P. 1
questões de física

questões de física

|Views: 6.673|Likes:
Publicado porRaphael Sodré

More info:

Published by: Raphael Sodré on May 16, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/20/2014

pdf

text

original

01.

Uma pedra de 200 Kg repousa num plano horizontal, quando passa a ser tracionada
por uma Iorca horizontal de intensidade F. Sendo 0,40 e 0,35, respectivamente, os
coeIicientes de atrito estatico e cinetico entre a pedra e o plano e admitindo g ÷ 10
N/Kg, calcule a intensidade da Iorca de atrito e da aceleracão do bloco nos seguintes
casos:

a) F ÷ 500 N b) F ÷ 800 N c) F ÷ 1700 N

02. O corpo A, de 1,0 Kg, mostrado na Iigura, esta ligado a um balde de 200 g atraves
de um Iio. O coeIiciente de atrito estatico entre o corpo A e a superIicie e 0,30. Qual
deve ser a maxima quantidade de agua a ser colocada no balde para que o sistema ainda
permaneca em equilibrio?



03. Um corpo de massa igual a 20 Kg desloca-se numa superIicie completamente
polida, com velocidade constante de 72 Km/h. Apos certo tempo, ele encontra uma
superIicie aspera, com coeIiciente de atrito cinetico, entre o corpo e ela, de 0,40.
Supondo ambas as superIicies horizontais, determine a distância, em metros, que o
corpo percorre na superIicie aspera ate parar. (g ÷ 10 m/s·)

04. Uma Iorca de 1 Newton tem a ordem de grandeza do peso de:

a) um homem adulto.
b) uma crianca recem-nascida.
c) um litro de leite.
d) uma moeda de um real.
e) uma xicara cheia de caIe.

05. Um corpo de peso P ÷ 25 N esta apoiado sobre uma superIicie horizontal.
Lembrando a terceira lei de Newton, e correto aIirmar que:

a) a Iorca de acão do corpo e anulada pela reacão da superIicie.
b) a Iorca de reacão da superIicie e maior que 25 N.
c) a Iorca de reacão e a normal e e devida ao contato.
d) a Iorca de reacão corresponde a Iorca que o corpo exerce na Terra.
e) a normal e o peso se equilibram.
06. Dois carrinhos, de 0,1 Kg e 0,05 Kg de massa, são puxados horizontalmente por
uma Iorca de 0,6 N. Desprezando os atritos, a Iorca de tracão que liga os carrinhos e em
newtons:



a) 0,10
b) 0,15
c) 0,20
d) 0,40
e) 0,45

07. Um bloco de peso P desliza ao longo de um plano inclinado com atrito desprezivel.
A aceleracão do bloco, em metros por segundo ao quadrado, vale: (Dados: g ÷ 10 m/s·,
sen 0 ÷ 0,6 e cos 0 ÷ 0,8.)

a) 2 b) 4 c) 6 d) 8 e) 10

08. Em um concurso hipico, o cavalo para bruscamente. O cavaleiro e arremessado para
Irente devido a:

a) conservacão da energia cinetica.
b) acão e reacão atuarem em corpos diIerentes.
c) atracão gravitacional da Terra.
d) conservacão da energia mecânica.
e) inercia.

09. Um moto move-se a 72 Km/h, numa estrada horizontal plana. A resultante de todas
as Iorcas que agem na moto e zero. Nessas condicões, a velocidade da moto:

a) diminuira de Iorma constante.
b) diminuira de Iorma variavel.
c) aumentara de Iorma constante.
d) aumentara de Iorma variavel.
e) continuara a ser 72 Km/h.

10. Num plano inclinado com ângulo 0 em relacão ao plano do solo, um bloco de massa
m desliza com uma aceleracão a cuia relacão com a aceleracão da gravidade, g, e:

a) a ÷ g/ sen 0
b) a ÷ g cos 0
c) a ÷ g tg 0
d) a ÷ g/cos 0
e) nenhuma das anteriores.
11. Uma esIera metalica com massa de 0,1 Kg, presa a extremidade de um Iio leve e
inextensivel de 1,0 m de comprimento, e abandonada de certa altura e passa pelo ponto
mais baixo da traietoria com velocidade de 2,0 m/s, como mostra a Iigura. Determine,
no ponto mais baixo da traietoria: (Dado: g ÷ 10 m/s.s)

a) o valor da Iorca centripeta sobre a esIera;
b) a tracão no Iio;

12. (UFBA) Um bloco A, de massa 200 g, gira sobre uma mesa horizontal sem atrito. O
bloco A esta ligado ao bloco B, de massa 1 Kg, por meio de um Iio inextensivel que
passa por um oriIicio existente na mesa. Sabendo-se que o bloco A descreve um
movimento circular uniIorme de velocidade escalar 10 m/s e que o bloco B permanece
em repouso, determine o raio B da traietoria, em metros. Considere a aceleracão da
gravidade g ÷ 10 m/s.s.

13. Qual e a velocidade maxima que um carro pode desenvolver numa curva plana de
100 m de raio, sem derrapar, sabendo-se que o coeIiciente de atrito estatico entre os
pneus e a pista vale 0,625? Considere g ÷ 10 m/s·.

14. (Fuvest-SP) Um carro percorre uma pista curva superelevada, com inclinacão dada
por tg 0 ÷ 0,2, de 200 metros de raio. Desprezando-se o atrito, qual a velocidade
maxima sem risco de derrapagem?

a) 40 Km/h
b) 48 Km/h
c) 60 Km/h
d) 72 Km/h
e) 80 Km/h

15. (Esal-MG) Um bloco de massa 1 Kg esta encostado em uma mola de constante
elastica k ÷ 400 N/m e comprimida de x ÷ 0,1 m, conIorme Iigura. Partindo do repouso
em A, o bloco e empurrado pela mola, abandonando-a em B e dirigindo-se para a
rampa, cuia altura maxima e h ÷ 0,5 m. Dado: g ÷ 10 m/s·


Determine:
a) a energia potencial elastica do bloco em A;
b) a velocidade do bloco ao passar pelo ponto B;
c) a altura que o bloco atinge na rampa;
d) o valor da constante elastica k para que o bloco suba a rampa.

16. Um bloco de 1 Kg e abandonado do topo do plano inclinado que esta a 10 metros do
solo. A velocidade do bloco no Iinal do plano inclinado e de 8 m/s. Calcule o trabalho
da Iorca realizado pela Iorca de atrito sobre ele, ao longo do plano inclinado. Admita g
÷ 10 m/s·.

17. Um corpo de massa 2 Kg e abandonado sobre uma mola ideal de constante elastica
50 N/m, como mostra a Iigura.


Determine:
a) a deIormacão da mola no instante em que a velocidade do corpo e maxima.
b) a velocidade maxima do corpo.
Considere g ÷ 10 m/s· e despreze as perdas de energia mecânica.

18. Um corpo e abandonado do ponto A e desliza sem atrito sobre as superIicies
indicadas, atingindo o ponto B.


O corpo atingira o ponto B com maior velocidade, no caso:

a) I
b) II
c) III
d) IV
e) a velocidade escalar e a mesma no ponto B, em todos os casos.

19. Uma bola e abandonada, do repouso, sobre uma superIicie sem atrito como mostra a
Iigura a seguir:

Qual e o graIico que melhor representa a velocidade v da bola em Iuncão do tempo t ?



20. (UCSal-BA) ConIorme se representa na Iigura adiante, um carrinho de massa M e
solto, a partir do repouso, sobre um plano inclinado de altura h. No Iim da descida, o
modulo da velocidade do carrinho e v. Qual sera o modulo da velocidade, no Iinal da
descida, de um carrinho igual ao que esta representado na Iigura, mas com massa igual
ao dobro da massa do carrinho anterior, solto a partir do repouso e da mesma posicão?



a) v/2
b) v
c) 2v
d) v·
e) 4v

21. Em qual dos seguintes pares podem de grandezas Iisicas as duas podem ser medidas
com a mesma unidade de medida?

a) Trabalho e potência.
b) Energia potencial e trabalho.
c) Energia cinetica e momentum.
d) Momentum e potência.
e) Momentum e trabalho.

22. (UCSal-BA) Uma Iorca constante, de modulo igual a 15 newtons, Ioi aplicada a um
corpo, de massa igual a 10 Kg, enquanto o corpo percorreu 10 metros a partir do
repouso, numa traietoria retilinea e horizontal. Ao Iinal dos 10 metros, a velocidade do
corpo era de 5 m/s. Qual Ioi, aproximadamente, a quantidade de calor dissipada pelo
corpo? (Considere que uma caloria e aproximadamente igual a 4.2 ioules e que a forca
aplicada ao corpo e paralela a sua traietoria.)

a) 25 cal
b) 35 cal
c) 29 cal
d) 38 cal
e) 1050 cal

23. (UESC-BA) A Iigura a seguir representa um carrinho sendo puxado por uma Iorca
F, por uma corda que Iorma um ângulo u com o chão horizontal.

O trabalho realizado para se deslocar o carrinho, com movimento acelerado, e devido:

a) a componente horizontal da Iorca F.
b) a componente vertical da Iorca F.
c) a ambas as componentes da Iorca F.
d) a reacão normal do solo.
e) a aceleracão da gravidade.

24. No sistema internacional de unidades (SI), a unidade de medida de energia e o ioule
(J). Em Iuncão das unidades Iundamentais, o ioule e expresso por:

a) K˧. ˭. s
-2

b) K˧. ˭. s
-1

c) K˧. ˭`. s
-2

d) K˧. ˭`. s
-1

e) K˧. ˭`. s
2


25. Uma Iorca F e aplicada a um corpo, sempre na direcão e sentido de seu movimento.
Observe o graIico Iorca x posicão.

No deslocamento de S1 a S2, o trabalho realizado pela Iorca e dado por:

a) F1(S2 S1)
b) F2.S2/2
c) (F2 F1)(S2 ¹ S1)
d) |(F2 ¹ F1) )(S2 - S1)|/2
e) |(F2 - F1) )(S2 - S1)|/2

26. Um obieto de massa m e abandonado em queda livre, a partir do repouso, de uma
altura h
o
em relacão ao nivel do solo. Pode-se aIirmar corretamente que:

a) imediatamente antes de tocar o solo, sua energia cinetica e nula.
b) a energia mecânica do obieto diminui durante a queda.
c) ao tocar o solo, sua energia potencial e mgh
o
.
d) apos cair

, sua energia potencial e
1

˭˧˨o.
e) apos cair

, sua energia cinetica e
1

˭˧˨o.

27. (Fuvest-SP) Um esqueitista treina em uma pista cuio perIil esta representado na
Iigura abaixo. O trecho horizontal AB esta a uma altura ÷ 2,4 m em relacão ao trecho,
tambem horizontal, CD. O esqueitista percorre a pista no sentido de A para D. No
trecho AB, ele esta com velocidade constante, de modulo v ÷ 4 m/s; em seguida, desce a
rampa BC, percorre o trecho CD, o mais baixo da pista, e sobe a outra rampa ate atingir
uma altura maxima H, em relacão a CD. A velocidade do esqueitista no trecho CD e a
altura maxima H são, respectivamente, iguais a

a) 5 m/s e 2,4 m.
b) 7 m/s e 2,4 m.
c) 7 m/s e 3,2 m.
d) 8 m/s e 2,4 m.
e) 8 m/s e 3,2 m.

28. (Fuvest-SP) Usando um sistema Iormado por uma corda e uma roldana, um homem
levanta uma caixa de massa m, aplicando na corda uma Iorca F que Iorma um ângulo 0
com a direcão vertical, como mostra a Iigura. O trabalho realizado pela resultante das
Iorcas que atuam na caixa - peso e Iorca da corda -, quando o centro de massa da caixa e
elevado, com velocidade constante ;, desde a altura a ate a altura -, e:

a) nulo.
b) (
-

a
).
c) mg (
-

a
).
d) cos (0) (
-

a
).
e) mg (
-

a
) ¹ mv·/2.

29. (Fuvest-SP) Um gavião avista, abaixo dele, um melro e, para apanha-lo, passa a
voar verticalmente, conseguindo agarra-lo. Imediatamente antes do instante em que o
gavião, de massa ÷ 300 g, agarra o melro, de massa ÷ 100 g, as velocidades do
gavião e do melro são, respectivamente, J ÷ 80 km/h na direcão vertical, para baixo, e
J ÷ 24 km/h na direcão horizontal, para a direita. Imediatamente apos a caca, o vetor
velocidade : do gavião, que voa segurando o melro, Iorma um ângulo u com o plano
horizontal tal que tg u e aproximadamente igual a:

a) 20.
b) 10.
c) 3.
d) 0,3.
e) 0,1.

30. (Fuvest-SP) Em um ponto Iixo do espaco, o campo eletrico de uma radiacão
eletromagnetica tem sempre a mesma direcão e oscila no tempo, como mostra o graIico
abaixo, que representa sua proiecão nessa direcão Iixa; e positivo ou negativo
conIorme o sentido do campo.





Consultando a tabela acima, que Iornece os valores tipicos de Ireqüência f para
diIerentes regiões do espectro eletromagnetico, e analisando o graIico de em Iuncão
do tempo, e possivel classiIicar essa radiacão como

a) inIravermelha.
b) visivel.
c) ultravioleta.
d) raios-X.
e) raios v.

31. (Unicamp-SP) Em 2009 completaram-se vinte anos da morte de Raul Seixas. Na
sua obra o roqueiro cita elementos regionais brasileiros, como na cancão 'Minha viola¨,
na qual ele exalta esse instrumento emblematico da cultura regional. A viola caipira
possui cinco pares de cordas. Os dois pares mais agudos são aIinados na mesma nota e
Ireqüência. Ja os pares restantes são aIinados na mesma nota, mas com diIerenca de
altura de uma oitava, ou seia, a corda Iina do par tem Ireqüência igual ao dobro da
Ireqüência da corda grossa. As Ireqüências naturais da onda numa corda de
comprimento l com as extremidades Iixas são dadas por ˦˚ = ˚(
˰
Ŷˬ
) sendo o
harmônico da onda e v a sua velocidade.

a) Na aIinacão Cebolão Re Maior para a viola caipira, a corda mais Iina do quinto par e
aIinada de Iorma que a Ireqüência do harmônico Iundamental e 1 ˦ŵ
]ìnu
÷ 220 Hz. A
corda tem comprimento l ÷0.5 m e densidade linear µ ÷5×ŵŴ
-
kg/m. Encontre a tensão
t aplicada na corda, sabendo que a velocidade da onda e dada por v ÷
ü



b) Suponha que a corda mais Iina do quinto par esteia aIinada corretamente com f
1
Iina
÷
220 Hz e que a corda mais grossa esteia ligeiramente desaIinada, mais Irouxa do que
deveria estar. Neste caso, quando as cordas são tocadas simultaneamente, um batimento
se origina da sobreposicão das ondas sonoras do harmônico Iundamental da corda Iina
de Ireqüência f
1
Iina
, com o segundo harmônico da corda grossa, de Ireqüência f
2
grossa
. A
Ireqüência do batimento e igual a diIerenca entre essas duas Ireqüências, ou seia, f
bat
÷
f
1
Iina
f
2
grossa
. Sabendo que a Ireqüência do batimento e f
bat
÷ 4 Hz, qual e a Ireqüência
do harmônico Iundamental da corda grossa, f
1
grossa
?

32. (Fuvest-SP) A Iigura abaixo mostra o esquema de um instrumento (espectrômetro
de massa), constituido de duas partes. Na primeira parte, ha um campo eletrico .
paralelo a esta Iolha de papel, apontando para baixo, e tambem um campo magnetico B1
perpendicular a esta Iolha, entrando nela. Na segunda, ha um campo magnetico B2. de
mesma direcão que B1. mas em sentido oposto. Ions positivos, provenientes de uma
Ionte, penetram na primeira parte e, devido ao par de Iendas F1 e F2 , apenas particulas
com velocidade v, na direcão perpendicular aos vetores e B1, atingem a segunda parte
do equipamento, onde os ions de massa m e carga q têm uma traietoria circular com raio
R.


a) Obtenha a expressão do modulo da velocidade v em Iuncão de e de B1.
b) Determine a razão m/q dos ions em Iuncão dos parâmetros . B1. B2 e R.
c) Determine, em Iuncão de R, o raio R da traietoria circular dos ions, quando o campo
magnetico, na segunda parte do equipamento, dobra de intensidade, mantidas as demais
condicões.

33. (UFABC-SP) Uma barra metalica AC de massa desprezivel esta presa ao teto por
duas molas ideais isolantes e idênticas de constante elastica K ÷ 36 N/m, inicialmente
sem deIormacão. A barra e mantida na horizontal e esta ligada a um gerador de Iorca
eletromotriz c ÷ 120 V com resistência interna desprezivel. Uma chave Ch aberta
impede a passagem de corrente pelo circuito. Parte da barra esta imersa numa região
quadrada de lado L ÷ 20 cm, onde atua um campo magnetico horizontal uniIorme de
intensidade B ÷ 0,3 T, perpendicular ao plano da Iigura e com sentido para dentro dela
(Figura 1). Ao Iecharmos a chave Ch, uma corrente de intensidade i passa a circular e,
devido a acão do campo magnetico, surge uma Iorca na barra, causando nessa um
deslocamento vertical x (Figura 2). Sabendo que a resistência eletrica total desse
circuito vale R ÷ 2 O e desconsiderando o campo magnetico da Terra, determine x.

34. (UFABC-SP) Na natureza, muitos animais conseguem guiar-se e ate mesmo cacar
com eIiciência, devido a grande sensibilidade que apresentam para a deteccão de ondas,
tanto eletromagneticas quanto mecânicas. O escorpião e um desses animais. O
movimento de um besouro proximo a ele gera tanto pulsos mecânicos longitudinais
quanto transversais na superIicie da areia. Com suas oito patas espalhadas em Iorma de
circulo, o escorpião intercepta primeiro os longitudinais, que são mais rapidos, e depois
os transversais. A pata que primeiro detectar os pulsos determina a direcão onde esta o
besouro. A seguir, o escorpião avalia o intervalo de tempo entre as duas recepcões, e
determina a distância d entre ele e o besouro. Considere que os pulsos longitudinais se
propaguem com velocidade de 150 m/s, e os transversais com velocidade de 50 m/s. Se
o intervalo de tempo entre o recebimento dos primeiros pulsos longitudinais e os
primeiros transversais Ior de 0,006 s, determine a distância d entre o escorpião e o
besouro.


35. (UFABC-SP) Do ponto de entrada em uma curva Iechada a direita ate sua saida, o
velocimetro de um carro indica um valor constante de 36 km/h. Considere que:

· a curva e plana, horizontal e circular com centro em C;
· o raio da curva que o carro descreve e de 40 m;
· a aceleracão local da gravidade tem valor g ÷ 10 m/s·



a) Reproduza o desenho apresentado, indicando as direcões e sentidos dos vetores
velocidade e aceleracão, se iulgar que existam, quando o carro se encontra no ponto
indicado por P.

b) Em seguida, determine o minimo coeIiciente de atrito estatico entre os pneus e a
pista, supondo que o carro consiga Iazer a curva sem derrapar.

36. (UFBA) A maioria dos morcegos possui ecolocalizacão um sistema de
orientacão e localizacão que os humanos não possuem. Para detectar a presenca de
presas ou de obstaculos, eles emitem ondas ultrassônicas que, ao atingirem o obstaculo,
retornam na Iorma de eco, percebido por eles. Assim sendo, ao detectarem a direcão do
eco e o tempo que demora em retornar, os morcegos conseguem localizar eventuais
obstaculos ou presas. Um dispositivo inspirado nessa estrategia e a trena sônica, a qual
emite uma onda sonora que e reIletida por um obstaculo situado a uma distância que se
deseia medir. Supondo que uma trena emite uma onda ultrassônica com Ireqüência igual
a 22,0kHz e comprimento de onda igual a 1,5cm, que essa onda e reIletida em um
obstaculo e que o seu eco e detectado 0,4s apos sua emissão, determine a distância do
obstaculo, considerando que as propriedades do ar não mudam durante a propagacão da
onda e, portanto, a velocidade do som permanece constante.

37. (UFBA) A determinacão da longitude ao longo de viagens maritimas e Ieita pela
comparacão entre a hora local e a hora no porto de origem. Portanto, e necessario que se
tenha, no navio, um relogio que seia aiustado antes de zarpar e marque, precisamente,
ao longo de toda a viagem, a hora do porto de origem. Os relogios de pêndulo daquela
epoca não serviam a esse proposito, pois o seu Iuncionamento soIria inIluência de
muitos Iatores, inclusive das variacões de temperatura, devido a dilatacão e a contracão
da haste do pêndulo. A longitude pôde Iinalmente ser determinada atraves de um
relogio, no qual o problema das variacões de temperatura Ioi resolvido com a utilizacão
de tiras de comprimentos diIerentes Ieitas de materiais de coeIicientes de dilatacão
diIerentes. Com base nesse mesmo principio Iisico, considere um coniunto Iormado por
duas barras de comprimento L
1
÷10,0cm e L
2
÷15,0cm Iixadas em uma das
extremidades, inicialmente submetido a temperatura To. Supondo que o coniunto tenha
sua temperatura aumentada para T ÷ To ¹ AT, determine a relacão entre os coeIicientes
de dilatacão linear, u1 e u2, das barras, para a qual a distância D÷5,0cm não se altera
com a variacão de temperatura.





38. (UFBA) Uma Iorma de obter-se o coeIiciente de viscosidade de liquidos e
determinar a Iorca de atrito soIrida por uma esIera, de massa m e raio r, quando desce
com velocidade constante de modulo v, dentro do liquido. Considere que somente agem
na esIera o empuxo e as Iorcas gravitacional e de resistência do liquido. Sendo
conhecidas a densidade volumetrica de massa p do liquido e a velocidade com que a
esIera se desloca nele, determine o coeIiciente de viscosidade n do liquido, sabendo que
a Iorca da resistência do liquido FR e igual a 6arnv.

39. (UFBA) Um estudante deseia medir o campo magnetico da Terra no local onde ele
mora. Ele sabe que esta em uma região do planeta por onde passa a linha do Equador e
que, nesse caso, as linhas do campo magnetico terrestre são paralelas a superIicie da
Terra. Assim, ele constroi um solenoide com 300 espiras por unidade de comprimento,
dentro do qual coloca uma pequena bussola. O solenoide e a bussola são posicionados
em um plano paralelo a superIicie da Terra de modo que, quando o interruptor esta
aberto, a direcão da agulha da bussola Iorma um ângulo de 90º com o eixo do solenoide.
Ao Iechar o circuito, o amperimetro registra uma corrente de 100,0 mA e observa-se
que a deIlexão resultante na bussola e igual a 62º. A partir desse resultado, determine o
valor do campo magnetico da Terra, considerando 0÷1,26.ŵŴ

T.m/A, sen62º÷0,88,
cos62º÷0,47 e tg62º÷1,87.



40. (UFBA) Uma esIera rigida de massa m
1
÷ 0,5kg, presa por um Iio de comprimento
L ÷ 45,0cm e massa desprezivel, e suspensa em uma posicão tal que, como mostra a
Iigura, o Iio suporte Iaz um ângulo de 90º com a direcão vertical. Em um dado
momento, a esIera e solta, indo se chocar com outra esIera de massa m
2
÷ 0,5kg,
posicionada em repouso no solo. Considerando o diâmetro das esIeras desprezivel e o
choque entre elas perIeitamente elastico, determine a velocidade das esIeras apos o
choque, supondo todas as Iorcas dissipativas despreziveis, o modulo da aceleracão da
gravidade local igual a 10 m/s· e o coeIiciente de restituicão c ÷

2-1
1-2
em que v`
1
e v`
2
são as velocidades Iinais das esIeras e v
1
e v
2
as velocidades iniciais.

41. (UFBA Quando um Ieixe luminoso passa atraves de um prisma, ele se decompõe
em um espectro de cores que correspondem as luzes de diversos comprimentos de onda
que compõem o Ieixe. Um gas monoatômico rareIeito, contido em uma ampola de
vidro, e submetido a uma descarga eletrica e produz uma luz que, ao passar atraves de
um prisma, decompõe-se em um espectro de raias coloridas, cuio padrão e caracteristico
do gas. A primeira explicacão teorica para esse espectro, com base na teoria atômica, Ioi
dada, em 1913, por Niels Bohr que, partindo do modelo atômico de RutherIord,
estabeleceu um coniunto de postulados a partir dos quais era possivel explicar, dentre
outras coisas, o espectro observado. Esses postulados estabelecem que os eletrons giram
ao redor do nucleo, em orbitas circulares estaveis, nas quais eles podem permanecer
sem perder energia, que as orbitas são quantizadas, possuindo, cada uma, um valor
discreto de energia, e que o eletron, quando e Iorcado a mudar de uma orbita para outra,
absorve ou libera uma determinada quantidade de energia. Com base nos postulados de
Bohr, explique a producão das linhas espectrais observadas.



42. (IME-R1) Dois vagões estão posicionados sobre um trilho retilineo, eqüidistantes
de um ponto de reIerência sobre o trilho. No primeiro vagão, existe um tubo sonoro
aberto onde se Iorma uma onda sonora estacionaria com 4 nos, cuia distância entre o
primeiro e o ultimo no e 255 cm, enquanto no segundo vagão existe um observador.
Inicialmente, apenas o vagão do observador se move e com velocidade constante,
distinta da velocidade constante do observador. Sabendo que a Ireqüência percebida
pelo observador na situacão inicial e 210 Hz e na situacão posterior e 204 Hz,
determine:

a) a Ireqüência do som que o tubo emite;
b) a velocidade do vagão do observador, na situacão inicial;
c) a velocidade do vagão da Ionte, na situacão Iinal;

43. (IME-R1) A Iigura ilustra um plano inclinado com ângulo 0 ÷ 30º cuia superIicie
apresenta atrito. Um bloco de massa m ÷ 1 Kg, carregado eletricamente com carga
negativa q ÷ ŵŴ
-2
C, apresenta velocidade inicial vo ÷ 2 m/s e realiza um movimento
retilineo sobre o eixo x (paralelo ao plano horizontal) a partir do instante t ÷ 0. Alem
disso, esse bloco se encontra submetido a Iorca constante F ÷ 4,5 N na direcão x e a um
campo magnetico B ÷ 100 T normal a superIicie (direcão z). Considerando que o
graIico ilustra o trabalho da Iorca resultante R que age sobre o bloco em Iuncão da
distância percorrida, determine:

a) o tempo gasto e a velocidade do bloco apos percorrer 60 m;
b) os graIicos das componentes da Iorca de atrito (direcão x e y) em Iuncão do tempo
ate o bloco percorrer 60 m;



44. (IME-R1) Um bloco de 4 Kg e velocidade inicial de 2 m/s percorre 70 cm em uma
superIicie horizontal rugosa ate atingir uma mola de constante elastica 200 N/m. A
aceleracão da gravidade e 10 m/s· e o bloco comprime 10 cm da mola ate que sua
velocidade se anule. Admitindo que durante o processo de compressão da mola o bloco
desliza sem atrito, o valor do coeIiciente de atrito da superIicie rugosa e:

a) 0,15
b) 0,20
c) 0,25
d) 0,30
e) 0,35

45. (IME-R1) Na Iigura abaixo, o Irasco de vidro não condutor termico e eletrico
contem 0,20 Kg de um liquido isolante eletrico que esta inicialmente a 20º C. Nesse
liquido esta mergulhado um resistor R1 de 8 O. A chave K esta inicialmente na vertical
e o capacitor e de 16 F, esta descarregado. Ao colocar a chave no ponto A veriIica-se
que a energia do capacitor e 0,08 J. Em seguida, comutando a chave para o ponto B e ali
permanecendo durante 5 s, a temperatura do liquido subira para 26º C. Admita que todo
o calor gerado pelo resistor R1 seia absorvido pelo liquido e que o calor gerado nos
resistores R2 e R3 não atinia o Irasco. Nessas condicões, e correto aIirmar que o calor
especiIico do liquido, em cal.˧
-10
˕
-1
, e:



a) 0,4
b) 0,6
c) 0,8
d) 0,9
e) 1,0

46. (IME-R1) A Iigura ilustra uma mola Ieita de maneira isolante eletrico, não
deIormada, toda contida no interior de um tubo de plastico não condutor eletrico, de
altura h ÷ 50 cm. Colocando-se sobre a mola um pequeno corpo (raio desprezivel) de
massa 0,2 Kg e carga positiva de 9 x ŵŴ
-6
C, a mola passa a ocupar metade da altura do
tubo. Determine o valor da carga, em coulombs, que devera ser Iixada na extremidade
superior do tubo, de modo que o corpo possa ser posicionado em equilibrio estatico a 5
cm do Iundo.






