Você está na página 1de 5

GRUPO DE HIDRÁULICA

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E ENGENHARIA DO AMBIENTE


FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA
U N I V E R S I D A D E N O V A D E L I S B O A

HIDRÁULICA GERAL - ANO LECTIVO DE 2009/2010

TRABALHO PRÁTICO Nº 2
Teorema de Bernoulli

A- Desenvolva a experiência de acordo com o protocolo apresentado.


B- Destaque e utilize a folha apresentada para registar os valores observados.
C- Inclua a folha de registo, assinada pelo responsável do laboratório, no relatório.
D- Deixe uma cópia dos valores registados, com o responsável pelo laboratório.
E- Apresente claramente os cálculos efectuados e responda às questões colocadas.

1 - Objectivo

Verificação da validade do Teorema de Bernoulli. Verificação da relação entre energia


piezométrica e energia cinética de um escoamento em pressão, numa conduta com
secção transversal variável.

2 - Descrição da Instalação

O aparelho de ensaio é constituído por uma conduta de secção circular (1) de dimensões
variáveis, de forma a que a um troço convergente se segue um troço divergente, ligados
por um curto troço cilíndrico. À conduta estão ligados seis piezómetros (2), que permitem
a medição simultânea da energia piezométrica em seis diferentes secções, relativamente
ao eixo da conduta. Na extremidade da conduta está acoplado um tubo de pitot (3), que
pode ser posicionado de forma a permitir a medição da energia total em qualquer secção
da conduta. Também na extremidade da conduta, está montada uma válvula (4), para
facilitar a operação da instalação.
Todas as tomadas de pressão estão ligadas a uma bancada de piezómetros (5). O
aumento da pressão de ar nos piezómetros pode ser conseguido através da ligação, à
tubagem que os une superiormente (6), de uma vulgar "bomba de bicicleta".
O aparelho de ensaio está montado numa placa assente em quatro pés ajustáveis (7),
que permitem o seu correcto nivelamento. O referido aparelho deve ser operado em
ligação ao banco hidráulico. A bomba do próprio banco hidráulico, por intermédio de uma
tubagem flexível, permite a admissão de água ao aparelho. O caudal e a pressão na
conduta podem ser controlados, de forma independente, através da operação da válvula
do banco hidráulico e da válvula montada na extremidade da conduta de teste.
No banco hidráulico está igualmente montado um reservatório volumétrico de medida,
que permite conhecer o caudal de cada ensaio.

GRUPO DE HIDRÁULICA - DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E ENGENHARIA DO AMBIENTE


FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 1/5
Hidráulica Geral C – Teorema de Bernoulli 2009/2010

Figura 1 – Representação esquemática do equipamento

3 - Características Geométricas da Conduta

øa = 25,0 mm ød = 10,7 mm
øb = 13,9 mm øe = 10,0 mm
øc = 11,8 mm øf = 25,0 mm

4 - Preparação e Execução do Ensaio

a) Coloque o aparelho sobre a plataforma do banco hidráulico, feche ambas as


válvulas e ligue a bomba de alimentação.

b) Encha cuidadosamente os piezómetros com água de forma a eliminar todas as


bolsas de ar do sistema, e assegure-se de que todas as tubagens flexíveis estão
igualmente libertas de bolhas de ar.

c) Através do ajuste das duas válvulas (a do banco hidráulico e a colocada a jusante


da secção de teste), os níveis de água nos piezómetros podem ser subidos ou descidos.

