Você está na página 1de 3

Relatório Som

Introdução
Para este trabalho do som, o professor propôs que o fizéssemos tendo
em conta o nosso tema de área de projecto “mini gerador eólico” e o nosso
grupo ficou um pouco desorientado pois estava sem ideia nenhuma de como
haveria de fazer este trabalho.
O grupo decidiu pedir ajuda ao professor e aconselhou-nos a fazer uma
espécie de documentário no trabalho. O grupo aceitou a proposta e ainda
decidiu pôr mais uma proposta “em cima da mesa”, proposta essa que
consistia numa entrevista á qual o entrevistador fazia perguntas ao
entrevistado de modo a que os ouvintes ficassem a perceber pelo menos um
pouco do tema. Após muita ponderação o grupo optou por acatar a opção dada
pelo professor e pôr mãos à obra.

Desenvolvimento

1ºPasso: Decidimos fazer um plano do nosso projecto, que consiste numa


abertura com a sintonização da rádio, genérico, o apresentador a falar e o som
da natureza e no final de novo o genérico.

2ºPasso: tratar a parte do rádio. Começamos por procurar no


www.youtube.com, mas não encontramos nada. Um elemento do grupo
lembrou-se que poderíamos ser nós próprios a fazer a sintonização. E assim
foi, um elemento do grupo colocou o microfone, ligado ao computador, junto
da coluna do rádio e gravou cerca de 30 segundos. Claro que depois de gravar
fica-se com partes menos boas, o que tivemos de cortar.

3º Passo: procurar o genérico não foi difícil. O grupo começou por colocar no
www.youtube.com, genéricos de programas que conhecia. Tentamos vários,
tais como os dos telejornais dos vários canais, mas achamos que esses
genéricos já estavam bastante utilizados e que seriam uma escolha quase óbvia
de alguns grupos. Então lembramo-nos do genérico do programa “Sinais de
fogo” (http://www.youtube.com/watch?v=QYgtdI6_RDQ). Como a meio do
genérico aparecia a dizer “Sinais do fogo”, decidimos cortar essa parte e juntar
as duas partes cortadas, mas ficava com una ligeira diferença, o que não faria
mal mais tarde. Neste som aplicamos a técnica do envelope no inicio para que
quando acabasse o rádio o som já viesse de trás conseguindo disfarçar
pequenas falhas após o corte.

4ºPasso: A parte do texto resolvemos por o interlocutor a falar sobre o nosso


tema de área de projecto, a energia eólica. Primeiro achamos por bem dar um
nome ao documentário, cujo nome foi “À descoberta do mundo” que serviu
para tapar a falha do genérico e decidimos colocar o efeito velocidade onde
diminuímos 15% para que a voz ficasse mais grossa e demorasse mais um
pouco. Depois decidimos por o desenvolvimento de Portugal nas energias
eólicas nos últimos 2 anos. A seguir, começamos por colocar de donde vem a
energia eólica e começamos a falar sobre o funcionamento do nosso projecto,
que se baseava na produção de energia a partir do dínamo, que era preciso ter
atenção na construção das pás para obter o máximo rendimento, etc.
Terminámos com algumas vantagens e desvantagens da energia eólica.

5ºPassoAchá-mos bem acrescentar um som de fundo simultaneamente á voz


do locutor . Esse som tinha de ser um som limpo, calmo e principalmente que
tivesse a ver com a Natureza. Pusemo-nos à procura no www.youtube.com
onde encontramos um que se encaixa-se no pretendido.
(http://www.youtube.com/watch?v=FP0Up4tMX64). Neste aplicamos a
técnica do envelope no inicio e no fim para que quando acabasse o genérico o
som de fundo já viesse de trás.

6ºPasso: no fim, como acordado, pusemos o som do genérico a fechar a


rubrica, onde aplicamos a técnica do envelope pelo mesmo motivo dos de
acima referidos.
Depois de ouvirmos o que tínhamos feito achámos que estava audível mas
faltávanos alguma coisa. Um dos elementos sugeriu que se colocasse um
pouco de humor para dar um bocado de vida. Encontrámos no
www.youtube.com uns vídeos de apanhados e decidimos colocar
disfarçadamente alguns trechos, como a velhota a dizer “Andé quides” e “até
o coveiro foi atrás dele” (http://www.youtube.com/watch?v=5At1ObsaFcY e
http://www.youtube.com/watch?v=QlujDoDhA8Y, respectivamente). Frases
que toda a gente conhece do youtube, pela sua veia humorística.

O primeiro decidimos encaixá-lo na parte da sintonização do rádio, era um


sítio disfarçado e que não estorvava, o outro pusemos quase no final para
apanhar as pessoas despercebidas.

E assim, depois de tudo, terminámos o nosso trabalho.

PS: A parte do humor serviu apenas e só para quebrar o ciclo de seriedade de


todos os trabalhos desenvolvidos previamente pelo nosso grupo.