Você está na página 1de 8

!

!" # " !
$ " % !
Introdução estacionalidade reprodutiva é o
fotoperíodo, caso a nutrição esteja
Durante sua evolução, os ovinos e os adequada.
caprinos desenvolveram alternativas
reprodutivas para assegurar o nascimento Diversas raças, principalmente
de suas crias nos períodos de maior nordestinas são ditas poliéstricas anuais,
fartura de água e alimentos. A princípio ou seja, apresentam cios durante todo o
somente o fotoperíodo e a estação ano, ao passo que raças mais ao sul do
climática foram relacionados à ocorrência Brasil são poliéstricas estacionais. Estas
de uma estação reprodutiva, entretanto, fêmeas apresentam ciclos estrais somente
outros fatores também tem se mostrado em período do ano onde os dias (período
importantes. No Brasil, onde encontramos de luz) são curtos, ou seja, no outono e no
grande diversidade geográfica, além do inverno. Nessa época, a diminuição da
fotoperíodo temos a incidência de chuvas quantidade de luz sensibiliza o nervo
e a variação das pastagens como fatores óptico e o conseqüente aumento da
que afetam a estacionalidade dessas secreção de melatonina pela glândula
espécies. pineal eleva a produção de gonadotrofinas
pela hipófise permitindo que as fêmeas
No Nordeste, onde o fotoperíodo pouco ciclem e entrem no cio.
afeta a estacionalidade dos animais,
observamos a qualidade de pasto e a Outro fator que interfere na reprodução
incidência de chuvas como os fatores desses animais é a nutrição. Sua
limitantes à reprodução desses animais. importância está relacionada a todas
No Sul, onde as estações do ano são mais etapas do processo reprodutivo, afetando
definidas, o fator que leva à tanto machos quanto fêmeas (fig 1).

' %# # % ' %# # %
( ( )
& %
$ % ! "
" #

Figura 1: Períodos do processo reprodutivo e a interferência da nutrição . Modificado de Martin et al. 2004

Os escores de condição corporal (tab. 1) reprodutiva, taxa de mortalidade


têm sido de grande utilidade na avaliação das crias e aos melhores
do estado nutricional dos pequenos resultados em programas de
ruminantes. Estas medidas refletem o grau sincronização de cios (tab. 2).
e armazenamento de energia do animal e
estão relacionadas à eficiência
Tabela 1: Escore de condição corporal (figura representativa da região lombar):

+ , ( % &
" +
* &+ - % % # % # .
% +
+ / & +

+ % ) &
% # +
* &+ - % 0 # +* % #
# +
+ / & +

+ % % +- 1%
( +
* &+ % % # %
% % +
+ & +

+ 2 " %
% % +
* &+ ' ( & %)
+
+ / & ) +

+ 2 " %
+
&+ 3 # +,
*
% +
+ / & ) +

Tabela 2: Influência da condição corporal ao parto sobre o comportamento e a


eficiência reprodutiva, de cabras e ovelhas, não suplementadas, em região tropical.

PS Fert Mortalidade
Espécie CC N P
(dias) (%) de crias (%)
Caprina <1 18 92 66,7 1,42 11,8
2 26 73 73,1 1,47 10,7
3 31 56 77,4 1,58 5,3
>3 15 58 73,3 1,52 6,7

Ovina <1 16 68 56,3 1,11 20,0


2 25 59 72,0 1,17 9,5
3 33 48 72,7 1,17 3,6
>3 4 56 71,4 1,20 6,7

CC = Condição Corporal; PS = Período de Serviço*; P. = Prolificidade; N = Número de Matrizes.


Condição corporal adequado à reprodução
FONTE: GONZALEZ-STAGNARO, 1991.

* O Período de Serviço é o tempo gasto, do início da estação de monta, para emprenhar uma fêmea.
Generalidades do controle do ciclo
estral em pequenos ruminantes • Concentra a mão de obra diminuindo
o número de horas extras ou
O ciclo estral é um conjunto de eventos problemas trabalhistas;
que se repetem sucessivamente. Nas • Induz ciclicidade em fêmeas em
ovelhas, o ciclo estral dura em torno de 17 anestro;
dias, enquanto nas cabras 21 dias. É
• Diminui o intervalo entre partos
dividido em fase luteal, onde há grande
aumentando o número de animais
concentração de progesterona plasmática
nascidos;
e fase folicular com maior concentração de
estrógeno, responsável pelas • Melhora a utilização do reprodutor;
características do cio. • Possibilita altas taxas de prenhez no
início das estações de monta;
• Permite a homogeneização dos lotes
com maiores ganhos na
( ( comercialização;
( • Aumenta a eficiência produtiva (tab. 3
! e 4)

