Você está na página 1de 46

7/4/2011

Física - Termologia

Scribd Carregar um documento

Pesquisar livros, apresent

Explorar

Pesquisar Documentos

Documentos     Livros - Ficção Livros - Não ficção Saúde e medicina Catálogos Documentos
Documentos

Documentos

 
 
  Livros - Ficção

Livros - Ficção

Livros - Não ficção

Livros - Não ficção

Saúde e medicina

Saúde e medicina

Catálogos

Catálogos

Documentos governamentais

Documentos governamentais

Guias/Manuais Como fazer

Guias/Manuais Como fazer

Revistas e jornais  

Revistas e jornais

 
Receitas/Menus

Receitas/Menus

Trabalho escolar

Trabalho escolar

+ todas as categorias

+

todas as categorias

fazer Revistas e jornais   Receitas/Menus Trabalho escolar + todas as categorias Apresentou   Recente
Apresentou  

Apresentou

 
Recente

Recente

Pessoas+ todas as categorias Apresentou   Recente Autores   Estudantes Pesquisadores Editores

Autores  

Autores

 
Estudantes

Estudantes

Pesquisadores

Pesquisadores

Editores

Editores

Governamental e sem fins lucrativos

Governamental e sem fins lucrativos

Negócios  

Negócios

 
Músicos

Músicos

Artistas e designers

Artistas e designers

Professores

Professores

+ todas as categorias

+

todas as categorias

Artistas e designers Professores + todas as categorias Os mais seguidos   Popular Registre-se | Logon
Os mais seguidos  

Os mais seguidos

 
Popular

Popular

Registre-se

Registre-se

|

|

Logon  

Logon

 
mais seguidos   Popular Registre-se | Logon   pt.scribd.com/doc/…/Fisica-Termologia 1/46

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

A dilatação aparente é aquela diretamente observada e a dilatação real é aquela que o líquido sofre

realmente. Consideremos um recipiente totalmente cheio de um líquido à temperatura inicial t . Aumentando a temperatura do conjunto (recipiente + líquido) até uma temperatura t , nota-se um

i

f

extravasamA dilataçãoento do líqaparenteuido, poisdo líqesteuidose dilataé igualmaoaisvolumque oerecipienque foitextravasadoe.

.

A dilatação real do líquido é dada pela soma da dilatação aparente do líquido e da dilatação volumétrica

sofrida pelo recipiente.

aparente do líquido e da dilatação volumétrica sofrida pelo recipiente. pt.scribd.com/doc/…/Fisica-Termologia 7/46
aparente do líquido e da dilatação volumétrica sofrida pelo recipiente. pt.scribd.com/doc/…/Fisica-Termologia 7/46

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011 Física - Termologia ∆ V real = ∆ V ap + ∆ V recip ⇒
7/4/2011 Física - Termologia ∆ V real = ∆ V ap + ∆ V recip ⇒

V

real

=

V

ap

+

V

recip

γ

real =

V

i

γ

real

γ

ap +

t = V i

γ

recip.

γ

ap

T + V i

γ

recip.

t

Exemplo:

Um recipiente de vidro contém 400cm de m rcúrio a 20ºC D term nar a dilatação real e a aparen e d mercúrio quando a temperatura for 35ºC.

Dados γ

3

e

e

i

.

t

Hg

= 0,00018ºC

-1

e

γ

vidro

= 0,

0000

3ºC

-1

.

Resolução:

Cálculo da dilatação real do mercúrio:

V

real

= V γ

i

real

t

V V

real

real

= = 400 1,08cm . 0,0001

3

5

. 15

o

Cálculo da dilatação aparente do mercúrio:

γ

real =

γ

ap +

i

recip. 0,00018 = ap + 0,00003

γ

γ

γ ap

V

V

ap

ap

= 40

= 0,9cm 3

0

0

= 0,00015ºC -1

15 . 15

. 0,00

V = V γ ∆ t

ap

ap

Resposta:

A dilatação real é igual a 1,08cm e a aparente é igual a 0,9cm .

3

3

Exercícios de Aprendizagem:

1.

90ºC o m sm

U

,

m

tubo de vid o grad ado co tém água. A 10ºC um técnico lê o volum e

r

u

n

,

e

o

técnico lê o volum

e

3

60,85 cm . D term ne o coeficien e d

e

i

t

e

60,0 cm . A uecendo a água até

q

a

água nesse

3

dilatação volum trica d

é

intervalo. D do coeficiente linear do vidro = 2,7 . 10

-5 -1 a ºC . -5 -1 R: 21 . 10 ºC
-5
-1
a
ºC
.
-5
-1
R: 21 . 10
ºC

2.

leitu a da escala fo neceu o valor 90,0

r

= 2,7 . 10

Para m dir o co ficien e de dilatação de um líq id , utilizou-se um frasco de vidro graduado A 0ºC a

e

e

t

u

o

.

r

-5

ºC

-1

.

