P. 1
Manual Pga

Manual Pga

|Views: 421|Likes:
Publicado porNISOFIA

More info:

Published by: NISOFIA on May 02, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/11/2014

pdf

text

original

346 Princípios de Gestão de um Armazém

ÍNDICE OBJECTIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS DO MÓDULO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS MÓDULO PRINCIPIOS FUNDAMENTAIS NA GESTÃO DE UM ARMAZÉM CLASSIFICAÇÕES PROFISSIONAIS IMPORTANTES A GESTÃO DOS STOCKS A GESTÃO ECONÓMICA DOS STOCKS TIPOS DE STOCK CUSTOS DE FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DA GESTÃO DE STOCKS .

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS No final do módulo os formandos deverão ser capazes de compreender o funcionamento geral de um armazém e definir os principais conceitos associados á gestão de um armazém. Controlo de entradas e saídas. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS A ABORDAR AO LONGO DAS SESSÕES: y y y y Quando e como encomendar. Recepção de mercadorias e sua conferência. . Stock mínimo de segurança.OBJECTIVOS GERAIS Os objectivos gerais deste módulo passam por enumerar e definir os princípios fundamentais da gestão de um armazém.

eficiente e racional ao serviço das actividades logísticas. Esta representa um inconveniente na sustentação da empresa. consequente diminuição. Reduzir continuamente tempo em todo o processo logístico. São conhecidas algumas técnicas para uma adequada gestão do armazém. numa harmoniosa partilha de informação. . Aproveitar ao máximos os recursos existentes. Senão veja-se: Conectar fornecedores e clientes através de Sistemas de Informação (SI) e Tecnologias Informáticas (TI) actualizados. Reduzir ao máximo o inventário que não se encontra em movimento. para uma gestão mais eficaz a médio prazo. é durante este processo que se verificam pequenos ciclos de vida dos materiais/produtos e em prol da crescente necessidade de reabastecimentos. podendo a empresa iniciar um ciclo de endividamento a médio e longo prazo. sendo estas fulcrais na criação de um armazém moderno. Aperfeiçoar o sistema de transportes. as condições do armazém e fundamentalmente um local onde se maximiza o espaço de armazenagem. não só devido ao seu verdadeiro valor material.PRINCIPIOS FUNDAMENTAIS NA GESTÃO DE UM ARMAZÉM A gestão do armazém está directamente relacionada com o processo de transferência de produtos para os clientes finais. e têm em conta aspectos como a mão-de-obra. de forma a evitar a sua armazenagem e respectivos custos. pois caso surja uma acumulação de stocks. o espaço. na cadeia de abastecimento. a armazenagem necessita de uma constante racionalização e. ou seja. uma movimentação non-stop. de forma a existir um rápido aprovisionamento e consequentemente uma entrega rápida. como um dos pilares da logística. Por outras palavras. Podemos considerar ainda a gestão do armazém. a empresa vê comprometida a sua liquidez. promovendo circuitos com o mínimo de percursos em vazio. Minimizar stocks. de forma a eliminar stocks. calendarizando e planeado as operações a curto prazo. mas ainda pelo facto de existir um grande fosso entre a falta de organização e carência de melhorias no processo com as reais necessidades das empresas.

registar a entrada e saída. verificar mercadorias transaccionadas e fazer os pedidos necessários à renovação de "stocks". Gerir outros trabalhadores. Receber. Ainda poderá reali ar operações z de personalização do produto. Executar outras tarefas similares. conferir. CLASSIFICAÇÕES PROFISSIONAIS IMPORTANTES De acordo com a Classificação Nacional das Profissões. empacotamento e despacho. matérias-primas. carregamento. os quais permitem optimizar operações de armazenagem como: recepção. equipamentos e outros artigos. TECNOLOGIA Existem inúmeras empresas de logística que promovem a gestão de armazéns. mercadorias. as tarefas do empregado de armazém consistem em: Organizar e controlar a entrada e saída de mercadorias e efectuar os respectivos registos.Eliminar os tempos de encomenda. já que estes se tornam responsáveis pelo aumento não desejado dos volumes encomendados. ter condições de manutenção/substituição dos equipamentos e dos próprios inventários. stocks. As profissões que se inserem neste grupo são: . ter condições para assegurar a temperatura adequada aos diversos produtos e estar munido com certas características e equipamentos específicos de forma a realizar operações como a rotulagem. Para além destes aspectos. entre outros. e assim ganhar vantagem competitiva no mercado. inspecção. cedendo espaços para aluguer e sistemas de informação. o armazém deve assegurar a comodidade dos trabalhadores. embalagem. caso o cliente o pretenda. Efectuar inventários de existências. armazenar e proceder à entrega de produtos.

