-cobertura
Uterine blood flow evaluation in mares resistant and susceptible to persistent post-breeding endometritis

Aline Gomes de Araujo1,*, Vivian Angélico Pereira Alfradique2, Sabina Gaia Campos de Lemos1,
Mário Felipe Alvarez Balaro1, Luiz Fernando Guaraná Macêdo Moura2,
Cynthia Cécile Perréard de Oliveira2, Ana Maria Reis Ferreira¹, Felipe Zandonadi Brandão1
1
Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária da Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil;
2
Departamento de Patologia e Clínica Veterinária, Setor de Reprodução Animal,
Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil.
*E-mail: aline_g_araujo@yahoo.com.br

Éguas que apresentam deficiências nos mecanismos de defesa do útero, com consequente processo inflamatório
persistente e falhas reprodutivas, são classificadas como suscetíveis à endometrite persistente pós-cobertura
(EPPC) (LeBlanc, 2003). Uma vez que a inflamação é caracterizada por hiperemia do órgão afetado (Weiss,
1982), e considerando que a US Dopler no modo Espectral fornece valores exatos de velocidades de fluxo
sanguíneo e índices Doppler vasculares e teciduais (Ginther & Matthew, 2004), esta se torna uma importante
ferramenta para avaliação de alterações da perfusão vascular uterina em éguas. O objetivo do presente estudo foi
avaliar o fluxo sanguíneo de artérias uterinas de éguas suscetíveis (GS) e resistentes (GR) à EPPC. Tais éguas
foram classificadas nos dois grupos (n=8 e n=6, respectivamente) em função do histórico reprodutivo e
histopatologia endometrial previamente realizada. O índice de resistência (RI) foi mensurado no momento em
que as éguas se encontravam no estro, com folículo acima de 35mm e edema endometrial, e também no diestro,
com 6±1 dias da ovulação, por meio da utilização da US Doppler Espectral. Também foram realizadas citologia
uterina e biópsia endometrial nos momentos avaliados, para confirmação da classificação das éguas. Os dados
foram submetidos à análise de variância e teste Tukey (P<0,05). Não houve diferença (P>0,05) nos valores de RI
entre as artérias uterinas ipsi e contralateral ao ovário em que ocorreu a ovulação, dentro do GS, no momento
estro (0,84886±0,48373 e 0,86248±0,26281, respectivamente) e diestro (0,83933±0,53431 e 0,82773±0,52026,
respectivamente), o mesmo ocorrendo no GR (0,85530±0,48429; 0,90994±0,45152; 0,87386±0,30291; e
0,88497±0,22519, respectivamente), corroborando os achados de Bollwein et al. (1998). Também não houve
diferença (P>0,05) dentro de cada grupo, nos momentos estro e diestro (GS: 0,85665±0,36343 e
0,83436±0,51125; GR: 0,88262±0,52705 e 0,87831±0,26678; respectivamente). Em relação aos valores de RI
entre os grupos, não houve diferença (P>0,05) no momento estro (GS: 0,85665±0,36343 e GR:
0,88262±0,52705). Porém, foi observada diferença (P<0,05) no momento diestro entre os dois grupos (GS:
0,83436±0,51125 e GR: 0,87831±0,26678), com menores valores de RI no GS e, consequentemente, maior
vascularização. Uma hipótese que justificaria tal resultado é que o estímulo inflamatório em decorrência da
manipulação uterina para obtenção de citologia e biópsia endometrial persistiu nas éguas suscetíveis,
necessitando de maior aporte sanguíneo para debelar o processo ainda presente. Em conclusão, a ferramenta
utilizada foi eficiente na detecção de alterações na perfusão vascular uterina, entre éguas suscetíveis e resistentes
à endometrite persistente pós-cobertura.

Palavras-chave: Doppler espectral, vascularização uterina, inflamação, éguas.


Keywords: spectral Doppler, uterine blood flow, inflammation, mare.

112
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Caracterização do crescimento folicular e da ovulação de éguas: manipulação hormonal


para durante o anestro sazonal
Characterization of the follicle growth and ovulation of mares: hormonal manipulation during seasonal anestrus

Iury Kao Moretti Itoyama, Bárbara Virgínia Rodrigues Rizoto de Mattos, Luciana Ribeiro Peixoto, Luiz
Carlos da Silva Borges Junior, Gustavo Guerino Macedo*

Laboratório de Reprodução Animal, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, Brasil


*E-mail: ggmacedo@gmail.com

As éguas apresentam ciclo estral sazonal, sendo a ciclicidade estimulada pelo fotoperíodo longo. Assim, durante
o verão é observado maior atividade ovariana que no inverno. O presente trabalho foi realizado no município de
Brotas, São Paulo, durante o inverno. Foram utilizadas 10 éguas em ótimo estado sanitário e nutricional. No D0
foi inserido um dispositivo intravaginal de 1 g progesterona (P4; Sincrogest®, Ourofino, Brasil) e administrado
i.m. 7 mg de Benzoato de Estradiol (BE; Sincrodiol®, Ourofino, Brasil). No D9 o dispositivo foi removido e
aplicado i.m. 500 ug de cloprostenol sódico (Sincrocio®, Ourofino, Brasil) e 2 mg de BE. Exames
ultrassonográficos foram realizados a cada 24 horas com a mensuração do diâmetro do folículo dominante (FD)
desde o D0 até o momento da ovulação. No momento em que o FD atingisse 35 mm, aplicou-se 100 ug de
Cistorrelina i.m. (Cystorelin®,Merk, Brasil). No D0 as fêmeas apresentaram FD de 27.7 ± 1.3 mm. Com a adm
do BE, observou-se uma regressão do diâmetro FD e surgimento de uma nova onda de crescimento no D4. O FD
apresentou 22,8 ± 1.7 mm de diâmetro na retirada do dispositivo de P4 e 39,0 ± 1.2 mm no momento da adm de
cistorrelina com uma taxa de crescimento de 2,74 mm por dia. A ovulação ocorreu 8,5 dias após a remoção da
P4 e a taxa de ovulação foi de 70%. Assim, o presente estudo evidencia a viabilidade da manipulação hormonal
na desestacionalização de éguas.

Palavras-chave: crescimento folicular, éguas, protocolo hormonal, ovulação, folículo.


Keywords: follicular growth, mares, hormonal protocol, ovulation, follicle.

113
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Diagnóstico de endometrite através da avaliação de ultrassonografia, citologia e


bacteriologia uterina em éguas na região do Agreste e Zona da Mata do
Estado de Pernambuco
Diagnosis of endometritis through ultrasonografy evaluation, cytology and uterine bacteriology in mares
located in Agreste and Zona da Mata Region of the State of Pernambuco

Táyrlla Polessa Rodrigues Silva, Pollyanne Raisa Fernandes de Oliveira, Breno Barros de Santana,
Antônio Fernando Barbosa Batista Filho, Jonas de Melo Borges, José Wilton Pinheiro Junior,
Gustavo Ferrer Carneiro*

Universidade Federal Rural de Pernambuco, Unidade Acadêmica de Garanhuns (UFRPE/UAG), Garanhuns, PE, Brasil.
*E-mail: gustavo@uag.ufrpe.br

A eficiência reprodutiva nas éguas está intimamente relacionada com a habilidade do útero em manter um
ambiente compatível com o desenvolvimento do embrião e o crescimento fetal, sendo este susceptível a
desenvolvimento de processos inflamatórios subsequentes à invasão uterina. Um dos fatores que impossibilitam
a sobrevivência embrionária, afetando a taxa de prenhez, é a endometrite, sendo este um processo infeccioso que
acomete o útero das éguas. Este estudo objetivou diagnosticar endometrite em éguas através de exames de
citologia e avaliação microbiológica de éguas da região do Agreste Meridional e Zona da Mata do Estado de
Pernambuco. Foram examinadas 16 éguas por palpação retal e ultrassonografia com histórico de infertilidade
recente pós inseminação artificial ou pós-coleta de embriões. Foram coletadas amostras das mesmas para
citologia uterina e exame microbiológico. Para a colheita do material, foi utilizado swab coletor estéril acoplado
a escova ginecológica (PROVAR®). Em seguida, foram realizados esfregaços do material obtido em lâminas,
fixando-as em metanol, por 10 minutos, com os swabs sendo acondicionados em tubos contendo meio de
transporte (PBS), imediatamente fechados, identificados e encaminhados para o Laboratório de Reprodução e
Doenças Infecciosas da UFRPE/UAG para posterior processamento. Das 16 éguas coletadas, 6 animais não
apresentavam alterações clínicas (37,5%) á palpação retal ou ao exame ultrassonográfico, enquanto que as
demais 10 éguas (62,5%) apresentaram algum tipo de alteração tais como presença de fluido intra-uterino ou
corrimento vaginal. Dos achados citológicos e exames microbiológicos 14 (87,5%) foram positivas ao exame
citológico e microbiológico demonstrando uma alta correlação entre estas técnicas. O microorganismo que
apresentou maior frequência foi o Streptococcus spp., sendo visto em 4 culturas (36,36%), seguido por
Staphylococcus spp, Enterobacter sp. com 27,27% dos isolados e 2 isolados de Coccus bacillus (18,18%).
Foram isolados fungos em 5 das 16 amostras analisadas (31,25%). Índice considerado elevado e talvez indique
que as endometrites causadas por fungos sejam mais comuns em regiões tropicais, devido ao ambiente ser mais
propenso ao desenvolvimento do fungo durante todo o ano, além disso, com o aumento das biotécnicas da
reprodução, principalmente a Transferência de Embriões há uma manipulação mais exacerbada do aparelho
reprodutivo, o que pode contribuir para o aumento das infecções fúngicas. Neste estudo foi isolado em 40% das
amostras (2/5) Aspergillus spp, havendo desenvolvimento de outros gêneros como Curvalaria spp,
Cladosporium spp e Zygomices spp todas com percentual de 20% (1/5). Infecções mistas fúngica e bacteriana
foram verificados nos isolados de dois animais, com Enterobacter spp e Cladosporium spp e a outra associação
Staphylococcus spp e Aspergillus spp.  A identificação do agente e conhecimento da suscetibilidade
farmacológica é de extrema importância no decorrer do tratamento, tendo em vista o aumento no número de
animais resistentes aos fármacos disponíveis no mercado devido a utilização indiscriminada, diminuindo desta
forma o custo no tratamento com escolha de um fármaco eficiente. Outro ponto positivo é optar por fármacos
específicos para o agente, diminuindo o uso de princípios ativos de amplo espectro que favorece a resistência do
agente. A utilização do exame ultrassonográfico associado a citologia e cultura microbiológica são ferramentas
extremamente importantes para auxiliar o profissional de campo no diagnóstico das infertilidades na espécie
equina. A correlação desses exames poderá fornecer subsídios ainda mais importantes para melhoria da
eficiência reprodutiva dos rebanhos equinos.

Palavras-chave: eficiência reprodutiva, produtividade, diagnóstico, endometrite.


Keywords: reproductive efficiency, productivity, diagnosis, endometritis.

114
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Parto eutócico diurno em égua: relato de caso


Eutocic daytime parturition in mare: case report

Beatriz Costa Mendonça, Verena Lima Cordeiro, Átila Schaffer Morais, Vanessa Silva Santana,
Cinthya Batista dos Santos Rodrigues Costa, Talita Conceição da Silva,
Indiara Santana Cerqueira, Jessyka Gomes da Silva, Mattheus Moreira da Silva Freitas,
Isis Freitas Ribeiro, Ana Karina da Silva Cavalcante, Cristiane Silva Aguiar*

Centro de Ciências Agrárias, Ambientais e Biológicas, UFRB, Cruz das Almas, BA, Brasil.
*E-mail:cristianeaguiar@ufrb.edu.br

Para finalizar o período gestacional ocorre a expulsão do produto para o meio externo precedido da ruptura dos
envoltórios fetais, conjuntamente à dilatação das vias fetais e o desencadeamento de vigorosas contrações
uterinas e abdominais que favorecem o nascimento do potro, caracterizando um parto normal ou eutócico. Em
éguas esse processo tende a ser bem rápido comparado com outras espécies, durando em torno de 20 a 30
minutos, podendo se prolongar em éguas primíparas. Nos partos eutócicos a estática fetal predominante é a
apresentação longitudinal anterior, posição superior e postura estendida. Qualquer alteração nesta disposição
indica a ocorrência de uma distocia e exige intervenção imediata, visto que o neonato pode vir a óbito em
decorrência do descolamento da placenta epitélio corial difusa e o estabelecimento de um quadro de anoxia. Os
partos diurnos acontecem na minoria dos casos, mais de 87% dos partos em éguas ocorrem entre as 18:00 e 7:00
e apenas 12% entre as 7:00 e 18:00, portanto as éguas normalmente buscam o momento de maior tranquilidade
ambiental para proceder à parição. Contrariando a maioria das ocorrências, esse relato refere-se a um parto
eutócico diurno em uma égua primípara da raça Mangalarga Marchador pertencente a tropa da Universidade
Federal do Recôncavo da Bahia. A égua se encontrava em um piquete maternidade junto com outras éguas
gestantes, recebendo feno e ração comercial no cocho duas vezes ao dia e água ad libidum. No período pré-parto
apresentou relaxamento do ligamento sacro-isquiático e desenvolvimento da glândula mamária, indicadores da
proximidade do parto. No dia do parto, por volta das 10h40min o animal apresentou inquietação, sudorese,
movimentos de escavação e distanciamento das outras éguas que se encontravam no piquete indicando ter
iniciado o trabalho de parto, culminando com o nascimento de um potro do sexo masculino que apresentava a
estática fetal supracitada que é esperada para o parto eutócico. A fase de expulsão fetal teve a duração de 10
minutos, a fase de expulsão placentária durou 1h08min, a ruptura espontânea do cordão umbilical ocorreu 5min
após o nascimento, o neonato se colocou em estação após 35min do nascimento, procedeu a primeira mamada
após 42min, eliminou o mecônio após 59min, a primeira micção ocorreu após 5h15min e a placenta pesou 3.350
kg, sem alterações dignas de nota. Todos os parâmetros se mantiveram dentro do padrão de normalidade relatada
na literatura, tanto para a mãe como para o filhote, mesmo ambos estando em condições adversas de pouca
tranquilidade. Conclui-se que apesar de ser a minoria dos casos é possível a ocorrência de parto eutócico diurno
em éguas primíparas culminando com o nascimento de potros perfeitamente normais.

Palavras-chave: gestação, parto normal, equino, neonato.


Keywords: gestation, natural parturition, equine, neonate.
 

115
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Concentrações de IGF1 livre e Insulina no fluido folicular de éguas durante a


foliculogênese
Free IGF 1 and insulin concentrations in follicular fluid of mares during folliculogenesis

Lisia Schaefer Besen1,*, Anita Mylius Pimentel1, Anamaria Telles Esmeraldino2,


Ana Meikle3, Rodrigo Costa Mattos1
1
Reprolab, UFRGS, Porto Alegre, RS Brasil; 2Departamento de Anatomia Patológica Veterinária, ULBRA, Canoas, RS,
Brasil; 3Laboratório de Técnicas Nucleares, UdelaR, Montevidéu, Uruguai.
*
E-mail:lisiasbesen@gmail.com

Na foliculogênese há uma regulação endócrina sistêmica que envolve as gonadotrofinas, hormônios e fatores de
crescimento. O mecanismo que desencadeia os eventos que tornam o folículo dominante ainda não é claro. O
fator de crescimento semelhante à insulina tipo 1 (IGF 1) estimulado por FSH, potencializa a atividade da
aromatase e a expressão dos receptores de LH. A Insulina, nas células ovarianas, atua na produção de andrógenos
e esteroides. O objetivo deste trabalho foi analisar as concentrações de IGF 1 livre e de Insulina no fluido
folicular (FF) e localizar os receptores de IGF 1 na parede folicular de éguas em diferentes fases da
foliculogênese. Foram coletados os ovários com maior folículo de 40 éguas de abatedouro e divididos em 4
grupos conforme o tamanho folicular: G1 (5 a 13,5mm), G2 (13,6 a 22,5mm), G3 (22,6 a 31,5mm) e G4
(≥31,6mm). As concentrações de IGF 1 e Insulina foram determinadas por radioimunoensaio. Os receptores
de IGF 1 foram localizados por imunohistoquímica. Os dados do fluido folicular foram analisados por
análise de variância (SAS), considerando-se como variável principal os grupos foliculares e variáveis
dependentes a concentração de IGF 1 livre e de Insulina. Os dados da imunohistoquímica foram analisados
pelo teste de Kruskal-Wallis. As concentrações de IGF 1 livre não apresentaram diferença significativa (P < 0,05)
entre os grupos G1 e G2 (média ± erro padrão de 2,76 ng/mL ± 3,39 e 4,24 ng/mL ± 3,39), entre G2 e G3
(4,24 ng/mL ± 3,39 e 12,95 ng/mL ± 3,39), porém houve diferença entre o G4 (30,56 ng/mL ± 3,39) e os demais
grupos. Em relação à Insulina, não houve diferença significativa entre os grupos G1, G2 e G3 (4,06 µUI/mL ± 1,64,
5,08 µUI/mL ± 1,64 e 7,22 µUI/mL ± 1,64), e entre G3 e G4 (7,22 µUI/mL ± 1,64 e 10,33 µUI/mL ± 1,64);
porém G4 foi diferente de G1 e G2. Houve correlação positiva entre os grupos e concentração de IGF 1 livre,
entre os grupos e concentração de Insulina, e entre as concentrações de IGF 1 livre e Insulina. Os receptores de
IGF 1 foram localizados nas células da granulosa e nas células da teca interna. Observou-se, pela intensidade da
coloração, que os receptores de IGF 1 estão mais frequentes nos folículos dos grupos G3 e G4. Conclui-se que,
na égua, o IGF 1 tem papel importante em toda foliculogênese, aumentando suas concentrações conforme
aumenta o diâmetro folicular e também o número de seus receptores; enquanto que a insulina é preponderante
nos folículos pré-ovulatórios.

Palavras-chave: éguas, IGF 1, insulina, receptor de IGF 1, fluido folicular, foliculogênese.


Keywords: mares, IGF 1, insulin, IGF 1 receptor, follicular fluid, folliculogenesis.

116
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Histopatologia da placenta relacionada ao tempo de gestação após indução de placentite


em éguas
Histopathology of the placenta after pregnancy time related induction of placentitis in mares

Camila Gervini Wendt*, Bruna da Rosa Curcio, Patricia Soares Vieira, Laura Corrêa de Oliveira,
Fernanda Maria Pazinato, Lorena Soares Feijó, Débora Machado Noguera,
Carlos Eduardo Wayne Nogueira

Departamento de Clínicas Veterinária; Departamento de Patologia Animal, UFPel, Pelotas, RS, Brasil.
*Email: wgtelle@brturbo.com.br

A placentite ascendente é a principal causa de perdas gestacionais e mortalidade neonatal em éguas, sendo
geralmente causada pela bactéria Streptococcus equi subespécie zooepidemicus. O período entre a infecção, o
desenvolvimento da doença e o parto, são importante na progressão das lesões da placenta além de que as
alterações histológicas placentárias estão altamente associadas à viabilidade e anormalidades fetais. O objetivo
do estudo foi avaliar a histopatologia da placenta e relacionar ao tempo de gestação após indução da placentite e
sobrevida neonatal. O presente estudo utilizou 12 éguas mestiças, com idade média de 9,5 anos, pertencentes ao
plantel do Centro de Ensino e Experimentação em Equinocultura da Palma (CEEP), da Universidade Federal de
Pelotas, localizada no município de Capão do Leão/RS, durante a temporada reprodutiva 2013 - 2014. A indução
da placentite foi realizada através da infusão intracervical de Streptococcus equi subspécie zooepidemicus na
concentração de 107 unidades formadoras de colônia (UFC), entre os dias 280-295 de gestação. O tratamento
dessas éguas consistiu de antibioticoterapia com sulfametoxazol e trimetoprim (30mg/kg, BID, por 10 dias) e
terapia antiinflamatória com flunixin meglumine (1,1mg/kg, SID, por 7 dias) por via endovenosa. O diagnóstico
de placentite foi confirmado através da observação de secreção vaginal, lactação precoce e espessamento da
junção útero placentária observada pela avaliação ultrassonográfica e a sobrevida dos neonatos classificada como
natimortos, potros debilitados e potros viáveis. Após o parto foram coletados nove fragmentos, correspondentes
à estrela cervical, corpo uterino, corno gravídico e não gravídico, bifurcação, âmnion e três pontos do cordão
umbilical, destinados à análise histológica, sendo os fragmentos coletados e fixados em formol a 10%. Em
41,66% (n=5/12) apresentaram quadros hiperagudos de placentite, com presença de lesões discretas de necrose
de microcotilédones e epitélio coriônico, principalmente na região de estrela cervical, além da presença de
colônias bacterianas basofílicas, dispostas na face alantoideana e coriônica da estrela cervical, amnion e
revestimento amniótico do cordão umbilical. O intervalo entre a inoculação e parição foi de até 48 horas e todos
os potros deste grupo nasceram natimortos de partos distócicos. Em 33,33% (n=4/12) apresentaram quadro
agudo de placentite, caracterizados por inflamação supurativa no corioalantoide, principalmente nas regiões de
estrela cervical, corpo uterino e corno gravídico, com intenso infiltrado neutrofílico. Essas éguas tiveram tempo
entre inoculação e parto variando de 9 a 20 dias e os potros foram viáveis, porém dois deles debilitados, estando
relacionada à insuficiência placentária resultante do comprometimento das trocas metabólicas e gasosas entre
mãe e feto. Em 25% (n=3/12) foram observadas lesões compatíveis com placentite crônica, observando-se
presença de infiltrado histiolinfocitário em trofoblasto de microcotilédones e lâmina própria do alantocórion,
com discretos focos de necrose. O tempo de manutenção da gestação após indução foi de 20 dias ou mais e os
neonatos desse grupo nasceram todos viáveis, geralmente devido aos potros sofrerem uma aceleração da
maturação fetal, podendo ser gerados de forma prematura, porém maduros o suficiente para sobreviver no
ambiente extra uterino. Foi observado que a histopatologia placentária apresentou íntima relação com o tempo de
manutenção da gestação (intervalo indução-parto), assim como a sobrevida do neonato equino.

Palavras-chave: Histopatologia, placentite, Streptococcus equi.


Keywords: Histopathology, placentitis, Streptococcus equi.

117
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Achados macroscópicos e histológicos em placentas de éguas PSI a termo


Macroscopic and histological findings in placentas of mares PSI the term

Patricia Soares Vieira1,*, Bruna da Rosa Curcio1, Fernanda Maria Pazinato1, Letícia da Silva Souza1,
Luciana Oliveira de Araújo1, Lorena Soares Feijó1, Laura Correa de Oliveira1, Cristina Gevehr
Fernandes2 Carlos Eduardo Wayne Nogueira1
1
Departamento de Clínicas Veterinária; 2Departamento de Patologia Veterinária, UFPel, Pelotas, RS, Brasil.
*Email: patricia10.vieira@hotmail.com

A placenta é a principal relação da mãe com o feto durante a gestação, dessa forma a avaliação sistemática da
mesma no pós-parto pode trazer informações importantes sobre o feto e saúde neonatal. O objetivo desse estudo
foi relacionar os achados macroscópicos e histológicos das placentas de éguas Puro Sangue Inglês (PSI) a termo.
Foram utilizadas 188 éguas da raça PSI, de um criatório de Aceguá/RS, durante os anos de 2011 a 2013. As
éguas foram monitoradas no terço final de gestação e os partos assistidos, sendo realizada avaliação
macroscópica da placenta e coleta de nove fragmentos de diferentes regiões placentárias, sendo esses: estrela
cervical, corpo uterino, região de bifurcação, corno gravídico e não gravídico, âmnion e três pontos do cordão
umbilical, os quais foram acondicionados em formalina tamponada 10% para fixação e posterior processamento
e avaliação histopatológica. Para comparação entre as variáveis categóricas foi utilizado o teste de associação
Qui Quadrado, através do software Statistix 9.0. Na macroscopia foram observadas 79 placentas sem alterações.
Em 87 placentas foram encontradas alterações consideradas como artefatos na macroscopia, sendo: superfície
coriônica de coloração marrom a acinzentada (n=30), áreas irregulares de descoloração (n=9), áreas de
avilosidades (n=42) e edema (n=6). Já em 21 placentas foram observadas áreas de avilosidades, por vezes com
espessamento, cobertas com conteúdo seromucoso a purulento na superfície coriônica, caracterizando quadros de
placentite. Com relação aos achados histológicos, foram observadas 129 placentas sem alterações. Em 30 destas,
o epitélio coriônico apresentou-se por vacuolização intensa do citoplasma. Lesões inflamatórias foram
observadas em 40 placentas, sendo que 19 destas apresentaram características sugestivas de placentite crônica e
nas outras 21 placentas havia características indicativas de placentite aguda. Também foram observadas 19
placentas com hipoplasia/atrofia de microcotilédones. Em 93% das placentas os achados macroscópicos foram
condizentes com a histologia, sendo que em 87,3% (n=69/79) das placentas sem alterações na macroscopia não
foram visualizadas alterações histológicas. Somente 33,3% (n=3/9) das placentas com alteração de coloração
apresentaram infiltrado inflamatório moderado, este geralmente relacionado com congestão, a qual é passiva por
compressão, ou hiperemia ativa relacionada diretamente a alterações inflamatórias. Neste estudo, das 6 placentas
com edema na macroscopia, foram observadas 66,7% (n=4/6) com alterações inflamatórias na histologia. Das
placentas com hipoplasia/atrofia 42,1% (n=8/19) não demonstraram alteração macroscópica, sendo que 31,5%
(n=6/19) destes eram regiões de avilosidades, enquanto em 26,3% (5/19) foram encontrados outros achados
considerados artefatos na macroscopia. Das placentas com alterações macroscópicas de placentite, 80,9%
(n=17/21) destas apresentaram infiltrado inflamatório na histopatologia, sendo que 61,9% (n=13/21) destas
foram caracterizadas por infiltrado grave. Somente 2 placentas com macroscopia sugestiva de placentite, não
apresentaram alterações histológicas. Da mesma forma, em 2 placentas sem alterações macroscópicas, foi
visualizado infiltrado inflamatório grave na histologia. Pode-se concluir que os achados macroscópicos
placentários podem ser questionáveis, dessa forma a histopatologia é útil em diferenciar artefatos de lesões
significativas ao diagnóstico definitivo de alterações placentárias.

Palavras-chave: obstetrícia, parto, placentite.


Keywords: obstetrics, childbirth, placentitis.

118
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Existem fatores que influenciam o sexo dos produtos da raça PSI?


Are there factors that influence the sex ratio in the PSI breed?

Jonas Gomes Flores1,2, Alinne Machado Petrarca Léo2,*, Patrícia Iana Schmidt2,
Sandra Fiala Rechsteiner1,2
1
Programa de Pós-graduação em Medicina Animal: Equinos (PGMAE), UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil; 2HISTOREP,
Departamento de Morfologia, IB/UFPel, Pelotas, RS, Brasil.
*E-mail: alinnempetrarca@gmail.com

A probabilidade de um óvulo ser fertilizado por um espermatozoide com o cromossomo x ou y é o mesmo,


portanto o resultado esperado no sexo da prole ocorre na proporção 1:1, dependendo da raça e do objetivo da
criação, um maior número de fêmeas ou de machos é desejado e já foi demonstrado que alguns fatores podem
interferir na proporção de sexo, favorecendo um maior número de fêmeas ou machos, tais como condição
corporal da mãe, mudança de condição corporal antes ou após a concepção, número de partos, perfil hormonal
materno, stress, entre outros. Este trabalho teve como objetivo avaliar os fatores que influenciam no sexo dos
potros da raça PSI após a indução da ovulação em éguas. Foram utilizadas 122 éguas, da raça Puro Sangue
Inglês, alocadas em um Haras na região de Bagé – RS durante duas estações reprodutivas. As éguas possuíam
condições reprodutivas variadas, idade média de 14,2 anos, foram divididas em dois grupos, de acordo com a
idade (G1 = até 12 anos e G2 = a partir de 13 anos) e cobertas por garanhões (n=17 e idade média de 9,5 anos)
escolhidos pelos proprietários. O controle folicular foi realizado através de palpação retal e exame
ultrassonográfico. As éguas que apresentavam um folículo maior de 35 mm, edema uterino e receptividade ao
garanhão foram induzidas a ovulação com Gonadotrofina Coriônica Humana, 2.500 UI/IV ou Deslorelina na
dose de 1 ml/IV. De forma aleatória, algumas éguas foram induzidas a ovulação 24h antes da cobertura e as
outras foram induzidas a ovulação no momento da cobertura. As éguas foram examinadas a cada 24h a partir da
cobertura para verificação da ovulação. Só fizeram parte do experimento éguas que foram cobertas uma única
vez. No ano seguinte através de pesquisa no Stud Book Brasileiro ou por entrevista direta aos responsáveis pelas
éguas o sexo dos potros nascidos foi catalogado. Para a análise estatística foi utilizada distribuição de frequência,
estatística descritiva, Qui-quadrado e análise de variância (P<0,05). A variável dependente foi o sexo do produto
e as variáveis categóricas: idade das éguas e dos garanhões, garanhão utilizado, momento da ovulação após a
cobertura, indutor da ovulação, duração da gestação, ovário em que ocorreu a ovulação. Verificou-se que o
indutor utilizado (P=0,1015) idade dos garanhões (P=0,8573), ovário em que ocorreu a ovulação (P=0,5556),
duração da gestação (0,9681), momento da cobertura em relação à ovulação (P=0,2110) e garanhão utilizado (P=
0,4963) não tiveram influência no sexo dos produtos. Quando as éguas foram agrupadas de acordo com a idade
em éguas jovens e velhas, houve uma tendência (0,0595) das éguas mais velhas apresentarem um número maior
de fêmeas. Sendo assim, pode-se concluir que as variáveis analisadas estudo não foram significativas quando
comparadas ao sexo dos produtos.

Palavras-chave: éguas, sexo, potros, ovulação.


Key words: mares, sex, foals, ovulation.

119
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Mastite em égua da raça Crioula


Mastitis in mare Criollo breed

Luzia Hallal Duval1,2,*, Giuliano Suzin3, Eduarda Hallal Duval3, Eduardo José Costa Pereira Duval4,
Helenice Gonzales3, Sandra Fiala-Rechsteiner1,2
1
HISTOREP, Departamento de Morfologia, Instituto de Biologia, UFPel, Pelotas, RS, Brasil; 2PPGMAE Programa de pós-
graduação em Medicina Animal: Equinos UFRGS, 3Laboratório de Inspeção de Produtos de Origem Animal (LIPOA),
Faculdade de Veterinária, UFPel, Pelotas, RS, Brasil; 4Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, UFPel, Pelotas, RS, Brasil.
*E-mail: luzia_hallal_duval@hotmail.com

O leite é uma secreção nutritiva produzida pela glândula mamária das fêmeas da classe dos mamíferos.
Apresenta coloração esbranquiçada e opaca, e é essencial para a sobrevivência dos neonatos mamíferos,
assegurando o crescimento e desenvolvimento saudável destes. Na América do Sul, o leite equino não é
comumente utilizado para consumo humano, em contrapartida, em países da Europa, como França e Alemanha,
este produto tem sido utilizado como sucedâneo do leite materno na alimentação de recém-nascidos e
prematuros. Sabe-se que a lactação é umas das fases mais importantes na vida de qualquer mamífero.
Considerando que o leite é a principal fonte de alimento do potro, é essencial assegurar que o neonato adquira o
mesmo em boa quantidade e qualidade. Os poucos estudos sobre a qualidade do leite equino existentes no Brasil,
estão direcionados à nutrição do potro ou à sanidade da glândula mamária. Em relação à última, a mastite é
afecção caracterizada como um processo inflamatório da glândula mamária que provoca alterações físicas,
químicas, celulares e bacteriológicas do leite, assim como modificações do tecido glandular, que podem
provocar lesões irreversíveis ao parênquima mamário reduzindo drasticamente a produção de leite. A ocorrência
desta enfermidade é considerada baixa em equinos, se comparada aos ruminantes domésticos, e sua ocorrência é
predominante na fase de lactação. Este trabalho teve como objetivo relatar um caso de mastite sub-clínica em
uma égua lactante da raça Crioula. Um égua de 18 anos no 7º parto, pariu um macho no dia 25 de novembro do
ano de 2013, foi alocada em um experimento sobre a qualidade e sanidade do leite de éguas da raça Crioula
realizado em uma propriedade na cidade de Dom Pedrito, Rio Grande do Sul. Durante a segunda coleta de leite,
foi observado que a égua não apresentava produção adequada de leite e sequer instinto materno. O potro foi
afastado da mãe durante 45 minutos e foi realizada a coleta de leite dos dois tetos para análise microbiológica do
leite - através do isolamento e identificação do agente - e também contagem de células somáticas (CCS) - por
citometria de fluxo. Para a realização, as mãos do ordenhador foram higienizadas com água e sabão e secas com
papel toalha. Foi utilizado álcool 70% para desinfecção dos tetos antes da coleta das amostras. Os primeiros jatos
de leites foram desprezados e então foi realizada a coleta em tubos estéreis. Após a coleta, as amostras foram
acondicionadas a 5ºC e envidas para o Laboratório de Inspeção de Produtos de Origem Animal (LIPOA), da
Universidade Federal de Pelotas, onde foram realizadas as análises. A quantidade de leite obtida dois tetos foi de
apenas 20 mL, verificou-se o crescimento de Staphylococcus coagulase - um dos agentes causadores da mastite -
e uma grande contagem de células somáticas (585.000 CS/ml), o que evidencia uma afecção da glândula
mamária. Conclui-se então que, devido à manipulação do teto e consequentes traumatismos na glândula
mamária, a égua desenvolveu uma mastite sub-clínica, diminuindo drasticamente a produção leiteira devido a
dor causada pela inflamação, parou de amamentar o seu potro, perdendo o instinto materno.

Palavras-chave: égua, leite, potro, mastite, glândula mamária.


Keywords: mare, milk, foal, mastitis, mammary gland.

120
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Idade materna ao parto de equinos ganhadores da prova Freio de Ouro


Maternal age at birth of horses winners of “Freio de Ouro” competition

Fernanda Carlini Cunha dos Santos*, Bruna da Rosa Curcio, Mariane Roman,
Carlos Eduardo Wayne Nogueira

Departamento de Clínicas Veterinária, Hospital Veterinário, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS, Brasil.
*E-mail: carlini@portoweb.com.br

A prova Freio de Ouro é promovida oficialmente pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos
(ABCCC) há mais de 30 anos, sendo considerada uma competição de alta performance e exclusiva da raça
Crioula. Esta raça é descendente dos cavalos ibéricos, trazidos ao Brasil pelos lusos e espanhóis a partir do
século XV, sendo considerada rústica, de alta fertilidade e longevidade. O aumento da idade da égua é
relacionado com a redução na sua competência reprodutiva. Além disso, em outras raças já foi demonstrado que
idade materna e a ordem do parto estão relacionados com a performance dos produtos. O objetivo deste trabalho
foi realizar análise descritiva da idade da égua ao parto de equinos que foram consagrados ganhadores da prova
Freio de Ouro. Foi realizado um estudo retrospectivo da idade materna ao parto dos equinos ganhadores da prova
Freio de Ouro, considerando as três primeiras colocações: Freio de Ouro (1º lugar), Freio de Prata (2º lugar) e
Freio de Bronze (3º lugar). Estes dados foram obtidos através do registro genealógico da ABCCC, incluindo o
período de 1982 a 2012 (n=153). Foi realizada estatística descritiva com auxílio do programa Statistix 9®
(Statistix 9 for Windows, Analytical Software, Tallahassee, FL, USA, 2008). Foi observado que 52% (79/153)
dos ganhadores nasceram quando a égua apresentava intervalo de idade entre 5 a 8 anos. Nesta idade, as éguas
são consideradas maduras e este período representa o primeiro terço da vida reprodutiva. Na raça Puro Sangue
Inglês (PSI), diversos autores já demonstraram a ocorrência de uma maior frequência de produtos vencedores
nascidos no primeiro terço da vida reprodutiva da égua. Somente 4% (6/153) das éguas entre 3-4 anos de idade
pariram ganhadores. Nesta idade, as fêmeas ainda estão em fase de crescimento e desenvolvimento corporal,
podendo influenciar negativamente tanto o desenvolvimento do concepto como o da égua. A idade recomendada
para o início de programas reprodutivos em éguas é a partir dos 5-6 anos, quando estas apresentarem término da
fase de crescimento, atingido fase e tamanho adulto. Foi observado somente 13% (19/153) de ganhadores
provenientes de éguas entre 15 e 24 anos de idade. Este achado corrobora com dados da literatura nacional, onde
há descrição de um baixo percentual de produtos ganhadores nascidos após os 12 anos de idade em éguas PSI.
Éguas idosas tendem a apresentar alterações uterinas e na circulação materno-fetal, podendo limitar o
desenvolvimento do concepto e influenciar na vida atlética futura. Além do período de vida materna, o número
de partos prévios também pode influenciar na performance da progênie. Em conclusão, a maioria dos equinos
ganhadores da prova Freio de Ouro foi parido durante o primeiro terço da vida reprodutiva das éguas.

Palavras-chave: éguas, gestação, obstetrícia, performance atlética.


Keywords: athletic performance, mares, obstetrics, pregnancy.

