Você está na página 1de 52

SANEAMENTO BÁSICO:

Introdução ao Saneamento

Professora: Iara Almeida


Conceito

“Saneamento é o controle de todos os fatores do meio físico do


homem, que exercem ou podem exercer efeitos nocivos sobre o bem estar
físico, mental e social” (OMS)

“ É o conjunto de medidas que visa preservar ou modificar as condições do


meio ambiente com a finalidade de prevenir doenças e promover a saúde,
melhorar a qualidade de vida da população e à produtividade do
indivíduo e facilitar a atividade econômica”

• Conjunto de ações socioeconômicas que têm por objetivo alcançar

Salubridade Ambiental. Associa sistemas constituídos por infraestrutura

física e uma estrutura educacional.


Saneamento Básico

• Abastecimento de água

• Esgotamento Sanitário

• Drenagem de Águas Pluviais

• Resíduos sólidos (Limpeza urbana)


Água
Recurso natural indispensável à vida;

A água é indispensável à vida das comunidades humanas, que


procuraram sempre instalar-se próximas desse precioso
recurso.

1% Disponível para consumo humano

99% Gelo (2%) + Mares e Oceanos (97%)

A água é importante sob o ponto de vista de

quantidade e qualidade.
Água

Impurezas da água:

• Origem física: relacionadas com a cor, turbidez,


sabor, odor e temperatura.
• Origem química: presença de sais, cloretos,
fluoretos, metais pesados e outros compostos
químicos.
• Origem biológica: presença de microrganismos
como bactérias, vírus, protozoários e vermes
causadores de doenças no homem.
Esgoto sanitário

Águas que, após a utilização humana, apresentam as


suas características naturais alteradas.

Qual a procedência?

Águas utilizadas nas residências,

restaurantes, escritórios e fábricas.

O esgoto contém produtos químicos nocivos e


microrganismos causadores de doenças.
Esgoto sanitário
Deve ser tratado antes do lançamento em corpo
receptor, conforme legislação aplicada.
Águas Pluviais

É a água proveniente das chuvas.

• Coletada pelos sistemas


urbanos de saneamento básico
nas chamadas galerias de
águas pluviais

(GAPs).

• Posteriormente lançadas nos


cursos d'água, lagos, lagoas,
baías ou no mar.
Águas Pluviais
As águas pluviais não podem se juntar ao esgoto
doméstico na tubulação destinada, porém muitas vezes
não é o que acontece.
Resíduos sólidos
São resíduos sólidos de origem:

• Doméstica;

• Industrial;

• Hospitalar.
Saneamento
•Oacesso ao saneamento reduz uma série
de enfermidades, que reflete desde no
aproveitamento escolar das crianças até
na produtividade do trabalhador.
Importância do Saneamento Básico
• Controle e prevenção de doenças;

• Promoção de hábitos higiênicos;

• Desenvolvimento de esportes;

• Melhoria da limpeza pública;

• Manutenção de praças e jardins;

• Combate a incêndios;

• Combate aos vetores;

• Desenvolvimento da economia;

• Incentivo ao turismo.
Falta de saneamento = impacto
“Qualquer alteração nas propriedades físicas, químicas e
biológicas do ambiente causada por qualquer forma de matéria
ou energia resultante das atividades humanas que, direta ou
indiretamente, afetem: “a saúde, a segurança e o bem estar da
população; as atividades sociais e econômicas; a biota; as
condições estéticas e sanitárias do ambiente e a qualidade dos
recursos ambientais” (Resolução CONAMA 01/86).

• Falta de água potável;


• Falta de coleta e tratamento de esgotos;
• Falta de coleta, tratamento e destinação final adequada de
resíduos sólidos.
Falta de saneamento = impacto

Esgoto a céu aberto


Fonte: Instituto de pesquisas Tecnológicas.

Esgoto a céu aberto, coleta, tratamento e disposição final inadequada


Fonte: Instituto de Pesquisas Tecnológicas
Impacto: Doenças de veiculação hídrica

• De várias maneiras a água pode afetar a saúde do homem:

 Ingestão direta;

 Preparo de alimentos;

 Higiene pessoal;

 Processos industriais;

 Atividades de lazer.

