Você está na página 1de 16

PEDRO DE ALCÂNTARA NETO – REDES DE CATV

REDES DE CATV

1. Introdução

CAPÍTULO SEXTO

Este treinamento tem como objetivo proporcionar aos participantes um contato preliminar com a rede de CATV, permitindo o conhecimento dos conceitos deste tipo de rede. Veremos também alguns dos serviços que poderão utilizar a rede HFC.

Pré-Requisitos:

Conhecimentos da modulação analógica

Conteúdo Programático

Noções de sinais e canais de TV;

Espectro de freqüências para TV e CATV;

Sistemas ativos e passivos;

Noções do Headend/CMS;

Distribuição do sinal;

Interferências;

Noções de codificação e proteção de sistemas;

Conclusões gerais;

o

Cenários futuros da área;

o

Retorno de investimento.

2. Noções de Sinais e Canais de TV

2.1 Histórico

A transmissão de televisão por radiodifusão iniciou-se nos estados unidos em 1941. Inicialmente utilizaram- se os canais 1 a 13, hoje as freqüências utilizadas pelo canal 1 estão sendo utilizadas para serviços de rádio móvel devido a problemas de interferência. Temos os canais 2 a 6 para a faixa baixa de VHF (Very High Frequency) que está contida entre as freqüências de 54 a 88 MHz, e do 7 ao 13 para a faixa alta de VHF contidos na faixa de freqüência de 174 a 216 MHz.

Em 1952 foram adotados novos canais, 14 a 83, na faixa de 470 a 890 MHz, chamada de UHF. Em 1953 este padrão foi alterado para inserir informações de cor, que foi desenvolvido a partir de sistemas mecânicos e com largura de banda maior que 6 MHz. Em 1954 foi adotado como padrão nos Estados Unidos o NTSC (National Television Systems Committee). Sua característica básica é uma subportadora de crominância em 3,58 MHz multiplexada com a portadora de vídeo.

Nos primeiros anos da TV comercial nos Estados Unidos, iniciaram-se na Europa estudos para resolver ou minimizar alguns problemas de desempenho que o sistema NTSC apresentava. Estes estudos resultaram em outras duas propostas, que vieram a originar novos sistemas que passaram a ser implementados em diversos países. O sistema PAL (Phase Alternating Line), concebido na Alemanha, que o adotou a partir de 1967, e em 1969 pelo Brasil. O sistema SECAM (Sequential à Memoire), originário na França.

Em 1962, a transmissão de TV para todo o mundo tornou-se possível pela primeira vez, pelo uso de um satélite sobre a Terra. Dessa forma foi possível vencer a limitação da transmissão por visada direta (em tomo de 150 km em cada lance). O satélite serve como estação retransmissora a diversas estações receptoras. Hoje existem dezenas de satélites em órbita.

Em 1984, foi compatibilizado para transmissão de som estéreo. Em 1986, o Brasil adotou o padrão BTSC (Broadcasting Television System Committee).

2.2 Televisão por Assinatura

Como alternativa a transmissão por radiodifusão, são utilizados basicamente três meios de distribuição de TV por assinatura:

Microondas (MMDS - Multi-Channel Multi-Point Distribution System)

Satélite (DBS - Direct Broadcasting System) - (DTH - Direct-to-Home)

Cabo (CATV - Community Antenna Television / Cable Television)

Pág.:1

PEDRO DE ALCÂNTARA NETO – REDES DE CATV

O cabo opera na faixa de rádio-freqüência (50-750 MHz), o sistema de microondas opera em tomo de 2,5

GHz e o satélite nas bandas C (DBS) e Ku (DTH).

2.2.1

MMDS

Os sistemas MMDS caracterizam-se pela distribuição multicanal de sinais de TV através de portadoras de microondas. O equipamento de recepção de sinais de satélite e o equipamento transmissor ficam localizados num ponto de fácil recepção e retransmissão para os diversos assinantes. No transmissor, o processamento dos canais de TV se dá de forma semelhante ao processamento de Headend de CATV. A portadora, contendo a composição de vários canais de TV, é irradiada através de uma antena com diagrama de radiação setorial. No outro extremo, cada assinante possui um antena receptora que fica posicionada em visada direta com a antena transmissora. O sinal da portadora de microondas é recebido e convertido para a faixa de VHF, que é em seguida processado pelo Set-Top-Box ou conversor de TV do assinante.

Normalmente os sistemas MMDS possuem capacidade para a transmissão de 31 canais analógicos de TV, operando com freqüências de portadoras de 2,5 GHz a 2,7 GHz

com freqüências de portadoras de 2,5 GHz a 2,7 GHz 2.2.2 DBS A desvantagem desse sistema

2.2.2 DBS

A desvantagem desse sistema é que o sinal propaga-se na horizontal, montanhas, prédios ou outros obstáculos podem impedir sua recepção. Além disso, o alcance obtido na emissão de microondas é relativamente pequeno (potências típicas de transmissão de 2, 10, 50 e 100 Watts são conseguidas com esses sistemas, abrangendo uma área de atendimento entre 20 a 50km), caracterizando, assim como no sistema de cabo, uma operação regional.

O DBS em BANDA C, é um sistema de distribuição de sinal de vídeo analógico via satélite. É um sistema

que pode ser utilizado em locais como sítios fazendas navios e até mesmo para retransmissões de sinal. Um dos satélites usados para esse tipo de transmissão é o BRASILSAT B1(NET). Que usa ~4 GHz para transmissão e ~6 GHz para recepção.

