Você está na página 1de 39

SEGURANÇA APLICADA À

ELETROTÉCNICA
Efeitos da eletricidade no corpo
humano
De acordo com OSHA (2005), os efeitos do choque elétrico no
corpo humano dependem de vários fatores, que são
apresentados a seguir:
1. Tensão e Corrente
2. Resistência
3. Caminho através do corpo
4. Tempo de duração de choque
A estrutura muscular do corpo também é um fator que influi
no efeito do choque elétrico. Pessoas que tipicamente têm
menos massa muscular e mais gordura apresentam efeitos
semelhantes com valores menores de corrente elétrica.
Os efeitos da tensão e corrente
elétrica no corpo humano
• Fibrilação ventricular é definida como “uma contração
muito rápida e descoordenada dos ventrículos do
coração, resultando em perda de sincronização entre
batimentos cardíacos e a pulsação”.
• Uma vez desencadeada a fibrilação ventricular no
coração ela vai continuar, e se não houver uma
intervenção de socorro, resultará em morte em poucos
minutos.
• O uso de um dispositivo especial chamado
desfibrilador é necessário para salvar a vítima
Que fazer caso presenciar uma Parada
Cárdio-Respiratória!
• 1) Chame a pessoa;
caso não saiba seu
nome, dê leves tapinhas
no ombro, chamando:
“senhor!” ou
“senhora!”
• Não perca mais do que
30 segundos nesta
etapa.
Que fazer caso presenciar uma Parada
Cárdio-Respiratória!

• 2) Caso a pessoa esteja:


irresponsiva, sem respiração
ou com respiração anormal
(respiração fraca, como um
“peixe fora d’água”) antes de
fazer qualquer coisa chame
ajuda!
• Peça para alguém ligar para os
Bombeiros ou SAMU (193) ou,
se estiver sozinho(a), faça
contato com o serviço de
socorro da sua cidade.
Que fazer caso presenciar uma Parada
Cárdio-Respiratória!

3) Enquanto aguarda o serviço de


socorro inicie as massagens
cardíacas: use as suas duas mãos
para comprimir forte e rápido o
centro do tórax da vítima.
Idealmente, são realizadas 100
compressões por minuto, com
uma profundidade de 5cm cada
compressão.
Que fazer caso presenciar uma Parada
Cárdio-Respiratória!

4) Se o socorrista for treinado e


puder realizar ventilações de resgate,
devem ser aplicadas 30 compressões
torácicas para 2 ventilações (boca-a-
boca ou através de máscara facial,
caso haja a disponibilidade de uma).
Entretanto, o novo algoritmo enfatiza
as compressões torácicas, então não
realize as ventilações se você não for
um socorrista treinado e não se
sentir seguro para fazê-las: execute
apenas as compressões no tórax,
conforme recomendado no item
acima.
Que fazer caso presenciar uma Parada
Cárdio-Respiratória!
• 5) Continue realizando as compressões ou as
compressões e as ventilações na proporção 30:2
até a chegada da equipe médica.