 Agricultura;

 Higiene do ambiente.
Impacto: Doenças de veiculação hídrica

• Os riscos para a saúde relacionados com a água podem ser


distribuídos em duas categorias:

 Riscos relacionados com a ingestão de água contaminada por


agentes biológicos (bactérias, vírus, e parasitos), pelo contato
direto, ou por meio de insetos vetores que necessitam da água
em seu ciclo biológico;

 Riscos derivados de poluentes químicos e radioativos,


geralmente efluentes de esgotos industriais, ou causados por
acidentes ambientais.
Doenças – agentes biológicos
Os principais agentes biológicos encontrados nas águas
contaminadas são as bactérias patogênicas, os vírus e os
parasitos. As bactérias patogênicas encontradas na água e/ou
alimentos constituem uma das principais fontes de morbidade e
mortalidade em nosso meio. São responsáveis por numerosos
casos de enterites, diarreias infantis e doenças
endêmicas/epidêmicas (como a cólera e a febre tifóide), que
podem resultar em casos letais.
Doenças – agentes biológicos

Diarréia é uma das doenças que mais


aflige a humanidade. Entre as causas
dessa doença destacam-se as condições
inadequadas de saneamento.
Doenças – agentes biológicos (FUNASA)

SANEAMENTO BÁSICO
Doenças – agentes radioativos
 Agente físico relevante: Radiação Ionizante

 Causa doenças como neoplasias e depressão imunológica: os


tecidos mais suscetíveis à carcinogênese relacionados a
exposição à radiação ionizante são a medula óssea, a mama
e a tireóide;

 Acidentes em usinas nucleares ou com artefatos nucleares:


contaminam com radioatividade ecossistemas fluviais,
lacustres ou marinhos.
Doenças – agentes radioativos
 Contaminação direta: acidente ocorrido em 1954, quando os
americanos realizavam um teste com uma bomba de hidrogênio na
costa ocidental do Pacífico e uma mudança de ventos levou cinzas
radioativas em direção das ilhas Marshall (Oceania), contaminando,
com grande carga de radioatividade, uma faixa de oceano de 410km de
comprimento por 75km de largura. Quinze dias depois deste episódio, o
barco pesqueiro Fururyu Maru antecipou seu retorno à terra, pois 23
membros de sua tripulação apresentavam sinais de doença aguda por
radiação ionizante. Seis meses depois, faleceu o primeiro dos
tripulantes afetados. Dos demais, nada foi noticiado.

 Contaminação indireta: reator nuclear de Hartford, no Rio


Columbia, nos Estados Unidos. As águas do rio Columbia, naquele
ponto, continham uma quantidade mínima de radioatividade. Os
plânctons que se alimentavam daquelas águas apresentavam uma
concentração duas mil vezes maior do que o normal. Os peixes que
comiam os plânctons apresentavam uma concentração quinze mil vezes
maior e, nos marrecos que comiam os peixes, encontrou-se uma
concentração quarenta mil vezes maior. Supõe-se que as crianças do
Oregon, Washington e Idaho receberam doses de radiação suficiente para
gerar todo tipo de tumores e enfermidades graves.
Doenças – agentes químicos
As substâncias químicas produzidas como dejetos das atividades
humanas são muito numerosas.

 Entre as substâncias orgânicas, o Benzeno é frequentemente encontrado


em efluentes de indústrias químicas. É usado nas indústrias de petróleo,
detergentes, explosivos, farmacêuticas, inseticidas, fotogravura, borracha,
couro, adesivos e colas, plástico, solventes e removedores de tintas,
siderúrgicas, metalúrgicas, etc. Quando descartado sem tratamento nos rios,
pode provocar depressão imunológica nas pessoas cronicamente
contaminadas alterações hematológicas, leucemia. Substância química com
evidências suficientes de carcinogenicidade em seres humanos (IARC).

 Os Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPAs), também


compostos orgânicos, são comprovadamente cancerígenos (IARC). São
encontrados usualmente nos efluentes de indústrias siderúrgicas.

 Os Compostos Organoclorados (DDT e BHC) podem aumentar o risco de


câncer de mama.

 Entre os metais tóxicos vale ressaltar o Mercúrio, o Cádmio, o Zinco e o


Chumbo.
Impactos causados por resíduos sólidos
• Meio Aquático:
Poluição em águas superficiais:

 Escoamento do lixiviado ou pelo lixo carreado pelas chuvas;

 As águas superficiais receptoras de lixiviado terão uso limitado;

 Os resíduos urbanos carreados pelas chuvas que chegam aos canais de


drenagem superficiais contribuirão para a sua obstrução e, consequentemente,
para o prejuízo das águas na região.