Que usa ~4 GHz para transmissão e ~6 GHz para recepção. 2.2.3 DTH O DTH em

2.2.3 DTH

O DTH em BANDA KL) é um sistema de transmissão de sinais digitais de TV por satélite direto para sua casa. O sinal é captado em qualquer local do país por uma mini- parabólica de 60 a 110 cm, dependendo da localização e um decodificador menor que um videocassete, com imagem cinematográfica e som de CD.

1. Centros de transmissão realizam o "uplink" do sinal digital até o satélite. Galaxy III - R e Galaxy 8i(Directv), PAS - 3R e PAS 6(SKY), Intelsat 709(Tecsat).

2. O transponder é o dispositivo chave do satélite, responsável pela recepção e envio do sinal até à sua casa. A área de abrangência coberta pelo satélite é chamada de footprínt. Simplificando, quem está dentro do footprint pode receber o sinal sem problemas e quem estiver fora não receberá o sinal ou terá que utilizar uma antena super-dimensionada.

3. A antena na sua residência realiza o "downlink" do sinal do satélite. O sinal é convertido para uma freqüência mais baixa e vai para o IRD (decodificador).

2.2.4 Televisão a Cabo

e vai para o IRD (decodificador). 2.2.4 Televisão a Cabo Uma alternativa a transmissão por radiodifusão,

Uma alternativa a transmissão por radiodifusão, onde não se tinha sinais de boa qualidade ou o sinal não chegava devido a problemas de sombra ou outro qualquer, foi utilizar uma rede de cabo coaxial. Em 1948, em Astoria, no Oregon, um homem chamado Ed Parson, construiu o primeiro sistema de CATV, que consistia de algumas antenas e um amplificador para melhorar os sinais fracos de TV que ele recebia e um cabo com fios paralelos amarrados de telhado em telhado, até as casas de seus amigos e vizinhos, para conectá-los ao sistema. Em

Pág.:2

PEDRO DE ALCÂNTARA NETO – REDES DE CATV

1950, Bob Tartton construiu um sistema em Lansford, Pennsylvania, comprando o direito de passar cabo coaxial pelos postes da cidade. Surgindo assim os primeiros sistemas de CATV (Community Antenna Television).

Na década de 60, com o advento da TV colorida exigiu-se uma manutenção mais cuidadosa do sistema. Nesta época surgiu o conceito de canal de retorno, na faixa de 5 a 30 MHz, utilizada inicialmente para "status monitoring" (monitoração da rede de distribuição coaxial a partir do Headend).

da rede de distribuição coaxial a partir do Headend). No início dos anos 70, a necessidade

No início dos anos 70, a necessidade de maior capacidade de canais culminou com o surgimento do amplificador tipo "push-pull" que permitia a utilização do 50 a 300 MHz de largura de banda. A nova capacidade disponível de 36 canais logo tomou-se padrão na indústria. A partir do meio desta década tornou-se viável economicamente a utilização de canais de satélite específicos para CATV, uma vez que surgiram grandes distribuidoras nacionais para as redes de CATV, e emissoras especializadas em esportes, educação, compras, previsão do tempo, filmes, etc.

educação, compras, previsão do tempo, filmes, etc. No final dos anos 80, sistemas a cabo com
educação, compras, previsão do tempo, filmes, etc. No final dos anos 80, sistemas a cabo com

No final dos anos 80, sistemas a cabo com largura de banda de 50 a 450 MHz já eram comuns e a capacidade de algumas operadoras já chegava a 78 canais. Amplificadores mais sofisticados foram desenvolvidos para acompanhar esta demanda.

Hoje já estão disponíveis amplificadores na faixa de 50 a 750 MHz e até a faixa de 1GHz. E estão disponíveis muitos canais que não estão no ar, canais disponíveis por Pay-Per- View (PPV), ou Impulse-Pay-Per-View (IPPV) para filmes, jogos, etc, os quais utilizam o canal de retorno, ou telefone (automaticamente ou não). Ou ainda serviços de dados e telefonia.

Serão analisados dois grandes grupos: HEADEND/CMS E

REDE

2.3

Monocromático.

Composição

do

Sinal

Composto

de

Vídeo

O sinal composto de vídeo possui basicamente três partes,

informação de vídeo, pulsos de apagamento e pulsos de sincronismo.

A cada linha é incluído um pulso de sincronismo horizontal,

durante os pulsos de apagamento, que se dá a uma

freqüência de 15.750 Hz, os quais apagam o retraço quando

o feixe de elétrons volta da direita para a esquerda. Os

pulsos de apagamento vertical apagam as linhas de varredura produzidas quando o feixe de elétrons volta de baixo para o topo da imagem em cada campo, que se dá a uma freqüência de 60 Hz. Cada quadro é constituído de duas varreduras, linhas pares e linhas impares, totalizando 30 quadros por segundo.

Pág.:3

PEDRO DE ALCÂNTARA NETO – REDES DE CATV

O período de apagamento vertical começa com um grupo de 6 pulsos de equalização, espaçados de 1/2 linha, seguido de 6 pulsos de sincronismo (serrilhado) e mais 6 pulsos de equalização. Durante estes pulsos nenhuma informação de imagem é produzida, pois o nível do sinal é preto ou mais que preto.