121
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Uso da Imunofluorescência e citometria de fluxo na caracterização de células-tronco de


pluripotência induzida
Immunofluorescence and flow cytometry characterization of induced pluripotent stem cells

Midyan Daroz Guastali1,*, Michelle Silva Araújo1, Bianca Andriolo Monteiro1, Tatícia Lieh Ikeda1,
Fabiana Fernandes Bressan2, Flávio Vieira Meirelles2, Fernanda da Cruz Landim-Alvarenga1
1
Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária, UNESP, Botucatu, SP, Brasil; 2Departamento de Medicina
Veterinária, USP, Pirassununga, SP, Brasil.
*E-mail: midyandaroz@yahoo.com.br

As células-tronco de pluripotência induzida (iPS) são células adultas geneticamente reprogramadas para um
estado semelhante ao de células-tronco embrionárias. Pesquisas com iPS surgiram para superar as limitações do
uso de células-tronco embrionárias, como as questões éticas, biosegurança, compatibilidade e disponibilidade.
Vetores lentivirais são usados na transfecção como uma maneira segura e eficaz de produzir iPS. Neste contexto,
pesquisas com clonagem terapêutica visam produzir embriões por meio da transferência das células iPS para um
oócito enucleado, dando origem a um zigoto clonado, geneticamente modificado com as particularidades
escolhidas. O cordão umbilical (CU) é uma reserva de células-tronco mesenquimais multipotentes e, por isso
pode representar uma fonte eficiente de células a serem reprogramadas. A imunocitoquimica e citometria de
fluxo são dois métodos utilizados para caracterizar a pluripotência de diversos tipos celulares. Neste contexto, o
objetivo deste estudo foi caracterizar células da matriz do cordão umbilical equino após reprogramação com
vetor lentiviral pelos métodos de imunofluorescência e citometria de fluxo. Para isso, células obtidas da matriz
do CU de equinos (CCUE) [105células] foram submetidas a transfecção com vetor lentiviral EF1α-human
STEMCCA (OKSM) (Millipore, SCR544), que contém os fatores de transcrição OCT-4, SOX2, C-MYC e KLF-
4 integrados para a geração de células iPS, de acordo com o protocolo do fabricante. O meio de cultura foi
renovado 12 h após a incubação. Cinco dias após a transdução, as células foram transferidas para uma camada de
fibroblastos de camundongo e cultivadas durante 14 dias em meio específico para iPS. As primeiras colônias
foram visualizadas após duas semanas de infecção. Quando os clones estavam bem estabelecidos foram
realizadas duas passagens mecânicas e duas enzimáticas. Após o reestabelecimento e proliferação das colônias,
estas foram submetidas a protocolos de imunomarcação e análise por citometria de fluxo com os seguintes
anticorpos: Oct-4, Nanog, Sox-2, TRA-1-60 e TRA-1-81. Constatamos que na imunofluorescência as colônias de
CCUE marcaram positivamente para Oct-4, Sox-2 e TRA-1-81, já na citometria de fluxo as colônias foram
positivas para Oct-4, Nanog, TRA-1-60 e TRA-1-81. Apesar de o rol de marcadores ser específico para células
pluripotentes, não houve correspondência total entre as duas técnicas utilizadas, sendo a citometria mais sensível.
Apesar disso, podemos concluir que as células do cordão umbilical equino foram reprogramadas com sucesso e
apresentaram características de células pluripotentes.

Palavras-chave: Células-tronco de pluripotência induzida, vetor viral, imunofluorescência e citometria de fluxo.


Keywords: induced pluripotent stem cells, viral vector, immunofluorescence and flow cytometry.

122
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Inibição da PI3K interfere na motilidade do sêmen equino congelado


PI3K inhibition interfere in motility in equine frozen

Raphael Farruk do Amaral Agostinho*, Uilian Machado de Souza, Bernard Brum de Rezende,
José Frederico Straggiotti Silva, Angelo José Burla Dias

Universidade Estadual do Norte Fluminense, Campos dos Goytacazes, RJ, Brasil.


*E-mail: raphaelfarruk@hotmail.com

Apesar do grande número de pesquisas desenvolvidas na área de criopreservação do sêmen equino, ainda não se
tem um protocolo eficiente que contorne as alterações espermáticas ocorridas durante o processo de
congelamento. Tais alterações resultam na redução da motilidade e viabilidade dos espermatozóides, e
principalmente na redução dos resultados da taxa de prenhez, o que tem limitado a utilização dessa técnica a
nível comercial. Nesse sentido o presente trabalho apresenta uma nova abordagem desse problema, buscando
avaliar o efeito da regulação química da fosfatidiliinositol 3 quinase sobre a motilidade dos espermatozóides
eqüinos. Essa quinase está envolvida em uma série de cascatas de sinalização que envolvem a regulação de
muitos processos celulares incluindo a sobrevivência, controle do metabolismo, capacitação espermática, reação
acrossômica e a própria motilidade. A motilidade espermática é influenciada pela modulação da atividade da
proteína quinase A (PKA), mediante alterações na concentração intracelular de cAMP, o qual é regulado pela
atividade da adenilatociclase. Foi proposto que a via da PI3K atua de forma negativa sobre a motilidade
espermática, regulando negativamente a síntese de cAMP e consequentemente da PKA, devido a inibição da
adenilciclase. A inibição da atividade da PI3K pelo tratamento dos espermatozóides de humanos com o
wortmannin (inibidor seletivo dessa enzima) promoveu uma melhora na motilidade espermática (Luconi et al.,
2001). O objetivo do presente trabalho foi verificar o efeito da inibição da atividade da PI3K sobre a motilidade
do sêmen eqüino pós-descongelamento. Foram avaliados cinco ejaculados de garanhões da raça pônei brasileiro,
clinicamente sadios, com idades variando entre 3 e 10 anos, com histórico reprodutivo de fertilidade
comprovada, localizados em um haras na cidade de Campos dos Goytacazes-RJ, totalizando cinco coletas. A
fração gelatinosa foi descartada após a coleta e o sêmen foi transportado refrigerado após diluição com o
diluente BotuSemen® para o Laboratório de Reprodução e Melhoramento Genético Animal da Universidade
Estadual do Norte Fluminense. Foram utilizados para o experimento os ejaculados que estavam em
conformidade com as normas do Manual de Exame Andrológico do CBRA (2013). Foi adicionado ao sêmen 0,
30, 50 e 100 nM do inibidor da PI3K (wortmannin). Então as amostras foram submetidas ao congelamento,
sendo avaliados motilidade total (MT), motilidade progressiva (MP) e vigor, com auxílio do programa Ceros
versão 10.8 da Hamilton Torn Research (HTR). Os resultados observados após o descongelamento do sêmen,
mostraram que o tratamento do sêmen eqüino com o inibidor da PI3K determinou um efeito dose-resposta.
Diferenças significativas foram observadas em função das concentrações entre as amostras do grupo controle e
tratadas com uso do inibidor, verificando se que o aumento da concentração do inibidor na concentração de
100nM foi prejudicial aos parâmetros seminais. Conclui-se que a PI3K está envolvida na motilidade espermática
de eqüinos e que sua inibição mostrou diferenças em relação ao grupo controle.

Palavras-chave: inibidor Wortmannin, Fosfatidilinositol-3 quinase (PI3K), congelamento. garanhão.


Keywords: Wortmannin inhibitor, Phosphatidylinositol 3-kinase (PI3K), freezing, stallion.

123
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Diluidor e taxa de diluição testada para minimizar os efeitos da manipulação do sêmen


equino nas análises do SCA®
Extender and dilution rate tested to minimize the effects of manipulation of equine semen analysis in the SCA®

Tainá Hortência Oliveira Pessoa*, Marcelo Gonçalves Sousa Pereira, Danielle Alves Dutra, Larissa
Rodrigues Santana, João Fillipe Carvalho da Silva, Paola Pereira das Neves Snoeck*

Departamento de Ciências Agrárias e Ambientais, UESC, Ilhéus, BA, Brasil.


*E-mail:tainaopessoa@hotmail.com;paolasnoeck@uesc.br

A avaliação dos parâmetros de motilidade e cinética espermática pelo sistema de análise de sêmen
computadorizada (CASA) é uma forma rápida, objetiva e de maior repetibilidade. No entanto, alguns fatores
interferem na eficiência desta análise, como a diluição e a concentração espermática, dentre outros, pois o
sistema tem a limitação de avaliar amostras com menos de 20 x 106 e mais de 50 x 106 de espermatozoides/mL.
Objetivou-se avaliar o efeito da diluição e concentração espermática do sêmen criopreservado, nas avaliações de
motilidade e cinética pelo SCA®, após a descongelação. Para isso, foram utilizados 14 ejaculados de diferentes
garanhões Mangalarga Marchadores congelados em diluidor Botucrio®, envasados em palhetas de 0,5 mL com
100 x 106 de espermatozoides/mL e submetidos a curva de resfriamento e congelação em máquina TK 4000®. A
descongelação do sêmen foi realizada em banho-maria a 46ºC/20s e depois de cinco minutos de incubação, os
parâmetros de motilidade e cinética espermática foram avaliados pelo CASA (Sperm Class Analyser-SCA®)
antes e depois do ajuste da concentração espermática para 50 x 106 espermatozoides/mL utilizando o Botucrio®.
Registra-se que o SCA® é menos eficiente na avaliação de motilidade, percentual de rápidos, médios, lentos e
hiperativos em amostras de sêmen contendo 100 x 106 de espermatozoides/mL, tendo em vista o aumento
significativo desses valores quando comparado com amostras menos concentradas com 50 x 106 de
espermatozoides/mL (63,4% x 37,5% de MT; 16,5% x 10,1% de MP; 4,1% x 2,1%; 19,5% x 9,9%; 39,9% x
25,4%; 2,9% x 1,6%, respectivamente). Percebe-se que quando o sêmen está mais concentrado, os
espermatozoides rápidos e médios interferem no movimento dos lentos e empurram os estáticos que acabam
sofrendo deslocamento e são reconhecidos pelo sistema como lentos, tornando a avaliação da motilidade total e
progressiva mais subjetiva. É possível avaliar redução do percentual de retilinearidade nas amostras
concentradas quando comparada com amostras de sêmen diluídas (73,1% x 77,0%, respectivamente; P<0,05).
Entretanto, nota-se que não houve alteração significativa na velocidade curvilinear (39,9 µm/s x 36,0 µm/s), na
velocidade linear progressiva (18,1 µm/s x 18,3 µm/s), na velocidade média do trajeto (24,3 µm/s x 23,3 µm/s),
na linearidade (47,0% x 50,0%), no índex oscilatório (63,7% x 64,3%), na amplitude do deslocamento lateral da
cabeça (2,5 µm x 2,7 µm) e no batimento flagelar cruzado (9,9 Hz x 10,4 Hz) entre as amostras concentradas
(100 x 106 esptz / mL) e diluídas (50 x 106 esptz/mL). Conclui-se que a diluição do sêmen e ajuste da
concentração espermática para análise de motilidade e cinética pelo SCA® é fundamental para uma avaliação
fidedigna. Além do ajuste da concentração espermática entre 20 e 50 x 106 de espermatozoides/mL. Faz-se
necessário também o uso de diluidores que não interfiram nesta análise.

Palavras-chave: CASA, Botucrio®, espermatozoide, criopreservação, garanhão.


Keywords: CASA, Botucrio®. Sperm, cryopreservation, stallion.

Agência de fomento: FAPESB.

124
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Coenzima Q10 e α-tocoferol previnem a lipoperoxidação do sêmen equino refrigerado


Coenzyme Q10 and α-tocopherol prevent lipid peroxidation of equine cooled semen

Bruno Gomes Nogueira1, Breno Fernandes Barreto Sampaio1, Natália Bondezan Dias Neto1,
Maria Gabriela Vargas Barrueco1, Laura Tiemann dos Santos1, Maria Inês Lenz Souza2,
Eliane Vianna da Costa e Silva1, Carmem Estefânia Serra Neto Zúccari1,*
1
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande,
MS, Brasil; 2Departamento de Morfofisiologia do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde,
UFMS, Campo Grande, MS, Brasil.
*E-mail: carmem.zuccari@ufms.br

O metabolismo aeróbico mitocondrial está associado à geração de moléculas pró-oxidantes, as espécies reativas
de oxigênio (ROS), importantes para a manutenção da capacidade fecundante do espermatozoide, podendo ser
benéficas ou deletérias, dependendo de sua concentração. Em excesso as ROS podem levar a apoptose
espermática pelo processo da lipoperoxidação (LPO). As biotécnicas aplicadas ao sêmen equino promovem um
aumento da produção de ROS e redução da defesa antioxidante natural, tanto pela diluição como eliminação do
plasma seminal. Os objetivos do trabalho foram avaliar o efeito da adição da Coenzima Q10 (CoQ10) e α-
tocoferol (α-TOH) ao diluente de refrigeração, isoladamente e em associação, sobre as variáveis espermáticas, e
a eficácia dos mesmos na prevenção da lipoperoxidação do sêmen equino, durante refrigeração a 5ºC por 72
horas. Foram utilizados dez garanhões adultos de fertilidade comprovada, obtendo-se dois ejaculados por
reprodutor, submetendo-os aos seguintes tratamentos: C=controle (sem adição de antioxidantes); EtOH=controle
positivo etanol (100 μL etanol); α-TOH=2 mM; CoQ10=40 μg/mL e CoQ10 + α-TOH=40 μg/mL + 2 mM. As
avaliações foram realizadas antes da refrigeração e adição dos antioxidantes (M-0), e, após 24 (M-24), 48 (M-48)
e 72 (M-72) horas de refrigeração. As variáveis espermáticas avaliadas foram: motilidade subjetiva, vigor,
integridade da membrana plasmática, fragmentação da cromatina, atividade mitocondrial e suscetibilidade à
lipoperoxidação. As variáveis dependentes foram submetidas à análise de variância e as médias comparadas pelo
teste de Duncan (p<0,05). Os valores médios das variáveis seminais pré-refrigeração (M-0) foram: motilidade –
78,04 ± 4,1%; vigor – 3,6 ± 0,5; íntegros – 73,01 ± 15,9%; cromatina fragmentada – 3,9 ± 1,6%; células com alta
atividade mitocondrial igual a 38,3 ± 17,1% e nível de lipoperoxidação de 1.543,5 ± 1.295,9 ng MDA / 1 x 108
espermatozoides (sptz). Após 72 horas de refrigeração o grupo da CoQ10 apresentou maior percentual de
espermatozoides móveis (69,1 ± 16,2%) quando comparado ao controle (62,1 ± 16,2%) e EtOH (58,1 ± 18,6%),
bem como o vigor, com escores superiores aos demais tratamentos (p<0,05). Os grupos CoQ10 + α-TOH e α-
TOH foram mais eficazes na prevenção da lipoperoxidação que o controle (1.765,9 ± 695,9; 1.890,8 ± 749,5;
2.506,2 ± 769,4 ng MDA/108 sptz, respectivamente). Tais resultados podem ser explicados pela ação
bioenergética da CoQ10, levando à síntese de ATP, bem como pela neutralização, por ambos os antioxidantes,
de radicais lipídicos gerados ao longo da LPO. Conclui-se que a CoQ10 e o α-TOH foram eficazes, durante a
refrigeração do sêmen equino a 5ºC por 72 horas, em preservar maiores valores de motilidade total e vigor
espermáticos, bem como apresentar menor lipoperoxidação.

Palavras-chave: antioxidante não enzimático, garanhão, ROS.


Keywords: non-enzymatic antioxidant, ROS, stallion.

125
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Botucrio® contendo lipoproteína de baixa densidade é um diluidor alternativo para


congelar sêmen equino
Botucrio® containing low-density lipoproteins is an alternative extender for freezing equine semen

Cristiane Silva Aguiar*, Tainá Hortência Oliveira Pessoa, Marcelo Gonçalves Sousa Pereira, Danielle
Alves Dutra, Larissa Rodrigues Santana, João Fillipe Carvalho da Silva, Paola Pereira das Neves Snoeck

Departamento de Ciências Agrárias e Ambientais, UESC, Ilhéus, BA, Brasil.


*E-mail:aguiarcs@gmail.com;paolasnoeck@uesc.br

As pesquisas atuais buscam um diluidor quimicamente definido e sanitariamente controlado para ser utilizado na
criopreservação de sêmen. A gema de ovo é um dos componentes importantes do diluidor de congelação de
sêmen equino, tendo em vista o seu efeito protetor durante a redução de temperatura, sendo esse atribuído à sua
fração lipoprotéica de baixa densidade. Objetivou-se avaliar a eficácia da utilização de 12% de lipoproteína de
baixa densidade (LDL) em substituição a gema de ovo do diluidor Botucrio® sobre a motilidade, cinética,
morfologia, integridade estrutural e funcional dos espermatozoides equino após a criopreservação. Para tal,
foram utilizados 14 ejaculados de diferentes garanhões Mangalarga Marchadores, coletados por meio de vagina
artificial. O sêmen coletado foi avaliado, diluído 1:1 (v:v) em Botusêmen®, centrifugado a 2000 rpm/10 minutos
e rediluído para 100 milhões de espermatozoides/mL nos diluidores: 1) Botucrio® comercial (D1) e 2)
Botucrio® substituindo a gema de ovo por 12% de LDL (D2). O sêmen foi envasado em palhetas de 0,5 ml e
submetido à curva de resfriamento de -0,5oC/min até 5oC, manutenção em equilíbrio nesta temperatura por 30
minutos e curva de congelação de -10oC/min até -140oC em máquina TK 4000®. A descongelação do sêmen foi
realizada em banho-maria a 46ºC/20s. Após a descongelação foram avaliadas a motilidade e cinética por meio do
Sistema de Análise Computadorizada de Sêmen (CASA). O sêmen foi submetido ao teste de termorresistência
lento por duas horas. A morfologia espermática foi analisada após a fixação das amostras em formol salina
tamponada e leitura em microscopia de contraste de fase, no aumento de 1000X. A integridade estrutural e
funcional da membrana foi avaliada por sondas fluorescentes diacetato de carboxifluoresceína e iodeto de
propídeo e teste hiposmótico, respectivamente. Registra-se superioridade do D1 nas análises de motilidade
progressiva, percentual de rápidos, médios, na velocidade curvilínea, na velocidade linear progressiva, na
velocidade média do trajeto, linearidade, retilinearidade e hiperativo comparado ao D2 (P<0,05). Entretanto,
verifica-se que ambos os diluidores preservaram de forma semelhante a motilidade total, percentual de lentos, a
amplitude do deslocamento lateral da cabeça, a frequência do batimento cruzado, o índex de oscilação e a
integridade estrutural da membrana espermática e acrossomal (P>0,05). O sêmen congelado com ambos os
diluidores testados não resistiu às duas horas de teste de termorresistência (P<0,05). Não houve diferença
significativa entre os diluidores testados quanto à capacidade de preservar a morfologia normal dos
espermatozoides equino após a criopreservação (D1- 70,9 ± 11,4%; D2- 74,2 ± 9,1%). No entanto, o D2
apresentou superioridade na capacidade de manter um baixo percentual de defeitos de cauda geral (4,8 ± 3,5%)
quando comparado ao D1 (6,3 ± 3,9%). Registra-se um maior percentual de espermatozoides reativos e
funcionalmente íntegros nas amostras diluídas no D1 comparado ao D2 (32,4% x 18,2%, respectivamente;
P<0,05), dessa forma, infere-se que esta concentração de LDL não foi satisfatória para preservar esta e outras
características espermáticas. Conclui-se que a LDL tem potencial para substituir a gema de ovo em diluidor
Botucrio®, principalmente, por oferecer a vantagem de ser um bioproduto de composição controlada e
previsível, diferente da gema de ovo. No entanto, será necessário o estudo de outras concentrações para
maximizar o seu efeito crioprotetor.

Palavras-chave: gema de ovo, criopreservação, semen, equino.


Keywords: egg yolk, cryopreservation, semen, equine.

Agência de Fomento: FAPESB.


 

126
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

An alternative to egg yolk for cryopreservation of equine semen


Uma alternativa à gema de ovo para a criopreservação de sêmen equino

Luciana Seeger Bortoluzzi1,*, Giovani Casanova Camozzato1, Puttaswamy Manjunath2, Rodrigo Costa
Mattos1, Ricardo Macedo Gregory1, Maria Inês Mascarenhas Jobim1
1
REPROLAB, Faculdade de Veterinária, UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil; 2Department of Medicine, University of
Montreal and Guy-Bernier Research Center, Maisonneuve-Rosemont Hospital, Montreal, QB, Canada.
*E-mail: luciana.bortoluzzi@ufrgs.br

Egg yolk (EY) is generally used as a cryoprotective agent in semen freezing extenders, protecting the sperm cell
against cold shock and the cell membrane during freezing and thawing. However, the use of EY has sanitary and
practical disadvantages. The development of chemically defined extenders has been a major priority for
researches in the world, and some studies have been conducted to find alternative molecules to replace EY in
equine semen freezing extenders. The objective of this study was to assess an alternative cryoprotector in an
equine commercial extender, free of products from animal origin, compared to EY. The egg yolk substitute
comprises diethylaminoethyl (DEAE)-dextran in a buffer for use as extenders for mammalian sperm processing
and preservation (Patentscope: PCT/CA2011/000559). Semen was collected from 14 Criollo stallions of proven
fertility. Only one ejaculate, with at least 60% progressive sperm motility, was used per stallion (n=14; r=1).
Semen of each ejaculate was divided into three aliquots, diluted in EquiPlus extender (Minitüb) and centrifuged
(600 x g for 10 min). The pellets were resuspended to a final sperm concentration of 100 x 106/mL, forming
three groups: Control - EquiPlus Freeze (Minitüb) supplemented with 2% egg yolk (v/v), T1 - EquiPlus Freeze
supplemented with 2% of egg yolk substitute at 0.01% (v/v), and T2 - EquiPlus Freeze supplemented with 2% of
egg yolk substitute at 0.0001% (v/v). Egg yolk substitute was diluted in Tris 0.002 M solution. Freezing was
performed using a programmable freezer and the straws were stored in liquid nitrogen, and thawed in a water
bath (37°C for 30s) immediately before each analysis. Post thaw motility, integrity of the plasma membrane,
acrosome integrity and mitochondrial potential were analyzed. Motility analysis was evaluated by computer-
assisted sperm analysis (Androvision, Minitüb) obtaining: total motility (MOT), progressive motility (PMOT),
mean curvilinear velocity (VCL); average path velocity (VAP); straight-line velocity (VSL); beat-cross
frequency (BCF). The functional integrity of the plasma membrane was assessed using the hypoosmotic swelling
test (HOST). The simultaneous evaluation of the plasma, acrosomal and mitochondrial membranes was
determinate using an association of fluorescent probes: propidium iodide (PI), fluorescein isothiocyanate-
conjugated Peanut agglutinin (FITC-PNA) and JC-1 by epifluorescent microscopy (1000x). Both experimental
extenders were equally efficient in preserving motility parameters. T2 were more efficient to preserve post-thaw
MOT than T1 (64% versus 53%) (P < 0.05), however, no differences were detected between the two
experimental extenders and the Control. No differences were observed in the HOST between the Control and T2,
however T1 demonstrated lower swelling than the Control (24% versus 29%) (P < 0.05). We did not observe any
significant difference in the percentage of sperm stained with PI and in the acrosome fluoresced of FITC-PNA
between T1, T2 and the Control. T2 was significantly more efficient to preserve the mitochondrial potential than
T1 (21% versus 15%) (P < 0.05), however, the Control presented similar protection to the mitochondrial status
as T1 and T2. In conclusion, the egg yolk substitute, in low concentrations, preserved sperm motility and plasma
membrane integrity, and could be an alternative to conventional extenders containing EY.

Keywords: egg yolk; (DEAE)-dextran; cryopreservation; spermatozoa; equine.


Palavras-chave: gema de ovo; (DEAE)-dextran; criopreservação; espermatozoide; equino.

127
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Adição dos antioxidantes ácido ascórbico 2-glicosídeo, vitamina C e α-tocoferol ao


diluidor de refrigeração do sêmen equino
Addition of the antioxidants ascorbic acid 2-glucoside, vitamin C and α-tocopherol to the cooling extender of
equine semen

Breno Fernandes Barreto Sampaio1, Bruno Gomes Nogueira1, Natália Bondezan Dias Neto1,
Laura Tiemann dos Santos1, Maria Gabriela Vargas Barrueco1, Maria Inês Lenz Souza2,
Eliane Vianna da Costa e Silva1, Carmem Estefânia Serra Neto Zúccari1,*
1
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, UFMS, Campo Grande, MS, Brasil; 2Departamento de Morfofisiologia,
Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, UFMS, Campo Grande, MS, Brasil.
*E-mail: carmem.zuccari@ufms.br

As espécies reativas de oxigênio (ROS) derivam do metabolismo celular aeróbico e, apesar de participarem de
eventos reprodutivos fisiológicos, o excesso dessas moléculas resulta no estresse oxidativo aumentando a
lipoperoxidação (LPO). A adição de antioxidantes ao diluidor de refrigeração do sêmen equino pode proteger o
espermatozoide contra esses efeitos deletérios. O α-tocoferol (α-Toh) pode ser incorporado na membrana
plasmática e evitar a LPO. A vitamina C (vit. C) é capaz de neutralizar algumas ROS e fazer a reciclagem do α-
Toh, no entanto é uma molécula instável e rapidamente inativada em meios aquosos, já o ácido ascórbico 2-
glicosídeo (AA2G) é uma forma mais estável da vitamina C que possui uma molécula de glicose ligada ao ácido
ascórbico. O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da adição de vit. C, AA2G e α-Toh, isoladamente e em
associação sobre algumas variáveis do espermatozoide equino submetido à refrigeração a 5°C por 72 horas.
Foram utilizados dois ejaculados de dez garanhões e avaliados quanto à motilidade/vigor, integridade da
membrana plasmática, fragmentação da cromatina, atividade mitocondrial e LPO, de acordo com os seguintes
tratamentos: C – controle; vit. C – 0,65 mg/ml; AA2G – 200 µM; α-Toh – 2 µM; vit. C + α-Toh – 0,65 mg/ml +
2 µM; AA2G + α-Toh – 200 µM + 2 µM. As avaliações foram realizadas antes da refrigeração e adição dos
antioxidantes, e após 24, 48 e 72 horas de refrigeração. As variáveis dependentes foram submetidas à análise de
variância e as médias comparadas pelo teste de Duncan (P<0,05). Não houve interação tratamentos vs
momentos. Houve redução da motilidade/vigor, espermatozoides íntegros e com alta atividade mitocondrial em
função do tempo de armazenamento, sem aumento da fragmentação da cromatina e da LPO. Na comparação
entre os tratamentos a LPO não diferiu quanto aos antioxidantes testados, isoladamente ou em associação, no
entanto, todos apresentaram valores inferiores (P < 0,05) ao do grupo controle (2.506,2 ± 796,4 ng de MDA x
108 espermatozoides). As médias de motilidade/vigor no grupo AA2G foram 68,4 ± 18,1% / 3,7 ± 0,7, superiores
(P < 0,05) às do grupo controle de 62,1 ± 16,2% / 3,4 ± 0,7, respectivamente. Por outro lado, as mesmas
variáveis nos grupos vit. C e vit. C/α-Toh apresentaram, respectivamente, 50,4 ± 22,7% / 2,5 ± 0,9 e 51,9 ± 21,5
/ 2,7 ± 0,8; valores inferiores (P < 0,05) aos demais tratamentos. O AA2G pode ser convertido em ácido
ascórbico e glicose sob a ação de esterases e a glicose pode ser incorporada no espermatozoide, possibilitando a
esse monossacarídeo gerar energia. Foi possível concluir que os antioxidantes protegeram a célula espermática
frente à LPO e que a dose testada de vit. C parece próxima do limite tóxico. Além disso, o AA2G pode ter uma
dupla função, agindo como antioxidante e como substrato energético para o espermatozoide, resultando em
melhora da motilidade e vigor do sêmen equino refrigerado.

Palavras-chave: antioxidante, espermatozoide, garanhão, lipoperoxidação.


Keywords: antioxidant, lipoperoxidation, sperm, stallion.

128
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Adição de Lactoferrina e Catalase a diluidor de congelamento de semen equino


Addition of Lactoferrin and Catalase to an equine frozen semen extender

Hariany Seabra Martins1, Mayara F. Brito1, Marcelo Resende Souza2, Claudia F.A.M. Penna2,
Ivan B.M. Sampaio3, Rubens Stahlberg4, Graziele Carolina da Silva5, Steiner F. Côrtes5,
Monique de Albuquerque Lagares1,*
1
Departmento de Clinica e Cirurgia Veterinárias da Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais,
Belo Horizonte, MG, Brasil; 2Departmento de Tecnologia e Inspeção de Produtos de Origem Animal, Escola de Veterinária,
UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil; 3Departmento de Zootecnia da Escola de Veterinária, UFMG, Belo Horizonte, MG,
Brasil; 4Faculdade de Medicina Veterinária, PUC Minas, Betim, MG, Brasil; 5 Instituto de Ciências Biológicas,
UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil.
*E-mail: mlagares@ufmg.br

Durante a criopresevação do sêmen ocorre remoção de grande parte de plasma seminal. Consequentemente,
ocorre redução de antioxidantes do plasma seminal submetendo o espermatozoide a um aumento de produção de
radicais livres. Portanto, a adição de proteinas antioxidantes presentes no plasma seminal, como a Lactoferrina
(Lf) e Catalase (Cat), ao sêmen equino pode ser benéfica ao espermatozoide durante o congelamento. Lf é uma
transferrina, a qual previne a produção de radicais hidroxil e a Cat tem função antioxidante.O objetivo do
presente estudo foi determinar o efeito da suplementação de Lf e Cat ao diluidor de congelamento de sêmen
equino INRA 82 (Batellier et al., 1987) sobre a motilidade, funcionalidade e integridade de membrana
espermática do sêmen congelado equino. Para tal, foi coletado o sêmen de 6 garanhões, diluído com diluidor de
Kenney (Kenney et al., 1975), centrifugado (500xg, 10 min), o número de espermatozoides calculado e
resuspendido até 100 x106 espermatozoides/mL de acordo com os tratamentos: T1) controle, INRA 82, T2) T1+
500μg/mL lactoferrina, e T3) F1+ 200UI/mL catalase. As amostras de sêmen foram envasadas em palhetas de
0.5mL e resfriadas até 5°C (0.27°C/min), mantidas por 20 min sobre o vapor de nitrogênio e imersas neste. Após
o descongelamento das amostras (37°C, 30s), foram determinadas as características da motilidade espermática
com um aparelho computadorizado de análise espermática (CASA), a funcionalidade e integridade de
membranas espermáticas com o teste hiposmótico (Lagares et al., 1998) e citometria de fluxo com o corante
iodeto de propídeo, respectivamente. A bioatividade da lactoferrina foi avaliada utilizando-se a mensuração do
ferro livre no sêmen após o descongelamento. Os dados foram analisados com o teste de Friedman usando
garanhão como bloco. A probabilidade de P<0.05 foi considerada significante. Não foi observada diferença
significativa quanto aos parâmetros de motilidade avaliados com o CASA, bem como entre o percentual de
espermatozoides com motilidade total (Mediana, valores mínimos-máximos; T1) 29.9, 11.0-82.7; T2) 49.8, 7.7-
55.2; T3) 39.8, 5.7-92), motilidade progressiva (T1) 7.1, 3.2-23.3; T2) 13.4, 2.6-22.4; T3)15.6, 1.1-29.6), e com
membrana íntegra (T1) 24.1±15,8; T2) 37,7±8,3; T3) 28,3±14,0. Embora o percentual de espermatozoides com
membrana funcional no tratamento com Lf (50,7±11,6b) não tenha diferido do tratamento com Cat (39,6±13,9ab),
aquele (Lf) foi maior comparado ao controle (37,6±15,6ª). Além disso, o tratamento com a lactoferrina obteve
concentrações de ferro livre inferiores (61,4±11,6b) aos demais grupos (T1) 73,3±13,8a e T3)75,6±13,4a, P<0,05).
Portanto, a lactoferrina apresentou um efeito antioxidante quando adicionada ao diluidor de congelamento de
sêmen equino INRA 82. Conclui-se que a lactoferrina promoveu maior proteção à membrana do espermatozoide
equino criopreservado.

Palavras chaves: garanhão, antioxidantes, criopreservação, espermatozoide, radicais livres.


Keywords: stallion, antioxidants, cryopreservation, sperm, reactive oxygen species.

Agradecimentos: à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Brasil, pelo apoio
financeiro.

129
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Adição de coenzima Q10, α-tocoferol e ácido ascórbico 2-glicosídeo ao sêmen equino


pós-descongelação
Addition of coenzyme Q10, α-tocopherol and ascorbic acid 2-glucoside on post thaw equine semen

Natália Bondezan Dias Neto1, Breno Fernandes Barreto Sampaio1, Bruno Gomes Nogueira1,
Maria Gabriela Vargas Barrueco1, Laura Tiemann dos Santos1, Maria Inês Lenz Souza2,
Eliane Vianna da Costa e Silva1, Carmem Estefânia Serra Neto Zúccari1,*
1
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; 2Departamento
de Morfofisiologia do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, UFMS, Campo Grande, MS, Brasil.
*E-mail: carmem.zuccari@ufms.br

Espécies reativas de oxigênio (ROS), que normalmente participam de processos essenciais à fisiologia
espermática, quando em excesso, podem promover danos irreversíveis, induzindo à lipoperoxidação (LPO),
danos ao DNA e a apoptose espermática. Antioxidantes como o α-tocoferol (α-TOH), a coenzima Q10 (CoQ10)
e o ácido ascórbico 2-glicosídeo (AA2G) podem auxiliar na defesa da célula. O α-TOH protege contra as ROS e
a LPO das membranas. A CoQ10, um antioxidante não enzimático, confere proteção aos lipídeos, proteínas e
DNA, atuando na fase inicial e de propagação da LPO e participa da reciclagem do α-TOH. A forma mais
estável da vitamina C, a AA2G, atua diretamente na eliminação das ROS e também está envolvida na reciclagem
do α-TOH. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito da adição da CoQ10, α-TOH e AA2G ao
sêmen equino pós-descongelação, sobre as variáveis espermáticas. Foram analisadas 28 amostras, provenientes
de dois ejaculados de 14 garanhões adultos. A descongelação foi realizada em banho-maria a 37°C por 30
segundos. Cada amostra foi fracionada formando quatro grupos: C=controle; α-TOH=2 mM; CoQ10=40 μg/mL
e AA2G=200 μM. As amostras permaneceram à temperatura de 22°C, sendo realizadas as análises espermáticas
nos momentos pós-descongelação (M-0) e aos 60 (M-60) e 120 (M-120) minutos de incubação. As variáveis
espermáticas avaliadas foram: motilidade/vigor, integridade da membrana plasmática, fragmentação da
cromatina, atividade mitocondrial e suscetibilidade à LPO. Os dados foram submetidos à análise de variância e
as médias comparadas pelo teste de Duncan (P<0,05). Não houve interação entre tratamentos e momentos. O
tratamento com α-TOH resultou em motilidade/vigor, respectivamente, inferiores (50,5 ± 12,0; 2,6 ± 0,6;
P<0,05) aos do controle (57,0 ± 11,7; 2,9 ± 0,6), da CoQ10 (58,2 ± 10,5; 3,1 ± 0,5) e do AA2G (58,2 ± 10,7; 3,1
± 0,6). Para a integridade da membrana plasmática, a CoQ10 e o AA2G foram significativamente superiores aos
grupos controle e α-TOH. As demais variáveis não diferiram entre os tratamentos. A motilidade, fragmentação
da cromatina e alta atividade mitocondrial diferiram entre os momentos M-0, M-60 e M-120 (P<0,05). O
percentual de células íntegras no M-120 foi inferior (P<0,05) a M-0 e M-60, os quais não diferiram entre si. Não
houve efeito dos tratamentos e momentos à análise da LPO. Pode-se concluir que, tanto a CoQ10 como o AA2G
foram eficazes em preservar, por até 60 minutos pós-descongelação, a integridade da membrana plasmática do
espermatozoide equino mantido a 22°C.

Palavras-chave: antioxidante, garanhão, lipoperoxidação.


Keywords: antioxidant, lipoperoxidation, stallion.

130
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Investigação de Neospora caninum e Toxoplasma gondii no sêmen de garanhões através


do cultivo celular e da PCR em propriedades com falhas reprodutivas e éguas
soropositivas
Investigation of Neospora caninum and Toxoplasma gondii in the semen of stallions by cell culture and PCR in
farms with reproductive failure and seropositive mares

Renata Azevedo de Abreu, Romildo Romualdo Weiss*, Vanete Thomaz Soccol,


Rosangela Locatelli-Dittrich, Melina Andrea Formighiere Bertol, Marília de Oliveira Koch

Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, PR, Brasil.


*E-mail: rrweiss@bol.com.br

A perda da prenhez é uma das principais causas de prejuízo econômico em uma criação de equinos e o garanhão
nem sempre é incluído na pesquisa pelo agente etiológico do aborto. A neosporose e a toxoplasmose estão entre
as doenças que podem ocasionar problemas reprodutivos em éguas, causadas por protozoários, que ainda não
foram identificados no sêmen de equinos. A ocorrência desses protozoários no sêmen foram relatadas em outras
espécies, N. caninum e T. gondii, em bovinos e, T. gondii, em humanos, suínos, caninos, caprinos e ovinos,
alertando sobre outras possíveis formas de transmissão. O presente estudo teve por objetivos verificar a presença
dos protozoários Neospora sp. e T. gondii no sêmen de garanhões, provenientes de propriedades com histórico
de falhas reprodutivas e éguas soropositivas para Neospora sp. e T. gondii, através da inoculação do sêmen em
cultivo celular e da reação em cadeia da polimerase (PCR). Foram utilizados oito garanhões, das raças Crioula e
Mangalarga Marchador, clinicamente saudáveis, provenientes de três propriedades, localizadas nos estados do
Paraná e de Santa Catarina. Todos estavam em atividade sexual e foram submetidos à colheita de sangue para
análise sorológica frente aos protozoários N. caninum (NC-1) e T. gondii (RH), na diluição 1:50. A colheita de
sêmen foi realizada através da vagina artificial, um ejaculado de cada animal foi colhido e filtrado com filtro de
nylon. No laboratório, os ejaculados foram centrifugados (4000 x g, 10 minutos) e o pellet, porção contendo os
espermatozóides foi recuperada, sendo uma parte inoculada no cultivo celular com células Vero, e a restante
mantida a -20ºC até o momento da extração de DNA, realizada pelo método de fenol-clorofórmio. As amostras
obtidas do cultivo celular do sêmen e do sêmen in natura foram submetidas à amplificação por PCR, utilizando
iniciadores que delimitam o segmento de DNA da região Nc5 de Neospora caninum (Np6/Np21) , da região
ITS1 (ITS2/ITS5) e da região 18S (FE/RE; FE/RI), para verificar a presença de DNA de T. gondii e/ou Neospora
sp. Todos os garanhões foram soronegativos para ambos os parasitas. Não foi verificado o crescimento de
protozoários no cultivo celular do sêmen. Apenas para a região 18S ocorreu amplificação de DNA das amostras
obtidas do cultivo celular e do sêmen in natura. As amostras foram sequenciadas e as sequências do cultivo
celular do sêmen foram compatíveis com Acanthamoeba rhysodes e A. castellanii e as do sêmen in natura com
espécies de plantas, revelando pouca especificidade dos primers utilizados para região 18S. Os protozoários
Neospora sp. e T. gondii não foram encontrados no sêmen dos reprodutores avaliados, porém esse resultado não
permite excluir a possibilidade da transmissão venérea desses protozoários na espécie equina. Os protozoários
encontrados neste estudo podem ser provenientes do ambiente ou estarem presentes no prepúcio, contaminando
o sêmen. A presença destes agentes e suas consequências na reprodução em equinos até hoje é desconhecida.

