Você está na página 1de 11

REVISÃO - DESIGUALDADE, MÓDULO E FUNÇÕES

Marina Vargas R. P. Gonçalves a

a Departamento de Matemática, Universidade Federal do Paraná, marina.vargas@gmail.com, http://www.cesec.ufpr.br/ disciplinas/calculoI

1 REVISÃO DE DESIGUALDADE

O conjunto dos números reais será representado pela simbologia IR. Em IR estão definidas duas operações, adição (+) e multiplicação () e uma relação (). A adição associa a cada par (𝑥, 𝑦) de números reais um único número real, representado por 𝑥 + 𝑦, a multiplicação, um único real, indicado por 𝑥 𝑦. Admitiremos que a quádrupla (IR, +, , ) é um corpo ordenado, ou seja, satisfazem:

i) (𝑥 + 𝑦) + 𝑧 = 𝑥 + (𝑦 + 𝑧)

ii) 𝑦 + 𝑥 = 𝑥 + 𝑦

iii) 𝑥 + 0 = 𝑥

iv) Para todo 𝑥 IR existe um único 𝑦 IR tal que 𝑥 + 𝑦 = 0, ou seja 𝑥 = 𝑦. Denominamos esse 𝑦 de oposto de 𝑥, e o denotamos por 𝑥. Assim 𝑥 + (𝑥) = 0.

v) 𝑥(𝑦𝑧) = (𝑥𝑦)𝑧

vi) 𝑥𝑦 = 𝑦𝑥

vii) 𝑥 1 = 𝑥

viii) Para todo 𝑥 IR com 𝑥 = 0existe um único 𝑦 IR tal que 𝑥 𝑦 = 1. Tal 𝑦 é denominado de

1

inverso de 𝑥 e indicado por 𝑥 1 ou 𝑥 . Assim 𝑥 𝑥 1 = 1.

ix) 𝑥(𝑦 + 𝑧) = 𝑥𝑦 + 𝑥𝑧

x) 𝑥 𝑥

xi) 𝑥 𝑦 e 𝑦 𝑥 𝑥 = 𝑦

xii) 𝑥 𝑦 e 𝑦 𝑧 𝑥 𝑧

xiii) Quaisquer que sejam os reais 𝑥 e 𝑦, tem-se que 𝑥 𝑦 ou 𝑦 𝑥.

xiv) Quaisquer que sejam os números reais 𝑥, 𝑦, 𝑧, 𝑤 e

𝑥

𝑧

𝑤 } 𝑥 + 𝑧 𝑦 + 𝑤

𝑦

somando-se, membro a membro, desigualdades de mesmo sentido, obtém-se outra de mesmo sen- tido.

1

xv) Quaisquer que sejam os números reais 𝑥, 𝑦, 𝑧 e

𝑥

0

𝑦

𝑧

} 𝑥𝑧 𝑦𝑧

multiplicando-se ambos os membros de uma desigualdade por um mesmo número positivo, o sentido da desigualdade se mantém.

Desta forma é possível resolver a inequação a seguir

Exemplo 1.1

Solução:

5𝑥 + 3 < 2𝑥 + 7

5𝑥 + 3 < 2𝑥 + 7

5𝑥 < 2𝑥 + 4

3𝑥 < 4

𝑥 < 4

3

Assim, {𝑥 IR𝑥 < 4 }.

3

Graficamente:

− + 4 3 Figure 1 Exemplo 1.2 Estude o sinal da expressão 𝑥 −
+
4
3
Figure 1
Exemplo 1.2 Estude o sinal da expressão 𝑥 − 3
Solução:
∙ Se 𝑥 − 3 = 0 ⇒ 𝑥 = 3
∙ Se 𝑥 − 3 < 0 ⇒ 𝑥 < 3
∙ Se 𝑥 − 3 > 0 ⇒ 𝑥 > 3
Assim,
+
3

Figure 2

Exemplo 1.3 Determine o conjunto de valores de 𝑥 IR para os quais 2𝑥 𝑥 1 6

Solução:

𝑥 5

𝑥 1

2𝑥 6

1 < 0

𝑥 1 2𝑥 6 𝑥 + 1

< 0

𝑥 1

𝑥 5

𝑥 1

< 0

< 1.

