Você está na página 1de 9

A Crise

Climática
Somos a notícia!
Introdução
Desde pequenos que somos bombardeados com a crise
climática. Agora, estando nós mais consciencializados
do nosso papel, compreendemos a importância de
erguer a nossa voz perante a saúde do planeta. O
conectando mundos deu-nos as ferramentas
necessárias para entender plenamente esta
problemática.
Causas da crise climática
Após as várias pesquisas por nós encetadas,
concluímos que o principal responsável pela crise
climática é o Homem e as suas ações, isto é, os seus
comportamentos e atitudes irresponsáveis. Estes
contribuem para as emissões de gases de efeito de
estufa, o que danifica e prejudica o meio ambiente em
que vivemos.
Consequências

da crise:
Desflorestação
Incêndios
Catástrofes naturais em áreas

vulneráveis
Esgotamento dos recursos naturais
Destruição da biodiversidade
Extinção de espécies
Desigualdade e

justiça climática
Nas nossas pesquisas, percebemos que as
consequências da crise climática não se distribuem
equitativamente pelo mundo. Na maioria das
vezes, esta afeta países e grupos de pessoas que
menos fizeram para contribuir para a mesma. Há
uma enorme discrepância nos causadores e nos
afetados pela crise. Além disso, o ser humano
comum não deve carregar a responsabilidade pelos
problemas do planeta, mas sim as grandes
corporações que exploram o planeta, em nome do
desenvolvimento e da ganância económica.
“Quero que os adultos entrem em pânico.

Quero que sintam o medo que eu sinto

todos os dias. Quero que procedam como se

a casa estivesse a arder, porque está."


— Greta Thunberg

Sociedade de

consumo
O consumismo é um dos grandes
problemas da atualidade. Além de
aumentar o fosso entre ricos e
pobres, também é uma das grandes
causas da crise climática. Está na
hora de aprendermos a ser mais
sustentáveis!
Arte e cultura em prol da crise climática

Feitos com lixo encontrado no ambiente.


Com este projeto, percebemos o quão importante é
ser educado nestas matérias e aquilo que devemos
fazer para nos tornarmos mais sustentáveis.
Contudo, nem toda a responsabilidade recai sobre
nós. É imperativo haver mudança governamental e
legislação que obrigue as grandes empresas a
mudarem os seus hábitos!