2.3 Informação de Cor

do sinal é preto ou mais que preto. 2.3 Informação de Cor 2.5 Canal Padrão de
do sinal é preto ou mais que preto. 2.3 Informação de Cor 2.5 Canal Padrão de
do sinal é preto ou mais que preto. 2.3 Informação de Cor 2.5 Canal Padrão de

2.5 Canal Padrão de TV

Para a televisão a cores, a composição do vídeo inclui um sinal de crominância de 3,58 MHz. A figura abaixo mostra um sinal de vídeo, com e sem cor.

As amplitudes relativas na figura a, tem uma descida brusca do branco (primeira barra à esquerda) para o cinza e então a um nível próximo do preto. Estes níveis correspondem ao brilho relativo, ou luminância, valores para informação monocromática.

Na figura b, é adicionado ao sinal de vídeo um sinal de crominância de 3,58 MHz para as cores amarela, verde e azul escuro, esta informação de cor está na diferença de fase entre o sinal C e o sinal de burst. Como o nível médio deste sinal é o mesmo que o de luminância do sinal monocromático, este sinal pode ser reproduzido por um televisor preto e branco.

O burst é um sinal incluído no pórtico posterior ao sinal de

sincronismo horizontal, durante o pulso de apagamento, a fim

de sincronizar o oscilador de 3,58 MHz do receptor,

Os níveis do sinal composto é definido pelo IRE (Institute of Radio Engineers), atualmente chamado de IEEE (Institute of Electrical and Electronic Engineers). A escala IRE total é constituída de 140 unidades (-40 a 100). Este sinal é definido para uma polaridade de sincronismo negativa, com a qual passaremos a trabalhar.

A figura abaixo ilustra como os sinais de imagem e som ficam alojados em um canal de 6 MHz.

sinais de imagem e som ficam alojados em um canal de 6 MHz. • Vídeo: O

Vídeo: O sinal de vídeo junto com o sinal de crominância, com banda de 4 MHz, são modulados em AM VSB (Modulação AM com Banda Lateral Vestigial). Isto possibilita uma Banda total menor e uma modulação mais eficiente. O fato de um sinal modulado em AM possuir componentes de freqüência nas bandas laterais não o torna semelhante a modulação em freqüência. Em FM, a freqüência varia de acordo com a aiplitude do sinal modulante e não com a freqüência.

Cor: A portadora de som é suprimida, para reduzir a interferência de 3,58 Mhz, que poderá produzir pequenos pontos na tela.

Áudio: O sinal de áudio mono (50 a 15 kHz), é modulado em FM, com uma porcentagem de modulação de 60%, fazendo com que sua subportadora de 4,5 MHz acima da portadora de vídeo, tenha um desvio máximo de ±25 kHz, e simplesmente somada a banda do canal.

2.5.1

Som estéreo para TV

Antes da inclusão do sistema BTSC (Broadcasting Television System Committee), o sinal de Áudio transmitido no canal de TV era de boa qualidade, porém, limitado no número de canais. Com o BTSC o

Pág.:4

PEDRO DE ALCÂNTARA NETO – REDES DE CATV

sistema de som dos canais de TV ganhou mais um canal, formando o estéreo (L / R) e, além, disso, incorporou-se o SAP (Secpnd Audio Program), que nada mais é do que um terceiro canal de Áudio que pode ser utilizado para transmissão de um outra fonte (áudio em língua original de um filme dublado),

No espectro de áudio estéreo, além da banda base de 0 a 15 KHz, onde são somados L+R, há a c omposição de outros sinais. No sistema de TV, um piloto de 15 KHz é gerada a partir dos pulsos de sincronismo horizontais de vídeo (fh 15.740 Hz). Assim, usa-se o vídeo para gerar essa portadora. Uma portadora de freqüência 2.fh será modulada pela diferença dos canais L- R. A portadora do SAP é gerada a partir do quinto múltiplo de fh, gerando um sinal que será modulado com a fonte áudio SAP em banda base,

Há ainda a possibilidade de se inserir um canal de serviço a partir de 6.5 fh só para fins de comunicação e ntre centrais de transmissão ou transmissão de dados (texto, etc). Desta forma, gera-se um espectro MTS (Multichannel Television Sound) que modulará a portadora de áudio do canal de TV.

2.6 Características dos Principais Sistemas de TV

 

B

D

G

I

K

L

M

N

Linhas por Quadro

625

625

625

625

625

625

525

625

Quadros por Segundo

25

25

25

25

25

25

30

25

Freqüência de Campo (Hz)

50

50

50

50

50

50

60

50

Freqüência de Linha (Hz)

15.650

15.650

15.650

15.650

15.650

15.650

15.750

15.650

largura de Faixa (MHz)

5

6

6

5,5

6

6

4,2

4,2

Largura do Canal (MHz)

7

8

8

8

8

8

6

6

Espaço Vídeo/Áudio (MHz)

+5.5

+6.5

+5.5

+6

+6.5

+6.5

+4.5

+5.5

Modulação de Vídeo

N

N

N

N

N

P

N

N

Sinal de Áudio

FM

FM

FM

FM

FM

AM

FM

FM

Subportadora de Cor (MHz)

4.433

4,433

4,433

4,433

4,433

4,433

3,587

4,433

 

Sistema de

     

Sistema

   

País

Cor

VHF

UHF

País

de Cor

VHF

UHF

África do Sul

PAL

I

I

Israel

PAL

B

G

Alemanha

PAL

B

G

Itália

PAL

B

G

Arábi Saudita

PAL

B

G

Japão

NTSC

M

M

Argélia

PAL

B

 

Jordânia

PAL

B

G

Argentina

PAL

N

N

Kuait

PAL

B

G

Áustria

PAL

B

G

Líbano

SECAM

B

 

Bélgica

PAL

B

 

Líbia

SECAM

B

 

Brasil

PAL

M

M

Malta

PAL

B

 

Bulgária

SECAM

D

K

Malásia

PAL

B

G

China

PAL

D

K

México

NTSC

M

M

Chipre

PAL

B

G

Mônaco

SECAM

B

L

Coréia do Sul

NTSC

M

 

Nigéria

PAL

B

G

Dinamarca

PAL

B

G

Noruega

PAL

B

G

Egito

SECAM

B

G

Ornam

PAL

B

G

Emirados Árabes Unidos

PAL

B

G

Paquistão

PAL

B

 

Espanha

PAL

B

G

Polônia

SECAM

D

K

E.U.A.