Palavras-chave: Neospora caninum, Toxoplasma gondii, sêmen, equinos, PCR.


Keywords: Neospora caninum, Toxoplasma gondii, semen, equine, PCR.

131
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação sexual de cavalos da raça Mangalarga Marchador criados no


Norte do Rio de Janeiro
Evaluation of sexual behavior in Mangalarga Marchador stallions of North of Rio de Janeiro

Miguel Alejandro Silva Rua*, Celia Raquel Quirino, Aylton Bartholazzi Junior, Paula Nascimento
Santoro, Mariana da Silva Ribeiro, Rosemary Bastos, Marcus Antônio Pessanha Barreto

Laboratório de Reprodução e Melhoramento Genético Animal, Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF),
Campos dos Goytacazes, RJ, Brasil.
*E-mail: miguelvet-rua@hotmail.com

A avaliação do comportamento sexual é extremamente importante pela influencia que o mesmo exerce sobre a
eficiência reprodutiva do garanhão. O objetivo do presente estudo foi avaliar o comportamento sexual de
garanhões da raça Mangalarga Marchador criados no norte do estado do Rio de Janeiro, Brasil. O
comportamento sexual de 10 garanhões foi avaliado durante a coleta de sêmen, quando os animais montavam
uma égua em estro. O estudo foi conduzido em dois momentos, durante a estação reprodutiva (setembro a abril)
e fora da estação reprodutiva (maio a agosto). Nessa região os garanhões são utilizados na reprodução também
fora da estação reprodutiva. As éguas continuam ciclando quando bem suplementadas no período de transição do
outono para o inverno e durante todo o período considerado fora da estação reprodutiva da região. Os garanhões
foram separados em duas categorias: jovens (< 4 anos) e adultos (> 5 anos). As variáveis de comportamento
sexual avaliadas foram: tempo de reação (TR), que foi o tempo que os garanhões eram apresentados à égua em
estro até exposição peniana; tempo para monta (TM), que era o tempo em que eram apresentados à égua até o
início da cópula; tempo de monta e ejaculação (TMEj), tempo em que o garanhão inicia a cópula, ejacula e desce
da égua. Foi realizada a análise de variância do TR, TM e TMEj para verificar diferenças nas categorias de idade
(CI) e estação reprodutiva (ER). As médias e desvio padrão de TR de garanhões jovens foi 17,9 ± 21,6 segundos;
nos adultos foi de 11,4 ± 12,6 segundos; o TM em jovens foi de 28,1 ± 21,0 segundos; o TM nos adultos foi de
38,7 ± 24,3 segundos. O TMEj nos jovens foi de 24,5 ± 7,0 e nos adultos 24,2 ± 4,8 segundos. Durante a estação
reprodutiva, o TR foi de 13,9 ± 18,0 segundos; para o TM foi 34,7 ± 24,8 segundos; para TMEj foi de 24,5 ± 5,9
segundos. Fora da estação reprodutiva o TR dos garanhões foi de 15,0 ± 14,4 segundos; o TM foi de 32,4 ± 18,1
segundos e o TMEJ foi de 23,9 ± 5,5 segundos. Não foram observadas diferenças entre CI e ER para as variáveis
de TR, TM e TMEj, também não houve variação entre jovens e adultos, pois apesar de serem jovens, os mesmos
eram muito utilizados na reprodução nas propriedades, o que levou a um bom condicionamento desses animais
para a prática de coleta de sêmen. Mesmo fora da estação reprodutiva, algumas éguas continuaram ciclando
devido a pouca diferença de fotoperíodo na região norte do estado do Rio de Janeiro, sugerindo que o estímulo
de uma égua em estro seria um dos motivos de não ter havido diferença no comportamento sexual dos garanhões
entre ER. Conclui-se que os garanhões avaliados apresentaram bom comportamento sexual e estão bem
adaptados ao clima da região, o que facilitaria o manejo reprodutivo, podendo utilizá-los durante todo o ano.

Palavras-chave: equino, garanhão, comportamento sexual, reprodução.


Keywords: equine, stallion, sexual behavior, reproduction.

132
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação do perfil de testosterona e parâmetros seminais em garanhões da raça


Mangalarga Marchador dentro e fora da estação reprodutiva
Testosterone profile and seminal parameters evaluation in Mangalarga Marchador stallions inside and outside
the breed season

Maria Gazzinelli Neves1,*, Giovanni Ribeiro de Carvalho1, Maria Eduarda Borges Figueira2, Flávia Vieira
Freitas1, Mariana Abreu Redoan2, Iana Morais Souza2, Carlos Mattos Teixeira Soares2,
Manuela Pereira Matta1
1
Departamento de Zootecnia, Viçosa, MG, Brasil; 2Departamento de Veterinária, UFV, Viçosa, MG, Brasil.
*Email: mgazzinelli@gmail.com

O equino é uma espécie de reprodução estacional de dias longos e as mudanças de comprimento do dia ao longo
do ano influenciam o funcionamento gonadal. Em regiões de clima temperado, a produção espermática e a
função testicular são claramente mais elevadas durante a estação reprodutiva. Entretanto, poucos são os estudos
referentes à influência da sazonalidade sobre a função reprodutiva de garanhões em regiões tropicais. Assim, o
objetivo deste estudo foi avaliar os parâmetros reprodutivos e o perfil de testosterona de garanhões da raça
Mangalarga Marchador, em dois períodos, dentro da estação de monta e fora da estação reprodutiva, criados nos
municípios de Viçosa, Muriaé e Teófilo Otoni – MG, latitude variando entre 20°45’14’’ e 17°51’27’’. O estudo
foi divido em duas etapas (1ª etapa: julho e agosto de 2013 e 2ª etapa: janeiro e fevereiro de 2014) utilizando
onze garanhões hígidos, provenientes do Setor de Equideocultura/UFV, haras Recreio, Lagloria e Invernada. Na
primeira etapa e oito na segunda, com idades entre 5 e 25 anos que foram submetidos a colheitas de sangue para
determinação da concentração de testosterona sérica, 20 dias após o início do inverno (1ª etapa) e 20 dias após o
início do verão (2ª etapa). As colheitas foram realizadas durante 12 horas, intervaladas por 30 minutos. Foi
mensurada, no mesmo dia da colheita de sangue, a biometria testicular de cada animal. Para a determinação dos
parâmetros seminais, fez-se nos dois dias consecutivos da colheita de sangue, as colheitas de sêmen, totalizando
dois ejaculados de cada garanhão por estação, momento em que também foi avaliado o comportamento pré-
cópula de cada animal. Em relação à biometria testicular, percebeu-se que as variáveis quantitativas avaliadas,
altura, largura, comprimento e volume dos testículos direito e esquerdo não tiveram diferenças entre as estações
(P>0,05). Do mesmo modo, os parâmetros seminais e comportamentais, volume, aspecto seminal, motilidade,
vigor e concentração espermática, integridade de membrana dos espermatozoides, tempo de reação, tempo de
latência, tempo de monta e número de montas não apresentaram diferenças entre as estações do ano (P>0,05).
Apesar de que a distribuição dos valores absolutos de testosterona serem diferentes dentro e fora da estação, não
se observou diferença nas médias das concentrações (P>0,05). Essas diferenças foram maiores nas amostras
feitas pela manhã, em que as concentrações no período durante a estação de monta foram maiores do que fora da
estação reprodutiva (P>0,05). No entanto, ocorreu interação de animal e estação, o que permitiu concluir que em
alguns animais as concentrações médias do andrógeno apresentaram comportamento sazonal, enquanto em
outros animais, esse comportamento não foi observado. Portanto, sazonalidade não exerceu efeito nos animais
estudados sobre as características reprodutivas como biometria testicular, comportamento sexual e parâmetros
seminais, além da secreção de testosterona, sendo que a influência sobre esta última não apresenta correlações
importantes com as demais características estudadas.

Palavras-chave: garanhões, Mangalarga Marchador, testosterona, sazonalidade.


Keywords: stallion, Mangalarga Marchador, testosterone, seasonality.

133
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Parâmetros reprodutivos de garanhões da raça Mangalarga Marchador em função da


faixa etária
Relationship between reproductive characteristics and age of Mangalarga Marchador breed stallions

Flávia Vieira de Freitas1,*, Giovanni Ribeiro de Carvalho1, Maria Gazzinelli Neves1,


Renan Reis de Oliveira1, Maria Eduarda Borges Figueira2, Ilana Nahas Duarte2
1
Departamento de Zootecnia, UFV, Viçosa, MG, Brasil; 2Departamento de Veterinária, UFV, Viçosa, MG, Brasil.
*E-mail: flavia.vet10@gmail.com

O cavalo Mangalarga Marchador faz parte da maior associação de criadores da América Latina, no entanto,
pouco se sabe sobre os parâmetros reprodutivos dos seus garanhões. Assim, o objetivo deste estudo foi o de
correlacionar as características reprodutivas dos garanhões da raça Mangalarga Marchador, como
comportamento pré-cópula, biometria testicular e das glândulas acessórias, parâmetros seminais e a influência da
faixa etária nestas características. No Experimento 1, foram avaliadas as características comportamentais (tempo
de reação, tempo de latência, tempo de monta, duração total da coleta e números de reflexos de flehmen) de 110
garanhões, realizadas no momento de colheita de sêmen (C1 e C2) intervaladas de uma hora. As faixas etárias
analisadas foram G1: 2-3 anos, G2: 4-6 anos, G3: 7-14 anos e G4: mais de 15 anos. O tempo médio de C1 foi de
162 s. e de C2 de 171,9 s. Não foi observado diferenças nas características comportamentais para as diferentes
faixas etárias. No Experimento 2, foram avaliadas os parâmetros de biometria testicular (comprimento, largura e
altura dos testículos direito e esquerdo e largura testicular total), glândulas acessórias e ampola do ducto
deferente de 101 garanhões. As médias do diâmetro escrotal total de G1 (88,7 mm) foram inferiores a G2 (94,5
mm) e as de G2 inferiores a de G3 (104,1 mm) e G4 (108,6 mm) que foram iguais (P<0,05). Foi observado
efeito de idade para as mensurações de algumas glândulas acessórias, como bulbo uretrais, largura do lobo
prostático e altura de ampola do ducto deferente (P < 0,05). No Experimento 3, 107 garanhões foram submetidos
à duas colheitas de sêmen intervaladas de uma hora para avaliação dos parâmetros seminais, como volume de
gel, volume sem gel, motilidade total, motilidade progressiva, vigor, concentração, número total de
espermatozoides, defeitos morfológicos e número total de espermatozoides móveis e normais (TSMN). O TSMN
no ejaculado apresentou efeito das diferentes faixas etárias para C1, G1 (2,8 bilhões), G2 (3,6) apresentaram
valores inferiores a G3 (5,4). Não houve diferença entre G4 (2,7) e os demais grupos. Conclui-se que os
parâmetros avaliados se mostraram satisfatórios no maior entendimento das características reprodutivas dos
garanhões da raça Mangalarga Marchador, porém se faz necessário a realização de outros estudos, com o intuito
de enriquecer a literatura acerca do assunto estudado.

Palavras-chave: colheita de sêmen, parâmetros seminais, biometria testicular.


Keywords: semen collection, semen characteristics, testicular biometry.

134
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Adição da melatonina em meio North Carolina State University 23 e o seu efeito na


maturação in vitro de ovócitos suínos
Melatonin addiction in North Carolina State University 23 and its effect on in vitro maturation of
porcine oocytes

Taynan Stonoga Kawamoto1,*, Lincoln da Silva Amorim2, Leandro Licursi de Oliveira1,


Breno Soares Camilo1, Daniel Mendonça de Araújo Lima1, Hugo Hideki Shiomi1,
Faider Alberto Castaño Villadiego1, José Domingos Guimarães1
1
Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa, MG, Brasil; 2Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB),
Cruz das Almas, BA, Brasil.
*E-mail:taynan.kawamoto@ufv.br

A melatonina foi encontrada no fluido folicular de suínos apresentando concentração de 10-11 M, sugerindo que a
melatonina tem importante papel na maturação in vivo. Além de conhecida como antioxidante proteico, também
desempenha papel na maturação do ovócito, pois regula o hormônio indutor da maturação, aumentando os níveis
do fator promotor da meiose e, consequentemente, promovendo a quebra da vesícula germinativa. No presente
trabalho buscou-se o aumento da eficiência dos meios de maturação in vitro, para ovócitos de suíno, quando
adicionada a melatonina ao meio, durante todo o processo de maturação. Os ovócitos foram obtidos através de
ovários de abatedouro, estes foram selecionados e depois maturados por 44 horas em meio North Carolina State
University 23 (NCSU23) suplementado com hormônios, fluido folicular, fator de crescimento epidermal e
cisteína nas primeiras 22 horas e nas 22 horas seguintes, o meio NCSU23 sem suplementação hormonal. Foi
avaliada a expansão do cumulus ooforus, nos grupos experimentas C = controle e T1 = melatonina. As taxas de
expansão das células do cumulus ooforus foram analisadas pelo qui-quadrado (χ2) com probabilidade de erro de
5%. Em relação a expansão das células do cumulus ooforus, houve diferença (p<0,05) dos valores obtidos no
grupo controle em relação ao valor médio do grupo tratado com melatonina, sendo que os ovócitos tratados com
melatonina mostraram resultados satisfatórios de maturação citoplasmática em relação ao grupo controle. A
melhora na expansão do cumulus ooforus se deve a maior produção de ácido hialurônico que propicia melhora
na maturação do ovócito, apresentando menores taxas de embriões degenerados quando comparados aos
embriões cultivados na ausência de ácido hialurônico. Os receptores da melatonina foram identificados, também,
em células da granulosa, o que sugere outra possibilidade de que a melatonina pode ter participação na
maturação do ovócito. Conclui-se que a melatonina é eficiente em melhorar a expansão das células do cumulus
ooforus de suínos.

Palavras-chave: maturação in vitro, melatonina, suíno, ovócito, cumulus ooforus.


Keywords: in vitro maturation, melatonina, porcine, oocyte, cumulus oophorus.

135
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Afecções reprodutivas em suínos naturalmente infectados por Brucella suis


Reproductive disorders in swine naturally infected with Brucella suis

Raphaella Barbosa Meirelles-Bartoli1,*, Daniel Bartoli de Sousa1, Nivaldo Aparecido Assis2,


Luís Antonio Mathias2
1
Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí, Jataí, GO, Brasil; 2FCAV, UNESP, Campus Jaboticabal,
Jaboticabal, SP, Brasil.
*E-mail: raphaellabrasil@hotmail.com

A brucelose é uma doença infecto-contagiosa, que evolui de forma crônica e tem caráter granulomatoso típico,
resultando principalmente em problemas reprodutivos e osteoarticulares em diversas espécies, tendo alto
potencial zoonótico. Descreve-se um foco de brucelose suína em uma granja de suínos no município de
Jaboticabal, Estado de São Paulo, Brasil. Nesta granja ocorreu um alto índice de retorno ao cio e de abortamento
em todas as fases da gestação. Inicialmente houve a suspeita de aflatoxinas na ração, o que não foi confirmado.
Isolou-se Brucella suis de várias matrizes que abortaram e de seus fetos. Todo material colhido foi encaminhado
e processado no Laboratório de Diagnóstico de Brucelose, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e
Reprodução Animal, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Unesp, Câmpus de Jaboticabal – SP. De um
total inicial de 429 matrizes, foram coletados sangue de 271, na qual 257 (94,8%) foram positivas no teste do
antígeno acidificado tamponado AAT, 250 (92,2%) foram positivas no teste do 2-mercaptoetanol realizado
simultaneamente com a soroaglutinação lenta (SAL+ME) e 254 (93,7%) positivos na reação de fixação de
complemento (RFC). Também foram colhidas amostras de sangue dos sete cachaços da propriedade que fornecia
sêmen para a inseminação artificial das matrizes, porém negativos nas três técnicas (AAT, SAL+ME e RFC).
Para a identificação do agente etiológico, foi feita a colheita de conteúdo estomacal, pulmão, baço, fígado,
líquido fetal, linfonodo e placenta provenientes de 14 fetos abortados; e linfonodos, líquor, ovário, fígado e baço
de seis matrizes suínas sacrificadas e necropsiadas na propriedade; além do sêmen dos suínos utilizados para
inseminação artificial das matrizes da propriedade. O biovar 1 de B. suis foi cultivado a partir do material dos
fetos e das matrizes necropsiadas, no sêmen não houve crescimento de nenhuma espécie de brucela. Foi
registrada a repetição de cio após a inseminação artificial em 104 matrizes (24,24% - 104/429), com média de
3,32 ciclos/gestação e abortamentos em 99 matrizes (23,07% - 99/429) em diversos estágios de gestação. Trinta
e cinco matrizes (33,65% - 35/104) apresentaram descarga vaginal e três (2,88% - 3/104) manifestaram paralisia
dos membros pélvicos. Também foi constatado 10,52% de natimortos (445/4228) e 4,06% de fetos mumificados
ao final da gestação (172/4228). A infecção por Brucella dentro da granja no Município de Jaboticabal foi
confirmada pelo isolamento de um organismo identificado como B. suis biovar 1 e as características clínicas e
epidemiológicas observadas no rebanho foram condizentes com a infecção por essa espécie de Brucella. O
biovar 1 encontrado é o único confirmado na América Latina. Diante deste foco, e com os achados clínico-
reprodutivos, sorológicos e anatomopatológicos encontrados, conclui-se que a brucelose suína, embora tenha
reduzido sua prevalência, ainda é uma importante doença reprodutiva, e que a infecção por B. suis ainda ocorre,
colocando em risco a eficiência reprodutiva e a saúde animal e a humana, e que, devido as suas implicações, as
ações sanitárias não devem ser interrompidas.

Palavras chave: Brucella suis, abortamento, repetição de cio, secreção vaginal.


Keywords: Brucella suis, abortion, repeat breeding, vaginal discharge.

136
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Comparação da expressão gênica em embriões suínos pré-implantação derivados de


diferentes grupamentos genéticos
Comparition of gene expression patterns in swine pre-implantation embryos derived from different
genetic groups

Lincoln da Silva Amorim1,*, Taynan Stonoga Kawamoto2, Paulo Sávio Lopes3,


Simone Elisa Facioni Guimarães3, José Domingos Guimarães2
1
Centro de Ciências Agrárias Ambientais e Biológicas da UFRB, Cruz das Almas, BA, Brasil; 2Departamento de Veterinária,
UFV, Viçosa, MG, Brasil; 3 Departamento de Zootecnia, UFV, Viçosa, MG, Brasil.
*E-mail: lnlsamorimufv@gmail.com

Para uma melhor compreensão do desenvolvimento futuro do embrião é necessário entender os mecanismos
moleculares envolvidos na capacidade de desenvolvimento dos mesmos. Durante a pré-implantação genes
relacionados com a formação da blastocele e regulação do metabolismo estão envolvidos, o que poderia causar
diferenças nas taxas de gestação entre embriões de grupamentos genéticos distintos. O objetivo do presente
estudo foi medir diferenças entre genes Oct4 e ATP1A1 entre embriões Piau e embriões de uma linhagem
comercial de suínos. Marrãs da raça Piau foram abatidas ou submetidos a laparotomia exploratória para
recuperação de embriões no dia 6 após o acasalamento (dia 0 = estro). A cirurgia foi realizada como descrito
anteriormente (RD Cameron 1989, Australian Veterinary Journal, 66, 314-318) e aprovada pelo comitê de ética
da UFV. Embriões de genética de uma linhagem comercial foram obtidos através de lavagem do trato uterino
post-mortem 6 dias após o acasalamento, utilizando PBS a 37 ° C acrescido de 1% de PVA. Os embriões foram
classificados conforme seu estágio de desenvolvimento e qualidade, conforme as recomendações da IETS
(International Embryo Transfer Society, 1998) e 65 blastocistos de grau I foram selecionados para o estudo (35 e
30 de Piau e linhagem comercial, respectivamente). Os embriões foram preservados em 2 µl de PBS com 1% de
PVA, em criotubos, e mantidos em nitrogênio líquido até a extração de RNA. A extração foi realizada utilizando
RNeasy Mini Kit (Qiagem, Valência, CA). O RNA total foi transcrito de forma inversa com ProtoScript M-
MuLV First Strand cDNA Synthesis Kit (Biolabs, Ipswich, MA). PCR quantitativo em tempo real foi realizado
utilizando GoTaq qPCR Master Mix (Promega, Madison, WI) em ABI Prism 7300 Sequence Detection Systems
(Applied Biosystems, Foster City, CA). Os primers foram desenhados a partir de seqüências de suínos
disponíveis no GenBank. A linearidade da amplificação por ATP1A1 e Oct4 RNAm foi semelhante ao do gene
de controle endógeno, GAPDH (dados não mostrados). As reações foram realizadas usando 200 nM, 400 nM e
400 nM de iniciadores para ATP1A1, Oct4 e GAPDH, respectivamente, e 1,6 ng do cDNA por reação de cada
gene. As condições dos ciclos térmicos consistiram em 40 ciclos de 30s de fusão a 95°C, seguido por 30
segundos de emparelhamento e extensão a 60°C. Após amplificação, foi realizada uma análise da curva de fusão
para validar a ausência de produtos não específicos (dados não mostrados). Dados de expressão gênica foram
apresentados utilizando o método 2-ΔCt (KJ Livak e TD Schmittgen 2001, Methods, 25, 402-408). Os resultados
de expressão dos genes foram analisados usando procedimentos GLM (SAS Institute, Cary, NC). A expressão de
mRNA de ATP1A1 e Oct4 não foram diferentes entre os embriões pré-implantação de Piau e linhagem de suíno
comercial (p>0,05). Apesar do fato de que nenhuma diferença foi encontrada, o desenvolvimento do embrião
Piau e do tamanho da leitegada são diferentes quando comparados com outras raças. A expressão destes
mensageiros em embriões em pré-implantação não está descrita até o presente para a raça Piau. Em um futuro,
para uma melhor compreensão, expressões de outros genes analisados serão apresentados pelo nosso grupo, a
fim de examinar a alta mortalidade após a pré-implantação e a capacidade uterina.

Palavras chaves: blastocisto, pluripotência, transcritos e suínos.


Keywords: blastocyst, pluripotency, transcripts and swine.

137
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Viabilidade do sêmen suíno resfriado a 15°C adicionado de antioxidantes


Semen viability of swine cooled to 15°C added antioxidants

Vanessa Edilene Duarte Martins1, Paula Miranda Costa1, Sâmara Cristine Costa Pinto1,
Fernando Andrade Souza2,*
1
Mestrado em Ciência Animal (UEMA), São Luís, MA, Brasil; 2Universidade Federal do Acre (UFAC),
Rio Branco, AC, Brasil.
*E-mail: fernando.andrade@ufac.br

O sêmen suíno é um dos mais sensíveis as flutuações de temperatura quando comparado às outras espécies.
Dentre vários fatores que podem estar envolvidos na susceptibilidade desses espermatozoides, destacam-se os
danos induzidos pelo excesso de espécies reativas de oxigênio (EROs) as quais afetam a sua qualidade,
interferindo na capacidade fecundante. Desta forma, a adição de substâncias antioxidantes, ao plasma seminal,
auxilia na capacidade de atuar como inibidores desses radicais livres protegendo os espermatozoides, evitando o
estresse oxidativo e a lipoperoxidação. Diante disto, objetivou-se avaliar as características do sêmen suíno
resfriado a 15°C adicionado de antioxidantes Vitamina C, Trolox e Glutationa ao diluente. O sêmen de seis
reprodutores foi coletado por meio da técnica da mão enluvada utilizando manequim fixo. Foi acrescentado ao
diluidor MR-A® 200 μM/mL de Vitamina C, 200 μM/mL de Trolox e 2,5 mM/mL de Glutationa, além do grupo
controle, totalizando quatro tratamentos iniciais. No laboratório as amostras foram submetidas aos testes de
motilidade e vigor, teste de eosina-nigrosina, teste de reação acrossomal (Giemsa-Azul de tripan) e teste
hiposmótico (HOST) durante o período de conservação (D0 a D3). Após 30 h de armazenamento, cada
tratamento foi dividido, sendo adicionado mais uma concentração de Vitamina C, Trolox e Glutationa, no
respectivo tratamento, totalizando sete tratamentos finais. O delineamento utilizado foi em blocos ao acaso com
parcelas subdivididas. Utilizou-se o programa BioEstat 5.0, comparando as médias das variáveis paramétricas
pelo teste de Tukey e das não paramétricas pelo teste de Friedman, com significância de 5%. Dos antioxidantes
testados observou-se que a Glutationa apresentou melhor reposta a partir das primeiras 24 h em relação ao grupo
controle, 32,41±17,5% versus 23,08±17,66%, (média ± SD), respectivamente, sobre a motilidade espermática.
Porém, não houve diferença (p>0,05) entre os tratamentos quanto ao vigor espermático. Para o teste eosina-
nigrosina, não houve diferença (p>0,05) entre tratamentos dentro de tempo. Sobre o teste HOST, a adição de
antioxidantes ao diluidor não influenciou a integridade da membrana plasmática. Quanto ao teste Giemsa/Azul
de trypan, o tratamento com a Glutationa apresentou maior número de espermatozoides vivos com a preservação
do acrossoma em relação ao grupo controle, 67,5±19,27% versus 45,5±17,54% (média ± SD), respectivamente.
Após receberem a segunda dose de antioxidante a Vitamina C, o Trolox e a Glutationa foram comparados aos
tratamentos que não receberam a dose adicional. Quanto a motilidade houve diferença (p<0,05) no terceiro dia
(D2), a não adição apresentou melhor resposta. Aos demais testes, não houve efeito quanto adicionar uma
segunda dose de antioxidantes. Assim, a adição dos antioxidantes ao diluente não apresentou resultados
significativos sobre os parâmetros analisados, exceto sobre a motilidade espermática e integridade do acrossoma,
em que o tratamento utilizando a Glutationa apresentou melhor resposta. A adição da segunda dose de
antioxidantes mostrou-se inviável em todos os parâmetros avaliados.

Palavras-chave: resfriamento, antioxidantes, espermatozoides, varrão.


Keywords: cooling, antioxidants, sperm, boar.

138
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Comparação de corantes para avalição de integridade membrana e morfologia


espermática no sêmen suíno refrigerado
Dyes comparison to evaluation membrane integrity and sperm morphology in the refrigerated boar semen

Carlos Augusto Alves Melanda, Anne Kemmer Souza, Natália Rodrigues,


José Luiz de Angeli, Maria Isabel Melo Martins*

Departamento de Clínica Veterinária, CCA, Universidade Estadual de Londrina, PR, Brasil.


*E-mail: imartins@uel.br

Testes de coloração supravital são utilizados para avaliar a integridade estrutural da membrana espermática,
possibilitando a identificação de espermatozoides mortos, que possuem membrana lesionada. O objetivo desse
trabalho foi avaliar os efeitos dos corantes Karras Modificado (Papa et al, 1988) e Vermelho Congo com Violeta
Genciana na analise morfológica do sêmen e os corantes Eosina-nigrosina e Azul de Bromofenol para
integridade de membrana do sêmen in natura e pós-diluição com refrigeração de até 96 horas. Foram utilizados
ejaculados de 4 cachaços da raça Large White, com idade entre 2 e 4,5 anos, mantidos em um sistema de coleta
de sêmen semanal e pertencentes a uma granja de reprodutores e matrizes. O ejaculado foi coletado pela técnica
de mão enluvada, o recipiente era coberto por gaze e protegido em copo térmico, a parte gelatinosa foi
descartada. Após diluição em Beltsville Thawing Solution (BTS) e Água de coco desidratada + gentamicina
(ACP), foram conservados a temperatura de 15 a 17°C durante o período de 5 dias. O dia de coleta foi
considerado dia zero (D0), sendo o sêmen conservado até 96 horas após a coleta (D4), com análises diárias: D0,
D1, D2, D3 e D4. Os exames morfológicos constituíram de análise geral do espermatozoide (acrossoma, cabeça,
peça intermediária e cauda) por meio de esfregaço realizado após homogenização de 3µL de sêmen e o mesmo
volume de corante (Karras e Vermelho Congo com Violeta Genciana). Os exames foram feitos através da
microscopia óptica com lente de imersão, a um aumento de 100x, contando 100 células por amostras. Para o
teste de integridade de membrana foram usados os corantes Eosina-nigrosina e Azul de Bromofenol, utilizando a
mesma metodologia descrita acima. As células coradas indicaram lesão de membrana. Os dados foram
submetidos à análise de variância ANOVA, pelo teste Two Way Student-Newman-Keuls e foi considerado
significativo p<0,05 (programa SigmaPlot 11). Os valores obtidos avaliando a integridade de membrana
comparando corantes Eosiona-Nigrosina versus Azul de Bromofenol em dois tempos diferentes de refrigeração
após coleta foram: (D0) 78,83 versus 85,42 e (D4) 49,48 versus 49,48. A avaliação morfológica espermática
(Defeito de Acrossoma (DA), Defeito de Cabeça (DC), Defeito de Peça intermediaria (DPi), Defeito de Cauda
(DCa) e Células Normais (CN)) com uso dos corantes Karras versus Vermelho Congo com Violeta Genciana no
D0 (14,6 versus 42,9) e no D4 de refrigeração após a coleta foram: DA (D0 14,6 versus 42,9) e (D4 40,8 versus
68,1); DC (D0 2,1 versus 3) e (D4 1,5 versus 2,5); DPi (D0 5,3 versus 5,7) e (D4 2,9 versus 3,4); DCa (D0 6,4
versus 6,4) e (D4 4,8 versus 4,1); CN (D0 71,7 versus 42,8) e (D4 50 versus 22). Não houve diferença
significativa entre os corantes Eosina-Nigrosina e o Azul de Bromofenol, embora tenha ocorrido queda na
porcentagem de integridade de membrana com a refrigeração, refletindo na diminuição da motilidade
espermática. Ao serem comparados os corantes usados para morfologia espermática, na coloração Karras, houve
maior porcentagem de células normais quando comparado com o Vermelho Congo com Violeta Genciana. Essa
menor porcentagem de células normais encontradas na avaliação espermática pode ter ocorrido devido ao maior
tempo de leitura das lâminas e pelo teste ser subjetivo. Baseado nos resultados pode-se afirmar que as colorações
Karras e o Azul de Bromofenol são eficientes para avaliar as alterações espermáticas secundárias a refrigeração.

Palavras-chave: patologia espermática, corantes, cachaço, integridade de membrana, refrigeração.


Keywords: sperm pathology, dyes, boar, membrane integrity, cooling.

139
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Caracterização proteômica inicial da matriz nuclear espermática suína


Initial proteomic characterization of swine sperm nuclear matrix

Guilherme Arantes Mendonça1,*, Romualdo Morandi Filho2, Elisson Terencio Souza²,


Thaiz Schwarz Gaggini1, Marina Cruvinel Assunção Silva-Mendonça1, Robson Carlos Antunes1,
Marcelo Emílio Beletti1
1
Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, FAMEV, UFU, Uberlândia, MG, Brasil;
2
Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Estrutural Aplicadas, ICBIM, UFU, Uberlândia, MG, Brasil.
*E-mail: guilherme.mendonca@outlook.com

Há muito tempo se pensava que a única função da célula espermática era transmitir o DNA genômico paterno
para a próxima geração. Esta ideia começou a mudar com a descoberta de imprintings sexo-específicos de genes
mediados pelas diferenças de metilação do DNA, e epigeneticamente transmitido para a próxima geração. Sítios
ativos da cromatina espermática nos toroides de protamina podem conter informações importantes para o
embrião em desenvolvimento, além da sequência de DNA. Objetivou-se com este estudo realizar uma análise
proteômica da matriz nuclear espermática suína. Foi utilizado sêmen suíno pré-diluído resfriado, obtido de um
reprodutor aparentemente saudável, com testes de morfologia e de condensação de cromatina normais, da linha
comercial Landrace X Large White X Pietran, com 22 semanas de idade, utilizado normalmente em uma central
de inseminação artificial de suínos localizada em Uberlândia, Minas Gerais. O sêmen foi processado para
separação das cabeças dos espermatozoides, extração da cromatina e matriz nuclear, quantificação de proteínas e
análise por espectrometria de massas avançada. Foram catalogadas 211 proteínas diferentes na amostra, e destas
149 foram previamente descritas como presentes no núcleo espermático ou somático de diversas espécies
(UniProt, 2015) e 33 foram não caracterizadas. A Protamina 2 foi identificada pela primeira vez na espécie
suína, no entanto a Protamina 1 não foi descrita, provavelmente pelo fato que a tripsina utilizada no método
clivou as ligações peptídicas desta proteína. Foram identificadas na amostra diversas variantes de histonas,
ribonucleoproteínas, subunidades proteossomais, proteína de transição nuclear, entre outras proteínas que nunca
haviam sido descritas em suínos. Vale ressaltar que as proteínas ribossomais também foram descritas em núcleos
espermáticos humanos através de proteoma e imunoflorescência. A presença de proteínas pertecentes à família
das histonas indica que essas proteínas não são achados acidentais, fato comprovado em humanos, e sim estão
presentes no núcleo espermático de suínos com espermatozoides normais. Diversas proteínas identificadas
desempenham funções nucleares específicas e determinantes no processo de fertilidade, podendo influenciar
inclusive o desenvolvimento embrionário subsequente. As funções relacionadas às ações dessas proteínas são
diversas e inclui sinalização celular, reparo do DNA, compactação de regiões de pré-RNAm, papéis no splicing
de RNA, biogênese de RNA, regulação da transcrição, tradução de outras proteínas, papel na regulação da
morfologia celular e organização do citoesqueleto, no controle da proliferação celular e na retomada meiótica e
formação do pronúcleo masculino. Pode-se inferir que a matriz nuclear, da qual fazem parte as proteínas
cromatínicas, transmite ao ovócito mecanismos essenciais para seu crescimento e diferenciação. Assim, as
proteínas passam a ser não só componentes estruturais da arquitetura cromatínica/matricial, mas sim
componentes essenciais do sucesso da reprodução em seus mais diferentes níveis. Futuros estudos podem
esclarecer a importância das marcações proteicas na matriz nuclear espermática de suínos, além de desvendar
possívies informações paternas não genéticas, podendo aprimorar técnicas de reprodução e melhoramento
animal, com foco na escolha de reprodutores não só de alto potencial genético, mas também de alto potencial
epigenético.

Palavras-chave: epigenética, proteoma, cromatina, Sus scrofa.


Keywords: epigenetic, proteome, chromatin, Sus scrofa.

Agradecimentos: FAPEMIG.

140
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação da cromatina espermática em suínos aprovados e reprovados no exame


morfológico do sêmen
Evaluation of sperm chromatin in boars approved and reproved in morphological examination of semen

Nadia Simarro Fagundes1,*, Guilherme Arantes Mendonça1, Vânia Maria Arantes3,


Ludmila Angélica da Fonseca2, Aline Costa de Lucio2, Talita Vieta Junqueira2, Marcelo Emílio Beletti1
1
Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias; 2Instituto de Ciências Biomédicas, UFU, Uberlândia, MG, Brasil;
3
Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Mato Grosso, Cuiabá, MT, Brasil.
*E-mail: nadia_simarro@yahoo.com.br

Parâmetros avaliados no espermograma de rotina em suínos podem não ser suficientes na identificação da
subfertilidade, por não oferecer uma análise estrutural interna da célula espermática, a fim de identificar
possíveis alterações cromatínicas. A análise da estrutura da cromatina espermática (SCSA) é um dos métodos
mais usados para a identificação destas alterações. Objetivou-se avaliar a compactação da cromatina espermática
de suínos reprodutores comerciais, a partir do método SCSA, e comparar os resultados dos machos aprovados e
reprovados no exame morfológico. Foram utilizados 37 ejaculados de reprodutores suínos comerciais, entre 24 e
36 meses de idade, de várias raças, sendo que 27 eram provenientes de machos reprovados no exame
morfológico de rotina (> que 30% de defeitos) e 10 aprovados. Houve diferença (p<0,05) para a porcentagem de
descompactação cromatínica entre os machos aprovados no exame morfológico (3,32%) e os reprovados
(5,52%). Dos machos aprovados no exame de morfologia apenas 1 (10%) apresentou descompactação acima de
5%, e entre os animais reprovados 12 (44%) mostraram descompactação acima de 5%, resultados
estatisticamente diferentes. Semelhanças também foram encontradas na literatura consultada. Alguns
espermatozoides com anormalidades na cromatina podem fecundar ovócitos, porém o defeito no DNA pode
persistir durante todo o período embrionário, induzindo a apoptose, a desestruturação embrionária e o aborto,
sem que a suspeita recaia sobre o cachaço. Os futuros suínos reprodutores devem, portanto, passar por exames da
estrutura da cromatina espermática, sendo que a identificação e posterior descarte de cachaços que possuem
pobre integridade do DNA espermático, pode ser vantajosa para a eficiência da produção. Conclui-se que a
avaliação da estrutura da cromatina espermática se torna essencial, pois até mesmo machos aprovados no exame
morfológico podem apresentar elevados graus de descompactação cromatínica, com possível interferência na
fertilidade.