47. (IME-R1) Um raio de luz monocromatica incide em um liquido contido em um
tanque, como mostrado na Iigura. O Iundo do tanque e espelhado, reIletindo o raio
luminoso sobre a parede posterior do tanque exatamente no nivel do liquido. O indice
de reIracão do liquido em relacão ao ate:



48. (ITA-SP) Uma massa m1 com velocidade inicial V
o
colide com um sistema massa-
mola m2 e constante elastica K, inicialmente em repouso sobre uma superIicie sem
atrito, conIorme ilustra a Iigura. Determine o maximo comprimento da compressão da
mola, considerando desprezivel a sua massa.


49. (UFR1) Um brinquedo muito divertido e o teleIone de latas. Ele e Ieito com duas
latas abertas e um barbante que tem suas extremidades presas as bases das latas. Para
utiliza-lo, e necessario que uma pessoa Iale na 'boca¨ de uma das latas e uma outra
pessoa ponha seu ouvido na 'boca¨ da outra lata, mantendo os Iios esticados. Como no
caso do teleIone comum, tambem existe um comprimento de onda maximo em que o
teleIone de latas transmite bem a onda sonora. Sabendo que para um certo teleIone de
latas o comprimento de onda maximo e 50cm e que a velocidade do som no ar e igual a
340m/s, calcule a Ireqüência minima das ondas sonoras que são bem transmitidas pelo
teleIone.



50. (UFR1) Uma particula de massa m e carga q positiva, em movimento retilineo
uniIorme, penetra em uma região na qual ha um campo magnetico uniIorme, vertical e
de modulo B. Ao sair da região, ela retoma um movimento retilineo uniIorme. Todo o
movimento se processa em um plano horizontal e a direcão do movimento retilineo Iinal
Iaz um ângulo 0 com a direcão do movimento retilineo inicial. A velocidade da
particula e grande o bastante para desprezarmos a Iorca gravitacional, de modo a
considerarmos apenas a Iorca magnetica sobre ela.

a) Determine a razão v / v entre o modulo v da velocidade do movimento retilineo Iinal
e o modulo v da velocidade do movimento retilineo inicial.
b) Calcule quanto tempo a particula demora para atravessar a região em que ha campo
magnetico em Iuncão de q, m, B e 0.
51. (UFR1) Um bloco de massa 2,0 kg esta sobre a superIicie de um plano inclinado,
que esta em movimento retilineo para a direita, com aceleracão de 2,0 m/s2, tambem
para a direita, como indica a Iigura a seguir. A inclinacão do plano e de 30o em relacão
a horizontal.

Suponha que o bloco não deslize sobre o plano inclinado e que a aceleracão da
gravidade seia g ÷ 10 m/s·. Usando a aproximacão ŷ - 1,7, calcule o modulo e indique
a direcão e o sentido da Iorca de atrito exercida pelo plano inclinado sobre o bloco.

52. (UFR1) Um portão retangular de massa igual a 50kg tem 2,50m de comprimento,
1,45m de altura e esta preso a duas dobradicas A e B. O vertice da dobradica A dista
0,10m do topo do portão, e o vertice da dobradica B, 0,10m da base, como indica a
Iigura a seguir.

Suponha que o sistema esteia em repouso, que o peso do portão esteia aplicado em seu
centro geometrico e que a aceleracão g da gravidade local seia 10m/s·.

a) Calcule o modulo da Iorca resultante exercida pelas duas dobradicas sobre o portão.
b) Calcule o modulo da componente horizontal da Iorca exercida pela dobradica A
sobre o portão e determine seu sentido.

53. (UFR1) Um peso A de massa igual a 70 kg e colocado sobre uma superIicie lisa
sem atrito. Sobre este peso e colocado um peso B de massa igual a 30 kg. Um homem
comeca a empurrar o peso A horizontalmente com uma Iorca de 100N, conIorme
indicado na Iigura abaixo. Considere que o peso B esteia a ponto de deslizar sobre o
peso A e admita g÷10m/s·.

a) Represente as Iorcas que atuam no peso B.
b) Determine o coeIiciente de atrito estatico entre a superIicie do peso A e do peso B.
54. (UFABC-SP) A charge mostra Albert Einstein criando sua equacão, que apresenta
um dos principios que revolucionou a Iisica.



Pode-se aIirmar que essa equacão expressa que a

a) materia pode ser convertida em energia e a energia pode ser convertida em materia.
b) energia pode ser emitida ou absorvida em quantidades de massa denominadas Iotons.
c) materia, no vacuo, sempre se desloca a velocidade da luz.
d) energia liberada pela massa de um Ioton e proporcional a sua Ireqüência.
e) materia, ao atingir a velocidade da luz, não apresenta alteracões Iisicas.

55. (UFR1) Um Iabricante de carros esportivos construiu um carro que, na arrancada, e
capaz de passar de 0 a 108 km/h (30m/s) em 10s, percorrendo uma distância d. A Iigura
abaixo representa o graIico velocidade-tempo do carro durante a arrancada.


a) Calcule a aceleracão escalar media do carro durante a arrancada, em m/s·.
b) Para percorrer a primeira metade da distância d, nessa arrancada, o carro gastou 5s,
mais de 5s ou menos de 5s? JustiIique sua resposta.

56. (UFABC-SP) Três ondas, A, B e C, percorrem, num mesmo meio, uma distância de
12 metros em 2 segundos.

O periodo da onda A, a velocidade da onda B e a amplitude da onda C são,
respectivamente,

a) 0,5 s, 6,0 m/s e 1,0 m.
b) 0,5 s, 6,0 m/s e 2,0 m.
c) 2,0 s, 2,0 m/s e 1,0 m.
d) 2,0 s, 2,0 m/s e 2,0 m.
e) 4,0 s, 3,0 m/s e 4,0 m.

57. (UFABC-SP) Três esIeras condutoras idênticas, A, B e C, inicialmente neutras, são
encostadas uma na outra, isoladas da terra por meio de hastes não condutoras, conIorme
Iigura.


O diagrama que melhor representa a distribuicão das cargas nas esIeras A, B e C quando
um bastão eletricamente positivo e colocado proximo a esIera C e


58. (UnB-DF) Com o progresso crescente das atividades industriais e com o aumento
da populacão, a economia de energia eletrica tem sido uma preocupacão constante. Nas
residências, uma economia substancial de energia eletrica seria obtida se o calor gerado
pelo reIrigerador pudesse ser utilizado no aquecimento da agua para o banho. Nessa
perspectiva, considere que um dispositivo seia construido para extrair o calor do
radiador de um reIrigerador e utiliza-lo para aumentar em 10 ºC a temperatura de 150 L
de agua a ser consumida diariamente em uma residência. Considerando que a
densidade da agua seia igual a 1 kg/L e que o calor especiIico da agua seia igual a
4.200 J/(kg ºC), calcule, em kWh, a maxima economia de energia eletrica que o
reIerido dispositivo podera proporcionar no periodo de 30 dias. Despreze, caso
exista, a parte Iracionaria do valor calculado.

59. (UFAC) Um corpo de massa 50 gramas recebe 300 calorias e sua temperatura sobe
de 10 ºC ate 30 ºC. Determine o calor especiIico da substância que o constitui.

60. (UFAC) Um quilograma de glicerina, de calor especiIico 0,6 cal/g ºC, inicialmente
a -30 ºC, recebe 12000 calorias de uma Ionte. Determine: a temperatura Iinal da
glicerina.
61. (UFAC) Qual a quantidade de calor que 50 g de gelo a -20 ºC precisam receber para
se transIormar em agua a 40 ºC? Dado: c
gelo
÷ 0,5 cal/g. ºC; c
agua
÷ 1 cal/g. ºC; e LF ÷ 80
cal/g.

62. (UFAM) Quanto de calor sera necessario para levar 100 g de agua a 50 ºC para
vapor d' agua a 100 ºC? LV ÷ 540 cal/g.

63. (UnB-DF) Considere a Iigura abaixo, na qual dois obietos de massas m ÷ 10 kg
estão presos a Iios de comprimento f ÷ 1 m. Considere ainda que esses obietos possuem
cargas Q1 ÷ 0,6 C e Q2 ÷ 2 C e estão em um local em que a intensidade da aceleracão
do campo gravitacional g e igual a 10 m/s· e a constante eletrostatica k do meio e igual a
9 x ŵŴ
9
N.m·/C·. Com base nessas inIormacões, calcule o ângulo 0, representado na
Iigura, para a situacão de equilibrio, sabendo que 0, nessa situacão, e muito menor do
que 1 radiano e, por isso, assumindo que sen 0 ÷ 0 e cos 0 ÷ 1. Multiplique o valor
obtido por 10.000.


64. (UFLA-MG) Dois corpos e 2 realizam um movimento retilineo. VeriIica-se que a
variacão de velocidade do corpo (A; e o dobro da variacão da velocidade do corpo 2
(A;2, para o mesmo intervalo de tempo At. Com relacão a aceleracão media dos corpos
e 2, e CORRETO aIirmar que:



65. (UFLA-MG) Um plano inclinado de um ângulo 0 e massa M esta inicialmente em
repouso sobre uma superIicie horizontal sem atrito. Um besouro de massa m que
deslocava-se horizontalmente, passa a subir o plano inclinado com velocidade constante
;, de Iorma a deslocar o plano inclinado no sentido oposto com velocidade ' (Iigura
abaixo). Calcule o modulo da velocidade ' do plano inclinado.



66. (UFLA-MG) Uma plataIorma horizontal, posicionada a uma altura em relacão ao
solo, contem uma mola de constante elastica k que soIreu uma compressão de uma
distância x e encostado a ela uma bola de massa m em repouso, conIorme Iigura abaixo.
Disparando-se a mola, a bola e proietada ao longo da plataIorma e atinge o solo na
posicão P. Considerando g a aceleracão da gravidade e todo o sistema isento de atrito,
calcule a velocidade da bola no exato momento que ela atingir o solo.



67. (UFLA-MG) Dois corpos e 2 estão em movimento uniIorme. Considerando que a
massa m do corpo e metade da massa m2 do corpo 2, e que a velocidade ; do corpo
e quatro vezes maior do que a velocidade ;2 do corpo 2, e CORRETO aIirmar que a
energia cinetica do corpo e:

a) quatro vezes maior do que a energia cinetica do corpo 2.
b) metade da energia cinetica do corpo 2.
c) oito vezes maior do que a energia cinetica do corpo 2.
d) o dobro da energia cinetica do corpo 2.

68. (UFLA-MG) Um obieto de massa kg se desloca horizontalmente com ; ÷ 5
m/s, encontra um plano inclinado de um ângulo 0 e percorre-o ate uma altura de m,
quando momentaneamente entra em repouso e volta a base (Iigura abaixo).
Considerando g ÷ m/s², e CORRETO aIirmar que a energia dissipada pela Iorca de
atrito na subida do plano Ioi de:


69. (UNEB-BA) A Iigura representa o diagrama de um ciclo descrito por um sistema
cilindro-pistão de uma maquina termica.



Considerando-se o Iluido de trabalho como sendo um gas ideal e sabendo-se que a
maquina descreve dois ciclos por segundo, e correto aIirmar que a potência
desenvolvida por essa maquina e igual, em W, a

a) 2500,0
b) 600,0
c) 860,0
d) 1200,0
e) 100,0

70. (UNEB-BA) Considere uma radiacão inIravermelha com Ireqüência de 1,0 x ŵŴ
1

Hz, que se propaga aIastando-se da superIicie terrestre, com velocidade de modulo igual
a 3,0 x ŵŴ
5
km/s. Sabendo-se que, em determinado instante, o campo magnetico da
radiacão tem intensidade igual a 6,0 x ŵŴ
-5
T, e o sentido de sul para norte, e correto
aIirmar que, nesse instante, a caracteristica vetorial do campo eletrico dessa radiacão
pode ser expressa como

a) 3,0 x ŵŴ
-8
V/m, direcão vertical, de norte para sul.
b) 1,8 x ŵŴ
4
V/m, direcão horizontal, de oeste para leste.
c) 2,0 x ŵŴ
1
V/m, direcão inclinada, Iormando ângulo de 45º com a horizontal.
d) 2,0 x ŵŴ
1
V/m, direcão inclinada, Iormando ângulo de 60º com a horizontal.
e) 1,8 x ŵŴ
4
V/m, direcão inclinada, Iormando ângulo de 30º com a horizontal.

71. (UFPE) Considerando que as três cargas da Iigura estão em equilibrio, determine
qual o valor da carga Q1 em unidades de ŵŴ
-9
. Considere Q3 ÷ -3 x ŵŴ
-9
C.



72. (UFPE) Um eletron entra com velocidade v ÷ 10 x ŵŴ
6
m/s entre duas placas
paralelas carregadas eletricamente. As placas estão separadas pela distância d ÷ 1,0 cm
e Ioram carregadas pela aplicacão de uma diIerenca de potencial V ÷ 200 volts. Qual e o
modulo do campo magnetico, B, que permitira ao eletron passar entre as placas sem ser
desviado da traietoria traceiada? Expresse B em unidades de ŵŴ
-
tesla.



73. (UFPE) Um bloco de massa 2 kg desliza, a partir do repouso, por uma distância d ÷
3 m, sob a acão de uma Iorca de modulo F ÷ 10 N (ver Iigura). No Iinal do percurso, a
velocidade do bloco e v ÷ 3 m/s. Calcule o modulo da energia dissipada no percurso, em
ioules.



74. (UFPE) Uma bolinha de borracha, de massa m ÷ 0,1 kg, e liberada a partir do
repouso de uma altura h1 ÷ 3,2 m. Ela colide com o piso e sobe ate uma altura h2 ÷ 0,8
m. Considerando que a colisão durou At ÷ 0.02 s, calcule o modulo da Iorca media que
a bola exerceu no piso durante a colisão, em newtons. Despreze a resistência do ar e a
acão da Iorca peso durante a colisão.

75. (UFPE) Um microscopio eletrônico pode ser usado para determinar o tamanho de
um virus que pode variar entre 0,01 µm a 0,3 µm. Isto e possivel porque o comprimento
de onda de deBroglie, ì, associado aos eletrons. e controlado variando-se a diIerenca de
potencial que permite acelerar o Ieixe eletrônico. Considerando que os eletrons são
acelerados a partir do repouso suieitos a diIerenca de potencial V ÷ 12,5 x 10¹ volts,
determine o valor de ì quando os eletrons atingem a placa coletora onde e colocado o
virus. Expresse a resposta em unidades de ŵŴ
-12
m. (Dados: Massa do eletron ÷ 9 x
ŵŴ
-1
kg, Carga do eletron ÷ 1,6 x ŵŴ
-19
C, Constante de Planck ÷ 6,6 x ŵŴ
-4
J.s.)
76. (Unicamp-SP) Para se obter Vm o radar mede a diIerenca de Ireqüências AI, dada
por AI ÷ I I0 ÷

I0, sendo I a Ireqüência da onda reIletida pelo carro, I0 ÷ 2,4
×ŵŴ
10
Hz a Irequência da onda emitida pelo radar e c ÷ 3,0×ŵŴ
8
m/s a velocidade da
onda eletromagnetica. O sinal (¹ ou -) deve ser escolhido dependendo do sentido do
movimento do carro com relacão ao radar, sendo que, quando o carro se aproxima, a
Ireqüência da onda reIletida e maior que a emitida. Pode-se aIirmar que a diIerenca de
Ireqüência AI medida pelo radar Ioi igual a

a) 1600 Hz.
b) 80 Hz.
c) 80 Hz.
d) 1600 Hz.

78. (UFES) Um bloco, de massa M, em repouso na extremidade de uma mesa de altura
h, soIre o impacto Irontal de um proietil de massa m. A velocidade do proietil, quando
atinge o bloco, e horizontal e tem modulo v0. O proietil atravessa o bloco, saindo dele
praticamente sem mudar a direcão de sua traietoria. Como resultado do impacto, o bloco
e lancado da mesa e cai no chão, a uma distância horizontal d da sua posicão inicial,
conIorme mostra a Iigura a seguir. Desprezando-se os eIeitos da resistência do ar, a
velocidade do proietil ao deixar o bloco tem modulo:



79. (UER1) O numero do homem-bala apresenta um homem sendo disparado por um
canhão. Nesse circo, um macaquinho de 4,0 kg substitui o homem. Ele e disparado, com
uma velocidade inicial de 20 m/s por um canhão de 400 kg, montado sobre rodas e não
Ireado, Iormando um ângulo de 60° com a horizontal, conIorme mostra a Iigura.
Determine o modulo da velocidade horizontal de recuo do canhão, imediatamente apos
o disparo.



80. (UER1) Na rampa de saida do supermercado, uma pessoa abandona, no instante t ÷
0, um carrinho de compras de massa 5 kg que adquire uma aceleracão constante.
Considere cada um dos três primeiros intervalos de tempo do movimento iguais a 1 s.
No primeiro e no segundo intervalos de tempo, o carrinho percorre, respectivamente, as
distâncias de 0,5 m e 1,5 m. Calcule:

a) o momento linear que o carrinho adquire no instante t ÷ 3 s;
b) a distância percorrida pelo carrinho no terceiro intervalo de tempo.

81. (Unifesp-SP) A massa da Terra e aproximadamente oitenta vezes a massa da Lua e
a distância entre os centros de massa desses astros e aproximadamente sessenta vezes o
raio da Terra. A respeito do sistema Terra-Lua, pode-se aIirmar que

a) a Lua gira em torno da Terra com orbita eliptica e em um dos Iocos dessa orbita esta
o centro de massa da Terra.
b) a Lua gira em torno da Terra com orbita circular e o centro de massa da Terra esta no
centro dessa orbita.
c)a Terra e a Lua giram em torno de um ponto comum, o centro de massa do sistema
Terra-Lua, localizado no interior da Terra.
d) a Terra e a Lua giram em torno de um ponto comum, o centro de massa do sistema
Terra-Lua, localizado no meio da distância entre os centros de massa da Terra e da Lua.
e) a Terra e a Lua giram em torno de um ponto comum, o centro de massa do sistema
Terra-Lua, localizado no interior da Lua.

82. (Unifesp-SP) Na Iigura, estão representadas duas pequenas esIeras de mesma
massa, m ÷ 0,0048 kg, eletrizadas com cargas de mesmo sinal, repelindo-se, no ar. Elas
estão penduradas por Iios isolantes muito leves, inextensiveis, de mesmo comprimento,
ÿ ÷ 0,090 m. Observa-se que, com o tempo, essas esIeras se aproximam e os Iios
tendem a tornar-se verticais.

a) O que causa a aproximacão dessas esIeras? Durante essa aproximacão, os ângulos
que os Iios Iormam com a vertical são sempre iguais ou podem tornar-se diIerentes um
do outro? JustiIique.

b) Suponha que, na situacão da Iigura, o ângulo a e tal que sen u ÷ 0,60; cos u ÷ 0,80; tg
u ÷ 0,75 e as esIeras têm cargas iguais. Qual e, nesse caso, a carga eletrica de cada
esIera? (Admitir g ÷ 10 m/s· e k ÷ 9,0 x ŵŴ
9
N.m·/C·.)

83. (Unifesp-SP) A Iigura mostra uma bussola que, alem de indicar a direcão dos polos
magneticos da Terra, indica tambem a inclinacão u das linhas de campo no local onde
ela esta.


Bussolas como essa se inclinam u
E
em regiões proximas ao equador, u
T
em regiões
proximas aos tropicos e u
P
em regiões proximas aos circulos polares. Conhecendo a
conIiguracão do campo magnetico terrestre (veia a Iigura)


pode-se aIirmar que:

a) u
P
~ u
T
~ u
E
.
b) u
T
~ u
P
~ u
E
.
c) u
P
~ u
E
~ u
T
.
d) u
T
~ u
E
~ u
P
.
e) u
E
~ u
T
~ u
P
.

84. (PUC-SP) Seia F o modulo da Iorca de atracão da Terra sobre a Lua e V
0
o modulo
da velocidade tangencial da Lua em sua orbita, considerada circular, em torno da Terra.
Se a massa da Terra se tornasse três vezes maior, a Lua quatro vezes menor e a distância
entre estes dois astros se reduzissem a metade, a Iorca de atracão entre a Terra e a Lua
passaria a ser:

a) 3/16 F
b) 1,5 F
c) 2/3 F
d) 12 F


85. (UFMG) A Iigura mostra dois satelites artiIiciais, A e B, que estão em orbitas
circulares de mesmo raio, em torno da Terra. A massa do satelite A e maior do que a do
satelite B. Com relacão ao modulo das velocidades, VA e VB, e aos periodos de rotacão,
TA e TB, pode-se aIirmar que

a) VA · VB e TA ÷ TB
b) VA · VB e TA ~ TB
c) VA ÷ VB e TA ÷ TB
d) VA ÷ VB e TA ~ TB
e) VA ~ VB e TA ~ TB


86. (AFA-SP) Duas cargas pontuais positivas, q
1
e q
2
÷ 4q
1
, são Iixadas a uma distância
d uma da outra. Uma terceira carga negativa q
3
e colocada no ponto P entre q
1
e q
2
, a
uma distância x da carga q
1
, conIorme mostra a Iigura.

Para que as Iorcas sobre a carga q
3
seiam nulas, o valor de x e

a)
ˤ
Ŷ

b)
ˤ
ŷ

c)
ˤ
Ÿ

d)
ˤ
ź


87. (AFA-SP) Três esIeras condutoras de raio R, 3R e 5R e eletrizadas,
respectivamente, com quantidade de cargas iguais a 10 µC, 30 µC e ¹13 µC estão
muito aIastadas entre si. As esIeras são, então, interligadas por Iios metalicos de
capacitância desprezivel ate que o sistema atinia completo equilibrio. Nessa situacão, o
valor da quantidade de carga, em microcoulombs, da esIera de raio 3R e

a) -9
c) -3
b) 3
d) 9


88. (AFA-SP) Uma gota de oleo de massa m e carga q e solta em uma região de campo
eletrico uniIorme E, conIorme mostra a Iigura.


Mesmo sob o eIeito da gravidade a gota move-se para cima com aceleracão g. O
modulo do campo eletrico e



89. (AFA-SP) Uma particula de carga q e massa m e lancada com velocidade v,
perpendicularmente ao campo eletrico uniIorme produzido por placas paralelas de
comprimento a, distanciadas de b entre si. A particula penetra no campo num ponto
eqüidistante das placas e sai tangenciando a borda da placa superior, conIorme
representado na Iigura a seguir.


Desprezando a acão gravitacional, a intensidade do campo eletrico e



90. (OBF - 2006) Uma bola de chumbo de massa m
B
igual a 5 kg e lancada com uma
velocidade v
B
que Iaz com que ela caia e Iique imobilizada dentro de um carrinho,
conIorme mostrado no desenho. O carrinho tem massa mC igual a 10 kg e se move com
velocidade constante v
C
÷ 5 m/s. De posse desses dados:

a) calcule o valor da velocidade vB com que a bola colide com o carrinho;
b) calcule a velocidade v com que o carrinho se movimentara apos ter recebido a bola
de chumbo.

91. (OBF-2002) Construidas cada uma para operar sob uma tensão de 120 V e para
dissipar uma potência de 60 W, três lâmpadas, cuios Iilamentos apresentam um
comportamento considerado linear (ôhmico), Iormam o circuito mostrado na Iigura. Ao
se ligarem os terminais A e B a uma Ionte de tensão igual a 120 V, veriIicou-se que a
lâmpada L
3
estava 'queimada¨ (resistência inIinita entre seus terminais). Nessas
condicões, calcule:
a) a intensidade de corrente eletrica i
1
na lâmpada L
1
.
b) a potência dissipada pela lâmpada L
2
.


92. (OBF-2002) Um iovem de massa 100 kg Iixado pelos tornozelos a um cabo
elastico, solta-se do parapeito de uma ponte (A) para praticar "bungee iump". A
superIicie do rio encontra-se 70 m abaixo do parapeito da ponte. O cabo elastico tem um
comprimento não deIormado igual a 40 m e uma constante
elastica igual a 300 N/m.

a) Calcule o maior comprimento atingido pelo cabo elastico.
b) Se a maxima aceleracão deseiada pelos responsaveis pelo brinquedo e igual a 30 m/s·
(3g) veriIique se este valor e ultrapassado calculando o valor da maxima aceleracão a
que o iovem Iica submetido.

93. (OBF-2002) Um carrinho de mão carregado, com peso total 'P¨, e mantido em
equilibrio por um trabalhador, conIorme mostra a ilustracão. Podemos dizer que os
modulos da Iorca vertical 'F¨, exercida pelo trabalhador e a reacão normal 'N¨,
exercida pelo solo sobre o carrinho são, respectivamente, dadas pelas expressões:

a) F ÷ N.a/b e N ÷ P.|b /(a¹b)|
b) F ÷ N.(a.b) e N ÷ P/(b a).a
c) F ÷ N.(a b) e N ÷ P/a
d) F ÷ N.a/b e N ÷ P/(b a).a
e) F ÷ N.(a.b) e N ÷ P.|a / (a¹b)|

94. (OBF-2002) Um corpo em Iorma de paralelepipedo, de massa 2,0 kg, esta apoiado
na extremidade de uma tabua. Uma pessoa suspende a tabua ate que, quando o ângulo
Iormado entre a tabua e o plano horizontal e de 30º, o corpo entra em movimento
uniIorme. Para essa situacão, determine:

a) a Iorca de atrito, em newtons, a que Iica submetido o corpo quando em movimento
uniIorme;
b) a Iorca de reacão a compressão que o corpo Iaz sobre a tabua quando esta deslizando.