• A pessoa que realiza as compressões idealmente


deve revezar com outro indivíduo a cada 3
minutos, pois a medida em que o socorrista vai se
cansando a massagem cardíaca torna-se menos
eficaz.
VÍDEO – DRAUZIO VARELA
Resistência elétrica do corpo humano
De acordo com OSHA (2005), estudos têm demonstrado que a resistência elétrica do
corpo humano varia com a quantidade de umidade sobre a pele, a pressão aplicada ao
ponto de contato, e a área de contato.
Você sabia que a camada externa da pele, a epiderme, tem uma resistência
• muito alta quando seca e que a umidade ou corte na pele irá reduzir
drasticamente essa resistência? Portanto, a umidade e/ou corte farão que o nível
• do choque elétrico seja mais elevado, além de que, a severidade do choque
• aumenta com um aumento na pressão de contato, aumentando a área de
• contato, fazendo diminuir a resistência à passagem da corrente elétrica.
• A proteção oferecida pela resistência da pele diminui rapidamente com o
• aumento da tensão. Tensões mais elevadas têm a capacidade de quebrar
• as camadas externas da pele, e assim reduzir a resistência à passagem da
• corrente elétrica.
Caminho através do corpo
• O caminho percorrido pela corrente elétrica através do
corpo humano afeta o grau de lesão. Uma pequena
corrente que passa de uma extremidade através do
coração até a outra extremidade é capaz de causar
ferimentos graves ou eletrochoques.
• Há muitos casos em que um braço ou perna foi quase
queimado quando a extremidade ou parte entrou em
contato com a corrente elétrica, a única parte por onde
fluiu essa corrente elétrica foi através de uma porção
do membro afetado e o condutor elétrico, sem passar
pelo tronco do corpo. Se a corrente elétrica tivesse
fluído através do tronco do corpo, a pessoa certamente
teria sido eletrocutada e entrado em óbito
Braço com queimadura de 3º grau: choque elétrico
em linha de alta tensão
Tempo de duração do choque elétrico
A duração do choque tem uma grande influência no resultado final do
acidente. Se o choque é de curta duração, pode ser somente uma
experiência dolorosa para a pessoa.
Se o nível do fluxo de corrente atinge o limiar, (valor mínimo) para
fibrilação ventricular, isto é, o limiar de 100 mA, uma duração de
choque de alguns segundos pode ser fatal. Esta não é uma corrente
elevada, quando você considera que uma pequena furadeira elétrica
manual portátil consome uma corrente cerca de 30 vezes maior.
Em correntes relativamente altas, a morte é inevitável, se o choque é
de duração apreciável. No entanto, se o choque for de curta duração, e
se o coração não for lesionado, a interrupção da corrente elétrica pode
ser seguida por uma retomada espontânea do batimento cardíaco.
Riscos Elétricos - Demais Riscos -
Top Elétrica Cursos
Riscos Adicionais - Top Elétrica
Cursos
Aterramento elétrico
FUNÇÕES DO ATERRAMENTO
ATERRAMENTO ATERRAMENTO DE ATERRAMENTO
FUNCIONAL PROTEÇÃO PROVISÓRIO
Ligação à terra de um Ligação à terra das utilizado em caráter
dos condutores, massas e dos elementos provisório para proteger os
(geralmente o condutores estranhos à trabalhadores em atividades
de manutenção contra
neutro), para o instalação, para proteção
reenergização de partes da
funcionamento contra choques elétricos
instalação, normalmente
correto, seguro e por contatos indiretos. sob tensão. Possibilita
confiável da também a
instalação. equipotencialização dos
condutores
ESQUEMAS DE ATERRAMENTO
A NBR-5410 classifica os sistemas de distribuição em baixa tensão
Em função das ligações à terra da fonte de alimentação (geralmente
um transformador) e das massas, de acordo com a seguinte
simbologia, constituída de 2 ou 3 ou, eventualmente, 4 letras:

• A primeira letra representa a situação da alimentação em relação à terra:


 T = um ponto diretamente aterrado.
 I = isolação de todas as partes vivas em relação à terra ou aterramento
de um ponto através de uma impedância;

• A segunda letra representa a situação das massas da instalação elétrica


em relação à terra:
 T = massas diretamente aterradas, independente do aterramento
eventual de um ponto da alimentação.
 N = massas ligadas diretamente ao ponto da alimentação aterrado (
em CA o ponto aterrada é normalmente o neutro );
• outras letras indicam a disposição do condutor neutro e do condutor
de proteção:

S = funções de neutro e de proteção asseguradas por condutores


distintos;

C = funções de neutro e de proteção combinadas em um único


condutor (condutor PEN).

As instalações elétricas de baixa tensão devem ser executadas de


acordo com os esquemas TT, TN (podendo ser TN-S, TN-C ou TN-C-
S) e IT.
ESQUEMA TN
Este esquema possui um ponto de alimentação diretamente aterrado,
sendo as massas ligadas a esse ponto através de condutor de
proteção:

 TN-S, o condutor neutro e o de proteção são distintos;

 TN-C, o condutor neutro e o de proteção são combinados em um


único condutor ao longo de toda a instalação.

