Você está na página 1de 1

Microcontroladores - MICON

Um componente eletrônico que vem ganhando notoriedade nos últimos tempos, é o chamado
MICON.
Essa palavra é um acrônimo (um agrupamento das letras iniciais de várias palavras) das
palavras Microprocessador e Controlador. Esse nome resume com clareza a função desse
componente essencial nos monitores LCD.

Para entender o funcionamento desse CI, é necessário correr os olhos sobre alguns termos
familiares:

Eeprom - É uma memória onde ficam guardados os ajustes feitos pelo usuário. Ela
armazena uma série de informações. Nas TVs por exemplo, o brilho, contraste, cor, volume,
o último canal sintonizado etc.. Nos monitores memoriza os ajustes de cor, geometria e
outros dentro de uma faixa com valores pré-estabelecido pelo fabricante.
É essa memória que informa ao Microprocessador como estavam os ajustes antes de a
alimentação elétrica ser interrompida . Assim, ao restabelecer a alimentação, o equipamento
volta a funcionar como estava antes. Caso contrario toda vez que se ligasse o equipamento
teríamos que refazer os ajustes.

Controladores Externos: permitem atuar na regulagem de inúmeros parâmetros do


funcionamento do monitor, como geometria, brilho, etc. Nos monitores analógicos esses
controladores embora interconectados, estão distribuídos em circuitos específicos.

Micro, no jargão dos Técnicos em monitores, é a abreviação de Microprocessador. É o


componente que processa os dados interagindo com todos os outros sub-sistemas. Ele atua
como um maestro encarregado de coordenar o funcionamento de cada subsistema para a
criação e exibição das imagens.

O Micon foi projetado para ter tudo em um só encapsulamento, e nenhum componente se


faz necessário para ele armazenar, processar, executar e controlar suas aplicações.
Ele é fruto da febre de miniaturização e integração de componentes eletrônicos que domina a
tecnologia atual. A cada dia mais e mais controladores externos estão se mudando para
dentro dos microprocessadores transformando-os em poderosos microcontroladores.
Em resumo, eles se tornaram a "alma" dos monitores. Por isso que quando ele pifa, o monitor
"morre".
É o mesmo advento que aconteceu há alguns anos com os computadores.
No começo existiam placas de expansão para literalmente todas as funções externas ao
processador principal: placa controladora IDE, de vídeo, de som, fax-modem, rede, etc. Hoje
é impossível encontrar uma placa-mãe que não traga no mínimo o som integrado no chipset
e as mais populares trazem tudo isso e mais alguma coisa ... São as chamadas on-board.