Você está na página 1de 2

'Twilight' e 'True Blood' na Comic Con.

A audiência da Comic Con fincou suas presas, nesta quinta feira, em dois projetos
de vampiros super aguardados, quando os criadores de Twilight, o filme inspirado
no best-seller juvenil de Stephenie Meyer, e True Blood, o novo seriado do HBO,
adaptado dos livros 'Southern Vampire Mysteries, da autora Charlaine Harris,
mostraram cenas, responderam perguntas de expectadores, e as vezes fãs
histéricos, e mostraram o durável charme dos morto-vivos.

Twilight é a história de uma garota adolescente, Bella (Kristen Stewart) que se


apaixona por um vampiro, Edward (Robert Pattinson). Quando Stewart e Pattinson
subiram no palco, os gritinhos ensurdecedores das Twihards - leitoras ávidas dos
livros de Meyer, meninas e jovens em sua maioria - ecoaram no Salão H, com 6,500
assentos, do Centro de Convenções de San Diego. Com o 7º livro de Meyer para ser
lançado em Agosto, e o filme para estrear em Dezembro, as Twihards estão
enlouquecendo - um fenômeno que não passou despercebido pelas estrelas do
filme. "Essa é meio que a primeira vez que eu as vejo," disse Pattinson. "Me
entorpece. Eu não consigo ouvir nada, é inacreditável."

Os gritos cessaram momentaneamente quando os fãs viram pela primeira vez a


cena do filme na qual o vampiro James (Cam Gigandet) ataca Bella em um estúdio
de balé. A diretora Catherine Hardwicke confirmou alguns detalhes sobre a trilha
sonora, incluindo que Pattinson compôs uma música, chamada 'Canção de ninar da
Bella, e que a banda inglesa Muse também aparecerá na trilha sonora.

Quando os fãs tiveram sua chance de fazer perguntas, ouve uma luta pelo
microfone, apenas para perguntar coisas como, "Eu só queria saber, como é
interpretar um vampiro super gostoso?"

O público na exibição de True Blood, adaptação de Allan Ball da série de Harris


sobre uma atendente de bar em Louisiana, com poderes telepáticos e que desvenda
mistérios sobre vampiros e lobisomens, chamada Sookie Stackhouse (Anna
Paquin), era menos agitado e mais nerd. Ball mostrou um longo clipe do show, que
chocou os fãs da série sendo "mais sexy que os livros," "mais violenta que os
livros," "mais sensacionalista." Em outras palavras, mais como a televisão.

Affairs entre vampiros e humanos se tornaram um grande tópico de discussão na


exibição de True Blood. "Aparentemente sexo com vampiros é meio que
maravilhoso," disse Ball, criador de Six Feet Under (a sete palmos) e escritor de
American Beauty (Beleza Americana). "Imagine isso - se você tivesse 100-200 anos
para aprender como agradar seu parceiro, e tivesse o corpo de uma pessoa de 25
anos, você com certeza iria agradar bastante."

Ball disse que fez um esforço para evitar três clichês vampirescos em True Blood:
luz roxa, lentes de contato e ópera. Fora isso, ele disse que estava pronto para
mergulhar no gênero. "Depois de cinco anos de Six Feet Under (a sete palmos), eu
estava realmente cansado das pessoas falando de seus problemas e lidando com o
fato de que nós todos morreremos e blah, blah, blah," Ball disse. "Eu estava pronto
pra algo divertido."

Quando perguntado sobre a rivalidade entre os dois projetos, Harris, um sulista


agitado, mordeu a isca, imaginando uma briga entre os vampiros do Clã Cullen e os
funcionários do bar de vampiros do seu livro, chamado Fangtasia. "Se chegasse a
uma briga entre a família Cullen e Fangtasia, eu acho que os funcionários de
Fangtasia ganhariam," ele disse, entre assovios e gritos de aprovação.
Concluindo o dia não oficial do Drácula na Comic con, estava uma estréia que prova
que os filmes de vampiro não morrerão. Vinte e um anos após o filme original
estrear, Lost Boys: The Tribe (Garotos Perdidos: A Tribo), a seqüência de um filme
de horror dos anos 80 sobre uma gangue de vampiros adolescentes, foi mostrada
antes de sua estréia diretamente em vídeo, no dia 29 de Julho. Saindo do caixão
junto com o filme estão Corey Feldman e Corey Haim, estrelas do filme original e
agora aparições regulares em reality shows.

"Vampiros são uma metáfora para qualquer tipo de grupo que não é aceito ou
entendido pelas pessoas," disse Ball, explicando a semelhança cultural, e também
porque vampiros são perfeitos para a Comic-Con, onde os estranhos sempre acham
um lugar.

Interesses relacionados