Você está na página 1de 1

Os Deveres Civis (Conjunto de normas reguladoras dos direitos e obrigações de ordem privada atinentes

às pessoas, aos bens e às suas relações.) Encontra-se na Bíblia o Senhor determinando a seus servos a
necessidade de serem bons cidadãos, cumpridores das normas instituídas pelos governos.

“Todo aquele que não observar a lei do teu Deus e a lei do rei...” Ed 7.26

“Observa o mandamento do rei...” Ec 8.2 “Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores...” Rm
13.1-7

“Se sujeitem aos que governam, às autoridades.” quer seja o rei como soberano...”
“Não amaldiçoarás o príncipe do teu povo.” Ec 10.20

“A autoridade é ministro de Deus para teu bem... a quem respeito, respeito; a quem honra, honra.” Rm
13.4,7

“Tratai a todos com honra, amai aos irmãos, temei a Deus, honrai ao rei.” Jamais se deve assemelhar aos
homens deste mundo em seus costumes e praticas notoriamente contrárias aos princípios deixados pelo
Rei dos reis aos seus súditos.

Todo cidadão brasileiro é agraciado pela constituição federal com o Direito Político (O que tem por objeto
as faculdades concedidas, e deveres impostos aos cidadãos, como, por exemplo, votar, ser votado,
exercer cargo público), que concede a todos, igualdade para pleitear cargos eletivos, votar e ser votado.
Sãos pastores e líderes eclesiais que literalmente “vendem” o direito do cidadão por migalhas e chegam
ao cumulo do absurdo de levar em muitos casos homens ímpios aos seus púlpitos, para que exponha
suas plataformas de “governo” mentirosas e enganadoras, com fim apenas eleitoreiro.
O homem que vive segundo o coração de Deus, jamais deve aproveitar-se dos políticos e numa troca,
receber qualquer beneficio pelo seu voto.
É errado o Servo de Deus candidatar-se a cargos públicos? Creio que não seja. Na Bíblia encontra-se
vários servos que foram políticos e exerceram cargos públicos (Davi, Salomão, etc.). Mas, entendo que
em tais situações a vontade “literal” de Deus deve vir em primeiro lugar.
A posição da igreja deve ser de total independência em relação aos políticos. Devem ser encarados como
líderes políticos, jamais, como líderes da igreja do Senhor. É impossível que haja vitórias e o mover
soberano do Espírito Santo numa igreja, na qual, a política está infiltrada.

Amados, a Igreja do Senhor, não necessita de esmolas dadas por políticos (concessão de TV, rádio;
terrenos; doações financeiras, etc.); os meios, jamais justificam o fim.
Pastores, presbíteros, diáconos, povo de Deus! Não se deixem envolver por homens, que visando votos,
prometem maravilhas.