0

, cm . A 100 ºC a leitura fo 90,50 cm . D do coeficiente linear do vid o

3

,

i R: 5,6 . 10

-5

3

ºC

-1

a

r

-5 -1 a) b) Q al o coeficiente de d latação aparente do líq ido?
-5
-1
a) b)
Q al o coeficiente de d latação aparente do líq ido?
Qual o coeficiente de dilatação real?
u
i
u
R: 8,3 . 10
ºC
-5
-1
-5
-1
R: a) 5,6 . 10
ºC
b) 8,3 . 10
ºC

5 - Troca e Propagação do Calor:

5.1 - Quantidade de calor e calor específico:

Sendo uma modalidade de energia, o calor poderia ser medido em Joule (J). Porém, como já vimos em 2,

7/4/2011

Física - Termologia

é comum a utilização da caloria (cal).

1cal = 4,186J

e 1Kcal = 1000 cal.

- Capacidade térmica de um corpo: (C)

É o quociente entre a quantidade de calor Q recebido ou cedido por um corpo e a correspondente

variação de temperatura t.

Q

C =

t

A unidade e capacidade térmica é cal/ºC

capacidade térmica de um corpo representa a quantidade de calor necessária para que a temperatura do

corpo varie de 1ºC

Exercício de Aprendizagem: Um bloco de zinco de capacidade térmica igual a 20 cal/ºC receba 100cal.Calcule

a variação de temperatura do bloco.

A

R: 5ºC
R: 5ºC

- Calor específico de uma substância: (c)

A capacidade térmica de um corpo, vai depender da massa do corpo e de uma constante “c”, denominada

de calor específico. C = m . c

Como C

Q

=

t

teremos m . c =

Q

t

ou seja

c

=

Q

m

⋅ ∆

t

dectemé igualperatuàrqua deantidad1ºC. e de calor que deve ser cedida a 1 grama da substância para provocar nela uma variação

c = cal/gºC

5.2 - Equação Fundamental da Calorimetria:

Consideremos um corpo de massa m à temperatura inicial t . Fornecendo-se uma quantidade de calor Q a esse corpo, suponha que sua temperatura aumente até t .

i

f

m m ti Q t i
m
m
ti
Q
t i

A experiência mostra que a quantidade de calor Q é proporcional à massa e à variação de temperatura (t f

- t i ); logo:

Q = mc (t

Em que:

c é chamado calor específico da substância

t = t

f

- t

i

é a variação d

e

tem eratura.

p

f

- t )

i

O1 b.)servações:Se t > t o corpo receb

t

2 .) O produto m

a

f

i

e

calor, isto é, Q > 0.

a

Se

f

< t

i

o corpo cede calo , isto é, Q < 0.

r

c

é a cap cidade térm ca do corpo; logo:

a

i

ou

c

Q = m

C = m

c

t

Exemplo:

Calcular a quantidade de calor necessária para elevar uma massa de 500 gramas de ferro de 15ºC para 85ºC. O calor específico do ferro é igual a 0,114 cal/g. ºC.

R solução:

e

Se o m ssa de ferro aum nta de tem eratu a o calor é sensível; logo:

Q = m

a

e

p

r

c

(t

f

- t )

i

Q

= 500 . 0,1

1

4 (8

5

º - 15º)

Q

= 500 . 0,1

1

4 . 70

Q

= 3990cal.

Resposta:

A quantidade de calor recebida pelo ferro é de 3990cal.

7/4/2011

Física - Termologia

OBS.: A brisa marítima e a brisa terrestre é devido ao calor específico da água e da terra. Por a água ter um dos maiores calores específicos ela não só custa a aumentar a temperatura como também custa a ceder. O ar ficando

mais denso nas proximidades devido a temperatura mais baixa durante o dia (do que a terra) surgirá assim a brisa marítima. A noite o processo se inverte. Ela também é que regula a temperatura terrestre.