95. (ITA-SP) Aplica-se instantaneamente uma Iorca a um corpo de massa m ÷ 3,3 kg
preso a uma mola, e veriIica-se que este passa a oscilar livremente com a Ireqüência
angular w ÷ 10 rad/s. Agora, sobre esse mesmo corpo preso a mola, mas em repouso,
Iaz-se incidir um Ieixe de luz monocromatica de Ireqüência I ÷ 500 x 10
12
Hz, de modo
que toda a energia seia absorvida pelo corpo, o que acarreta uma distensão de 1 mm da
sua posicão de equilibrio. Determine o numero de Iotons contido no Ieixe de luz.
Considere a constante de Planck h ÷ 6,6 . 10
-34
J s.
96. (UFSC) Fisica moderna e o estudo da Fisica desenvolvido no Iinal do seculo XIX e
inicio do seculo XX. Em particular, e o estudo da Mecânica Quântica e da Teoria da
Relatividade Restrita. Assinale a(s) proposicão(ões) CORRETA(S) em relacão as
contribuicões da Fisica moderna.
(01) Demonstra limitacões da Fisica Newtoniana na escala microscopica.
(02) Nega totalmente as aplicacões das leis de Newton.
(04) Explica o eIeito Iotoeletrico e o laser.
(08) AIirma que as leis da Fisica são as mesmas em todos os reIerenciais inerciais.
(16) Comprova que a velocidade da luz e diIerente para quaisquer observadores em
reIerenciais inerciais.
(32) Demonstra que a massa de um corpo independe de sua velocidade.

97. (UFPE) Em uma experiência de eIeito Iotoeletrico com uma placa metalica, Ioram
determinados os potenciais de corte em Iuncão da Ireqüência da luz incidente, como
mostrado no graIico a seguir. A partir do graIico, determine o potencial de superIicie
(tambem chamado de Iuncão trabalho) do metal, em unidades de 10
-20
J.


98. O eIeito Iotoeletrico Ioi descoberto experimentalmente por Heinrich Hertz em 1887.
Em 1905, Albert Einstein propôs uma explicacão teorica para esse eIeito, a qual Ioi
comprovada experimentalmente por Millikan, em 1914. Essa comprovacão
experimental deu a Einstein o prêmio Nobel de Fisica de 1921. Em relacão a esse eIeito,
assinale a alternativa correta.

a) O eIeito Iotoeletrico ocorre quando um eletron colide com um proton.
b) A teoria de Einstein considerou que a luz nesse caso se comporta como uma onda.
c) Esse eIeito e observado quando Iotons atingem uma superIicie metalica.
d) Esse eIeito e utilizado para explicar o Iuncionamento de Iontes de laser.
e) Inexistem aplicacões tecnologicas desse eIeito em nosso cotidiano, pois ele ocorre
somente no nivel atômico.

99. (UFCE) A energia relativistica do Ioton e dada por E ÷ Xc, onde c indica a
velocidade da luz. Utilizando conhecimentos de Iisica moderna e analise dimensional,
assinale a alternativa correta no tocante a dimensão de X.

a) Forca.
b) Massa.
c) Velocidade.
d) Comprimento.
e) Quantidade de movimento.

100. O girotron e um gerador de microondas de alta potência em altas Ireqüências. Um
girotron, com Ireqüência de 32 GHz, Iunciona a 225 kW.

a) Qual o comprimento de onda da radiacão e a energia do Ioton emitida?

b) Quantos Iotons por segundo emite o gerador de microondas? Considere que a
constante de Planck h ÷ 6,62 × 10
-34
J.s

101. (UFPE) 2007: ANO HELIO-FISICO

O ano de 2007 Ioi o Ano Internacional Helio-Fisico e Ioi dedicado a eventos e estudos
sobre o astro-rei. O Sol Iica a 150 milhões de km da Terra. Todo o dia o sol perde 380
milhões de toneladas transIormadas em energia. Seu poder de atracão enIraquece
gradativamente e, por isso, a Terra se aIasta dele 3 mm ao ano. A temperatura da
"superIicie" solar e de 5,5 mil graus Celsius. A massa do Sol equivale a 330 mil vezes a
da Terra e corresponde a 99° da massa do Sistema Solar. Estima-se que daqui a cerca
de 5 bilhões de anos o hidrogênio solar, seu principal combustivel, vai se esgotar. O Sol
se convertera em outro tipo de estrela, modiIicando as condicões Iisicas no Sistema
Solar.
"GALILEU", São Paulo, abr. 2007, p. 21. |Adaptado|.

Com base no texto acima, e INCORRETO aIirmar:

a) O sol usa a Iusão de atomos de hidrogênio para obter outro composto quimico: o
helio.
b) A energia diaria transIormada no Sol por causa da sua perda de massa seria suIiciente
para manter acesas 100 mil lâmpadas de 100 W por no maximo 300 seculos.
c) A luz emitida pelo Sol demora cerca de 8 minutos para chegar a Terra.
d) Sabendo-se que os pontos de ebulicão da agua e o ponto de Iusão do gelo na escala
Reaumur são, respectivamente, 80 °R e 0 °R, a temperatura da "superIicie" solar e de
4,4 mil graus Reaumur.

102. (UESC-BA) A Iigura abaixo representa uma tubulacão posicionada
horizontalmente em relacão ao solo, pela qual escoa agua, em regime permanente,
atraves das seccões S
1
e S
2
.

Sobre o Iato, considere as aIirmativas abaixo:

I. A pressão do Iluido em S
1
e maior que em S
2
.

II. As vazões da agua atraves das seccões S
1
e S
2
, são iguais.

III. Como o regime de escoamento e permanente, as vazões e velocidades da agua têm
valores iguais em S
1
e S
2
.

IV. A diIerenca de pressão do liquido, nas duas seccões da tubulacão, depende somente
da velocidade de escoamento na maior seccão.

Estão corretas apenas as aIirmativas

a) l e ll d) lţ ll e lll
b) ll e lll e) llţ lll e lv
c) lll e lv

103. (UEMG) A Iigura abaixo representa um segmento de cano horizontal, com
diâmetro variavel, por onde Ilui agua.

Considerando-se as seccões retas A e B, e correto aIirmar que
a) a pressão da agua e menor em A do que em B.
b) a velocidade da agua e maior em A do que em B.
c) atraves das duas seccões retas A e B, a vazão de agua e a mesma.
d) a pressão da agua e a mesma em A e em B.
e) a velocidade de escoamento e a mesma em A e em B.

104. (UEFS-BA) O vôo de um avião depende do acoplamento de varios Iatores, dentre
os quais se destaca o Iormato de suas asas, responsaveis por sua sustentacão no ar. O
proieto das asas e concebido de tal maneira que, em um mesmo intervalo de tempo, uma
corrente de ar passando acima da asa tem que percorrer um caminho maior que uma
corrente de ar que passa abaixo dela. Desde que a velocidade do avião seia adequada,
isso permite que ele se mantenha no ar. Assinale a alternativa que identiIica
corretamente a razão para que isso aconteca.

a) A velocidade do ar acima da asa e maior do que abaixo da asa, ocasionando uma
pressão maior acima da asa.
b) A velocidade do ar acima da asa e menor do que abaixo da asa, ocasionando uma
pressão menor acima da asa.
c) A velocidade do ar acima da asa e maior do que abaixo da asa, ocasionando uma
pressão maior abaixo da asa.
d) A densidade do ar acima da asa e menor do que abaixo da asa, ocasionando uma
pressão menor abaixo da asa.
e) A densidade do ar acima da asa e maior do que abaixo da asa, ocasionando uma
pressão maior abaixo da asa.

105. (UCSal-BA) A velocidade de propagacão de uma onda em uma corda Iixa nas
duas extremidades e de 2 m/s. A corda Iorma uma onda estacionaria cuios nos estão
espacados de 1 cm. A Ireqüência de vibracão da corda sera de:

a) 200 Hz
b) 400 Hz
c) 50 Hz
d) 100 Hz
e) 20 Hz

106. (UEL-PR) Em um iogo de sinuca, as bolas estão dispostas como mostrado na
Iigura a seguir. A bola branca e tacada com uma Iorca de 100 N, que age na mesma por
0, 2 s, chocando-se contra a bola 1. Apos a colisão, a bola 1 e tambem colocada em
movimento, sendo que o ângulo entre a direcão do movimento de ambas e a direcão do
movimento inicial da bola branca e igual a 45
o
.

Considerando que:
· cada bola tem massa igual a 0, 4 kg;
· a colisão e perIeitamente elastica;
· não ha atrito entre a mesa e as bolas;
· cos 45
o
÷ 0,7.

Assinale a alternativa que mais se aproxima do modulo do vetor velocidade da bola
branca apos a colisão.


a) 25 m/s
b) 35 m/s
c) 55 m/s
d) 65 m/s
e) 75 m/s

107. (UEL-PR) O trovão vem sempre depois do relâmpago. Essa aIirmacão baseia-se
na diIerenca de velocidade entre a luz e o som. A luz e criada na descarga eletrica,
devido as excitacões e decaimentos dos atomos e moleculas que compõem a atmosIera.
O som e produzido, devido a elevadissima temperatura do relâmpago que,
repentinamente, expande o ar no seu entorno, criando uma Irente de pressão. Com base
no texto e nos conhecimentos sobre o tema, assinale a alternativa correta.

a) O som do trovão e uma onda cuio movimento e transversal a direcão de propagacão.
b) A luz, hoie em dia, não apresenta Ienômeno que permita interpreta-la como sendo de
natureza ondulatoria.
c) De posse de um cronômetro, um observador pode estimar sua distância ate o trovão,
conhecendo a velocidade da luz.
d) Para que o relâmpago aconteca, e necessaria a Iormacão de um campo gravitacional
que polarize eletricamente nuvens e terra.
e) O som dos trovões pode soIrer diIracão ao encontrar uma ediIicacão elevada.

108. (UFF-R1) ProIessores do Instituto de Fisica da UFF estudam a dinâmica do
movimento de placas geologicas que compõem a crosta terrestre, com o obietivo de
melhor compreender a Iisica dos terremotos. Um sistema simples que exibe os
elementos determinantes desta dinâmica e composto por um bloco apoiado sobre uma
mesa horizontal rugosa e puxado por uma mola, como mostrado abaixo. A mola e
esticada continuamente por uma Iorca F de modulo crescente, mas o bloco permanece
em repouso ate que o atrito não seia mais suIiciente para impedir seu deslocamento.


Enquanto não houver deslizamento, e correto aIirmar que:

a) o modulo da Iorca que o bloco Iaz sobre a mola e igual ao modulo da Iorca de atrito
sobre o bloco;
b) o modulo da Iorca de atrito sobre o bloco e maior que o modulo da Iorca que a mola
Iaz sobre o bloco;
c) o modulo da Iorca de atrito depende da Iorca normal sobre o bloco, ia que a normal e
a reacão ao peso;
d) o modulo da Iorca que a mola Iaz sobre o bloco e maior que o modulo da Iorca que o
bloco Iaz sobre a mola;
e) o modulo da Iorca de atrito sobre o bloco não muda enquanto a mola e esticada.

109. (UFCE) Usando seus conhecimentos sobre ondas longitudinais e transversais,
assinale a alternativa correta.

a) Ondas longitudinais são aquelas para as quais as vibracões ocorrem numa direcão que
e ortogonal a direcão de propagacão da onda.
b) Ondas transversais são aquelas para as quais as oscilacões coincidem com a direcão
da propagacão.
c) Ondas luminosas e ondas de radio são exemplos de ondas longitudinais.
d) Apenas ondas transversais podem ser polarizadas.
e) Apenas ondas longitudinais se propagam no vacuo.

110. (MACKENZIE-SP) Duas cidades, A e B, são interligadas por uma estrada com
50 km de comprimento. Em certo instante, um automovel parte do repouso, da cidade A
rumo a cidade B, com aceleracão escalar constante de 1,0m/s·, durante 20 s. Apos esse
tempo, sua velocidade escalar permanece constante. No instante em que esse automovel
parte da cidade A, um outro automovel passa pela cidade B, dirigindo-se a cidade A,
com velocidade escalar constante de 108 km/h. A distância, relativa a cidade A, medida
ao longo da estrada, em que ocorre o encontro desses dois automoveis, e

a) 20,12 km
b) 19,88 km
c) 19,64 km
d) 19,40 km
e) 19,16 km
111. (MACKENZIE-SP) A Iigura mostra o instante em que uma esIera de 4 kg e
abandonada do repouso, da posicão P, e cai sobre a mola ideal de constante elastica 2 x
10
2
N/m. O maior valor da velocidade atingida por essa esIera, no seu movimento
descendente, e


a) 3 m/s
b) 4 m/s
c) 5 m/s
d) 6 m/s
e) 7 m/s

112. (UEPB) O potencial eletrico de um ponto situado a uma distância d de uma carga
puntiIorme Q e igual a 800 V. Sabendo que a intensidade do campo nesse ponto e de
400 N/C, calcule a distância d.

a) 2 m
b) 3 m
c) 4 m
d) 5 m
e) 6 m

113. (MACKENZIE-SP) No sistema a seguir, o Iio e a polia são considerados ideais e
o atrito entre as superIicies em contato e desprezivel. Abandonando-se o corpo B a
partir do repouso, no ponto M, veriIica-se que, apos 2 s, ele passa pelo ponto N com
velocidade de 8 m/s. Sabendo-se que a massa do corpo A e de 5 kg, a massa do corpo B
e

Dados:
cos 37
o
÷ 0,8
sen 37
o
÷ 0,6
g ÷ 10 m/s
2

a) 1 kg
b) 2 kg
c) 3 kg
d) 4 kg
e) 5 kg

114. (Unesp-SP) A Iigura e a interseccão de um plano com o centro C de um condutor
esIerico e com três superIicies equipotenciais ao redor desse condutor.



Uma carga de 1,6 × 10
19
C e levada do ponto M ao ponto N. O trabalho realizado para
deslocar essa carga Ioi de

a) 3,2 x 10
-20
J
b) 16,0 x 10
-19
J
c) 8,0 x 10
-19
J
d) 4,0 x 10
-19
J
e) 3,2 x 10
-19
J

115. (UEPG) Considere um campo eletrico uniIorme, vertical e ascendente, de
intensidade 5 x ŵŴ
5
N/C. Nessa região, uma particula de carga 2 nC e massa 0,5g e
lancada verticalmente para cima com velocidade de 16 m/s. Considerando g ÷ 10 m/s·,
calcule a maxima altura atingida pela particula.

a) 15 m
b) 16 m
c) 18 m
d) 20 m
e) 22 m

116. (Unesp-SP) Uma mistura de substâncias radiativas encontra-se conIinada em um
recipiente de chumbo, com uma pequena abertura por onde pode sair um Ieixe paralelo
de particulas emitidas. Ao sairem, três tipos de particula, 1, 2 e 3, adentram uma região
de campo magnetico uniIorme B com velocidades perpendiculares as linhas de campo
magnetico e descrevem traietorias conIorme ilustradas na Iigura.



Considerando a acão de Iorcas magneticas sobre cargas eletricas em movimento
uniIorme, e as traietorias de cada particula ilustradas na Iigura, pode-se concluir com
certeza que

a) as particulas 1 e 2, independentemente de suas massas e velocidades, possuem
necessariamente cargas com sinais contrarios e a particula 3 e eletricamente neutra
(carga zero).
b) as particulas 1 e 2, independentemente de suas massas e velocidades, possuem
necessariamente cargas com sinais contrarios e a particula 3 tem massa zero. c) as
particulas 1 e 2, independentemente de suas massas e velocidades, possuem
necessariamente cargas de mesmo sinal e a particula 3 tem carga e massa zero.
d) as particulas 1 e 2 sairam do recipiente com a mesma velocidade.
e) as particulas 1 e 2 possuem massas iguais, e a particula 3 não possui massa.

117. (UER1) O circuito abaixo e utilizado para derreter 200 g de gelo contido em um
recipiente e obter agua aquecida.


No momento em que a chave C e ligada, a temperatura do gelo e igual a 0 ºC. Estime o
tempo minimo necessario para que a agua no recipiente A atinia a temperatura de 20
0
C.

118. (UFPR) No Sistema Internacional (SI), existem sete unidades consideradas como
unidades de base ou Iundamentais. As unidades para as demais grandezas Iisicas podem
ser obtidas pela combinacão adequada dessas unidades de base. Algumas das unidades
obtidas dessa maneira recebem nomes geralmente homenageando algum cientista. Na
coluna da direita estão as unidades para algumas grandezas Iisicas, escritas utilizando-se
unidades de base. Na coluna da esquerda estão alguns nomes adotados no SI. Numere as
unidades da coluna da direita com o seu nome correspondente na coluna da esquerda.

1. pascal ( ) kg.m
2
/(s
3
A
2
)
2. ohm ( ) kg/(s
2
A)
3. ioule ( ) kg/(m s
2
)
4. coulomb ( ) As
5. tesla ( ) kg m
2
/s
2


Assinale a alternativa que apresenta a numeracão correta da coluna da direita, de cima
para baixo.

a) 2 5 1 4 3.
b) 3 4 1 5 2.
c) 5 2 4 1 3.
d) 2 1 5 3 4.
e) 4 3 1 5 2.

119. (UFTM-MG) Duas lentes esIericas, uma plano-convexa e outra planocôncava, são
iustapostas e inseridas no vacuo (indice de reIracão igual a 1). Os raios de curvatura de
ambas as lentes têm o mesmo valor, entretanto, seus indices de reIracão diIerem.



A vergência do coniunto, resultado da adicão das vergências individuais de ambas as
lentes, em di, pode ser determinada por

a) C ÷ (n
1
¹ n
2
)/2R
b) C ÷ (n
1
R/n
2

c) C ÷ (n
2
- n
1
)/R
d) C ÷ (n
1
¹ n
2
)/R
e) C ÷ (n
1
- n
2
)/R

120. (UFRN) Suponha que o cozimento de um ovo de 60 gramas demore 12 minutos
dentro de uma nave com 10 metros de comprimento quando ela esta em estado de
repouso na Terra. Consideramos, agora, que a nave se movimente a uma velocidade v
que corresponde 80° da velocidade da luz c, ou seia, v ÷ 0,8c.
a) Quais seriam os resultados obtidos por um observador Iixo na Terra, que eIetuasse as
medidas do tempo de cozimento do ovo, do comprimento da nave e da massa do ovo,
dispondo apenas de um potente telescopio descontando o tempo de propagacão da luz?
b) O comprimento de um corpo em movimento realmente soIre encolhimento?



121. (Unesp) Um dispositivo para medir a carga eletrica de uma gota de oleo e
constituido de um capacitor polarizado no interior de um recipiente convenientemente
vedado, como ilustrado na Iigura.



A gota de oleo, com massa m, e abandonada a partir do repouso no interior do
capacitor, onde existe um campo eletrico uniIorme E. Sob acão da gravidade e do
campo eletrico, a gota inicia um movimento de queda com aceleracão 0,2 g, onde g e a
aceleracão da gravidade. O valor absoluto modulo) da carga pode ser calculado atraves
da expressão.

a) Q ÷ 0,8 mg/E.
b) Q ÷ 1,2 E/mg.
c) Q ÷ 1,2 m/gE.
d) Q ÷ 1,2 mg/E.
e) Q ÷ 0,8 E/mg.

122. (ITA-SP) Protons (sendo a carga ÷ e, a massa ÷ m
p
), deuterons (sendo a carga ÷ e,
a massa m
d
÷ 2m
p
) e particulas alIas (sendo a carga ÷ 2e e a massa m
a
÷ 4m
p
) entram em
um campo magnetico uniIorme ˔

perpendicular a suas velocidades, onde se
movimentam em orbitas circulares de periodos T
p
, T
d
e T
a
, respectivamente. Pode-se
aIirmar que as razões dos periodos T
d
÷T
p
e T
a
÷T
p
são, respectivamente,

a) 1 e 1
b) 1 e Ŷ
c) Ŷ e 2
d) 2 e Ŷ
e) 2 e 2

123. (UFABC-SP) Duas bicicletas desenvolvem movimentos retilineos e uniIormes
sobre a mesma traietoria, com suas grandezas em unidades do Sistema Internacional.
Suas Iuncões horarias estão representadas matricialmente por



Nessas condicões, as duas bicicletas se encontrarão no instante

a) 1s
b) 1,4s
c) 2s
d) 3,5s
e) 5s

124. (UFABC-SP) Um suporte para vasos e preso a uma parede vertical, como mostra a
Iigura. Ele e Iixo na parede por um paraIuso colocado no ponto A e Iica apenas apoiado
na parede no ponto B, na mesma vertical de A. Um vaso de massa total 3 kg e
pendurado no ponto C do suporte e o sistema e mantido em equilibrio.

Sabe-se que o ângulo entre AC e AB e reto e que a massa do suporte e desprezivel.
Adotando g ÷ 10 m/s2, determine a intensidade da Iorca com que o suporte comprime a
parede no ponto B.

125. (ITA-SP) Uma diIerenca de potencial eletrostatico V e estabelecida entre os
pontos M e Q da rede cubica de capacitores idênticos mostrada na Iigura. A diIerenca de
potencial entre os pontos N e P e



126. (UFABC-SP) Mesmo com as modernas Iuradeiras existentes, o arco-de-pua ainda
e utilizado para Iazer Iuros em madeira. Enquanto o operario apoia seu peito ou uma de
suas mãos sobre o disco localizado na extremidade oposta a da broca, auxiliado pelo
manete, localizado no meio da Ierramenta, Iaz girar o coniunto e, conseqüentemente, a
broca.


Compare, qualitativamente, as grandezas Ireqüência, periodo, velocidade angular e
velocidade escalar do movimento do ponto A, localizado na superIicie lateral da broca,
com o do ponto B, no centro geometrico do manete, iustiIicando cada comparacão.

127. (ITA-SP) Uma bobina de 100 espiras, com secão transversal de area de 400 cm· e
resistência de 20 O, esta alinhada com seu plano perpendicular ao campo magnetico da
Terra, de 7,0 x 10
4
T na linha do Equador. Quanta carga Ilui pela bobina enquanto ela e
virada de 180º em relacão ao campo magnetico?

a) 1,4 x 10
-4
C
b) 2,8 x 10
-4
C
c) 1,4 x 10
-2
C
d) 2,8 x 10
-2
C
e) 1,4 C

128. (Fuvest-SP) Segundo uma obra de Iiccão, o Centro Europeu de Pesquisas
Nucleares, CERN, teria produzido recentemente varios gramas de antimateria. Sabe-se
que, na reacão de antimateria com igual quantidade de materia normal, a massa total m e
transIormada em energia , de acordo com a equacão ÷ mc·, onde c e a velocidade da
luz no vacuo.

a) Com base nessas inIormacões, quantos ioules de energia seriam produzidos pela
reacão de 1 g de antimateria com 1 g de materia?

b) Supondo que a reacão materia-antimateria ocorra numa Iracão de segundo
(explosão), a quantas 'Little Bo (bomba atômica nuclear lancada em Hiroshima, em 6
de agosto de 1945) corresponde a energia produzida nas condicões do item a)?

c) Se a reacão materia-antimateria pudesse ser controlada e a energia produzida na
situacão descrita em a) Iosse totalmente convertida em energia eletrica, por quantos
meses essa energia poderia suprir as necessidades de uma pequena cidade que utiliza,
em media, 9 MW de potência eletrica?

Dados:

1 MW ÷ 10
6
W,
A explosão da 'Little Bo produziu cerca de 60 x 10
12
J de energia (15 quilotons)
1 mês - 2,5 x 10
6
s
Velocidade da luz no vacuo, c ÷ 3 x 10
8
m/s

129. (UFPE) Uma particula de carga eletrica positiva q desloca-se inicialmente com
velocidade constante ˰Ȏ e penetra numa região onde ha um campo magnetico uniIorme ˔


perpendicular a velocidade, como esquematizado na Iigura. Qual das traietorias
indicadas melhor representa o comportamento da particula na região onde ha campo
magnetico?


a) 1
b) 2
c) 3
d) 4
e) 5

130. (UFPE) No circuito abaixo, o valor de cada resistência e R ÷ 2,0 W, e a diIerenca
de potencial da bateria e 12 V. Qual o valor da corrente eletrica que passa atraves da
bateria?



a) 1,0 A
b) 2,0 A
c) 3,0 A
d) 4,0 A
e) 5,0 A

131. (UFPE) Um pedaco de isopor de 1 cm
3
e massa desprezivel e colocado dentro de
um recipiente com agua. Um Iio preso ao Iundo do recipiente mantem o pedaco de
isopor totalmente imerso na agua. Qual a tracão no Iio?



132. (Unifesp-SP) De posse de uma balanca e de um dinamômetro (instrumento para
medir Iorcas), um estudante decide investigar a acão da Iorca magnetica de um imã em
Iorma de U sobre uma pequena barra de Ierro. Inicialmente, distantes um do outro, o
estudante coloca o imã sobre uma balanca e anota a indicacão de sua massa. Em
seguida, ainda distante do imã, prende a barra ao dinamômetro e anota a indicacão da
Iorca medida por ele. Finalmente, monta o sistema de tal Iorma que a barra de Ierro,
presa ao dinamômetro, interaia magneticamente com o imã, ainda sobre a balanca,
como mostra a Iigura.



A balanca registra, agora, uma massa menor do que a registrada na situacão anterior, e o
dinamômetro registra uma Iorca equivalente a

a) Iorca peso da barra.
b) Iorca magnetica entre o imã e a barra.
c) soma da Iorca peso da barra com metade do valor da Iorca magnetica entre o imã e a
barra.
d) soma da Iorca peso da barra com a Iorca magnetica entre o imã e a barra.
e) soma das Iorcas peso da barra e magnetica entre o imã e a barra, menos a Iorca
elastica da mola do dinamômetro.

133. (Unifesp-SP) Estima-se que o planeta Urano possua massa 14,4 vezes maior que a
da Terra e que sua aceleracão gravitacional na linha do equador seia 0,9g, em que g e a
aceleracão gravitacional na linha do equador da Terra. Sendo R
U
e R
T
os raios nas linhas
do equador de Urano e da Terra, respectivamente, e desprezando os eIeitos da rotacão
dos planetas, R
U
/R
T
e
a) 1,25.
b) 2,5.
c) 4.
d) 9.
e) 16.

134. (Unifesp-SP) Um Iluido A, de massa especiIica p
A
, e colocado em um tubo curvo
aberto, onde ia existe um Iluido B, de massa especiIica p
B
. Os Iluidos não se misturam
e, quando em equilibrio, B preenche uma parte de altura h do tubo. Neste caso, o
desnivel entre as superIicies dos Iluidos, que se encontram a pressão atmosIerica, e de
0,25 h. A Iigura ilustra a situacão descrita.