 TN-C-S, o condutor neutro e o de proteção são combinados em um


único condutor em uma parte da instalação;
a) Esquema TN-S
T N (as massa são ligadas à terra através do neutro)
massas ligadas
ao neutro

ponto neutro
ligado à terra

PE
b) Esquema TN-C
c) Esquema TN-C-S
c) Esquema TN-C-S
ESQUEMA TT (neutro aterrado)
Este esquema possui um ponto de alimentação diretamente
aterrado, estando as massas da instalação ligado à eletrodos de
aterramento eletricamente distintos do eletrodo de aterramento da
alimentação.

T T (neutro à terra)
massas à terra

neutro ligado
à terra
Esquema IT (neutro isolado ou aterrado
por impedância)
Este esquema não possui nenhum ponto de alimentação diretamente
aterrado, somente as massas da instalação são aterradas.

I T (neutro isolado)

massas à terra

neutro isolado
ou aterrado através
de uma resistência
de valor elevado
APLICAÇÃO DOS ESQUEMAS TT,TN E IT
• Quando a instalação possui um transformador ou gerador próprio, como é
o caso das indústrias e de certos prédios institucionais e comerciais de
porte, via de regra, a opção é pelo esquema TN. Mas, quando o prédio é
alimentado por transformador exclusivo de propriedade da
concessionária, tem-se que consultar a concessionária a respeito da
utilização de seu neutro como condutor PEN.

• Para instalações alimentadas por rede pública de baixa tensão, caso das
residências e pequenos prédios de todos os tipos, devido ao aterramento
recomendado para o neutro, o esquema IT fica eliminado e o TT é o mais
indicado.

• Quando existirem equipamentos com elevado nível de correntes de fuga,


o esquema TT não é recomendado, em virtude da possibilidade de
disparos intempestivos dos dispositivos DR’s e quando existirem
equipamentos com elevada vibração mecânica, o uso de um esquema TN
não é indicado, devido à possibilidade de rompimento dos condutores.
EXERCÍCIOS
O aterramento elétrico tem como função proteger o usuário das descargas
atmosféricas, de cargas estáticas acumuladas nas carcaças dos
equipamentos, além de facilitar o funcionamento dos dispositivos de
proteção, através da corrente desviada para a terra. De acordo com a Norma
5410/97, os sistemas de aterramento das instalações de baixa tensão
usando uma simbologia própria. Assim, TN-C tem por significado
• a) T um ponto diretamente aterrado / N massas ligadas diretamente ao
ponto de alimentação aterrado / C neutro e proteção em um único
condutor.
• b) T um ponto diretamente aterrado / N massas diretamente aterradas,
independentemente do aterramento eventual de um ponto de
alimentação / C neutro e proteção assegurados por condutores distintos.
• c) T isolação de todas as partes vivas em relação à terra ou aterramento
através de uma impedância / N massas diretamente aterradas,
independentemente do aterramento eventual de um ponto de
alimentação / C neutro e proteção em um único condutor.
• d) T isolação de todas as partes vivas em relação à terra ou aterramento
através de uma impedância / N massas ligadas diretamente ao ponto de
alimentação aterrado / C neutro e proteção assegurados por condutores
distintos.
Segundo a Norma Brasileira (NBR) 5.410 – Instalações
Elétricas de Baixa Tensão, o esquema de aterramento
da figura apresentada é
A figura abaixo ilustra um esquema de aterramento para um
sistema trifásico, no qual as massas indicadas simbolizam
qualquer número de equipamentos elétricos. Assinale a
afirmativa que contém a nomenclatura correta, conforme
apresenta a ABNT NBR 5410, para a classificação do
esquema de aterramento mostrado:
Assinale a afirmativa que contém a nomenclatura correta,
conforme apresenta a ABNT NBR 5410, para a classificação
do esquema de aterramento mostrado:
Esquema de aterramento que possui um ponto da
alimentação diretamente aterrado, sendo as massas ligadas
a esse ponto por condutores de proteção e cujas funções de
neutro e de proteção são combinadas em um único
condutor:

• a) TN-S
• b) TN-C-S
• c) TT
• d) IT
• e) PEN
Em um sistema elétrico, foi adotada a instalação do DR de
quatro polos no quadro geral trifásico de distribuição de
circuitos terminais. Os esquemas de aterramento que
admitem esse tipo de ligação para o DR são

• a) TT e TN-S.
• b) TT e TN-C.
• c) TN-C e TN-S.
• d) TN-C e TN-C-S.
• e) IT e TN-C.