A seguir o calor específico de algumas substâncias:

Substância Calor específico (cal/gºC Mercúrio 0,033 Alumínio 0,217 cobre 0,092 Chumbo 0,030 Prata 0,056
Substância
Calor específico (cal/gºC
Mercúrio
0,033
Alumínio
0,217
cobre
0,092
Chumbo
0,030
Prata
0,056
Ferro
0,114
Latão
0,094
Gelo
0,550
Água
1,000

Ar

0,240

Exercícios de Aprendizagem:

1.

o calor específico do ferro, calcule:

a) a quantidade de calor que a barra deve receber;

U m

a barra de ferro com 500 g de m a ssa deve ser aquecida de 20ºC até 220ºC . Sendo 0,11 cal/gºC

R: 55 cal/ºC

R 11 000 cal

:

b) a sua capacidade térm ca. i
b)
a sua capacidade térm ca.
i

2. Quantas calorias perderá um quilograma de água, quando sua temperatura variar de 80ºC para

10ºC? R: - 70 kcal
10ºC? R: - 70 kcal

6 - Mudanças de fase - Calor latente:

Vimos que quando cedemos calor a um corpo, este aumentará sua tem temperatura. Porém esse calor pode ser utilizado para não aumentar a temperatura e sim para modificar o estado físico do corpo. Tal calor é

denominado calor latente.

A

O

mudança de estado pode ser:
mudança de estado pode ser:

calor latente de mudança de estado de uma substância é igual à quantidade o calor que devemos ceder

ou retirar de um grama da substância para que ela mude de estado.

Q

= mL em que: L é o calor latente da substância.

A quantidad

E

C lor laten t e d

e

de calor laten t e L pod

e

ser po s itiva ou n e gativa confo r m

m nosso curso ado t arem o s:

a

e

fu s ão d

o

gelo (a 0 º C ) L = 80cal/g

f

C lor laten t e d

C lor laten t e d

e

e

a so l id i ficação da água (a 0 º C ) L = -80cal/g

a vaporização da água (a 100 º C ) L = 54 cal/g

s

v

0

e

o corpo receba o

u

ced

a

calo r .

7/4/2011

Física - Termologia

Calor latente de condensação do vapor (a 100ºC) L = -540cal/g Exemplo 1: Um bloco de gelo de massa 600 gramas encontra-se a 0ºC. Determinar a quantidade de calor que se

deve fornecer a essa massa para que se transforme totalmente em água a 0ºC. Dado L = 80 cal/g

c

f

Q = m L s

Q = 600 . 80

Q

= 48000cal

Q

= 48kcal

Resposta: Devemos fornecer 48kcal.

Exercício de Aprendizagem:

Determine a quantidade de calor necessária para transformar 20g de gelo, a -20ºC, em vapor de água a 120ºC.

R: 14.800 cal
R: 14.800 cal

7 - Propagação do calor: Para o calor ser transmitido temos os seguintes processos:

- Condução: A condução é um processo de transmissão de calor que ocorre, por exemplo, através de uma barra metálica.

que ocorre, por exemplo, através de uma barra metálica. Neste processo, os átomos do metal que

Neste processo, os átomos do metal que estão em contato coma fonte térmica recebem calor desta fonte

e aumentam sua agitação térmica. Devido a isto, colidem com os átomos vizinhos, transmitindo-lhes

agitação térmica. Assim, de partícula para partícula,a energia térmica flui ao longo da barra,aquecendo-a por inteiro.

térmica flui ao longo da barra,aquecendo-a por inteiro. Portanto condução é o processo de transmissão de

Portanto condução é o processo de transmissão de calor de partícula para partícula.

Obs. As partículas apenas aumentam a vibração. Elas não se deslocam.

- Convecção: A convecção é uma forma de transmissão de calor que ocorrem fluidos,ou seja,em líquidos ou gases, porém, juntamente com transporte de matéria. Por exemplo, o ar quente é menos denso que o ar frio, portanto ele tende a subir devido a pressão. Ex.: Congelador na parte de cima da geladeira.

a pressão. Ex.: Congelador na parte de cima da geladeira. OBS.: Recipientes adiabáticos são aqueles que

OBS.: Recipientes adiabáticos são aqueles que não deixam o calor se propagar. Ex.: garrafa térmica, isopor, etc.

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011

Física - Termologia

Scribd em Inglês

Você está vendo a versão do Scribd em idioma português. Clique aqui se quiser ver o Scribd em inglês.

You are currently viewing the Portuguese language version of Scribd. Click here if you'd like to view Scribd in English.

Física - Termologia

Baixar este documento gratuitamenteImprimirCelularColeçõesDenunciar documento Este documento é particular.

documento Este documento é particular. Informações e classificação

Informações e classificação

7/4/2011

Física - Termologia

Física_Moderna

Like
Like

24 people like this.