− − − +   − 5 + + + + +   1 1

− −

− − −
− − −

+
+

+

+
  − 5 + + + + +  
 

5
5

+

+

  − 5 + +

+

+

+

 
 
− − − +   − 5 + + + + +   1 1 −

1

1

1 1 − 5 +

5

+

1 1 − 5 +

Figure 3

𝑥 5

𝑥 1

𝑥5

𝑥1

Assim, {𝑥 IR1 < 𝑥 < 5}.

Ver Exemplos 07, 08 e 09 das páginas 07, 08 e 09 - livro do Guidorizzi (1995). Ver Exemplo 08 da página 10 - livro do Leithold (1994).

2 REVISÃO DE MÓDULO

Seja 𝑥 um número real; definimos o módulo (ou valor absoluto) de 𝑥 por:

Definição 2.1

𝑥= {

𝑥

𝑥

se

se

𝑥 0 𝑥 < 0

(1)

Da definição (2.1), o valor absoluto de um número é um número positivo ou zero; ou seja, não negativo. Em termos geométricos, o valor absoluto de um número real 𝑥 é sua distância em relação ao valor zero.

o valor absoluto de um número real 𝑥 é sua distância em relação ao valor zero.
o valor absoluto de um número real 𝑥 é sua distância em relação ao valor zero.
o valor absoluto de um número real 𝑥 é sua distância em relação ao valor zero.
o valor absoluto de um número real 𝑥 é sua distância em relação ao valor zero.
o valor absoluto de um número real 𝑥 é sua distância em relação ao valor zero.

𝑥

0

𝑥

Figure 4

Exemplo 2.1

13= 13

∙ ∣ − 4= 4

∙ ∣0= 0

∙ ∣𝑥 2 = 𝑥 2

𝑥 1= {

𝑥 1, 𝑥 + 1

se

se

𝑥 1 𝑥 < 1

A desigualdade 𝑥< 𝑎, onde 𝑎 > 0, estabelece que na reta numérica real a distância da origem até o

ponto 𝑥 é menor que 𝑎 unidades; ou seja, 𝑎 < 𝑥 < 𝑎. Portanto, 𝑥 está no intervalo aberto (𝑎, 𝑎), ver

Fig.(5).

𝑎 < 𝑥 < 𝑎

𝑎, 𝑎 ) , ver Fig.( 5 ). − 𝑎 < 𝑥 < 𝑎 − 𝑎
𝑎, 𝑎 ) , ver Fig.( 5 ). − 𝑎 < 𝑥 < 𝑎 − 𝑎
𝑎, 𝑎 ) , ver Fig.( 5 ). − 𝑎 < 𝑥 < 𝑎 − 𝑎
𝑎, 𝑎 ) , ver Fig.( 5 ). − 𝑎 < 𝑥 < 𝑎 − 𝑎
𝑎, 𝑎 ) , ver Fig.( 5 ). − 𝑎 < 𝑥 < 𝑎 − 𝑎

𝑎

0

𝑎

𝑥< 𝑎

Figure 5

O que nos leva ao Teorema (2.1)

Teorema 2.1 Seja 𝑥 IR e 𝑎 > 0. Então

se e somente se

𝑥< 𝑎

𝑎 < 𝑥 < 𝑎

Demonstração: Como 𝑥= 𝑥 se 𝑥 0 e 𝑥= 𝑥 se 𝑥 < 0, segue que o conjunto solução da desigualdade 𝑥∣ ≤ 𝑎 é a união dos conjuntos

{𝑥 𝑥 < 𝑎 e 𝑥 0} e {𝑥 ∣ − 𝑥 < 𝑎 e 𝑥 < 0}

Observe que o primeiro desses conjuntos é equivalente a {𝑥 0 𝑥 < 𝑎}, e o segundo é equivalente a {𝑥 ∣ − 𝑎 < 𝑥 < 0} pois 𝑥 < 𝑎 é equivalente a 𝑥 > 𝑎. Assim o conjunto solução de 𝑥< 𝑎 é

{𝑥 0 𝑥 < 𝑎} ∪ {𝑥 ∣ − 𝑎 < 𝑥 < 0} ⇔ {𝑥 𝑎 < 𝑥 < 𝑎}

Comparando a desigualdade dada e o seu conjunto-solução, concluímos que

𝑥< 𝑎 ⇔ −𝑎 < 𝑥 < 𝑎

Exemplo 2.2 Resolva cada uma das equações para 𝑥.

a) 3𝑥 + 2=

5

b) 2𝑥 1=

4𝑥 + 3

c) 5𝑥 + 4= 3

Solução:

a) Essa equação estará satisfeita se

3𝑥 + 2 = 5 ou 3𝑥 2 = 5

Portanto 𝑥 = 1 ou 7

3

b) Essa equação estará satisfeita se

2𝑥 1 = 4𝑥 + 3 ou 2𝑥 1 = (4𝑥 + 3)

Portanto 𝑥 = 2 ou 1

3

c) Como o valor absoluto de um número não pode ser negativo, logo essa equação não tem solução.

