Você está na página 1de 22

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA


DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

DISCIPLINA: ELETROTECNICA GERAL


PERÍODO 2012.2

PROFESSOR: Luis Reyes Rosales Montero


ALUNO: David Santos Rosa
MATRICULA: 111110728
TURMA: 01

PROJETO ELÉTRICO
TRIFÁSICO RESIDENCIAL

Campina Grande 14 de Fevereiro de 2012


MEMORIAL DESCRITIVO – PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

APRESENTAÇÃO

PRORIETÁRIO: Maria Rodrigues Coelho


OBRA: Instalação Elétrica Residencial
ÁREA TOTAL: 722 m²
LOCAL: Rua Antônio Telha, 346 - Liberdade. CEP: 5843782, Campina Grande
– PB.

Este memorial tem por objetivo esclarecer o projeto elétrico para a residência de
propriedade da Sra. Maria Rodrigues Coelho. Esta residência possui uma área de 722
m2 .
A especificações tem por objetivo estabelecer características técnicas mínimas
das instalações elétricas para atendimento da edificação, tendo como padrão as normas
abaixo relacionadas.
Caberá ao construtor:
 Fornecimento e a instalação dos equipamentos, serviços e materiais para
o perfeito funcionamento das instalações;
 Executar a montagem de todos os componente da instalação, devendo
utilizar ara isto, mão-de-obra especializada, sob responsabilidade de
engenheiro;
 O construtor será responsável pela anotação nas plantas das divergências
e/ou complementações introduzidas durante a construção;
As marcas e/ou modelos discriminados são consideradas como referências,
admitindo-se o fornecimento de equipamento e materiais similares, desde que obedeça
integralmente as especificações e as normas brasileiras e internacionais, as quais os
equipamentos estão referenciados e então aprovados sua substituição pelo contratante.
As especificações, plantas e os detalhes apresentados deverão ser seguidos com
toda a fidelidade.
DISPOSIÇÕES GERAIS

As instalações elétricas deverão ser executadas de acordo com as Normas abaixo:


 NBR 5410/2004 – INSTALÇÕES ELÉTRICAS EM BAIXA TENSÃO –
ABNT
 NDU-001 – NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA – ENERGISA

A tubulação será ligada à terra. O eletrodo de terra será executado de acordo com o
disposto na NB-3/ABNT.
Todos os condutores deverão ser instalados de maneira que, quando completada a
instalação, o sistema esteja livre do curto-circuito.
Será obrigatório o emprego de eletrodutos rígidos, rosqueáveis, em toda a
instalação.
Todos os condutos correrão embutidos nas paredes e lajes, intervalo de lajes e
outros espaços preparados para tal fim.

MEMORIAL DESCRIVIVO

- Iluminação e Tomadas

 Generalidades

A carga a considerar para um equipamento de utilização é a sua potencia


nominal absorvida, dada pelo fabricante ou calculada a partir da tensão nominal, da
corrente nominal e do fator de potencia.

 Iluminação

Em cada cômodo ou dependência de unidades residenciais deve ser previsto um


ponto de luz no teto, com potência mínima de 100 VA, comandada por interruptor na
parede. Em cômodos ou dependências com área igual ou inferior a 6 m² deve ser
prevista pelo menos uma carga de 100 VA e com área superior a 6 m² deve ser prevista
uma carga mínima de 100 VA para os primeiros 6 m²,acrescida de 60 VA para cada
aumento de 4 m² inteiros.
Observação: Os valores apurados correspondem à potência destinada à
iluminação para efeito de dimensionamento dos circuitos, e não necessariamente a
potência nominal das lâmpadas.