- Termologia Física_Moderna Like 24 people like this. Compartilhar e integrar Documentos relacionados

Compartilhar e integrar

Documentos relacionados

AnteriorPróximo

1.

1.

p.

1. p. p. p. 2.   p. p.

p.

1. p. p. p. 2.   p. p.

p.

2.

 

p.

p.

Seguir

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011 Física - Termologia p. 3. p. p. p. 4. p. p. p. 5. p. p.

p.

3.

3.

p.

3. p. p. p. 4. p. p. p. 5.

p.

3. p. p. p. 4. p. p. p. 5.

p.

4.

4.

p.

3. p. p. p. 4. p. p. p. 5.

p.

3. p. p. p. 4. p. p. p. 5.

p.

5.

5.

p.

p. 3. p. p. p. 4. p. p. p. 5. p. p. pt.scribd.com/doc/…/Fisica-Termologia 37/46

p.

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011 Física - Termologia p. 6. p. p. p. 7. p. p. p. 8. p. p.

p.

6.

6.

p.

6. p. p. p. 7. p. p. p. 8.

p.

6. p. p. p. 7. p. p. p. 8.

p.

7.

7.

p.

6. p. p. p. 7. p. p. p. 8.

p.

6. p. p. p. 7. p. p. p. 8.

p.

8.

8.

p.

p. 6. p. p. p. 7. p. p. p. 8. p. p. pt.scribd.com/doc/…/Fisica-Termologia 38/46

p.

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011 Física - Termologia p. 9. p. p. p. 10. p. p. p. 11. p. p.

p.

9.

9.

p.

9. p. p. p. 10. p. p. p. 11.

p.

9. p. p. p. 10. p. p. p. 11.

p.

10.

10.

p.

9. p. p. p. 10. p. p. p. 11.

p.

9. p. p. p. 10. p. p. p. 11.

p.

11.

11.

p.

p. 9. p. p. p. 10. p. p. p. 11. p. p. pt.scribd.com/doc/…/Fisica-Termologia 39/46

p.

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011 Física - Termologia p. 12. p. p. p. 13. p. p. p. 14. p. p.

p.

12.

12.

p.

12. p. p. p. 13. p. p. p. 14.

p.

12. p. p. p. 13. p. p. p. 14.

p.

13.

13.

p.

12. p. p. p. 13. p. p. p. 14.

p.

12. p. p. p. 13. p. p. p. 14.

p.

14.

14.

p.

p. 12. p. p. p. 13. p. p. p. 14. p. p. pt.scribd.com/doc/…/Fisica-Termologia 40/46

p.

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011 Física - Termologia p. 15. p. p. p. 16. p. p. p. 17. p. Mais

p.

15.

15.

p.

15. p. p. p. 16. p. p. p. 17.

p.

15. p. p. p. 16. p. p. p. 17.

p.

16.

16.

p.

15. p. p. p. 16. p. p. p. 17.

p.

15. p. p. p. 16. p. p. p. 17.

p.

17.

17.

p.

Mais coisas deste usuário

AnteriorPróximo

7/4/2011

Física - Termologia

1.

1.

10

p.

1. 10 p. 59 p. 31 p. 2. 5 p. 3 p. 4 p. 3.

59

p.

1. 10 p. 59 p. 31 p. 2. 5 p. 3 p. 4 p. 3.

31

p.

2.

2.

5

p.

1. 10 p. 59 p. 31 p. 2. 5 p. 3 p. 4 p. 3.

3

p.

1. 10 p. 59 p. 31 p. 2. 5 p. 3 p. 4 p. 3.

4

p.

3.

3.

9 p.

31 p. 2. 5 p. 3 p. 4 p. 3. 9 p. 11 p. 9 p.

11 p.

31 p. 2. 5 p. 3 p. 4 p. 3. 9 p. 11 p. 9 p.

9

p.

7/4/2011

Física - Termologia

4.

4.

10

p.

4. 10 p. 40 p. 2 p. 5. 5 p. 1 p. 6 p. 6.

40 p.

4. 10 p. 40 p. 2 p. 5. 5 p. 1 p. 6 p. 6.

2

p.

5.

5.

5

p.

4. 10 p. 40 p. 2 p. 5. 5 p. 1 p. 6 p. 6.

1

p.

4. 10 p. 40 p. 2 p. 5. 5 p. 1 p. 6 p. 6.

6

p.

6.

6.

15 p.