( " (
Tabela 3: Eficiência produtiva de dois
( manejos reprodutivos em ovelhas

A progesterona é secretada pelo corpo Sistemas


lúteo, formado após a ovulação. Sua Índices
1 parto 3 partos
função é criar um ambiente uterino por ano em 2 anos
adequado à implantação do embrião. Caso IEP 12 meses 08 meses
não ocorra a fecundação, o útero libera IPC 07 meses 03 meses
prostaglandina F2 que lisa o corpo lúteo Nº lactações/ano 1 lactação 1,5 lactações
e diminui a progesterona circulante.
Período seco 9 meses 5 meses
Ocorre então o término da fase luteal e
após um aumento do estrógeno Período produtivo 08 meses/ano 12 meses/ano
plasmático, começa um novo cio (fase Per. Improdutivo* 04 meses/ano -?
folicular). Crias/ovelha/ano 1,4 cordeiros 2,1 cordeiros
IEP = intervalo entre partos
A utilização de hormônios exógenos, como IPC = intervalo parto concepção
o Progespon®, que é um análogo da * Não lactante e não gestante
Fonte: Fonseca (Embrapa)
progesterona e do Prolise®, um análogo da
prostaglandina F2 , tem por objetivo o
controle dessas fases permitindo, enfim, a
manipulação do ciclo estral. Outros Tabela 4: Eficiência produtiva de dois
hormônios utilizados são complementares manejos reprodutivos em Cabras
a eles permitindo um ajuste fino dessa
Sistemas
manipulação. Índices
1 parto 3 partos
por ano em 2 anos
Vantagens do controle do ciclo
IEP 12 meses 08 meses
estral
IPC 07 meses 03 meses
Nº lactações/ano 1 lactação 1,5 lactações
O controle do ciclo estral é feito através de
vários programas (chamados protocolos) Período seco 05 meses 02 meses
de sincronização de cio cujas vantagens Período produtivo 07 meses/ano 09 meses/ano
são: Per. Improdutivo 05 meses/ano 03 meses/ano

• Facilita o manejo; Crias/cabrito/ano 1,5 cabritos 2,25 cabritos


IEP = intervalo entre partos
• Concentra os cios; IPC = intervalo parto concepção
Fonte: Fonseca (Embrapa)
Metodologia da Sincronização de A Prostaglandina (PGF 2 alfa), utilizada
cio na forma de análogos sintéticos como D-
Cloprostenol, serve para lisar corpos
Os programas de sincronização de cio se lúteos que possam interferir na
tornaram possíveis graças aos esforços de sincronização, durante a estação de monta
pesquisadores que descobriram métodos ou em períodos de anestro, visto que
farmacológicos do controle do ciclo estral. algumas cabras e ovelhas podem
Dentre os vários hormônios existentes, apresentar atividade ovariana nesse
três já estão sendo intensamente período.
utilizados com os seguintes objetivos:
Os primeiros protocolos desenvolvidos
A Progesterona é o primeiro hormônio recomendavam manter a esponja vaginal
utilizado, geralmente aplicado sob a forma de progesterona por períodos de 12 a 14
de esponjas vaginais contendo análogos dias. Esses protocolos resultavam em
sintéticos. Ele prepara o ambiente uterino altas taxas de indução de cios nos animais
para uma nova gestação e o ovário para tratados, porém com baixa fertilidade. Isso
novas produções de folículos (oócitos). ocorria porque o tempo de manutenção
da esponja gerava um excessivo período
O eCG ou PMSG é outro hormônio de crescimento do folículo e
fundamental para indução de atividade envelhecimento do oócito (longa fase
ovariana em cabras e ovelhas em anestro. luteal).
Atua simulando a atividade dos hormônios
FSH e LH (responsáveis pelo Protocolos com menores períodos de
desenvolvimento folicular e ovulação) e manutenção da esponja vaginal de
consegue provocar o crescimento de progesterona foram então estudados, e
folículos mesmo durante os períodos de geraram taxas de concepção melhores,
inatividade nesses animais (anestro). sendo por isso hoje os mais aplicados.

PROTOCOLOS DE SINCRONIZAÇÃO

1. Protocolo Longo – Ovinos e Caprinos

' '
4% # $ % & 5 , 6, 7 , 5 8 7 # $ % &
9
'
3 # ()%
2. Protocolo Curto – somente caprinos

' '
4% # $ % & 5 , 6, 7 , 5 8 7 # $ % &
9
'
3 # ()%

* % % * & + # & & # , - $ # ), , & ) , (.

CABRAS
5 # ) : ;4 : 3
2 $ % : ;4 : 3
2 2% ;4 3

OVELHAS
5 # ) : ;4 : 3
2 $ % ;4 3
2 2% ;4 3

OUTROS PROTOCOLOS
(APENAS PARA FÊMEAS CICLANDO DENTRO DA ESTAÇÃO DE MONTA)

3. Protocolo Longo sem Novormon® - caprinos e ovinos

' ' '


4% # $ % & 3 # ()% 7 # $ % &
4. Protocolo de Sincronização com Prostaglandina - caprinos e ovinos

, / ! , / !

