Você está na página 1de 2

Sete leis bíblicas da oração

Posted: 26 Apr 2011 05:56 AM PDT

Texto: Tiago 5:16


Introdução: Hoje vamos refletir sobre a oração. A verdadeira oração é o nosso meio da
liberação de fé e apresentar nossos corações a vontade do Senhor. Simplificando, a oração
envolve entre outras coisas: Adoração, Confissão, ação de graças e súplica (Atos) no Espírito. A
verdadeira oração não é apenas um monólogo unidirecional. Envolve também estar quieto e em
silencio diante de Deus e dando tempo para ouvi-Lo. Muitos fazem todo o falar; quando ouvir a
voz mansa de Deus é uma grande alegria! Alguns dizem. "Eu não consigo sentir nada, então eu
desisto" A oração real e eficaz é um bom momento para o exercício e a liberação de nossa fé.
Quando você não pode "sentir" que suas orações são ouvidas, pode ser um tempo de prova -
para ver se você realmente acredita ou estão apenas falando!
Nosso tempo de oração deve sempre ser uma íntima comunhão com Deus e não apenas a mera
repetição de palavras conhecidas e frases piedosas. Boa oração deve surgir de um coração
sensível, e não apenas de uma boca falante. Além disso, a palavra de Deus faz a obra de Deus,
assim também podemos olhar para a Bíblia e refletir sobre algumas orações encontradas na
mesma. Mais coisas boas são operadas pela oração do que pelo sonhar.
Hoje, vamos olhar para as sete leis bíblicas da oração.
1. A lei de um coração puro. Salmos 66:18.
Deus está sempre à procura de corações puros. Qualquer pessoa do campo sabe que, se uma
vaca come cebola o tempo todo, não só o hálito da vaca vai cheirar mal, mas o produto da vaca
vai ter cheiro e gosto ruim. Deus olha mais no nosso interior do que no nosso exterior. Nossos
ouvidos devem ser abertos para as palavras de Deus e nossos corações obedientes à Sua vontade,
se quisermos ser ouvidos (Provérbios 28:9 - I Samuel 14:37 - 28:6). Nosso coração deve ser
lavado pelo poder purificador do sangue do Cordeiro (Isaías 59:2 - Miqueias 3:4).
2. A lei de um espírito perdoador. I Pedro 3:7.
Amargura, raiva e ódio são frequentes na comunidade, na escola, no trabalho, e infelizmente até
mesmo nas igrejas cristãs e lares! Tal falha descoberta e ira entram e neutralizam a eficácia da
nossa oração. Dissensões e divisão em casa e na igreja local podem matar tanto as nossas
orações como a nossa vida de oração! Portanto, um espírito de perdão é necessário para romper
o trono da graça de Deus (Marcos 11:25-26). Irmãos, se as respostas esperadas para as suas
orações parecem muito atrasadas ou impedidas por muito tempo, sinceramente examine quem
você amargurou, irou ou não perdoou!
3. A lei da fé. Marcos 11:24 - Tiago 1:6.
Como é triste que oramos muitas palavras e depois nos preocupamos! A preocupação é um tipo
de dúvida. A dúvida é um tipo de medo. Os guerreiros de oração antigos usados para "orar por"
o que significava que eles permaneciam em seus joelhos até que eles sabiam com certeza que
tinham sido tocados por Deus. Que pena que oramos na igreja, vamos para casa e
imediatamente nos preocupamos sobre o que temos orado por! Sem fé é impossível agradar a
Deus e obter respostas às nossas orações. (Hebreus 11:1 - I Timóteo 2:8 - Marcos 11:23). Os
incrédulos vivem o ditado, "ver para crer", enquanto para os cristãos o ditado é: "crer para ver!"
4. A lei do motivo certo. Tiago 4:3.
Um dia, um pastor sonhava. Em seu sonho, viu Jesus chorando. O pastor perguntou-Lhe:
"Senhor, por que você está chorando?" Jesus respondeu: "Porque eu tenho mais pedidos de
oração por dinheiro do que para as almas perdidas!" Deus não é um gênio ou o Papai Noel! A
oração, para que seja real, é para o bem de todos e não só para você. Deus me dê isso e Deus me
deu aquilo! Alguns só oram para o seu conforto e conveniência. Prazer pessoal torna-se o motivo
de muitos cristãos. O prazer de Deus é muitas vezes ignorado, mas deve ser a nossa principal
motivação. I João 3:22.
5. A lei da vontade de Deus. I João 5:14.
Jesus nos deu um exemplo brilhante de buscar e submeter-se a vontade de Deus, mesmo que
isso significasse a cruz (Lucas 22:41-42 - João 6:38). Nós presumimos que conhecemos a
vontade de Deus, e isso nem sempre é verdade. Nunca se esqueça da soberania de Deus. Procura
conhecer a vontade e você nunca vai orar errado.
6. A lei da oração no Espírito. Judas 20.
O Espírito Santo conhece o coração do Pai e os desejos do Filho. Romanos 8:26. Nossa oração
deve subir para o céu com as asas do Espírito de Deus. Quando nós perseveramos na oração,
quando nós nos submetemos à liderança do Espírito, nós recebemos as respostas de forma mais
eficaz. Efésios 6:18.
7. A lei do nome de Jesus. João 14:14.
Uma vez eu recebi pelo correio um cheque de oferta, mas minha alegria durou pouco, quando eu
descobri que o remetente se esqueceu de assiná-lo! Legalmente o mesmo é inútil sem uma
assinatura válida. Nós não oramos pela autoridade de um nome qualquer debaixo do céu. Pelo
contrário, oramos ao Pai, em nome do Senhor Jesus Cristo. Jesus é o único caminho para o Pai e
não há outro mediador. João 14:6 - I Timóteo 2:5
Conclusão: Tal como acontece com a oração, a salvação do Inferno e a entrada para o Céu é
por meio de Jesus Cristo. Atos 4:12. É preciso um verdadeiro arrependimento diante de Deus e
uma oração de fé a Jesus para que você possa ser perdoado e purificado. Atos 20:21.
Amigo não crente clame o Senhor Jesus e serás salvo hoje!
Pr. Aldenir Araújo