Você está na página 1de 1
Objectivos atingidos e cumpridos durante os anos da existência da Associação Portuguesa em Guernsey! •

Objectivos atingidos e cumpridos durante os anos da existência da Associação Portuguesa em Guernsey!

Desde princípios da década de oitenta até fins da década de noventa, serviços consulares foram praticados e despachados gratuitamente a favor dos utentes residentes em Guernsey, aos quais eram cobrados simplesmente os emolumentos estipulados pela tabela de preços do Consulado Geral de Portugal em Londres.

Durante este período, o presidente de então da Associação Portuguesa em Guernsey participou em variadíssimas reuniões com os Srs. Virgílio Teixeira e Gonçalo Nuno dos Santos, Directores do Centro das Comunidades Madeirenses, bem como com outras entidades portuguesas e de Guernsey, nomeadamente, com os vários Departamentos da Administração Pública, designadamente, Assuntos Internos, Habitação, Assuntos Fiscais, Segurança Social, Indústria e Comércio. Estes encontros tiveram lugar no início da década de oitenta até fins da década de noventa, altura esta em que as indústrias da horticultura e da floricultura deixaram de ser viáveis. Embora muitos dos nossos conterrâneos tivessem diversificado as suas profissões, com a consequência de que das 3.000 pessoas passaram para um número estimado presentemente em 1.200, todo este empenho e cuidado, construídos ao longo destes anos, foram desenvolvidos para ajudar e fortalecer o bem-estar dos portugueses residentes na ilha de Guernsey.

Resumindo, quais foram os resultados da participação da Associação Portuguesa em Guernsey em prol dos membros da nossa Comunidade?

1. Contributo para que as Leis das Condições Laborais e do Salário Mínimo, bem como a melhoria das condições habitacionais fossem implementadas na ilha de Guernsey.

2. Abono de família: antes da década de oitenta, esta regalia não existia para os pais que tivessem os seus filhos em Portugal; contudo, depois de uma intervenção do Presidente de então da Associação e do Director das Comunidades Madeirenses, Sr. Gonçalo Santos, conseguimos que aquele subsídio passasse a ser atribuído com relação a todos os filhos, após muitas reuniões com a Direcção da Segurança Social.

3. A nossa ligação e cooperação, ao longo de muitos anos, com o então Senhor Secretário Regional dos Recursos Humanos, Dr. Brasão de Castro, e com o actual Director do Centro das Comunidades Madeirenses têm sido exemplares, salientando-se o envio de cantores de Música Ligeira e de Fadistas madeirenses para as festas realizadas em Guernsey, como por exemplo os Srs. João Fernandes e Noé Cró, além da consagrada cantora Vânia Fernandes e de outros artistas radicados em Londres. Infelizmente, devido à crise económica que o nosso país atravessa, nos últimos anos não tem sido possível a vinda de cantores. Refira-se que recebemos também com regularidade o boletim de notícias Madeira Emigrante, o qual colocamos no nosso blogue e no nosso espaço do Facebook.

4. Não esqueçamos também a criação e manutenção do blogue Website e do espaço no Facebook da Associação Portuguesa, os quais são actualizados diariamente com notícias e informação tanto para os membros da APG, como para todo o Mundo Lusófono que nos visita.

Em suma, a execução dos eventos realizados nas últimas décadas, particularmente, as celebrações de acontecimentos e datas nacionais mais importantes de Portugal, bem como a realização de outros convívios necessitam de gente dedicada e motivada na participação da vida activa da Associação. Por outro lado, é imperioso ter o apoio de todos os associados e de muitos dos cidadãos portugueses residentes nesta ilha, de igual modo tornarem-se membros associados e participarem na vida activa desta colectividade, pois, caso contrário, será difícil levar por diante a continuação desta Associação.

Guernsey, 25 de Abril 2012