 Tomadas de Uso Geral - TUG’s

Nas unidades residenciais, o número de tomadas de uso geral deve ser fixado de
acordo com o seguinte critério:
 Em banheiros, pelo menos uma tomada junto ao lavatório;
 Em cozinhas, áreas de serviço e locais análogos, no mínimo uma tomada para
cada 3,5 m, ou fração de perímetro, sendo que, acima de cada bancada com
largura igual ou superior 0,30 m, deve ser prevista pelo menos uma tomada;
 Em varandas e garagens, pelo menos uma tomada. Para circuitos de tomadas de
uso geral que atendam a esses locais, deve ser atribuída uma potência de no
mínimo 1000 VA;
 Nos demais cômodos ou dependências, se a área for inferior a 6 m², pelo menos
uma tomada; se a área for maior que 6 m², pelo menos uma tomada para cada 5
m, ou fração de perímetro, espaçada tão uniformemente quanto possível.

Nas unidades residenciais, as tomadas de uso geral devem ser atribuídas as seguintes
potências:
 Em banheiros, cozinhas, áreas de serviços e locais análogos, no mínimo 600 VA
por tomada, até três tomadas, e 100 VA por tomada, para as excedentes,
considerando cada um desses ambientes separadamente.
 Nos demais cômodos ou dependências, no mínimo 100 VA por tomada.

 Tomadas de Uso Específico - TUE’s

As tomadas de uso específico devem ser atribuídas uma potência igual à


potência nominal do equipamento a ser alimentado. Quando não for conhecida a
potência do equipamento a ser alimentado, deve se atribuir a tomada uma potência igual
à potência nominal do equipamento mais potente com possibilidade de ser ligado, ou
potência determinada a partir da corrente nominal da tomada e da tensão do respectivo
circuito.
Tomadas de uso específico devem ser instaladas no máximo a 1,5 m do local
previsto para o equipamento a ser alimentado.

 Divisão das Instalações

Toda a instalação deve ser dividida em vários circuitos, de modo a:


 Limitar as consequências de uma falta, a qual provocará apenas seccionamento
do circuito defeituoso;
 Facilitar as verificações, os ensaios e a manutenção;
 Evitar os perigos que possam resultar da falha de um único circuito, como, por
exemplo, no caso da iluminação.

Chama-se de circuito o conjunto de pontos de consumo, alimentados pelos


mesmos condutores e ligados ao mesmo dispositivo de proteção (chave ou disjuntor).
Nos sistemas polifásicos, os circuitos devem ser distribuídos de modo a
assegurar o melhor equilíbrio de cargas entre as fases.
Os circuitos de iluminação devem ser separados dos circuitos de tomadas. Em
unidades residenciais são permitidos pontos de iluminação e tomadas em um mesmo
circuito, exceto nas cozinhas e áreas de serviço, que devem constituir um ou mais
circuitos independentes.
Devem ser observadas as seguintes restrições em unidades residenciais:
 Circuitos independentes devem ser previstos para os aparelhos de potência igual
ou superior a 1500VA, sendo permitida a alimentação de mais de um aparelho
do mesmo tipo através de um só circuito.
 As proteções dos circuitos de aquecimento ou condicionamento de ar de uma
residência podem ser agrupadas no quadro de distribuição da instalação elétrica
geral ou em um quadro separado.
 Quando um mesmo alimentador abastece vários aparelhos individuais de ar-
condicionado, deve haver uma proteção para o alimentador geral e uma proteção
junto a cada aparelho, caso este não possua proteção interna própria.
Cada circuito deve ter seu próprio condutor neutro. Para residências, os circuitos
de distribuição devem obedecer a seguinte prescrição mínima:
 Um circuito para cada 60 m² ou fração.

- Dimensionamento de Condutores

 Condutores Utilizados

Os condutores utilizados nas instalações residenciais de baixa tensão poderão ser


de cobre ou de alumínio, com isolamento de Cloreto de Polivinil (PVC) ou de outros
materiais previstos por normas,como EPR ou XLPE.
O condutor a ser escolhido é o de maior seção.
Os condutores de baixa tensão são normalmente comercializados em rolos de
100 m e em diversas cores, que na instalação devem ser as seguintes:
 Condutor fase: preto, branco, vermelho ou cinza;
 Condutor neutro: azul-claro;
 Condutor de proteção: verde ou verde e amarelo.