Teorema 2.2 Se 𝑎, 𝑏 IR, então

Teorema 2.3

Se 𝑎, 𝑏 IR e 𝑏 = 0,

𝑎𝑏= 𝑎∣ ⋅ ∣𝑏

𝑎

𝑏

= 𝑎

𝑏

Teorema 2.4 (Desigualdade Triangular) Se 𝑎, 𝑏 IR, então

𝑎 + 𝑏∣ ≤ ∣𝑎+ 𝑏

Corolário 2.1 Se 𝑎, 𝑏 IR, então

𝑎 𝑏∣ ≤ ∣𝑎+ 𝑏

Corolário 2.2 Se 𝑎, 𝑏 IR, então

Ver Leithold (1994).

𝑎∣ − ∣𝑏∣ ≤ ∣𝑎 𝑏

3 REVISÃO DE FUNÇÕES

Definição 3.1 Entendemos por uma função 𝑓 uma terna

(2)

(3)

(4)

 

(𝐴, 𝐵, 𝑎

𝑏),

que também pode ser representada por

 

𝑓 :

𝐴

𝐵

 

𝑎

𝑏

𝑏, uma regra que nos permite associar a cada elemento 𝑎 de 𝐴

um único 𝑏 de 𝐵. O conjunto 𝐴 é o domínio de 𝑓 e indica-se por 𝐷 𝑓 , assim 𝐴 = 𝐷 𝑓 . O conjunto 𝐵 é o contradomínio de 𝑓 , então 𝐵 = 𝐶𝐷 𝑓 .

onde 𝐴 e 𝐵 são dois conjuntos e 𝑎

Definição 3.2 Quando 𝑥 percorre o domínio de 𝑓 , 𝑓 (𝑥) descreve um conjunto denominado imagem de 𝑓 . Este é indicado por 𝐼𝑚 𝑓 onde,

𝐼𝑚 𝑓 = {𝑓(𝑥)𝑥 𝐷 𝑓 }

ou

𝐼𝑚 𝑓 = {𝑦 𝐶𝐷 𝑓 ∣ ∃𝑥 𝐷 𝑓 com 𝑓 (𝑥) = 𝑦}

Uma função de 𝑓 de domínio 𝐴 e contradomínio 𝐵 é usualmente indicado por

𝑓 : 𝐴 𝐵.

Uma função de uma variável real a valores reais é uma função 𝑓 : 𝐴 𝐵, onde 𝐴 e 𝐵 são subcon- juntos de IR 1 .

Exemplo 3.1 Seja

Têm-se:

𝑓 :

IR

𝑥

IR

𝑥 3

.

a) 𝐷 𝑓 = IR;

b) 𝐼𝑚 𝑓 = {𝑦 = 𝑥 3 𝑦 IR}, pois para todo 𝑦 em IR existe 𝑥 real tal que 𝑥 3 = 𝑦.

c) O valor que 𝑓 assume em 𝑥 é 𝑓 (𝑥) = 𝑥 3 . Esta função associa a cada real 𝑥 o número real 𝑓 (𝑥) = 𝑥 3 .

Definição 3.3 O gráfico de uma função real 𝑓 : 𝐴 𝐵 é o subconjunto de pontos (𝑥, 𝑦) IR 2 tais que 𝑥 𝐷 𝑓 e 𝑦 = 𝑓(𝑥):

𝐺 𝑓 = {(𝑥, 𝑦) IR 2 𝑥 𝐷 𝑓 e 𝑦 = 𝑓(𝑥)}.