Considerando que as interacões entre os Iluidos e o tubo seiam despreziveis, pode-se
aIirmar que a razão p
B
/p
A
e

a) 0,75.
b) 0,80.
c) 1,0.
d) 1,3.
e) 1,5.

135. (Unifesp-SP) A presenca de ions na atmosIera e responsavel pela existência de um
campo eletrico dirigido e apontado para a Terra. Proximo ao solo, longe de
concentracões urbanas, num dia claro e limpo, o campo eletrico e uniIorme e
perpendicular ao solo horizontal e sua intensidade e de 120 V/m. A Iigura mostra as
linhas de campo e dois pontos dessa região, M e N.

O ponto M esta a 1,20 m do solo, e N esta no solo. A diIerenca de potencial entre os
pontos M e N e

a) 100 V.
b) 125 V.
c) 125 V.
d) 134 V.
e) 144 V.

136. (Unifesp-SP) O graIico mostra as curvas de quantidade de calor absorvido em
Iuncão da temperatura para dois corpos distintos: um bloco de metal e certa quantidade
de liquido.



O bloco de metal, a 115 ºC Ioi colocado em contato com o liquido, a 10 ºC, em um
recipiente ideal e isolado termicamente. Considerando que ocorreu troca de calor
somente entre o bloco e o liquido, e que este não se evaporou, o equilibrio termico
ocorrera a

a) 70 ºC.
b) 60 ºC.
c) 55 ºC.
d) 50 ºC.
e) 40 ºC.

137. (Unifesp-SP) Considere a seguinte 'unidade¨ de medida: a intensidade da Iorca
eletrica entre duas cargas q, quando separadas por uma distância d, e F. Suponha em
seguida que uma carga q
1
÷ q seia colocada Irente a duas outras cargas, q
2
÷ 3q e q
3
÷
4q, segundo a disposicão mostrada na Iigura.



A intensidade da Iorca eletrica resultante sobre a carga q
1
, devido as cargas q
2
e q
3
, sera

a) 2F.
b) 3F.
c) 4F.
d) 5F.
e) 9F.

138. (Unifesp-SP) Na região quadriculada da Iigura existe um campo magnetico
uniIorme, perpendicular ao plano do reticulado e penetrando no plano da Iigura. Parte
de um circuito rigido tambem passa por ela, como ilustrado na Iigura.



A aresta de cada celula quadrada do quadrilatero tem comprimento u, e pelo Iio passa
uma corrente eletrica de intensidade i. Analisando a Iorca magnetica que age sobre cada
elemento de comprimento u do Iio do circuito, coincidente com a aresta das celulas
quadradas, a intensidade da Iorca magnetica resultante sobre a parte do circuito exposta
ao campo e

a) nula.
b) iBu/2.
c) iBu.
d) 3iBu.
e) 13iBu.

139. (Unifesp-SP) Uma pequena esIera A, com massa de 90 g, encontra-se em repouso
e em contato com a mola comprimida de um dispositivo lancador, sobre uma mesa
plana e horizontal. Quando o gatilho e acionado, a mola se descomprime e a esIera e
atirada horizontalmente, com velocidade de 2,0 m/s, em direcão Irontal a uma outra
esIera B, com massa de 180 g, em repouso sobre a mesma mesa. No momento da
colisão, as esIeras se conectam e passam a se deslocar iuntas. O graIico mostra a
intensidade da Iorca elastica da mola em Iuncão de sua elongacão.



Considerando que as esIeras não adquirem movimento de rotacão, que houve
conservacão da quantidade de movimento na colisão e que não ha atrito entre as esIeras
e a mesa, calcule:

a) a energia cinetica da composicão de esIeras AB apos a colisão.
b) quanto a mola estava comprimida no instante em que o gatilho do dispositivo
lancador e acionado.

140. (Unifesp-SP) Uma pessoa com massa de 80 kg, suspensa por um cabo de massa e
volume despreziveis, atado a um dinamômetro, e colocada em um tanque com agua de
tal Iorma que Iique ereta, na posicão vertical e completamente imersa. Considerando
que a massa especiIica da agua e de 103 kg/m
3
, que a pressão atmosIerica local e de 1,0
× 10
5
N/m
2
e a aceleracão da gravidade g ÷ 10 m/s
2
e que a agua e a pessoa estão em
repouso em relacão ao tanque, calcule:

a) a pressão externa nos pes dessa pessoa, que se encontram 2,0 m abaixo do nivel da
agua.
b) o volume da pessoa, se o peso aparente registrado pelo dinamômetro e de 40 N.

141. (Unifesp-SP) Em um enIeite de Natal alimentado com tensão de 110 V, ha 5
lâmpadas idênticas ligadas em paralelo, todas acesas, e os Iios de ligacão apresentam
resistência eletrica de 1,0 O. O circuito eletrico correspondente a esta situacão esta
esquematizado na Iigura, na qual as lâmpadas estão representadas pela sua resistência
equivalente Re.



Considerando que o amperimetro ideal registra uma corrente de 2,2 A, calcule:

a) o valor da resistência eletrica de cada lâmpada.
b) a energia dissipada em 30 dias pelos Iios de ligacão, em Wh, se as lâmpadas Iicarem
acesas por 5 horas diarias.

142. (UFPR) A revolucão na Astronomia teve inicio no seculo 16, quando o astrônomo
polonês Nicolau Copernico 'tirou¨ a Terra do centro do Universo e a Iez girar, assim
como os demais planetas, ao redor do Sol. Mas Ioi o alemão Johannes Kepler, assistente
do astrônomo dinamarquês Tycho Brahe, quem descobriu as leis que regem os
movimentos dos planetas ao redor do Sol, que são: a lei das orbitas, a lei das areas e a
lei dos periodos. Enuncie e deduza corretamente as três leis de Kepler e explique qual a
principal conseqüência da segunda lei no movimento dos planetas.


143. (Unifesp-SP) 0,50 kg de uma substância a temperatura T
0
÷ 40 ºC, na Iase liquida,
e colocado no interior de um reIrigerador, ate que a sua temperatura atinia T
1
÷ 10 ºC.
A quantidade de calor transIerida em Iuncão da temperatura e apresentada no graIico da
Iigura.

A parte do graIico correspondente ao intervalo de 10 ºC a 2,0 ºC Ioi ampliada e
inserida na Iigura, a direita do graIico completo. Calcule:

a) o calor latente especiIico de solidiIicacão.
b) o calor especiIico na Iase solida.

144. (Unifesp-SP) Um estudante Iaz o estudo experimental de um movimento
harmônico simples (MHS) com um cronômetro e um pêndulo simples como o da Iigura,
adotando o reIerencial nela representado.

Ele desloca o pêndulo para a posicão ¹A e o abandona quando cronometra o instante t ÷
0. Na vigesima passagem do pêndulo por essa posicão, o cronômetro marca t ÷ 30 s.

a) Determine o periodo (T) e a Ireqüência (I) do movimento desse pêndulo.
b) Esboce o graIico x (posicão) versus t (tempo) desse movimento, dos instantes t ÷ 0 a
t ÷ 3,0 s; considere desprezivel a inIluência de Iorcas resistivas.

145. (Unifesp-SP) A Iigura representa um pêndulo balistico usado em laboratorios
didaticos.



A esIera disparada pelo lancador se encaixa em uma cavidade do bloco preso a haste
em conseqüência ambos sobem ate Iicarem presos por atrito em uma pequena rampa, o
que permite medir o desnivel vertical h do centro de massa do pêndulo (coniunto bloco-
esIera) em relacão ao seu nivel inicial. Um aluno trabalha com um equipamento como
esse, em que a massa da esIera e m
E
÷ 10 g, a massa do bloco e m
B
÷ 190 g e a massa da
haste pode ser considerada desprezivel. Em um ensaio experimental, o centro de massa
do coniunto bloco-esIera sobe h ÷ 10 cm.

a) Qual a energia potencial gravitacional adquirida pelo coniunto bloco-esIera em
relacão ao nivel inicial?
b) Qual a velocidade da esIera ao atingir o bloco? Suponha que a energia mecânica do
coniunto bloco-esIera se conserve durante o seu movimento e adote
g ÷ 10 m/s
2
.

146. (Unifesp-SP) A Iigura representa um banco optico didatico: coloca-se uma lente
no suporte e varia-se a sua posicão ate que se Iorme no anteparo uma imagem nitida da
Ionte (em geral uma seta luminosa vertical). As abscissas do anteparo, da lente e do
obieto são medidas na escala, que tem uma origem unica.

a) Represente graIicamente no caderno de respostas (sem valores numericos) a situacão
correspondente ao esquema da Iigura, em que aparecam: o obieto (seta luminosa da
Ionte); a lente e seus dois Iocos; a imagem e pelo menos dois raios de luz que emergem
do obieto, atravessem a lente e Iormem a imagem no anteparo.

b) Nessa condicão, determine a distância Iocal da lente, sendo dadas as posicões dos
seguintes componentes, medidas na escala do banco optico: anteparo, na abscissa 15
cm; suporte da lente, na abscissa 35 cm; Ionte, na abscissa 95 cm.

148. (Unifesp-SP) A montagem experimental representada na Iigura se destina ao
estudo de um circuito eletrico simples.


a) Usando simbolos convencionais para cada componente, represente esquematicamente
esse circuito no caderno de respostas.

b) Sabendo que R1 ÷ 100 O e R2 ÷ 200 O e que no suporte de pilhas são colocadas
duas pilhas em serie, de Iorca eletromotriz 1,5 V cada, determine as leituras no
amperimetro e no voltimetro quando a chave e Iechada. (Admita que as resistências
internas das pilhas, dos Iios de ligacão e dos medidores não interIerem nessas leituras.)

149. (Unifesp-SP) A Iigura mostra uma espira retangular imersa em um campo
magnetico uniIorme, elemento basico de um motor eletrico de corrente continua.



O plano da espira e paralelo ao vetor campo magnetico. A extremidade da espira iunto
ao ponto D esta ligada ao polo positivo da bateria e a extremidade B ao polo negativo; a
corrente percorre o circuito no sentido de D para B. São dados:

intensidade da corrente que percorre a espira: i ÷ 0,80 A;
resistência do Iio no trecho DCAB: R ÷ 2,5 O;
modulo do vetor campo magnetico: B ÷ 0,50 T;
comprimento dos lados da espira: AB ÷ CD ÷ 0,050 m.

Determine:

a) a diIerenca de potencial entre os pontos D e B.
b) o modulo da Iorca magnetica que atua em um dos lados,AB ou CD.

150. (Unifesp-SP) A Iigura representa uma conIiguracão de ondas estacionarias
produzida num laboratorio didatico com uma Ionte oscilante.


a) Sendo d ÷ 12 cm a distância entre dois nos sucessivos, qual o comprimento de onda
da onda que se propaga no Iio?

b) O coniunto P de cargas que traciona o Iio tem massa m ÷ 180 g. Sabe-se que a
densidade linear do Iio e µ ÷ 5,0 × 10
4
kg/m. Determine a Ireqüência de oscilacão da
Ionte.
Dados: velocidade de propagacão de uma onda numa corda v ÷
˘

; aceleracão da
gravidade g ÷ 10 m/s·.

151. (Unifesp-SP) A Iigura representa uma bateria, de Iorca eletromotriz E e resistência
interna r ÷ 5,0 O, ligada a um solenoide de 200 espiras. Sabe-se que o amperimetro
marca 200 mA e o voltimetro marca 8,0 V, ambos supostos ideais.



a) Qual o valor da Iorca eletromotriz da bateria?

b) Qual a intensidade do campo magnetico gerado no ponto P, localizado no meio do
interior vazio do solenoide?

Dados:

µ
0
÷ 4a x 10
7
T . m/A;

B ÷ µ
0
˚
I
i (modulo do campo magnetico no

interior de um solenoide)

152. (Unifesp-SP) Um pedaco de Iio de comprimento L e massa m pode deslizar sobre
duas hastes rigidas e lisas, de comprimento D cada uma e Iixas em um plano inclinado
de um ângulo 0, como e ilustrado na Iigura.



As hastes estão conectadas a uma bateria e o pedaco de Iio Iecha o circuito. As hastes e
o Iio estão submetidos a um campo magnetico uniIorme B vertical, apontado para cima.
Representando a aceleracão da gravidade por g,

a) determine o valor da corrente i para que o Iio Iique em equilibrio sobre o plano
inclinado.
b) Considere que o pedaco de Iio esteia em equilibrio no ponto mais baixo do plano
inclinado. Se a corrente Ior duplicada, o Iio sera acelerado e deixara o plano no seu
ponto mais alto. Determine a energia cinetica do Iio nesse ponto.

153. (Unicamp-SP) O EIeito Hall consiste no acumulo de cargas dos lados de um Iio
condutor de corrente quando esse Iio esta suieito a um campo magnetico perpendicular
a corrente. Pode-se ver na Iigura i) uma Iita metalica imersa num campo magnetico ˔

,
perpendicular ao plano da Iita, saindo do papel. Uma corrente eletrica atravessa a Iita,
como resultado do movimento dos eletrons que têm velocidade ˰Ȏ, de baixo para cima
ate entrar na região de campo magnetico. Na presenca do campo magnetico, os eletrons
soIrem a acão da Iorca magnetica, ˘
Ȏ
B
, deslocando-se para um dos lados da Iita. O
acumulo de cargas com sinais opostos nos lados da Iita da origem a um campo eletrico
no plano da Iita, perpendicular a corrente. Esse campo produz uma Iorca eletrica ˘
Ȏ
E
,
contraria a Iorca magnetica, e os eletrons param de ser desviados quando os modulos
dessas Iorcas se igualam, conIorme ilustra a Iigura ii). Considere que o modulo do
campo eletrico nessa situacão e ÷ 1,0×10
4
V/m.



a) A Iita tem largura L ÷ 2,0 cm. Qual e a diIerenca de potencial medida pelo voltimetro
J na situacão da Iigura ii)?

b) Os modulos da Iorca magnetica e da Iorca eletrica da Iigura ii) são dados pelas
expressões
B
÷ qvB e

÷ q , respectivamente, q sendo a carga elementar. Qual e a
velocidade dos eletrons? O modulo do campo magnetico e B ÷ 0, 2 T.

154. (Unicamp-SP) O Iato de os nucleos atômicos serem Iormados por protons e
nêutrons suscita a questão da coesão nuclear, uma vez que os protons, que têm carga
positiva q ÷1,6×10
19
C, se repelem atraves da Iorca eletrostatica. Em 1935, H. Yukawa
propôs uma teoria para a Iorca nuclear Iorte, que age a curtas distâncias e mantem os
nucleos coesos.

a) Considere que o modulo da Iorca nuclear Iorte entre dois protons

e igual a vinte
vezes o modulo da Iorca eletrostatica entre eles

, ou seia,

÷ 20

. O modulo da
Iorca eletrostatica entre dois protons separados por uma distância d e dado por

÷
k
J`
ˤ`
¡
, onde ÷ 9,0×10
9
Nm
2
/C
2
. Obtenha o modulo da Iorca nuclear Iorte

entre os
dois protons, quando separados por uma distância d ÷1,6×10
-15
m , que e uma distância
tipica entre protons no nucleo.

b) As Iorcas nucleares são muito maiores que as Iorcas que aceleram as particulas em
grandes aceleradores como o LHC. Num primeiro estagio de acelerador, particulas
carregadas deslocam-se sob a acão de um campo eletrico aplicado na direcão do
movimento. Sabendo que um campo eletrico de modulo ÷ 2,0×10
6
N/C age sobre um
proton num acelerador, calcule a Iorca eletrostatica que atua no proton.

155. (Unicamp-SP) A Fisica de Particulas nasceu com a descoberta do eletron, em
1897. Em seguida Ioram descobertos o proton, o nêutron e varias outras particulas,
dentre elas o pion, em 1947, com a participacão do brasileiro Cesar Lattes.

a) Num experimento similar ao que levou a descoberta do nêutron, em 1932, um
nêutron de massa m desconhecida e velocidade v
0
÷ 4×10
7
m/s colide Irontalmente com
um atomo de nitrogênio de massa ÷ 14 u (unidade de massa atômica) que se encontra
em repouso. Apos a colisão, o nêutron retorna com velocidade v' e o atomo de
nitrogênio adquire uma velocidade J ÷ 5×10
6
m/s . Em conseqüência da conservacão da
energia cinetica, a velocidade de aIastamento das particulas e igual a velocidade de
aproximacão. Qual e a massa m, em unidades de massa atômica, encontrada para o
nêutron no experimento?

b) O Grande Colisor de Hadrons (Large Hadron Collider-LHC) e um acelerador de
particulas que tem, entre outros propositos, o de detectar uma particula, prevista
teoricamente, chamada boson de Higgs. Para esse Iim, um proton com energia de ÷
7×10
12
eV colide Irontalmente com outro proton de mesma energia produzindo muitas
particulas. O comprimento de onda ( ì ) de uma particula Iornece o tamanho tipico que
pode ser observado quando a particula interage com outra. No caso dos protons do
LHC, ÷ c / ì , onde ÷ 4×10
15
eV.s , e c ÷ 3×10
8
m/s . Qual e o comprimento de
onda dos protons do LHC?

156. (Unicamp-SP) A evolucão da sociedade tem aumentado a demanda por energia
limpa e renovavel. Tipicamente, uma roda d`agua de moinho produz cerca de 40 kWh
(ou 1.4×10
8
J ) diarios. Por outro lado, usinas nucleares Iornecem em torno de 20° da
eletricidade do mundo e Iuncionam atraves de processos controlados de Iissão nuclear
em cadeia.

a) Um sitiante pretende instalar em sua propriedade uma roda d`agua e a ela acoplar um
gerador eletrico. A partir do Iluxo de agua disponivel e do tipo de roda d`agua, ele
avalia que a velocidade linear de um ponto da borda externa da roda deve ser v ÷ 2.4
m/s. Alem disso, para que o gerador Iuncione adequadamente, a Ireqüência de rotacão
da roda d`agua deve ser igual a 0,20 Hz. Qual e o raio da roda d`agua a ser instalada?
Use a ÷ 3.
b) Numa usina nuclear, a diIerenca de massa Am entre os reagentes e os produtos da
reacão de Iissão e convertida em energia, segundo a equacão de Einstein ÷ Amc
2
,
onde c ÷ 3×10
8
m/s. Uma das reacões de Iissão que podem ocorrer em uma usina
nuclear e expressa de Iorma aproximada por (1000 g de U235) ¹ (4 g de nêutrons) ÷
(612 g de Ba144) ¹ (378 g de Kr89) ¹ (13 g de nêutrons) ¹ energia. Calcule a
quantidade de energia liberada na reacão de Iissão descrita acima.

157. (UFSCar-SP) A Iigura representa uma conIiguracão de ondas estacionarias numa
corda.



A extremidade A esta presa a um oscilador que vibra com pequena amplitude. A
extremidade B e Iixa e a tracão na corda e constante. Na situacão da Iigura, onde
aparecem três ventres (V) e quatro nos (N), a Ireqüência do oscilador e Aumentando-se
gradativamente a Ireqüência do oscilador, observa-se que essa conIiguracão se desIaz
ate aparecer, seguida, uma nova conIiguracão de ondas estacionarias, Iormada por

a) quatro nos e quatro ventres, quando a Ireqüência atingir 400 Hz.
b) quatro nos e cinco ventres, quando a Ireqüência atingir 440 Hz.
c) cinco nos e quatro ventres, quando a Ireqüência atingir 480 Hz.
d) cinco nos e cinco ventres, quando a Ireqüência atingir 540 Hz.
e) seis nos e oito ventres, quando a Ireqüência atingir 720 Hz.


158. (UFSCar-SP) Isolados um do outro, um Iio retilineo e muito longo Ioi deitado
sobre uma espira circular plana de raio R, conIorme o esquema.


Dados: R ÷ 0,02 m
µ
0
÷ 4.a x 10
7
T.m.A
1

a ÷ 3 (valor aproximado, para Iacilitar seus calculos)
i
1
÷ 4 A
i
2
÷ 8 A
Supondo que no ponto C apenas atuem os campos magneticos gerados pelas duas
correntes eletricas indicadas,

a) represente em um desenho a direcão e o sentido dos vetores campo magnetico ˔

E
e
˔

F
, gerados pela espira e pelo Iio, tendo como reIerencia o plano da Iolha e o esquema.

b) determine a intensidade do campo magnetico resultante, supondo que na região não
haia nenhuma outra maniIestacão magnetica.

159. (UFV-MG) Duas pequenas esIeras condutoras de mesma massa m e mesma carga
q estão penduradas em Iios não-condutores de comprimento !, como mostra a Iigura.
Suponha que o ângulo 0 e tão pequeno que a aproximacão tg 0 - sen 0 pode ser usada.



a) Mostre que a distância de equilibrio entre as duas esIeras e dada por

x ÷ ( q·!/ 2ac
o
mg )
1/3
.

b) Se ! ÷ 120 cm, m ÷ 10g e x ÷ 5,0 cm, qual e o valor de 'q'?

c) Explique o que acontece com as esIeras se uma delas Ior descarregada (ligando, por
exemplo, momentaneamente a esIera a terra).

d) Determine a nova distância x de equilibrio entre as duas esIeras, usando os valores
dados de !, m e o valor calculado de 'q'.

160. (UFPR) Uma experiência interessante, que permite determinar a velocidade ˰Ȏ com
em que particulas elementares se movem, consiste em utilizar um campo magnetico ˔


em combinacão com um campo eletrico ˗

. Uma particula elementar com carga Q
negativa move-se com velocidade ˰Ȏ paralelamente ao plano do papel (reIerencial
inercial) e entra em uma região onde ha um campo magnetico ˔

uniIorme, constante e
orientado para dentro do plano do papel, como mostra a Iigura. Ao se deslocar na região
do campo magnetico, a particula Iica suieita a uma Iorca magnetica ˘
Ȏ

.

a) Obtenha uma expressão literal para o modulo de ˘
Ȏ

e represente na Iigura o vetor ˘
Ȏ

para a posicão indicada da particula.


b) Dispõe-se de um sistema que pode gerar um campo eletrico ˗

uniIorme, constante e
paralelo ao plano do papel, que produz uma Iorca eletrica ˘
Ȏ

sobre a particula.
Represente na Iigura o vetor ˗

necessario para que a particula de carga Q mova-se em
movimento retilineo uniIorme. Em seguida, obtenha uma expressão literal para o
modulo da velocidade ˰Ȏ da particula quando ela executa esse movimento, em Iuncão
das grandezas apresentadas no enunciado.


161. (UFPR) Uma das maneiras de gerar correntes eletricas e transIormar energia
mecânica em energia eletrica atraves de um gerador eletrico. Em uma situacão
simpliIicada, dispõe-se de imãs para produzir o campo magnetico e de uma bobina
Iormada por 10 espiras circulares com 10 cm de diâmetro montados conIorme a Iigura a
seguir. A bobina esta presa a um eixo que passa pelo seu diâmetro e gira com
velocidade constante de 2 rotacões por segundo. A bobina possui dois terminais que
permitem o aproveitamento da energia eletrica gerada. Num dado instante, as linhas do
campo magnetico atravessam perpendicularmente o plano das espiras e o Iluxo
magnetico e maximo; apos a bobina girar 90° em torno do seu eixo, esse Iluxo e zero.
Considere que na região da bobina o campo magnetico e uniIorme, com modulo igual a
0,01 T e orientado conIorme indicado na Iigura. Determine a Iorca eletromotriz media
induzida na bobina ao girar 90° a partir da situacão de maximo Iluxo.

162. (UFPR) A Iigura ao lado e a representacão esquematica de um sistema optico
Iormado por duas lentes convergentes, separadas por 50 cm. As distâncias Iocais das
lentes 1 e 2 são, respectivamente, 10 cm e 15 cm. Utiliza-se um lapis com 4 cm de
comprimento como obieto, o qual e posicionado a 15 cm da lente 1. Com base nesses
dados:


a) Determine a posicão da imagem Iormada pelo sistema de lentes.

b) Determine o tamanho da imagem Iormada pelo sistema. Ela e direita ou invertida, em
relacão ao obieto? JustiIique sua resposta.

c) Empregando a representacão de raios, Iaca um desenho em escala, mostrando a
localizacão e o tamanho da imagem Iormada pelo sistema. Utilize a escala 10 para 1, ou
seia, cada 10 cm no sistema real correspondem a 1 cm no seu desenho. (Cada quadricula
tem 0,5 cm de lado.).

163. (UFPR) Um aparelho destinado a medir cargas e massas de particulas, utilizado
em analises Iisicas, possui uma região onde estão presentes: um campo eletrico
uniIorme e, perpendicularmente a ele, um campo de inducão magnetica tambem
uniIorme. Quando um eletron e inietado nessa região (ver Iigura abaixo) com
determinada velocidade ao longo de uma direcão perpendicular a ambos os campos,
observa-se que ele segue um movimento retilineo uniIorme. Considerando que o
modulo do campo eletrico seia de 700 V/m e o modulo da inducão magnetica seia igual
a 0,50 T, determine o modulo da velocidade do eletron.


164. (UFPR) Duas esIeras com cargas Q estão Iixas e separadas por uma distância X.
Acima delas e colocada uma terceira esIera de massa m e carga q, de modo que, no
equilibrio, elas Iicam dispostas conIorme mostrado na Iigura abaixo. As duas esIeras
inIeriores possuem cargas iguais a 4,0 x 10
-8
C cada uma, enquanto que a esIera
superior possui carga igual a 2,5 x 10
-6
C e massa igual a 1,08 g. Sabendo que o ângulo
0 e igual a 60°, calcule a distância X entre as esIeras inIeriores para essa conIiguracão
das três cargas.

165. (UFPR) A Iigura abaixo ilustra um iogador de basquete no momento em que ele
Iaz um arremesso bem sucedido. A bola, ao ser arremessada, esta a uma distância
horizontal de 6,0 m da cesta e a uma altura de 2,0 m em relacão ao piso. Ela sai das
mãos do iogador com uma velocidade de modulo 6 2 m/s Iazendo um ângulo de 45°
com a horizontal. A cesta esta Iixada a uma altura de 3,0 m em relacão ao piso.
Desprezando a resistência do ar, determine:



a) a altura maxima atingida pela bola em relacão ao piso.
b) o intervalo de tempo entre o instante em que a bola sai da mão do iogador e o instante
em que ela atinge a cesta.
166. (UFPR) A Iigura abaixo mostra uma maquina de Atwood Iormada por dois baldes
idênticos e uma polia. Um cabo inextensivel acoplado ao teto sustenta o eixo de uma
polia, a qual pode girar sem atrito com o eixo. Os dois baldes encontram-se ligados um
ao outro por meio de uma corda inextensivel que não desliza sobre a polia. Os baldes, a
polia, a corda e o cabo têm massas despreziveis. Considere que tenhamos 10 kg de areia
para distribuir entre os dois baldes e despreze a resistência do ar.

a) Supondo que a areia tenha sido dividida entre os baldes em porcões de massas m
1
e
m
2
e usando g para o modulo da aceleracão da gravidade local, deduza as Iormulas para
a aceleracão dos baldes e para a tracão na corda.

b) Mostre que o modulo da Iorca exercida pelo cabo sobre o teto e dado por F ÷
(4m
1
m
2
/m
1
¹ m
2
)g

c) Em qual das seguintes situacões a Iorca exercida pelo cabo sobre o teto e menor: 5 kg
de areia em cada balde (situacão 1) ou 4 kg num deles e 6 kg no outro (situacão 2)?
JustiIique sua resposta utilizando o resultado do item anterior.