 Seção Mínima dos Condutores

A NBR 5410 prescreve a seção mínima do condutor conforme o tipo de


instalação, o material utilizado e a utilização do circuito.

 Critério da capacidade de corrente

A corrente atuante é obtida através da seguinte equação:


𝑃
𝐼=
𝐾. 𝑈. (𝐹𝑎𝑡𝑜𝑟 𝑑𝑒 𝑝𝑜𝑡ê𝑛𝑐𝑖𝑎)
Sendo:
 I = Corrente em Ampères;
 P = Potência em Watts.
Observação:
 Para circuitos de corrente contínua ou monofásicos a 2 fios, K = 1;
 Para circuitos trifásicos a 3 fios, K = 1,73;
 Para 2 fases + neutro de um circuito trifásico, K = 2;
Uma vez que a capacidade de condução nominal dos condutores segundo a
norma NBR-6418 – 70° está exposta na Tabela 1.

- Dimensionamento dos Eletrodutos

O dimensionamento dos eletrodutos pode ser feito por:


1. Adota-se a seção de todos os condutores como sendo igual a seção do
condutor de maior bitola.
2. Determina-se a quantidade de cabos que passam no trecho.
3. Obtém-se a seção do eletroduto por tabela.

- Dimensionamento do Alimentador

O alimentador, assim como os demais condutos, deve ser dimensionado pelo critério
da capacidade da corrente e pela queda de tensão admissível.

- Proteção dos Circuitos

A NBR 5410 estabelece as seguintes prescrições fundamentais destinadas a garantir


a segurança das pessoas, de animais domésticos e de bens, contra os perigos e danos que
possam resultar da utilização das instalações elétricas:
 Proteção contra choques elétricos:
 Proteção contra os riscos de incêndio em materiais e proteção contra
queimaduras em pessoas e animais domésticos, em consequência de
temperaturas elevadas e/ou arcos elétricos.
 Proteção contra sobrecorrentes:
 Proteção contra sobretensões:

 Disjuntores

Numa instalação elétrica residencial, deve-se garantir o bom funcionamento do


sistema de quaisquer condições de operação, protegendo A pessoas, os equipamentos e
a rede elétrica as de acidentes provocados por alteração de correntes (sob recorrentes ou
curto-circuito).
Os disjuntores termomagnéticos em caixa moldada (Unic) são construídos de
modo a atender a essas exigências da norma NBR 5361, através de um disparador
térmico, bimetálico de sobrecargas ou de um disparador magnético de alta precisão.
Pode ser instalado em quadros de distribuição através de garras ou trilhos.

 Cálculo da Demanda

A demanda provável do consumidor, em kW, é calculada pela seguinte expressão:


𝑫(𝒌𝑾) = 𝑫(𝒌𝑽𝑨) 𝒙 𝟎, 𝟗𝟐
Onde:
𝑫(𝒌𝑽𝑨) = (𝒅𝟏 + 𝒅𝟐 + 𝒅𝟑 + 𝒅𝟒 + 𝒅𝟓 + 𝒅𝟔)
Sendo:
d1(kVA) = Demanda de iluminação e tomadas, calculada conforme fatores de demanda
da tabela 2 (NDU-001).
d2(kVA) = Demanda dos aparelhos para aquecimento de água(chuveiros, aquecedores,
torneiras etc.) calculada conforme tabela 3 (NDU-001).
d3(kVA) = Demanda secador de roupa, forno de microondas máquina de lavar louça e
hidro massagem calculada conforme tabela 4 (NDU-001).
d4(kVA) = Demanda de fogão e forno elétrico calculada conforme tabela 5 (NDU-001).
d5(kVA) = Demanda dos aparelhos de ar-condicionado tipo janela ou centrais
individuais, calculada conforme tabelas 6 e 7 (NDU-001).
d6(kVA) = Demanda dos motores, conforme tabelas 9 e 10 (NDU-001).

