Você está na página 1de 9

Benito Mussolini fundou o Partido Nacional Fascista, em 1919, na

Itália.
Nos anos 30 do século XX, devido à primeira Grande Guerra e à
Crise de 1929, a Itália vivia uma depressão económica e social.
Assustados com a contestação operária e com o avanço do
comunismo, muitos burgueses começam a apoiar o Partido Nacional
Fascista, chefiado por Mussolini.
Recorrendo à propaganda e às milícias armadas ( “os camisas
negras”) o partido de Mussolini começa a ganhar cada vez mais
adeptos.
Em 1922 Vítor Emanuel III, temendo uma guerra civil, convidou
Mussolini para primeiro ministro. Dois anos mais tarde, devido a
várias fraudes, o partido Nacional Fascista consegui a maioria dos
lugares no Parlamento.

A marcha sobre
Mussolini
Roma
dirigindo-se ao
povo
Como alcançou todo este poder, Mussolini expulsou o rei e
aclama-se como o senhor absoluto da Itália.
Benito Mussolini governou de forma autoritária e atacou as
ideias comunistas e o sistema das democracias parlamentares,
que segundo ele, apenas se dedicavam às lutas entre partidos,
sendo incapazes de resolver os problemas das nações.
Seguindo, este regime de ditadura, Mussolini esperava resolver
os problemas nacionais e levar a Itália a um apogeu semelhante
ao da antiga civilização Romana.

Mussolini e Hitler
O Fascismo de Mussolini defendia os seguintes princípios:
• culto ao chefe – o chefe guia e salvador da nação concentrava nas suas
mãos todos os poderes, exigindo obediência incondicional a todos os
cidadãos;
• antiparlamentarismo – o parlamento é recusado;
• totalitarismo – o Estado congrega todos os interesses dos seus cidadãos,
controlando a vida pública, privada, familiar, religiosa, económica,
cultural,…
• violência e repressão – a liberdade de expressão é suprimida;
• militarismo – a força e a violência são glorificadas;
• corporativismo – criação de associações conjuntas de patrões e
operários, controladas pelo Estado, para evitar a luta de classes;

Pessoas sacrificadas por profanarem


contra Mussolini
• anti-comunismo e anti-socialismo – critica-se o socialismo por ter
conduzido a evolução social a uma luta de partidos interminável;
• nacionalismo – a Nação é valorizada acima de tudo.
Trabalho realizado por:
André Conchinha