167. (UFPR) A Iigura abaixo representa uma possivel montagem utilizada para
determinar experimentalmente o coeIiciente de atrito cinetico entre uma mesa horizontal
e um bloco de massa /2. Uma esIera de massa desce uma distância vertical ÷ 0,9
m partindo do repouso e colide elasticamente, no ponto mais baixo da traietoria, com o
bloco que esta inicialmente em repouso. O bloco então se desloca horizontal por uma
distância d ÷ 2,0 m sobre a mesa ate parar. Determine o coeIiciente de atrito cinetico µ
c

entre a mesa e o bloco.

168. (UFSC)Com base nos topicos de Fisica Moderna, assinale a (s) proposicão (ões)
CORRETA(S).

(01) Corpo negro ideal e todo corpo capaz de absorver toda a radiacão que nele incide.
Quando um corpo negro e aquecido, ele e uma Ionte ideal de radiacão termica.
(02) O eIeito Iotoeletrico so ocorre se a Ireqüência da luz incidente sobre o metal Ior
superior a um valor minimo f
min
e a emissão de cargas eletricas deste material independe
da intensidade da radiacão incidente.
(04) A Teoria da Relatividade Especial, proposta por Einstein, esta baseada em dois
postulados, sendo que um deles e enunciado da seguinte Iorma: 'As leis da Jsica sào
as mesmas em todos os referenciais inerciais. Ou seia. nào existe nenum sistema de
referência inercial preferencial¨.
(08) A apresentacão do trabalho do Iisico Maxwell sobre a quantizacão da energia e
considerada hoie como o marco oIicial da Iundacão da Fisica Moderna.
(16) A Teoria da Relatividade Restrita tem como conseqüência a contracão espacial e a
dilatacão temporal.
(32) O Ienômeno da radiacão do corpo negro e explicado pela Fisica Classica e pela
Moderna como sendo uma distribuicão continua de energia de um sistema.
(64) O comportamento dualistico de uma onda-particula e descrito e aceito pela Fisica
Classica, sendo mais aproIundado e explicado pela Fisica Quântica.

169. (UFSC) Pedrinho, em uma aula de Fisica, apresenta um trabalho sobre otica para o
seu proIessor e colegas de classe. Para tal, ele montou um aparato, conIorme a Iigura
abaixo.


Baseado nos principios da otica e no aparato da Iigura, assinale a(s) proposicão(ões)
CORRETA(S).

(01) I e uma Ionte de luz primaria do tipo incandescente; II e uma lente côncavo-
convexa que, quando colocada em um meio adequado, pode se tornar divergente; III e
um prisma de reIlexão total; IV e um espelho plano e V e um espelho côncavo.
(02) I esta no Ioco da lente II; III e um prisma cuio indice de reIracão e maior que 1,0;
em IV ocorre a reIlexão especular e em V os raios incidentes são paralelos ao eixo
principal do espelho côncavo.
(04) Para que ocorra a reIlexão total em III, o indice de reIracão do prisma deve ser
maior que o do meio em que esta imerso e a luz deve ir do meio mais reIringente para o
menos reIringente.
(08) As leis da reIlexão são aplicadas somente em III e IV.
16. As leis da reIracão são aplicadas somente em II e III.
(32) No aparato em questão, podemos aIirmar que tanto a Ireqüência como a velocidade
da luz variam de acordo com o indice de reIracão do meio no qual o raio esta se
propagando.
(64) Ao aIastar o espelho V da Ionte de luz, na direcão horizontal, a imagem coniugada
por ele sera real, invertida e menor.

170. (Unicamp-SP) A importância e a obrigatoriedade do uso do cinto de seguranca
nos bancos dianteiros e traseiros dos veiculos têm sido bastante divulgadas pelos meios
de comunicacão. No entanto, existem registros de acidentes em que os sobreviventes
Ioram apenas os passageiros da Irente, que estavam utilizando o cinto de seguranca.

a) Considere um carro com velocidade v ÷ 72 km/h que, ao colidir com um obstaculo, e
Ireado com desaceleracão constante ate parar completamente apos At ÷ 0,1 s. Calcule o
modulo da Iorca que o cinto de seguranca exerce sobre um passageiro com massa m ÷
70 kg durante a colisão para mantê-lo preso no banco ate a parada completa do veiculo.

b) Um passageiro sem o cinto de seguranca pode soIrer um impacto equivalente ao
causado por uma queda de um ediIicio de varios andares. Considere que, para uma
colisão como a descrita acima, a energia mecânica associada ao impacto vale ÷ 12 kJ.
Calcule a altura de queda de uma pessoa de massa m ÷ 60 kg, inicialmente em repouso,
que tem essa mesma quantidade de energia em Iorma de energia cinetica no momento
da colisão com o solo.

171. (Unicamp-SP) Em 2011 comemoram-se os 100 anos da descoberta da
supercondutividade. Fios supercondutores, que têm resistência eletrica nula, são
empregados na construcão de bobinas para a obtencão de campos magneticos intensos.
Esses campos dependem das caracteristicas da bobina e da corrente que circula por ela.

a) O modulo do campo magnetico B no interior de uma bobina pode ser calculado pela
expressão B ÷ µ
o
ni, na qual i e a corrente que circula na bobina, n e o numero de espiras
por unidade de comprimento e µ
o
÷ 1,3 x 10
-6
T.m/A. Calcule B no interior de uma
bobina de 25000 espiras, com um comprimento L ÷ 0,65 m, pela qual circula uma
corrente eletrica i de intensidade 80 A.

b) Os supercondutores tambem apresentam potencial de aplicacão em levitacão
magnetica. Considere um imã de massa m ÷ 200 g em repouso sobre um material que se
torna supercondutor para temperaturas menores que uma determinada temperatura
critica T
C
. Quando o material e resIriado ate uma temperatura T · T
C
, surge sobre o imã
uma Iorca magnetica ˘
Ȏ
m
. Suponha que ˘
Ȏ
m
tem a mesma direcão e sentido oposto ao da
Iorca peso ˜

do imã, e que, inicialmente, o imã sobre com uma aceleracão constante de
modulo a ÷ 0,5 m/s·, por uma distância d ÷ 2,0 mm, como ilustrado na Iigura abaixo.
Calcule o trabalho realizado pela Iorca magnetica ˘
Ȏ
m
ao longo do deslocamento d do
imã.



172. (Unicamp-SP) O graIeno e um material Iormado por uma unica camada de atomos
agrupados na Iorma de hexagono, como uma colmeia. Ele e um excelente condutor de
eletricidade e de calor e e tão resistente quando o diamante. Os pesquisadores Geim e
Novoselov receberam o prêmio Nobel de Iisica de 2010 por seus estudos com o graIeno.

a) A quantidade de calor por unidade de tempo 4 que Ilui atraves de um material de
area A e espessura d que separa dois reservatorios com temperaturas distintas T
1
e T
2
, e
dada por 4 ÷ kA( T
2
T
1
)/d, onde k e a condutividade termica do material. Considere
que, em um experimento, uma Iolha de graIeno de A ÷ 2,8 µm· e d ÷ 1,4 x 10
-10
m
separa dois microrreservatorios termicos mantidos a temperaturas ligeiramente distintas
T
1
÷ 300 K e T
2
÷ 302 K. Usando o graIico abaixo, que mostra a condutividade termica
k do graIeno em Iuncão da temperatura, obtenha o Iluxo de calor 4 que passa pela Iolha
de nessas condicões.





b) A resistividade eletrica do graIeno a temperatura ambiente, o ÷ 1,0 x 10-8 Om, e
menor do que a dos outros condutores metalicos, como a prata e o cobre. Suponha que
dois eletrodos são ligados por uma Iolha de graIeno de comprimento L ÷ 1,4 µm e area
de seccão transversal A ÷ 70 nm·, e que uma corrente i ÷ 40 µA percorre o plano dessa
Iolha. Qual e a diIerenca de potencial entre os eletrodos?


173. (UFV-MG) Uma particula de massa M e carga eletrica q ~ 0 move-se em linha
reta com velocidade no plano da pagina, de modulo V. A particula penetra por um
oriIicio A em uma região onde existe um campo eletrico uniIorme de modulo E paralelo
ao plano da pagina (Iigura ao lado). Deseia-se que a particula continue a se mover em
linha reta ate sair pelo oriIicio S. Para isso, um campo magnetico uniIorme de modulo B
deve ser aplicado na região onde existe o campo eletrico. Considere que sobre a
particula so atuem as Iorcas: eletrica e magnetica.



a) Escreva qual deve ser a direcão e o sentido do campo magnetico.
b) Em termos de E e de V, calcule qual deve ser o modulo do campo magnetico.

174. (UFV-MG) Considere uma região onde ha um campo magnetico uniIorme ˔


penetrando perpendicularmente ao plano da pagina, conIorme mostra a Iigura ao lado.
Um eletron (e
-
) e então lancado para dentro dessa região, com velocidade inicial
paralela ao plano da pagina. Das curvas mostradas na Iigura ao lado, aquela que
representa CORRETAMENTE a traietoria desse eletron e:



a) N
b) Q
c) P
d) M

175. (UFV-MG) Um bloco de massa 2,0 kg sobe a rampa ilustrada na Iigura abaixo,
comprimindo uma mola de constante elastica k ÷ 200 N/m, ate parar em B.

Sabe-se que a velocidade do bloco em A era 8,0 m/s e que não houve quaisquer eIeitos
dissipativos no trecho entre os pontos A e B. Considerando-se a aceleracão da gravidade
local igual a 10 m/s
2
, pode-se aIirmar que a compressão maxima da mola tera sido:

a) 0,60 m
b) 0,65 m
c) 0,50 m
d) 0,80 m
e) 0,85 m

176. Num acelerador de partículas, elétrons lançados com velocidade v = 2,9. 10
8
m/s
percorrem um tubo de 3,2 km de comprimento. Qual é o comprimento desse tubo para
os elétrons?

177. Um recipiente contem 1 kg de agua a temperatura de 3 °C. Se ela Ior aquecida ate
atingir a temperatura de 93°C, qual sera sua nova massa? Dados: c
H2O
÷ 1cal/g °C, c ÷ 3
x10
8
m/s, 1 cal - 4 ioules.
178. (UFRN) A Teoria da Relatividade Especial ou Restrita prediz que existem
situacões nas quais dois eventos que acontecem em instantes diIerentes, para um
observador em um dado reIerencial, podem acontecer no mesmo instante, para outro
observador que esta em outro reIerencial. Ou seia, a nocão de simultaneidade e relativa
e não absoluta. A relatividade da simultaneidade e conseqüência do Iato que:
a) a Teoria da Relatividade Especial so e valida para velocidades pequenas em
comparacão coma velocidade da luz.
b) a velocidade de propagacão da luz no vacuo depende do sistema de reIerência
inercial em relacão ao qual e medida.
c) a Teoria da Relatividade Especial não e valida para sistemas de reIerência inerciais
d) a velocidade de propagacão da luz no vacuo não depende do sistema de reIerência
inercial em relacão ao qual ela e medida.
179. (UFRN) Nos dias atuais, ha um sistema de navegacão de alta precisão que depende
de satelites artiIiciais em orbita em torno da Terra. Para que não haia erros signiIicativos
nas posicões Iornecidas por esses satelites, e necessario corrigir relativisticamente o
intervalo de tempo medido pelo relogio a bordo de cada um desses satelites. A Teoria da
Relatividade Especial prevê que, se não Ior Ieito esse tipo de correcão, um relogio a
bordo não marcara o mesmo intervalo de tempo que outro relogio em repouso na
superIicie da Terra, mesmo sabendo-se que ambos os relogios estão sempre em perIeitas
condicões de Iuncionamento e Ioram sincronizados antes do o satelite se lancado. Se
não Ior Ieita a correcão relativistica para o tempo medido pelo relogio de bordo:
a) ele se adiantara em relacão as relogio em Terra enquanto ele Ior acelerado em
relacão a Terra.
b) ele Iicara cada vez mais adiantado em relacão ao relogio em Terra.
c) ele atrasara em relacão ao relogio em Terra durante metade de sua orbita e se
adiantara durante a metade da outra orbita.
d) ele Iicara cada vez mais atrasado em relacão ao relogio em Terra.
180. (UFRN) Sendo a velocidade de propagacão da luz igual a 3 x 10
8
m/s, a ordem de
grandeza da energia de repouso de 1 g de materia, em J e:
a) 10
8

b) 10
9

c) 10
13

d) 10
14

e)10
15

181. Qual e a energia total de um proton de massa m ÷ 1,67 x 10
-27
kg que se desloca
com velocidade 0,6c? E a energia cinetica?
182. (UFV-MG) Dois observadores, um A, na Terra, e outro B, num Ioguete, cuia
velocidade e 2 x 10
8
m/s em relacão a Terra, acertam seus relogios a 1:00 h quando o
Ioguete parte da Terra. Quando o relogio indica 1:30 h, o observador vê o relogio de B
por meio de um telescopio. Que leitura ele Iaz? Considere a Terra estacionaria no
espaco e a possibilidade de o Ioguete ter aquela velocidade. Dado: a velocidade da luz
no vacuo 3 x 10
8
m/s.
183. (UFSM-RS) Um Ioguete parte da Terra com velocidade v ÷ 0,8c, em relacão a
Terra, transportando um astronauta. Em relacão ao Ioguete, a viagem dura 3 anos.
Quanto tempo durou a viagem do astronauta?
184. (Unimat-MT) Com o advento da Teoria da Relatividade de Einstein, alguns
conceitos basicos da Iisica newtoniana, entre eles, o espaco e o tempo, tiveram de ser
revistos. Qual a diIerenca substancial desses conceitos para as duas teorias?

185. (UEL-PR) A teoria da Relatividade Restrita, proposta por Albert Einstein (1879
1955) em 1905, e revolucionaria porque mudou as ideias sobre o espaco e o tempo, mas
em perIeito acordo com os resultados experimentais. Ela e aplicada, entretanto, somente
a reIerenciais inerciais. Em 1915, Einstein propôs a Teoria Geral da Relatividade, valida
não so para reIerenciais inerciais, mas tambem para reIerenciais não-inerciais. Sobre os
reIerenciais inerciais, considere as seguintes aIirmativas:
I. São reIerenciais que se movem, uns em relacão aos outros, com velocidade constante.
II. São reIerenciais que se movem, uns em relacão aos outros, com velocidade variavel.
III. Observadores em reIerenciais inerciais diIerentes medem a mesma aceleracão para
o movimento de uma particula. Assinale a alternativa correta:

a) Apenas a aIirmativa I e verdadeira.
b) Apenas a aIirmativas II e verdadeira.
c) As aIirmativas I e II são verdadeiras.
d) As aIirmativas II e III são verdadeiras.
e) As aIirmativas I e III são verdadeiras.

186. (Cefet-SP) Cargas eletricas podem soIrer acão tanto de campos eletricos quanto de
campos magneticos, porem no segundo caso e necessario que essas cargas esteiam em
movimento. Considere a seguinte situacão: um eletron, cuia carga tem modulo e ÷ 1,6 x
10
-19
C, e lancado horizontalmente da esquerda para a direita, paralelamente ao plano da
pagina, com velocidade v ÷ 5 x 10
2
m/s, penetrando em uma região onde existe um
campo eletrico de intensidade E ÷ 1,5 x 10
6
V/m, cuio sentido e vertical, apontando para
baixo, e um campo magnetico horizontal B ÷ 3 x 10
3
T, com sentido de aIastamento do
observador. A Iigura a seguir representa a situacão descrita.

Nessas circunstâncias, o eletron

a) sera desviado para Iora da pagina.
b) sera desviado para dentro da pagina.
c) sera desviado para cima da pagina.
d) sera desviado para baixo da pagina.
e) não soIrera desvio.

187. (Cefet-SP) Pode-se dizer que a Fisica Moderna teve seu ponto de partida com Max
Planck admitindo a quantizacão de energia dos osciladores harmônicos na cavidade de
um corpo negro, para explicar o espectro da radiacão emitida, embora as raias de
emissão dos elementos ia Iosse uma pista. Posteriormente, uma grande contribuicão Ioi
dada por Schroedinger e Heisenberg, entre outros tantos contribuiram para a
solidiIicacão da Mecânica Quântica. Uma surpreendente descoberta Ioi a de que Iotons
transportam quantidade de movimento. Considere um Ioton de Ireqüência 11,2 x 10
14

Hz, a constante de Planck igual a 6,63 x 10
-34
J.s e a velocidade da luz igual a 3 x 10
8

m/s. A quantidade de movimento transportada por esse Ioton e

a) 2,47 x 10
-27
kg.m/s.
b) 5,06 x 10
-16
kg.m/s.
c) 1,77 x 10
-12
kg.m/s.
d) 2,22 x 10
-17
kg.m/s.
e) 3,12 x 10
-19
kg.m/s.

188. (UFRR1-R1) Uma gota de oleo com massa de 0,02 g, carregada positivamente
com 1,0 x 10
-20
C, sobe verticalmente com aceleracão de 5 m/s
2
no vacuo, onde existe
um campo eletrico uniIorme. Calcule o valor do campo eletrico na região em que a gota
se desloca e a resultante das Iorcas que age sobre a gota, considerando g ÷ 10 m/s
2
.







189. (Cefet-SP) Um sistema constituido por uma mola ideal e uma massa de 50 g Ioi
montado ao lado de uma regua milimetrada. A situacão I da Iigura mostra a mola NÃO
distendida. O sistema e, então, levado ate a posicão indicada na situacão II,
permanecendo em repouso nessa posicão. A constante elastica da mola, em N/m vale:


190. (UFRR1-R1) Atualmente sabemos que o atomo e composto por varias particulas e
que as propriedades magneticas são caracteristicas Iisicas de certos materiais. Suponha
que uma particula de massa m ÷ 4 mg e carga eletrica q ÷ 4 mC penetre num campo
magnetico uniIorme B. de valor igual a 2,0 x 10
-2
T, com uma velocidade de 54 km/h,
conIorme indicado na Iigura.



Considerando que a particula não abandona a região onde existe o campo:

a) Determine a Iorma da traietoria descrita pela particula. JustiIique sua resposta.

b) Calcule o valor do raio R da traietoria descrita pela particula.

191. (UNIRIO-R1) O Iuncionamento dos Iornos de microondas ocorre em Iuncão da
emissão de ondas eletromagneticas. A Ireqüência destas ondas e igual a Ireqüência
natural de oscilacão das moleculas de agua. Considerando que os alimentos têm mais
agua do que os recipientes que os contêm, e possivel esquentar os alimentos sem que os
recipientes soIram a mesma variacão de temperatura. O Ienômeno que possibilita o
aquecimento dos alimentos e a:

a) reIlexão
b) ressonância
c) interIerência
d) diIracão
e) reIracão
192. (UEFS-BA)


Um bloco com massa de 500,0g desloca-se sobre um plano horizontal de atrito
desprezivel. No ponto A, mostrado na Iigura, o bloco comprime uma mola de constante
elastica 140N/m, que se encontra sobre uma superIicie rugosa com coeIiciente de atrito
igual a 0,6. Considerando-se a aceleracão da gravidade com modulo de 10,0m/s2 e
sabendo-se que a compressão maxima da mola e de 10,0cm, a quantidade de movimento
do bloco, no instante que atingiu a mola, em kg.m/s, era igual a

a) 0,5
b) 0,7
c) 1,0
d) 1,5
e) 2,0

193. (UEFS-BA)



No circuito eletrico esquematizado na Iigura, o amperimetro indica uma corrente
eletrica de intensidade 1,0A. Desprezando-se a resistência eletrica dos Iios de ligacão e
as variacões das resistências com a temperatura, a potência dissipada no resistor de 10O,
em watts, e igual a

a) 1,6
b) 2,2
c) 3,6
d) 4,5
e) 5,2

194. (UEFS-BA) Um espelho esIerico coniuga, de um obieto real, de 6,0cm de altura,
uma imagem direta com 8,0cm de altura, sendo ambos perpendiculares ao eixo
principal. Considerando o obieto a 20,0cm do espelho, e correto aIirmar que

a) o raio de curvatura do espelho e igual a 60,0cm.
b) o espelho esIerico e convexo.
c) o aumento linear transversal e igual a 8,0cm.
d) a imagem obtida e real e a 40,0cm do espelho.
e) a distância Iocal do espelho e igual a 80,0cm.

195. (UEFS-BA) Na Mecânica, consideram-se como Grandezas Fundamentais a Massa
(M), o Tempo (T) e o Comprimento (L). Dessa Iorma, qualquer Grandeza Fisica, de
natureza Mecânica, pode ser expressa em Iuncão de M, T e L. A equacão dimensional
da grandeza S, deIinida pela igualdade S ÷ aceleracão x tempo x impulso x
comprimento, e dada por

a) M
1
L
2
T
2

b) ML
3
T
2

c) ML
2
T
1

d) M
2
L
3
T
2

e) ML
2
T
2


196. (UEFS-BA) Com base nas leis da Termodinâmica, e correto aIirmar:

a) A variacão da energia interna do gas, em uma transIormacão isocorica de uma dada
massa de gas ideal, e sempre igual a quantidade de calor trocada.
b) A energia interna de um gas ideal e Iuncão exclusiva de sua pressão.
c) A energia interna de um gas ideal sobre o qual e realizado um trabalho de 80,0J,
durante uma compressão adiabatica, e nula.
d) O calor especiIico a volume constante e sempre maior que o calor especiIico a
pressão constante em qualquer gas.
e) A variacão da energia interna de um gas ideal submetido a uma transIormacão
isotermica e sempre positiva

197. (UEFS-BA)



O diagrama mostra a variacão de temperatura de certa massa de uma substância em
Iuncão do calor transIerido. Sabendo-se que o calor de Iusão dessa substância e 50 cal/g
e que, a 0
o
C, ela se encontra no estado solido, e correto aIirmar:

a) A substância absorveu 1500 cal para soIrer Iusão total.
b) A temperatura de ebulicão da substância e menor que 40
o
C.
c) A massa da substância e igual a 40 g.
d) O calor de vaporizacão dessa substância e 60 cal/g
e) A uma temperatura de 25
o
C, a substância encontra-se no estado solido.

198. (UEFS-BA) Um bloco e iogado sobre uma mesa de altura H, em relacão ao solo.
Esse bloco abandona a mesa com uma velocidade v
o
. Com relacão ao movimento do
bloco, apos abandonar a mesa, e correto aIirmar:

a) Atinge o solo apos um intervalo de tempo igual a t ÷
H
Ŷ˧

b) Percorre, na horizontal, uma distância D ÷ v
o

ŶH
˧
.
c) Realiza uma traietoria hiperbolica.
d) Apresenta um movimento retilineo uniIormemente variado.
e) Mantem, durante a queda, uma velocidade uniIorme na direcão vertical e igual a v
o
.

199. (UEFS-BA) Quatro esIeras condutoras iguais têm, respectivamente, cargas
eletricas Y, Q, Q/2 e 2Q. Colocando-se todas em contato e, depois, separando-as, cada
uma Iicou com uma carga eletrica igual a 5Q/4. Sabendo-se que as esIeras trocaram
cargas eletricas apenas entre si, e correto aIirmar que a carga eletrica Y, da primeira
carga eletrica, era igual a

a) Q/2
b) Q
c) 3Q/2
d) 2Q
e) 5Q/2

200. (UEFS-BA) Desde tempos remotos, têm-se observado na natureza a existência de
alguns corpos que espontaneamente atraem pedacos de Ierro, conhecidos como imãs
naturais. Com base nos conhecimentos sobre o Magnetismo, e correto aIirmar:

a) As linhas de inducão de um campo magnetico uniIorme são curvas Iechadas.
b) Os pontos da superIicie terrestre que possuem inclinacão magnetica nula pertencem a
ma linha denominada Equador Magnetico.
c) A tendência da agulha de uma bussola e Iicar paralela as linhas de inducão do campo
eletrico da Terra.
d) Quando uma particula eletricamente carregada e em movimento soIre a acão de uma
Iorca devida a um campo magnetico, essa Iorca depende da massa da particula.
e) Toda carga eletrica em repouso gera no espaco que a envolve um campo magnetico
divergente.

201. (UEFS-BA) Considere-se um Iio reto e longo e dois pontos P e Q, tais que a
distância de P ao Iio e o triplo da distância de Q ao Iio. Sabendo-se que, quando uma
corrente de intensidade i atravessa o Iio gera, em P, um campo de inducão magnetica de
intensidade B, e correto aIirmar que, se uma corrente de intensidade 3i atravessa o
mesmo Iio, gerara, no ponto Q, um campo de inducão de intensidade igual a
a) 5B
b) 6B
c) 7B
d) 8B
e) 9B
202. (UFSC) No urbanismo e na arquitetura, a questão da acessiblidade tem recebido
grande atencão nas ultimas decadas, preocupacão que pode ser veriIicada pela
elaboracão de normas para regulamentar a acessibilidade.
A Associacão Brasileira de Normas Tecnicas (ABNT), por meio da norma NBR 9050
elaborada no Comitê Brasileiro de Acessibilidade, deIine:
- Acessibilidade: Possibilidade e condicão de alcance, percepcão e entendimento para a
utilizacão com seguranca e autonomia de ediIicacões, espaco, mobiliario, equipamento
urbano e elementos.
- Rampa: Inclinacão da superIicie de piso, longitudinal ao sentido de caminhamento.
Consideram-se rampas aquelas com declividade igual ou superior a 5°.

A Iigura apresenta uma rampa com 5° de inclinacão, sobre a qual se encontra uma
pessoa em pe e parada. Para Iacilitar a visualizacão, o desenho não esta apresentado em
escala.

A inclinacão das rampas deve ser calculada segundo a seguinte equacão:

rampa. da horizontal projeção da o compriment o é
desnível; do altura a é
m; porcentage em , inclinação a é
: qual na ,
x
c

i
c
100
i
Considerando as inIormacões acima apresentadas:
a) Desenhe e identiIique as Iorcas que atuam sobre a pessoa.

b) IdentiIique o tipo de atrito que existe entre a pessoa e a rampa para que ela possa
caminhar com seguranca sobre a mesma.

c) Determine o coeIiciente de atrito minimo para que a pessoa não deslize ao caminhar
nesta rampa. Mostre explicitamente o raciocinio matematico utilizado, que deve ser
Iundamentado em principios Iisicos.