 Tomadas/interruptores
1. As tomadas serão do tipo 2P+T, os Interruptores deverão ser de boa qualidade e
resistentes de acordo com as normas pertinentes.
2. Será considerado para fins de orçamento de mão de obra, o ponto completo, com
estimativa de conexões, caixas de embutir, acessórios fios/cabos, espelhos, tampas, etc.,
de modo que estejam perfeitas as condições de funcionamento.

RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS
1. Todas as tomadas elétricas deverão manter o mesmo padrão em relação à posição
relativa entre pinos, ficando o terra voltado para baixo e os pinos de fase e neutro na
parte superior.
2. Não serão admitidos em hipótese alguma eletrodutos confeccionados na obra.
3. A CONTRATADA deverá embutir toda e qualquer fiação aparente em
eletrodutos.
4. Todos os fios e cabos a serem utilizados, deverão possuir cores distintas conforme
especificação da NBR-5410, como se segue:
FASES - VERMELHO OU PRETO;
NEUTROS - AZUL CLARO;
TERRAS - VERDE.
5. Todos os circuitos deverão ser aterrados em fio terra e não em neutro.
6. Deverão ser aplicados cabos de 1,5 mm² para as luminárias.
7. Obrigatoriamente, todo e qualquer isolamento (nas conexões de condutores) será
feito por meio de 02 (duas) camadas de fita isolante.

Campina Grande, 14 de Fevereiro de 2013.

________________________ ________________________
Maria Rodrigues Coelho David Santos Rosa
Proprietário Engenheiro
MEMORIAL DE CÁLCULOS

Neste tópico são apresentados todos os cálculos realizados para se determinar


quantas lâmpadas, tomadas devem existir em cada cômodo da casa com base nas
dimensões da mesma e nas normas apresentadas no Memorial Descritivo. Como
também, a demanda de energia necessária para o funcionamento destas lâmpadas e
tomadas, bem como para o funcionamento do ar condicionado, chuveiros elétricos,
motobombas, entre outros que foram acrescidos ao projeto elétrico da residência em
análise.
Inicialmente, será apresentada a planta de localização da residência de acordo
com a Figura 1.

Figura 1: Planta de localização

Em seguida, seguem as plantas baixas do projeto residencial.


Figura 2: Planta Baixa – Piso 1 (Térreo)
Figura 3: Planta Baixa – Piso 2 (1º Andar)

A seguir será apresentada a Tabela 2 com a área e o perímetro de cada


dependência do Piso 1 e a Tabela 3 com os dados referentes ao Piso 2 da residência.
Tabela 2: Área e o perímetro de cada dependência do Piso 1.

Dependência Dimensões Perímetro (m) Área (m2)


Área de Serviço (2,08 x 4,89) + (1,67 x 3,15) m 19,42 15,43
Copa 3,70 x 3,88 m 15,16 14,36
Cozinha 3,88 x 6,24 m 20,24 24,21
Despensa 3,15 x 1,87 m 10,04 5,89
Escritório 5,02 x 3,03 m 16,01 15,21
Circulação 1 8,90 x 1,33 m 20,46 11,84
Sala de Estar 5,55 x 8,20 m 27,50 45,51
WC 5 4,62 x 2,39 m 14,02 11,04
Total 142,85 143,49

Tabela 3: Área e o perímetro de cada dependência do Piso 2.

Dependência Dimensões Perímetro (m) Área (m2)


Suite 01 6,04 x 4,51 m 21,10 27,24
Closet 3,72 x 3,03 m 13,50 11,27
WC 1 3,98 x 2,83 m 13,62 11,26
Suite 02 5,04 x 3,98 m 18,04 20,06
WC 2 1,73 x 3,98 m 11,42 6,89
Suite 03 5,23 x 3,98 m 18,42 20,82
WC 3 3,98 x 1,66 m 11,28 6,61
Suite 04 3,89 x 5,57 m 18,92 21,67
WC 4 3,98 x 1,66 m 11,28 6,61
Circulação 2 7,59 x 1,22 m 17,62 9,26
Total 155,20 141,69

- Iluminação e Tomadas

 Iluminação

Tabela 4: Demanda da iluminação do Piso 1.