Poluição em águas subterrâneas:

 Movimento vertical da água de percolação proveniente da precipitação,


irrigação ou do próprio lixo, atingindo o lençol d’ água;

 Transferência de gases solúveis na água produzidos pela decomposição do lixo


- mecanismos de difusão e convecção;

 Lixiviado atingindo lençóis de água subterrânea - comprometimento de poços


artesianos.
Doenças – agentes químicos
Em 1939, na Baía de Minamata, no Japão, uma unidade industrial começou
a lançar, nas águas, catalisadores usados contendo restos mercúrio. Alguns
anos depois, cães, pássaros e gatos começaram a apresentar comportamentos
anormais, alterações e outras desordens neurológicas. Foram detectados
sinais e sintomas neurológicos graves nas famílias de pescadores com
centenas de mortes por intoxicação mercurial crônica, que ficou conhecida
como “Doença de Minamata”.

Em Minamata, não houve consumo de água contaminada, pois eram águas


marinhas. O mercúrio entrou na base da cadeia alimentar absorvido pelos
plânctons, que foram ingeridos pelos peixes, que foram ingeridos pelos
pássaros, pelos gatos e pelos homens.

A grande lição de Minamata está em que, ao se lançar agrotóxicos ou


metais pesados ou quaisquer poluentes não degradáveis no solo, nos
rios, na atmosfera ou nos mares, não se está lançando para o nada ou
para algum imaginário “buraco negro” despoluente. Na verdade se
está lançando poluentes em um ecossistema que tem capacidade
limitada de receber e reciclar dejetos.
Impactos causados por resíduos sólidos

• Meio Atmosférico:

 Material particulado - poeiras suspensas oriundas do próprio lixo,


da operação de despejo e das vias de acesso dos caminhões de lixo

 Queima do Lixo - problemas de visibilidade e produção de cinzas

 Chuva Ácida – A chuva ácida ocorre quando alguns óxidos se


encontram na atmosfera e quando entram em contato com o vapor de
água formam substâncias ácidas [H2SO4] e [HNO3]) que precipitam
em forma de chuva, mais precisamente de chuva ácida

 Transformações Biológicas – fermentação da matéria orgânica


presente nos resíduos por microrganismos, dentro de determinados
limites de temperatura, % umidade e acidez, em ambiente anaeróbio -
produção de biogás – CH4 e CO2
Impactos causados por resíduos sólidos

• Meio Terrestre:
O solo é um compartimento ambiental (mais) estático e não se
regenera com facilidade, ao contrário do ar e da água.

 As complexas reações químicas que acontecem no solo são possíveis pela


presença de milhares de espécies de microrganismos, como bactérias, fungos,
algas e ainda vermes, protozoários, minhocas, entre outros;

 O transporte, a fixação e reações de oxidação e redução de elementos


químicos tais como: nitrogênio, carbono, ferro, manganês e enxofre são
realizados por bactérias que habitam o solo;

 Disposição de resíduos tóxicos sobre o solo – morte dos microrganismos,


comprometendo diretamente todo o sistema de respiração do solo;

 A água que permeia cada horizonte do solo pode carrear substâncias tóxicas -
o grau de contaminação dos solos depende principalmente da sua porosidade,
capacidade de troca de íons e capacidade de absorver e precipitar os sólidos
dissolvidos.
Impactos causados por resíduos sólidos
• Saúde pública:

Proliferação de Vetores - inúmeros vetores transmissores de doenças


encontram no lixo as condições ideais de proliferação

 Roedores – transmitem doenças por mordedura, por suas fezes, urina ou pela
ação de seus ectoparasitas

Doenças: Peste bubônica; Leptospirose; Icterícia hemorrágica;

 Insetos – moscas, mosquitos, pulgas e baratas

Doenças: Febre tifóide; Diarréias infecciosas; Peste bubônica; Leishmaniose;


Febre amarela; Malária; Filariose; Dengue

 Animais que se alimentam do lixo – urubus, porcos e aves

Doenças: Toxoplasmose; Triquinelose; Cisticerose


Impactos causados por resíduos sólidos

• Saúde pública:

Contaminação da
Cadeia Alimentar –
vegetais e animais
podem acumular
substâncias químicas
persistentes, que
alcançarão o homem via
cadeia alimentar.
Ex. organoclorados –
BIOACUMULAÇÃO e
BIOMAGNIFICAÇÃO
Impactos causados ao homem por metais pesados
Impactos causados por resíduos sólidos

• Visual e sonora:

 A poluição visual fica caracterizada pelo aspecto


antiestético causado pelos resíduos expostos, além do
mal-estar ocasionado pela presença de vetores,
fazendo com que as áreas de despejo provoquem nojo
e repulsa em grande parte da população;

 A poluição sonora observada nas áreas de


despejo de resíduos é em função do intenso trânsito
de caminhões de lixo e das máquinas responsáveis
pela operação de funcionamento dos aterros
sanitários.
Impactos causados por resíduos sólidos

• Visual e sonora:
Impactos causados por resíduos sólidos

• Socioeconômico:

Pessoas pobres são atraídas para trabalhar no


lixo.