Exemplo 3.2 Seja 𝑓 a função dada por 𝑓 (𝑥) = 𝑥. Tem-se:

a) 𝐷 𝑓 = {𝑥 IR𝑥 0};

b) 𝐼𝑚 𝑓 = {𝑦 IR𝑦 0}, pois para todo 𝑦 em IR existe 𝑥 real tal que 𝑥 = 𝑦.

c) Gráfico de 𝑓 . A função 𝑓 é dada pela regra 𝑥 𝑦, 𝑦 = 𝑥. Quando 𝑥 cresce, y também cresce, sendo o crescimento de 𝑦 mais lento que o de 𝑥; quando 𝑥 aproxima-se de zero, 𝑦 também aproxima-se de zero, só que mais lentamente que 𝑥.

𝑥

𝑥

0

1

4

0

1

2

𝑦 2 𝑓(𝑥) 1 𝑥 1 4
𝑦
2
𝑓(𝑥)
1
𝑥
1
4

Figure 6

1

Exemplo 3.3 Considere a função 𝑔 dada por 𝑔(𝑥) = 𝑦 = 𝑥 . Tem-se:

1 Até menção em contrário, só trataremos com funções de uma variável real a valores reais.

a)

𝐷 𝑔 = {𝑥 IR𝑥 = 0};

b)

𝐼𝑚 𝑔 = {𝑦 IR𝑦 = 0}. Essa função associa a cada 𝑥 = 0 o real 𝑔(𝑥) = 1

𝑥 .

c) 𝑔(𝑥 + ) =

1

𝑥 + onde 𝑥 = .

d) Gráfico de 𝑔.

ℎ onde 𝑥 ∕ = − ℎ . d) Gráfico de 𝑔 . 3.1 Conceitos Fundamentais

3.1

Conceitos Fundamentais

1. Função Par:

Exemplo: 𝑓 (𝑥) =

𝑥 2 .

2. Função Ímpar:

Exemplo: 𝑓 (𝑥) = 𝑥 3 .

3. Funções por partes:

4. Função com valor absoluto:

ou ainda,

Figure 7: software Maple 13.

𝑓(𝑥) = 𝑓(𝑥).

𝑓(𝑥) = 𝑓(𝑥).

𝑓(𝑥) =

⎧ ⎨ 𝑥, 𝑥 2 ,

1,

𝑥 < 0 0 𝑥 1

𝑥 > 1

𝑓(𝑥) = 𝑥,

𝑓(𝑥) = { 𝑥, 𝑥,

𝑥 < 0 𝑥 0

5.

Função Composta:

𝑓 𝑔(𝑥) = 𝑓 (𝑔(𝑥)).

Exemplo: 𝑓 (𝑥 2 + 1) = 𝑥 2 + 1, sendo 𝑓 (𝑥) = 𝑥 e 𝑔(𝑥) = 𝑥 2 + 1.

6. Translação de Gráfico - Vertical

𝑦 = 𝑓(𝑥) + 𝑘

Translada o gráfico 𝑘 unidade para cima se 𝑘 > 0.

Translada o gráfico 𝑘unidade para baixo se 𝑘 < 0

∣ 𝑘 ∣ unidade para baixo se 𝑘 < 0 Figure 8: Para transladar o gráfico

Figure 8: Para transladar o gráfico 𝑓 (𝑥) = 𝑥 2 para cima (ou para baixo), adicionamos constantes positi- vas (ou negativas) à fórmula de 𝑓 .

7. Translação de Gráfico - Horizontal

𝑦 = 𝑓(𝑥 + )

Translada o gráfico unidade para a esquerda se ℎ > 0.

Translada o gráfico unidade para a direita se ℎ < 0

Figure 9: Para transladar o gráfico 𝑓 ( 𝑥 ) = 𝑥 2 para a

Figure 9: Para transladar o gráfico 𝑓 (𝑥) = 𝑥 2 para a esquerda, adicionamos uma constante positiva a 𝑥. Para transladar o gráfico para a direita, adicionamos uma constante negativa a 𝑥.

8. Função Injetora:

𝑥 1 , 𝑥 2 {

𝑥 1 = 𝑥 2

𝑓(𝑥 1 ) =

𝑓(𝑥 2 )

𝑥 1 = 𝑥 2

𝑓(𝑥 1 ) = 𝑓(𝑥 2 )

9.

10.

11.

Função Sobrejetora: Uma função é sobrejetora (ou sobrejetiva) quando o conjunto imagem coin- cide com o contradomínio da função.