Palavras-chave: SCSA, descompactação, morfologia, fertilidade.


Keywords: SCSA, unpacking, morphology, fertility.

Agradecimentos: FAPEMIG.

141
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

The chaperone PDILT is expressed in boar post-meiotic germ cells and in the
epididymal epithelium
A chaperona PDILT é expressa em células germinativas pós-meióticas e no epitélio epidimário de cachaços

Ivan Cunha Bustamante-Filho1,, Ana Helena da Rosa Paz2, Adam Maurice Benham3
1
UNIVATES, Lajeado, RS, Brasil; 2Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde, UFRGS, Porto Alegre, RS,
Brasil; 3 School of Biological and Biomedical Sciences, Durham University, Durham, UK.
E-mail: ivanbustamante@univates.br

A growing body of evidence suggests that chaperones are of great importance to control protein quality in
spermatogenesis, i.e. the right conformation and function for a given purpose (Van Lith et al., 2007). PDILT, a
member of the protein disulfide isomerase (PDI) family is associated to the quality control of important proteins
like ADAM3, calmegin and calsperin, necessary for intra-uterine transport and sperm-egg fusion. Experimental
data with knockout mice showed that PDILT is needed for sperm transport through the uterus and zona pellucida
binding (Benham, 2012). Our group has shown that PDILT is expressed in testis and epididymis at RNA level,
however, we still don’t know which cells are express this protein. The aim of this study was to immunolocalize
PDILT in testis and epididymis of adult boars. Testicular and epididymal tissues were fixed in 10%
formaldehyde solution, processed into paraffin wax according to standard procedures and cut in 4μm-thick
sections onto glass slides. Wax was removed, and the tissue was rehydrated in sequential washing steps from 100
to 70% ethanol. Endogenous peroxidase activity was blocked with 1% hydrogen peroxide in methanol. Antigen
retrieval was done by incubating the slides in 10 mM sodium citrate at 90°C for 30 min, followed by a blocking
step in PBS with 5% goat serum and 0.2% bovine serum albumin (BSA). The sections were incubated with anti
mouse PDILT antibody in PBS (1:8000) with 0.2% BSA. Sections were counterstained with hematoxylin. Slides
were mounted with 1,3-diethyl-8-phenylxanthine and analyzed with an Olympus BX51 microscope (Olympus,
Tokyo, Japan). Immunopositive staining was clearly identified in the testis, with stronger signal in round and
elongated spermatids, as well in residual bodies. PDILT was not detected in other tissues lysates (heart, brain,
stomach, liver and lung). These results are similar to the original findings in rats Van Lith et al., 2007), with
exclusive staining in mature germ cell and in apical and basal residual bodies, but not in nuclei. Closer
examination of epididymis sections of healthy boars revealed the expression of PDILT by the epididymal
epithelium of all segments tested. Principal cells, the main secretory cell in this tissue, were homogenously
stained from basal membrane until the apical end in all three regions observed. Based on our findings, PDILT is
expressed in swine post-meiotic germ cells as well epididymal epithelium.

Keywords: testis, epididymis, PDILT, chaperone, swine.


Palavras-chave: testículo, epidídimo, PDILT, chaperona, suíno.

142
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Comparação de características seminais entre suínos de uma linhagem comercial e da


raça naturalizada brasileira Piau
Comparison of semen characteristics between pigs of a commercial line and the naturalized Piau breed

Daniel Mendonça de Araújo Lima1,*, Rogério Oliveira Pinho2, Hugo Hideki Shiomi1,
Breno Soares Camilo1, HugoTeixeira Silva2, Jeanne Broche Siqueira3, Carolina Filardi de Campos2,
José Carlos Vergara1, Paulo Sávio Lopes2, Simone Eliza Facioni Guimarães2, José Domingos Guimarães1
1
Departamento de Veterinária, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa, MG, Brasil; 2Departamento de Zootecnia,
UFV, Viçosa, MG, Brasil; 3Departamento de Veterinária, Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri
(UFVJM), Unaí, MG, Brasil.
*E-mail: araujolima04@gmail.com

A perda de material genético das raças naturalizadas, principalmente de algumas espécies de animais de interesse
econômico, vem estimulando a criação de Núcleos de Conservação Genética, também chamados de bancos de
Germoplasma. Neste sentido, a Granja de Melhoramento Genético de Suínos da Universidade Federal de Viçosa
(GMS/UFV) conta com uma população de suínos da raça Piau, que é considerada a mais importante raça
naturalizada da espécie, apresentando alta adaptabilidade, rusticidade, além de resistência a parasitas e às
doenças encontradas com maior frequência no território brasileiro, no entanto, encontra-se em vias de extinção.
Devido à importância de se conservar materiais genéticos ameaçados, e da falta de informações a respeito dos
animais da raça Piau, objetivou-se avaliar características seminais de suínos desta raça em comparação com uma
linhagem comercial. Foram utilizadas informações referentes a coletas de sêmen de nove varrões, sendo quatro
de uma linhagem comercial e cinco da raça Piau. Foram avaliados, volume, motilidade e vigor espermáticos,
concentração total (x109) e concentração de espermatozoides viáveis por mL (x106). As variáveis estudadas
foram submetidas à análise estatística pelo programa SAS, sendo considerado grupo genético como efeito fixo e
o macho dentro de cada grupo genético como efeito aleatório. Não foi observada diferença entres os grupos
genéticos (P>0,05) somente em relação ao parâmetro vigor espermático (3,70 versus 3,75) para as raças Piau e
Comercial respectivamente. Entretanto, analisando os parâmetros volume do ejaculado (158,30 versus 185),
concentração total (315,20 versus 458,80), motilidade (80,70 versus 85,51), e concentração de viáveis por mL
(46,89 versus 79,7) foi encontrada diferença significativa (P<0,05) entre a raça Piau e a linhagem comercial,
sendo a ultima com valores médios superiores. As maiores médias encontradas na linhagem comercial
demonstram a maior capacidade de fecundação dos espermatozoides dos animais deste grupo, principalmente
quando se analisa a motilidade, pois esta tem grande importância, juntamente com o vigor, para a capacidade de
fecundação do espermatozoide, visto que diversos autores já relacionaram estas características com o grau de
parição de matrizes. Com os resultados apresentados, se percebe que as diferenças genotípicas entre os dois
grupos de suínos avaliados, proporciona diferenças na característica seminal, sendo que a linhagem comercial
possui uma qualidade superior à raça naturalizada brasileira Piau ao se comparar os parâmetros que
demonstraram diferença estatística.

Palavras-chave: suíno, raça, preservação, sêmen, Piau.


Keywords: pig, breed, preservation, semen, Piau.

143
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Influência do peso dos ovos de reprodutoras pesadas com diferentes idades sobre as
características dos ovos incubáveis e pintos de um dia
Influence of weight of breeder eggs with different ages on the characteristics of hatching eggs
and one-day-old chicks

Isabella Lourenço dos Santos, Paula Fernanda de Sousa Braga*, Paulo Lourenço da Silva,
Marcella Antunes Machado, Driene Bastos Soares1, Carolina Magalhães Caires Carvalho

Departamento de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, FAMEV-UFU, Uberlândia, MG.


*E-mail: paulinhafsb@hotmail.com

A linhagem e a idade da matriz têm influência direta na qualidade e composição dos ovos e por consequência no
peso do pintinho ao nascer. A uniformidade do pinto de um dia é cada vez mais importante por contribuir para a
eficiência econômica do lote. No presente trabalho objetivou-se verificar a influência dos pesos de matrizes
pesadas de frango e suas idades na qualidade dos ovos incubáveis e pintos e avaliar a correlação entre os
parâmetros peso do ovo, características estruturais dos ovos, comprimento de pinto, gema residual, peso de
pinto. Foram utilizados para o estudo ovos incubáveis de reprodutoras pesadas da Linhagem COBB com 32 e 55
semanas provenientes de um incubatório de matrizes pesadas localizado na cidade de Uberlândia, MG. As
análises foram realizadas no Laboratório de Nutrição Animal da Faculdade de Medicina Veterinária da
Universidade Federal de Uberlândia-UFU. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente
casualizado. Foi realizado o teste de Kolmogorov-Smirnov para verificar se os dados eram paramétricos. Os
resultados de tamanho do peso do pintinho não seguiram a normalidade e foram transformados em log a fim de
tornar os dados paramétricos. As variáveis foram submetidas à análise de variância e na comparação de médias
foi utilizado o teste de Tukey (P<0,05) por meio do programa estatístico GraphPad PRISM 5.0. Também foi
determinado o coeficiente de correlação para as características acima descritas. Quanto aos pesos dos ovos e
gema, os ovos G apresentaram maiores valores de peso em relação aos ovos M e esses, por sua vez, tiveram
maiores médias de peso comparados com os P, mostrando que os maiores tamanhos correspondem aos maiores
pesos de ovos e o mesmo ocorre para os tamanhos médios e pequenos. Para análises de espessura da casca dos
ovos incubáveis não se observou diferença estatística entre as médias de espessura de casca, avaliadas nos
tratamentos P, M, G. Também não houve diferença entre as duas idades de matrizes avaliadas. Na contagem de
poros, não se verificou diferença entre as médias nas categorias avaliadas (P, M e G) tanto para matrizes de 32 e
55 semanas de idade. Entretanto, os dados sugerem que matrizes mais velhas apresentaram maior número de
poros nas regiões avaliadas na casca quando comparadas com matrizes novas, exceto entre médias obtidas para
polo menor do ovo. As médias referentes a análise de matéria mineral da casca não apresentaram diferença entre
os tratamentos e as idades. Não houve diferença (p<0,05) para o comprimento dos pintos nascidos de diferentes
faixas de pesos de ovos, em matrizes de mesma idade. Quanto maior o peso do ovo maior também foi o peso do
pinto. Para as matrizes com 55 semanas apenas os pintos nascidos de ovos grandes (peso G) foram
significativamente (p<0,05) maiores que os nascidos dos ovos P e M, os quais foram iguais entre si. A
porcentagem de proteína bruta na gema não variou entre as faixas de peso dos ovos. Independente das idades e
dos pesos dos ovos observou-se alta e positiva correlação (0,65; 0,51; 0,49), respectivamente ente peso de gema
e peso do ovo, tamanho e peso dos pintos. Conclui-se que à medida que a matriz envelhece se observa diferenças
quanto aos parâmetros avaliados. Além disso, observa-se que o peso da gema influencia diretamente o peso dos
ovos, sendo que ovos incubados com pesos semelhantes podem auxiliar uma melhor e maior uniformidade das
aves na primeira semana de vida.

Palavras-chave: componentes do ovo, idade de matriz, rendimento de incubação.


Keywords: roosters, comb, cloaca, testes, body weight.

Agradecimentos: FAPEMIG

144
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Fertilidade e qualidade seminal de machos de codornas japonesas (Coturnix coturnix


japonica) submetidos a diferentes tipos e cores de lâmpadas
Fertility and semen quality of male japanese quails (Coturnix coturnix japonica) submitted to different kinds and
colors of lamps

Arabela Guedes de Azevedo Viana1,*, Pâmela Lacombe Retes2, Bárbara Azevedo Pereira1,
Danusa Gebin das Neves2, Rodolfo Mascarenhas Lanza2, Marcelo Espósito Pacheco2,
Frederico de Oliveira Bustamante2, Maraisa dos Santos2, Juliano Vogas Peixoto1, Édison José
Fassani2, Renata Ribeiro Alvarenga2, Márcio Gilberto Zangeronimo1
1
Departamento de Medicina Veterinária, UFLA, Lavras, MG, Brasil;
2
Departamento de Zootecnia, UFLA, Lavras, MG, Brasil.
*E-mail: arabelagav@gmail.com

A iluminação artificial tem sido amplamente utilizada em criações avícolas com o objetivo de melhorar o
desempenho reprodutivo das aves, já que a luz afeta diretamente a fisiologia das mesmas. Os comprimentos de
onda influenciam a liberação de hormônios sexuais que podem afetar a fertilidade dos machos, no entanto,
poucos estudos avaliam a influência desta característica da luz sobre machos de codornas japonesas (Coturnix
coturnix japônica). Sendo assim, objetivou-se com o presente estudo avaliar os efeitos de diferentes tipos de
lâmpada e cores de luz na qualidade do sêmen e fertilidade de machos de codornas japonesas. O experimento foi
conduzido no setor de avicultura do DZO/UFLA utilizando-se 300 codornas japonesas fêmeas e 96 machos. Os
tratamentos foram constituídos de três tipos de lâmpadas, sendo eles: lâmpada incandescente, fluorescente e
LED’s nas cores azul, branca, vermelha e verde, totalizando seis tratamentos. Foi utilizado o delineamento
inteiramente casualizado com seis repetições de uma ave por tratamento para as avaliações seminais e 30
repetições de um ovo por tratamento para avaliação da fertilidade. As codornas foram alojadas em galpão de
alvenaria dividido internamente em seis salas, com isolamento luminoso. Cada divisão recebeu oito gaiolas onde
foram alojadas duas codornas macho em cada. Três gaiolas por tratamento foram usados para avaliação seminal
e cinco para avaliação da fertilidade. Cada gaiola recebeu também dez fêmeas de 35 dias de idade criadas sob as
mesmas condições dos machos desde o primeiro dia de vida. A partir dos 117 dias de idade foram realizadas três
coletas de sêmen em intervalos de três dias para avaliação do volume seminal, concentração, vigor, motilidade e
viabilidade espermáticas. Aos 123 dias foram coletados 30 ovos por tratamento, seis por gaiola, selecionados e
incubados. Após 17 dias foram contabilizados os ovos eclodidos e aos 21 dias os que não eclodiram foram
avaliados para checar se houve fertilização. Os dados foram submetidos à análise estatística não paramétrica,
sendo as médias comparadas pelo teste de Kruskal-Wallis a 5%. Não foram observadas diferenças (P>0,05) na
análise de qualidade do sêmen bem como o teste de fertilidade. Conclui-se que os tipos de lâmpadas em
diferentes cores não interferem na qualidade reprodutiva de codornas japonesas machos.

Palavras-chave: codorna, fertilidade, luminosidade, reprodução.


Keywords: quail, fertility, luminosity, reproduction.

145
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Escores de crista e de cloaca e peso testicular de galos de matriz pesada com 25 semanas
de idade e três categorias de peso corporal
Comb and cloaca scores and testes weight in 25 weeks old broiler breeder roosters in three body weight categories

Rafael Augusto de Carvalho Leão1,*, Patrícia Ramos Xavier1, Nelson Carneiro Baião2,
Fernanda Lima de Souza Castro2, Antônio de Pinho Marques Junior1
1
Departamento de Clinica e Cirurgia Veterinárias, EV-UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil; 2Departamento de Zootecnia,
EV-UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil.
*E-mail: rafaelleao@ufmg.br

A avaliação reprodutiva de galos ainda é subjetiva, com o sobrepeso corporal e problemas de pés e pernas fenótipos
sugestivos de baixo desempenho sexual, enquanto baixo peso corporal (PC), crista de baixa qualidade e cloaca pequena,
pálida e seca são fenótipos sugestivos de subfertilidade. Buscou-se avaliar o potencial de associação de parâmetros
fenotípicos como escores de crista, de cloaca e calo de pé com o peso dos testículos em galos de matriz pesada no início da
vida reprodutiva, em três categorias de peso corporal. Trinta galos Cobb MX com 25 semanas de idade, das categorias de PC
leve (PC ≤ 3,42kg; n = 10), médio (3,42kg < PC < 4,17kg; n = 10) e pesado (PC ≥ 4,17kg; n = 10) foram avaliados quanto
aos escores de crista, de cloaca e calo de pé, abatidos segundo normas de abate humanitário, quando os testículos foram
removidos e pesados. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado. As variáveis foram analisadas por
estatística descritiva, sendo as de distribuição normal por análise de variância e pelo teste de Tukey. Os escores de crista, de
cloaca e calo de pé foram analisados pelo teste de Kruskal-Wallis, com nível de significância de 5%. Não houve diferença
estatística entre os pesos testiculares, assim como os escores de cloaca também não diferiram entre os grupos. Galos da
categoria pesado apresentaram maiores escores de crista que os da categoria leve (3,5 ± 0,53 versus 2,4 ± 0,70) (P ≤ 0,05),
além de apresentarem maiores escores de calo de pé (1,1 ± 0,99) do que os da categoria médio, nos quais não foram
encontrados calos. Correlação positiva, forte e significativa foi encontrada entre os escores de crista e o peso corporal (r =
0,51; P ≤ 0,001). Correlação positiva, moderada e significativa foi encontrada entre o escore de crista e o de cloaca (r = 0,44;
P ≤ 0,01); peso corporal e peso do testículo esquerdo (r = 0,40; P ≤ 0,05) e peso corporal e peso total dos testículos (r = 0,42;
P ≤ 0,05). Esses resultados preliminares sugerem que não é possível associar escores de crista, cloaca e calo de pé ao peso
dos testículos em galos com 25 semanas de idade independentemente de sua categoria de peso corporal.

Palavras-chave: galos, crista, cloaca, testículos, peso corporal.


Keywords: roosters, comb, cloaca, testes, body weight.

146
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Morfometria testicular de galos de matriz pesada adultos de três categorias de


peso corporal
Testicular morphometry of adult broiler breeder roosters of three body weight categories

Carolina Andrade Rezende1, Patrícia Ramos Xavier1, Nelson Carneiro Baião2,


Leonardo Eugênio de Araújo Ruiz2, Antônio de Pinho Marques Junior1,*
1
Departamento de Clinica e Cirurgia Veterinárias, EV-UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil; 2Departamento de Zootecnia,
EV-UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil.
*E-mail:ampinhojr@gmail.com

Em galos de matriz pesada, o peso corporal tem correlação positiva, moderada e significativa com o peso médio
dos testículos. No presente trabalho buscou-se avaliar a influência do peso corporal (PC) em parâmetros da
morfometria testicular de galos de corte reprodutores. Para esse propósito, galos Cobb 500 de empenamento
lento com 71 semanas de idade das categorias de PC leve (PC≤4,30kg; n=26), médio (4,30<PC<5,25kg; n=42) e
pesado (PC≥5,25kg; n=19) foram abatidos segundo as normas de abate humanitário. Os testículos foram obtidos
e pesados, e o testículo direito de 18 galos (6 de cada categoria) foi destinado a processamento histológico de
rotina. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado. As variáveis foram estudadas por estatística
descritiva e submetidas à análise de variância e ao teste de Duncan. O nível de significância foi de 5%. Os galos
da categoria pesado apresentaram maior peso médio de testículos que os galos da categoria leve (média ± desvio
padrão de 11,06±2,25g e 7,73±3,87g; p≤0,05). Não houve diferença estatística significativa nos demais
parâmetros da morfometria testicular entre os galos das categorias de PC leve, médio e pesado. Contudo, há
correlaçõ positiva e significativa do PC com peso médio dos testículos (r=0,42; p<0,0001), volume de tecido
intersticial (r=0,65; p=0,003) e comprimento de túbulo seminífero (r=0,49; p = 0,040). O peso do testículo
direito tem correlação positiva e significativa com os demais parâmetros da morfometria: diâmetro de túbulo
seminífero (r=0,65; p=0,004), altura de epitélio seminífero (r=0,55; p=0,018), volume de túbulo seminífero
(r=0,62; p=0,006), volume de tecido intersticial (r=0,69; p=0,001), área de túbulo seminífero em corte
transversal (r=0,60; p=0,008), área de lúmen de túbulo seminífero em corte transversal (r=0,49; p=0,040), área
de epitélio seminífero em corte transversal (r=0,59; p=0,009) e comprimento de túbulo seminífero (r=0,69;
p=0,002). Correlação significativa foi encontrada entre o diâmetro de túbulo seminífero e altura de epitélio
seminífero (r=0,91; p<0,0001), proporção volumétrica de túbulo seminífero (r=0,73; p=0,0006), proporção
volumétrica de tecido intersticial (r=-0,73; p=0,0006), volume de túbulo seminífero (r=0,51; p=0,02), área de
túbulo seminífero em corte transversal (r=0,99; p<0,0001), área de lúmen em corte transversal (r=0,78;
p=0,0001) e área de epitélio seminífero em corte transversal (r=0,98; p<0.0001). Correlação significativa foi
encontrada entre a altura de epitélio seminífero e proporção volumétrica de túbulo seminífero (r=0,67;
p=0,0022), proporção volumétrica de tecido intersticial (r=-0,67; p=0,0023), volume de túbulo seminífero
(r=0,51; p=0,03), área de túbulo seminífero em corte transversal (r=0,89; p<0,0001) e área de epitélio seminífero
em corte transversal (r=0,94; p<0.0001). Correlação significativa também foi encontrada entre o volume de
tecido intersticial e o comprimento de túbulo seminífero (r=0,67; p=0,002). Conclui-se que volume de tecido
intersticial (onde estão as células de Leydig, produtoras de testosterona) e comprimento de túbulo seminífero são
os parâmetros da histomorfometria testicular que significativamente se correlacionam com maior peso de
testículos e maior peso corporal em galos de matriz pesada.

Palavras-chave: galos, peso corporal, testículos, morfometria.


Keywords: roosters, body weight, testes, morphometry.

147
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Desenvolvimento testicular de machos de codornas japonesas (Coturnix coturnix


japonica) criados sob diferentes tipos de lâmpadas e cor da luz
Testicular development of male Japanese quails (Coturnix coturnix japonica) submitted to different kinds of
lamps and wavelengths

Pâmela Lacombe Retes1,*, Marcelo Espósito2, Maraísa dos Santos2, Danusa Gebin das Neves2,
Edwin Alberto Canas Mendoza2, Manuel Fernando Bobadilla Mendez2, Alisson Hélio Sampaio Clemente2,
Louise Marques Coelho1, Letícia Mendonça Rodrigues2, Raquel Tatiane Pereira2, Juliano Vogas Peixoto1,
Márcio Gilberto Zangeronimo1
1
Departamento de Medicina Veterinária, UFLA, Lavras, MG, Brasil; 2Departamento de Zootecnia, UFLA, Lavras, MG.
*E-mail: pamelalacombe@hotmail.com

A maior parte dos problemas reprodutivos de um plantel está relacionada a fatores ligados ao macho. No entanto,
o manejo apropriado de iluminação permite o desenvolvimento adequado do sistema reprodutor fazendo com
que boas taxas de fertilidade sejam alcançadas. Os comprimentos de onda de luz, caracterizado pelas cores da
luz, têm mostrado efeitos sobre os aspectos reprodutivos das aves, e as lâmpadas LED’s estão disponíveis em
diferentes cores. No entanto é necessário a testar e validar qualquer nova tecnologia a ser utilizada pela indústria.
Objetivou-se com o presente estudo avaliar os efeitos de diferentes tipos de lâmpadas e cores de luz no
desempenho reprodutivo de machos de codornas japonesas (Coturnix coturnix japonica). Foram utilizadas 240
codornas machos de um dia que foram alojadas em delineamento inteiramente casualizado com seis tratamentos
e cinco repetições, em galpão dividido em seis salas com isolamento luminoso, cada uma contendo uma gaiola
com 40 aves expostas de forma homogênea a um tipo específico de lâmpada: incandescente, fluorescente ou
LED (light emitter dioded) nas cores azul, branca, vermelha e verde. A parcela experimental foi constituída por
uma ave. Aos 35, 47, 57, 71 e 123 dias de idade, uma ave de cada gaiola foi pesada e sacrificada para a avaliação
das dimensões testiculares e aos 35, 57 e 123 os mesmos foram fixados em solução de Bouin para posterior
estudo histológico. Aos 35 dias de idade, as lâmpadas fluorescente e LED vermelho resultaram (P<0,05) em
maior peso e volume testicular, maior índice gonadossomático e maior área dos túbulos seminíferos. Ainda nessa
idade, observou-se que as lâmpadas fluorescentes proporcionaram (P<0,01) maior altura do epitélio germinativo.
Aos 57 dias, as lâmpadas LED brancas se assemelharam aos resultados obtidos pelas lâmpadas fluorescentes e
LED vermelhas, porém, resultaram (P<0,01) em maior área de túbulos seminíferos e maior altura do epitélio
germinativo. Aos 123 dias apenas o epitélio germinativo foi influenciado pelos tratamentos sendo que aquelas
aves criadas sob LED vermelho apresentaram menor área. Não foram observadas diferenças (P>0,05) nas demais
idades analisadas. Conclui-se que as lâmpadas fluorescente e LED vermelhas promovem desenvolvimento
testicular precoce em codornas e as LED brancas melhor desenvolvimento tardio, porém, as aves criadas sob
LED vermelho apresentaram prejuízos em seu desenvolvimento testicular tardiamente, sendo que as demais
lâmpadas utilizadas não influenciaram as características reprodutivas de codornas japonesas no pico de atividade
sexual até os 123 dias de idade das aves.

Palavras-chave: avicultura, comprimento de onda, coturnicultura, histologia, LED, reprodução.


Keywords: poultry science, wavelength, quail production, histology, LED, reproduction.

148
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Parâmetros biométricos de maior praticidade na estimação da idade fetal por


ultrassonografia em cabras da raça Saanen no terço inicial de gestação
Practical biometric parameters in the estimation of fetal age by ultrasound in Saanen goats in the first third of
pregnancy

Mário Felipe Alvarez Balaro1,*, Daniel Andrews de Moura Fernandes1, Luiz Fernando Guaraná Macêdo
Moura1, Alex da Silva Santos1, Natália Assis Coelho de Faria2, Luiza Mattos Cavalcanti1, Loara Helena
Santanna Gonçalves1, Ana Clara Sarzedas Ribeiro1, Karina Frensel Delgado1,
Jeferson Ferreira da Fonseca3, Felipe Zandonadi Brandão1
1
Departamento de Patologia e Clínica Veterinária, Setor de Reprodução Animal, Universidade Federal Fluminense, Niterói,
RJ, Brasil; 2Discente, Medicina Veterinária, Unigranrio; 3Embrapa Caprinos e Ovinos, Coronel Pacheco, MG, Brasil.
*E-mail: mariobalaro@hotmail.com

Objetivou-se avaliar os parâmetros utilizados para mensuração da idade fetal em cabras da raça Saanen e analisar
quais possuíam maior praticidade para o diagnóstico ultrassonográfico da idade fetal no terço inicial da gestação.
O estudo foi desenvolvido de maio a julho de 2014 na cidade de Niterói, Rio de Janeiro (Latitude 22º 52'
30’’sul). Doze cabras da raça Saanen tiveram o estro sincronizado e foram cobertas por monta natural após
apresentação do estro. A detecção da gestação e início da biometria fetal foram realizados a partir do 30 dia da
gestação por meio ultrassonografia transretal acoplado a um transdutor linear de 7,5 MHz (SONOSCAPE S6®).
A biometria fetal (n=23) foi realizada quinzenalmente até o 75 dia da gestação. A partir da introdução do
transdutor era registrado um vídeo do útero gravídico e feto na posição encontrada, sem manipulação abdominal,
para avaliação posterior das imagens. Foram mensurados os dados de comprimento crânio-caudal fetal (CCC),
diâmetro da vesícula embrionária (DVE), diâmetro biparietal (DBP), diâmetro abdominal (DA), diâmetro de
cordão umbilical (DCU), eixo maior do coração (EMC), diâmetro de placentoma (DP), diâmetro do fêmur (DF)
e diâmetro do globo ocular (DGO). Foi realizada a distribuição de frequência e teste Exato de Fisher (P < 0,05)
dos achados. No 30o dia, o comprimento da DVE (16,0 ± 1,1 mm) e o DA (6,4 ± 0,5 mm) foram mensurados em
100% (23/23) dos fetos e foram superiores (P < 0,05) aos demais índices. Na sequência veio o EMC (93,2 ± 0,6
mm), CCC (13,3 ± 0,9 mm) e DGO (2,2 ± 0,3 mm) em 59% (13/21) dos fetos mensurados. No 45° dia, o DA
(14,6 ± 0,8 mm) e DCU (4,23 ± 0,4 mm) foram mensuráveis em 95,6% (22/23) dos fetos. Já o DP (11,7 ± 1,9
mm), visualizável pela primeira vez neste tempo, foi obtido em 100% (12/12) dos úteros gravídicos. O DBP
(14,2 ± 0,6 mm) e o EMC (6,9 ± 0,7 mm) vieram em seguida, mensuráveis em 87% (20/23) e 78,3% (18/23) dos
fetos estudados, respectivamente. Esses índices foram superiores (P < 0,05) quando comparados ao DF e DGO.
No 60° dia, aumentou-se a dificuldade de visualização do feto pela via ultrassonográfica transretal. Os
parâmetros de melhor mensuração foram o DP (20,6 ± 3,0 mm) e o DBP (27,8 ± 2,6 mm) em 100% (11/11) dos
fetos analisados, seguidos do DCU (8,48 ± 1,1 mm) e DGO (8,9 ± 1,0 mm) em 81,8% (9/11) das análises. Neste
tempo, a frequência de mensuração do DF foi inferior (P < 0,05) aos demais índices. No 75° dia, última
biometria, o parâmetro DP (22,9 ± 2,2 mm) foi superior aos demais (P < 0,05) obtendo100% (12/12) de acesso
seguido do DGO (12,2 ± 1,9 mm), DCU (10,3 ± 1,1 mm), DA (40,3 ± 2,5 mm)e DBP (42,9 ± 1,3 mm) em 50%
(6/12) dos fetos observados. Em conclusão, é indicada a adoção do DA como principal parâmetro biométrico até
os 45 dias gestacionais, seguido do DP e DBP entre os 60 e 75 dias da gestação em caprinos da raça Saanen.

Palavras-chave: caprino, idade gestacional, ultrassonografia.


Keywords: goat, pregnancy age, ultrasonography.

149
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Uso da eCG ou hCG na indução do estro sincronizado em cabras da raça Saanen na


contra-estação reprodutiva
Use of eCG or hCG in the induction of synchronized estrus in the non-breeding season in Saanen goats

Natália Assis Coelho de Faria1,*, Mário Felipe Alvarez Balaro2, Ana Clara Sarzedas Ribeiro2, Karina
Frensel Delgado2, Daniel Andrews de Moura Fernandes2, Alex da Silva Santos2, Luiza Mattos Cavalcanti2,
Loara Helena Santanna Gonçalves2, Joanna Maria Gonçalves de Souza-Fabjan2, Jeferson Ferreira da
Fonseca3, Felipe Zandonadi Brandão2

¹Discente, Medicina Veterinária, Unigranrio, RJ, Brasil; 2Departamento de Patologia e Clínica Veterinária, Setor de
Reprodução Animal, Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil; 3Embrapa Caprinos e Ovinos,
Coronel Pacheco, MG, Brasil.
*
natalia.defaria8@gmail.com

O estudo objetivou avaliar o potencial da gonadotrofina coriônica humana - hCG como substituto à
gonadotrofina coriônica equina - eCG em protocolo hormonal de indução do estro sincronizado em cabras
Saanen na contra-estação reprodutiva. O estudo foi desenvolvido no mês de outubro de 2014 no município de
Niterói, RJ (Latitude 22º 52' 30’’sul). Utilizaram-se 24 cabras Saanen (11 pluríparas e 13 nulíparas) sob regime
intensivo de criação. Adotou-se o protocolo curto de indução do estro sincronizado com inserção de esponja
intravaginal contendo acetato de medroxiprogesterona - MAP por seis dias. No quinto dia foi realizada a
aplicação intramuscular de 37,5 ug de d-cloprostenol em associação com a fonte gonadotrópica de 200 UI de
eCG no GeCG (n=13) ou 250 UI de hCG no GhCG (n=11). Vinte e quatro horas após a retirada do implante
intravaginal, foi observado o comportamento sexual e realizados acasalamentos utilizando-se de reprodutores
previamente testados a cada 12h (monta natural controlada). A detecção da gestação e quantificação fetal foi
realizada 35 dias após as coberturas por exame ultrassonográfico com aparelho de ultrassom acoplado a um
transdutor linear de 7,5 MHz (via transretal). Foi realizada a análise descritiva dos achados e os dados relativos
ao comportamento sexual e índice de prolificidade foram avaliados pela análise de variância e teste de Tukey
(P<0,05). A taxa de cabras em estro e prenhas foi avaliada pelo teste exato de fisher. A taxa de cabras em estro
(G hCG: 81,8% vs G eCG: 92,3%) e duração do estro (G hCG: 22,3 ± 6,2 h vs G eCG: 23,4 ± 3,9 h) não diferiram
(P > 0,05) entre os animais do grupos experimentais. Já o GhCG apresentou início e final de estro mais precoce (P
< 0,05) após a retirada da esponja de 31,4 ± 5,4 h e 53,8 ± 7,2 h, respectivamente, quando comparado ao GeCG de
41,6 ± 14,6 h e 65,0 ± 15,7 h, respectivamente. Houve tendência (P < 0.10) do GeCG em apresentar maiores taxas
de prenhez (76,9%) quando comparado ao GhCG (45,5%). A quantidade de fetos não variou (P > 0,05) entre os
grupos (GhCG: 1,8 ± 0,8 vs GeCG: 1,7 ± 0,5 fetos/cabra). O fato do GhCG ter apresentado e finalizado o estro
antecipadamente ao GeCG pode estar relacionado ao maior teor de LH presente nesta gonadotrofina. Esta pode ter
influenciado na luteinização precoce do folículo dominante e formação de menor corpo lúteo e produção
hormonal não hábil à mantença da gestação, culminando com a tendência de menor taxa de prenhez do grupo.
Em conclusão, a hCG foi eficaz em induzir e sincronizar as cabras experimentais quando comparado a eCG.
Entretanto, apresentou a tendência de menores taxas de concepção. Deste modo, maiores estudos em rebanhos
comerciais são necessários, visando a aplicação e custo-benefício deste fármaco em prol da eCG, já consolidada
atualmente.

Palavras-chave: gonadotrofina coriônica equina, gonadotrofina coriônica humana, estro, taxa de prenhez,
comportamento sexual.
Keywords: equine chorionic gonadotropin, human chorionic gonadotropin, oestrus, pregnancy rate, sexual
behavior.

150
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Taxa de gestação de cabras leiteiras submetidas a protocolo de sincronização de estro e


diferentes locais de deposição do sêmen
Pregnancy rate of dairy goats submitted of protocol synchronization of the estrous and differents
site deposition of semen

Domingos Lollobrigida de Souza Netto1,*, Lucas Correia Martins Machado1, Carlos Thiago S.A.M. de
Oliveira2, Jurandy M. Penitente Filho2, José Domingos Guimarães1, Ciro Alexandre Alves Torres2
1
Departamento de Medicina Veterinária, UFV, Viçosa, MG, Brasil; 2Departamento de Zootecnia, UFV, Viçosa, MG, Brasil.
*E-mail: domingoslollobrigida@yahoo.com.br

O monitoramento errôneo do estro provoca redução na taxa de fertilidade após a inseminação artificial (IA),
tendo como consequência, inadequado momento da inseminação (distante ou posterior à ovulação). Além disso,
nessa espécie provavelmente há correlação da taxa de concepção com o local de deposição do sêmen. Diante
disto, a taxa de concepção é afetada de maneira proporcional ao grau de dificuldade em transpor a cérvix.
Objetivou-se com este estudo, analisar a influência do local de deposição do sêmen na taxa de concepção de
cabras leiteiras da raça Saanen (n = 44) e Parda Alpina (n = 81) submetidas à protocolo de IA de curta duração.
Para indução do estro foi utilizado implante intravaginal de liberação lenta e controlada (CIDR) impregnado com
progesterona, 75 µg de D – Cloprostenol (Prolise®) e 300 IU de eCG (Novormon®). Depois de removido o
CIDR foram feitas duas observações de estro diárias (07:00 e 17:00 ) durante 96 horas. A IA foi realizada 12
horas após detecção do estro utilizando sêmen fresco diluído. O diagnóstico de gestação foi realizado 35 dias
após a IA por meio de ultrassonografia transretal. As taxas de gestações entre os fatores raça e local de deposição
do sêmen foram comparadas pelo teste de Qui-quadrado, a 5% de probabilidade. Ao diagnóstico de gestação
37% (30/81) das cabras parda alpina estavam prenhes, sendo 23,8% (05/21) para inseminações cervicais
superficiais (ICS), 75,0% (06/08) para inseminações cervicais profundas (ICP) e 36,5% (19/52) para
inseminações intrauterinas (IU). Em relação à raça Saanen 47,7% (21/44) ficaram prenhes sendo 37,5% (03/08)
para ICS, 50% (02/04) para ICP e 50% (16/32) para IU. Conclui-se que fatores como o local de deposição do
sêmen afetam na taxa de gestação de cabras submetidas a protocolos de curta duração.

Palavras-chave: protocolos hormonais, cabras leiteiras, inseminação artificial


Keywords: hormonal protocols, dairy goats, artificial inseminacion.