NTSC

M

M

Portugal

PAL

B

G

Filipinas

NTSC

M

M

Quatar

PAL

B

 

Finlândia

PAL

B

G

Romênia

SECAM

D

K

França

SECAM

L

L

República Eslovaca

SECAM

D

K

Gibraltar

PAL

B

 

República Pop. Do lêmen

PAL

B

G

Grã-Bretanha

PAL

I

I

República Tcheca

SECAM

D

K

Grécia

SECAM

B

 

Rússia

SECAM

D

K

Holanda

PAL

B

 

Singapura

PAL

B

I

Hong Kong

PAL

I

I

Síria

SECAM

B

K

Hungria

SECAM

D

K

Suécia

PAL

B

G

índia

PAL

B

 

Suíça

PAL

B

G

Indonésia

PAL

B

 

Tailândia

PAL

B

 

Irã

SECAM

B

G

Tunísia

SECAM

B

 

Iraque

SECAM

B

 

Turquia

PAL

B

G

Islândia

PAL

B

G

Ucrânia

SECAM

D

K

3. Espectro de freqüências para TV e CATV

Pág.:5

PEDRO DE ALCÂNTARA NETO – REDES DE CATV

3.1 Alocação de Freqüências Para Canais de TV Via Cabo

3.1 Alocação de Freqüências Para Canais de TV Via Cabo Canal BW (MHz)   Portadora (MHz)

Canal

BW (MHz)

 

Portadora (MHz)

Canal

BW (MHz)

Portadora (MHz)

S.A.

Atual

 

Vídeo

Áudio

S.A.

Atual

 

Vídeo

Áudio

2

02

54-60

 

55.2500

59.7500

AA

 

37 300-306

301.2625

305.7625

3

03

60-66

 

61.2500

65.7500

BB

 

38 306-312

307.2625

311.7625

4

04

66-72

 

67.2500

71.7500

CC

 

39 312-318

313.2625

317.7625

5

05

76-82

 

77.2500

81.7500

DD

 

40 318-324

319.2625

323.7625

6

06

82-88

 

83.2500

87.7500

EE

 

41 324-330

325.2625

329.7625

A5

95

90-96

 

91.2500

95.7500

FF

 

42 330-336

331.2750

335.7750

A4

96

96-102

 

97.2500

101.7500

GG

 

43 336-342

337.2625

341.7625

A3

97

102-108

103.2500

107.7500

HH

 

44 342-348

343.2625

347.7625

A2

98

108-114

1

09.2750

113.7750

II

 

45 348-354

349.2625

353.7625

Al

99

114-120

115.2750

119.7750

JJ

 

46 354-360

355.2625

359.7625

A

14

120-126

121.2625

125.7625

KK

 

47 360-366

361.2625

365.7625

B

15

126-132

127.2625

131.7625

LL

 

48 366-372

367.2625

371.7625

C

16

132-138

133.2625

137.7625

MM

 

49 372-378

373.2625

377.7625

D

17

138-144

139.2500

143.7500

NN

 

50 378-384

379.2625

383.7625

E

18

144-150

145.2500

149.7500

00

 

51 384-390

385.2625

389.7625

F

19

150-156

151.2500

155.7500

PP

 

52 390-396

391.2625

395.7625

G

20

156-162

157.2500

161.7500

QQ

 

53 396-402

397.2625

401.7625

H

21

162-168

163.2500

167.7500

   

54 402-408

403.2500

407.7500

I

22

168-174

169.2500

173.7500

   

55 408-414

409.2500

413.7500

7

07

174-180

175.2500

179.7500

   

56 414-420

415.2500

419.7500

8

08

180-186

181.2500

185.7500

   

57 420-426

421.2500

425.7500

9

09

186-192

187.2500

191.7500

   

58 426-432

427.2500

431.7500

10

10

192-198

193.2500

197.7500

   

59 432-438

433.2500

437.7500

11

11

198-204

199.2500

203.7500

   

60 438-444

439.2500

443.7500

12

12

204-210

205.2500

209.7500

   

61 444-450

445.2500

449.7500

13

13

210-216

211.2500

215.7500

   

62 450-456

451.2500

455.7500

J

23

216-222

217.2500

221.7500

   

63 456-462

457.2500

461.7500

K

24

222-228

223.2500

227.7500

   

64 462-468

463.2500

467.7500

L

25

228-234

229.2625

233.7625

   

65 468-474

469.2500

473.7500

m

26

234-240

235.2625

239.7625

   

66 474-480

475.2500

479.7500

N

27

240-246

241.2625

245.7625

   

67 480-486

481.2500

485.7500

0

28

246-252

247.2625

251.7625

   

68 486-492

487.2500

491.7500

P

29

252-258

253.2625

257.7625

   