GRUPO DE HIDRÁULICA - DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E ENGENHARIA DO AMBIENTE


FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 2/5
Hidráulica Geral C – Teorema de Bernoulli 2009/2010

d) Aumente a pressão na conduta fechando cuidadosamente a válvula de jusante e,


simultaneamente, regule o caudal até conseguir a maior diferença de pressão possível
entre a entrada da conduta e a sua menor secção, mantendo o nível de água visível em
todos os piezómetros (se necessário, utilize a "bomba de bicicleta" para aumentar a
pressão de ar sobre as colunas liquidas).

e) Depois dos níveis estabilizarem, meça o caudal que se está a escoar na conduta e
registe a altura de água em cada um dos piezómetros.

f) Insira cuidadosamente o tubo de pitot, desde o final da conduta, colocando-o na


perpendicular de cada tomada de pressão, registando para cada posição a altura de
água no piezómetro correspondente.

g) Regule o caudal, através da válvula do banco hidráulico, para obter outra situação
de ensaio diferente, correspondente à redução da diferença de nível entre os
piezómetros, e repita o procedimento referido nas alíneas e) e f).

5 - Cálculos e Apresentação dos Resultados

a) Para cada condição de ensaio apresente os valores de energia total, de energia


cinética e de energia piezométrica, determinados experimentalmente, em cada uma das
secções correspondentes às tomadas de pressão. Trace as correspondentes linhas de
energia e linhas piezométricas.

b) Se a linha de energia não se desenvolver na horizontal, explique as razões desse


facto, comparando as suas afirmações com os pressupostos de base considerados na
definição do Teorema de Bernoulli.

c) Refira e explique as trocas entre os diferentes tipos de energia, que se verificam à


medida que o escoamento percorre a conduta.

d) Determine, para cada condição de ensaio e para cada uma das secções de tomada
de pressão, a velocidade de escoamento teórica, a partir do conhecimento do caudal
escoado e da área de cada secção. Determine a energia cinética teórica e adicione-a à
energia piezométrica medida, de forma a determinar valores teóricos de energia total.
Compare, para cada caso, os valores da energia total determinados teoricamente e
experimentalmente. Se existirem diferenças entre esses valores, apresente razões,
fundamentadas, que as expliquem.

e) Com base unicamente nos valores observados nos piezómetros 1 e 4 e


conhecendo os diâmetros das respectivas secções, calcule o caudal escoado em cada
uma das condições de ensaio. Comente eventuais diferenças em relação aos valores de
caudal medidos no banco hidráulico.

Nota: Para facilitar a resolução desta alínea recomenda-se que proceda à elaboração de
gráficos.

GRUPO DE HIDRÁULICA - DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E ENGENHARIA DO AMBIENTE


FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 3/5
Hidráulica Geral C – Teorema de Bernoulli 2009/2010

TRABALHO PRÁTICO 2 – TEOREMA DE BERNOULLI

REGISTO DE MEDIÇÕES (a incluir no relatório)

Data de registo: Hora:

Grupo de trabalho n: N. de aluno:

Acompanhado por:

Quadro de observações
P1 P2 P3 P5 P6 P7
Ensaio V (L) T (s) - P4 (mm)
(mm) (mm) (mm) (mm) (mm) (mm)
piezómetros
Tubo de pitot
1
piezómetros
Tubo de pitot
piezómetros
Tubo de pitot
2
piezómetros
Tubo de pitot
piezómetros
Tubo de pitot
3
piezómetros
Tubo de pitot

GRUPO DE HIDRÁULICA - DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E ENGENHARIA DO AMBIENTE


FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 4/5
Hidráulica Geral C – Teorema de Bernoulli 2009/2010

TRABALHO PRÁTICO 2 – TEOREMA DE BERNOULLI

REGISTO DE MEDIÇÕES (a entregar no laboratório)

Data de registo: Hora:

Grupo de trabalho n: N. de aluno:

Acompanhado por:

Quadro de observações
P1 P2 P3 P5 P6 P7
Ensaio V (L) T (s) - P4 (mm)
(mm) (mm) (mm) (mm) (mm) (mm)
piezómetros
Tubo de pitot
1
piezómetros
Tubo de pitot
piezómetros
Tubo de pitot
2
piezómetros
Tubo de pitot
piezómetros
Tubo de pitot
3
piezómetros
Tubo de pitot

GRUPO DE HIDRÁULICA - DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E ENGENHARIA DO AMBIENTE


FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 5/5