Controla as datas. instalações eléctricas entre outros. arrumação. descarga. Deve verificar a qualidade e quantidade das matérias-primas. Ele recebe informações acerca do material e determina a quantidade necessária para o funcionamento da unidade principal. Assegura toda a documentação relacionada com o transporte da mercadoria. assegurando a entrega das mesmas aos seus destinatários. É responsável pela actualização dos ficheiros de entradas e saídas e têm de justificar eventuais discrepâncias entre o inventário e as existências registadas. Ele deve possuir a capacidade de contactar os fornecedores e fazer as encomendas necessárias consoante as suas previsões.Empregado de Serviços de Expedição e Recepção de Mercadorias Este deve controlar a entrada e saída de mercadorias. conservação e distribuição dos mesmos. . os horários. bom como gerir toda a arrumação e zelar pela conservação das mesmas. as tarifas e os meios de transporte da mercadoria a expandir. Por fim é responsável pela resolução de problemas técnicos em todo o armazém como canalizações. entre outras). Fiel de armazém O fiel do armazém tem como funções receber. registando eventuais acidentes. Confere e entrega produtos pedidos pelos vários sectores. Ecónomo O ecónomo tem como tarefa a aquisição dos materiais e posteriormente a armazenagem. Verifica os níveis de existências e têm autonomia para fazer encomendas de modo a repor o stock. entregar e zelar pelo bom estado das matérias-primas ou materiais acabados É responsável pela verificação de mercadorias recebidas ou expedidas bem como a respectiva documentação. Orienta se necessário as diversas movimentações (carga.

Por exemplo: 100 litros de água destilada. Deve ainda tomar decisões referentes à arrumação e conservação de materiais. É responsável pelas encomendas ou pedidos efectuados. Estes investimentos têm um grande impacto sobre a rentabilidade da empresa porque aumentam as suas necessidades de capital. 2500 caixas de lápis. Ainda possui conhecimentos para controlar as actividades de diversos armazéns o que implica um cargo de maiores responsabilidades. . maquinaria e produtos acabados. produtos acabados. GESTÃO DOS STOCKS NOÇÃO DE STOCK É o conjunto de unidades de cada artigo que constitui determinada reserva aguardando satisfazer uma futura necessidade de consumo. 30 kilogramas de açucar. bem como sobressalentes e outras matérias de consumo corrente. A gestão de stocks é responsável pela movimentação e armazenagem de todos os stocks e pelos fluxos de informação necessários para a sua gestão. A maioria das empresas tem a seu cargo investimentos importantes em matérias primas. etc Os stocks constituem um investimento muito significativo. produtos semi-acabados. Outros Empregados de Aprovisionamento e Armazém Aqui estão incluídos os empregados de armazém que não foram considerados anteriormente.Encarregado do armazém O encarregado do armazém deve controlar todo armazém bem como coordenar as tarefas do Fiel do armazém e dos restantes operadores com vista ao seu adequado desempenho. pela actualização dos registos das existências e deve assegurar os níveis de stocks.

após conhecer a evolu o dos stoc s que se verificou na empresa. oferecendo informaç o em tempo real sobre e istências e consumos Tem que assegurar que os stoc s estejam constantemente aptos a responder aos pedidos e encomendas dos seus utilizadores nas condiç es mais económicas A Gestão Económica dos Stoc s Conjunto de operaç es que permite. que se estendam a toda a cadeia logística. formular p e visões da evolução destes e tomar decisões de quando e quanto encomendar com a finalidade de conseguir a melhor qualidade de serviço ao mínimo custo CONSEGUIR Melhor qualidade de serviço   TOMAR DECIS ES  FORMULAR Previs es dos Consumos uando Encomendar uanto  CONHECER Evolução dos stoc s ¨  ©   ¦¨ ¤    ¤ §  ¦   ¥ ¢¤   ¨ ¢£ ¤      £ ¢¡  .Fornecedor Fabricante Distribuidor Retalhista Cliente Final es s deve es ape ec adas c s s e as de ges muito ágeis baseados As e em sistemas de informaç o.

de onde são retirados para satisfação imediata das necessidades correntes. Quanto comprar TIPOS DE STOCK Stock consumo. Conjunto de artigos destinados a satisfazer uma futura necessidade de Stock normal Stock Activo Artigos que no armazém ocupam um lugar de arrumação específico. Parte do stock global destinado a prevenir rupturas. de Constitui as existências de stock normal que não têm espaço no local destinado ao stock activo. . Quando comprar. aumento do prazo de entrega. deterioração. provenientes excessos de consumo relativamente ao previsto. etc. Toda a existência física de determinado artigo num dado momento. Parte do stock global que se encontra destinado a fins específicos.Mínimo custo Gestão Económica dos Stocks Permite determinar: y y y O que comprar. Stock Reserva Stock de Protecção ou de Segurança Stock Afectado Stock Global Stock Máximo Valor máximo atingido pelo stock normal Stock Mínimo Valor mínimo atingido pelo stock normal. Stock Médio Valor médio das existências num determinado período.

Normalmente é independente das quantidades compradas. ou seja.-se As decis es referentes à gestão de stoc s referem à definição dos seguintes parâmetros de gestão: Qu ndo devem ser colocadas as encomendas? Qu nto encomendar de cada vez? Critério: Custos de Funcionamento do sistema de Gestão de Stoc s Custos de Aquisi o Representa o custo das unidades compradas. custos de aluguer de armazém. etc. seguros. Custo de Posse do Stock Inclui os custos monetários directos electricidade. segurança. Custo de Enco end Incluem-se os custos administrativos dos serviços de compras que fazem a colocação da encomenda. é a quantia a pagar ao fornecedor. ' &%! $ # " 1 )(  0 ! ! ini i o dos Custos. .

carteira de encomendas . Podem acontecer duas situações: O cliente aguarda pela vinda dos artigos . Custo de Ruptura Representa os custos por não termos em stock determinado artigo. O cliente perante a ruptura desiste da compra Vendas perdidas .Inclui os custos de oportunidade por ter investido o capital em stocks perde-se a oportunidade de o investir noutras áreas. .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->