151
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Protocolo superovulatório intra-uterino “one shot” em cabras leiteiras


Intrauterine "one shot" superovulation protocol on dairy goats

Paula Maria Pires do Nascimento Penido1,4,*, André Penido Oliveira1,2, Joana Palhares Diniz Campolina1,
Jeferson Ferreira da Fonseca3, Rômulo Cerqueira Leite1,4
1
Retrolab, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Escola de Veterinária, UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil;
2
EPAMIG, Uberaba, MG, Brasil; 3Embrapa Caprinos e Ovinos, Sobral, CE, Brasil;
4
INCT Pecuária, UFMG/EV, Belo Horizonte, MG, Brasil.
*E-mail: paulampn@gmail.com

Objetivou-se avaliar a eficácia da superovulação (SOV) intra-uterina e com dose “one shot” em cabras leiteiras.
Foram selecionadas 15 cabras pluríparas das raças Saanen e Parda Alpina, com idade entre quatro e seis anos,
ECC 3±0,5, peso 76,46±8,45 Kg com ausência de patologias visíveis por ultrassonografia no trato reprodutivo.
Nove animais (9/15) foram submetidos ao protocolo hormonal de sincronização e SOV tradicional (G1) e seis
animais (6/15) submetidos ao protocolo de sincronização e SOV “one shot” (G2). Nos dois grupos experimentais
foram administradas esponjas contendo 60mg de acetato de medroxiprogesterona (MAP) (Progespon® -
Intervet, Cotia, Brasil) por via intravaginal durante seis dias. No quarto dia após o início do protocolo foi
administrado no G1 FSH/LH (Pluset® - Hertape Calier Saúde Animal – Juatuba, Brasil) na concentração de
5UI/kg/i.m. em seis doses decrescentes, duas vezes ao dia. No G2 foi testado o protocolo hormonal de SOV
através de infusão hormonal intrauterina de FSH + LH em dose “one shot” na concentração de 5UI/kg. No sexto
dia (D6) após a inserção da esponja os dois grupos experimentais receberam 37,5 mg de D-cloprostenol
(Prolise® - Arsa, Buenos Aires, Argentina) e no oitavo dia (D8) foi administrado por via paravulvar e 500UI de
hCG (gonadotrofina coriônica humana - Vetecor® 5000UI – Hertape Calier Saúde Animal – Barcelona,
Espanha) por via intramuscular. Vinte e quatro horas após a retirada das esponjas iniciou-se a detecção do estro
duas vezes ao dia, seguida das coberturas pelos machos, até o momento em que as fêmeas pararam de aceitar a
cópula pelo macho. Oito dias após o início da cobertura das fêmeas, os embriões foram recuperados através da
técnica de lavagem intrauterina por via transcervical, sendo administrado 37,5 mg de D-cloprostenol/i.m. seis
horas antes da colheita embrionária para auxiliar na dilatação cervical das fêmeas. Somente três das nove (3/9)
cabras que receberam o tratamento hormonal tradicional (G1) foram responsivas ao tratamento hormonal.
Considerando apenas os animais que responderam ao tratamento, foram produzidos 4,6 embriões viáveis por
doadora. No G2, duas das seis (2/6) cabras que receberam o tratamento intrauterino “one shot” demonstraram
resposta frente ao protocolo, totalizando 12 embriões viáveis (6 embriões viáveis por doadora com resposta à
SOV). De acordo com os resultados, o tratamento hormonal intrauterino mostra-se potencialmente efetivo na
superovulação de cabras leiteiras, reduzindo a mão de obra e o estresse animal causado pela aplicação dos
hormônios durante o processo de coleta de embriões.

Palavras-chave: superovulação, cabras leiteiras, embriões, FSH, doadoras.


Keywords: superovulation, dairy goats, embryos, FSH, donors.

Suporte financeiro: CNPq (projeto 553989/2010-4).

152
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

hCG administration in artificially inseminated dairy goats subjected to estrous


synchronization
Administração de hCG em cabras leiteiras submetidas à sincronização de estro e inseminação artificial

Fernanda Rocha Batista de Oliveira1,*, Leandro Mendes de Matos2, Jader Forquim Prates3,
Ana Lúcia Rosa e Silva Maia4, Maria Izabel Carneiro Ferreira4, Olivardo Facó4,
Jeferson Ferreira da Fonseca5
1
Unipac-JF, Juiz de Fora, MG, Brasil; 2Capril Água Limpa; 3IFES Rio Pomba, Rio Pomba, MG, Brasil;
4
Universidade Federal Fluminense, Niteroi, RJ, Brasil; 5Embrapa Caprinos e Ovinos, Sobral, CE, Brasil.
*E-mail: fernandarocha.bio@hotmail.com

In goats, like in other ruminants, the artificial insemination (AI) success depends on the reproductive physiology
knowledge and the resultant animal behavior after hormonal and/or management challenges. IA protocols are
based on average intervals (male or hormonal interventions to estrus and ovulation, estrous onset to ovulation,
etc). In this context two main events are listed to the unsuccessful pregnancy establishing, AI done at non
adequate time and short estrous cycles (early luteal regression). The administration of luteotropic or ovulation
inducer hormones can sometimes overcome these problems. The objective of this study was to check the effect
of hCG administration on pregnancy rate in artificially inseminated dairy cyclic goats after estrous
synchronization. A total of 20 Alpine and 67 Saanen goats received two doses 30 g d-cloprostenol (Prolise;
ARSA S.R.L., Buenos Aires, Argentina) latero-vulvar seven days apart. Goats were checked for estrus twice
daily and only those in estrus up to 48h after second cloprostenol administration were artificially inseminated in
standing position (Embrapa Artificial Insemination Technique) 22 h after estrous onset with frozen-thawed
commercial semen. Immediately after AI, goats were alternately assigned to receive 300 IU hCG (Vetecor
5000; Hertape Calier, São Paulo, Brazil) (10 Alpine and 28 Saanen) or not (Control; (10 Alpine and 31 Saanen).
hCG was diluted in a 0.3 mL saline solution and deposited into the vagina with the aid of a sterile insulin syringe
without needle. Pregnancy rate was checked 60 days after artificial insemination by transretal ultrasonography.
Qualitative variables were analyzed by qui-square test. Qualitative data were subjected to one-way analysis of
variance (5% significance; SAEG®). A total of 2 (2%), 22 (25%) and 57 (64%) started estrus at 24, 36 and 48h,
respectively, and only 6 goats were not in estrus until 96h after second cloprostenol administration. Only goats in
estrus at 36 and 48 after second cloprostenol administration were inseminated. Body condition score (1 to 5
variation) was similar (P>0.05) for hCG treated (3.60.3) and control animals (3.50.3). The time elapsed from
second cloprostenol administration to estrous onset and estrous onset to AI were, respectively, 26.42.5h and
44.25.6 h to hCG and 26.82.4h and 45.15.2 to control goats (P>0.05). Pregnancy rate was similar (P>0.05)
for hCG treated (59%, 23/38) and control goats (49%, 20/41). Estrous synchronization with two doses of
cloprostenol seven days apart showed to be a suitable and efficient choice in association to AI in cyclic dairy
goats. Results of this study encourage the enlargement of number of goats used in further study.

Keywords: estrous synchronization, pregnancy rate, hCG, dairy goat.


Palavras-chave: sincronização de estro, taxa de gestação, hCG, caprino leiteiro.

Financial support: EMBRAPA (Project 02.08.02.005.00.04) and CNPq (Project 310166/2012-8).

153
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Comportamento reprodutivo, taxa de crescimento folicular e momento de ovulação


utilizando subdoses hormonais no acuponot Hou Hai em cabras
Reproductive behavior, follicular growth rate and time of ovulation using hormonal doses in
acupoint Hou Hai in goats

Reuber de Carvalho Cardoso1, Larissa Pires Barbosa2,*, Raísa Cordeiro dos Santos Alves de Araújo1,
Manoel Diran Maia Ribeiro Júnior3, Caline Santana da França3, Ronival Dias Lima de Jesus3, Daniel
Machado Cavalcante3, Rosimere Santana dos Santos3
1
Mestrando em Ciência Animal; 2Departamento de Reprodução Animal; 3EV, UFRB, Cruz das Almas, BA, Brasil.
*E-mail: larissa@ufrb.edu.br

A farmacopuntura baseia-se na redução de doses de substâncias aplicadas em pontos de acupuntura, sendo


referido o acuponto Hou Hai (HH) com ação no sistema reprodutivo, podendo ser um meio para reduzir custos
em protocolos de sincronização de estro em caprinos. Desta forma, o estudo teve como objetivo avaliar a eficácia
da aplicação de subdoses de prostaglandina F2α (PGF2α) e de gonadotrofina coriônica equina (eCG) no
acuponto HH, na indução de luteólise e sincronização de estro de cabras, por meio do comportamento
reprodutivo, taxa de crescimento folicular e momento de ovulação. Dezoito cabras mestiças da raça
Anglonubiana, idade média de 2,7 ± 0,8 anos, não lactantes e com condição corporal de 2,0 ± 0,5, receberam
esponjas intravaginais impregnadas com 60 mg de acetato de medroxiprogesterona permanecendo durante sete
dias. Os animais foram distribuídos aleatoriamente em três grupos (G), sendo: G1 (n=6) - aplicação de 125 µg de
um análogo sintético da PGF2α (Cloprostenol Sódico, Ciosin®, Coopers, Brasil) no sexto dia (D6) e 300UI de
eCG (Novormon, Coopers®, Brasil) no D7, ambos por via intramuscular (IM); G2 (n=6) e G3 (n=6) receberam
37,5µg de PGF2α no D6 e 90UI de eCG no D7, aplicados no acuponto HH e em falso acuponto (IM),
respectivamente. As aplicações hormonais no acuponto HH foram realizadas utilizando agulhas hipodérmicas de
calibre 21 G1 1/4 polegadas e com 0,80x30 mm de comprimento. Após a retirada das esponjas, as fêmeas foram
avaliadas para detecção do estro a cada 12 horas. O início do estro considerado o momento que a fêmea começou
a aceitar monta do macho e o final do estro foi determinado pela rejeição à monta. Os parâmetros de
comportamento reprodutivo avaliados foram: animais em estro (%), os intervalos entre a retirada da esponja ao
início do estro e ao final do estro e a duração do estro, em horas. As avaliações do crescimento folicular e
ovulação iniciaram após a retirada das esponjas, em intervalos de 12 horas, por ultrassonografia e finalizaram 12
horas após a ovulação. Os parâmetros de crescimento folicular avaliados foram: número de ovulações, intervalo
entre a retirada da esponja à ovulação (h), intervalo entre o início do estro à ovulação (h), taxa de crescimento
folicular (mm/dia) e diâmetro do maior e do segundo maior folículo (mm). Foi utilizado o delineamento
inteiramente casualizado e os dados foram avaliados por Análise de Variância a 5% de probabilidade. Todas as
cabras apresentaram estro nos três grupos. Os parâmetros de comportamento reprodutivo, de crescimento
folicular e ovulação não apresentaram diferença entre os grupos (P>0,05). Os intervalos da retirada da esponja ao
início e ao final do estro foram de 30,31 ± 1,04 horas (h) e 75,64 ± 3,47 h, respectivamente. A duração média do
estro foi de 45,33 ± 3,35 h.. A taxa de crescimento folicular foi de 2,09 ± 0,29 mm/dia. O diâmetro médio do
maior folículo foi de 7,4 ± 0,18 mm e do segundo maior folículo de 6,84 ± 0,21 mm. O intervalo da retirada da
esponja à ovulação apresentou média de 53,79 ± 2,53 h. O intervalo do início do estro a ovulação foi de 23,26 ±
1,97 h. O número de ovulações médias foi de 1,67 ± 0,17. Conclui-se que o uso de subdoses hormonais (37,5µg
de PGF2α e 90UI de eCG) no acuponto HH e em falso acuponto são eficientes em estimular estro, crescimento
folicular e ovulação em caprinos submetidos à protocolos de sincronização de estro, equivalentes aos protocolos
tradicionais.

Palavras-chave: cabras, estro, farmacopuntura, Hou Hai, ovulação.


Keywords: goats, estrus, pharmacopunctura, Hou Hai, ovulation.

154
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação do protocolo Double Ovysnch modificado em relação a resposta ovulatória e


dimensões dos corpos lúteos em cabras da raça Saanen 
Evaluation of modified Double Ovysnch protocol regarding of ovulatory response and dimensions of corpora
lutea in Saanen goats

Guilherme dos Santos Iapequino1, Ricardo Perecin Nociti1, Efigenia Singa Cassule Camela1,
Marcos Antonio Rossi Feliciano1, Roberta Machado Ferreira Saran2, Arlindo Saran Netto2,
Wilter Ricardo Russiano Vicente, Maria Emilia Franco Oliveira1,*
1
Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV), Unesp, Jaboticabal, SP, Brasil; 2Faculdade de Zootecnia e
Engenharia de Alimentos (FZEA), USP, Pirassununga, SP, Brasil. 
*E-mail: m.emiliafraoli@fcav.unesp.br

A sincronização do estro, por meio de protocolos hormonais, é uma das formas de controle do ciclo estral que
podem facilitar o manejo reprodutivo dos animais. O Protocolo Ovynsch foi inicialmente desenvolvido para
bovinos leiteiros. Embora alguns estudos tenham descrito sua eficiência como satisfatória em caprinos e ovinos,
este protocolo não tem sido amplamente adotado nas práticas de sincronização de estro de pequenos ruminantes.
A grande problemática a cerca deste protocolo refere-se a ocorrência de regressão prematura de corpos lúteos.
Na tentativa de aprimorar a sincronização e evitar a luteólise precoce foi desenvolvido também para bovinos o
protocolo Double Ovsynch que consiste na pré-sincronização com o protocolo Ovsynch e sua repetição após sete
dias da segunda aplicação do GnRH. O presente estudo teve como objetivo avaliar uma modificação do
protocolo Double Ovsynch, quanto a quantidade e qualidade (dimensões) de corpos lúteos, em cabras da raça
Sannen. A modificação do protocolo refere-se a segunda aplicação do análogo do GnRH, a qual representa a
última do protocolo Ovsynch tradicional, é a primeira do Double Ovsynch (ie. não há o intervalo de sete dias
entre os protocolos sequenciais). O experimento foi realizado entre os meses de setembro e outubro de 2013,
utilizando 24 cabras adultas multíparas. As fêmeas foram aleatoriamente divididas em dois grupos
experimentais, G-O (Ovysnch) e G-DOM (Double Ovysnch Modificado). No G-O, em um dia aleatório do ciclo
estral (Dia 0), as fêmeas receberam uma dose de 0,004 mg de Lecirelina (análogo do GnRH,
Gestran®,Tecnopec, Brasil). No Dia 7, foi administrado 37,5 µg de D-cloprostenol (Prolise®,Tecnopec, Brasil)
e no Dia 9 uma segunda dose do análogo do GnRH. Para o G-DOM, a primeira etapa (pré-sincronização)
consiste na realização do protocolo descrito para o G-O, seguido pela segunda etapa, quando sete dias após a
aplicação da segunda dose de GNRH (Dia 16), foi aplicada mais uma dose equivalente de D-cloprostenol e dois
dias após a esta (Dia 18), repetiu-se a dose do análogo do GnRH. Após 5, 10 e 15 dias a previsão das ovulações
(final dos protocolos), foram conduzidas avaliações ultrassonográficas (Modo-B) dos ovários para verificação da
resposta ovulatória, pela detecção da presença, quantificação e aferição das dimensões dos corpos lúteos. Para a
análise estatística utilizou-se ANOVA para parcela subdivididas no tempo com teste de Tukey comparação das
médias utilizando o software R®, e os resultados estão expressos em média ± epm. Não houve diferença (p>0,05)
entre os grupos (1,38 ± 0,21 e 1,83 ±0,36 para G-O e G-DOM, respectivamente). O diâmetro do corpo lúteo do
G-O não diferiu (p>0,05) entre os dias 5, 10 e 15 pós-ovulação (13,18 ± 1,38, 12,35 ± 0,29 e 12,71 ± 0,48 mm).
Entretanto, para o G-DOM a menor (p<0,05) média para esta variável foi observado no dia 5 pós-ovulação (9,49
± 0,70, 12,05 ± 0,64 e 12,62 ± 0,55 mm para os dias 5, 10 e 15, respectivamente). Houve diferença (p<0,05)
entre grupos para o diâmetro do corpo lúteo apenas para o dia 5 pós-ovulação (13,18 ± 1,38 mm vs. 9,49 ± 0,70
mm para G-O e G-DOM, respectivamente. Conclui-se que o protocolo Double Ovsynch Modificado teve
resposta ovulatória tão eficiente quanto ao Ovsynch. Ademais, embora as dimensões dos corpos lúteos formados
pelo protocolo Double Ovsynch inicialmente foram menores (Dia 5 pós-ovulação), ao longo da fase luteal houve
equivalência entre os protocolos. 

Palavras-chave: sincronização do estro, corpo lúteo, ultrassom, cabra. 


Keywords: estrous synchronization, corpus luteum, ultrasound, goat. 

155
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Angiotensina-(1-7) em protocolo de inseminação artificial em tempo fixo em cabras


Angiotensin-(1-7) in artificial insemination protocol in fixed time in goats

Andréia da Silva Costa1,*, Felipe Pereira da Silva Barçante2, Antônio de Sousa Júnior2, Filipe Nunes
Barros2, Jefferson Hallisson Lustosa da Silva2, Ícaro Oliveira Torres de Souza 2,
José Adalmir Torres de Souza2, Amilton Paulo Raposo Costa1
1
Departamento de Morfofisiologia Veterinária, UFPI, Teresina, PI, Brasil; 2Departamento de Clínica e Cirurgia
Veterinária,UFPI, Teresina, PI, Brasil.
*
E-mail: andreia_vet@hotmail.com

Em um estudo anterior observou-se aumento na produção de estradiol próximo à ovulação em ovelhas


submetidas a protocolo de sincronização de estro quando da aplicação de maleato de enalapril (inibidor da
Enzima Conversora de Angiotensina-ECA) nos três últimos dias de um protocolo de sincronização de estro. Este
aumento ocorreu durante o período pré-ovulatório e isto pode representar uma influência no pico de estradiol que
induz o pico pré-ovulatório de LH. Desta forma este uso pode ser favorável a animais em protocolos de
sincronização de estro. O mecanismo desta resposta pode ser devido ao aumento de angiotensina-(1-7), um novo
tipo de peptídeo do sistema renina-angiotensina, que ocorre como consequência da inibição da ECA. Em outros
estudos este peptídeo induziu aumento de estradiole estímulo à ovulação. No presente trabalho buscou-se avaliar
o efeito da angiotensina-(1-7) no desempenho reprodutivo de cabras submetidas a um protocolo de IATF quando
aplicada próximo ao período ovulatório. Sistemicamente a angiotensina-(1-7) é conhecida por seu efeito
vasodilatador, levando a diminuição da pressão arterial. Desta forma, um protocolo pré-experimental foi
realizado e a concentração de 20 μg/kg de angiotensina-(1-7) reduziu a pressão arterial, sendo esta dose utilizada
no protocolo experimental, no qual 82 cabras clinicamente sadias, aptas a reprodução e com escore corporal
variando de 3 a 4 foram divididas aleatoriamente em dois grupos experimentais: Grupo Controle (n=40) e Grupo
Angiotensina-(1-7) (n=42). Todos os animais foram submetidos ao protocolo de sincronização do estro e
ovulação, com 60 mg de acetato de medroxiprogesterona em esponjas intravaginais durante 11 dias. No 9º dia
foram aplicados, via intra-muscular, 300 UI de eCG e 125 µg de cloprostenol. No dia 11 foram removidas as
esponjas e nos dias 12 e 13 (24 e 48h após a retirada das esponjas, respectivamente) os animais receberam os
tratamentos de acordo com os grupos experimentais: o grupo controle recebeu 30 µg/kg de ciclodextrina em 2 ml
de água destilada por animal, via subcutânea e o grupo angiotensina recebeu, também por via subcutânea, 50
μg/kg da associação Ang-(1-7) + ciclodextrina que, corresponde aos 20 μg/kg de angiotensina-(1-7), diluída em
2 ml de água destilada. As ciclodextrinas são carboidratos complexos utilizados em produtos farmacêuticos
apenas para dar solubilidade ao produto. A inseminação artificial foi realizada 38 e 50 horas após a retirada
das esponjas, com sêmen congelado, oriundo de reprodutores previamente aprovados em exames clínicos e
andrológicos de acordo com as normas do Colégio Brasileiro de Reprodução Animal. O diagnóstico de
prenhez foi o ultrassonográfico, 30 dias após IA, utilizando aparelho ALOKA SSD 500, com transdutor
convexo de 5 MHz e repetida aos 60 dias para verificação de viabilidade fetal. Posteriormente foi realizado
teste do Qui-quadrado a 5% de significância para realização da análise estatística. O grupo controle
apresentou 40% de prenhez e o grupo angiotensina-(1-7) apresentou 40,5%. Os resultados não apresentaram
diferenças estatisticamente significativas entre os dois tratamentos (Qui-quadrado X = 0,002; graus de
liberdade = 1; p= 0,05). Conclui-se que a aplicação de angiotensina-(1-7) durante o período pré-ovulatório, com
apenas duas aplicações, não foi capaz de incrementar o desempenho reprodutivo de cabras submetidas a IATF.

Palavras-chave: angiotensina-(1-7), inseminação artificial, cabras, ECA.


Keywords: angiotensin-(1-7), artificial insemination, goats, ACE. 

156
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Prevalência de hidrometra em cabras leiteiras na Região Sudeste do Brasil: resultados


preliminares
Prevalence of hydrometra in dairy goats from Brazilian Southeast Region: preliminary results

Ana Lucia Rosa e Silva Maia1,*, Felipe Zandonadi Brandão1, Fernanda Rocha Batista de Oliveira2, Jader
Forquim Prates3, Mário Felipe Alvarez Balaro1, Maria Izabel Carneiro Ferreira4, Olivardo Facó4,
Jeferson Ferreira da Fonseca4
1
Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil; 2Unipac-JF, Juiz de Fora, MG, Brasil; 3Embrapa Gado de Leite, Juiz
de Fora, MG, Brasil; 4Embrapa Caprinos e Ovinos, Sobral, CE, Brasil.
*E-mail: maia.analucia@gmail.com

A hidrometra ou pseudogestação é uma das causas mais comuns de subfertilidade e infertilidade em caprinos
leiteiros. As fêmeas acometidas pela doença não apresentam estro e devido à dilatação abdominal proveniente do
acúmulo de líquido no útero, assemelham-se a cabras gestantes. Sem o uso frequente do diagnóstico
ultrassonográfico, a hidrometra costuma ser notada cerca de seis meses após o acasalamento a partir da não
efetivação do parto. Este fato gera grande prejuízo econômico para o produtor e muitas vezes compromete a
eficiência reprodutiva da fêmea. O presente estudo tem como objetivo realizar um amplo levantamento da
hidrometra em cabras leiteiras na Região Sudeste do Brasil. Para identificação da doença, foram realizados até o
momento, 617 diagnósticos ultrassonográficos em cabras leiteiras das raças Saanen e Alpina em sete criatórios
localizados nos estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais entre os meses de janeiro e março de 2015. Os dados
são apresentados de forma descritiva. Nas propriedades visitadas, observou-se um percentual de 8,75% (54/617)
de fêmeas com hidrometra, 0,81% (5/617) apresentaram cistos ovarianos e 0,65% (4/617) perdas fetais. Estes
dados iniciais apontam para uma ocorrência significativa da hidrometra em caprinos leiteiros, reiterando a
importância do estudo proposto.

Palavras-chave: fertilidade, manejo reprodutivo, ultrassonografia, pseudogestação, caprinos.


Keywords: fertility, reproductive management, ultrasonography, pseudopregnancy, goat.

Suporte financeiro: Embrapa (Projeto 02.08.02.005.00.04), CNPq (Projeto 479826/2013-7) e Fapemig (Projeto
CVZ-PPM 00042-14).

157
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Desempenho reprodutivo de caprinos da raça Canindé explorados em sistema


misto de produção
Reproductive performance of Canindé breed goats exploited in mixed production system

Aurino Alves Simplício1,*, José André Júnior2


1
Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte, EMPARN/UFRN, Natal, RN, Brasil; 2Departamento de
Zootecnia, EV-UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil.
*E-mail: aa.simplicio@uol.com.br

Na caprinocultura a eficiência reprodutiva, possivelmente é o parâmetro que mais contribui para elevar a
produtividade dos rebanhos, em especial, por ser possível aperfeiçoá-la mediante o uso de técnicas, ressaltando-
se a importância da gestão do ambiente e das práticas de manejo alimentar, da nutrição, da promoção da saúde e
reprodutivo e do descarte orientado. Objetivou-se avaliar o desempenho reprodutivo de caprinos nativos da raça
Canindé, mantidos em regime de manejo semi-intensivo em sistema de exploração misto. Foram usados 84
animais, sendo 81 matrizes e três reprodutores A, B e C. A estação de monta (EM) teve a duração de 49 dias e os
reprodutores permaneciam juntos as matrizes, das 17:00 horas às 07:30 do dia seguinte. As fêmeas foram
expostas a duas EM numa relação de 1:40 e 1:41, reprodutores A e B, respectivamente, na primeira EM e de
1:40 e 1:41, reprodutores, A e C, na segunda EM. As matrizes foram submetidas ao diagnóstico de gestação aos
59 dias após o início das EM. As taxas de prenhez foram de 91,36 e 74,84 para a primeira e segunda EM,
respectivamente. O desmame ocorreu aos 63 dias de idade quando teve início a ordenha. Os pesos médios das
crias foram de 2,11 kg e 1,92 kg e 6,74 kg e 6,84 kg, para as crias machos e fêmeas, ao nascer e ao desmame,
nessa ordem. As variáveis foram estudadas por estatística descritiva, sendo as de distribuição normal submetidas
à análise de variância e usado o teste de Tukey ao nível de significância de 5,0%, para verificar o efeito de
época, chuvosa e seca e de reprodutor, no desenvolvimento ponderal das crias, do nascimento ao desmame. Os
pesos médios das crias PN, P28, P56, P63, na primeira estação de parto (EP), foram 2,11 ± 0,46 kg; 3,63 ± 1,04
kg; 5,96 ± 1,58 kg; 6,74 ± 1,79 kg enquanto da segunda obteve-se 1,83 ± 0,44 kg; 3,26 ± 0,87 kg; 5,61 ± 1,52 kg;
6,66 ± 1,71 kg. Houve diferença significativa (P<0,05) no peso ao nascer das crias filhas do reprodutor C. As
porcentagens de fertilidade ao parto, para primeira e segunda estação de monta (EM) foram de 87,65 e 62,96
respectivamente, apresentando diferença significativa (P<0,05). A prolificidade para a primeira EM foi de 1,58
enquanto que para segunda foi 1,47. As porcentagens de sobrevivência de crias do nascimento aos 63 dias de
idade, para primeira e segunda EM foram de 92,86 e 80,00, respectivamente. Na primeira EM a taxa de
reprodução foi de 1,28 enquanto na segunda de 0,74. A duração do período de ordenha foi de 104 dias na
primeira EP e 38 dias na segunda. O ganho de peso das crias foi influenciado pela época do ano, chuvosa e seca
e pelo reprodutor tendo as crias do reprodutor A, apresentado ganho superior (P<0,05). Conclui-se que as épocas
em que ocorrem as EM e de EP afetam o desempenho produtivo do sistema de produção.

Palavras-chaves: crias, fertilidade, matriz, parto, reprodução.


Keywords: kids, fertility, matrix, birth, reproduction.

158
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Aborto em caprino devido à insuficiência de iodo na dieta: relato de caso


Abortion in goats due to iodine deficiency in the diet: case report

Douglas Augusto Franciscato*, Juliane Teramachi Trevisan, Caroline Lisboa Viana,


Gisele Fabrino Machado, Thiago Luis Santos Gonçalves, Marion Burkhardt de Koivisto

Departamento de Clínica, Cirurgia e Reprodução Animal, FMVA, Unesp, Araçatuba, SP, Brasil.
*E-mail: douglas_aug@yahoo.com.br

A subnutrição ou nutrição não balanceada podem provocar desequilíbrio hormonal em gestantes. Sabe-se que a
ausência de suplementação de macro e microelementos como manganês, zinco, cobre, iodo, selênio, cálcio,
fósforo e magnésio podem interferir no mecanismo hormonal, sobretudo na secreção de estrógeno e também
levar a abortos ou nascimento de descendentes de constituição defeituosa. A progênie de fêmeas alimentadas
com dietas pobres em iodo tem grande probabilidade de desenvolver hiperplasia das células foliculares da
tireoide e apresentar sinais de hipotireoidismo. Foi encaminhado ao serviço de Reprodução Animal da FMVA –
Unesp, caprino, fêmea, SRD de 2 anos de idade, nulípara, em trabalho de parto faltando aproximadamente 10
dias para o final da gestação. O animal estava em decúbito há um dia e mesmo antes (quatro dias) já apresentava
paresia flácida dos membros pélvicos. Segundo proprietário apresentava apatia, hiporexia e hipodipsia. O animal
era criado em regime extensivo sem nenhuma suplementação mineral. Ao exame clínico constatou-se bom
escore corporal, linfonodos submandibulares aumentados, mucosas normocoradas, frequência cardíaca (112
bpm) e respiratória (88 rpm) aumentados e temperatura (39,2ºC) dentro dos limites fisiológicos.Aos exames
laboratoriais notou-se níveis baixos de cálcio (1,25 mmol/L) e fósforo (2,19 mmol/L) e discreta diminuição da
glicemia (89 mg/dL). Realizou-se fluidoterapia com solução de ringer-lactato, glicose a 2,5% e suplementação
de cálcio e magnésio por via intravenosa. O animal veio a óbito aproximadamente duas horas após sua chegada,
imediatamente, instituiu-se cesariana de emergência, na tentativa de salvar o feto. Constatou-se a morte fetal e
ambos foram encaminhados ao serviço de patologia. A necropsia verificou alopecia generalizada do feto como
também aumento de volume bilateral simétrico na região cervical ventral cranial, medindo aproximadamente 6,0
x.3,0 cm e ao corte apresentava superfície vermelho-escura homogênea. A mãe apresentava degeneração
gordurosa do fígado, com acentuada degeneração dos hepatócitos com padrão microvacuolar difuso
macrovacuolar na região da veia central, indicando uma provável cetose devido à má nutrição, no útero a
presença de um feto com menor tamanho em comparação ao natimorto. Ambos fêmea e filhote, apresentavam na
glândula tireoide hiperplasia/hipertrofia difusa do epitélio folicular, poucos folículos apresentavam colóide do
lúmen. Os achados levaram ao diagnóstico de bócio hiperplásico difuso da mãe e feto. O desenvolvimento desta
patologia provavelmente ocorre devido à deficiência de iodo e outros minerais na dieta da mãe. Animais
acometidos por bócio hiperplásico apresentam variável aumento de volume na região cervical cranial, associado
a diferentes graus de alopecia e mixedema. Caso a fêmea tivesse sobrevivido e parido, o filhote poderia vir a
desenvolver bócio coloide à medida que fosse suplementado com iodo. A profilaxia seria a suplementação dos
animais dessa propriedade evitando a ocorrência de novos casos. O proprietário foi instruído a monitorar as
concentrações de iodo presente na dieta dos animais. A ocorrência de parto distócico e de bócio hiperplásico
difuso é esporádico e relatos de casos, como este, são escassos no Brasil. A inspeção das concentrações de iodo e
outros minerais na dieta dos animais domésticos tem grande importância, visando nutrição balanceada para se
evitar complicações como distocias, má formações fetais e outras complicações.

Palavras chave: caprinos, aborto, deficiência de iodo.


Keywords: goats, abortion, iodine deficiency.

159
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Influência do estresse térmico no comportamento sexual de reprodutores caprinos da


raça Canindé no Semiárido Nordestino
Effect of heat stress on the sexual behavior of goats of Caninde race in semiarid Northeast

Nayanne de Oliveira dos Santos*, Rizya V.S. Oliveira, Clarisse C. de O. e Silva, Thayane D.R. da Cunha,
Débora A.E. Façanha, Aracely R.F. Ricarte

Laboratório de Biometeorologia, Bem-estar Animal e Biofísica Ambiental (UFERSA)


Mossoró, RN, Brasil.
*
E-mail: nayanne_nos@outlook.com

Entender a influência que o clima causa no comportamento de fêmeas e machos reprodutores caprinos é de
extrema importância na tomada de decisões para um manejo reprodutivo mais eficiente. Sendo assim, o objetivo
deste trabalho foi o de avaliar a influência do estresse térmico no comportamento sexual de reprodutores
Canindé no Semiárido Nordestino. O experimento foi conduzido no Núcleo Pró-Criar de Produção de Pequenos
Ruminantes da UFERSA. Foram utilizadas oito cabras da raça Canindé cíclicas e um reprodutor da mesma raça.
As fêmeas foram submetidas a duas aplicações de PGF2α por via intramuscular, com sete dias de intervalo entre
elas. O período de receptividade foi monitorado através da citologia vaginal, feita através de esfregaços vaginais
corados pelo método Panótico Rápido e da dosagem sérica de estrógeno pelo teste de ELISA. Próximo ao
período de receptividade das fêmeas, estas foram colocadas separadamente com o reprodutor em uma baia duas
vezes por dia, pela manhã (7:00h) e a tarde (13:00h), antes de cada observação foi aferida a temperatura do ar.
As observações aconteceram durante um período de 7 dias, foi averiguado o aparecimento e a frequência dos
comportamentos de agitar a cauda, imobilidade ao macho, micção, vocalização e busca pelo macho nas fêmeas,
nos machos verificou-se busca pela fêmea, reflexo de flemen, tentativa de monta, ereção peniana e cópula ambos
nos dois turnos. Foi observado que das oito fêmeas monitoradas apenas quatro (50%) entraram em estro, estas
juntamente com o macho demonstraram o comportamento sexual típico da espécie caprina. Porém, a observação
do comportamento sexual só foi possível durante o turno da manhã, no turno da tarde tanto o macho quanto as
fêmeas mesmo que em estro demonstraram total desinteresse sexual. No turno da manhã a temperatura do ar
média ficou em torno dos 27,5± 2°C, essa temperatura está dentro da faixa de conforto térmico nesta espécie,
porém, no turno da tarde a temperatura foi de 33,7°C± 2°C, temperatura esta que está dentro da zona de estresse
térmico, o que explica o não aparecimento dos sinais de comportamento sexual nos animais experimentais.
Diante do exposto, conclui-se que o estresse térmico pode influenciar negativamente no comportamento sexual
de reprodutores Canindé.

Palavras-chave: cabra, comportamento sexual ,conforto térmico, temperatura, citologia.


Keywords: goat, sexual behavior, thermal comfort, temperature, cytology.

160
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

O plasma seminal influencia a qualidade do sêmen caprino refrigerado em meio à base


de lecitina de soja
Seminal plasma influences the quality of chilled goat semen in medium based soybean lecithin

Robespierre Augusto Joaquim Araújo Silva*, Lúcia Cristina Pereira Arruda, Helder Melo de Souza,
Igor Henrique de Azevedo Valença Nery, Wilton Arruda Gomes, André Mariano Batista,
Maria Madalena Pessoa Guerra

Laboratório de Andrologia (ANDROLAB), Departamento de Medicina Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil.
*E-mail: robespierreaugusto@yahoo.com.br

As interações entre os fosfolipídios dos diluidores à base de gema de ovo e/ou leite e a enzima Fosfolipase A
secretada pelas glândulas bulbouretrais do caprino são conhecidas. Porém pouco se sabe sobre as interações
desta enzima e os diluidores à base de lecitina de soja (LS). Objetivou-se avaliar a influência da remoção do
plasma seminal na qualidade de espermatozoides caprinos refrigerados (5ºC; 48 horas) em diluidor à base de LS.
O sêmen dos bodes (dois Alpino Americano e dois Toggenburg) foi colhido com vagina artificial, duas vezes por
semana, durante quatro semanas. Após aprovados (motilidade ≥ 60%), formou-se o pool de ejaculados, o qual
foi dividido em duas metades. A primeira foi diluída, sem remoção do plasma seminal (NL), em Tris-lecitina de
soja 2% e a segunda foi submetida à remoção do plasma seminal (LAV) e diluída como mencionado. Após
diluição, as amostras foram envasadas em palhetas (0,25mL; 200x106 espermatozoides/mL) e refrigeradas em
sistema automatizado (TK 3000®), em curva lenta de refrigeração. Ao atingir 5ºC as amostras foram levadas ao
refrigerador (5ºC; 48 horas) e avaliadas aos cinco minutos após atingir 5ºC (T0) e após 24 (T24) e 48 (T48)
horas de armazenamento. Em cada momento foram realizadas análises da cinética espermática (CASA), da
integridade de membrana plasmática (iMP) e do acrossoma (iAC), e do potencial de membrana mitocondrial
(PMM). O experimento foi repetido oito vezes. Usou-se análise de variância (ANOVA) e o teste de Student-
Neuman-Keuls (p<0,05). No sêmen NL observou-se que a iMP (T0: 48,75±6,95%; T48: 35,75±10,19%) e o
PMM (T0: 71,19±26,41%; T48: 49,31±31,07%) reduziram (p<0,05) ao longo da refrigeração. Nenhuma redução
(p>0,05) foi observada para iMP (T0: 46,13±9,43%; T48: 47,94±10,27%) e PMM (T0: 69,50±31,29%; T48:
82,38±10,78%) no sêmen LAV, ao longo do tempo. No T48, o sêmen LAV apresentou maior (p<0,05) iMP e
PMM do que o sêmen NL (47,94±10,27% e 82,38±10,78% vs. 35,75±10,19% e 49,31±31,07%,
respectivamente). Não houve influência (p>0,05) da remoção do plasma seminal nem do tempo de refrigeração
sobre a iAC. Na cinética do sêmen NL observou-se que a motilidade total (MT; T0: 56,10±9,29%; T48:
32,80±17,79%) e progressiva (MP; T0: 27,14±8,68%; T48: 5,84±4,76%), e as velocidades em linha reta (VSL;
T0: 58,18±17,79 µm/s; T48: 25,94±7,59 µm/s) e média do percurso (VAP; T0: 68,38±16,63 µm/s; T48:
41,01±10,93 µm/s) reduziram (p<0,05) ao longo da refrigeração. Não houve influência do tempo (p>0,05) sobre
a cinética do sêmen LAV [MT; (T0: 57,54±13,73%; T48: 59,54±8,26%); MP (T0:19,70±10,00%; T48:
16,11±6,10%); VSL (T0: 45,83±21,39 µm/s; 38,26± 7,74 µm/s) e VAP (T0: 60,15±21,95 µm/s; T48: 55,74±5,82
µm/s)]. No T48, a remoção do plasma seminal causou maior (p<0,05) MT (59,54±8,26% vs. 32,80±17,79%),
MP (16,11±6,10% vs. 5,84±4,76%), VSL (38,26±7,74 µm/s vs. 25,94±7,59 µm/s) e VAP (55,74±5,82 µm/s vs.
41,04±10,93 µm/s) do que o sêmen NL. Os resultados demonstram haver interações deletérias entre o plasma
seminal do caprino e os fosfolipídios da LS. A Fosfolipase A tem sido associada a menor resistência à
criopreservação, pois, ao interagir com fosfolipídios do diluidor, provoca danos à membrana plasmática e à
função mitocondrial, com prejuízo à motilidade. Conclui-se que a remoção do plasma seminal do caprino se faz
necessária para refrigeração do sêmen (5ºC, 48 horas), em diluidor a base de lecitina de soja 2%.