Dependência Área (m2) Lâmpadas P (VA)


Área de Serviço 15,43 1 x 100 VA + 3 x 60 VA 280
Copa 14,36 1 x 100 VA + 3 x 60 VA 280
Cozinha 24,21 1 x 100 VA + 5 x 60 VA 400
Despensa 5,89 1 x 100 VA 100
Escritório 15,21 1 x 100 VA + 3 x 60 VA 280
Circulação 1 11,84 1 x 100 VA + 2 x 60 VA 220
Sala de Estar 45,51 1 x 100 VA + 10 x 60 VA 700
WC 5 11,04 1 x 100 VA + 2 x 60 VA 220
Total 143,49 8 x 100 VA + 28 x 60 VA 2480

Tabela 5: Demanda da iluminação do Piso 2.

Dependência Área (m2) Lâmpadas P (VA) Quant. Lâmpadas


Suite 01 27,24 1 x 100 VA + 6 x 60 VA 460 7
Closet 11,27 1 x 100 VA + 2 x 60 VA 220 3
WC 1 11,26 1 x 100 VA + 2 x 60 VA 220 3
Suite 02 20,06 1 x 100 VA + 4 x 60 VA 340 5
WC 2 6,89 1 x 100 VA + 1 x 60 VA 160 2
Suite 03 20,82 1 x 100 VA + 4 x 60 VA 340 5
WC 3 6,61 1 x 100 VA + 1 x 60 VA 160 2
Suite 04 21,67 1 x 100 VA + 4 x 60 VA 340 5
WC 4 6,61 1 x 100 VA + 1 x 60 VA 160 2
Circulação 2 9,26 1 x 100 VA + 2 x 60 VA 220 3
Total 141,69 8 x 100 VA + 28 x 60 VA 2620 37

Tabela 6: demanda da iluminação da Área de Lazer.

Área P Quant.
Dependência Lâmpadas
(m2) (VA) Lâmpadas
1 x 100 VA + 4 x 60
Churrasqueira 21,00 340 5
VA
Piscina 64,27 - - -
Banho 3,13 1 x 100 VA 100 1
Casa de
8,38 1 x 100 VA 100 1
Máquinas
1 x 100 VA + 8 x 60
Salão de Jogos 38,00 580 9
VA

 Tomadas de Uso Geral e de Uso Específico

Tabela 7: Demanda de Tomadas de Uso Geral e Específico do Piso 1.

Dependência Área (m2) TUG's TUE's


Quant P(VA) Discriminação Quant P(VA)
Área de Serviço 15,43 4 1900 Maquina de lavar roupa 1 1111
Copa 14,36 5 2000
Geladeira 1 167
Cozinha 24,21 6 2100
Microondas 1 1333
Despensa 5,89 1 600
Escritório 15,21 4 1900 Ar Condicionado 12000 BTU's 1 1900
Circulação 1 11,84 4 1900
Sala de Estar 45,51 6 2100
WC 5 11,04 1 600
Total 143,49 31 13100 4 4511

Tabela 8: Demanda de Tomadas de Uso Geral e Específico do Piso 2.

Dependência Área (m2) TUG's TUE's


Quant P(VA) Discriminação Quant P(VA)
Suite 01 27,24 4 1900 Ar Condicionado 12000 BTU's 1 1900
Closet 11,27 1 100
WC 1 11,26 1 600 Chuveiro Elétrico 1 7000
Suite 02 20,06 4 1900 Ar Condicionado 12000 BTU's 1 1900
WC 2 6,89 1 600 Chuveiro Elétrico 1 7000
Suite 03 20,82 4 1900 Ar Condicionado 12000 BTU's 1 1900
WC 3 6,61 1 600 Chuveiro Elétrico 1 7000
Suite 04 21,67 4 1900 Ar Condicionado 12000 BTU's 1 1900
WC 4 6,61 1 600 Chuveiro Elétrico 1 7000
Circulação 2 9,26 3 1800
Total 141,69 24 11900 8 35600

Tabela 9: Demanda de Tomadas de Uso Geral e Específico do Piso 1– Área de Lazer.

