Você está na página 1de 12

Universidade Estadual de Santa Cruz

Departamento de Letras e Artes


Mestrado Profissional em Letras - ProfLetras

AS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS COMO RECURSO PARA


PRODUÇÃO TEXTUAL: UMA PROPOSTA DIDÁTICA

Mestrandos
Robério dos Santos Souza
Mônica Leite

Prof. Orientador
Prof. Dr. Rogério Soares Oliveira

Ilhéus – Bahia
2018
INTRODUÇÃO
As atividades de produção textual têm sido alvo de intensos debates tanto no
campo pedagógico quanto teórico, haja vista o insucesso da escola em
promover exercícios de escrita que permitam ao aluno reconhecer sua
importância enquanto sujeito-autor. Para isso, é fundamental reconhecer que o
texto emana de um contexto social, discursivo e cultural. Neste artigo iremos
discutir a possibilidade de utilizar as Histórias em Quadrinhos (HQs) como
recurso para motivar o ensino da escrita . O trabalho será dividido em quatro
seções:

•A gênese das HQs;

•Definição do gênero;

•Produção textual na escola: reflexões teóricas;

•Sequência didática para produção textual a partir das HQs. Para a SD


pretendo optar pelo modelo de proposto por Dolz (2004).
PROBLEMA

• Como podem ser utilizadas para potencializar as atividades de


escrita na escola?
OBJETIVO GERAL

• Reconhecer a importância das Histórias em Quadrinhos como


importante gênero discursivo capaz subsidiar as atividades de escrita
na escola.
ARTIGO CIENTÍFICO
A GÊNESE DAS HQS

 Origem da arte sequencial;


 Surgimento das primeira HQs;
 Difusão das HQs pelo mundo

• EISNER (2015);
• MCCLOUD (2008)
• SOUZA E FEBA (2011);
• RAMOS (2009)
• VERGEUIRO (2012);
DEFINIÇÃO DO GÊNERO

 Conceituar as HQs como gênero discursivo seguindo os preceitos da


teoria de Bakhtiniana;

• BAKHTIN (1997/2011);
• BRAIT (2007);
• FIORIN (2006);
• ROJO (2005).
PRODUÇÃO TEXTUAL NA ESCOLA:
REFLEXÕES TEÓRICAS
Apresentar um panorama teórico sobre as atividades de escrita na
escola.

Geraldi (2012)

Ruiz (

Passarelli (

Ferrarezi Jr (

Dolz (

Costa Val(
SEQUÊNCIA DIDÁTICA (SD)

• Optamos pela proposta de SD apresentada por Dolz e Schneuely


(2004).
CONSIDERAÇÕES PARCIAIS

Almejamos com este artigo desenvolver uma reflexão a produção de


textos na escola. Sabendo que esse exercício compreende a revisão de
conceitos, finalidades, objetivos e metodologias adotadas pelos
professores. As avaliações externas e internas do ensino mostram que os
alunos concluem as etapas de ensino sem as competências necessárias
para exercer a escrita como atividade comunicativa.
REFERÊNCIAS

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992.
BUZEN, Clecio. Da era da composição à era dos gêneros: ensino da produção de textos no ensino médio.
In: BUNZEN, Clecio; MENDONÇA, Márcia. (Orgs.). Português no ensino médio e formação de professor.
São Paulo: Parábola, 2006, p. 139-161.

COSTA VAL, Maria da Graça et al. Avaliação do texto escolar: professor-leitor/aluno-autor. Belo
Horizonte: Autêntica/CEALE, 2009.

COSTA VAL, Maria da Graça; ROCHA, Gladys (Orgs.). Reflexões sobre práticas escolares de
produção de texto: o sujeito-autor. Belo Horizonte: Autêntica/CEALE, 2008.
DOLZ, Joaquim; DECANDIO, Fabrício; GAGNON, Roxane. Produção escrita e dificuldades de
aprendizagem. São Paulo: Mercado de Letras, 2010.

DOLZ, Joaquim; NOVERRRAZ, Michèle; SCHNEUWLY, Bernard. Sequências Didáticas para o oral e a
escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY. Bernard; DOLZ, Joaquim (Org.). Gêneros
orais e escritos na escola. Trad. de Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas: Mercado de Letras,
2004, p. 95-128.
FERRAREZI JR, Celso; CARVALHO, Robson Santos. Produzir textos na educação básica: o que
saber, como fazer. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

GERALDI, João Wanderley. Portos de passagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

MARCUSCHI, Luiz. Antônio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. São Paulo:
Cortez,2001.

____________. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008.

MARCUSCHI, Luiz. Antônio et al. Gêneros textuais: reflexões e ensino. 4. ed. São Paulo: Parábola,
2011.

PASSARELLI, Lílian Ghiuro. Ensinando a escrita: o processual e o lúdico. 4. ed. São Paulo: Cortez,
2004.

PASSARELLI, Lílian Ghiuro; PETRASSO, Camila. Redação versus produção textual: uma questão de
nomenclatura? In: CINTRA, Ana Maria Marques; PASSARELLI, Lílian Ghiuro. (Coords.). A pesquisa
e o ensino em Língua Portuguesa sob diferentes olhares. São Paulo: Blucher, 2012. p 141-152.

RUIZ, Eliana. Como se corrige redação na escola. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2008.
SCHNEUWLY. Bernard; DOLZ, Joaquim (org.). Gêneros orais e escritos na escola. Trad. de Roxane
Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas: Mercado de Letras, 2004.