Você está na página 1de 1

REA/ABANNE 2013 resumo GT 17; Etnobiografia, subjetivao e etnografia Partindo das classificaes nativas encontradas em pesquisa em ambientes virtuais

(salas de bate-papo e msn/Skype) coroas, tios, maduros, lekes, filhes buscamos, atravs das narrativas sobre si e sobre expectativas de interao ertica, descrever as significaes de gnero, erotismo e gerao negociadas em relaes homossexuais masculinas. Compartilhamos a compreenso de que as narrativas e modos de apresentao de si desses sujeitos enunciam convenes de gnero e gerao e permitem a partilha de fantasias erticas associadas s interaes erticas intergeracionais. Desse modo, queremos apresentar resultados da pesquisa realizada em 2010-2012, trabalhando as narrativas dos sujeitos entrevistados. Tomamos a produo das narrativas nas salas de bate-papo e msn/Skype como concernentes ao estoque de experincia biogrfica dos sujeitos, assim como concebemos o espao interativo disponibilizado pela rede/internet como indutor de subjetivaes individuais e coletivas, em que os marcadores de idade e gnero, assim como as convenes relativas a masculinidade, corporalidade e habilidades emocionais e erticas so apropriadas, reproduzidas e recriadas pelos sujeitos. A etnografia de ambientes virtuais, especificamente envolvendo participao em salas de bate-papo da internet e realizao de entrevistas por meio de MSN tambm imps, para o pesquisador, a imerso nos jogos de linguagem e experincias dos sujeitos pesquisados, impondo tambm a fabricao de modos de apresentao de si, evocadores de interao naqueles ambientes. Assim, o material emprico foi produzido a partir desses contextos de investigao e ensejou algumas construes analticas concernentes s afinidades erticas entre aqueles sujeitos (o coroa e o filho) envolvendo apreciaes de corpo, personalidade (competncias emocionais), trajetrias de vida (traduzida como acmulo de experincias) e performances sexuais (caracterizadas pela prevalncia da componente ternura em relao componente propriamente sexual). Que estilos de vida so associados ao coroa? De que forma a dimenso geracional intersecciona outros marcadores de diferena? Poderamos pensar num protagonismo ertico de gays idosos no contexto dessas relaes? Essas so questes que permeiam nossa reflexo.