Você está na página 1de 3

THURSTONE TEMPERAMENT SCHEDULE

Introduzimos neste trabalho um exemplo de estudo correlacionado através da aplicação do teste de Thurstone Temperament Schedule que decorreu no Texas por John C. Loehlin, 1986, que incidiu sobre pares de gémeos monozigóticos e dizigóticos de ambos os sexos, uma família, veteranos da II Guerra Mundial e um caso de adopção, cujo objectivo era obter o resultado a cerca da contribuição genética e ambiental para o desenvolvimento da personalidade.

O teste Thurstone Temperament Schedule é constituído por um inventário de 140 itens e sobreposto por sete escalas de 20 itens. A definição original dos traços foi realizada a partir da análise factorial de baterias de questionário Guilford. No estudo foram definidas 3 tabelas. A primeira tabela e a mais importante, “Table I. TTS Scales” de sete escalas que identificam se o individuo tem

características de: “activo (inquieto; anda, fala, come, movimentações rápidas); vigoroso (gosta de ar livre, desporto, de trabalho com ferramentas); impulsivo (despreocupado, gosta de emoção, a mudança); dominante (não tímido, gosta de tomar a seu cargo); emocionalmente estável (não são facilmente distraídos ou chateado); sociável (gosta de estar com outras pessoas); reflexivo (gosta de ordem, precisão, trabalho com as ideias)”. Rosenman et al., 1976; Rahe et al., 1978 citado por Loehlin , 1986.

O TTS foi construído a partir de um conjunto de elementos descritivos da personalidade normal, com base na sua capacidade de discriminar indivíduos de alta e

A segunda teoria é a presença de variação genética aditiva ou seja se os traços de personalidade são devido aos efeitos de uma considerável configuração entre o número de genes independentes. (Thurstone. A terceira teoria invocada para explicar a baixa correlação de DZ é a concorrência ou os efeitos de contraste. 1986. Os não primos MZ. e compartilham. As respostas são: " sim ". Os itens da escala aplicada neste estudo são curtos e simples. “ Você consegue relaxar em locais ruidosos?”.Citado por John C. A interpretação conseguida e mais moderada das correlações entre irmãos adoptivos foram que os mecanismos da família no ambiente têm efeito sobre personalidade. etc. por exemplo: "De que forma você dirige um carro?”. parecem mostrar um moderado grau de semelhança em pelo menos alguns dos traços. essencialmente. têm não família. “Você gosta de trabalhar com as ferramentas?”. Se os gémeos dizigóticos procuram comportar-se de maneira diferente um do outro. se uma era o líder do outro. Como resultado do estudo foram encontradas três hipóteses ou teorias de explicar as correlações entre os dizigóticos e monozigóticos.baixa personalidade sobre os sete traços. Loehlin. isto é. por parte outro dos lado. seus que não genes. A primeira é que o ambiente dos gémeos MZ pode ser relativamente semelhante ao ambiente de gémeos DZ. . ou"não" para cada item. nula.1953). então a probabilidade de irmãos ou um pai e da criança com a mesma configuração toda poderia ser.

verificou-se haver correlações entre os filhos biológicos e seus pais e as crianças adoptadas pelas famílias de filhos adoptivos. há alguma evidência de efeitos de contraste entre gémeos dizigóticos no temperamento e na personalidade. foi verificado um efeito significativo de genes aditivos. possivelmente. variando entre características. O que veio acrescentar e comprovar com as seguintes conclusões gerais do estudo realizado e aqui dado como exemplo. isto é. excepto para gémeos monozigóticos. não há correlação elevada entre os gémeos monozigóticos. . o efeito de ambientes compartilhados é desprezível. mas não para os interesses compartilhados.Sobre a correlação entre pais e filhos. que incidiram sobre gémeos separados parecem apoiar a teoria ou seja os gémeos monozigóticos criados separadamente mostram uma correlação de variáveis de personalidade que é tão elevada como a de Gêmeos monozigóticos criados juntos. que pode ser o resultado de configuração de efeitos genéticos ou de auto-conceitos compartilhados ou ambientes. Os resultados de um estudo semelhante de Bouchard 1984. e seus colegas.