203. (UFSC) Em um trecho do livro O guarda-roupa alemào, lê-se:

'Ethel: o rosto ali no espelho. A Iorma octogonal da transparência Iurando
escombros. O tom escuro do iacaranda: o passaporte.
Comecava a delinear-se a Iigura da bisavo. Ela gostava de olhar-se dentro do
octogono de cristal. Uma moldura transparente. Tinha um aspecto mistico. Os olhos.
Os labios. O cabelo. Aquele dourado na Iace. Os dois semicirculos negros, como
sinais alem do mar misterioso e inquieto¨.

a) DeIina um octogono regular.
b) Determine, apresentando os calculos, a medida do ângulo central do octogono
regular.
c) Determine, apresentando os calculos, a soma das medidas dos ângulos internos do
octogono regular.
d) A Iigura abaixo mostra a bisavo Ethel olhando no espelho plano a imagem da
Comadre Herna, em pe atras dela. Determine, apresentando os calculos, a que distância
horizontal (em metros) dos olhos da bisavo Ethel Iica a imagem da Comadre Herna.



204. (UFSC) A Iigura representa um espectrômetro de massa, dispositivo usado para a
determinacão da massa de ions. Na Ionte , são produzidos ions, praticamente em
repouso. Os ions são acelerados por uma diIerenca de potencial J
AB
, adquirindo uma
velocidade v
6
, sendo lancados em uma região onde existe um campo magnetico
uniIorme B
6
. Cada ion descreve uma traietoria semicircular, atingindo uma chapa
IotograIica em um ponto que Iica registrado, podendo ser determinado o raio R da
traietoria.



Considerando a situacão descrita, assinale a(s) proposicão(ões) CORRETA(S):

(01) A carga dos ions, cuias traietorias são representadas na Iigura, e positiva.
(02) Mesmo que o ion não apresente carga eletrica, soIrera a acão do campo magnetico
que atuara com uma Iorca de direcão perpendicular a sua velocidade v
6
.
(04) O raio da traietoria depende da massa do ion, e e exatamente por isso que e
possivel distinguir ions de mesma carga eletrica e massas diIerentes.

(08) A carga dos ions, cuias traietorias são representadas na Iigura, tanto pode ser
positiva como negativa.
(16) A energia cinetica
c
que o ion adquire, ao ser acelerado pela diIerenca de
potencial eletrico J
AB
, e igual ao trabalho realizado sobre ele e pode ser expressa por
c

÷ qJ
AB
,

onde q e a carga do ion.

205. (UFSC) A Iigura representa dois pulsos de onda, inicial-mente separados por 6,0
cm, propagando-se em um meio com velocidades iguais a 2,0 cm/s, em sentidos
opostos.



Considerando a situacão descrita, assinale a(s) proposicão(ões) CORRETA(S):

(01) Quando os pulsos se encontrarem, havera interIerência de um sobre o outro e não
mais havera propagacão dos mesmos.
(02) Decorridos 2,0 segundos, havera sobreposicão dos pulsos e a amplitude sera
maxima nesse instante e igual a 2,0 cm.
(04) Decorridos 2,0 segundos, havera sobreposicão dos pulsos e a amplitude sera nula
nesse instante.
(08) Decorridos 8,0 segundos, os pulsos continuarão com a mesma velocidade e Iorma
de onda, independentemente um do outro.
(16) Inicialmente as amplitudes dos pulsos são idênticas e iguais a 2,0 cm.

206. (UFSC) Um satelite artiIicial, de massa m, descreve uma orbita circular de raio R
em torno da Terra, com velocidade orbital v
6
de valor constante, conIorme representado
esquematicamente na Iigura. (Desprezam-se interacões da Terra e do satelite com outros
corpos.)



Considerando a Terra como reIerencial na situacão descrita, assinale a(s)
proposicão(ões) CORRETA(S):

(01) O satelite soIre a acão da Iorca gravitacional exercida pela Terra, de modulo igual a
2
R
m

, onde e a constante de gravitacão universal e e a massa da Terra.
(02) Para um observador na Terra, o satelite não possui aceleracão.
(04) A Iorca exercida pelo satelite sobre a Terra tem intensidade menor do que aquela
que a Terra exerce sobre o satelite; tanto assim que e o satelite que orbita em torno da
Terra e não o contrario.
(08) A aceleracão resultante sobre o satelite tem a mesma direcão e sentido da Iorca
gravitacional que atua sobre ele.
(16) A aceleracão resultante sobre o satelite independe da sua massa e e igual a
2
R

,
onde e a constante de gravitacão universal e e
a massa da Terra.
(32) A Iorca centripeta sobre o satelite e igual a Iorca gravitacional que a Terra exerce
sobre ele.

207. (UFRN) Uma das aplicacões do eIeito Iotoeletrico e o visor noturno, aparelho de
visão sensivel a radiacão inIravermelha, ilustrado na Iigura abaixo. Um aparelho desse
tipo Ioi utilizado por membros das Iorcas especiais norte-americanas para observar
supostos integrantes da rede al-Qaeda. Nesse tipo de equipamento, a radiacão
inIravermelha atinge suas lentes e e direcionada para uma placa de vidro revestida de
material de baixa Iuncão de trabalho (). Os eletrons arrancados desse material são
'transIormados¨, eletronicamente, em imagens. A teoria de Einstein para o eIeito
Iotoeletrico estabelece que:

C
÷ f -
sendo:

O
C
a energia cinetica maxima de um Iotoeletron;
O ÷ 6.6 x 10
-34
J.s a constante de Planck;
O f a Ireqüência da radiacão incidente.

Considere que um visor noturno recebe radiacão de Ireqüência f ÷ 2,4 × 10
14
Hz e que
os eletrons mais rapidos eietados do material têm energia cinetica
C
÷ 0,90 eV. Sabe-se
que a carga do eletron e q ÷ 1.6 x 10
-19
C e 1 eV ÷ 1.6 x 10
-19
J.

Baseando-se nessas inIormacões, calcule:

a) a Iuncão de trabalho () do material utilizado para revestir a placa de vidro desse
visor noturno, em eJ;

b) o potencial de corte (J
0
) desse material para a Ireqüência (f) da radiacão incidente.

208. (UFMA) Um solenoide tem comprimento !÷15 cm e compõe-se de 200 espiras,
cada uma com area de 0,05 m
2
. O solenoide esta situado no vacuo (µ
o
÷4a x 10
-7
Tm/A).
Se a intensidade da corrente no solenoide decresce de 10A para 6A em 0,5s, qual e a
Iorca eletromotriz (I.e.m.) media autoinduzida na bobina, neste intervalo de tempo?

209. (UFMA) Um eletron inicialmente em repouso e acelerado sob uma ddp de 400 kV.
Determine:

a) O acrescimo de massa.
b) A energia total do eletron.
c) A velocidade que ele adquire.

Dados: a carga do eletron e q ÷ 1,6 x 10
-19
C e a massa de repouso do eletron e m
o
÷ 9,11
x 10
-31
kg.
210. (UFRN) O reIrigerador e um dos utensilios eletrodomesticos mais presentes na
vida moderna. Desde sua invencão, habitos de consumo vêm se modiIicando, em grande
parte, devido a sua capacidade de armazenar alimentos por longos periodos. Sendo uma
maquina termica, um reIrigerador opera em ciclos. Na Iigura abaixo, esta ilustrado, num
diagrama T-S, o ciclo (dc-ad) realizado por um reIrigerador de Carnot. Imagine um
reIrigerador operando nesse ciclo, com temperatura interna T
2
÷ -3 °C(270K) num
ambiente a temperatura T
1
÷ 27 °C(300K).



Diagrama T-S para um reIrigerador de Carnot operando entre as temperaturas T
1
e T
2
.

Admita que, em cada ciclo, uma quantidade de energia (calor) Q
2
÷ 270 J e retirada do
interior desse reIrigerador. Para esse ciclo, considere:

Oa variação de entropia ( $ dada por $ ÷ Q/T. sendo Q a energia (calor e T a
temperatura;
Oo coeficiente de performance (e é dado por e Q
2
/ , sendo o trabalho fornecido
para que o refrigerador funcione.

Com base no exposto, atenda às solicitações abaixo.

a) Determine a variacão de entropia em um ciclo.

b) Calcule a quantidade de energia (calor) Q
1
liberada para o ambiente em cada ciclo.

c) Obtenha o coeIiciente de perIormance (e) desse reIrigerador.

211. (UFPB) Um ion positivo de massa m e carga q move-se num campo magnetico
uniIorme, de valor B ÷ 0.6 T. Ele executa movimento circular uniIorme, numa
circunIerência de raio R ÷ 1.5 cm e com uma Ireqüência f ÷ 5.0 L10
6
Hz .
Considerando 6 ÷ 3, determine

a) a velocidade escalar do ion.
b) a razão q / m do ion.

212. (UFRN) A 2ª lei de Kepler (lei das areas) para o movimento planetario e
conseqüência de uma lei muito mais geral, a lei de conservacão do momento angular I

.
Nos exemplos abaixo (1 e 2), são mostrados dois movimentos distintos em que se pode
constatar que o segmento de reta tracado de uma certa origem ate o obieto, vetor
posicão JȎ, varre areas iguais em tempos iguais (lei das areas).



EXEMPLO 1 ovimento retilJneo uniforme de uma particula de massa m e
velocidade v. A
1
e A
2
representam as areas varridas num mesmo intervalo de tempo At.



EXEMPLO 2 Movimento orbital de um planeta de massa m
p
em torno do Sol. A
3
e A
4

representam as areas varridas num mesmo intervalo de tempo At.

Sabe-se que:

L ÷ r p sen0, sendo p o modulo do vetor momento linear e e o ângulo entre os vetores JȎ
e JȎ. Com base no acima exposto, responda as solicitacões que seguem.

a) Mostre, no exemplo 1, que A
1
/ At ÷ A
2
/At ÷ a sendo a uma constante. Expresse essa
constante em Iuncão de L e m.

b) Determine, no exemplo 2, o momento da Iorca de interacão gravitacional existente
nesse sistema, em relacão ao Sol.

c) Obtenha, no exemplo 2, a razão v
p
/v
a
entre as velocidades do planeta nos pontos de
perielio e aIelio, em Iuncão p
r
e a
r
. representados na Iigura.

213. (UFRN) O aparelho auditivo humano e um detector biologico de som, sensivel a
uma determinada Iaixa de Ireqüências. O som e uma onda de pressão e, para o ouvido
humano cumprir o seu papel, ele deve ser capaz de diIerenciar tanto a Ireqüência quanto
a intensidade (potência por unidade de area) dessa onda. A intensidade () do som
depende da amplitude (!) de pressão, da densidade (o) do meio de propagacão e da
velocidade (v) do som no meio. Na escala decibel, o nivel sonoro (ß), medido em
decibeis, e deIinido comparando-se a intensidade medida com uma intensidade padrão
de reIerência (
0
). Essa intensidade corresponde, aproximadamente, a menor intensidade
percebida pelo ouvido humano. De uma Iorma resumida, pode-se dizer que:



Face ao acima exposto, considere duas ondas sonoras com amplitudes de pressão !
1
e
!
2
sendo percebidas por um observador que se encontra em repouso em relacão as
Iontes sonoras.

Baseando-se nesses dados, atenda as solicitacões seguintes.

a Verifique, por meio de uma análise dimensional, que a expressão para a
intensidade da onda sonora é dimensionalmente correta.

c) Determine uma expressão analitica para a diIerenca de nivel sonoro, ß
2
ß
1
,
percebida pelo observador acima citado, em termos das amplitudes de pressão !
1
e !
2
.

214. (UFRN) O Sr. Phortunato instalou, em sua Iarmacia de manipulacão, um
dispositivo conhecido como 'olho eletrico¨, que, acionado quando alguem passa pela
porta de entrada, o avisa da chegada de seus clientes. Na Iigura abaixo, esse dispositivo
esta representado esquematicamente.



Observe que a luz proveniente de uma lâmpada passa atraves de aberturas na lateral do
portal e incide numa placa metalica colocada ao lado do mesmo. Essa placa, ao ser
iluminada, libera eletrons da sua superIicie. O Iluxo desses eletrons atraves do Iio
constitui a corrente eletrica que passara na bobina, Iazendo-a atuar sobre o braco
metalico, o que evita o acionamento da campainha. Quando alguem entra na Iarmacia, o
Ieixe de luz e bloqueado, e com isso a corrente eletrica no circuito da bobina e
interrompida. Dessa Iorma, a mola, que esta distendida e se encontra presa no braco
metalico, puxa este e o Iaz tocar no interruptor do alarme, Iechando o circuito do alarme
e acionando a campainha. Quando a pessoa acaba de passar pela porta, a luz volta a
incidir sobre a placa metalica, a corrente volta a Iluir no circuito da bobina e a bobina
atrai o braco do alarme, abrindo o circuito do alarme e desativando a campainha.
Levando em consideracão o que esta descrito acima,

a) explicite todas as Iormas de energia envolvidas no processo, desde o instante em que
a pessoa interrompe o Ieixe de luz no portal ate o instante em que a campainha toca;

b) identiIique e descreva uma das partes do sistema 'olho eletrico¨ que seia
devidamente explicada apenas a luz da Fisica Moderna;

c) Iaca um diagrama esquematizando o braco metalico (de peso desprezivel) e
represente todas as Iorcas que nele atuam e as intensidades relativas dessas Iorcas, para
o caso de estar Iluindo corrente na bobina. Suponha que a acão magnetica da bobina
sobre esse braco esteia restrita ao ponto ! da Iigura e que a distância O corresponda a
um terco da distância O!.

215. (UFRN) O dia estava lindo. O sol deixou Tatiana extasiada e curiosa para entender
o processo de geracão de tanta energia. Foi, então, buscar nos livros e na internet uma
explicacão para isso. Seu rosto estampou grande admiracão ao compreender que o sol e
as demais estrelas Iaziam a 'alquimia¨ de transIormar elementos leves em outros mais
pesados, atraves do processo de Iusão nuclear (como, por exemplo, a conversão de
hidrogênio em helio). Ela pôde perceber que em tal Iacanha muita energia e liberada. Na
verdade, vem dai a energia que Iaz uma estrela brilhar! A liberacão dessa energia se
deve a transIormacão de massa de repouso em energia, conIorme e dado pela equacão
de Einstein, ÷mc
2
(onde m e a massa que e convertida em energia; e a energia
associada a essa massa; c, a velocidade da luz no vacuo). Tatiana, entusiasmada,
resolveu avaliar quanta energia seria liberada numa estrela, numa unica reacão de Iusão
de três particulas alIa (na verdade, nucleos de helio:
2
He
4
), para Iormar um nucleo de
carbono,
6
C
12
. Seus calculos Ioram Ieitos baseados nas seguintes consideracões: a massa
de repouso de cada particula alIa e igual a 3.728,3 MeV/c· e a massa de repouso do
nucleo de carbono e igual a 11.177,7 MeV/c· onde eletron-volt (eJ) e a unidade de
energia e o preIixo , de mega, corresponde a 106. As massas estão expressas
respeitando-se os algarismos signiIicativos provenientes dos experimentos que as
avaliaram. Esquematicamente, Tatiana representou o processo da seguinte Iorma:

2
He
4
¹
2
He
4
¹
2
He
4
÷
6
C
12
¹
L
,

onde
L
representa a energia liberada. A partir dos dados acima,

a) veriIique se o processo de Iusão analisado por Tatiana contraria a lei de conservacão
da carga. JustiIique sua resposta.

b) calcule, em eJ, o valor da energia
L
encontrado por Tatiana, usando como
unidade de massa apenas eJ/c·. Dê a resposta respeitando os algarismos
signiIicativos.

c) calcule o trabalho realizado com a energia
L
(obtida na resposta do item b) num
processo de expansão isotermica de uma porcão de gas da estrela. (Considere que o gas
seia ideal e leve em conta a primeira lei da termodinâmica, segundo a qual: &÷Q ,
onde & e a variacão da energia interna do gas, Q e a quantidade de calor trocado e e
o trabalho realizado.)

216. (UFRN) No quintal de sua casa, Dona Carolina estendeu uma roupa para secar ao
sol. Num cabide pendurado por seu Iilho numa mola (Iigura ·-a), ela colocou a roupa
(Iigura I-b). O tempo de secagem da roupa, devido a acão do sol, Ioi mais do que
suIiciente para enxuga-la. O processo de secagem esta registrado na Iigura II, a qual
mostra a variacão temporal de deIormacão da mola a medida que a roupa Ioi secando. O
instante zero corresponde aquele mostrado na Iigura I-b, no qual a mola parou de
oscilar, estando no maximo de sua distensão, e a acão do sol na secagem da roupa Ioi
iniciada.



Considere as seguintes hipoteses:

O o sol Ioi a unica Ionte responsavel pela evaporacão da agua que estava na roupa
O esse processo de secagem se deu de modo uniIorme
O a aceleracão da gravidade local constante e g ÷ 10 m/s
2

O a mola e ideal, com constante elastica k ÷ 50 N/m
O cada grama de agua necessitou de 500 cal para evaporar

Sabendo que a Iorca elastica da mola tem modulo dado por
el
÷ kx (onde x e o valor da
deIormacão soIrida pela mola, mostrado na Iigura-II), calcule:

a) a massa da agua que evaporou da roupa;
b) a velocidade media com que o cabide subiu a medida que a roupa Ioi secando;
c) a potência media de radiacão solar, em cal/h, absorvida na secagem da roupa.

217. (UFRN) Em abril de 2007, Ioi anunciada a descoberta de um planeta extra-solar
distante cerca de 20 anos-luz da Terra. Por ter caracteristicas semelhantes as do nosso
planeta, ele ia vem despertando o interesse de missões espaciais tripuladas, dedicadas a
procura de vida extraterrestre. Imagine que, com a missão de realizar pesquisas sobre a
possibilidade de existência de vida naquele planeta, um astronauta seia enviado numa
espaconave com velocidade v ÷ 0,8c (c e a velocidade da luz no vacuo). Suponha que o
astronauta, de 30 anos de idade, deixe na Terra um irmão gêmeo e que ambos irão medir
o tempo da viagem.

Dados:

O At ÷ At. sendo At o intervalo de tempo medido no reIerencial da Terra e At o
intervalo de tempo medido no reIerencial da espaconave.
OConsidere que o Iator de Lorentz e v ÷ 10/6 e que são despreziveis os tempos de
aceleracão e desaceleracão da espaconave, durante as iornadas de ida e de volta, e o
tempo de permanência do astronauta naquele planeta.

A partir da situacão descrita, responda:

a) Qual dos gêmeos medira o maior tempo da viagem de ida e volta? JustiIique sua
resposta com base na teoria da relatividade especial.
b) Se, para o gêmeo que Iicou na Terra, o tempo que seu irmão levou para ir ao outro
planeta e de la voltar Ioi de 50 anos, que idade tera cada um dos irmãos quando o gêmeo
astronauta retornar a Terra?

218. (UFMA) Dois Iios condutores, longos e retilineos, estão dispostos
perpendicularmente a Iolha de papel e têm intensidades e sentidos de correntes
indicados na Iigura abaixo. Sabendo-se que o meio e o vacuo, determine a intensidade
do campo magnetico no ponto P.

Dado: m
o
÷ 4a x 10
-7
Tm/A




219. (UFMA) Um corpo, inicialmente em repouso no ponto A, desliza sobre um plano
inclinado sem atrito cuia altura e h. Sendo g a aceleracão da gravidade, mostre que o
tempo gasto pelo corpo ao percorrer o plano inclinado e t ÷ sec O
2h
g
.






220. (Mackenzie-SP) No sistema abaixo, o atrito e desprezivel, o Iio e a polia são
ideais e a mola M, de massa desprezivel, tem constante elastica 200 N/m. Quando o
corpo B e seguro, a Iim de se manter o coniunto em equilibrio, a mola esta deIormada
de e, depois do corpo B ter sido abandonado, a deIormacão da mola sera
de .


As medidas que preenchem correta e respectivamente as lacunas, na ordem de leitura,
são:

a) 2,5 cm e 3,0 cm.
b) 5,0 cm e 5,0 cm.
c) 5,0 cm e 6,0 cm.
d) 10,0 cm e 10,0 cm.
e) 10,0 cm e 12,0 cm.

221. (Mackenzie-SP) Uma pequena esIera E
1
de massa 100 g, e abandonada do repouso
no ponto A de um trilho altamente polido, deslizando ate se chocar Irontalmente com
uma esIera E
2
, de massa 300 g, inicialmente em repouso no ponto B. O choque ocorre
com coeIiciente de restituicão 1. Apos o choque:


a) a esIera E
1
retorna pelo trilho e atingira a altura maxima de 20,00 cm em relacão a
parte horizontal, enquanto a esIera E
2
se deslocara no sentido de B para C, com
velocidade de 2,0 m/s.

b) a esIera E
1
retorna pelo trilho e atingira a altura maxima de 40,00 cm em relacão a
parte horizontal, enquanto a esIera E
2
se deslocara no sentido de B para C, com
velocidade de 2,0 m/s.

c) ambas as esIeras se deslocarão sobre o trilho no sentido de B para C, cada qual com
velocidade de 2,0 m/s.

d) as esIeras E
1
e E
2
se deslocarão sobre o trilho no sentido de B para C, com
velocidades respectivamente iguais a 1,0 m/s e 3,0 m/s.

e) a esIera E
1
permanecera parada em B e a esIera E
2
se deslocara sobre o trilho no
sentido de B para C, com, velocidade de 4,0 m/s.

222. (Mackenzie-SP) O graIico adiante nos permite acompanhar o comprimento de
uma haste metalica em Iuncão de sua temperatura. O coeIiciente de dilatacão linear do
material que constitui essa haste vale:

a) 2 x 105 °C
1

b) 4 x 105 °C
1

c) 5 x 105 °C
1

d) 6 x 105 °C
1

e) 7 x 105 °C
1



223. (Mackenzie-SP) Um corpo apoiado sobre uma superIicie horizontal lisa e preso a
uma mola ideal, comprimida de 20 cm, e abandonado como mostra a Iigura. Esse corpo
realiza um m.h.s. de Ireqüência 5 Hz, sendo 'O o seu ponto de equilibrio. A
velocidade (v) adquirida pelo corpo, no SI, varia com o tempo (t) obedecendo a Iuncão:



a) v ÷ 2 sen (10a t ¹ a)
b) v ÷ ¹ 2a cos (10a t ¹ a)
c) v ÷ a sen (10a t ¹ a/2)
d) v ÷ ¹a cos(10a t ¹ a/2)
e) v ÷ 2a sen (10a t ¹ 2a/3)

224. (Mackenzie-SP) Durante o seculo XX, o desenvolvimento da Fisica no campo
nuclear Ioi notorio, e a descoberta de particulas elementares acabou sendo uma das
responsaveis por esse Iato. Foram construidos diversos aceleradores de particulas para
pesquisa e com eles muitas teorias Ioram não so comprovadas, como tambem
aprimoradas. Considere duas dessas particulas: um proton, que pode ser identiIicado
como sendo o nucleo do atomo de Hidrogênio (
1
H
1
), e uma particula alIa, que pode ser
identiIicada como sendo o nucleo do atomo de Helio (
2
He
4
). Quando, no vacuo, um
proton e uma particula alta se dirigem um contra o outro, no instante em que a distância
entre eles e d, a Iorca de interacão eletrostatica tem intensidade:



a) F ÷ k
0

Ŷ˥
ˤ·

b) F ÷ k
0

Ŷ˥·
ˤ·

c) F ÷ k
0

˥·
ˤ·

d) F ÷ k
0

Ÿ˥·
ˤ·

e) F ÷ k
0

Ÿ˥
ˤ·


225. (UFPB) Um canhão eletrônico de um tubo de imagem de televisor consiste,
basicamente, de duas placas metalicas paralelas separadas por uma distância d e
mantidas a uma diIerenca de potencial J. Eletrons liberados, em repouso, nas
proximidades de uma das placas, são acelerados pelo campo eletrico uniIorme existente
entre elas, atingindo a posicão da outra placa com uma energia cinetica . Sendo
d ÷2 cm, a carga do eletron q ÷ 1.6 L10
19
C e ÷3.2 L10
15
J , det er mi ne

a) a diIerenca de potencial J entre as placas.
b) o modulo do campo eletrico entre as placas.

226. (UFPB) As cargas eletricas puntiIormes positivas Q
A
÷ 4L10
6
C e
Q
B
÷ 9L10
6
C estão Iixas e separadas por uma distância de d ÷ 1 m . Uma terceira
carga puntiIorme Q
C
e colocada num ponto onde permanece em equilibrio, sob acão
exclusiva das Iorcas eletricas.

a) Reproduza, no caderno de respostas, a Iigura ao lado, incluindo a posicão da terceira
carga Q
C
.
b) Determine a distância da carga Q
C
a carga Q
A
.

227. (UFBA) Investigando a estrutura do nucleo atômico, RutherIord conseguiu, pela
primeira vez, transIormar artiIicialmente um elemento quimico em outro, Iazendo um
Ieixe de particulas alIa passar atraves de uma camada de nitrogênio gasoso. A
transIormacão ocorrida, de nitrogênio em oxigênio, esta representada, de maneira
sintetica, na Iigura a seguir.


Com base nessas inIormacões, na analise da Iigura e nos conhecimentos sobre Iisica
nuclear, e correto aIirmar:
(01) A estabilidade de nucleos atômicos se mantem pela acão de Iorcas de natureza
eletromagnetica.
(02) A particula alIa e Iormada por dois nucleons.
(04) O nitrogênio libera um proton mediante reacão nuclear espontânea.
(08) O oxigênio obtido e resultante de um processo de transmutacão.
(16) A conservacão do numero de massa ocorre em reacões nucleares.
(32) A carga eletrica total, antes da reacão, e igual a carga eletrica total apos a reacão.

228. (UFBA) O campo eletrico criado por um dipolo eletrico tem intensidade 4,5 x 10
8

N/C no ponto medio da reta que une as cargas. Sabendo-se que a constante eletrostatica
do meio e 9,0 x 109 Nm
2
/C
2
, a distância entre as cargas e igual a 20 cm e o modulo de
cada uma das cargas que constituem o dipolo e X x 10
-5
C, determine o valor de X.

229. (UFBA) Na Iigura abaixo, um pêndulo simples, de massa m e comprimento l, e
abandonado, a partir do repouso, no ponto A. Considere o modulo da aceleracão da
gravidade local igual a g e despreze a acão de Iorcas dissipativas.



Com base nessas inIormacões e na analise da Iigura:

a) Faca um esboco do diagrama vetorial das Iorcas que agem na massa pendular,
identiIicando cada uma delas, quando a massa passa pelo ponto B da traietoria.

b) Determine, em Iuncão de g, o modulo da aceleracão centripeta da massa pendular,
quando ela passa pelo ponto C da traietoria.

c) Determine, em relacão ao plano de reIerência e em Iuncão de m, l, g e a, a energia
potencial gravitacional da massa pendular no ponto D da traietoria.

230. (UFBA) Um cilindro, munido de um êmbolo movel, contem um gas ideal que
ocupa um volume de 3L, a temperatura T
1
. O gas e aquecido, lentamente, ate a
temperatura T
2
, quando passa a ocupar um volume de 3,5L. Durante o processo, a
superIicie externa do êmbolo, cuia area vale 0,5 m
2
, esta sob a acão de pressão
atmosIerica constante e igual a 105 N/m
2
.