2 p. 5. 5 p. 1 p. 6 p. 6. 15 p. 1 p. 23 p.

1 p.

2 p. 5. 5 p. 1 p. 6 p. 6. 15 p. 1 p. 23 p.

23

p.

7/4/2011

Física - Termologia

7.

7.

10 p.

7. 10 p. 8 p. 2 p. 8. 1 p. 1 p. 1 p. 9. 1

8

p.

7. 10 p. 8 p. 2 p. 8. 1 p. 1 p. 1 p. 9. 1

2

p.

8.

8.

1

p.

7. 10 p. 8 p. 2 p. 8. 1 p. 1 p. 1 p. 9. 1

1

p.

7. 10 p. 8 p. 2 p. 8. 1 p. 1 p. 1 p. 9. 1

1

p.

9.

9.

1 p.

Readcasters recentes

1 p. 1 p. 9. 1 p. Readcasters recentes Adicionar comentário

Adicionar comentário

7/4/2011

Física - Termologia

7/4/2011 Física - Termologia Enviar Caracteres: 400 GracilianoNeto deixou um comentário is reading Física -
Enviar
Enviar

Caracteres: 400

GracilianoNeto deixou um comentário

is reading Física - Termologia.

02 / 09 / 2011

Responder

is reading Física - Termologia . 02 / 09 / 2011 Responder Itamara Campos deixou um

Itamara Campos deixou um comentário

ptus

02 / 08 / 2011

Responder

Este documento entrou na lista Ascendente!

07 / 24 / 2010

Carregar um documento

Pesquisar livros, apresent

Pesquisar Documentos

Siga-nos!um documento Pesquisar livros, apresent Pesquisar Documentos scribd.com/scribd twitter.com/scribd facebook.com/scribd

scribd.com/scribdPesquisar livros, apresent Pesquisar Documentos Siga-nos! twitter.com/scribd facebook.com/scribd Sobre Imprensa Blog

twitter.com/scribdapresent Pesquisar Documentos Siga-nos! scribd.com/scribd facebook.com/scribd Sobre Imprensa Blog Parceiros Scribd 101

facebook.com/scribdDocumentos Siga-nos! scribd.com/scribd twitter.com/scribd Sobre Imprensa Blog Parceiros Scribd 101 Material da web

Sobrescribd.com/scribd twitter.com/scribd facebook.com/scribd Imprensa Blog Parceiros Scribd 101 Material da web Loja

Imprensatwitter.com/scribd facebook.com/scribd Sobre Blog Parceiros Scribd 101 Material da web Loja Scribd

Blogtwitter.com/scribd facebook.com/scribd Sobre Imprensa Parceiros Scribd 101 Material da web Loja Scribd Suporte

Parceirostwitter.com/scribd facebook.com/scribd Sobre Imprensa Blog Scribd 101 Material da web Loja Scribd Suporte

Scribd 101facebook.com/scribd Sobre Imprensa Blog Parceiros Material da web Loja Scribd Suporte

Material da webfacebook.com/scribd Sobre Imprensa Blog Parceiros Scribd 101 Loja Scribd Suporte pt.scribd.com/doc/…/Fisica-Termologia

Loja ScribdSobre Imprensa Blog Parceiros Scribd 101 Material da web Suporte pt.scribd.com/doc/…/Fisica-Termologia 45/46

SuporteSobre Imprensa Blog Parceiros Scribd 101 Material da web Loja Scribd pt.scribd.com/doc/…/Fisica-Termologia 45/46

7/4/2011

Física - Termologia

Perguntas frequentes7/4/2011 Física - Termologia Desenvolvedores/API Vagas Termos Copyright Privacidade Copyright © 2011 Scribd Inc.

Desenvolvedores/API7/4/2011 Física - Termologia Perguntas frequentes Vagas Termos Copyright Privacidade Copyright © 2011 Scribd Inc.

Vagas- Termologia Perguntas frequentes Desenvolvedores/API Termos Copyright Privacidade Copyright © 2011 Scribd Inc.

Termos- Termologia Perguntas frequentes Desenvolvedores/API Vagas Copyright Privacidade Copyright © 2011 Scribd Inc. Idioma:

CopyrightPerguntas frequentes Desenvolvedores/API Vagas Termos Privacidade Copyright © 2011 Scribd Inc. Idioma: Português

Privacidadefrequentes Desenvolvedores/API Vagas Termos Copyright Copyright © 2011 Scribd Inc. Idioma: Português (Brasil)

Copyright © 2011 Scribd Inc. Idioma:

Português (Brasil)