Catação de materiais para venda e de restos de comida estragada e/ou


contaminada para consumo próprio;

 Exposição a acidentes e doenças por cacos de vidro, ferros retorcidos,


resíduos químicos e tóxicos;

Existe a necessidade de INTEGRAÇÃO SOCIAL!


Saneamento no Mundo (Dados Instituto
Trata Brasil)
Saneamento no Mundo
Saneamento no Mundo - Água
Saneamento no Mundo - Banheiros
Saneamento no Mundo - Saúde
Saneamento no Brasil - Água
Saneamento no Brasil - Água
Saneamento no Brasil - Esgoto
Saneamento no Brasil - Esgoto
Saneamento no Brasil - Universalização
Saneamento no Rio de Janeiro
Algumas metas a serem atendidas

• O saneamento básico será eficiente quando se adotar


alternativas tecnológicas, juntamente com a aplicação de
sanções legais e metas de qualidade da água. Instituir e fazer
funcionar os comitês de bacias hidrográficas (Lei Federal 9.433)
com acentuada densidade demográfica a fim de viabilizar
soluções municipais e criativas para o setor.
• Atingir a universalização, com qualidade, dos serviços.
• Reduzir as perda de água.
• Aumentar a reutilização das águas cinzas.
• Fortalecer pesquisas para viabilizar economicamente as fontes
de energias alternativas.
Considerações finais

• A universalização do saneamento teria efeitos expressivos sobre


a mortalidade por infecções gastrintestinais, o que representa
um ganho inestimável em saúde;

• O investimento em saneamento diminuiria os custos de


tratamento da água para abastecimento, melhoraria o potencial
produtivo das pessoas, geraria empregos, desenvolveria
turismos, conservação ambiental, cresceria o mercado
imobiliário e novos negócios se desenvolveriam em áreas
“saudáveis”;

• Mesmo com os diversos meios de comunicação existentes,


verifica-se a falta de divulgação desses conhecimentos.
Considerações finais

• Em áreas rurais são apresentados maiores problemas


sanitários.

• O processo saúde versus doença não deve ser entendido


como uma questão puramente individual e sim como um
problema coletivo.

• Ainda há muito a se investir na área de Saneamento,


visto que muitas regiões ainda carecem de atendimento e
universalização, e com isso sofrem não só problemas de
ambientais, como também de saúde e socioeconômicos.
Busca de dados SANEAMENTO:
Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento - SNIS
Este banco é utilizado para realizar estudos de ranking de saneamento no
Instituto Trata Brasil, assim como serve de base para inúmeros outros
estudos.
http://www.snis.gov.br/aplicacao-web-serie-historica
Exercício de sala de aula

1. Quais são as quatro vertentes do saneamento básico no


Brasil, segundo a legislação?
2. Qual é o percentual de esgoto tratado no Brasil?
3. Qual é o percentual de esgoto coletado no Brasil?
4. Qual a diferença entre esgoto coletado e esgoto
tratado?
5. Qual é o percentual de atendimento de água tratada no
país?
6. O que é água potável?
7. Quem é o responsável legal pelo saneamento?
8. De onde vem a água que abastece as nossas casas e
para onde vai o esgoto?
9. No entendimento do grupo, qual é o principal poluente
dos rios? Justifique.
10. Qual a principal diferença entre lixão e aterro sanitário?
Exercício de sala de aula
11. Apresente propostas de soluções para as questões abaixo
voltadas ao Saneamento:

a) Os prazos para o país atingir a universalização dos serviços não


têm sido atingidos, principalmente em relação a coleta e tratamento
do esgoto, e nem está perto de ser alcançado. Os investimentos no
setor muitas vezes não são executados por falta de investimento.
b) A maior parcela de internações por doenças infecciosas e
parasitárias estão associadas a falta de saneamento básico.
c) Falta de percepção do ambiente para a falta do saneamento e sua
relação com o ambiente, em termos de qualidade de vida, saúde,
socioeconômico e ambiental.
d) Há desrespeito aos recursos naturais, como desperdício de água e
poluição de ecossistemas terrestres e aquáticos, em geral.
e) Contas altas de fornecimento de serviços de água e esgoto.
f) A ocorrência de eventos naturais extremos é inevitável
g) Sistema de abastecimento de água ineficiente por conta de perdas
d’água.