Nessas condicões, pode-se aIirmar:
(01) O processo e isobarico.
(02) A Iorca exercida pelo gas sobre o êmbolo vale 2 x 10
5
N.
(04) A energia interna do gas permanece constante durante o processo.
(08) O gas realiza trabalho de 50J sobre a vizinhanca.
(16) A velocidade media das moleculas do gas e a mesma no inicio e no Iim do
processo.
(32) O volume do gas, durante o processo, aumenta linearmente com a temperatura.

231. (UFBA)



Considerando-se a Iigura, os dados apresentados na tabela e a constante de gravitacão
universal igual a 6,67 x 10
-11
unidades do SI, e correto aIirmar:

(01) A massa da Terra e cerca de 18 vezes maior que a massa de Mercurio.
(02) O movimento dos planetas em torno do Sol obedece a traietoria que todos os
corpos tendem a seguir por inercia.
(04) A constante de gravitacão universal, expressa em unidades do sistema
internacional, e igual a 6,67 x 10
-11
N m
2
kg
-2
.
(08) O periodo de revolucão da Terra e maior que o de Vênus.
(16) A aceleracão da gravidade, na superIicie de Mercurio, e nula.
(32) O ponto de equilibrio de um obieto situado entre a Terra e a Lua, sob a acão
exclusiva de Iorcas gravitacionais desses corpos, localiza-se mais proximo da Lua.

232. (UFBA) A Iigura abaixo mostra, esquematicamente, as Irentes de ondas planas,
geradas em uma cuba de ondas, em que duas regiões, nas quais a agua tem
proIundidades diIerentes, são separadas pela superIicie imaginaria S. As ondas são
geradas na região 1, com Ireqüência de 4 Hz, e se deslocam em direcão a região 2. Os
valores medidos, no experimento, para as distâncias entre duas cristas consecutivas nas
regiões 1 e 2 valem, respectivamente, 1,25 cm e 2,00 cm.


Com base nessas inIormacões e na analise da Iigura, pode-se aIirmar:

(01) O experimento ilustra o Ienômeno da diIracão de ondas.
(02) A Ireqüência da onda na região 2 vale 4 Hz.
(04) Os comprimentos de onda, nas regiões 1 e 2, valem, respectivamente, 2,30 cm e
4,00 cm.
(08) A velocidade da onda, na região 2, e maior do que na região 1.
(16) Seria correto esperar-se que o comprimento de onda Iosse menor nas duas regiões,
caso a onda gerada tivesse Ireqüência maior do que 4 Hz.

233. (UFBA) O dispositivo representado na Iigura abaixo e constituido por uma espira
retangular rigida, de area A, que Iica imersa no campo magnetico B, produzido pelo
imã. Considere a polia maior girando no sentido indicado, com velocidade angular
constante w.



Com base nessas inIormacões e na analise da Iigura, pode-se concluir:

(01) O eixo acoplado a polia menor se movimenta com Ireqüência I ÷ w /2a.
(02) A espira realiza, num intervalo de tempo At, um numero de voltas n ÷ w At/2a.
(04) A espira e atravessada por um Iluxo magnetico 4 ÷ '˔

' A cos0, em que q e o
ângulo entre a direcão de ˔

e a normal ao plano da espira.
(08) A espira e percorrida por uma corrente induzida no sentido horario, ao passar pela
posicão indicada.
(16) Os Iios de ligacão são percorridos por uma corrente alternada, que mantem a
lâmpada acesa.
(32) O dispositivo Iunciona como um motor eletrico, convertendo energia eletrica em
energia cinetica.

234. (UFF-R1) Uma prensa hidraulica, sendo utilizada como elevador de um carro de
peso P, encontra-se em equilibrio, conIorme a Iigura. As seccões retas dos pistões são
indicadas por S
1
e S
2
, tendo-se S
2
÷ 4S
1
.


A Iorca exercida sobre o Iluido e ˘
Ȏ
1
e a Iorca exercida pelo Iluido e ˘
Ȏ
2
.

A situacão descrita obedece:

a) ao Principio de Arquimedes e, pelas leis de Newton, conclui-se que '˘
Ȏ
1
' ÷ '˘
Ȏ
2
' ÷ '˜

';
b) ao Principio de Pascal e, pelas leis de acão e reacão e de conservacão da energia
mecânica, conclui-se que '˘
Ȏ
2
' ÷ 4'˘
Ȏ
1
' ÷ '˜

';
c) ao Principio de Pascal e, pela lei da conservacão da energia, conclui-se que '˘
Ȏ
2
' ÷
1/4'˘
Ȏ
1
' = '˜

';
d) apenas as leis de Newton e '˘
Ȏ
1
' ÷ '˘
Ȏ
2
' ÷ '˜

';
e) apenas a lei de conservacão de energia.

235. (UFF-R1) Iigura representa um avião em movimento, visto de cima, deslocando-se
com uma velocidade ˰Ȏ de modulo 3,0 x 10
2
m/s, para leste, sobre a linha do equador, no
campo magnetico terrestre (˔

T
). Sabe-se que a intensidade aproximada de ˔

T
. e 5,5 x
10
5
T, e que sua direcão e norte.



Devido ao atrito com o ar, o avião adquire uma carga eletrica de 2,0 x 10
6
C.
Considere-o como uma carga puntiIorme e assinale a opcão que melhor descreve a Iorca
magnetica que atua no avião.

a) 3,0 x 10
9
N; ao longo do avião, da Irente para tras
b) 3,9 x 10
13
N; ao longo do avião, de tras para a Irente
c) 11 N; de cima para baixo do avião
d) 11 N; de baixo para cima do avião
e) 3,3 x 10
8
N; de baixo para cima do avião

236. (UFF-R1) A Iigura representa duas placas metalicas paralelas de largura L ÷ 1,0 x
10
2
m, entre as quais e criado um campo eletrico uniIorme, vertical, perpendicular as
placas, dirigido para baixo e de modulo E ÷ 1,0 x 10
4

m
V
. Um eletron incide no ponto
O, com velocidade horizontal v ÷ 1,0 x 10
7
m/s, percorrendo a região entre as placas.
Apos emergir desta região, o eletron atingira uma tela vertical situada a distância de
0,40 m das placas.
Dados:
massa do eletron ÷ 9,1 x 10
31
kg
carga do eletron ÷ 1,6 x 10
19
C


v
O
TELA
L 0,40m
Considerando desprezivel o campo eletrico na região externa as placas e a acão
gravitacional, calcule:
a) o modulo da Iorca eletrica que atua no eletron entre as placas, representando, na
Iigura a seguir, sua direcão e sentido;




b) o tempo que o eletron leva para emergir da região entre as placas;

c) o deslocamento vertical que o eletron soIre ao percorrer sua traietoria na região entre
as placas;

d) as componentes (horizontal e vertical) da velocidade do eletron, no instante em que
ele emerge da região entre as placas;

e) o deslocamento vertical que o eletron soIre no seu percurso desde o ponto O ate
atingir a tela.

237. (UFF-R1) A Iigura ilustra a seccão reta de um recipiente isolante termico
cilindrico cuio volume e regulado por um pistão que pode deslizar sem atrito. O pistão
esta preso a mola de constante elastica k ÷ 1,0 x 10
4
N/m, que se encontra relaxada
quando o pistão esta encostado no Iundo do recipiente. Certa quantidade de um gas
ideal e colocada no recipiente e, em equilibrio termico a temperatura T ÷ 27
o
C, a mola
comprime-se de x

÷ 0,50 m.
Dado:
constante universal dos gases (R ) ÷ 8,31 J/mol K



a) Calcule o numero de mols do gas no recipiente.

b) O gas e aquecido, durante 10 minutos, por meio de um resistor com R ÷ 20 , ligado
a uma Ionte de tensão de 6,0 V. Calcule a quantidade de calor Iornecida ao gas.

Durante o aquecimento, o gas se expande quase estaticamente e, ao Iinal, no
equilibrio termico, o pistão encontra-se em uma nova posicão onde a mola esta
comprimida de x
1
÷ 0,55 m. Tendo em vista esta nova situacão, calcule:

c) a temperatura do gas;
d) o trabalho mecânico realizado pelo gas na expansão de x para x
1
;
e) a variacão da energia interna do gas na expansão, considerando desprezivel a
capacidade termica do sistema (recipiente e seus componentes).

,0 V
pistão
x
R
238. (UFF-R1) Um toboagua de 4,0 m de altura e colocado a beira de uma piscina com
sua extremidade mais baixa a 1,25 m acima do nivel da agua. Uma crianca, de massa 50
kg, escorrega do topo do toboagua a partir do repouso, conIorme indicado na Iigura.
v÷0














Considerando g ÷ 10 m/s
2
e sabendo que a crianca deixa o toboagua com uma
velocidade horizontal V, e cai na agua a 1,5 m da vertical que passa pela extremidade
mais baixa do toboagua, determine:

a) a velocidade horizontal V com que a crianca deixa o toboagua;
b) a perda de energia mecânica da crianca durante a descida no toboagua.

239. (UFF-R1) Uma Iorca constante F puxa um bloco de peso P e atua segundo uma
direcão que Iorma com a horizontal um ângulo 7. Este bloco se desloca ao longo de uma
superIicie horizontal, percorrendo uma distância x, conIorme indicado na Iigura.



A Iorca normal exercida pela superIicie sobre o bloco e o trabalho realizado por
esta Iorca ao longo da distância x valem, respectivamente:

a) P ; P x
b) P ; zero
c) P - Fsen7 ; zero
d) P ¹ Fsen7; (P ¹ Fsen7) x
e) P - Fsen7; (P - Fsen7) x

240. (UFPB) flaura ao lado represenLa uma onda se propaaando em uma corda Lensaţ com
Ireqüência de 20 Hz. A velocidade de propagacão desta onda e



a) 30 m/s b) 25m/s c) 20 m/s d) 15m/s e) 10 m/s
1,25m
4,0m
241. (UFF-R1) Um obieto luminoso O e colocado em Irente a uma lente delgada
convergente de 1,0 m de distância Iocal, perpendicularmente a seu eixo principal, antes
do ponto F. Coloca-se um espelho plano a uma distância de 2,5 cm da lente, como na
Iigura, de modo a interceptar os raios luminosos reIratados pela mesma. Os pontos F e
F` representam os Iocos da lente.


a) Calcule a distância entre o obieto O e a lente, sabendo que a imagem Iinal do sistema
e duas vezes maior que o obieto.
b) Construa graIicamente a imagem Iinal do sistema.
c) Caracterize a natureza do obieto e da imagem da lente e Iaca o mesmo para o espelho.
d) Calcule a distância entre a imagem Iinal do sistema e o espelho plano.

242. (UFF-R1) A Iigura mostra um corpo de massa 1,0 kg encostado em uma mola de
constante elastica k ÷ 2,0 kN/m, comprimida de 50 cm. A mola e liberada. O corpo
percorre a pista, sem atrito, ate abandona-la no ponto B. Despreze a resistência do ar.

Calcule:

a) o modulo da velocidade com que o corpo chegara ao ponto A
b) o modulo da velocidade do corpo no ponto B
c) a altura maxima (h
max
) atingida pelo corpo
d) o tempo gasto pelo corpo para ir do ponto B ao ponto C

243. (UFPB) A Iigura ao lado representa um bloco preso a uma mola que oscila ao
longo do eixo , executando um movimento harmônico simples de amplitude A. Sendo
x ÷ 0 a posicão de equilibrio, onde a energia potencial e nula, a energia cinetica sera
igual ao dobro da energia potencial, quando a elongacão Ior


a) x ÷ A/2
b) x ÷ A/3
c) x ÷ A/Ŷ
d) x ÷ A/ŷ
e) x ÷ A/4

244. (Unicamp-SP) Em uma maquina IotograIica de Ioco Iixo, a imagem de um ponto
no inIinito e Iormada antes do Iilme, conIorme ilustra o esquema. No Iilme, esse ponto
esta ligeiramente desIocado e sua imagem tem 0,03 mm de diâmetro. Mesmo assim, as
copias ampliadas ainda são nitidas para o olho humano. A abertura para a entrada de luz
e de 3,5 mm de diâmetro e a distância Iocal da lente e de 35 mm.

a) Calcule a distância d do Iilme a lente.
b) A que distância da lente um obieto precisa estar para que sua imagem Iique
exatamente Iocalizada no Iilme?



245. (Unicamp-SP) A corrente eletrica continua em uma dada linha de transmissão e de
4000 A. Um escoteiro perdido, andando perto da linha de transmissão, tenta se orientar
utilizando uma bussola. O campo magnetico terrestre e de B
T
÷ 5,0 x 10
5
T perto da
superIicie da Terra. A permeabilidade magnetica e µ
0
÷ 4a x 10
7
T m/A.

a) Se a corrente esta sendo transmitida no sentido leste para oeste (ver Iigura abaixo),
qual e o sentido do campo magnetico gerado pela corrente perto do chão? JustiIique sua
resposta.
b) A que distância do Iio o campo gerado pela corrente tera o modulo igual ao do campo
magnetico terrestre?


246. (Cefet-SP) Na Iigura a seguir, temos duas placas planas e paralelas, eletrizadas
com cargas de sinais contrarios, entre as quais existe uma diIerenca de potencial de 100
V.


Com relacão a essa situacão, são Ieitas as aIirmativas a seguir:

I) O trabalho realizado pelas Iorcas eletricas para deslocar uma carga positiva do ponto
M ate o ponto N, distantes 40 cm, e igual a 4.000 J.
II) A intensidade do vetor campo eletrico entre as placas e de 500 V/m.
III) Um proton, deslocando-se horizontalmente com velocidade constante, ao penetrar
entre as placas passa a descrever uma traietoria parabolica, dirigindo-se para a placa
negativamente carregada.

Assinale:

a) Se todas as aIirmativas estiverem corretas.
b) Se todas as aIirmativas estiverem incorretas.
c) Se apenas as aIirmativas I e II estiverem corretas.
d) Se apenas as aIirmativas I e III estiverem corretas.
e) Se apenas as aIirmativas II e III estiverem corretas.

247. (Cefet-SP) Uma pessoa puxa, com velocidade constante, uma caixa de peso P
sobre uma superIicie horizontal, como indica a Iigura a seguir. Sabendo-se que o
coeIiciente de atrito cinematico entre a caixa e a superIicie e igual a µ
c
, o modulo da
Iorca F exercida pela pessoa pode ser calculada pela expressão:




a) sen . P ( F 7 3 3
b)
7 3
7

cos . P
sen . P
F
c)
sen . cos
( P F
7 3 7
3

d)
P
cos sen
F
7 3 7

e) sen ÷ cos . ( P F 7 7 3

20cm
M N

248. (Cefet-SP) Duas esIeras A e B, de massas m
A
÷ 4 kg e m
B
÷ 5 kg, colidem de
Iorma perIeitamente elastica, como indica a Iigura a seguir. Suas velocidades, em
modulo, antes do choque são respectivamente iguais a 8 m/s e 6 m/s (despreze os
atritos).



Com base nessa situacão são Ieitas as aIirmativas a seguir:
I) O modulo da quantidade de movimento do sistema constituido pelas duas esIeras
imediatamente apos o choque e igual a 2 N.s.
II) Por causa de sua massa menor, o impulso exercido pela esIera A sobre a esIera B,
durante a colisão, e menor que o impulso exercido por B sobre A.
III) Durante a colisão a energia mecânica que e perdida dissipa-se na Iorma de calor.

Podemos aIirmar que:
a) apenas a aIirmativa I e correta.
b) apenas a aIirmativa II e correta.
c) apenas a aIirmativa III e correta.
d) todas são corretas.
e) todas são incorretas.

249. (Cefet-SP) Lei de Newton da gravitacão universal diz: 'Dois pontos materiais
atraem-se com Iorcas cuias intensidades são proporcionais as suas massas e
inversamente proporcionais ao quadrado da distância entre eles.¨
A intensidade dessa Iorca gravitacional e dada por F ÷ G.
.
`
, onde 'G¨ e
denominada constante da gravitacão universal.

Analise as aIirmativas:

I) Se a distância entre duas massas Ior reduzida a metade, a Iorca gravitacional entre
elas Iica duas vezes maior.
II) O graIico da Iorca gravitacional em Iuncão da distância entre as massas e um arco de
parabola.
III) A Iormula dimensional da constante G e dada por L
3
M
1
T
4
.

Sobre elas, podemos assegurar que:

a) somente a aIirmativa I esta correta.
b) somente as aIirmativas I e II estão corretas.
c) somente as aIirmativas II e III estão corretas.
d) todas as aIirmativas estão corretas.
e) todas as aIirmativas estão incorretas.

250. (Cefet-SP) Um para-quedista de massa 70 kg salta num local onde g ÷ 10 m/s2, e
apos certo tempo atinge uma velocidade constante igual a 5 m/s. Supondo que o modulo
da Iorca de resistência do ar 'F¨ e diretamente proporcional ao quadrado da velocidade
'v¨ de queda do para-quedista, pode-se aIirmar que a expressão desta Iorca e dada por:

a) F ÷ 700 v
2
c) F ÷ 350 v
2
e) F ÷ 140 v
2

b) F ÷ 28 v
2
d) F ÷ 5 v
2

251. (Cefet-SP) Duas caixas acusticas dispostas ao ar livre são conectadas a um mesmo
ampliIicador para emitirem um mesmo tom continuo. Um observador percorre um
caminho ao longo da reta KN. Ele observa que a intensidade sonora varia conIorme a
sua posicão de modo que, em M, ela e intensa; entre M e N, ela Iica reduzida e volta a
Iicar intensa em N. Como ele sabe que as ondas sonoras no ar movem-se a 340 m/s,
pode-se aIirmar que o som que esta sendo emitido tem uma Ireqüência, em Hz, proxima
de:



a) 75.
b) 150.
c) 350.
d) 700.
e) 1400.

252. (Cefet-SP) A Iigura a seguir, retrata o exato momento da cobranca de um pênalti,
no qual o batedor imprime a bola uma velocidade de 90 km/h. A vantagem para o
batedor e massacrante e, assim, a Fisica deixa poucas possibilidades de desculpas para
quem perde pênaltis. De novo, ela demonstra outra verdade que todo o iogador sabe:
'Pênalti perdido e Ialha do cobrador.¨ Para que o goleiro deIenda a cobranca, e
necessario que ele chegue a bola em:

a) 1,28 segundos.
b) 0,24 segundos.
c) 0,90 segundos.
d) 0,46 segundos.
e) 0,08 segundos.



253. (Cefet-SP) Um recipiente cilindrico contem certa massa de gas hidrogênio sob
pressão de 2,0 x 10
7
Pa. O volume interno do cilindro e 3,0 x 10
2
m
3
e a temperatura e
de 27
o
C. Sendo a massa molar do hidrogênio 2 g, a massa desse gas contido no cilindro
e, em kg, igual a: (A constante de Clapeyron e R ÷ 8,3 J/mol.K)

a) 0,48.
b) 1,23.
c) 2,31.
d) 4,83.
e) 5,33.

254. (Cefet-SP) Sobre um satelite artiIicial colocado em orbita em torno da Terra,
considere as seguintes aIirmacões:

I) A Iorca resultante sobre o satelite e nula.
II) A Iorca gravitacional atua sobre o satelite como Iorca centripeta.
III) O satelite não exerce sobre a Terra nenhuma Iorca gravitacional.
IV) O satelite acabara caindo quando sua velocidade Ior diminuindo gradativamente.

Podemos concluir que somente esta(ão) correta(s):

a) I.
b) II.
c) I e II.
d) I e III.
e) II e IV.

255. (Cefet-SP) Um oscilador harmônico simples, preso a uma corda, produz uma onda
que se propaga com velocidade de 360 cm/s. Um ponto generico da corda (meio
material) se desloca para cima e para baixo, periodicamente, com uma Ireqüência de 30
Hz, enquanto a perturbacão se propaga horizontalmente. Nestas condicões, podemos
aIirmar que o comprimento de onda sera, em centimetros, igual a:

a) 10800.
b) 10,8.
c) 0,08.
d) 12.
e) 8.

256. (Cefet-SP) Uma bola de Iutebol de massa igual a 1,5 kg vem em direcão ao gol
com velocidade igual a 72 km/h. O goleiro deIende rebatendo a bola com um chute na
direcão de onde ela veio com velocidade igual a 108 km/h. Se a bola Iicou em contato
com o pe do goleiro durante um decimo de segundo, assinale a alternativa que indica a
Iorca exercida na bola pelo pe do goleiro.

a) 900 N.
b) 750 N.
c) 600 N.
d) 450 N.
e) 300 N.




257. (Cefet-SP) Um bloco de massa 5 kg repousa sobre um plano inclinado de altura 3
m e comprimento horizontal 4 m. Considerando o coeIiciente de atrito estatico igual a
0,8 e a aceleracão da gravidade local igual a 10 m/s
2
, assinale a alternativa correta.

a) A intensidade da Iorca de atrito existente entre o bloco e o plano inclinado e igual a
32 N.
b) A Iorca resultante exercida sobre o bloco pelo plano inclinado tem intensidade igual a
40 N.
c) A Iorca resultante exercida sobre o bloco pelo plano inclinado e vertical e dirigida
para cima.
d) As Iorcas peso e normal Iormam um par acão- reacão.
e) A intensidade da Iorca de atrito existente entre o bloco e o plano inclinado pode ser
determinada pela expressão F
at
÷ µ
e
N.

258. (Cefet-SP) Um canhão lanca proieteis com velocidade 50 m/s segundo um ângulo
a com a horizontal, tal que sen a ÷0,8 e cos a ÷0,6. Desprezando a altura do canhão e a
resistência do ar e supondo 10 m/s
2
a aceleracão da gravidade local, assinale a
alternativa correta.

a) Os proieteis atingem a altura maxima 8 s apos terem sido lancados.
b) A altura maxima atingida pelos proieteis e igual a 160 m.
c) Os proieteis atingem o solo a uma distância igual a 120 m do ponto de lancamento.
d) O raio de curvatura da traietoria parabolica no ponto de altura maxima e 90 m.
e) A componente horizontal da velocidade dos proieteis ao atingirem o solo e 40 m/s.

259. (Cefet-SP) Um menino esta parado dentro de um ônibus em movimento com
velocidade constante. Em certo instante, o menino deixa cair uma bolinha.
Considerando tal situacão, analise as aIirmacões abaixo:

I) Para um observador dentro do ônibus, a traietoria da bolinha e retilinea.
II) Para um observador Iora do ônibus, a traietoria da bolinha e retilinea.
III) Para um observador Iora do ônibus, a traietoria da bolina e parabolica.
IV) A velocidade da bolinha, depois de solta, e a mesma para o observador Iora ou
dentro do ônibus.

260. (Cefet-SP) Uma particula com carga Q e Iixada num certo ponto, e uma carga de
prova q e colocada proxima a essa particula. Considerando tal situacão e correto aIirmar
que:

a) dobrando a distância entre as cargas, o modulo da Iorca reduz-se a quatro.
b) o sentido da Iorca eletrica que se estabelece não depende dos sinais das cargas.
c) diminuindo a distância entre as cargas pela metade, o modulo da Iorca eletrica não se
altera.
d) o campo eletrico devido a carga Q não varia coma distância a essa carga.
e) o modulo (intensidade) da Iorca que se estabelece depende dos sinais das cargas.

261. (Cefet-SP) A lupa e um instrumento utilizado para que se obtenha um aumento na
imagem de um obieto colocado entre o centro optico da lente e a sua distância Iocal.
Suponha, então, que se pretenda obter um aumento de duas vezes e meia na imagem de
um obieto colocado a 5 cm do centro optico de uma lupa. A distância em que se Iormara
a imagem deste obieto em relacão ao centro da lente sera de:

a) 2 cm.
b) 12,5 cm.
c) 7,5 cm.
d) 5 cm.
e) 2,5 cm.

262. (Cefet-SP) Um homem puxa um caixote de massa 11 kg, aplicando-lhe uma Iorca
F de intensidade 70 N, segundo um ângulo a com a horizontal, tal que sen u ÷ 0,6 e cos
u ÷ 0,8. O coeIiciente de atrito cinetico entre o caixote e a superIicie horizontal aspera e
igual a 0,5. Supondo g ÷ 10m/s
2
e considerando o movimento entre os instantes t ÷ 1s e
t ÷ 3s, assinale a alternativa correta.

a) A variacão da energia cinetica do caixote e igual a 176 J.
b) O trabalho realizado pela Iorca de atrito sobre o caixote e igual a 440 J.
c) O trabalho realizado pela Iorca peso sobre o caixote e igual a 880 J.
d) O trabalho realizado pela Iorca normal sobre o caixote e igual a 544 J.
e) O trabalho realizado pela Iorca F sobre o caixote e igual a 560 J.

263. (Cefet-SP) O periodo do Movimento Harmônico Simples (MHS) de um sistema
massa-mola:

a) depende da massa do ponto material em movimento.
b) depende da amplitude de oscilacão.
c) independe da massa do ponto material.
d) independe da constante elastica.
e) independe da Ireqüência de oscilacão.

264. (Cefet-SP) Uma corda vibrante de certo instrumento musical vibra com Ireqüência
Iundamental de 440 Hz. Se o comprimento da corda, que e de 60 cm, Ior reduzido a
metade, a nova Ireqüência do som Iundamental emitido, em Hz, sera igual a:

a) 220.
b) 360.
c) 880.
d) 1100.
e) 1320.

265. (Cefet-SP) Um dinamômetro e construido com uma mola de constante elastica
igual a 100 N/m. Ao se pendurar um obieto metalico, a mola se distende 30 cm em
relacão a sua posicão de equilibrio e ao se mergulhar o obieto em agua, a mola se
contrai 10 cm em relacão a posicão que estava. Supondo g ÷ 10 m/s
2
, a massa especiIica
da agua igual a 1 g/cm
3
e desprezando a massa especiIica do ar, assinale a alternativa
correta.

a) O obieto possui massa igual a 30 kg.
b) O volume do obieto e igual a 100 cm3.
c) O empuxo exercido sobre o obieto e igual a 20 N.
d) O peso aparente do obieto e igual a 10 N.
e) A densidade do obieto e igual a 3 g/cm
3
.

266. (Cefet-SP) Um pedreiro esta trabalhando na cobertura de um ediIicio. Por
descuido, o martelo de massa 0,3 kg escapa de sua mão e cai verticalmente para baixo.
Sabendo- se que a velocidade do martelo imediatamente antes de tocar o solo e de 30
m/s num tempo de queda igual a 2 s, qual e a velocidade inicial com que o martelo
abandonou a mão do pedreiro e qual a altura do ediIicio? (Considerar g ÷ 10m/s
2
)

a) v
0
÷ 5 m/s e h ÷ 30 m
b) v
0
÷ 10 m/s e h ÷ 30 m
c) v
0
÷ 20 m/s e h ÷ 40 m
d) v
0
÷ 10 m/s e h ÷ 40 m
e) v
0
÷ 10 m/s e h ÷ 20 m

267. (Cefet-SP) No esquema da Iigura a seguir, o bloco A tem massa igual ao dobro da
massa do bloco B e a roldana apresenta massa e atrito despreziveis. Se o sistema
permanece em repouso, o coeIiciente de atrito entre o bloco A e a superIicie horizontal
tem um valor minimo igual a:



a) 0,25.
b) 0,50.
c) 1,00.
d) 1,50.
e) 2,00.

