Você está na página 1de 4

CENTRO UNIVERSITÁRIO CESMAC

CAMPUS IV

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

ISMAEL INÁCIO DOS SANTOS

GENÉTICA GERAL
MACEIÓ-AL

2018

ISMAEL INÁCIO DO SANTOS

GENÉTICA GERAL

MACEIÓ–AL

2018
EPISTASIA
1) Epistasia e Albinismo

Todos conhecem o albinismo lá dos exercícios de


Primeira Lei de Mendel. O que vocês talvez não saibam
é que o albinismo é, também, uma epistasia recessiva!
Vejam bem, quando os genes recessivos aa estão
juntos, eles inibem a ação de outros genes, aqueles
responsáveis pela pigmentação da pele. A epistasia é
exatamente isso: um gene inibindo outro par que não é
seu alelo; ela pode se manifestar de forma dominante
(quando o gene dominante é o epistático) ou recessiva (quando o par recessivo é o
epistático, como o caso do albinismo).

2) Genes Complementares e Surdez

Genes complementares, ou herança qualitativa, são


vários genes não-alelos atuando de forma
complementar na expressão de uma característica
qualitativa, como é o caso da crista das galinhas (que
possui diferentes formatos de acordo com a presença
de determinados genes!). Na espécie humana, a surdez
hereditária é o melhor exemplo. O gene D determina o desenvolvimento embrionário de
uma região importante para a audição, enquanto o gene E é responsável por
condicionar a formação do nervo acústico. Se o indivíduo for homozigoto recessivo para
algum desses genes, ele será surdo, já que não haverá a formação de uma parte
fundamental do aparelho auditivo. Sendo assim, o genótipo de um indivíduo normal
deverá ser, obrigatoriamente, D_E_.
ALELOS MÚTIPLOS
Heranças de grupos sanguíneos na espécie humana

Um exemplo de polialelia nos humanos refere-se ao gene que determina os grupos


sanguíneos do sistema ABO.
No Sistema ABO existem três genes que irão atuar na formação do tipo sanguíneo, o
fenótipo.
São eles, os genes IA IB e i.
Relação entre genótipos e fenótipos no sistema ABO

ALELOS LETAIS
Doença de Tay-Sachs- É uma doença degenerativa autossômica recessiva. Ela inicia seus
sintomas a partir dos seis meses de idade, quando a criança passa a ter uma gradual
degeneração mental e física. No final da vida, a criança já se encontra completamente
paralisada. A morte acontece por volta dos quatro anos de idade.
- Acondroplasia- É um tipo de nanismo autossômico dominante, caracterizado por
membros curtos em relação ao tronco. Nesse caso, quando o gene aparece em
homozigose, ocorre a morte antes do nascimento.
- Braquidactilia- É uma anomalia genética dominante, em que os indivíduos apresentam
os dedos das mãos muito curtos. Essa anormalidade, assim como a acondroplasia, é
letal quando em homozigose.