69 492-498

493.2500

497.7500

Q

30

258-264

259.2625

263.7625

   

70 498-504

499.2500

503.7500

R

31

264-270

265.2625

269.7625

   

71 504-510

505.2500

509.7500

S

32

270-276

271.2625

275.7625

   

72 510-516

511.2500

515.7500

T

33

276-282

277.2625

281.7625

   

73 516-522

517.2500

521.7500

U

34

282-288

283.2625

287.7625

   

74 522-528

523.2500

527.7500

V

35

288-294

289.2625

293.7625

   

75 528-534

529.2500

533.7500

w

36

294-300

295.2625

299.7625

   

76 534-540

535.2500

539.7500

Pág.:6

PEDRO DE ALCÂNTARA NETO – REDES DE CATV

 

Canal

BW (MHz)

Portadora (MHz)

Canal

BW (MHz)

Portadora (MHz)

S.

A.

Atual

 

Vídeo

Áudio

S.A.

Atual

 

Vídeo

Áudio

 

77

540-546

541,2500

545.7500

   

121 774-780

775.2500

779.7500

 

78

546-452

547.2500

551.7500

   

122 780-786

781.2500

785.7500

 

79

552-558

553.2500

557.7500

   

123 786-792

787.2500

791.7500

 

80

558-564

559.2500

563.7500

   

124 792-798

793.2500

797.7500

 

81

564-570

565.2500

569.7500

   

125 798-804

799.2500

803.7500

 

82

570-576

571.2500

575.7500

   

126 804-810

805.2500

809.7500

 

83

576-582

577.2500

581.7500

   

127 810-816

811.2500

815.7500

 

84

582-588

583.2500

587.7500

   

128 816-822

817.2500

821.7500

 

85

588-594

589.2500

593.7500

   

129 822-828

823.2500

827.7500

 

86

594-600

595.2500

599.7500

   

130 828-834

829.2500

833.7500

 

87

600-606

601.2500

605.7500

   

131 834-840

835.2500

839.7500

 

88

606-612

607.2500

611.7500

   

132 840-846

841.2500

845.7500

 

89

612-618

613.2500

617.7500

   

133 846-852

847.2500

851.7500

 

90

618-624

619.2500

623.7500

   

134 852-858

853.2500

857.7500

 

91

624-630

625.2500

629.7500

   

135 858-864

859.2500

863.7500

 

92

630-636

631.2500

635.7500

   

136 864-870

865.2500

869.7500

 

93

636-642

637.2500

641.7500

   

137 870-876

871.2500

875.7500

 

94

642-648

643.2500

647.7500

   

138 876-882

877.2500

881.7500

 

100

648-654

649.2500

653.7500

   

139 882-888

883.2500

887.7500

 

101

645-660

655.2500

659.7500

   

140 888-894

889.2500

893.7500

 

102

660-666

661.2500

665.7500

   

141 894-900

895.2500

899.7500

 

103

666-672

667.2500

671.7500

   

142 900-906

901.2500

905.7500

 

104

672-678

673.2500

677.7500

   

143 906-912

907.2500

911.7500

 

105

678-684

679.2500

683.7500

   

144 912-918

913.2500

917.7500

 

106

684-690

685.2500

689.7500

   

145 918-924

919.2500

923.7500

 

107

690-696

691.2500

695.7500

   

146 924-930

925.2500

929.7500

 

108

696-702

697.2500

701.7500

   

147 930-936

931.2500

935.7500

 

109

702-708

703.2500

707.7500

   

148 936-942

937.2500

941.7500

 

110

708-714

709.2500

713.7500

   

149 942-948

943.2500

947.7500

 

111

714-720

715.2500

719.7500

   

150 948-954

949.2500

953.7500

 

112

720-726

721.2500

725.7500

   

151 954-960

955.2500

959.7500

 

113

726-732

727.2500

731.7500

   

152 960-966

961.2500

965.7500

 

114

732-738

733.2500

737.7500

   

153 966-972

967.2500

971.7500

 

115

738-744

739.2500

743.7500

   

154 972-978

973,2500

977.7500

 

116

744-750

745.2500

749.7500

   

155 978-984

979.2500

983.7500

 

117

750-756

751.2500

755.7500

   

156 984-990

985.2500

989.7500

 

118

756-762

757.2500

761.7500

   

157 990-996

991.2500

995.7500

 

119

762-768

763.2500

767.7500

   

158 996-1002

997.2500

1001.7500

 

120

768-774

769.2500

773.7500

3.2 Alocação de Freqüências Para Canais de TV Via Ar

Canal

BW (MHz)

Portadora (M Hz)

Canal

BW (MHz)

Portadora (M Hz)

   

Vídeo

Croma

Áudio

   

Vídeo

Croma

Áudio

         

40 626-632

 

627.25

630.83

631.75

 

LoVHF

     

41 632-638

 

633.25

636.83

637.75

 

2 54-60

55.25

58.83

59.75

42 638-644

 

639.25

642.83

643.75

 

3 60-66

61.25

64.83

65.75

43 644-650

 

645.25

648.83

649.75

 

4 66-72

67.25

70.83

71.75

44 650-656

 

651.25

654.83

655.75

 

5 76-82

77.25

80.83

8175

45 656-662

 

657.25

660.83

661.75

 

6 82-88

83.25

86.83

87.75

46 662-668

 

663.25

666.83

667.75

         

47 668-674

 

669.25

672.83

673.75

 

HiVHF

     

