Você está na página 1de 2

65

EMISSÃO IRREGULAR DE
CONHECIMENTO DE DEPÓSITO OU
WARRANT

____________________________

65.1 CONCEITO, OBJETIVIDADE JURÍDICA E SUJEITOS DO


CRIME

O crime está tipificado no art. 178 do Código Penal: “Emitir conhecimento de


depósito ou warrant, em desacordo com disposição legal.” A pena é reclusão, de um a
quatro anos, e multa.

O bem jurídico protegido é o patrimônio e também a fé pública de que gozam o


conhecimento de depósito e o warrant.

Sujeito ativo do crime é a pessoa que emite o título. Sujeito passivo é o portador e
quem endossa o título.

65.2 TIPICIDADE

A conduta típica é emitir, empregado o verbo no sentido de criar ou formar o título


e fazê-lo circular.

Conhecimento de depósito e warrant são títulos emitidos pelas empresas de


armazenagem geral que são entregues aos depositantes de produtos, quase sempre
agrícolas, os quais podem negociar as mercadorias depositadas através dos títulos que, em
lugar delas, circulam.

A pedido do depositante, o armazenador emitirá os dois títulos, que nascem unidos,


mas podem circular separadamente. O conhecimento de depósito, que representa o direito
de propriedade, servirá, mediante endosso, para a negociação do produto armazenado, ao
2 – Direito Penal II – Ney Moura Teles

passo que o warrant servirá ao depositante para obter financiamento, dando-o, também
por endosso, em garantia. Juntos, permitirão o recebimento da mercadoria junto ao
armazenador.

Tais títulos devem ser emitidos com observância rigorosa das normas legais
aplicáveis, contidas no Decreto nº 1.102, de 21 de novembro de 1903.

A emissão será irregular quando a empresa que os emitir não estiver legalmente
constituída, não houver autorização do governo federal nos casos em que ela é exigida, não
existirem em depósito as mercadorias ou gêneros especificados nos títulos, se mais de um
título for emitido para a mesma mercadoria, salvo havendo fracionamento, ou, por último,
na hipótese de, no título, tiver sido omitido qualquer dos seus requisitos formais.

É crime doloso, devendo o agente estar consciente de que emite o título com
inobservância das normas incidentes. Não há modalidade culposa; daí que, se a
irregularidade decorrer de negligência, o fato será atípico, por erro de tipo.

Consuma-se no momento em que os títulos entram em circulação, não se


admitindo a tentativa.

65.3 AÇÃO PENAL

A ação penal é de iniciativa pública incondicionada, sendo possível a suspensão


condicional do processo penal, regulada pelo art. 89 da Lei nº 9.099/95.