Você está na página 1de 1

DESENVOLVIMENTO DE DIGESTOR ANAERÓBIO DE

BANCADA PARA PRODUÇÃO E PURIFICAÇÃO DE


BIOGÁS
Henrique Santos POUBEL1; Igor Braga LESSA2; Israel Gonçalves de SOUZA3; Délisson Freitas da SILVA
JÚNIOR4; Rodrigo Pimentel de OLIVEIRA JÚNIOR5; Adriano Henrique FERRAREZ6
1,2,3,4,5Discentes do Curso Técnico em Química do Instituto Federal Fluminense campus Itaperuna-RJ
6Professor do Instituto Federal Fluminense campus Itaperuna-RJ

INTRODUÇÃO
A produção de resíduos originários da atividade agropecuária consiste em um grande
problema ambiental que causa danos à saúde humana e animal. O manejo
inadequado desses resíduos, principalmente os dejetos da pecuária, provoca a
poluição dos rios e lençóis de água que abastecem tanto o meio rural como o urbano,
acarretando desequilíbrios ecológicos, disseminação de patógenos e contaminação
com amônia, nitratos e outros elementos tóxicos. A biodigestão anaeróbia é um
processo de conversão dos resíduos orgânicos em biogás/biometano pela ação de
microorganismos. O biogás, obtido a partir da digestão ou da codigestão anaeróbia de
resíduos orgânicos, se apresenta como alternativa sustentável para geração de energia
e substituição dos combustíveis fósseis. A Tabela 1 a seguir mostra as porcentagens
dos gases que compõe o biogás.

Figura 1 – Montagem do biodigestor de bancada


Na garrafa 1 (G1) foram colocados os dejetos suínos, na segunda garrafa (G2) foi
adicionado uma solução de hidróxido de sódio (NaOH) a 0,5 mol/l, para purificar o
biogás produzido, na terceira garrafa (G3) foram colocados 700 mL de água com
corante a ser deslocada pela pressão do biogás produzido para a quarta garrafa (G4)
vazia que irá mostrar o volume de biogás produzido. A redução do percentual de H2S
e do CO2 da composição do biogás produzido na garrafa 1 (G1) a partir dos dejetos
suínos se dá na garrafa (G2) onde ocorrem as reações mostradas nas equações 1 e 2:

𝟐 𝑵𝒂𝑶𝑯 + 𝑯𝟐 𝑺 → 𝑵𝒂𝟐 𝑺 + 𝟐𝑯𝟐 𝑶 (1)

𝟐 𝑵𝒂𝑶𝑯 + 𝑪𝑶𝟐 → 𝑵𝒂𝟐 𝑪𝑶𝟑 + 𝑯𝟐 𝑶 (2)


A principal desvantagem do biogás é que a sua formação se dá conjuntamente com
impurezas como o gás sulfídrico ou sulfeto de hidrogênio (H2S), dióxido de carbono A quantificação do biogás produzido é realizada por meio do volume de água
(CO2), vapor de água (H2O) e dióxido de enxofre (SO2). O gás sulfídrico (H2S) causa deslocado para a garrafa 4 (G4).
a corrosão dos equipamentos das plantas de biogás como mostra a Figura 1.

RESULTADOS E DISCUSSÃO
Espera-se a redução dos percentuais de gás sulfídrico (H2S) e dióxido de carbono
(CO2) com a aplicação da metodologia proposta nesse trabalho.

CONCLUSÕES
Os resultados obtidos serão comparados com os dados da literatura científica existente
sobre o tema.

Figura 1 – Efeitos do gás sulfídrico nos equipamentos de uma planta de biogás BIBLIOGRAFIA
A remoção dessas impurezas é fundamental para o bom funcionamento dos ANGONESE, André R.; CAMPOS, Alessandro T.; ZACARKIM, Carlos E.;
equipamentos e para o rendimento satisfatório na conversão do biogás em energia MATSUO, Melissa S.; CUNHA, Francielly. Eficiência energética de sistema de
térmica e elétrica. Os objetivos deste trabalho foram: (i) desenvolver um protótipo de produção de suínos com tratamento dos resíduos em biodigestor. Revista Brasileira de
digestor aneróbio de bancada para a purificação e produção de biogás; (ii) avaliar a Engenharia Agrícola e Ambiental. v.10, n.3, p.745-750, 2006.
produção de biogás no digestor anaeróbio de bancada; (iii) avaliar o percentual de
gases na composição do biogás produzido; (iv) comparar os percentuais de H2S e PEREIRA, Murilo Sagrillo; GODOY, Taís Pentiado; GODOY, Leoni Pentiado;
CO2 na composição do biogás produzido antes e depois do processo de purificação. BUENO, Wagner Pietrobelli; WEGNER, Roger da Silva. Energias renováveis: biogás
e energia elétrica provenientes de resíduos de suinocultura e bovinocultura na UFSM.
Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, Santa Maria, RS, v.
MATERIAL E MÉTODOS 19, n. 3, p. 239-247 Set.-Dez., 2015, Disponível em: <
https://periodicos.ufsm.br/reget/article/download/18064/pdf>. Acesso em: 26 maio.
O presente trabalho foi realizado no Laboratório de Energias Renováveis (LABER) do 2017.
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense Campus Itaperuna-
RJ. O protótipo foi construído utilizando quatro garrafas de vidro. Foi utilizado como ROYA, Bruno; FREITAS, Eduardo; BARROS, Evandro; ANDRADE, Fábio;
substrato dejetos de suínos diluídos em água. Para o processo de purificação do biogás PRAGANA, Michael. Biogás – uma energia limpa. Revista Eletrônica Novo Enfoque,
foi utilizada uma solução de hidróxido de sódio (NaOH). A Figura 2 a seguir mostra o v. 13, n. 13, p. 142 – 149, 2011. Disponível em:
esquema do digestor anaeróbio de bancada desenvolvido neste trabalho. <http://www.castelobranco.br/sistema/novoenfoque/files/13/artigos/12_BunoRoya_Bi
ogas_Prof_Djalma_VF.pdf>. Acesso em: 26 maio. 2017.

Instituto Federal Fluminense - Campus Itaperuna


Rodovia BR 356, s/nº - Itaperuna - RJ