48 674-680

 

675.25

678.83

679.75

 

7 174-180

175.25

178.83

179.75

49 680-686

 

681.25

684.83

685.75

 

8 180-186

181.25

184.83

185.75

50 686-692

 

687.25

690.83

691.75

 

9 186-192

187.25

190.83

191.75

51 692-698

 

693.25

696.83

697.75

 

10 92-198

193.25

196.83

197.75

52 698-704

 

699.25

702.83

703.75

 

11 198-204

199.25

202.83

203.75

53 704-710

 

705.25

708.83

709.75

 

12 204-210

205.25

208.83

209.75

54 710-716

 

711.25

714.83

715.75

 

13 210-216

211.25

214.83

215.75

55 716-722

 

717.25

720.83

721.75

         

56 722-728

 

723.25

726.83

727.75

 

UHF

     

57 728-734

 

729.25

732.83

733.75

 

14 470-476

471.25

474.83

475.75

58 734-740

 

735.25

738.83

739.75

 

15 476-482

477.25

480.83

481.75

59 740-746

 

741.25

744.83

745.75

 

16 482-488

483.25

486.83

487.75

60 746-752

 

747.25

750.83

751.75

 

17 488-494

489.25

492.83

493.75

61 752-758

 

753.25

756.83

757.75

 

18 494-500

495.25

498.83

499.75

62 758-764

 

759.25

762.83

763.75

 

19 500-506

501.25

504.83

505.75

63 764-770

 

765.25

768.83

769.75

 

20 506-512

507.25

510.83

511.75

64 770-776

 

771.25

774.83

775.75

Pág.:7

PEDRO DE ALCÂNTARA NETO – REDES DE CATV

21 512-518

513.25

516.83

517.75

65 776-782

777.25

780.83

781.75

22 518-524

519.25

522.83

523.75

66 782-788

783.25

786.83

787.75

23 524-530

525.25

528.83

529.75

67 788-794

789.25

792.83

793.75

24 530-536

531.25

534.83

535.75

68 794-800

795.25

798.83

799.75

25 536-542

537.25

540.83

541.75

69 800-806

801.25

804.83

805.75

26 542-548

543.25

546.83

547.75

70 800-812

807.25

810.83

811.75

27 548-554

549.25

552.83

553.75

71 812-818

813.25

816.83

817.75

28 554-560

555.25

558.83

559.75

72 818-824

819.25

822.83

823.75

29 560-566

561.25

564.83

565.75

73 824-830

825.25

828.83

829.75

30 566-572

567.25

570.83

571.75

74 830-836

831.25

834.83

835.75

31 572-578

573.25

576.83

577.75

75 830-842

837.25

840.83

841.75

32 578-584

579.25

582.83

583.75

76 842-848

843.25

846.83

847.75

33 584-590

585.25

588.83

589.75

77 848-854

849.25

852.83

853.75

34 590-596

591.25

594.83

595.75

78 854-860

855.25

858.83

859.75

35 596-602

597.25

600.83

601.75

79 860-866

861.25

864.83

865.75

36 602-608

603.25

606.83

607.75

80 866-872

867.25

870.83

871.75

37 608-614

609.25

612.83

613.75

81 872-878

873.25

876.83

877.75

38 614-620

615.25

618.83

619.75

82 878-884

879.25

882.83

883.75

39 620-626

621.25

624.83

625.75

83 884-890

885.25

888.83

889.75

4.

Sistema

Haviamos separado CATV em dois grandes sistemas. O Headend e a Rede

4.1

Headend

4.1.1

Provedor de Serviços

Poderemos ter muitos tipos de serviços, entre eles temos os voltados a vídeo, telefonia e dados.

Serviços de Vídeo:

CATV (Community Antenna Television): Serviço básico de transporte de canais broadcast para uma comunidade servida pelo cabo. O serviço é normalmente vendido em pacotes de n canais. Do ponto de vista da transmissão, são canais broadcast.

Canais Premium: São canais pagos separadamente por assinatura, tipicamente mensal. Do ponto de vista do sistema de transmissão, são canais broadcast, iguais aos de CATV. O sistema de embaralhamento e de gerência de clientes tratam estes canais de forma diferente.

PPV (Pay-Per-View): São canais pagos por evento. Tipicamente para filmes, eventos esportivos especiais, etc. A maioria das instalações ofertando serviços PPV requerem um pedido prévio do assinante (como no dia anterior ao evento) para liberar o canal. Sistema mais modernos permitem um certo nível de interatividade por parte do cliente, com liberação instantânea do canal por sinalização pela linha telefônica ou diretamente pela rede de retorno HFC.

NVOD (Near Video On Demand): Ou "Quase Vídeo Sob Demanda" é um serviço permitido ao assinante de escolher um filme, tipicamente de um "menu" de 5 á 10 filmes, para ser visto em horários preestabelecidos (tipicamente com início toda hora ou a cada meia hora). Este serviço é interessante no sentido de que parece ser realmente interativo do ponto de vista do assinante, ainda que puramente "broadcast" no que diz respeito á técnica de transmissão. Um filme de 2 horas ofertado como parte de um serviço NVOD com opção de início a cada meia hora será simplesmente transmitido em modo broadcast em quatro canais diferentes, sendo iniciado com meia hora de atraso em um canal e o anterior.

iniciado com meia hora de atraso em um canal e o anterior. • VOD (Vídeo sob

VOD (Vídeo sob Demanda): Um serviço onde o assinante tem escolha de uma grande biblioteca de filmes, podendo iniciar o filme no horário em que quiser, e tendo acesso a funções do tipo "video cassete". O VOD é um serviço realmente interativo, não só do ponto de vista do usuário, como também no'modo de transmissão. Um usuário assistindo um filme segura efetivamente de modo exclusivo um canal analógico ou digital, ou ainda pode receber todo o filme antes de mostrá-lo.

