A Crise Ambiental

Profª: Jenna Gomes
Manaus
2014
Histórico
• Começou na década de 70;
• Consequência de ações antrópicas
• Origem no modelo capitalista de sistema produtivo;
Avidez pela apropriação de patrimônio e busca da riqueza;
Alguns aspectos culturais que podem ser considerados “não
evoluídos

Histórico
• Considerando que os recursos naturais são finitos e,
considerando que a avidez do homem é infinita, não
há compatibilidade entre estes dois elementos, fato
este que leva inevitavelmente a um choque entre as
necessidades humanas e o fornecimento de recursos
pela natureza. (Adelaide, 2014)
Histórico
• Desequilíbrio entre a oferta de recursos pela natureza
e a demanda destes recursos pelo homem para
atender suas necessidades.
Histórico
• Conferência sobre mudanças climáticas, em
Estocolmo, no ano de 1972.
• A partir dessa conferência outras surgiram, com
destaque para a Rio 92 (1992), a Kyoto (1997), a
Rio+10 (2002) e, mais recentemente, a Rio+20 (2012).
Histórico
• Apesar do pacto estabelecido no Protocolo de Kyoto
(1990) visar à redução de 55% das emissões totais de
dióxido de carbono no mundo, alguns países não
aderiram ao acordo.
• O exemplo mais emblemático é o dos Estados Unidos,
maior emissor mundial de carbono na atmosfera.
Consêquencias
• “Todos esses transtornos são decorrência do aumento
de apenas 1 grau na temperatura média do planeta
nos últimos 100 anos”. (OMM, 2006)
Consêquencias
• Desmatamento de florestas e avanço da
desertificação;
• Extinção irreversível de milhares ou até milhões de
espécies vegetais e animais, etc.
• Pela poluição das águas doces e marinhas;
• Poluição esta composta de produtos químicos,
orgânicos, lixo doméstico, de construção civil e
industrial;
Consêquencias
• Pelas movimentações de terras provocadas por
terraplenagens fazendo com que areias e outros
materiais sólidos cheguem até os rios, lagos e mares,
provocando assoreamento;
Consêquencias
• Pelas construções de grandes cidades e consequente
uso de cimento e asfalto;
• Na agricultura caracteriza-se pela monocultura, uso
excessivo de água doce nas plantações, pelo uso de
agrotóxicos e herbicidas;
• Na pecuária pelo desmatamento de florestas para
abrir áreas de pastagens, pela fabricação de rações,
pelo gás metano que os animais liberam;
Consêquencias
• No setor produtivo apresenta-se a emissão de gases
de efeito estufa e vapores d’água, de gases tóxicos e
partículas sólidas no ar, além de outros resíduos que
chegam ao solo e na água, e até mesmo a liberação de
água aquecida das indústrias nos mananciais da
região.

Consêquencias
• Os transtornos na natureza vão além das mudanças
climáticas, elas possuem efeitos econômicos locais:
Pescadores perdem seu meio de sobrevivência e
deixam de distribuir o seu produto para a população,
terras agrícolas deixam de ser férteis e florestas
repletas de matéria-prima desaparecem.
Catástrofes naturais como enchentes, secas,
terremotos e incêndios florestais aumentam a cada
dia sob o efeito da atividade humana (Brown, 2003).
Consêquencias
• Contaminação de alimentos por produtos químicos
nocivos à saúde humana, como agrotóxicos, adubos
químicos, hormônios e medicamentos aplicados
comumente ao gado para que ele cresça mais
rapidamente ou não contraia doenças.
Mudanças
• Estabilização da população;
• Mudança na geração de energia proveniente do
petróleo, carvão e gás natural para a energia eólica,
solar e geotérmica;
• Reestruturação do modelo linear de descarte para um
modelo cíclico de reutilização e reciclagem;
• Mudanças nas práticas agrícolas, respeitando o solo e
dando fim ao desmatamento que ocorre na produção
de alimentos.