Função Bijetora: Uma função bijetiva (função bijetora, correspondência biunívoca ou bijecção), é uma função injetiva e sobrejetiva (injetora e sobrejetora).

Função Inversa: 𝑓 (𝑥) tem que ser bijetora.

12.

13.

Observação 3.1

e

𝑓

1 (𝑥) =

1

𝑓(𝑥)

1

𝑓(𝑥) = [𝑓 (𝑥)] 1

Se 𝑓 é injetora ela pode ser invertida de modo que mande de volta cada valor assumido ao ponto do qual ele veio.

Função Exponencial:

𝑓(𝑥) = 𝑎 𝑥 , para 𝑎 > 1

Exemplo: 𝑓 (𝑥) = 2 𝑥 .

Função Logarítmica:

𝑦 = log 𝑎 𝑥 𝑥 = 𝑎 𝑦

Propriedades:

𝑎 log 𝑎 𝑥

= 𝑥

log 𝑎 𝑎 𝑥 = 𝑥,

(𝑎 > 0, 𝑎 = 1, 𝑥 > 0)

Mudança de base: log 𝑎 𝑥 = log log 𝑥 𝑎

14. Funções Trigonométricas:

𝑓(𝑥 + 𝑝) = 𝑓(𝑥)

para qualquer valor de 𝑥 e 𝑝 é o período da função.

Exemplo: cos(𝜃 + 2𝜋) = cos(𝜃) e 𝑝 = 2𝜋.

3.1.1 Coeficiente Angular

Definição 3.4 Seja a equação da reta 𝑦 = 𝑚𝑥 + 𝑏, onde 𝑦 para pelos pontos (𝑥 1 , 𝑦 1 ) e (𝑥 2 , 𝑦 2 ), então podemos dizer que 𝑚 é o coeficiente angular da reta 𝑦 com

𝑚 =

Δ𝑥 Δ𝑦 = 𝑦 2 𝑦 1 𝑥 2 𝑥 1

e a equação da reta 𝑦 pode ser reescrita como

𝑦 𝑦 1 = 𝑚(𝑥 𝑥 1 ) ou 𝑦 𝑦 2 = 𝑚(𝑥 𝑥 2 )

4 LISTA DE EXERCÍCIOS

1. Resolva as inequações:

a)𝑥 3

> 0

b)𝑥 + 3

6𝑥 2

c)2𝑥 + 1 3𝑥 2𝑥 1

d)

< 0

𝑥

𝑥

+ 1

3

e) 𝑥 2

1 < 0

f) 𝑥(2𝑥 1) 0

g) (2𝑥 3)(𝑥 2 + 1) < 0

2. Faça a análise de sinal das expressões

a) 5𝑥 4

b) 7 𝑥

6

c)

𝑥

𝑥

3

d)

(𝑥 1) (𝑥 1) 2

2 3𝑥 𝑥 + 2

e)

f) (𝑥 2)(𝑥 + 2)

g) (2𝑥 1)(𝑥 2 + 1)

3. Ache o conjunto solução das inequações:

b)

𝑥 2 + 4𝑥 + 7

> 3

4. Provar o Teorema (2.2) e os Corolários (2.1) e (2.2).

5. Calcule:

a) (1) e ( 2 ) , sendo (𝑥) = 𝑥 3 + 𝑥 2 3

1

b) 𝑔(0), 𝑔(2) e 𝑔( 2), sendo 𝑔(𝑥) =

𝑥

𝑥 2 1

6. Calcule o domínio de 𝑓 (𝑥) =

1

𝑥∣ − 𝑥

.

7. Escreva se as funções abaixo são funções pares, ímpares ou nenhuma delas e faça o gráfico de cada uma delas.

a) 𝑓 : IR IR, tal que 𝑥

b) 𝑓 : IR IR, tal que 𝑥

c) 𝑓 : IR IR, tal que 𝑥

𝑓 (𝑥) = 1 𝑥 4

𝑓 (𝑥) = 𝑥 5 + 𝑥

𝑓 (𝑥) = 2 𝑥 3

8. Existe uma função que seja par e ímpar ao mesmo tempo? Se existir, dê um exemplo.

REFERENCES

Guidorizzi H.L. Um Curso de Cálculo, volume I. LTC, 1995. Leithold L. O Cálculo com Geometria Analítica, volume I. Harbra, 1994.