Pág.:8

PEDRO DE ALCÂNTARA NETO – REDES DE CATV

Programação Local, comunitária, anúncios locais: Este tipo de programação pode ser extremamente interessante para o operador da rede. O mesmo canal pode ser reutilizado com programas diferentes em cada localidade, e espaço publicitário pode ser vendido para comerciantes locais. Do ponto de vista da arquitetura de rede, estes canais são inseridos nos CDI's, servindo a comunidade dos CDI's ou parte da mesma. Esta técnica de inserção dos sinais na rede para transmissão para uma parte dos assinantes é chamada de "narrowcasting".

Telefonia

Telefonia e serviços associados: Variam desde telefonia básica, até interfaces dedicadas, digitais e analógicas, incluindo 64kbps, RDSI, com taxas de transmissão até 2Mbps (E1).

Serviços de Dados

MAN (Redes Metropolitanas): São redes usando geralmente protocolos assimétricos de pacotes,

e

agindo como redes "locais"em uma área urbana. Usuários típicos seriam empresas de grande

porte e suas filiais e/ou funcionários, bancos, cadeias de supermercados, universidades, órgãos governamentais, etc. (Arquiteturas lógicas em anéis). Estas redes podem usar vários protocolos (IP, ATM, Ethernet, etc) e são tipicamente simétricas.

Redes de acesso à Internet: Redes de transmissão permitindo o acesso á rede Internet mundial via transmissão de pacotes IP em alta velocidade. Estas redes são tipicamente assimétricas (O usoo do World Wide Web e serviços FTP, cria uma assimetria considerável no serviço).

4.1.2

Serviços de Vídeo

Recep ão dos sinais: As a

ç

ntenas para recepção dos sinais "do ar" e dos satélites devem ser colocadas e

a linhadas de tal maneira a se obter a melhor qualidade de sinal possível.

maneira a se obter a melhor qualidade de sinal possível. Demodulacão FDM: Demoduladores são utilizados quando

Demodulacão FDM:

Demoduladores são utilizados quando uma aplicação requer que o sinal de RF seja convertido para uma banda base de áudio e vídeo. A conversão para uma banda base permite:

A codificação do sinal para impedir seu uso sem autorização prévia;

A alteração da imagem e do som com imagens do gerador de caracteres, efeitos especiais, etc.

através da utilização de um switcher;

O controle da informação da imagem em grande detalhe através do uso de um aparelho de sincronização de quadros;

O

teste do sinal da banda base. O qual poderia então ser trocado com outros sinais da banda base

durante, ou antes, da transmissão destes para o modulador, que os redistribui pela rede.

4.1.3

CMS

o modulador, que os redistribui pela rede. 4.1.3 CMS Embaralhamento (Scrambling): Matrizes: Ligado ao sistema de

Embaralhamento (Scrambling):

Matrizes:

Ligado ao sistema de gerenciamento, permite, automática ou manualmente, trocar os caminhos dos canais, em casos de problemas em certos equipamentos.

Scramblers alteram o sinal de TV de forma que a televisão ou o Set-Top não consigam reproduzir o sinal sem a informação especial para restauração. Esta informação permite que o conversor (Set-Top) envie um sinal inteligível para o receptor de TV. Em alguns casos, tanto o vídeo quanto o áudio são alterados. Há dois sistemas básicos de scrambler: você pode tanto codificar o próprio sinal em banda básica ou a portadora de RF modulada. Há muitas variações dentro desses sistemas básicos. A codificação em banda básica permite as operadoras utilizar um número maior de técnicas na proteção de canais pagos de TV. -Um exemplo de codificação em banda básica é a inversão de vídeo (trocar o branco com o preto e vice-versa). Os sistemas

Pág.:9

PEDRO DE ALCÂNTARA NETO – REDES DE CATV

de codificação podem, ser utilizados em conjunto. A supressão do sincronismo, é uma técnica de codificação em RF, é muitas vezes utilizada em conjunto com- a inversão de vídeo.

Desembaralhamento (Descrambing):

Geralmente feito por dispositivos colocados na casa do assinante autorizado a receber determinados canais. 0 headend se comunica com o dispositivo de várias formas, pelo próprio cabo ou via telefone.

SAP:

Forma o sinal BTSC a ser transmitido para a banda base. Normalmente só é utilizado em canais estéreos.

Gerenciamento de Rede e Billing:

Envolve a cobrança e o gerenciamento da rede do cliente. A tendência atual é a globalização do gerenciamento, com o desenvolvimento de bancos de dados cada vez mais poderosos (inclusive georeferenciados), que permitem a visão geral do sistema à distância, não só dos serviços utilizados para efetuar a cobrança, mas também das condições técnicas da rede, facilitando também os serviços de manutenção e atendimento ao cliente.

Modulação:

Todos os canais são modulados, com freqüências diferentes e somados pelo Combiner, utilizando a técnica de FDM ("frequency-division multiplexing"). A combinação dessas portadoras moduladas dá origem a um sinal composto conhecido como "'RF Broadband Signal". Esse sinal pode então ser processado e embaralhado antes de ser enviado ao assinante.

