Você está na página 1de 15

Característic

as dos cultos
afro-
brasileiros
Gabriel Christiano Silvestrini
Vieira
Candomblé
O Candomblé foi trazido para o Brasil pelos negros que vieram como
escravos da África. Entre eles se destacavam dois grupos: bantos e
sudaneses (a diferença entre os dois era os seus países de origem).
Mas, na época, a religião oficial do Brasil era o catolicismo, então o
candomblé ficou sendo encarado como bruxaria. Por isso sua prática era
proibida e era reprimida pelas autoridades locais. Dessa forma, os negros
passaram a cultuar seus costumes religiosos secretamente. Para
disfarçar, eles identificavam seus deuses com os santos da religião
católica. Por exemplo, quando rezavam em sua língua para Santa
Bárbara, estavam na verdade, cultuando Iansã. Esse processo foi
chamado de sincretismo religioso.
O candomblé tem rituais muito bonitos, realizados ao ritmo de
atabaques e cantos em idioma ioruba ou nagô, que variam conforme o
orixá que está sendo cultuado. As cerimônias do candomblé são
realizadas nos "terreiros" - clareiras na mata que os escravos podiam
expressar sua religiosidade.
Os rituais são dirigidos por um pai de santo ou uma mãe de
santo.Também são feitas oferendas e consultas espirituais através do
jogo de búzios (um tipo de concha do mar que é usada como um oráculo
para orientar e fazer previsões). Atualmente, os terreiros de um
candomblé mais próximo a suas origens estão na Bahia.

Com o tempo, essa religião africana praticada no Brasil foi adquirindo


características próprias. O candomblé de caboclo, por exemplo, é um
ritual que incorpora elementos da cultura caipira e dos índios.
Umbanda
A Umbanda originou-se algumas décadas depois da abolição da
escravatura na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro. Ela incorpora
práticas do candomblé, catolicismo e espiritismo. É um culto mais
brasileiro, mais simples e mais popular, até porque seu idioma é o
português e não as línguas ou dialetos africanos.
Mas a umbanda também sofreu perseguições. Muitos terreiros foram
invadidos pela polícia e os rituais foram proibidos.

No entanto, com a Proclamação da República, a Igreja e o Estado se


separaram. A partir daí, tornou-se um contra-senso a polícia discriminar
uma religião.
Desse modo, a umbanda deixou de ser perseguida e foi conquistando muitos
seguidores. Para a umbanda, o universo está povoado de entidades
espirituais que são chamadas guias e se comunicam através de uma pessoa
iniciada, o médium. As guias se apresentam como pomba-gira, caboclo ou
preto-velho. O caboclo é a representação do índio brasileiro e o preto-velho
representa o negro no cativeiro. Existem muitas diferenças na maneira como
a religião é praticada nos diversos templos e terreiros de umbanda e nas
diversas regiões do Brasil.
Macumba ou
Quimbanda
A macumba é um sincretismo religioso de origem afro-brasileira, com
características de elementos ameríndios, do candomblé, espiritismo,
ocultismo e principalmente o catolicismo. Isso porque os macumbeiros
substituíram os nomes dos santos da igreja cristã pelos da mitologia
africana, como por exemplo, Jesus Cristo, que é chamado de Oxalá, e
Maria, que reconhecida como Iemanjá. O ritual desse culto atualmente
representa muito a maneira como os escravos o realizavam aqui no
passado.
Ele é bem forte e continua até os dias atuais. É reconhecido pelas
outras pessoas como uma perspectiva de feitiçaria. Os adeptos
(praticantes) da quimbanda são chamados ou conhecidos como
curandeiros, adivinhos e/ou exorcistas. Não devemos ter nada contra
estes rituais, pois não podemos interferir na crença alheia. Eles usam
o nome Espiritismo para fortalecer seus cultos, visto que o Espiritismo
surgiu em 1857 em Lyon na França com Allan Kardec.
Pelas análises desses gráficos, pode-se concluir que entre os
jovens são apresentados elevados níveis de dependência
tecnológica. E geralmente, essas dependências não estão ligadas
aos estudos e, sim, aos sites e programas de jogos, diversão e
bate-papo.

Muitas vezes, essas dependências estão relacionadas ao vício


desses sites, que "prendem" a pessoa e a fazem se "desligar" do
ambiente que está, ignorando as tarefas que devem ser
realizadas e até mesmo as pessoas ao seu redor. Atualmente
temos como um ótimo exemplo o Facebook.

Mas atenção! Não podemos afirmar que o culpado dessas


atitudes é somente a tecnologia, pois, se o jovem está se
prejudicando com algum aparelho tecnológico é mais provável
que seja por causa da ausência de um responsável. Nesse caso,
não existe essa tal conhecida "tecnologia maligna" e sim, o uso
inadequado da própria.

Em geral as pessoas acometidas pelo vicio tecnológico


apresentam um comportamento que contempla ausência de
outras fontes de lazer, perda na qualidade dos relacionamentos,
dificuldades no trabalho ou escola, crise de abstinência quando
longe da tecnologia. Existem casos em que jovens chegam a
roubar dinheiro para uso em Lan-House.