Palavras-chave: refrigeração, fosfolipase A, lavagem do sêmen.


Keywords: chilling, phospholipase A, semen washing.

161
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

O mio-inositol preserva a motilidade progressiva de sêmen caprino pós-descongelação


The myo-inositol preserves the progressive motility after thawing goat semen

Rafael Limongi de Souza1, Camilla Flávia Avelino de Farias1, Robespierre Augusto Joaquim Araújo
Silva2, Maria Madalena Pessoa Guerra2, Ian Porto Gurgel do Amaral3, Sildivane Valcácia Silva1,*
1
Laboratório de Biotecnologia em Reprodução Animal (LABRA), Centro de Biotecnologia (CBiotec), UFPB, João Pessoa,
PB, Brasil; 2Laboratório de Andrologia (ANDROLAB), Departamento de Medicina Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil.
3
Laboratório de Biotecnologia de Organismos Aquáticos (LABOrA), CBiotec, UFPB, João Pessoa, PB, Brasil.
*E-mail: sildivane@cbiotec.ufpb.br.

O mio-inositol (MI), isoforma do inositol, é um antioxidante pertencente ao complexo da vitamina B, presente


em concentrações elevadas no plasma e fluido seminal epididimal de várias espécies. Considerado importante
fator para a sobrevivência dos espermatozoides e sinalizador celular, o MI protege a célula de danos causados
pelos processos de congelação e descongelação, sendo empregado na manutenção da qualidade seminal. Assim,
o objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da adição de mio-inositol ao sêmen caprino pós-descongelação.
Utilizou-se sêmen criopreservado de três caprinos da raça Boer obtido em central de reprodução. Foram
descongeladas duas palhetas de cada reprodutor (37 ºC/30 s) e as amostras foram homogeneizadas, para evitar a
variável reprodutor. O MI foi previamente preparado em solução fisiológica (500 mM – solução estoque; NaCl
0,9%). Após formação do pool, quatro grupos experimentais foram formados: GC= grupo controle, sem adição
de antioxidante; G1= sêmen + 5 mM de MI; G2= sêmen + 15 mM de MI; G3= sêmen + 30 mM de MI, sendo
submetidos à avaliação cinética computadorizada (CASA) e avaliação das integridades da membrana plasmática
e acrossomal (IMPA) por citometria de fluxo (Amnis Image Stream Mark II, EMD Millipore Corp.), nos
momentos 0h e 2h pós-descongelação. Foram realizadas seis repetições. Os dados seguiram uma distribuição
normal, avaliada pelo teste de Kolmogorov-Smirnov com 5% de significância. Para comparações entre os
tempos do mesmo tratamento foi utilizado o teste T, e para comparação entre tratamentos foi utilizado ANOVA
seguida do pós-teste de Tukey (p≤0,05). A motilidade progressiva apresentou redução (p<0,05) de 25,67% no
grupo GC (0h:37,67±7,34 vs. 2h: 28,00+15,13) durante o período de incubação, o que não foi observado nos
grupos tratamento, mostrando que o MI preservou essa característica, possivelmente pela sua capacidade em
estimular a atividade mitocondrial. Ao avaliar os parâmetros estruturais de IMPA, verificou-se que após 2h de
incubação o percentual de células íntegras reduziu (p<0,05) 14,91% e 17,27% nos grupos G2 (0h: 44,91±7,82 vs
2h: 38,21±4,38) e G3 (0h:43,13±8,49 vs 2h: 35,68±5,72), respectivamente, fato não observado nos grupos GC
(0h:44,26±11,77 vs 2h:39,33±10,68) e G1 (0h:47,59±9,03 vs 2h:40,35±6,08). Esta redução do percentual de
células com membranas íntegras pode estar associada ao tempo de incubação e possível estimulação metabólica
das altas concentrações de mio-inositol nos processos de respiração celular, ativação da β-oxidação e
fosforilação oxidativa, que além de fornecer aporte energético para motilidade, induz a produção de espécies
reativas de oxigênio pelas mitocôndrias, desencadeando a desestabilização das membranas espermáticas. Assim,
conclui-se que adição de mio-inositol nas concentrações de 5, 15 e 30 mM preserva a motilidade progressiva,
entretanto, as concentrações de 15 e 30 mM desestabilizam as membranas plasmática e acrossomal após duas
horas de descongelação.

Palavras-chave: antioxidante; criopreservação; integridade.


Keywords: antioxidant; cryopreservation; integrity.

162
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Validação de um novo método para remoção do plasma seminal do sêmen caprino


Validation of a new method to remove the seminal plasma of goat semen

Nicole Flávio1, Kleber Cunha Peixoto Júnior1, Daniele Campos do Nascimento1, Karinne Ávila Bosco1,
Karoline Maria Gil Braz1, Flaviane Cristine Landões de Souza1, André Maciel Crespilho1,2,*
1
Universidade de Santo Amaro, UNISA, São Paulo, SP, Brasil; 2Vetsemen®, Análise de Sêmen para Inseminação Artificial,
Barueri, SP, Brasil.
*
E-mail: contato@vetsemen.com.br

Para garantir a preservação dos espermatozoides durante o processamento se faz necessário à adição diluidores.
No entanto, a presença de fosfolipases no plasma seminal de bodes limita o uso dos meios diluidores, causando a
degradação lipídica e formação de compostos tóxicos aos espermatozoides. Por essa razão, a maioria dos
trabalhos voltados à preservação do sêmen caprino recomenda a centrifugação para remoção do plasma
assumindo, no entanto, que esse processamento pode resultar em lesões à ultraestrutura espermática. O objetivo
desse estudo foi a validação do SpermFilter®, método originalmente desenvolvido para o processamento do
sêmen equino com potencial também para remoção do plasma seminal caprino. Ejaculados de 6 reprodutores
adultos da raça Anglo Nubiana (n=5 ejaculados/bode) foram colhidos através de vagina artificial e previamente
diluídos em solução de Ringer com Lactato de Sódio (RLs) previamente aquecido à 37°C de forma a fixar o
volume final em 6 mLs. Cada ejaculado foi fracionado em três alíquotas iguais. A primeira fração recebeu RLs
completando o volume final para 5ml e foi submetida à centrifugação por 10 minutos a 600 x g (G1). A segunda
fração foi diluída na mesma solução e submetida à separação através do SpermFilter® (G2). A terceira fração
(Controle, GC), bem como as amostras do G1 e G2 após o processamento foram diluídas em meio Tris-frutose
contendo 20% de gema de ovo e posteriormente envasadas em microtubos de 1,5 ml. As amostras dos três
grupos foram acondicionadas em caixas de refrigeração passiva modelo Botutainer®, sendo refrigeradas a
0,13°C/minuto até a estabilização a 5°C. As amostras foram avaliadas objetivamente nos momentos 0, 24 e 48
horas quanto à cinética espermática (ISAS® V.1.2, Valência, Espanha) e submetidas à análise de integridade de
membrana plasmática (IMP, %) em microscopia de epifluorescência. Os dados gerados foram avaliados através
de modelo linear geral (GLM®, SAS Institute, Cary, USA). A motilidade total (MT, %), progressiva (MP, %) e
velocidade curvilinear (VCL, µm/s) não sofreram variação ao longo das 48 horas para os grupos G1 e G2,
havendo, no entanto, queda da MOT para o G3 (81,51ª, 72,82ª, 63,10b, respectivamente para os tempos 0, 24 e
48h). Redução na IMP foi observada para os 3 grupos ao longo das 48 horas de refrigeração, porém com
diminuição mais expressiva no grupo controle, ocorrendo a partir das primeiras 24 horas de processamento
(51,43a, 42,87b e 31,67c; p<0,0001). Não foram observadas diferenças entre os 3 grupos experimentais para
nenhum dos parâmetros de cinética espermática avaliados no momento 0 h. No entanto, a IMP foi superior para
o grupo SpermFilter® no tempo 0 h em relação ao GC (62,56a e 51,43b, respectivamente; p<0,0001). Diferenças
foram observadas para a MOT nos momentos 24 h (78,34ab, 83,76ª e 72,82b) e 48hrs (73,91ª, 78,46ª e 63,1b),
respectivamente para os tratamentos G1, G2 e GC, além de maior VCL também observada após 48 h de
refrigeração (95,97a, 94,69ª e 84,48b, p= 0,0091). Não foram observadas diferenças entre o G1 e G2 para
nenhuma das variáveis estudadas (p>0,05). Conclui-se que a remoção do plasma seminal corresponde a um
procedimento indispensável para a refrigeração do sêmen caprino, garantindo melhor preservação da cinética e
integridade espermática. O sistema SpermFilter® demonstrou a mesma eficiência que a centrifugação na
prevenção dos efeitos deletérios relacionados à exposição ao plasma seminal conferindo, no entanto, maior
praticidade e rapidez de execução para o processamento do sêmen caprino.

Palavras-chave: sêmen, bode, plasma seminal, SpermFilter, viabilidade espermática.


Keywords: semen, goat, seminal plasma, SpermFilter, sperm viability. 

163
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Resveratrol na conservação de sêmen caprino resfriado centrifugado e não centrifugado


Resveratrol in the conservation of goat semen centrifuged cold and not centrifuged

Renan Luiz Albuquerque Vieira1, Larissa Pires Barbosa1,*, Raísa Cordeiro dos Santos Alves de Araújo1,
Rosiléia Silva Souza2, Vinicíus Pereira Vieira1, William Morais Machado1, Caline Santana da França1,
Fabiana Lana de Araújo1
1
Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, BA, Brasil; 2Universidade Federal da Bahia,
Salvador, BA, Brasil.
*E-mail: larissa@ufrb.edu.br

O trans-resveratrol é encontrado de forma abundante na uva, seu papel protetor está entre os compostos fenólicos
que inibem a formação de espécies reativas ao oxigênio (ROS), retardando o envelhecimento celular e orgânico.
Desta forma, o estudo teve como objetivo comparar a viabilidade do diluente à base de TRIS-gema acrescido
com níveis de resveratrol no sêmen resfriado centrifugado e não centrifugado de caprinos. Foram utilizados três
machos adultos da raça Anglo Nubiana, previamente avaliados segundo os parâmetros de exame andrológico
preconizados pelo Colégio Brasileiro de Reprodução Animal (CBRA, 2013). Os animais foram submetidos a
cinco coletas de sêmen na frequência de uma vez por semana, utilizando-se o método de vagina artificial e uma
fêmea como manequim. Após a coleta, o ejaculado foi acondicionado em banho-maria à 37ºC e submetido ao
exame dos aspectos físicos e morfológicos. Os ejaculados que atingiram os valores mínimos preconizados pelo
CBRA (2013) foram submetidos à formação de um pool e fracionados em oito tratamentos, em um esquema
fatorial 2x4, variando o tipo de processamento de sêmen: lavado e total e os níveis de resveratrol: 0, 6, 12 e
18mg/15mL de diluente. Para lavagem do sêmen, este foi diluído em solução ringer lactato na proporção de 1:9 e
centrifugado durante 10min a 300G. A diluição final foi feita para obtenção de 150 milhões de espermatozoides
por dose. Seguindo-se a diluição final da amostra, esta foi destinada ao resfriamento, por um período de 72h, à
temperatura de 4ºC, em refrigerador estabilizado. As amostras foram avaliadas para motilidade espermática
progressiva e vigor espermático em microscopia de interferência diferencial de fase durante o processo de
resfriamento, no tempo T2, T12, T24, T48 e T72 horas. Foi utilizado Delineamento Inteiramente Casualizado.
Os dados foram avaliados quanto à normalidade pelo teste de Shapiro–Wilk. Todas variáveis apresentaram
distribuição normal, sendo avaliados por Análise de Regressão, adotando um nível de 5% de significância.
Verificou-se que a centrifugação, independente do nível de antioxidante utilizado, contribui para a redução da
motilidade progressiva, no início do resfriamento (T0h). No entanto, não houve diferença (P>0,05) para os
valores de motilidade espermática progressiva e vigor espermático do sêmen de caprino não centrifugado e
resfriado a 4ºC, utilizando níveis de resveratrol. Para o tempo de resfriamento, houve comportamento linear
decrescente para motilidade espermática progressiva e vigor espermático, apresentado 15,51h e 18,68h para
alcançar os valores de 85,76% e 4,04, respectivamente. Verificou-se que após o resfriamento, durante as 72
horas de conservação, não foram encontradas diferenças entre as amostras, com e sem plasma seminal. Conclui-
se que, para o sêmen não centrifugado o acréscimo de até 12mg de resveratrol no diluidor apresentou
superioridade aos valores de motilidade e vigor espermático do sêmen não centrifugado de caprino, resfriado à
4°C por até 72h.

Palavras-chave: antioxidante, diluidor seminal, espécies reativas ao oxigênio.


Keywords: antioxidant, seminal extender, reactive oxygen species.

164
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Influência do diluidor e da remoção do plasma seminal na avaliação pós-refrigeração da função


mitocondrial do sêmen caprino
Influence extender and removal of seminal plasma in the post-cooling assessment of mitochondrial function goat
semen

Igor Henrique de Azevedo Valença Nery, Robespierre Augusto Joaquim Araújo Silva*, Lúcia Cristina
Pereira Arruda, Helder Melo de Souza, Wilton Arruda Gomes, André Mariano Batista, Maria Madalena
Pessoa Guerra

Laboratório de Andrologia (ANDROLAB), Departamento de Medicina Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil.
*E-mail: robespierreaugusto@yahoo.com.br

As mitocôndrias são a principal fonte de ATP para célula espermática. O mau funcionamento dessas organelas
pode indicar comprometimento do metabolismo energético celular, bem como, estágio apoptótico inicial. A
avaliação da função mitocondrial pode ser realizada pela utilização de sondas fluorescentes, dentre as quais o
corante catiônico lipofílico JC-1 que permite determinar simultaneamente mitocôndrias com alto e baixo
potencial de membrana. O presente trabalho objetivou avaliar a influência de diferentes diluidores e da remoção
do plasma seminal sobre a função mitocondrial do sêmen caprino após refrigeração a 5ºC por 48 horas. Para
tanto, o sêmen de quatro bodes (dois Alpino Americano e dois Toggenburg) foi colhido com vagina artificial
duas vezes por semana, durante quatro semanas. Após aprovados (motilidade ≥ 60%) os ejaculados foram
agrupados e o pool dividido em duas metades de igual volume. A primeira metade foi diluída, sem remoção do
plasma seminal (NL), nos diluidores Leite e Tris-lecitina de soja 1% (LS1%). A segunda metade do pool foi
submetida à remoção do plasma seminal (LAV) e então diluída como mencionado anteriormente. Após a
diluição, as amostras foram envasadas em palhetas de 0,25mL (200x106 espermatozoides/mL) e refrigeradas em
sistema automatizado (TK 3000®), utilizando curva lenta de refrigeração. Após atingir 5ºC as amostras foram
transferidas para refrigerador e mantidas a 5ºC por 48 horas. As avaliações foram realizadas cinco minutos após
atingir 5ºC (T0) e após 24 (T24) e 48 (T48) horas de armazenamento quanto a análise do potencial de membrana
mitocondrial (PMM) em microscopia de epifluorescência, utilizando a sonda JC-1. O experimento foi repetido
oito vezes. Os dados foram submetidos a análise de variância (ANOVA) e ao teste de Student-Neuman-Keuls
(p<0,05). No sêmen NL, o alto PMM do grupo LS1% (T0: 76,88±10,76%; T24: 74,38±15,45%; T48:
62,00±12,83%) foi superior (p<0,0001) ao do grupo Leite (T0: 4,06±5,70%; T24: 1,63±1,27%; T48:
2,75±3,09%). No sêmen LAV, o grupo LS1% (T0: 74,50±15,62%; T24: 82,00±8,55%; T48: 83,50±6,79%) foi
superior (p<0,01) ao grupo Leite (T0: 40,50±15,68%; T24: 47,81±21,15%; T48: 48,44±22,29%) a partir de 24
horas de refrigeração. Nas amostras diluídas com Leite, o sêmen LAV foi superior (p<0,0001) ao NL durante
todo o período de refrigeração. No T48, amostras de sêmen LAV do grupo LS1% foram superiores (p<0,05) ao
sêmen NL (83,50±6,79% vs. 62,00±12,83%, respectivamente). Observou-se que a opacidade do diluidor pode
influenciar na avaliação da função mitocondrial do espermatozoide, prejudicando a detecção da fluorescência
e/ou a captação da sonda pelas células. Além disso, a enzima Fosfolipase A tem afinidade pela peça
intermediária do espermatozoide e, na presença de fosfolipídios dos diluidores, pode alterar a função
mitocondrial. Nossos resultados demonstram efeito benéfico da remoção do plasma seminal sobre a função
mitocondrial do sêmen refrigerado de caprino, principalmente quando diluído em meio à base de Leite, fato não
observado no diluidor LS1%, uma vez que a lecitina de soja possui menor turbidez e apresenta menos interações
com o plasma seminal, quando comparado ao Leite. Assim, conclui-se que a presença do plasma seminal e o tipo
de diluidor usado podem comprometer a análise da função mitocondrial do espermatozoide caprino.

Palavras-chave: mitocôndria; JC-1; remoção do plasma seminal.


Keywords: mitochondrial; JC-1; removal of seminal plasma.

165
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeitos da CoQ10 sobre a integridade acrossomal de espermatozoides caprino pós-


descongelação
Effects of CoQ10 on post-thaw acrosome integrity of goat spermatozoa

Millena Maria Monteiro*, Bruna Sabino Pinho de Oliveira, Robespierre Augusto Joaquim Araújo Silva,
Igor Henrique de Azevedo Valença Nery, Lúcia Cristina Pereira Arruda, Helder Melo de Souza,
Maria Madalena Pessoa Guerra, André Mariano Batista

Laboratório de Andrologia (ANDROLAB), Departamento de Medicina Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil.
*E-mail: millena.vet@gmail.com

O estresse oxidativo tem sido considerado como importante fator de contribuição para a redução das funções do
espermatozoide. Antioxidantes, tais como a coenzima Q10 (CoQ10), um composto lipossolúvel também
conhecida como ubiquinona, parece desempenhar um papel significativo na proteção das células contra o
estresse oxidativo induzido pelas espécies reativas de oxigênio (ROS). Além disso, a CoQ10 desempenha papel
importante no metabolismo de energia, bem como funcionando como um antioxidante de quebra de cadeia
lipossolúvel para as membranas celulares e lipoproteínas. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da
suplementação do diluidor de congelação com CoQ10 sobre a qualidade do sêmen caprino pós-descongelação.
Amostras de sêmen foram obtidas de 3 reprodutores caprinos da raça Toggenburg, através do método de vagina
artificial. Em seguida, os ejaculados aprovados foram destinados a formação do pool, o qual foi submetido a
análises e diluído em diluente a base de leite desnatado (7% glicerol), de acordo com os grupos experimentais:
Controle (sem CoQ10), G1 (10 µM/mL CoQ10) e G2 (20 µM/mL CoQ10), na concentração final de 50x106
espermatozoides/0.25mL. Após diluição e envase, as amostras de sêmen foram submetidas à criopreservação
utilizando sistema automatizado TK 3000™ e em seguida, armazenados em botijões criogênicos até a análise.
Após descongelação (37°C por 30 segundos), as amostras foram avaliadas quanto à integridade de membrana
plasmática (iMP/ DCF+IP), potencial de membrana mitocondrial (PMM/ JC-1) e integridade de acrossoma (iAC/
FITC-PNA), por meio de microscopia de epifluorescência. As amostras foram avaliadas após a descongelação
(momento 0h) e após 2 horas (momento 2h) de incubação a 37°C. Os dados foram submetidos à análise de
variância (ANOVA), seguido do teste de comparação múltipla de Tukey. Não houve diferença significativa (p >
0,05) nas porcentagens de espermatozoides com membrana plasmática íntegra (iMP) e alto potencial de
membrana mitocondrial (aPMM), entre o controle e quaisquer concentrações de CoQ10 após a descongelação e
no momento 2h. Por outro lado, no momento 0 h os grupos G1 (75,63±8,56%) e G2 (74,25±9,55%) mostraram
uma tendência (p = 0,1) a apresentar maior porcentual de espermatozoides com acrossoma íntegro quando
comparado ao Controle (58,38±18,87%). Entretanto, após 2h foi detectada diferença significativa (p < 0,05),
entre o grupo Controle (48,13±18,82%) e os grupos G1 (72,50±6,22%) e G2 (71,50±5,74%), verificando-se que
o tratamento com CoQ10 nestas concentrações foram benéficas à integridade do acrossoma, importante para à
manutenção de suas enzimas, as quais são essenciais para o sucesso da fertilização. Concluí-se que a
suplementação do diluidor com CoQ10 nas concentrações de 10 e 20 µM/mL preserva a integridade de acrossoma
de espermatozoides caprino durante a criopreservação.

Palavras-chave: criopreservação, antioxidantes, acrossoma.


Keywords: cryopreservation, antioxidants, acrossome.

166
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito do método de remoção do plasma seminal sobre a integridade de membrana do


espermatozoide caprino pós-descongelação
Effect of seminal plasma removal method on membrane integrity of goat spermatozoon post-thaw

Marciane da Silva Maia1,*, Carlos Eduardo Bezerra de Moura2, Claudio Avelino de Oliveira Lucena3,
George Lucas da Rocha Gurgel3
1
Embrapa Semiárido/EMPARN, Natal, RN, Brasil; 2Departamento de Morfologia;
3
Departamento de Zootecnia, UFRN, Natal, RN, Brasil.
*E-mail: marciane.maia@embrapa.br

A remoção do plasma seminal é indispensável no processamento do sêmen caprino, quando se usa meios que
contenham leite ou gema de ovo. Normalmente, isso é feito por meio de centrifugação, no entanto, o processo é
demorado e pode acarretar danos mecânicos ao espermatozoide. Recentemente, Alvarenga et al. (2010)
propuseram um novo método para a remoção do plasma seminal do sêmen de garanhão, usando um filtro (Sperm
Filter) de membrana sintética hidrofílica (A new method to concentrate equine sperm. Animal Reproduction
Science, v. 121S, p.186-187, 2010). O objetivo deste estudo foi comparar o efeito da centrifugação x Sperm
Filter sobre a integridade da membrana plasmática do espermatozoide caprino. Os ejaculados foram colhidos de
um bode da raça Alpina Americana (n=8). Dois ejaculados consecutivos foram combinados formando um pool
que foi dividido em quatro partes iguais. As alíquotas foram diluídas a 37°C com solução de lavagem (1:9) e em
seguida submetidas aos tratamentos: T1e T2 – remoção do plasma seminal (PS) por centrifugação (2 x 600 x g /
10 min); T3 e T4 – PS removido com Sperm Filter. Após a remoção do PS, as amostras do T1e T3 foram
diluídas (400 x 106 sptz/ml) com diluidor à base de leite desnatado-glicosado e as do T2 e T4 com diluidor à base
de Tris-glicose-gema. O sêmen foi envasado em palhetas de 0,25mL e congelado em sistema automatizado. A
descongelação ocorreu a 37ºC/30s. A integridade da membrana plasmática foi determinada em Citômetro de
Fluxo (FACS Canto II) utilizando-se as sondas fluorescentes Diacetato de carboxifluoresceína (CFDA) e Iodeto
de propídio (PI) e contando-se 20.000 células /amostra. As médias foram submetidas à ANOVA e ao teste de
Duncan. A porcentagem de espermatozoides com membrana plasmática íntegra (média ± dp) após a
descongelação foi significativamente maior (P < 0,001) no T2 (49,1± 14,5%) comparado ao T1 (32,8 ± 13,6%) e
T3 (22,6 ± 4,1%) e semelhante ao T4 (42,2 ± 10,4%). Independente do método de remoção do plasma seminal, o
diluidor Tris-glicose-gema (T2 e T4) proporcionou uma melhor proteção à membrana plasmática que o diluidor
à base de leite (T3 e T4). Pode-se afirmar que tanto a centrifugação quanto a filtragem do sêmen para remover o
plasma seminal antes da criopreservação são eficazes quando se utiliza diluidor à base de Tris-glicose-gema. Já
para o diluidor à base de leite desnatado o melhor método de remoção do PS é a centrifugação.

Palavras-chave: caprino, sêmen, plasma seminal, criopreservação, filtro espermático.


Keywords: goat, semen, seminal plasma, cryopreservation, sperm filter.

167
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da glutamina sobre os parâmetros cinéticos de espermatozoides caprino


pós-descongelação
Gluthamine effect on the kinematic parameters after thawing goat spermatozoa

Camilla Flávia Avelino de Farias1, Rafael Limongi de Souza1, Robespierre Augusto Joaquim Araújo
Silva2, Maria Madalena Pessoa Guerra2, Ian Porto Gurgel do Amaral3, Sildivane Valcácia Silva1,*
1
Laboratório de Biotecnologia em Reprodução Animal (LABRA), Centro de Biotecnologia (CBiotec), UFPB, João Pessoa,
PB, Brasil; 2Laboratório de Andrologia (ANDROLAB), Departamento de Medicina Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil;
3
Laboratório de Biotecnologia de Organismos Aquáticos (LABOrA), CBiotec, UFPB, João Pessoa, PB, Brasil.
*E-mail: sildivane@cbiotec.ufpb.br

A glutamina é um L-α-aminoácido que pode ser sintetizado por todos os tecidos do organismo e tem sido
utilizado na reprodução animal por apresentar efeito de proteção celular, devido ao seu mecanismo de ação
extracelular. Os aminoácidos são moléculas carregadas e é possível que interajam eletrostaticamente com os
grupos fosfato dos fosfolipídios da membrana plasmática do espermatozoide, formando uma camada sobre a
superfície da célula, protegendo-a contra choques térmicos e da ação das espécies reativas de oxigênio (ROS).
Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da adição de glutamina ao sêmen caprino pós-descongelação.
Utilizou-se sêmen criopreservado de três caprinos da raça Boer obtido em central de reprodução. Foram
descongeladas duas palhetas de cada reprodutor (37 ºC/30 s) e as amostras foram homogeneizadas para evitar a
variável reprodutor. A glutamina foi previamente preparada em solução fisiológica (500 mM – solução estoque;
NaCl 0,9%). Após formação do pool, quatro grupos experimentais foram formados: GC= grupo controle, sem
adição de glutamina; G1= sêmen + 5 mM de glutamina; G2= sêmen + 15 mM de glutamina; G3= sêmen + 30
mM de glutamina, sendo submetidos à avaliação cinética computadorizada (CASA) e avaliação das integridades
da membrana plasmática e acrossomal por citometria de fluxo (Amnis Image Stream Mark II, EMD Millipore
Corp.), nos momentos 0h e 2h pós-descongelação. Foram realizadas seis repetições. Os dados seguiram uma
distribuição normal, avaliada pelo teste de Kolmogorov-Smirnov com 5% de significância. Para comparações
entre os tempos do mesmo tratamento foi utilizado o teste T, e para comparação entre tratamentos foi utilizado
ANOVA seguida do pós-teste de Tukey (p≤0,05). A motilidade progressiva apresentou redução (p<0,05) no
grupo GC (T0= 57,28% vs T2= 46,70%) durante o período de incubação, o que não foi observado nos grupos
com a glutamina, possivelmente porque este aminoácido pode ter protegido a composição fosfolipídica da
membrana plasmática do espermatozoide e combatido a ação de ROS nesta estrutura. Ao avaliar os parâmetros
de amplitude lateral da cabeça (ALH), verificou-se que após 2h de incubação houve um aumento (p<0,05) dos
grupos G2 (T0= 2,52μm vs T2= 3,02μm) e G3 (T0= 2,45μm vs T2= 3,20μm), mostrando que os espermatozoides
possam ter sofrido hiperativação, que são mudanças no padrão do batimento flagelar que facilitam a penetração
dos espermatozoides nos diversos envoltórios oocitários. As células espermáticas devem apresentar motilidade a
fim de alcançar o local da fecundação, tornando-se este um dos principais parâmetros avaliados. Em
complemento, os espermatozoides que são hiperativados antes de alcançarem o oviduto são incapazes de
fertilizar. Estima-se que percurso do espermatozoide desde a ejaculação até o oviduto dura, em média, duas
horas na espécie caprina, tempo que os grupos G2 e G3 gastaram para ser hiperativados. Assim, conclui-se que
adição de glutamina nas concentrações de 5, 15 e 30 mM preserva a motilidade progressiva de espermatozoides
caprinos e nas concentrações de 15 e 30 mM aumenta a ALH após duas horas de descongelação.

Palavras-chave: aminoácido; criopreservação; motilidade.


Keywords: amino acid; cryopreservation; motility.

168
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da força de centrifugação sobre a integridade de membrana plasmática,


acrossomal e do DNA de espermatozoides caprinos
Effect of centrifugation force on the plasmatic membrane, acrossome and DNA integrity of goat spermatozoa

Karinne Ávila Bosco1, Camila de Paula Freitas Dell´Aqua2, Karoline Maria Gil Brás1, Nicole Flávio1,
Daniele Campos do Nascimento1, Kleber da Cunha Peixoto Junior1, André Maciel Crespilho1,3,*
1
Universidade de Santo Amaro, UNISA, São Paulo, SP, Brasil; 2Universidade Estadual Paulista, UNESP, Botucatu, SP,
Brasil; 3Vetsemen®, Barueri, SP, Brasil.
*E-mail: contato@vetsemen.com.br

A maior parte dos protocolos de refrigeração e criopreservação do sêmen caprino recomenda o uso de
centrifugação para remoção do plasma seminal assumindo, no entanto, que esse tipo de processamento pode
levar a queda na qualidade e viabilidade espermática. O objetivo deste estudo foi avaliar os possíveis efeitos
deletérios da centrifugação sobre a integridade da membrana plasmática, acrossomal e DNA de espermatozoides
caprinos submetidos à refrigeração. Foram selecionados 4 reprodutores da raça Anglo Nubiana para colheita de
sêmen através de vagina artificial (n=4 ejaculados/bode). Cada ejaculado foi fracionado em 3 alíquotas iguais,
diluídas em solução de Ringer com Lactato de forma a completar o volume final para 3mL. Após a pré-diluição
foram formados 3 grupos: Controle (GC, não centrifugado), G1 (centrifugação a 500g/10 minutos) e G2
(centrifugação a 1000g/10 minutos). As amostras do GC e dos dois grupos experimentais submetidos à
centrifugação foram diluídas em meio Tris gema de ovo frutose, respeitando-se a concentração espermática final
de 80 milhões de espermatozoides/mL. As amostras dos 3 grupos foram envasadas em microtubos de 1,5 mL e
acondicionadas em sistema de refrigeração passiva modelo Botuflex® (Botupharma, Botucatu, Brasil) onde
permaneceram por 48 horas. As avaliações espermáticas foram conduzidas nos momentos 3, 24, 36 e 48 horas
do processo de refrigeração através da avaliação da integridade de membrana plasmática e acrossomal (IMPAC)
utilizando-se a combinação de sondas fluorescentes iodeto de propídeo e FITC-PSA, além da avaliação do
percentual de fragmentação do DNA (IDF) espermático através da sonda acridina laranja. Todas as avaliações
foram conduzidas em citômetro de fluxo (BD LSR Fortessa® Becton Dickinson, Mountain View, USA). Os
dados gerados foram avaliados através de modelo linear geral (GLM®, SAS Institute, Cary, USA). Não foram
observadas diferenças para a integridade de membrana plasmática e acrossomal (78,30±3,92ª, 80,81±1,46ª e
77,47±3,99ª; p>0,05) e para o índice de fragmentação do DNA (3,05±0,39ª, 3,76±0,34ª e 3,61±0,32ª; p>0,05),
respectivamente para os grupos GC, G1 e G2, independente do momento experimental. Não houve diferença
para a IMPAC quando comparados, respectivamente, os grupos controle, G1 e G2 nos momentos 3 h
(82,17±36,65a, 81,12±36,89a e 82,02±35,52a), 24 h (80,63±36,93ª, 81,71±37,78ª e 72,63±38,71a), 36 h
(76,98±36,34ª, 78,65±38,29ª e 78,97±37,32ª) e 48h (73,40±38,27ª, 81,74±37,13ª e 76,27±35,98ª). O IDF
também foi semelhante entre os 3 tratamentos ao longo das 48h, não havendo diferenças para a fragmentação
nos momentos 3h (2,53±2,39ª, 3,25±2,74ª e 3,24±3,08ª), 24hrs (3,51±2,91ª, 3,85±3,25ª e 4,13±3,89ª), 36h
(3,32±2,69ª, 4,21±3,93ª e 3,58±3,38ª) e 48h (2,84±1,94ª, 3,71±3,51ª e 3,50±2,85ª), respectivamente para o GC,
G1 e G2. Embora estudos anteriores tenham associado à centrifugação com a ocorrência de lesões irreversíveis à
ultraestrutura dos espermatozoides de diversas espécies, pode-se concluir que mesmo quando empregadas forças
de rotação acima dos valores preconizados para o processamento do sêmen de bodes (1000g) não ocorre lesão à
ultraestrutura espermática.

Palavras-chave: bode, sêmen, centrifugação, integridade, DNA.


Keywords: goat, semen, centrifugation, integrity, DNA.

169
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da adição da gema de ovo no ACP 101c/102c ® e Tris sobre a motilidade


de sêmen caprino
Effect of the addition egg yolk on ACP 101c /102c® and Tris of the goat sperm motility

Filipe Nunes Barros1,*, Felipe Pereira da Silva Barçante1, Sávio Ruan Sampaio de Sousa1,
Bárbara Mara Bandeira Santos2, José Ferreira Nunes2, José Adalmir Torres de Souza1
1
Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinária; UFPI, Teresina, PI, Brasil;2Faculdade de MedicinaVeterinária,
UECE,Fortaleza, CE, Brasil.
*E-mail: filipenbarros@hotmail.com

A refrigeração seminal é importante para as biotécnicas, pois ajuda a conservar a capacidade fecundante. Com
isso, tem-se testado diluidores e crioprotetores visando diminuir os danos da refrigeração. Juntamente, a análise
seminal assistida por computador (CASA) pode fornecer dados precisos da cinética e morfologia espermática.
Assim, objetivou-se avaliar o efeito de diferentes concentrações de gema de ovo nos diluidores ACP e TRIS
sobre a motilidade de semên fresco e refrigerado de caprinos. O experimento foi feito no Laboratório de
Tecnologia do Sêmen Caprino e Ovino da Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, Ceará. O sêmen foi
colhido de quatro caprinos das raças Saanen e Anglonubiano, com média de idade de 2 anos, por vagina
artificial, uma vez por semana, perfazendo 6 coletas por animal, totalizando 24 ejaculados. Após as coletas, fez-
se pool dos ejaculados e analisou-se quanto volume, concentração, vigor e motilidade massal, e motilidade
individual através do CASA (Computer Assited Semen Analysis) mostrando-se viáveis. O pool foi diluído em
ACP-101c/102c® e TRIS e depois, refrigerado. Cada um dos diluidores foi adicionado em 50ml de água
destilada no tudo falcon e divididos em 5 tratamentos com diferentes concentrações de gema de ovo: ACP 0 =
sem gema de ovo, ACP A1= 2,5% de gema, ACP A2= 5% de gema, ACP A3= 7,5% de gema, ACP A4= 10% de
gema, TRIS T1= 1,5% de gema, TRIS T2= 2,5% de gema, TRIS T3= 5% de gema, TRIS T4= 7,5% de gema,
TRIS T5= 10% de gema. Rediluiu-se 10 μL de sêmen diluído em 200 μL de diluidor em cada eppendorf dos dez
tratamentos para analise no CASA, sendo feita avaliação do sêmen a fresco, com 2, 24 e 48 horas de
resfriamento, utilizando uma curva lenta de resfriamento(0,35ºC/min). Os resultados foram expressos em termos
de média ± desvio padrão, usando análise de variância (ANOVA) seguido de teste de Tukey com nível de
significância de 5%. Após analise da motilidade dos espermatozóides, no sêmen à fresco, o ACP0 (=52,3±25,1)
apresentou diferença significativa (p<0,05) apenas do tratamento T5(=88,3±7,9), apresentando valores inferiores
dos demais. Com 2, 24 e 48 horas de resfriamento, a motilidade foi inferior no A0 e diferiu significativamente
dos outros tratamentos. Isso pode ter ocorrido devido as lipoproteínas de baixa densidade (LDL) da gema
aderirem a membrana celular espermática tornando-os resistentes as mudanças de osmolaridade e ao choque
térmico, e aumentando a motilidade (Moussa et al.,2002; Bergeron e Manjunath, 2006). Em relação ao
movimento progressivo dos espermatozoides, observou-se que após 2 horas de resfriamento o A0(=19,7±9,6)
mostrou-se diferente significativamente do A3(=47,7±12,3), T3(=50,4±12,7) e T4(=48,5±12,5). Com 24 horas
de resfriamento, A0 apresentou resultados menores de movimento progressivo, porém significativamente
semelhantes ao T1(=31,0±8,9) e T2(=37,4±5,8), e diferente dos demais tratamentos. Com 48 horas,
A0(=13,9±10,5), T1(=31,2±10,8), T2(=35,7±12,5), T4(=34,3±12,8) e T5(=32,3±12,5) mostraram resultados
semelhantes entre si (p > 0,05) e menores que os demais tratamentos. Em relação aos tratamentos entre si, não
apresentaram diferenças significativas. Conclui-se que o tratamento TRIS T3(5% de gema de ovo) apresentou os
melhores resultados em relação a motilidade e o ACP® A3(7,5% de gema de ovo) os melhores em relação ao
movimento progressivo dos espermatozóides.