4.2 REDE

4.2.1 Funções

1. Condução: Deve-se conduzir os sinais do headend até a casa do assinante. Isso é feito através de

cabos coaxiais ou fibras ópticas.

2. Divisão: 0 sinal de RF tem que ser dividido para que chegue às diversas residências.

3 Amplificação: 0 sinal de RF tem que ser amplificado a intervalos regulares ao longo do sistema (rede). Essa amplificação é necessária porque cada assinante da rede consome certa potência do sinal e também porque os cabos coaxiais atenuam significativamente a potência do sinal.

4 Conexão: Todas as partes, dispositivos, acessórios, etc. que compõe o sistema de TV a cabo devem, ser conectadas de tal forma a proporcionar condução elétrica dos sinais e evitar o "leaking", ou seja, o vazamento de sinais do cabo ou a entrada de sinais espúrios neste. A entrada de água ou vapor no cabo também deve ser impedida.

4.2.2 Equipamentos de Rede

Existem muitos equipamentos em uma rede, podemos dividi-los em Passivos e Ativos

4.2.2.1

Passivos

podemos dividi-los em Passivos e Ativos 4.2.2.1 Passivos Estes alimentação. equipamentos não possuem componentes

Estes

alimentação.

equipamentos

não

possuem

componentes

que

necessitam

de

Splitters e Coupiers: São os divisores de sinal, que podem ser divididos igualmente ou não. Esse processo implica em alguma perda de potência, pois existe perdas por inserção na divisão dos sinais.

Taps: São dispositivos que combinam splitters e coupiers com a função específica de derivar a rede até o assinante. Neste dispositivo o sinal é dividido em 2, 4 ou 8 partes iguais que são enviados aos assinantes. Este dispositivo não deixa o sinal AC passar para a casa do assinante, mas permite sua passagem pelos cabos de distribuição.

Power Insert: São utilizados para inserir alimentação AC na rede Coaxial, para alimentar todos os equipamentos Ativos da rede.

Pág.:10

PEDRO DE ALCÂNTARA NETO – REDES DE CATV

Conectores

Pin - Servem para fazer a conexão entre os feeder cables e os amplificadores ou os dispositivos passivos;

Feed-Thru - São semelhantes aos do tipo pin. Nesse caso o "pin" é o próprio condutor interno do cabo coaxial;

Splice - Servem para conectar dois equipamentos que serão alocados lado a lado no cabo coaxial;

"F" - Geralmente são utilizados para as conexões entre os Taps e os assinantes.

Cabos: O condutor central carrega todos os sinais de RF, e em alguns casos o sinal elétrico AC. No condutor externo é feito o aterramento elétrico. Nos sistemas de CATV o cabo coaxial tem uma impedância característica de 75 ohms, que é determinada pela relação diâmetro do condutor interno/diâmetro do condutor externo e é também afetada pela camada de dielétrico entre os dois condutores.

Outra característica importante dos cabos coaxiais é que para um determinado comprimento linear de cabo, quanto maior o diâmetro do cabo menor será a atenuação do sinal de RF e também quanto maior a freqüência maior será a atenuação do sinal de RF.

A temperatura do meio ambiente tem grande influência no comportamento dos cabos. Quanto maior a temperatura, maior será a atenuação no cabo.

Usualmente os cabos troncais possuem diâmetro maior do que os cabos de distribuição e os cabos drop (cabos que carregam o sinal de RF da rua até a casa do assinante) Os cabos troncais e os de distribuição geralmente possuem o condutor central de alumínio revestido de uma fina adoção da camada de cobre. O chamado "skin effect" é o responsável pela adoção da camada interna de alumínio, o que diminui o custo do cabo. A maioria dos cabos tipo drop possuem dois condutores externos em camadas de malha de alumínio, que servem para evitar vazamentos ou entrada de sinais expúrios.

4.2.2.2

Ativos

Amplificadores Troncais - Tipicamente um amplificador Troncal contém 3 módulos de amplificação troncal (que amplifica o sinal de ida conduzido pelo cabo troncal), um módulo de amplificação tipo bridger (que amplifica os sinais a serem distribuídos para os assinantes) e um módulo de amplificação de retorno (que amplifica sinais de retorno tanto dos assinantes quanto os troncais).

Nó Óptico - Semelhante a um amplificador Trocai mas possui entrada óptica.

Amplificadores De Distribuição (Line Extender) - Tipicamente, um amplificador de distribuição contém um módulo para amplificação dos sinais a serem distribuídos para os assinantes e um módulo para amplificação dos sinais de retomo dos assinantes.

para amplificação dos sinais de retomo dos assinantes. 4.3 Parâmetros de Desempenho de Sistemas de CATV

4.3 Parâmetros de Desempenho de Sistemas de CATV

Sistemas de CATV devem ser projetados obedecendo a um elevado padrão de qualidade na geração, transmissão e recepção de sinais. Descritos de acordo com normas regulamentadas pelas leis:

Lei n.8.977 (06/01/1995) - Dispõe sobre o Serviço de TV a Cabo

Decreto 2206/97 (14/04/1997) - Regulamento de TV a Cabo

Norma n. 13/96 - Detalha a regulamentação do Serviço de TV a Cabo

Veremos a seguir alguns destes critérios.

de TV a Cabo Veremos a seguir alguns destes critérios. 4.3.1 Níveis de Operação do Assinante

4.3.1 Níveis de Operação do Assinante

O

assinante deve receber no mínimo 1m V na saída do HCT, através de uma