Você está na página 1de 2

Tinta de escrever e madeira: misturas ou substâncias?

As ideias
• As substâncias presentes nas misturas podem separar-se.
• As substâncias das misturas podem estar distribuídas homogénea ou
heterogeneamente.
• No primeiro caso, todo o material tem o mesmo aspecto. No segundo caso, o aspecto não é
uniforme.
• Durante um aquecimento de um produto deve sempre agitar-se ligeiramente o tubo de ensaio,
sem deixar que se dê uma ebulição violenta. Esta regra de aquecimento deve ser respeitada
sempre.

O que é preciso :
• T ubos de ensaio.
• Lamparina ou bico de Bunsen.
• T inta de escrever e aparas de madeira.

O que se aprende
• A distinguir misturas de substâncias.
• A distinguir misturas heterogéneas e misturas homogéneas.

O que se faz
1 Colocar num tubo de ensaio uma pequena quantidade de tinta de
escrever.
2 Aquecer ligeiramente a tinta de escrever com uma lamparina ou um bico
de gás.
3 Observar o que se obtém nas paredes do tubo de ensaio.
4 Discutir se a tinta de escrever é uma substância ou uma mistura de
substâncias.
5 Examinar uma amostra de tinta de escrever e um pedaço de madeira, e
registar as diferenças que apresentam quanto à fase de agregação (sólida,
líquida ou gasosa) em que se encontram e quanto à sua homogeneidade.

Analisar
• Como se classificam, quanto à composição, homogeneidade e fase de agregação, os diversos
materiais.
• Como se manifestam a homogeneidade e a heterogeneidade das misturas nas fases sólida,
líquida e gasosa.
Soluções, misturas coloidais e suspensões
As ideias
• As misturas homogéneas podem ser soluções, misturas coloidais e suspensões.
• As partículas de uma substância que se mistura noutra podem estar muito bem
misturadas ou podem agregar-se em corpúsculos de maiores ou menores
dimensões.
• Nas suspensões, os corpúsculos resultantes da agregação das partículas são tão
grandes que se tornam visíveis a olho nú.
• Nas misturas coloidais, os corpúsculos formados pela agregação das partículas
já não são visíveis a olho nu, mas têm dimensões médias muito maiores do que
as moléculas.
• Nas soluções, as moléculas de soluto e solvente estão completamente
misturadas.

O que é preciso
• T ubos de ensaio.; Um copo de precipitados ou um balão erlenmeyer.;Gelatina,
iodo, areia, álcool e água destilada. ; Bico de Bunsen.; Espátula.

O que se aprende
• A distinguir os vários tipos de misturas homogéneas de substâncias: suspensões, misturas coloidais e
soluções.

l.a Experiência
1 Colocar dois pequenos cristais de iodo (retirá-los com a pinça) em dois tubos de ensaio, utilizando uma
espátula (Cuidado: evitar o contacto do iodo com a pele uma vez que se trata de uma substância corrosiva!).
2 Deitar num dos tubos de ensaio água. Registar o que se observa.
3 Deitar no outro tubo de ensaio álcool. Registar o que se observa.
4 Em qual das substâncias, água ou álcool, o iodo originou uma solução? Qual é o solvente? Qual é o soluto?

2.a Experiência

1 Deitar cerca de 2 g de gelatina (com uma espátula) em 50 cm 3 de água.

2 Agitar bem a mistura à medida que se aquece.

3 Deixar arrefecer alguns minutos.

4 Que aspecto tem a mistura obtida? E que nome genérico tem as misturas deste
tipo?

5 Em que difere esta mistura da que se obteve dissolvendo o iodo no álcool?

3.ª Experiência
1 Deitar em água alguma areia e agitar bem.
2 Decantar para outro copo o líquido, e examiná-lo depois de ser
homogeneizado por agitação.
3 Registar o aspecto que tem a «água suja». De que tipo de mistura se trata?

Analisar
• Por que razão as misturas coloidais, como a gelatina, têm um aspecto «espesso».
• Qual será o comportamento das soluções e das misturas coloidais perante as membranas porosas?