Palavras-chave: sêmen, caprino, resfriamento, ACP®, CASA.


Keywords: semen, goats, cooling, ACP®, CASA.

170
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação de um novo método de remoção do plasma seminal para criopreservação do


sêmen caprino
New seminal plasma removal method for freezing goat semen

Daniele Campos do Nascimento1, Kleber Cunha Peixoto Junior.1, Nicole Flávio1, Flaviane Cristine
Landões de Souza1, Karine Ávila Bosco1, Karoline Maria Gil Bráz1, André Maciel Crespilho1,2,*
1
Universidade de Santo Amaro (UNISA), São Paulo, SP, Brasil; 2Vetsemen®, Análise de Sêmen para Inseminação Artificial,
Barueri, SP, Brasil.
*E-mail: contato@vetsemen.com.br

A remoção do plasma seminal representa uma etapa importante no processo de criopreservação do sêmen
caprino, sendo geralmente realizada através de centrifugação. No entanto, estudos anteriores demonstraram que a
centrifugação pode exercer efeito deletério sobre a viabilidade e integridade dos espermatozoides, justificando a
busca por alternativas tecnológicas para remoção do plasma seminal caprino. Este trabalho teve por objetivo a
avaliação do sistema SpermFilter®, para remoção do plasma seminal caprino previamente a criopreservação.
Ejaculados de 6 reprodutores adultos da raça Anglo Nubiana (n=5 ejaculados/bode) foram colhidos através de
vagina artificial e previamente diluídos em solução de Ringer com Lactato de Sódio (RLs) previamente aquecido
à 37°C, de forma a fixar o volume final em 6 mLs. Após a adição do RLs cada ejaculado foi fracionado em três
alíquotas iguais. A primeira fração recebeu RLs de forma a completar o volume final para 5ml e foi destinada à
centrifugação por 10 minutos a 600xg (G1). A segunda fração foi diluída na mesma solução e submetida à
separação através do SpermFilter® (G2). A terceira fração (Grupo Controle, GC), bem como as amostras do G1
e G2 após o processamento, foram diluídas em meio Tris-gema de ovo-frutose contendo 6,0% de glicerol e
posteriormente envasadas em palhetas francesas de 0,5mL, respeitando-se a concentração média de 50×106
espermatozoides/dose. As amostras dos três grupos foram refrigeradas em caixas de transporte modelo
Botutainer® por 5 horas a uma curva média de 0,13°C/minuto até a estabilização a 5°C. A curva de congelação
foi realizada em caixa de poliestireno de 40 litros, colocando-se as amostras a 5 cm da superfície do nitrogênio
líquido (N2) por 20 minutos. A criopreservação foi realizada por imersão direta no N2. As amostras dos três
grupos foram avaliadas nos momentos 0 (imediatamente após a descongelação) e 3 horas após a descongelação
quanto a cinética espermática e integridade de membrana plasmática (IMP, %). Os dados gerados foram
avaliados através de modelo linear geral (GLM®, SAS Institute, Cary, USA). Houve queda significativa em
todos os parâmetros de cinética e integridade espermática quando comparados os resultados obtidos no momento
0 h em relação a 3 h, independente do grupo experimental. Maior motilidade progressiva foi associada aos
grupos G1 e G2 em relação ao controle (respectivamente 21,07ab ± 25,030, 24,41a ± 25,27 e 19,3b ± 21,32;
p=0,0391), independente do momento experimental. Embora não tenham sido observadas diferenças para a
motilidade progressiva (MP, %) velocidade curvilinear (VCL, µm/s) e IMP (%) comparando os três tratamentos
durante o momento 0 e 1 (p>0,05), maior motilidade total no tempo 0 hrs pós-descongelação foi observada para
o grupo centrifugado ou submetido a filtração em relação ao controle (52,05ª ± 25,90, 51,62a ± 25,13 e 43,52b ±
23,93, respectivamente; p=0,0320). Conclui-se que a remoção do plasma seminal corresponde a um
procedimento importante para a criopreservação do sêmen caprino, garantindo melhor preservação da cinética
espermática pós-descongelação. O sistema SpermFilter® demonstrou a mesma eficiência que a centrifugação na
prevenção dos efeitos deletérios relacionados à exposição ao plasma seminal. No entanto, a praticidade e rapidez
do método de filtragem representaram vantagens importantes que justificam e validam a escolha do
SpermFilter®, como método de separação do plasma seminal caprino.

Palavras-chave: sêmen, bode, plasma seminal, SpermFilter®, viabilidade espermática.


Keywords: semen, goat, seminal plasma, SpermFilter®, sperm viability.

Apoio: FAPESP, Processo n. 2014/05984-1.

171
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

A taurina preserva os parâmetros cinéticos do sêmen caprino após a descongelação


Addition of taurine improves kinematics parameters of goat semen after thawing

Sildivane Valcácia Silva1,*, Rafael Limongi de Souza1, Robespierre Augusto Joaquim Araújo Silva2,
André Mariano Batista2, Maria Madalena Pessoa Guerra2
1
Laboratório de Biotecnologia em Reprodução Animal (LABRA), Centro de Biotecnologia (CBiotec), UFPB, João Pessoa,
PB; 2Laboratório de Andrologia (ANDROLAB), Departamento de Medicina Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil.
*E-mail: sildivane@cbiotec.ufpb.br.

A taurina, um aminoácido não-essencial produzido no fígado e cérebro, tem sido empregada no melhoramento
da qualidade seminal. Sua utilização objetiva impedir danos causados pela geração excessiva de radicais livres
ao evitar o ataque de espécies reativas de oxigênio (ROS) à membrana da célula. Os possíveis efeitos protetores
da suplementação de taurina são promover aumento do teor das enzimas antioxidantes e previnir o efluxo de
colesterol e fosfolipídios da membrana celular. Mediante o exposto, o objetivo deste estudo foi avaliar o efeito
da adição de taurina após a descongelação sobre os parâmetros cinéticos do sêmen caprino. Utilizou-se sêmen
criopreservado de três caprinos da raça Boer obtido em central de reprodução. Foram descongeladas duas
palhetas de cada reprodutor (37°C /30 s) e as amostras foram homogeneizadas, para evitar variável reprodutor. A
taurina foi previamente preparada em solução fisiológica (500 mM – solução estoque; NaCl 0,9%). Após
formação do pool, quatro grupos experimentais foram formados: GC= grupo controle (sêmen +adição de solução
fisiológica sem adição de taurina); G1=sêmen + 5 mM de taurina; G2= sêmen + 25 mM de taurina; G3=sêmen +
50 mM de taurina, mantido em temperatura ambiente (28°C) e submetidos à avaliação de cinética espermática
[motilidade total (MT); motilidade progressiva (MP) e batimento cruzado flagelar (BCF)] por análise
computadorizada (CASA) nos momentos 0h (T0), 1h (T1) e 3h (T3) pós-descongelação. Foram realizadas seis
repetições. Os dados foram submetidos à análise de variância (ANOVA, One way) e teste de Tukey, com nível
de significância de 5%. Após 3 h de incubação, o GC mostrou redução (p<0,05) de 27,76% e 43,88% na
MT(T0= 62,50% vs T3= 45,15%) e MP (T0= 38,67% vs T3= 21,70%), respectivamente. Menor (p<0,05)
redução nestes parâmetros foram observados para os G1 (MT; T0= 70,10% vs T3= 57,30%; MP; T0= 39,35 vs
T3= 29,41), G2 (MT; T0=66,98% vs T3= 54,86%; MP; T0= 40,28% vs 26,33%) e G3 (MT; T0= 60,60% vs T3=
48,65%; MP; T0= 33,02% vs T3= 26,73%) após 3 horas. O G3 apresentou maior (p<0,05) BCF após 1h de
descongelação (T0= 8,87 Hz vs T1= 9,84 Hz) em relação ao GC. O BCF apresentou redução (p<0,05) gradativa
no GC durante os tempos de avaliação (T0= 8,55 Hz; T1= 8,47 Hz; T3= 7,85 Hz), fato não observado nos outros
grupos. A motilidade espermática é comumente avaliada como uma das mais importantes características
associadas à habilidade fertilizante dos espermatozoides. Em complemento, sabe-se que o BCF é um indicativo
de que o espermatozoide apresenta melhor migração e penetração no muco cervical, fato este de correlação
positiva com taxa de prenhez. É possível inferir que a taurina promoveu a manutenção da motilidade devido a
sua capacidade em atuar na regulação osmótica, estabilização das membranas, estimulação da glicólise e função
antioxidante, onde a combinação desses efeitos faz com que a célula espermática preserve a sua motilidade e
diminua as taxas de peroxidação lipídica. Assim, conclui-se que a adição da taurina, nas concentrações de 5, 25 e
50 mM preserva os parâmetros cinéticos do sêmen caprino após três horas de descongelação.

Palavras-chave: antioxidante; criopreservação; motilidade.


Keywords: antioxidant; cryopreservation; motility.

172
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Fatores de risco associados à infecção pelo Toxoplasma gondii em caprinos e ovinos


explorados na Microrregião do Alto Médio Gurguéia, Sul do Piauí, Brasil
Risk factors associated with Toxoplasma gondii infection in goats and sheep explored in the micro-region of the
Upper East Gurguéia, Southern Piauí, Brazil

Wagner Martins Fontes do Rêgo1, Antônio Cézar Rocha Cavalcante2, Raymundo Rizaldo Pinheiro2,
Francisco Selmo Fernandes Alves2, Ana Lys Bezerra Barradas Mineiro3,
Ney Rômulo de Oliveira Paula3,*, Janaina de Fátima Saraiva Cardoso3
1
Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Federal do Piauí(UFPI), Bom Jesus, PI, Brasil; 2Centro Nacional
de Pesquisa de Caprinos e Ovinos (Embrapa Caprinos e Ovinos), Sobral, CE, Brasil; 3Centro de Ciências Agrárias,
Universidade Federal do Piauí (UFPI), Teresina, PI, Brasil.
E-mail: janainadefatima@hotmail.com

O protozoário Toxoplasma gondii, parasito de vida intracelular, vem sendo incriminado como uma das principais
enfermidades responsáveis por desordens reprodutivas nos pequenos ruminantes, por acarretar abortos,
mumificação fetal, reabsorção embrionária, nascimento de fetos mal formados, crias debilitadas e fracas. O
objetivo deste trabalho foi estudar a real situação epidemiológica da doença e os fatores de risco envolvidos com
a toxoplasmose em caprinos e ovinos no Estado do Piauí, por considerar de extrema relevância uma investigação
sobre o protozoário envolvido neste processo, bem como a realização de testes de diagnósticos visando à
discriminação da fase de infecção. Amostras sorológicas de 954 animais e os dados dos questionários, dentre os
quais 580 são de caprinos e 374 de ovinos foram testadas pelo ELISA indireto para diagnóstico de anticorpos
anti-Toxoplasma gondiie identificação dos fatores de risco associados com a presença da toxoplasmose na
Microrregião do Alto Médio Gurguéia, Sul do Estado do Piauí, Brasil. A prevalência geral para a infecção pelo
Toxoplasma gondii em caprinos e ovinos foi de 40,5% (235/580) e 48,7% (182/374) respectivamente. Ao
analisar os fatores de risco, as variáveis que permaneceram no modelo final da análise multivariável para a
espécie ovina foram: Criação extensiva (OddsRatio (OR) = 2,210; Intervalo de confiança - IC = 1,12-4,358) e
possuir cercas limitróficas na propriedade (OR = 0,546; IC = 0,326-0,916). Os resultados do presente trabalho
evidenciam a presença de caprinos e ovinos explorados na Microrregião do Alto Médio Gurguéia infectados com
o Toxoplasma gondii.

Palavras-chave: toxoplasmose, ELISA, soroprevalência, pequenos ruminantes.


Keywords: toxoplasmosis, ELISA, seroprevalence, small ruminant.

173
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Influência da bipartição da bolsa escrotal sobre a capacidade de termorregulação e


hemodinâmica testicular em caprinos: resultados preliminares
Influence of bipartite scrotum on the thermoregulatory and hemodynamic testicular capacity in goats:
preliminary results

Karoline Maria Gil Braz1, Carolina de Oliveira Ghirelli1, Karine Ávila Bosco1, Nicole Flávio1, Daniele
Campos do Nascimento1, Carlos Ramires Neto2, Cristiano Silva Ferreira1, André Maciel Crespilho1,2,3,*
1
Universidade de Santo Amaro (UNISA), São Paulo, SP, Brasil; 2Universidade Estadual Paulista, UNESP, Botucatu,SP,
Brasil; 3Vetsemen®, Análise de Sêmen para Inseminação Artificial, Barueri, SP, Brasil.
*E-mail: contato@vetsemen.com.br

Diversos mecanismos fisiológicos atuam para garantir a termorregulação testicular. Estudos anteriores
demonstraram que caprinos que apresentam testículos bipartidos possuem maior número de células germinativas
testiculares e células de Sertolli e, portanto, maior capacidade gametogênica. O objetivo deste estudo foi avaliar
a influência da bipartição da bolsa escrotal sobre a capacidade de termorregulação do testículo de bodes,
testando-se a hipótese de que animais com bipartição possuem menor temperatura testicular e maior capacidade
hemodinâmica local. Para o estudo foram selecionados 8 bodes adultos da raça Anglo Nubiana com idade entre
1,5 e 3 anos. Os animais foram divididos em 2 grupos, de acordo com a conformação dos testículos: G1 (n=4)
animais com pelo menos 25% de bipartição testicular; GC (n=4) grupo controle, sem bipartição testicular. Todos
os animais foram submetidos à termografia escrotal (InfraCam®, Boston, USA) e ultrassonografia Doppler
(Aloka® SSD 2200) realizada em triplicata na região do cordão espermático de cada testículo, considerando-se
os parâmetros velocidade de pico sistólico (VPS), velocidade diastólica final (VDF), velocidade média (VM),
índice de resistividade (IR; IR=VPS-VDF/VPS) e índice de pulsatilidade (IP; IP=VPS-VDF/VM). Os dados
gerados foram submetidos à análise de variância através de modelo linear geral (GLIMMIX, SAS Institute Inc,
Cary, USA). Não foi observada diferença na temperatura testicular dos animais do G1 e do GC (32,61±0,59a e
32,19±0,65b, respectivamente; p=0,7679). Na avaliação hemodinâmica o valor médio de VDF também não
diferiu entre G1 e GC (7,26±1,29a e 8,24±1,75a respectivamente; p=0,1315), tal como o IP (0,89±0,24a para o G1
e 0,80±32a para o GC; p=0,6287). No entanto, o IR foi superior para os animais bipartidos em relação ao
controle (0,53±0,11a e 0,46 ±0,06b respectivamente; p=0,0108), resultados semelhantes aos observados para a
VPS (15,80±2,60a e 15,20±1,88b, respectivamente para G1 e GC; p=0,0140). Apesar de estudos anteriores
indicarem uma possível relação entre a bipartição da bolsa escrotal e eficiência no processo de termorregulação,
foi verificado que animais do G1 não apresentaram temperatura de superfície escrotal inferior ao grupo controle,
resultados que rejeitam a hipótese inicial e sugerem que outros fatores (como o maior número de células de
Sertolli observado em trabalhos anteriores) podem justificar a maior atividade gametogênica observada em
testículos bipartidos. Embora pesquisas anteriores conduzidas nas espécies equina e canina tenham associado
maiores índices de IR e VPS com maior resistência hemodinâmica local e, consequentemente, com queda na
qualidade espermática, estudos recentes envolvendo a avaliação testicular Doppler em ruminantes apontaram
correlação positiva para IR e VPS com o potencial de fertilidade espermática. Estudos anteriores conduzidos na
espécie caprina demonstraram maior comprimento do funículo espermático e da artéria testicular de bodes
bipartidos em relação a reprodutores sem bipartição, resultados que podem justificar o aumento da velocidade de
pico sistólico e resistência vascular nesse grupo de animais. No entanto, como até o presente não existe uma
definição clara na literatura a respeito dos valores de referência para os parâmetros hemodinâmicos testiculares
obtidos através da técnica Doppler colorido, novos estudos se fazem necessários para a melhor interpretação dos
achados e para a correta implementação dessa técnica na avaliação reprodutiva de caprinos.

Palavras-chave: bode, bipartição, Doppler, termografia, testículo.


Keywords: goats, bipartite, Doppler, thermography, testicules.

174
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Níveis séricos de estradiol em ovelhas Santa Inês vazias ou gestantes após sincronização
de estro e IATF transcervical ou laparoscópica
Serum level of estradiol in non-pregnant or pregnant Santa Inês ewes after estrus synchronization and
transcervical or laparoscopic FTAI

Caio Tacito Gomes Alvares1,*, Jurandir Ferreira de Cruz2, Antônio Jorge Moura Del Rei2,
Cláudio Coutinho Bartolomeu3
1
Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, BA, Brasil; 2Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Itapetinga, BA,
Brasil; 3Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, PE, Brasil.
*E mail: caioalvares@uol.com.br

A inseminação artificial possibilita o alcance do melhoramento genético em nível de campo, porém, em ovinos, a
anatomia da cérvice das ovelhas limita a realização da técnica em larga escala, por outro lado, a laparoscopia,
embora apresente resultados satisfatórios de fertilidade, é onerosa e requer equipamento e pessoal especializado.
Este trabalho teve como objetivo relacionar o perfil de estradiol com o status fisiológico de ovelhas submetidas à
IATF transcervical ou laparoscópica. Ovelhas Santa Inês foram sincronizadas com MAP por 12 dias mais
administração IM de 200 UI de eCG no D12. A IATF ocorreu em 55 ± 1 h, tanto pela IA transcervical (TC,
n=20), quanto laparoscópica (LA, n=20), utilizando sêmen congelado. Obteve-se amostra de soro sanguíneo 24 e
48 horas após fim do protocolo hormonal para dosagem de estradiol (E2), através do método Radioimunoensaio.
O diagnóstico de gestação foi realizado por ultrassonografia no D35, caracterizando o status fisiológico em vazia
e gestante. Para a comparação dos níveis séricos de E2 foi utilizado o teste SNK (P < 0,05). Em 24 e 48 horas
pós-protocolo, os níveis de E2 diminuíram nas ovelhas vazias do TC (6,57 e 3,77 pg/mL) e LA (5,35 e 3,02
pg/mL) e se elevaram nas ovelhas gestantes (2,35 e 3,84 pg/mL em TC; 1,77 e 4,16 pg/mL em LA),
respectivamente, com diferença significativa entre vazias e gestantes em 24h (P < 0.05). O perfil de E2 após
sincronização é caracterizado por um pico e subsequente declínio, logo seguido pelo pico de LH, que induz à
ovulação. Neste estudo, o mesmo protocolo hormonal foi realizado para as duas técnicas de IA, ocasionando
menor incidência de ovelhas gestantes em ambas (28,3% em TC e 32,3% em LA). Considerando a diferença do
perfil de E2 observada entre ovelhas gestantes e vazias, é possível admitir que o pico de E2 das ovelhas gestantes
ocorreu posteriormente ao das vazias, proporcionando, consequentemente, um tempo de LH e ovulação mais
adequado à IATF em 55±1 h. Portanto, o protocolo MAP 12 dias + eCG 200UI pode proporcionar reduzida
sincronização da ovulação e comprometer a taxa de fertilidade de ovelhas Santa Inês, independentemente da
deposição do sêmen ser via transcervical ou laparoscópica.

Palavras-chaves: eCG, inseminação artificial, MAP, ovinos, ovulação.


Keywords: artificial insemination, eCG, MAP, ovulation, sheep.

175
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Fetometria como ferramenta de conservação da raça morada nova


Fetometry as a conservation tool of the morada nova

Emanuela Polimeni de Mesquita1,*, Maiana Silva Chaves1, Sebastião Inocêncio Guido2, Antônio Santana
dos Santos Filho2, Fernando Lucas Torres de Mesquita2, Slannye Myrelle Silva Pereira Leal2, Cláudio
Coutinho Bartolomeu1, Marleyne José Afonso Accioly Lins Amorim1

1
Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Recife, PE, Brasil; 2Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA),
Recife, PE, Brasil.
*E-mail: polimeni.emanuela@gmail.com

A fetometria, realizada através da ultrassonografia, é uma importante ferramenta para a caracterização da


viabilidade e do desenvolvimento embrionário-fetal, permitindo uma avaliação morfológica dos fetos. A raça
morada nova é uma raça nativa do Brasil em risco de extinção devido à introdução no país de raças exóticas e
mais produtivas. A fetometria pode ser utilizada como ferramenta para auxiliar a conservação dessa raça através
da garantia de nascimento de crias clinicamente saudáveis. O objetivo de realização deste trabalho foi à
comparação através de fetometria de comprimento crânio-caudal (CCC), diâmetro bi-parietal (DBP), diâmetro
abdominal (DA), diâmetro torácico (DT), placentomas e frequência cardíaca, em ovelhas nulíparas/pluríparas e
gestações simples/gemelares. Foram avaliadas 11 ovelhas da raça morada nova, pertencentes à Fazenda
Cachoeira/Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), em estado de higidez, com idade entre 1 e 5 anos,
alimentadas com cana-de-açúcar moída, ração peletizada, sal mineral e água a vontade. Os animais foram
sincronizados e, cobertos com reprodutores da mesma raça. O presente estudo foi submetido ao Comitê de Ética
da UFRPE (CEUA), N°030/2012-004959/2012. Após os 20 dias de coberturas, as ovelhas foram submetidas à
primeira avaliação com ultrassom em tempo real (USTR). Os exames foram realizados com intervalo sete dias,
com os animais contidos em estação. Até os 40 dias de gestação e, o transdutor utilizado foi linear com
frequência de 6,0-7,5 MHz e, posteriormente a transdutor convexo com frequência de 6,0 MHz. Os dados foram
submetidos ao teste estatístico ANOVA com significância de 5%, correlação das mensurações entre
nulíparas/pluríparas. Foram observadas correlações altas e positivas para CCC (r= 0,95), o DBP (r= 0,83), DA
(r= 0,84), placentomas (r=0,88) e DT (r= 0,97). Comparando as fêmeas com gestações simples e gemelares onde
o CCC (r=0,99), DBP (r=0,96), DA (r=0,99), DT (r=0,99) e placentomas (r=0,97) tendo alta correlação positiva
entre os dois grupos. Além disso, não houve diferença estatística entre fêmeas nulíparas/pluríparas e gestações
gemelares/simples quando comparadas as medidas citadas. Com esses dados, pode-se afirmar que o
desenvolvimento embrionário e fetal de ovelhas morada nova nulíparas/pluríparas e com gestações simples ou
gemelares, ocorre de forma semelhante.

Palavras-chave: viabilidade, ovinos, nativos.


Key-words: viability , sheep , native.

176
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Favorecimento do nascimento de borregas pelo uso da inseminação artificial com sêmen


ovino resfriado a 4ºC em ACP-102®
Favoring the birth of lambs using artificial insemination with ram semen cooled to 4°C in ACP-102®

Ney Rômulo de Oliveira Paula1,*, Felipe Pereira da Silva Barçante1, Wagner Martins Fontes do Rêgo2,
Daniela Kunkel2, Apoxena Reis Soares Marafon2, Ana Lys Bezerra Barradas Mineiro1,
Willams Costa Neves1, Pollyana Oliveira da Silva1, Janaina de Fátima Saraiva Cardoso1,
Cristiane Clemente de Mello Salgueiro3, José Ferreira Nunes4
1
Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Piauí, Teresina, PI, Brasil, 2Programa de Pós-graduação em
Zootecnia, UFPI, Bom Jesus, PI, Brasil; 3Rede Nordeste de Biotecnologia-RENORBIO, Universidade Potiguar, Natal, RN,
Brasil; 4Rede Nordeste de Biotecnologia-RENORBIO, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza, CE, Brasil.
*E-mail: neyromulo@ufpi.edu.br

O estudo avaliou o efeito do uso de sêmen ovino diluído em ACP-102® com e sem gema de ovo e refrigerado a
4ºC por 12 horas sobre a taxa de fertilidade “in vivo” e a proporção sexual das crias nascidas após inseminação
artificial cervical de ovelhas deslanadas. Foi utilizado um reprodutor da raça Santa Inês e 59 matrizes mestiças
de Santa Inês. As matrizes foram divididas em três grupos, segundo o diluente utilizado: ACP-102® sem gema de
ovo e refrigerado a 4ºC por 12 horas (ACP-SG4); ACP-102® com 2,5% de gema de ovo e refrigerado a 4ºC por
12 horas (ACP-CG4); e ACP-102® sem gema de ovo e sem refrigeração (controle, ACP-SGF). As ovelhas
tiveram o estro sincronizado utilizando esponjas intravaginais impregnadas com 60 mg de acetato de
medroxiprogesterona que permaneceram por 14 dias e pela aplicação de 300 UI de eCG no momento da retirada
das esponjas (RE). A inseminação artificial foi realizada 55 horas após a RE. O diagnóstico de gestação foi
realizado com 30, 45 e 60 dias, observando o sexo das crias após o nascimento. Os dados foram analisados
através do teste de qui-quadrado. A taxa de gestação foi superior no grupo ACP-SGF (57,9% aos 30 dias e
52,6% aos 45 e 60 dias) em comparação ao grupo ACP-SG4 (25,0%) (p< 0,05). Já o grupo ACP-CG4 (40,0%)
não apresentou diferença em relação aos demais (p< 0,05). O percentual de crias fêmeas no grupo ACP-SG4 foi
superior (83,3%) em relação aos demais (p< 0,05). Em relação à quantidade de crias ao parto, observou-se que a
taxa de gestação gemelar nos grupos utilizando sêmen refrigerado em ACP-102® apresentou-se mais elevada.
Portanto, a adição da gema de ovo melhora a fertilidade do sêmen ovino diluído em ACP-102® e refrigerado a
4ºC, contudo o uso do diluente ACP-102® sem adição de gema de ovo proporciona o nascimento de maior
percentual de crias fêmeas em ovinos deslanados.

Palavras chave: pequenos ruminantes, sêmen resfriado, água de coco em pó.


Keywords: small ruminant, chilled semen, powdered coconut water.

177
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Expressão do mRNA para IGF-2 em oócitos e células do cumulus extraídos de folículos


antrais e pré-antrais de ovelhas nativas do estado de Pernambuco - Brasil
IGF-2 mRNA expression in oocytes and cumulus cells of antral and preantral native sheep follicles in
Pernambuco state - Brazil

Arthur Nascimento de Melo1, Diogo Manoel Farias da Silva2, Suzana Santino Nunes da Rocha2, Sandra
Silva Duarte2,*, Manoel Adrião Gomes Filho3, Ana Lúcia Figueiredo Porto3, Aurea Wischral4
1
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas, Manaus, AM, Brasil; 2Pós-graduando em Ciência
Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil; 3Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal, UFRPE, Recife, PE, Brasil;
4
Departamento de Medicina Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil.
*E-mail: sandrinhamargi@hotmail.com

O processo de crescimento e a maturação folicular são controlados por uma perfeita interação entre fatores
endócrinos, autócrinos e parácrinos. Diversos estudos têm comprovado que os fatores de crescimento, como
EGF, FGF, IGF, TGF-ß e KL são de grande importância durante este processo, os quais podem atuar de
diferentes formas sobre todas as fases da foliculogênese. Estes fatores de crescimento, que são produzidos pelo
oócito, células da granulosa e células da teca, frequentemente atuam modulando os efeitos de FSH e LH. A
foliculogênese pode ser desregulada quando um determinado fator de crescimento está ausente. Neste trabalho
objetivou-se avaliar a expressão do mRNA para o gene do fator de crescimento IGF-2 em oócitos e células do
cumulus de ovelhas em diferentes estágios do desenvolvimento folicular. Os folículos classificados
morfologicamente como antrais (terciários e pré-ovulatórios) foram aspirados manualmente para obtenção dos
oócitos e células do cumulus. Os folículos pré-antrais (secundários) foram extraídos do córtex ovariano, por
microdissecção, e os oócitos retirados. Nos dois grupos, os oócitos foram desnudados e agrupados em “pools” de
dez células cada (Grupo A; n=10; Grupo B; n=10) e dez amostras com grupos de células do cumulus (Grupo A1;
n=10; B1; n=10). O mRNA foi extraído e convertido em cDNA utilizando a técnica da RT-PCR, utilizando
Oligo DT randômico para o mRNA. A análise da expressão confirmou a expressão gênica para IGF-2 nos grupos
de oócitos e células do cumulus. Houve um aumento da expressão relativa do mRNA para IGF-2 nos grupos de
oócitos durante a fase mais tardia do desenvolvimento folicular e as diferenças foram consideradas significantes
(p < 0,05). Não houve variação significante da expressão de IGF2 entre os grupos de células do cumulus.
Conclui-se que o fator de crescimento IGF-2 tem níveis mais elevados de expressão em oócitos ovinos, na
segunda fase do desenvolvimento folicular, mas expressão semelhante em células do cumulus durante as fases
estudadas do desenvolvimento folicular.

Palavras-chaves: PCR, ovócitos, Santa Inês, gene.


Keywords: PCR, oocytes, Santa Inês, gene.

178
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Estratégias para melhorar a eficiência reprodutiva de fêmeas ovinas submetidas a um


protocolo de inseminação artificial em tempo fixo
Strategies to improve reproductive efficiency of sheep females subjected to artificial insemination protocol in
fixed time

Mariana Santos Ribeiro de Barros, Carlos Henrique Oliveira Calazans*, Marcos Chalhoub Coelho Lima,
Rodrigo Freitas Bittencourt, Danilo de Barros Vicente Ribeiro, Eliardo Rodrigues Flores, Fernando de
Lima Cardoso, Alexandra Soares Rodrigues, Walkíria Moura Barreto, Antonio de Lisboa Ribeiro Filho,
Mariana Alves de Andrade Silva

Departamento de Anatomia, Patologia e Clinicas, EMEVZ-UFBA, Salvador, BA, Brasil.


*E-mail: chenriquecalazans@gmail.com

Os protocolos hormonais para ovinos têm como base a utilização de uma fonte exógena de progesterona,
associados à prostaglandinas, gonadotrofina coriônica equina (eCG) e humana (hCG). A utilização de hCG em
protocolos hormonais para inseminação artificial em tempo fixo (IATF) busca antecipar e concentrar o momento
das ovulações, aumentando assim as taxas de concepção quando se utiliza sêmen congelado. No presente estudo
objetivou-se avaliar a taxa de concepção de ovelhas inseminadas em tempo fixo utilizando hCG em diferentes
momentos com relação à retirada da fonte exógena de progesterona em um programa de IATF. Utilizou-se 89
ovelhas mestiças paridas que foram submetidas ao seguinte protocolo de sincronização do estro e da ovulação:
Em um dia aleatório do ciclo estral denominado D0 inseriu-se um dispositivo intravaginal contendo 0,33 g de
progesterona (CIDR®, Zoetis, São Paulo, Brasil), no D6 os dispositivos foram retirados concomitantemente à
aplicação de 37,5µg de D- Cloprostenol (Prolise®, Tecnopec, São Paulo, Brasil) e 300UI de eCG (Novormon®
MSD Saúde Animal, São Paulo, Brasil) via intramuscular (i.m.). Neste momento, os animais foram
aleatoriamente divididos em três grupos experimentais: Grupo hCG 24 (n= 31) e hCG 36 (n=29) que receberam
200UI i.m. de hCG, respectivamente, 24 e 36 horas após a retirada dos dispositivos, enquanto o Grupo Controle
(n=30) recebeu 2mL de solução fisiológica i.m. para efeito placebo. As inseminações foram realizadas 52 horas
após a retirada do implante, pelo método laparoscópico utilizando sêmen criopreservado de um único reprodutor
da raça Santa Inês. O diagnóstico de gestação foi realizado por meio de ultrassonografia transretal 45 dias após
as inseminações, utilizando um transdutor linear de 5MHz. Os dados foram processados usando o Statistical
Package for Social Science (SPSS, versão 19), para comparar as diferenças entre as taxas de concepção nos
grupos experimentais empregou-se o teste Qui-quadrado (x²) com um nível de significância de 5%. De um total
de 89 ovelhas, 23 ficaram gestantes perfazendo um taxa de concepção geral de 25,80%. Os grupos hCG24,
hCG36 e Controle não diferiram estatisticamente entre si apresentando taxas de concepção, respectivamente, de
32,3% (10/30), 17,2% (5/29) e 27,6% (8/29). Os Índices médios de fertilidade deste estudo encontram-se abaixo
das taxas normalmente observada em programas de IATF em ovinos, provavelmente em decorrência das
condições ambientais desfavoráveis durante a realização do experimento que repercutiram em uma expressão de
estro abaixo do esperado, e consequentemente impactou na eficiência do programa de sincronização. Desta
forma, conclui-se que a utilização do hCG nos diferentes grupos experimentais, não implementou os resultados
obtidos em relação às taxas de concepção, no entanto novos estudos devem ser realizados em um maior número
de fêmeas.

Palavras-chave: indução da ovulação, hCG, inseminação artificial, ovino.


Keywords: induction of ovulation, hCG, artificial insemination, ovine.

179
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Successful transcervical uterine flushing in Morada Nova sheep


Sucesso na lavagem uterina transcervical em ovelhas Morada Nova

Jeferson Ferreira da Fonseca1,*, Fabiana Nunes Zambrini2, José Domingos Guimarães2,


Verônica Schinaider do Amaral Pereira3, Joanna Maria Gonçalves de Souza-Fabjan4, Ceci Ribeiro4,
Felipe Zandonadi Brandão4, Alexandre Rossetto Garcia3, Sergio Novita Esteves3, Rui Machado3
1
Embrapa Goats and Sheep, Sobral, CE, Brasil; 2Viçosa Federal University, Viçosa, MG, Brasil; 3Embrapa Southeast
Livestock, São Carlos, SP, Brasil; 4Fluminense Federal University, Niteroi, RJ, Brasil.
*E-mail: jeferson.fonseca@embrapa.br

Animal surgery procedures are being progressively restricted worldwide in the context of embryo transfer. In
small ruminants it becomes evident, and the needs for development of alternative and efficient non-surgical
techniques for embryo transfer had been emphasized. The objective of this study was to check the efficiency of a
combination of drugs to promote cervical relaxation for transcervical uterine flushing in a small-sized breed of
sheep. The so called Embrapa´s protocol for cervical relaxation in sheep was tested in Morada Nova sheep. The
study was carried out on September 2014 at Embrapa Southeast Livestock experimental station in São Carlos –
SP, Brazil. Four pluriparous non-lactating and non-mated ewes were randomly chosen from the 70 females herd.
They received 37.5 g d-cloprostenol and 1 mg estradiol benzoate i.m. 18 h before uterine flushing plus 50 IU of
oxytocin i.v. 20 min before uterine flushing. Ewes were prepared for transcervical uterine flushing as reported
earlier for goats (Fonseca et al.; Small Rumin. Res., 111:96-99, 2013). Preparation included superficial sedation,
epidural and cervical anesthesia, introduction of Collin vaginal speculum into the vagina and cervical
visualization. Pozzi forceps were changed by a special non-traumatic forceps inserted into and under cervical
opening when cervix was immobilized and gently tract back. Then, a number 8 sterile urethral catheter coupled
to a metal mandrel was used to bypass cervical rings. Resistance was overcome after total transposition of rings.
Mandrel was removed and the catheter coupled to closed circuit with flushing medium. A total of 80 mL of
flushing medium was injected per ewe. Data were reported in a descriptive form. Cervical transposition was
performed in all ewes. The total time spent since speculum introduction and cervical transposition was less than
five minutes. All infused volume was recovered in three ewes, and the other ewe allowed recovering 70 mL.
These preliminary results encourage the use of the Embrapa protocol for cervical relaxation in Morada Nova
sheep. If consolidated, these findings possibly will give support to multiple ovulation and embryo transfer
programs to this special and important Brazilian sheep breed.

Keywords: cervical dilation, non-surgical embryo transfer, Morada Nova, sheep.


Palavras-chave: dilatação cervical, transferência de embriões não cirúrgica, Morada Nova, ovino.

Financial support: Embrapa (Project 03.12.01.031.00.00) and Fapemig (Project CVZ-PPM 00042-14).

180
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Prevenção da formação de aderências abdominais em ovelhas doadoras de embriões


com dexametasona diluída em ringer com lactato
Prevention of adhesion abdominal formation in ewe embryo donors with dexametasone diluted in
ringer with lactate

Marcelo Carvalho dos Santos1,*, Carlos Renato de Freitas Guaitolini, Vagner Sarmento Arêas,
Fernando Borges Miranda, Eduardo Shimoda, Marcelo Rezende Luz2
1
Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, UENF, RJ, Brasil;
2
Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, UFES, ES, Brasil.
*E-mail: mcs.vet@gmail.com

Objetivou-se com este estudo avaliar a eficácia de duas soluções na prevenção da formação de aderências em
ovelhas submetidas a sucessivas colheitas cirúrgicas de embriões. Oito ovelhas mestiças foram superovuladas
pela aplicação de 250 UI de FSH e a colheita de embriões realizada no D7. Nas ovelhas do G1 (n=4),
imediatamente antes da celiorrafia, foi infundida na cavidade abdominal dexametasona (0,25 mg/kg) diluída em
ringer com lactato (q.s.p. 75mL) e no G2 (n=4), vitamina E (100 mg/kg) diluída em azeite de oliva (q.s.p.
75mL). Não foi observada diferença significativa (P> 0,05) entre grupos e entre avaliações quanto às aderências
e grau de exteriorização uterina. A exteriorização uterina foi possível em todos os animais do G1, nas três
avaliações; já nos animais do G2 não foi possível em 25% dos animais na segunda colheita embrionária e em
75% dos animais na terceira colheita e à necropsia. Os valores séricos médios de fibrinogênio, mucoproteína e
proteína C reativa não diferiram entre grupos e entre os dias de observação (D-1, D3, D6 e D15, onde D0 = dia
da cirurgia) (P< 0,05). As taxas médias de recuperação embrionária foram similares em ambos os grupos (P< 0,05).
Conclui-se que a solução de dexametasona diluída em ringer com lactato, na dose e volume usados, é eficaz na
prevenção da formação de aderências abdominais em ovelhas submetidas a sucessivas colheitas cirúrgicas de
embriões; permite a realização de até quatro colheitas cirúrgicas consecutivas; e que as concentrações séricas das
proteínas mensuradas não são influenciadas pelas soluções utilizadas.