' '
3 # ()% 3 # ()%

Recomendações:
®
PROGESPON
• Injetar de 0,25 a 0,5 ml de antibiótico (oxitetraciclina) na esponja antes de inserí-la
para prevenir vaginites e aderências;
• Com o cordão, dar uma volta em torno do seu eixo longitudinal de forma a facilitar
sua retirada e evitar sua ruptura.

Monta Natural / Inseminação Artificial


• Em Monta Natural, atentar à proporção de 1 macho para 7 fêmeas, pois ocorre uma
concentração de aparecimento de cios em um intervalo muito curto de tempo. (Média =
90% das fêmeas em um prazo de três dias).
• A monta natural controlada aumenta a eficiência de uso do reprodutor.
• Caso seja utilizada inseminação artificial, utilizar 10 % a mais de rufiöes do que se
utiliza de rotina.

Os protocolos apresentados trazem altos reprodutivas capazes de aumentar a


benefícios ao produtor. Sua realização é produtividade de filhotes e leite porque:
bastante simples, demandando apenas:
• Conseguem induzir a ciclicidade e,
• Treinamento dos funcionários portanto levarem os animais a
responsáveis. conceberem em períodos antes
• Cuidados referentes à manipulação improdutivos.
adequada dos hormônios utilizados. • Diminuem o intervalo entre partos das
• Cuidados na aplicação, respeitando as fêmeas.
recomendações de vias de • Utilizando Inseminação Artificial, com
administração e doses, evitando sêmen de animais melhoradores,
variação de resultados, devido a erros aceleramos o processo de
humanos. melhoramento genético e obtemos
• Utilização de produtos de qualidade ganhos de produtividade e de valor
com comprovação de origem. dos animais.
• Lidar com animais com condições • São essenciais para o
sanitárias e nutricionais adequados. desenvolvimento de tecnologias como
transferência de embriões.
Conclusões: • Permitem programação de partos
visando épocas de melhor preço e
Os programas de sincronização de demanda de leite ou carne.
cabras e ovelhas são ferramentas
Descrição da linha de produtos Tecnopec para caprinos e ovinos:
1) PROGESPON®: esponja vaginal de poliuretano impregnadas com 60 mg de
Medroxiprogesterona, a moderna tecnologia de produção e controle de qualidade
garante alta eficácia e uniformidade de resultados deste produto. (Embalagens com 25
esponjas).

2) PROLISE®: análogo sintético de PGF 2 alfa (d-cloprostenol), todas as partidas são


testadas em laboratório e a campo, antes da liberação para o consumo. (Frascos de 20
ml e caixa com 2 ampolas de 2 ml).

3) NOVORMON 5000®: fonte altamente purificada de Gonadotrofina Coriônica de Éguas


Prenhes, devido a sua atividade folículo estimulante e luteinizante (FSH e LH), é
indicado para indução de cios, ovulação e superovulação na dependência da dosagem
e do programa utilizado. (Frasco ampola de 25 ml contendo 5.000 UI de PMSG
liofilizado com frasco ampola de 25 ml de diluente).

4) GESTRAN PLUS®: Análogo sintético de GnRH, à base de Lecirelina, possui alta


potência e longa duração de ação. Induz pico de LH para ovulação e/ou luteinização do
folículo. (Frasco ampola de 20 mL)

5) FOLLTROPIN®: Hormônio Folículo Estimulante (FSH) altamente purificado, extraído de


pituitárias suínas, com presença desprezível de LH, possibilitando resultados melhores
e mais homogêneos, nos protocolos de superovulação em diversas espécies animais.
(Frasco ampola de 20 mL contendo 400mg de FSH liofilizado com frasco ampola de 20
mL de diluente)

6) OVAGEN®: Hormônio Folículo Estimulante (FSH) altamente purificado, extraído de


pituitárias ovinas, com presença desprezível de LH, por ser proteína de origem ovina é
o superovulatório com melhores resultados para pequenos ruminantes do mercado.
(Frasco ampola 17,6 mg de FSH liofilizado com frasco ampola de 20 mL de diluente).

7) LUTROPIN®: Hormônio luteinizante puro, utilizado para indução de ovulação, formação


de corpo lúteo e tratamento de cistos foliculares. Muito utilizado em protocolos de
superovulação em doadoras (como indutor da ovulação) em programas de TE. (Frasco
ampola de 25 mg de LH com frasco ampola de 5 mL de diluente)

8) MEIOS EMCARE®: Meios de manutenção, congelamento e descongelamento


embrionários
(Holding/ Etileno/ Glicerol/ Sucrose), com exclusivo sistema zwiteriônico de
tamponamento que proporciona estabilidade de pH por várias horas e potencializa o
desenvolvimento embrionário. (apresentação: frascos de 20 ml ou Minipacks = ampolas
de 6 ml prontos para uso).

A Tecnopec está a disposição para esclarecer quaisquer dúvidas que possam surgir. Entre em
contato com nosso Departamento Técnico:

Tel: (0xx11) 5671-7070


e-mail: reproducao@tecnopec.com.br

Conheça nosso site e obtenha outras informações sobre reprodução animal e nossa linha de
produtos:

www.tecnopec.com.br