Você está na página 1de 1

A vontade de Deus sobre o casamento aplica-se a todos?

(mp3)

A história se repete muitas vezes: “Éramos jovens descrentes. Não sabíamos nada sobre a
Bíblia. O casamento não deu certo. Agora quero casar de novo, e tenho certeza que Deus quer
a minha felicidade e abençoará o novo casamento.”

Este raciocínio, muito difundido hoje em diversas igrejas, procura uma maneira de “anular”
casamentos do passado e justificar novos. Sugere que a vontade de Deus sobre o casamento
aplica-se aos cristãos, mas que os descrentes, na sua ignorância, não são sujeitos aos
mesmos princípios.

Alguns religiosos chegam a negar a validade de qualquer casamento não feito na igreja. É isso
que a Bíblia diz? Observemos alguns fatos importantes:

• O casamento existiu bem antes da igreja ser edificada. Logo quando Deus criou o
primeiro casal, ele introduziu o casamento. A linguagem usada mostra que anunciou
um princípio que aplicaria geralmente aos seres humanos, pois Adão não tinha e não
deixou pai e mãe, mas Deus disse: “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à
sua mulher, tornando-se os dois uma só carne” (Gênesis 2:24).
• Mesmo depois de separar Abraão e seus descendentes para ser um povo escolhido,
Deus ainda reconheceu os casamentos de outros povos (Gênesis 20:17; Ester 5:10,14;
6:13; Isaías 13:16).
• Antes de enviar os apóstolos para pregar ao mundo e antes de estabelecer a sua
igreja, Jesus reforçou a validade da lei original do casamento: “Desde o princípio da
criação, Deus os fez homem e mulher.... Portanto, o que Deus ajuntou não separe
o homem” (Marcos 10:6-9).
• Paulo disse que alguns dos coríntios eram adúlteros antes de se converterem (1
Coríntios 6:9-11). Se a lei de Deus do casamento não se aplicasse aos descrentes, não
seriam culpados de pecados contra o matrimônio (adultério).
• A Bíblia não fala nenhuma vez de casamento “na igreja” e não atribui à igreja o papel
de oficializar casamentos. A validade do casamento não depende da igreja. Duas
pessoas descrentes que assumem o compromisso do casamento são, diante de Deus,
casadas. Se tiverem relações com outros, cometem adultério. Se chegarem a se
divorciar, fazem isso contra a vontade de Deus.

“Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque
Deus julgará os impuros e adúlteros” (Hebreus 13:4).

Jesus disse: “Eu, porém, vos digo: quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de
relações sexuais ilícitas, e casar com outra, comete adultério” (Mateus 19:9). Qualquer
raciocínio que despreza a santidade do casamento vem do homem, e não de Deus.

–por Dennis Allan