Palavras-chave: aderências pós-operatórias, colheita cirúrgica, dexametasona, ringer com lactato, proteínas de
fase aguda.
Keywords: post-operative adhesions, surgical collection, dexametasone, ringer with lactate, acute phase
proteins.

181
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito do número de seções de aspiração folicular sobre a resposta ovariana e


recuperação de complexos cumulus-oócito de ovelhas Santa Inês
Effect of follicular aspiration sections number on ovarian response and recovery of cumulus-oocyte complexes
in Santa Ines ewes

Carlos Augusto Alanis Clemente1,*, Beatriz Parzewski Neves2, Guilherme de Oliveira Andrade2, Eduardo
Kenji Nunes Arashiro2, Mayara Ferreira Brito2, Ana Maria Echeverri2, Carlos Magno Azevedo Silva1,
Valentin Gheller2, Iran Borges2, Marc Henry2
1
Centro de Ciências Humanas, Sociais e Agrárias UFPB, Bananeiras, PB, Brasil; 2Escola de Veterinária, UFMG,
Belo Horizonte, MG, Brasil.
*E-mail: clemente.caa@gmail.com

Nos últimos anos, as biotécnicas têm se desenvolvido amplamente em diversas espécies e são consideradas
primordiais nos programas de melhoramento genético. Nesse sentido, a técnica de aspiração folicular por
videolaparoscopia em pequenos ruminantes tornou-se consagrada por apresentar baixos riscos à fertilidade das
doadoras. Contudo, pouco se sabe sobre os resultados de repetidas sessões de aspiração folicular guiada por
videolaparoscopia em ovelhas Santa Inês. No presente trabalho buscou-se avaliar o efeito de repetidas seções de
aspiração folicular em ovelhas Santa Inês sobre a resposta ovariana e a recuperação dos complexos cumulus-
oócito (CCOs). Para alcançar este objetovo, sete ovelhas Santa Inês foram sincronizadas através da inserção de
esponjas intravaginais (60 mg de Acetato de medroxiprogesterona) no dia 0 e aplicação IM de 75µg de D-
cloprostenol no dia 7. O crescimento folicular foi estimulado com dose única de FSH (70 mg NIH-FSH-P1) mais
eCG (300 UI) 48 horas antes de cada seção de aspiração folicular. As esponjas foram substituídas no dia 10 (dia
da 1ª aspiração) e removidas no dia 24 (dia da 3ª e ultima aspiração). As demais seções de aspiração foram
realizadas nos dias 17 e 24, todas através da punção folicular guiada por videolaparoscopia. Através dos
resultados encontrados, verificou-se uma maior média de folículos ovarianos aspirados (15,9 ± 4,0) no momento
da primeira seção de aspiração (P < 0,05), comparado as outras duas seções, que tiveram médias (13,0 ± 3,1 e
12,9 ± 4,2) parecidas na segunda e terceira seções de aspiração, respectivamente. Já as médias de COCs
recuperados (8,1 ± 2,8, 7,1 ± 3,4 e 7,6 ± 2,2) e as taxas de recuperação (51,4% (57/111), 54,9% (50/91) e 58,9%
(53/90) na primeira, segunda e terceira seção de aspiração, não foram influenciadas (P > 0,05) pelas repetidas
seções de aspiração. Resultados obtidos em outros estudos utilizando a aspiração por videolaparoscopia após a
administração “oneshot” de FSH/eCG foram semelhantes aos encontrados neste trabalho, com médias de 11,4 a
16,3 folículos aspiráveis por ovelha e taxas de recuperação de CCOs por folículos aspirados entre 50% e 87%.
Conclui-se que até três repetições de aspiração folicular por video laparoscopia não interfere na capacidade de
produção de oócitos em ovelhas da raça Santa Inês.

Palavras-chave: folículo, oócito, ovinos, Santa Inês.


Keywords: follicle, oocyte, Santa Ines, sheep.

182
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito de análogo da prostaglandina E1 (Misoprostol) em inseminação artificial


transcervical em ovelhas Santa Inês
Effect of prostaglandin E1 analogous (Misoprostol) in transcervical artificial insemination in Santa Ines ewes

Flávia Camila Siqueira Pereira Ramalho1, André Mariano Batista2, Breno Barros Santana1, Thiago
Ramalho Vianna3, Oswaldo Christiano Gomes Neto4, Gustavo Ferrer Carneiro1,*
1
UFRPE/UAG Garanhuns, PE, Brasil; 2UFRPE Recife, PE, Brasil; 3Poligen Embriões in vitro Canhotinho, PE, Brasil;
4
Centro de Equinos de Pernambuco CEPE, Gravatá, PE, Brasil.
*E-mail: gustavo@uag.ufrpe.br

Na espécie ovina, devido às características anatômicas da cérvix, apresentando anéis tortuosos e reduzido
diâmetro de orifício, a inseminação artificial (IA) intrauterina por laparoscopia é a principal técnica utilizada.
Esta, contudo, apresenta várias limitações, por se tratar de um procedimento cirúrgico, exigir a utilização de
equipamentos de alto custo e mão de obra especializada. Como alternativa para a realização de IA em ovinos,
utiliza-se a técnica por via transcervical, que por se tratar de um método não cirúrgico, apresenta menor custo.
Este trabalho teve por objetivo avaliar o efeito da aplicação intravaginal de um análogo da prostaglandina E1
(Misoprostol), sobre o relaxamento muscular e dilatação da cérvix ovina, visando o relaxamento cervical no
momento da inseminação artificial para permitir uma deposição mais adequada do sêmen em ovelhas Santa Inês.
Foram utilizadas 59 ovelhas da raça Santa Inês, pluríparas, hígidas, com faixa etária de dois a cinco anos, com
escore corporal entre 2,0 a 3,5 mantidas em regime semi-intensivo de manejo, alimentadas, diariamente, com
pasto de braquiária (Brachiaria sp.) e 200 gramas diárias de ração comercial, além de suplementação mineral e
água à vontade. Os animais foram divididos aleatoriamente em 3 grupos: Controle (GC - n=16 ovelhas),
Tratamento (T1- n=15 ovelhas) e Controle positivo (C+ - n=28 ovelhas) submetido a inseminação laparoscópica.
Em todos os grupos a sincronização do estro foi efetuada com dispositivos vaginais contendo 60 mg de MPA
(acetato de medroxiprogesterona) durante 12 dias e 400 UI de eCG i.m. (Novormon®, Syntex), no momento da
remoção. Cinco horas antes da IA, o grupo T1 recebeu um comprimido no ósteo cervical contendo 200 μg de
Misoprostol (Prostokos®, Hebron) por via transvaginal, por outro lado, o grupo GC recebeu um placebo. A IA
por via cervical foi realizada 58 ± 2 horas após retirada da esponja sem prévia detecção do estro, em todas as
ovelhas (grupos Controle e Tratamento), com uma dose de sêmen congelado proveniente de carneiro com
fertilidade comprovada contendo 60 milhões de espermatozoides totais por dose. Para a inseminação
laparoscópica, as ovelhas foram mantidas em jejum alimentar e hídrico durante 24 horas. Para análise estatística
foi utilizado o teste de Mann-Whitney U (Statsoft, Inc, 1995). Adotando-se o nível de 5% como limiar de
significância. Não houve diferença significativa entre a média do tempo de inseminação transcervical entre os
grupos controle (6,4 ± 2,1 minutos) e tratamento (5,3 ± 2,6 minutos). Não foi encontrada diferença significativa
na taxa de prenhez das IA entre GC (2/16 – 12,5%) e T1 (3/15 – 20%), entretanto foi encontrada diferença
significativa quando comparada o C+ (15/28 – 53,5%) com a técnica transcervical (16%). A taxa de prenhez na
inseminação trancervical foi considerada abaixo da descrita na literatura e o efeito cévico-dilatador do T1 não
ficou evidenciado já que não houve diferença no tempo de IA nem nas taxas de prenhez entre os grupos GC e T.
A técnica de laparoscopia apresentou um resultado muito favorável quando comparado com a técnica
transcervical. Maiores estudos serão necessários utilizando-se a associação de diferentes dilatadores cervicais
assim como um número maior de animais.

Palavras-chave: ovino, inseminação, laparoscopia, misoprostol.


Keywords: ovine, insemination, laparoscopy, misoprostol.

183
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Efeito da aplicação intravaginal de substâncias dilatadoras da cérvix na IATF em ovinos


Santa Inês
Effect of intravaginal application of substances dilating the cervix in IATF in Santa Ines sheep

Felipe Pereira da Silva Barçante1,*, Filipe Nunes Barros1, Yndyra Nayan Teixeira Carvalho1, Willams
Costa Neves2, Pollyana Oliveira da Silva3, Marlon de Araújo Castelo Branco1, Sávio Ruan Sampaio de
Sousa1, Pâmela Chiristina Magalhães1, Luiz Harliton Cavalcante Monteiro Mota1, Antonio de Sousa
Junior1, Isolda Marcia Rocha do Nascimento1, José Adalmir Torres de Souza1
1
Departamento de Clinica e Cirurgia Veterinárias, CCA,UFPI, Teresina, PI, Brasil; 2Departamento de Morfofisiologia
Veterinária, CCA,UFPI, Teresina, PI, Brasil; 3Departamento de Zootecnia, CCA,UFPI, Teresina, PI, Brasil.
*E-mail: felipebarcante@veterinario.med.br

A cérvix ovina apresenta uma insuficiente abertura no momento do estro, isso proporciona um fator limitante nas
inseminações artificiais para esta espécie. Com isso o presente trabalho tem por objetivo avaliar o efeito da
utilização de duas substância o misoprostol e o clenbuterol na dilatação do canal cervical e sua interferência na
IATF. Foram utilizadas 30 ovelhas da raça Santa Inês, que tiveram o estro sincronizado utilizando esponjas
intravaginais impregnadas com 60 mg de acetato de medroxiprogesterona-MAP por 14 dias com aplicação de
300UI de eCG no momento da retirada das esponjas. A inseminação artificial foi realizada 55 horas após a
retirada da esponja utilizando sêmen resfriado por 12 horas. Os animais foram distribuídos em dois tratamentos:
tratamento 1 (n=10), controle, sem aplicação de substâncias dilatadoras da cérvix por via intravaginal antes da
inseminação artificial, tratamento 2 (n=10), com aplicação prévia de 200μg de misoprostol no fundo do saco
vaginal, cinco horas antes da inseminação artificial, e tratamento 3 (n=10), com aplicação prévia de 0,04mg de
clenbuterol no fundo do saco vaginal, cinco horas antes da inseminação artificial. O diagnóstico de prenhez foi
realizado aos 30 e 45 dias de gestação. Os resultados foram analisados pelo SAS e submetidos à análise de
variância (ANOVA) através do teste de qui-quadrado ao nível de 5%. Não houve diferença significativa
(P<0,05) entre os grupos misoprostol, clenbuterol e controle, com relação à penetração da cérvix, intra uterina
(60, 20 e 20%) e cervical profunda (20, 10 e 10%) respectivamente, porém observou-se diferença estatística
(P<0,05) em relação as inseminações por via cervical superficial em relação as grupos tratados (20, 70 e 80%),
respectivamente. Não houve diferença significativa (P<0,05) entre a taxa de prenhes (60, 40 e 80%) entre os
grupos misoprostol, clenbuterol e controle respectivamente. Com isso, conclui-se que dentre os dilatadores de
cérvix utilizados o misoprostol apresentou melhores resultados como dilatador da cérvix ovina para utilização
das biotecnologias reprodutivas. O clenbuterol e o misoprostol não interferem nos índices de gestação.

Palavras-chave: ovinos, misoprostol, clenbuterol, cérvix, inseminação artificial.


Keywords: sheep, misoprostol, clenbuterol, cervix, artificial insemination.

184
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação de duas doses de eCG na indução do estro sincronizado em ovelhas leiteiras


da raça Lacaune em contra-estação reprodutiva no Rio de Janeiro
Assessment of two different doses of eCG in induction of synchronized oestrus in dairy sheep in the non-breeding
season in Rio de Janeiro State, Brazil

Ana Clara Sarzedas Ribeiro1,*, Mário Felipe Alvarez Balaro1, Karina Frensel Delgado1,
Daniel Andrews de Moura Fernandes1, Jeferson Ferreira da Fonseca2, Felipe Zandonadi Brandão1
1
Departamento de Patologia e Clínica Veterinária, Setor de Reprodução Animal, Universidade Federal Fluminense, Niterói,
RJ, Brasil; 2Embrapa Caprinos e Ovinos, Coronel Pacheco, MG, Brasil.
*E-mail: ac_sarzedas@id.uff.br

Objetivou-se avaliar a eficiência da aplicação de distintas doses de gonadotrofina coriônica equina (eCG) em
protocolo de indução do estro sincronizado em ovelhas leiteiras da raça Lacaune durante a contra-estação
reprodutiva no Estado do Rio de Janeiro. O experimento foi conduzido no município de Vassouras/RJ
(latitude 22°24’14’’S) em setembro de 2013. Foram utilizadas 40 ovelhas (19 multíparas e 21 nulíparas),
mantidas sob regime semi-intensivo e randomizadas em dois grupos experimentais: G300UI (n=21; 2,7 ± 1,4 anos;
ECC 2,9 ± 0,3) e G400UI (n=19; 2,3 ± 1,3 anos; ECC 2,8 ± 0,2). A indução do estro sincronizado foi realizada a
partir da introdução de um dispositivo intravaginal contendo progestágeno natural (Easi-Breed CIDR®, Pfizer
Saúde Animal, São Paulo, Brasil), por seis dias. No quinto dia foi feita a administração intramuscular de 37,5 ug
de D-cloprostenol (Prolise ®, Tecnopec LTDA, São Paulo-SP, Brasil) e 300UI ou 400UI de eCG (Novormon®,
Zoetis LTDA, São Paulo-SP, Brasil) nos respectivos grupos. Vinte e quatro horas após a retirada do implante, as
ovelhas foram apresentadas a cinco carneiros (relação macho:fêmea 1:8) para observação dos sinais de estro e
realização de monta natural controlada. Após 30 dias, foi realizada a ultrassonografia transretal para diagnóstico
de gestação. Os dados foram submetidos à análise de variância e teste Tukey (P<0,05). A taxa de ovelhas em
estro e gestação foi avaliada pelo teste exato de fisher (P<0,05). A taxa de animais em estro (G300UI: 76,2%
versus G400UI: 68,4%), gestação (G300UI: 57,1% versus G400UI: 52,6%) e o índice de prolificidade (G300UI: 1,3 ± 0,7
versus G400UI: 1,6 ± 0,5) não diferiram entre os grupos experimentais (P>0,05). Em conclusão, não foi observado
o custo-benefício da aplicação de 400UI de eCG. Assim, recomenda-se a dosificação de 300UI desta
gonadotrofina em protocolos hormonais de indução do estro sincronizado em ovelhas leiteiras Lacaune na
contra-estação reprodutiva na região estudada.

Palavras-chave: gonadotrofina coriônica equina, ovinos, prolificidade, taxa de prenhez.


Keywords: equine chorionic gonadotropin, sheep, prolificity, pregnancy rate.

185
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Avaliação de dois protocolos hormonais a base de d-cloprostenol para sincronização do


estro em ovelhas leiteiras da raça Lacaune em estação reprodutiva no Rio de Janeiro
Assessment of two hormonal protocols using D-cloprostenol for oestrus sincronization in dairy sheep during the
breeding season in Rio de Janeito State, Brazil

Pedro Henrique Nicolau Pinto1,*, Mário Felipe Alvarez Balaro1, Ana Clara Sarzedas Ribeiro1,
Karina Frensel Delgado1, Daniel Andrews de Moura Fernandes1, Luiza Mattos Cavalcanti1,
Jeferson Ferreira da Fonseca2, Felipe Zandonadi Brandão1
1
Departamento de Patologia e Clínica Veterinária, Setor de Reprodução Animal, Universidade Federal Fluminense, Niterói,
RJ, Brasil; 2Embrapa Caprinos e Ovinos, Coronel Pacheco, MG, Brasil.
*E-mail: pedropintoufpr@gmail.com

Objetivou-se avaliar a eficiência de tempos distintos do d-cloprostenol em protocolo para sincronização do estro
em ovelhas leiteiras da raça Lacaune durante a estação reprodutiva no Rio de Janeiro. O experimento foi
conduzido no município de Vassouras/RJ (latitude 22°24’14’’S) em maio de 2013. Foram utilizadas 52 ovelhas
(37 multíparas e 15 nulíparas), mantidas sob regime semi-intensivo e randomizadas em dois grupos
experimentais: G7dias (n=25; 2.6 ± 1.2 anos; ECC 3.0 ± 0.3) e G9dias (n=27; 2.6 ± 1.3 anos; ECC 3.0 ± 0.2). A
sincronização do estro foi realizada a partir da aplicação intramuscular de duas doses de 37,5 ug de d-
cloprostenol (Prolise ®, Tecnopec LTDA, São Paulo-SP, Brazil) com intervalos de sete (G7dias) ou nove dias
(G9dias). Vinte e quatro horas após a segunda dose de d-cloprostenol, iniciou-se a observação dos sinais de estro e
da monta natural controlada utilizando-se seis carneiros adultos (relação macho:fêmea 1:8). Após 30 dias, foi
realizada a ultrassonografia transretal para diagnóstico de prenhez. Os intervalos da administração da segunda
dose de prostaglandina ao início e fim do estro e a duração do estro foram submetidos à análise de variância e
teste Tukey (P<0,05). As taxas de ovelhas em estro e gestação foram avaliados pelo teste exato de fisher
(P<0,05). A taxa de animais em estro (G7dias:80,0% vs G9dias: 77,8%), a duração do estro (G7dias: 40,2 ± 12,5 h vs
G9dias: 37,1 ± 8,4 h), o intervalo entre a segunda dose de d-cloprostenol e o fim do estro (G7dias: 71,7 ± 8,1 h vs
G9dias: 74,9 ± 7,1 h) e a taxa de prenhez (G7dias: 68,0% vs G9dias: 51,9%) não diferiram entre os grupos
experimentais (P>0,05). Já o intervalo entre a aplicação da dose de prostaglandina e o início do estro foi menor
(P<0,05) no G7dias (31,5 ± 7,8 h) quando comparado ao G9dias (37,8 ± 7,2 h). Parte deste resultado pode ser
justificado ao fato da segunda dose de d-cloprostenol do G7dias ter sincronizado melhor com a primeira onda
folicular pós aplicação da primeira dose e a presença de folículos em fase final de crescimento, quando
comparado ao grupo G9dias. Em conclusão, ambos protocolos hormonais podem ser adotados efetivamente como
métodos de sincronização do estro em ovelhas leiteiras da raça Lacaune na estação reprodutiva.

Palavras-chave: duração do estro, ovinos, prostaglandina, taxa de prenhez.


Keyworks: oestrus duration, sheep, prostaglandin, pregnancy rate.

186
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Associação do efeito macho e duas doses cloprostenol para indução de estro sincronizado
em ovelhas Santa Inês na região da Mata Atlântica de Minas Gerais
Association of the male effect and two doses of cloprostenol to induce synchronous estrus in Santa Inês Sheep
in the Atlantic Forest of Minas Gerais

Jader Forquim Prates1,*, Fernanda Rocha Batista de Oliveira2, Ana Lúcia Rosa e Silva Maia3, Paula Pires
do Nascimento Penido4, Maria Izabel Carneiro Ferreira5, Jeferson Ferreira da Fonseca5
1
Embrapa Gado de Leite, Juiz de Fora, MG, Brasil; 2Unipac-JF, Juiz de Fora, MG, Brasil; 3Universidade Federal Fluminense,
Niterói, RJ, Brasil; 4Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil; 5Embrapa Caprinos e Ovinos,
Sobral, CE, Brasil.
*E-mail: jader.forquimprates@yahoo.com.br

O objetivo deste estudo foi testar a eficiência da associação do efeito macho e uso de duas doses de cloprostenol
na indução de estro sincronizado em ovelhas Santa Inês. O estudo foi conduzido entre os meses de novembro a
janeiro, no município de Coronel Pacheco – MG. Um total de 27 ovelhas foi equitativamente dividido de acordo
com peso (kg) e escore da condição corporal (ECC; variação 1 a 5) em três grupos experimentais. Todas as
ovelhas foram geograficamente afastadas dos machos por 30 dias. Em T1 (n=9; 54,7±12,7 kg; 3,1±0,8) as
ovelhas não receberam cloprostenol. Em T2 (n=9; 55,9±13,0 kg; 3,1±0,8) e T3 (n=9; 57,4±12,9 kg; 3,4±0,3) as
ovelhas foram preparadas para receberem duas doses de 37,5 g d-cloprostenol (Prolise®, ARSA S.R.L., Buenos
Aires, Argentina) latero-vulvar intervaladas de 7 ou 11,5 dias respectivamente. As ovelhas de T3 receberam a
primeira dose de cloprostenol seis dias antes das ovelhas de T2. Apenas ovelhas que não manifestaram estro
após primeira dose de cloprostenol receberam a segunda dose. As ovelhas de T2 e T3 ficaram em baias
separadas com quatro e cinco ovelhas do T1 cada. As aplicações de cloprostenol ocorreram sempre no início da
manhã, exceto a segunda dose do T3 que ocorreu ao final da tarde. Os machos foram colocados nas baias 12
horas após a primeira aplicação de cloprostenol, onde permaneceram durante a noite com colete marcador por
quatro noites consecutivas. O início do estro foi caracterizado pela observação da marcação das ovelhas pela
manhã, quando os machos eram removidos. Os dados são apresentados na forma descritiva (P>0,05). O intervalo
para o estro nas ovelhas de T3 foi de 51,0±27,0 h com 88,9 % de estro (8/9). Para as ovelhas de T2, o intervalo
para o estro foi de 45,0±15,4 h com 88,9 % de estro (8/9). Das ovelhas de T1, presentes com ovelhas de T3, três
manifestaram estro entre 24 (2) e 96 (1) horas após a aplicação de cloprostenol. Nenhuma das ovelhas de T1
presentes com ovelhas de T2 manifestaram estro após a primeira aplicação de cloprostenol. Todas as ovelhas de
T1 presentes com ovelhas de T2 manifestaram estro 24, 72, 96 e 120 horas após a segunda de cloprostenol. As
ovelhas de T2 e T3 que não manifestaram estro após a primeira aplicação de cloprostenol, apresentaram estro 96
e 36 horas, respectivamente após a segunda aplicação de cloprostenol. A taxa de gestação das ovelhas acasaladas
foi de 14,3 (1/7), 22,2 (2/9) e 22,2 (2/9) para T1, T2 e T3 respectivamente. Das duas ovelhas acasaladas após a
segunda dose de cloprostenol uma ficou gestante (T3). Apesar de haver um elevado número de animais em estro
após a primeira aplicação de cloprostenol, a taxa de gestação deste primeiro estro associado ao efeito macho teve
baixa fertilidade. Nas condições deste estudo, isto sinaliza para a não utilização deste estro em uma estratégia de
sincronização de estro em ovelhas Santa Inês visando acasalamento assistido.

Palavras-chave: efeito macho, cloprostenol, estro, Santa Inês, ovino.


Keywords: male effect, cloprostenol, estrus, Santa Inês, sheep.

Suporte financeiro: Embrapa (Projeto 03.12.01.031.00) e Fapemig (Projeto CVZ-PPM 00042-14).

187
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Retorno da ciclicidade de ovelhas lactantes da raça Santa Inês até 105 dias pós-parto
com amamentação contínua dos cordeiros em clima tropical quente úmido
Return of cyclicity of Santa Ines lactating ewes to 105 days after birth with continued suckling of lambs in warm
and humid tropical climate

Anna Beatriz Veltri Peneiras1,*, Leonardo Lomba Mayer1, Karina Delgado Frensel1,
Aline Carvalho de Araújo1, Ricardo Lucena, Hugo Escudini1, Daniel Andrews1,
Jeferson Ferreira da Fonseca2, Elyzabeth da Cruz Cardoso1, Felipe Zandonadi Brandão1
1
Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária da Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil; 2Embrapa
Caprinos e Ovinos, Sobral, CE, Brasil.
*E-mail: annaveltri@id.uff.br

O reinicio da atividade cíclica ovariana deve ocorrer para assegurar o sucesso da concepção pós-parto e
aumentar a produção ovina de maneira rápida e econômica. O anestro pós-parto em ruminantes é uma importante
causa de baixo desempenho reprodutivo e de perdas econômicas para os produtores. Esse período de lactação
promove déficit energético e para manter-se a fêmea suprime o ciclo estral, retardando o estro pós-parto. Ainda
não está claro se a amamentação potencializa o efeito inibitório dos opióides endógenos sobre a secreção de
GnRH em ovelhas nos trópicos e também se sugere que a nutrição seja o fator mais importante a influenciar o
retorno da atividade ovariana. As fêmeas são consideradas em período anovulatório quando as concentrações de
progesterona menores que 1,0ng/ml por mais de duas amostras consecutivas num período igual ou maior que 10
dias (Minton et al., 1991). Objetivou-se avaliar o retorno da ciclicidade em ovelhas lactantes da raça Santa Inês
no pós-parto em clima tropical quente úmido. Estudo foi realizado em 17 ovelhas lactantes da raça Santa Inês,
idade média de 36 meses, peso superior a 30 kg e condição de escore corporal (ECC) entre 2,75 a 3,0. As
avaliações de ECC, pesagem e colheita de sangue foram realizadas em intervalos de quinze dias. A determinação
das concentrações plasmáticas de progesterona foi realizada pela técnica de radioimunoensaio. As concentrações
de progesterona nos diferentes tempos foram submetidas à análise de Bonferroni (BioEstat 5.0). Quinze dias
antes e nos 15, 30, 45, 60, 75, 90 e 105 dias pós-parto, as fêmeas apresentaram concentração plasmática de
progesterona (ng/mL), respectivamente, 15,64±3,64; 0,53c±0,2; 1,03c±0,99; 1,05c±0,73; 2,34ab±2,51; 2,22ab
±2,15; 1,76abc±1,53; 2,75a± 2,08. Observou-se média superior 1,0ng/mL a partir de 30 dias pós-parto, sendo que
29,41% (5/17) das fêmeas lactantes retornaram a ciclicidade e nas avaliações seguintes 35,29% (6/17), 58,82%
(10/17), 50% (7/14), 50% (7/14) e 71, 43% (10/14). Quanto ao ECC e o peso as fêmeas apresentaram antes e no
pós-parto os seguintes valores: 2,94±0,26 e 58,84a±6,58 Kg; 3,18±0,28 e 54,65ab±6,8 Kg; 3,16±0,33 e 53,
61ab±7,01 Kg; 3,07± 0,25 e 51,06ab±5,92 Kg; 2,99±0,22 e 52,41ab±5,79 Kg; 2,93±0,32 e 50,71ab±5,75 Kg;
2,95±0,26 e 50,76ab±6,05Kg; e 2,86±0,23 e 48,53b± 6,62Kg.  Dessa forma, as fêmeas lactantes demonstraram
perda progressiva de peso ao longo do período devido ao déficit energético da lactação e com 105 dias pós-parto
apresentou o menor peso (48,53±6,62Kg) e foi quando ocorreu a maior média da concentração de progesterona
(2,75 ± 2,08 ng/ml) e maior porcentagem de fêmeas ciclando (71,43%). Outro fato relevante é que a partir dos 60
dias de pós-parto as porcentagens de ovelhas ciclando começaram aumentar coincidindo com a diminuição das
mamadas pelos cordeiros, devido ao aumento de pastejo e independência da relação maternal. Com isso,
demonstrou-se que mesmo com perda de peso as ovelhas da raça Santa Inês voltaram a atividade cíclica a partir
dos 30 dias pós-parto e a partir dos 60 dias pós-parto um maior número de ovelhas voltou a ciclar, coincidindo
com a diminuição das mamadas e aumento de pastejo dos cordeiros.

Palavras-chave: progesterona, anestro, peso, escore corporal.


Keywords: progesterone, anestrous, weight, body condition score.

188
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Expressão do mRNA para BMP-15 em oócitos e células do cumulus extraídos de


folículos antrais e pré-antrais de ovelhas nativas do estado de Pernambuco - Brasil
BMP-15 mRNA expression in oocytes and cumulus cells of antral and preantral native sheep follicles in
Pernambuco State - Brazil

Aurea Wischral1, Diogo Manoel Farias da Silva2, Suzana Santino Nunes da Rocha2,*,
Manoel Adrião Gomes Filho3, Ana Lúcia Figueiredo Porto3, Arthur Nascimento de Melo4
1
Departamento de Medicina Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil; 2Pós-graduando em Ciência Veterinária, UFRPE,
Recife, PE, Brasil; 3Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal, UFRPE, Recife, PE, Brasil; 4Instituto Federal de
Educação Ciência e Tecnologia do Amazonas, Manaus, AM, Brasil.
*E-mail: suzanasnr@gmail.com

A proteína BMP-15 (bone morphogenetic protein) é um fator de crescimento expresso em oócitos que atua no
desenvolvimento e manutenção da foliculogênese. Essa proteína atua promovendo mitoses celulares, diminuindo
a expressão do receptor do hormônio folículo estimulante (FSHR) e estimulando os fatores ligados à expressão,
todos exercendo um papel importante na fertilidade em mamíferos. Objetivou-se analisar a expressão do mRNA
da BMP15 em oócitos e células do cumulus de ovários ovinos em diferentes estágios do desenvolvimento
folicular. Os folículos classificados morfologicamente como antrais (terciários e pré-ovulatórios) foram
aspirados manualmente para obtenção dos oócitos e células do cumulus. Os folículos pré-antrais (secundários)
foram extraídos do córtex ovariano, por microdissecção, e os oócitos retirados. Nos dois grupos, os oócitos
foram desnudados e agrupados em “pools” de dez células cada (Grupo A; n=10; Grupo B; n=10) e dez amostras
com grupos de células do cumulus (Grupo A1; n=10; B1; n=10). O mRNA foi extraído e convertido em cDNA
utilizando a técnica da RT-PCR. As amostras de cDNA foram amplificadas por PCR, apresentando bandas em
torno de 250bp. Após sequenciamento, constatou-se que as mesmas apresentavam homologia com gene da
proteína BMP-15. A análise da expressão foi realizada pela técnica de qPCR (PCR real time) confirmando
expressão gênica para BMP15 nos oócitos, mas não em células do cumulus. Houve um aumento da expressão
relativa do mRNA da BMP15 durante a fase mais tardia do desenvolvimento folicular e as diferenças foram
consideradas significantes (p < 0,05). Conclui-se que a proteína BMP-15 tem níveis mais elevados de expressão
em oócitos ovinos na segunda fase do desenvolvimento folicular nas condições adotadas.

Palavras-chave: PCR, ovócitos, Santa Inês, gene.


Keywords: PCR, oocytes, Santa Inês, gene.

189
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Histopatologia e imuno-expressão de progesterona (PR) e estrógeno alfa (ERα) em


cotilédones fetais de cordeiros da raça Santa Inês oriundos de transferência embrionária
Histopathological and immunostaining of progesterone (PR) and estrogen alpha (ERα) in fetal cotyledons from
lambs Santa Inês breed originating from embryo transfer

Josiane Adelaide Camargo Lourenção1, Isadora Frazon Costa1, Francisco Eduardo Martinez2,
Noeme Sousa Rocha1, Nereu Carlos Prestes1,*
1
Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária, FMVZ, UNESP, Botucatu, SP, Brasil; 2Departamento de
Anatomia IBB, UNESP, Botucatu, SP, Brasil.
*
E-mail: nereu@fmvz.unesp.br

O uso de transferência de embrião em ovinos requer o conhecimento sobre o histórico reprodutivo da doadora e
da receptora. A progesterona é produzida temporariamente pela placenta, sendo responsável por sua integridade
e promover hipertrofia endometrial. A produção de estrógeno placentário é induzida pelo cortisol fetal,
estimulando a contração miometrial e liberação de prostaglandina, estando ligada diretamente a queda de
progesterona ao final da gestação, induzindo a liberação de ocitocina durante o parto. O presente estudo busca
esclarecer a imuno-expressão de progesterona (PR), estrógeno alfa (ERα) e histopatologia em cotilédones fetais
obtidos de receptoras de embriões colhidos no momento do parto. Utilizou-se placentas a termo de 17 ovelhas da
raça Santa Inês procedente da técnica de transferência de embrião obtidas de parto eutócico. Os cotilédones
foram colhidos randomicamente e em seguida fixados em formol a 10% durante 24 horas. Após a fixação o
material foi incluído em parafina plástica e em seguida submetidos a cortes de 4µ. Os cortes foram submetidos à
técnica de imuno-histoquímica para progesterona (PR) e estrógeno alfa (ERα), para análise histopatológica os
cortes foram corados através da histoquímica básica em H.E. Sabe-se que a PR é imprescindível para a
manutenção da gestação e mostrou-se imunolocalizado de forma intensa em todo trofoblasto, especialmente nas
células binucleadas. Em estudos de receptores de PR em placenta de bovinos clonados, revelaram-se positivos
em células binucleadas, similares ao nosso experimento. Estas células são facilmente identificadas e
responsáveis pela síntese de PR. As células binucleadas têm papel importante na expulsão de membranas fetais e
sua imunolocalização positiva e intensa sugere problemas como retenção de placenta, morte fetal intrauterina e
complicações no parto, requerendo maior atenção no final da gestação e auxílio veterinário. O ERα em nosso
estudo apresentou-se negativo e possivelmente está relacionado à ação da PR no tecido placentário,
estabelecendo inatividade de receptores de ocitocina (OTR). Isso ocorre devido ao aumento de receptores de PR
no tecido ao final da gestação. Na histopatologia o trofoblasto apresentou intensa vacuolização, células
binucleadas em apoptose, trombo arterial e venoso, grânulos marrons escuros sugestivos de hemossiderina. A
reação de Per’l foi positiva para ferro e presente na base do trofoblasto. As áreas hemófagas mostraram-se
positivas em todas as lâminas. Em bovinos, os hematomas são frequentes e estão localizados na base dos vilos
coriônicos e não ocorrem em todos os placentomas. A ocorrência de trombos em artérias e veias presente no
córion foi frequente. Esta fisiopatologia leva à morte fetal intrauterina e foi constantemente encontrada em
placentas de mulheres diabéticas. Grânulos de calcificação foram encontrados no córion, possivelmente devido à
presença de alta concentração de minerais como fosfato de cálcio na alimentação.

Palavras-chave: trofoblasto, imunoistoquímica, receptor, placenta.


Keywords: trophoblast, immunohistochemestry, receptor, placenta.

190
Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 21, 2015, Belo Horizonte, MG. Anais... Belo Horizonte: CBRA, 2015.
(CD-ROM). ISSN: 1984-8471.

Motilidade e vigor de espermatozoide ovino pós-descongelação com uso da


homeopatia
Motility and vigor post-thaw in ovine spermatozoa with homeopathy

Arthur Lopez*, Gabriel Athas, Antonio Carlos Duenhas Monreal, Silvana Marques Caramalac,
Simone Marques Caramalac, Albert Schiaveto Souza, Artur Maggioni e Silva,
Maria Clara Rodrigues Franco, Igor Carvalho Ortiz

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Laboratório BIOCAPRI, Campo Grande, MS, Brasil.
*E-mail: arth_lopez@hotmail.com

Diversos estudos vêm demonstrando os benefícios da homeopatia no campo da reprodução, e associado a ela, a
criopreservação de células germinativas pode ser uma importante ferramenta para atingir melhores níveis de
sucesso nesta área. Entretanto, o congelamento do sêmen em si promove danos irreversíveis ao espermatozoide,
comprometendo o processo final de fertilização. Assim o presente estudo avaliou o efeito da adição de dois
medicamentos descritos na matéria médica homeopática sobre a manutenção da integridade espermática após a
criopreservação, adicionando para isso Aloe vera (HAV®) e Medicago sativa (HMS®) ao diluidor TRIS, para
avaliação dos parâmetros motilidade e vigor após o descongelamento. Foram utilizados cinco carneiros sem raça
definida (SRD) com idade de 12 meses e peso de 50 kg, sendo duas colheitas/carneiro/semana, pelo método da
vagina artificial de modelo curto, usando uma fêmea como manequim. Após colheita, os ejaculados foram
submetidos às avaliações macroscópicas - volume (mL), aspecto (aquoso, leitoso e cremoso) e cor - e
microscópicas - motilidade (0-100%), vigor (0-5) e concentração (x 106). Foi utilizado o diluente TRIS-P para
controle, e suas combinações com dois produtos homeopáticos, Medicago sativa CH12 (HMS®) e Aloe vera
CH12 (HAV®), formando três grupos experimentais (TRIS-P; TRIS-P +HAV; TRIS-P+HMS). Após o cálculo
do volume final, o sêmen in natura foi diluído nos três meios experimentais, com posterior envase mecânico em
palhetas francesas, resfriamento e congelamento das amostras. Após o período de 30 dias estas foram
descongeladas, seguida por analise dos parâmetros vigor e motilidade. Para a análise estatística, foram realizados
os testes ANOVA, pós-teste de Tukey e teste de correlação linear de Pearson, considerando um nível de
significância de 5%. Pela análise dos resultados verificou-se que a perda de motilidade dos espermatozoides
congelados com TRIS-P + HAV® (0,43±0,02) é significativamente menor do que aquela observada para os
meios