Dependência Área (m2) TUG's TUE's


Quant P(VA) Discriminação Quant P(VA)
Churrasqueira 21,00 4 1900
Piscina 64,27 5 2000
Banho 3,13 1 600
Casa de Máquinas 8,38 4 1900 Motor de Piscina 1 613
Bomba D'agua 3 CV 1 2598
Salão de Jogos 38,00 4 1900
Total 134,78 18 8300 2 3211

Determinou-se a posição das tomadas, iluminação, divisão de circuitos terminais


e a distribuição de fases de acordo com as Figuras 4, 5 e 6 a partir da Tabela 10
(TABELA EXCEL). As dimensões dos fios e o tipo de proteção para o circuito também
se encontram na Tabela 10.

 Cálculo da demanda
 Fase 1
𝐷𝐹1 (𝑘𝑉𝐴) = (𝑑1 + 𝑑3 + 𝑑5 + 𝑑6)

𝑑1 = (3600 + 7600). 0,24 = 2,688 𝑘𝑉𝐴


𝑑3 = (1333). 1 = 1,333 𝑘𝑉𝐴
𝑑5 = (1900). 1 = 1,9 𝑘𝑉𝐴
𝑑6 = (204). 0,62 = 0,1265 𝑘𝑉𝐴

𝐷𝐹1 (𝑘𝑉𝐴) = (2,688 + 1,333 + 1,9 + 0,1265) 𝑘𝑉𝐴 = 6,0475 𝑘𝑉𝐴

 Fase 2

𝐷𝐹2 (𝑘𝑉𝐴) = (𝑑1 + 𝑑3 + 𝑑6)

𝑑1 = (580 + 340 + 1900 + 1900 + 100 + 280 + 1900). 0,4 = 2,8 𝑘𝑉𝐴
𝑑3 = (1111). 1 = 1,111 𝑘𝑉𝐴
𝑑6 = (613 + 2598). 1 = 3,211 𝑘𝑉𝐴

𝐷𝐹2 (𝑘𝑉𝐴) = (2,8 + 1,111 + 3,211) 𝑘𝑉𝐴 = 7,122 𝑘𝑉𝐴

 Fase 3
𝐷𝐹3 (𝑘𝑉𝐴) = (𝑑1 + 𝑑2 + 𝑑5)

𝑑1 = (460 + 660 + 1020 + 480 + 11900). 0,24 = 3,264 𝑘𝑉𝐴


𝑑2 = (28000). 0,66 = 18,480 𝑘𝑉𝐴
𝑑5 = (7600). 0,78 = 5,928 𝑘𝑉𝐴

𝐷𝐹3 (𝑘𝑉𝐴) = (3,264 + 18,480 + 5,928) 𝑘𝑉𝐴 = 27,672

 Demanda Total
𝐷(𝑘𝑊) = 𝐷(𝑘𝑉𝐴) 𝑥 0,92
𝐷(𝑘𝑊) = (𝐷𝐹1 (𝑘𝑉𝐴) + 𝐷𝐹2 (𝑘𝑉𝐴) + 𝐷𝐹3 (𝑘𝑉𝐴))𝑥0,92
𝐷(𝑘𝑊) = (6,0475 + 7,122 + 27,672)𝑥0,92 = 29,11754 𝑘𝑊
Figura 4: Distribuição Da Iluminação E Tomadas Planta Baixa – Piso 1
Figura 5: Distribuição Da Iluminação E Tomadas Planta Baixa – Piso 1 – Área de Lazer
Figura 6: Distribuição Da Iluminação E Tomadas Planta Baixa – Piso 2
Figura 7: Diagrama Unifilar da Planta Baixa – Piso 1
Figura 8: Diagrama Unifilar da Planta Baixa – Piso 1 – Área Externa
Figura 9: Diagrama Unifilar da Planta Baixa – Piso 2