268. (Cefet-SP) A Lei da Gravitacão Universal, de Isaac Newton, aIirma que dois
corpos quaisquer se atraem com uma Iorca proporcional ao produto entre as suas massas
e inversamente proporcional ao quadrado da distância entre eles. Se a distância entre o
Sol e o pequeno Plutão Iosse a metade, a Iorca de atracão entre esses dois corpos seria

a) quatro vezes maior.
b) quatro vezes menor.
c) duas vezes maior.
d) duas vezes menor.
e) a mesma.

269. (UFRGS) Ao resolver um problema de Fisica, um estudante encontra sua resposta
expressa nas seguintes unidades: kg.m
2
/s
3
. Estas unidades representam

a) Iorca.
b) energia.
c) potência
d) pressão.
e) quantidade de movimento.

270. (UFRGS) Assinale a alternativa que preenche corretamente a lacuna do paragraIo
abaixo. O ano de 1900 pode ser considerado o marco inicial de uma revolucão ocorrida
na Fisica do seculo XX. Naquele ano, Max Planck apresentou um artigo a Sociedade
Alemã de Fisica, introduzindo a ideia da da energia, da qual Einstein
se valeu para, em 1905, desenvolver sua teoria sobre o eIeito Iotoeletrico.

a) conservacão
b) quantizacão
c) transIormacão
d) conversão
e) propagacão

271. (UFRGS) Os raios X são produzidos em tubos de vacuo, nos quais eletrons são
submetidos a uma rapida desaceleracão ao colidir contra um alvo metalico. Os raios X
consistem em um Ieixe de

a) eletrons.
b) Iotons.
c) protons.
d) nêutrons.
e) positrons.

272. (UFRGS) Assinale a alternativa que preenche corretamente a lacuna do paragraIo
abaixo. O Sol e a grande Ionte de energia para toda a vida na Terra. Durante muito
tempo, a origem da energia irradiada pelo Sol Ioi um misterio para a humanidade. Hoie,
as modernas teorias de evolucão das estrelas nos dizem que a energia irradiada pelo Sol
provem de processos de que ocorrem no seu interior, envolvendo
nucleos de elementos leves.

a) espalhamento
b) Iusão nuclear
c) Iissão nuclear
d) Iotossintese
e) combustão

273. (UF1F-MG) A Iigura ao lado mostra um sistema composto por dois blocos de
massas idênticas m
A
÷ m
B
÷ 3.0 kg e uma mola de constante elastica k ÷ 4.0 / m. O
bloco A esta preso a um Iio de massa desprezivel e suspenso de uma altura ÷ 0.8 m em
relacão a superIicie $. onde esta posicionado o bloco B. Sabendo que a distância entre o
bloco B e a mola e d ÷ 3.0 m e que a colisão entre os blocos A e B e elastica, Iaca o que
se pede nos itens seguintes.



a) Usando a lei de conservacão da quantidade de movimento (momento linear), calcule
a velocidade do bloco B imediatamente apos a colisão do bloco A.

b) Calcule o deslocamento maximo soIrido pela mola se o atrito entre o bloco B e o solo
Ior desprezivel.

c) Calcule a distância deslocada pelo bloco B em direcão a mola, se o atrito cinetico
entre o bloco B e o solo Ior igual a c m ÷ 0.4. Nesse caso, a mola sera comprimida pelo
bloco B? JustiIique.
274. (UFR1) Um metodo possivel para medir a aceleracão da gravidade g consiste em
lancar uma bolinha para cima num tubo onde se Iez vacuo e medir com precisão os
instantes t
1
e t
2
de passagem (na subida e na descida, respectivamente) por uma altura z
conhecida, a partir do instante do lancamento. Mostre que:



275. (UFR1) Considere o capacitor plano de placas horizontais A e B da Iigura. Entre
essas placas colocamos uma particula X de peso P ÷ 2,0 x 10
-9
N, eletrizada, que
permanece em repouso, sob a acão da gravidade e da Iorca eletrica.



Determine, nessas condicões, a intensidade da Iorca eletrica, a intensidade do campo
eletrico e a carga eletrica da particula X.

276. (UER1-R1) Três cargas puntiIormes, uma positiva (q
¹
), uma negativa (q
-
) e uma
neutra (q
0
) Ioram inietadas com velocidades iguais, perpendicularmente a um campo
eletrico uniIorme criado por duas placas paralelas eletrizadas positiva e negativamente
atraves de uma bateria, descrevendo as traietorias esquematizadas na Iigura abaixo:



As traietorias A, B e C estão associadas, respectivamente, a quais cargas? Alem disso,
qual e o sentido do campo eletrico existente entre as placas 1 e 2?



277. Duas particulas A e B movem-se numa mesma reta: a primeira, de massa 6,0 kg,
com velocidade 5,0 m/s e a segunda, de 4,0 kg, com velocidade de 10 m/s. Os sentidos
de suas velocidades são contrarios de Iorma a se encontrarem. Determine as velocidades
das particulas apos o choque.

278. Uma bola de tênis e lancada perpendicularmente contra uma parede e volta com
velocidade de mesmo modulo, 12 m/s. Sabendo que a bola possui massa m ÷ 0,20 kg,
determine a variacão da quantidade de movimento soIrida por ela.

279. O bloco da Iigura desloca-se horizontalmente. Seiam F
1
e F
2
duas Iorcas entre as
diversas Iorcas que agem no bloco. Sendo F
1
÷ F
2
÷ 10 N, calcule os trabalhos que F
1
e
F
2
realizam num deslocamento de modulo d ÷ 4,0 m.



280. Um corpo C, representado na Iigura, desloca-se no sentido da Iorca F
1
de
intensidade 2,0 N. Ha ainda atuando sobre o corpo a Iorca F
2
de 1,0 N. Durante um
deslocamento de modulo 2,0 m, calcule os trabalhos realizados pelas Iorcas F
1
e F
2
.


281. (UFR1) A Iigura abaixo representa duas superIicies equipotenciais em uma região
aIastada de suas extremidades. O campo eletrico presente entre elas e 4,5 x 10
-4
N/C.
Quanto vale a diIerenca de potencial eletrico entre os pontos A e B sabendo-se que a
distância d entre eles e 30 cm?

282. (Unicamp - SP) Um condutor homogêneo de resistência R ÷ 8,0 O tem a Iorma de
uma circunIerência. Uma corrente i ÷ 4,0 A chega por um Iio retilineo ao ponto A e sai
pelo ponto B por outro Iio retilineo perpendicular, conIorme a Iigura. As resistências
dos Iios retilineos podem ser consideradas despreziveis.



a) calcule a intensidade das correntes nos dois arcos de circunIerência compreendidos
entre A e B.

b) calcule o valor da intensidade do campo magnetico B no centro O da circunIerência.

283. (UFU-MG) Com o crescimento das cidades, a quantidade de carros traIegando nas
ruas tende a aumentar. Assim, os condutores de veiculos precisam estar cada vez mais
preparados para lidar com situacões adversas no trânsito. Os conceitos de cinematica e
dinâmica são bastante uteis para melhorar o trânsito e evitar acidentes. Considere dois
automoveis, A e B, de massas m
A
÷ 500 kg e m
B
÷ 2.000 kg, respectivamente.
Desconsiderando a resistência do ar, responda:

a) O motorista do carro B, ao longo do seu traieto de casa para o trabalho, percorre uma
rotatoria Iazendo com que o carro descreva um movimento circular e uniIorme de raio 6
m. O coeIiciente de atrito estatico entre os pneus do carro e o asIalto vale 0,6. Com que
velocidade escalar maxima o carro deve se deslocar ao longo do circulo para não
derrapar?

b) Os carros A e B estão andando em ruas transversais. O motorista do carro A se distrai
com o celular e acaba avancando o sinal vermelho. Com isso, os dois carros soIrem uma
colisão no ponto O, indicado na Iigura ao lado. Apos a colisão, os carros prosseguem
unidos, deslocando-se ao longo do traieto OP. Um radar aIeriu a velocidade de 30 km/h
para o carro B imediatamente antes da colisão. O motorista do carro A aIirma a policia
que sua velocidade antes do impacto era de 80 km/h, portanto estava dentro do limite
permitido naquela pista. VeriIique essa aIirmacão, calculando a velocidade do carro A
antes do impacto.


284. (UFR1) Um proton e lancado com velocidade constante V numa região onde existe
apenas um campo magnetico uniIorme B, conIorme a Iigura abaixo:



A velocidade ˰Ȏ e o campo magnetico ˔

têm mesma direcão e mesmo sentido. Sendo v ÷
1,0 x 10
5
m/s e B ÷ 5,0 x 10
-2
T, podemos aIirmar que o modulo da Iorca magnetica
atuando no proton e:

a) 8 x 10
-16
N.
b) zero.
c) 18 x 10
-16
N.
d) 16 x 10
-16
N.
e) 12 x 10
-16
N.

285. (ITA-SP) Uma barra metalica de comprimento L ÷ 50,0 cm Iaz contato com um
circuito, Iechando-o. A area do circuito e perpendicular ao campo de inducão magnetica
uniIorme B. A resistência do circuito e R ÷ 3,00 O, sendo de 3,75 x 10
3
N a intensidade
da Iorca constante aplicada a barra, para mantê-la em movimento uniIorme com
velocidade v ÷ 2,00 m/s. Nessas condicões, o modulo de B e:



a) 0,300 T
b) 0,225 T
c) 0,200 T
d) 0,150 T
e) 0,100 T

286. (Unicamp-SP) Uma barra de material condutor de massa igual a 30 g e
comprimento 10 cm, suspensa por dois Iios rigidos tambem de material condutor e de
massas despreziveis, e colocada no interior de um campo magnetico, Iormando o
chamado -alanco magnetico, representado na Iigura abaixo.



Ao circular uma corrente i pelo balanco, este se inclina, Iormando um ângulo q com a
vertical (como indicado na vista de lado). O ângulo 0 depende da intensidade da
corrente i. Para i ÷ 2 A, temos que 0 ÷ 45º.

a) Faca o diagrama das Iorcas que agem sobre a barra.
b) Calcule a intensidade da Iorca magnetica que atua sobre a barra.
c) Calcule a intensidade da inducão magnetica .

287. (UnB-DF) A Iigura abaixo mostra o esquema de um espectrômetro de massas
idealizadas por Dempster. Esse aparelho Ioi muito utilizado para medir a massa de ions.
Na Ionte F, são produzidos ions de massa M e carga ¹q, que são inseridos em uma
região onde existe um campo eletrico uniIorme ˗

, sendo, então, acelerados devido a
uma diIerenca de potencial &, adquirindo uma velocidade dada pela expressão v ÷
|(2q&)/M|
1/2
. Em seguida, os ions penetram em uma região onde existe um campo
magnetico uniIorme ˔

, de direcão perpendicular ao plano desta Iolha de papel e sentido
para Iora dela, descrevendo uma traietoria semicircular de raio r, cuio plano e
perpendicular ao campo ˔

, conIorme ilustra a Iigura. Sabendo que o modulo da Iorca
magnetica que atua sobre os ions e dado pela expressão
m
÷ qvB e considerando & ÷
5,0 x 10¹ V, B ÷ 0,5 T, r ÷ 0,1 m e q ÷ 1,6 x 10
-19
C, calcule, em unidades de massa
atômica (u.m.a), a massa M de um desses ions. Para isso, considere 1 u.m.a. ÷ 1,6 x 10
-
27
Kg e despreze a parte Iracionaria de seu resultado, caso exista.



288. Uma bola de Iutebol de 500g de massa esta inicialmente parada. Um iogador da
um chute na bola, a qual adquire uma velocidade de 30m/s. O tempo de contato entre o
pe do iogador e a bola e de 0,2s. Calcule a quantidade de movimento adquirida pela bola
devido ao chute e a Iorca, em newtons, aplicada pelo pe do iogador.

289. Um proietil de m ÷ 200g e disparado com uma velocidade constante de 30 m/s. O
proietil colide com uma esIera de m ÷ 100g, Iicando preso a ela. Sabendo-se que a
esIera estava inicialmente em repouso e que não ha resistência do ar, determine:

a) a velocidade do coniunto logo apos a colisão
b) a altura maxima atingida pelo coniunto

290. (UFU-MG) A barra leve AB da Iigura Iica em equilibrio quando, pela espira
quadrada de lado a ÷ 10 cm e de peso desprezivel, se Iaz circular uma corrente eletrica.
Metade da espira esta dentro de um campo magnetico uniIorme de intensidade B ÷ 2T e
perpendicular ao plano da mesma, como na Iigura. A polia Iixa e o Iio são ideais, m ÷
10g e g ÷ 10m/s
2
.



Pede-se:

a) A intensidade e o sentido da corrente na espira.
b) A Iorca que a barra exerce no apoio C.
c) O Iluxo do campo magnetico atraves da espira.

291.













292. (UFU-MG) Um Iio metalico rigido de massa m ÷ 0,05 kg, pode deslizar sem atrito
sobre dois trilhos colocados sobre uma mesa e separados por uma distância d ÷ 0,40m.
Na região da mesa, ha um campo magnetico uniIorme, vertical para cima, de
intensidade B ÷ 2T. G e um gerador que mantem uma corrente constante i, g ÷ 10m/s
2
,
a polia e o Iio são ideais. Se o bloco de massa M ÷ 0,2kg e abandonado e desce de uma
altura de 0,8m em 1s, pede-se:



a) a aceleracão do Iio metalico;
b) o valor da corrente i;
c) a Iorca magnetica (modulo) sobre o Iio metalico.

293. (UFU-MG) Duas cargas pontuais, Q e q, separadas por uma distância d e situadas
no vacuo, se repelem. A tabela, abaixo, mostra o valor da Iorca eletrica em Iuncão do
inverso do quadrado da distância entre as cargas.



Dados: Q ÷ 1,0 x 10
-4
C e k
o
÷ 9,0 x 10
9
N.m
2
/C
2
.

A) Determine a carga q.
B) Supondo Q (Iixa) e q abandonada, a partir do repouso, na posicão d ÷ 0,01 m,
determine sua energia cinetica, ao passar pela posicão d ÷ 0,02 m.

294.













295. (UFU-MG) No laboratorio didatico de Mecânica do Departamento de Ciências
Fisicas da UFU, um estudante de Iisica preparou um arranio experimental (Iigura a,
abaixo) em que um corpo C de massa M
C
÷ 1 kg era pendurado por um Iio.
Continuamente, o estudante ia acrescentando massa ao corpo C, ate atingir a massa M
C

÷ 4 kg, obtendo, assim, o graIico (Iigura b, abaixo) da Iorca exercida pelo corpo A sobre
o corpo B, em Iuncão da aceleracão que o sistema (A ¹ B ¹ C) adquire. O Iio e
inextensivel e tem massa desprezivel. Adote g ÷ 10 m/s
2
e suponha que A e B deslizam,
sem atrito, sobre o plano horizontal. Fixando a massa do corpo C em 4 kg, calcule



a) a tracão no Iio;
b) as massas de A e B;
c) a potência media adquirida pelo sistema (A ¹ B ¹ C) apos ter percorrido 40 cm,
supondo que o mesmo tenha sido abandonado a partir do repouso.

296. (UFU-MG) O bloco A de massa 3,0 kg esta a 16 m acima do solo, impedido de
descer em virtude do anteparo. O bloco B, sobre o solo, tem massa 2,0 kg. Desprezam-
se quaisquer atritos e os pesos dos Iios e da polia. Retirando-se o anteparo e admitindo-
se g ÷ 10 m/s
2
, pedem-se:



a) O tempo necessario para A atingir o solo.
b) A altura maxima que B atinge acima do solo.
c) O trabalho total da Iorca de tracão que o Iio exerce sobre os blocos A e B, desde o
momento em que o anteparo e retirado ate A tocar o solo.

297. (UFU-MG) Um cilindro com um êmbolo movel contem 10 gramas de um gas
(Iigura 1). Abaixo mostramos os graIicos da Iorca (F) que comprime o gas em Iuncão da
posicão (Y) (Iigura 2) e da energia interna (U) do gas em Iuncão da temperatura (T)
(Iigura 3). Considere o êmbolo descendo com velocidade constante.




Calcule:

a) o trabalho realizado pela Iorca (F) para deslocar o êmbolo da posicão (a) para a
posicão (b);
b) o calor especiIico do gas.

298. (UFU-MG) Considere a radiacão solar como uma onda eletromagnetica que chega
a superIicie da Terra com intensidade 1,0 kW/m
2
e que uma placa de um aquecedor
solar consegue converter em energia termica 50° da energia da radiacão solar que
alcanca sua superIicie. Calcule o tempo que uma placa de 1 m
2
deve Iicar exposta ao sol
para elevar a temperatura de 100 kg de agua de 25
o
C para 50
o
C. Despreze o eIeito da
inclinacão do sol em relacão a placa do aquecedor. O calor especiIico da agua e de 4,2
J/g
o
C.



299. (UFU-MG) O tanque de ondas, mostrado na Iigura abaixo, possui três regiões com
proIundidades distintas. Para obter inIormacão sobre as propriedades Iisicas do tanque,
um pesquisador Iez uma onda propagar-se na superIicie do liquido, obtendo os
seguintes dados: I
1
, ì
1
, v
1
, I
2
, ì
2
, v
2
, I
3
, 0
1
, 0
2
, e 0
3
÷ 0
1
, em que I, ì, e v representam,
respectivamente, Ireqüência, comprimento de onda e velocidade.



a) Sabendo-se que o ângulo de incidência 0
1
e igual ao ângulo reIratado no meio 3, qual
e a relacão entre o comprimento de onda do meio 1 e do meio 3?
b) Encontre a expressão para velocidade no meio 2 em Iuncão 0
1
, 0
2
, ì
1
e I
1
.
c) O que podemos aIirmar sobre a proIundidade das três regiões? JustiIique.

300. (UFU-MG) A Iigura abaixo mostra duas regiões separadas por uma linha AB:
uma, a esquerda, onde ha apenas um campo eletrico uniIorme ˗

; outra a direita, onde
atua somente um campo magnetico uniIorme ˔

. Um proton, de massa m e carga q, esta
inicialmente em repouso dentro do campo eletrico a uma distância d da linha AB.



a) Desenhe a traietoria do proton dentro das duas regiões.
b) Construa um graIico do modulo da sua velocidade em Iuncão do tempo, com o maior
numero possivel de inIormacões, considerando apenas uma passagem completa pelas
regiões.
c) Faca o mesmo do item B, supondo que o proton esteia inicialmente em repouso na
região a direita de AB.

301. (UFU-MG) Uma bola, de massa M
1
÷ 1 kg, movimenta-se sobre uma superIicie
horizontal, sem atrito, com uma velocidade inicial de 2 m/s, indo de encontro a outra
bola, de massa M
2
÷ 4 kg, inicialmente em repouso, conIorme a ilustracão abaixo.



Um choque não elástico ocorre entre as bolas, de tal Iorma que a bola de massa M
1
Iica
em repouso apos o choque e a bola de massa M
2
adquire movimento conIorme sentido
indicado na Iigura abaixo. O intervalo de tempo do choque e de 0,01 s.



Com base nas inIormacões dadas, determine:

a) a velocidade da massa M
2
apos o choque.
b) a intensidade da Iorca media que atuou na massa M
1
durante o choque.
c) a energia dissipada durante o choque.

302. (UFU-MG) O potencial eletrico produzido por uma esIera condutora de raio R,
carregada com uma carga eletrica Q, em um ponto r ( r _ R ) e dado por


em que K ÷ 9 x 109 N.m
2
/C
2
.
Considere duas esIeras condutoras, A e B, montadas sobre suportes isolantes e com seus
centros separados, inicialmente, por uma distância de 20 m, como na Iigura abaixo.



A esIera A possui raio R
A
÷ 0,3 m e esta carregada, inicialmente, com uma carga
eletrica negativa igual a -1,0 x 10
-8
C e a esIera B possui raio R
B
÷ 0,1 m e esta
carregada, inicialmente, com uma carga eletrica positiva igual a ¹3,0 x 10
-8
C.
Considere que as distribuicões de carga permanecem esIericamente simetricas.
Determine:
a) o potencial eletrico no ponto P, situado a meia distância entre os centros das esIeras,
isto e, a 10 m de cada centro, nas condicões iniciais do problema.
b) a carga eletrica que Iicara armazenada em cada esIera se elas se tocarem.


303. (UFU-MG) Um obieto de massa 0,9 Kg e arremessado horizontalmente, com
velocidade inicial v
0
÷ 8 m/s em direcão a uma elevacão de altura H. Do outro lado da
elevacão, a uma altura h ÷ 1,2 m do solo, encontra-se uma mola de constante elastica k
÷ 100 N/m. Desprezando-se todos os eIeitos de atrito, calcule



a) a altura H maxima para que o obieto consiga atingir o topo da elevacão.
b) a maxima compressão da mola, se o obieto partir do repouso, da altura H, para o lado
da mola, atingindo-a.

304. (UFU-MG) Um mol de gas ideal monoatômico esta inicialmente no estado I, com
um volume de 18 litros e a temperatura de 270 K, como mostra o diagrama V x T
abaixo.



Esse gas e então expandido ate o estado II, com 20 litros e temperatura 300 K.
Dado: R ÷ 0,08 atm.litro/mol.K

Calcule:

a) o trabalho realizado pelo gas no processo de expansão.
b) a variacão da energia interna do gas.
c) a capacidade termica do gas a pressão constante, CP.

305.









306. (UFU-MG) Uma Iabrica Ioi acusada de emitir altas quantidades de um
determinado gas ionizado. A Iabrica aIirmava que o gas expelido no ar não era ionizado.
Um Iisico analisou a traietoria desse gas ao entrar em uma região de campo magnetico
B, perpendicularmente a esse campo. O campo magnetico possui intensidade 10
3
T
(saindo perpendicularmente da Iolha de papel, como ilustrado na Iigura abaixo). O
Iisico veriIicou que as moleculas do gas descreviam uma traietoria circular de raio 2 cm,
conIorme Iigura apresentada.



Com base nestas inIormacões, responda:

a) as moleculas do gas emitido pela Iabrica eram neutras, positivamente carregadas ou
negativamente carregadas? JustiIique sua resposta utilizando o conceito de Iorca
magnetica.

b) sabendo-se que cada molecula do gas, ao entrar na região de campo magnetico,
possui velocidade v de modulo 100 m/s, qual e a massa da molecula do gas expelido,
supondo que a molecula seia duplamente ionizada (carga do eletron: 1,6 x 10
19
C)?

307. (UFU-MG) O circuito abaixo pode ser utilizado como um aquecedor de liquidos.
Isto pode ser Ieito variando a resistência R do circuito.



Sendo a diIerenca de potencial utilizada no circuito de 100 V e as duas resistências r de
2,5 W, determine:
a) a resistência equivalente do circuito, em Iuncão de R.
b) o valor da resistência R para que apos 10 segundos a energia total dissipada nos
resistores deste circuito seia de 10
5
J.
308. (UFU-MG) Sendo a diIerenca de potencial utilizada no circuito de 100 V e as duas
resistências r de 2,5 W, determine:



A aceleracão da gravidade e de 10 m/s
2
, sen 30º ÷ 0,50 e cos 30º ÷ 0,87. Desprezando o
peso da corda, bem como os eIeitos de atrito, determine o vetor aceleracão do bloco de
massa M
1
.

309. (EFOMM) Observe a Iigura a seguir.

O esquema acima representa o circuito eletrico de uma lanterna com duas pilhas
idênticas ligadas em serie e uma lâmpada L com resistência R ÷ 10 O. Com o circuito
aberto, a ddp entre os pontos A e B e de 3,0 V. Quando o circuito e Iechado a ddp entre
os pontos A e B cai para 2,5 V. A resistência interna de cada pilha e a corrente eletrica
do circuito Iechado são, respectivamente, iguais a

a) 0,5 O e 0,5 A
b) 1,0 O e 0,25 A
c) 1,0 O e 1,0 A
d) 1,5 O e 0,25 A
e) 1,5 O e 1,0 A

310. (EFOMM) Observe a Iigura a seguir.

Uma particula de carga negativa q e massa m penetra com velocidade ˰Ȏ pelo oriIicio X
em uma região de campo magnetico uniIorme ˔

, e desta região sai pelo oriIicio Y,
conIorme indica a Iigura acima. Observe que a velocidade da particula e perpendicular
as linhas de campo magnetico. Desprezando os eIeitos gravitacionais e considerando
(q/m) ÷ l,2 x 10
11
C/kg, B ÷ l,0 x 10
-2
T e v ÷ 6,0 x 10
6
m/s, a distância D entre os
oriIicios X e Y e igual a quantos milimetros?

a) 3, 0
b) 4, 0
c) 5, 0
d) 6, 0
e) 7, 0

311. (EFOMM) Observe a Iigura a seguir.



Dois blocos deslizam sobre uma superIicie horizontal com atrito desprezivel.
Inicialmente, o bloco de massa m
l
÷ l,0 kg tem velocidade v
1
÷ 4,0 m/s e o bloco de
massa m
2
÷ 2,0 kg tem velocidade v
2
÷ l,0 m/s, conIorme indica a Iigura acima. Apos
um curto intervalo de tempo, os dois blocos colidirão, dissipando a maxima energia
mecânica possivel, que e, em ioules,

a) 29/3
b) 25/3
c) 21/3
d) 17/3
e) 14/3

312. (EFOMM) Observe a Iigura a seguir.



Uma pequena esIera esta presa a extremidade de um Iio Ilexivel e isolante, cuia outra
extremidade esta Iixa no ponto O, conIorme indica a Iigura acima. Essa esIera de massa
m ÷ 3,0 x 10
-6
kg e carga eletrica q ÷ 1,2 x 10
-6
C, esta em equilibrio estatico no interior
de um campo eletrico uniIorme ˗

. A ddp, em volts, entre os pontos A e B, que estão
separados a uma distância d ÷ 0,20m, e

Dado: tg 60º ÷ 1,7 ; g ÷ 10 m/s·

a) 7,5 b) 8,5 c) 9,5 d) 10,5 e) 11,5

313. (UFPE) O pêndulo da Iigura esta em equilibrio sob acão do campo gravitacional
vertical e de um campo eletrico horizontal de amplitude E ÷ 2,0 kV/m. A esIera do
pêndulo tem massa m ÷ 3,0 kg e carga eletrica q ÷ 2,0 x 10
2
C. O Iio tem massa
desprezivel. Qual o valor da tensão no Iio, em newtons?



314. (UFPE) Determine a corrente no resistor de 60 O do circuito abaixo, em amperes.



315. (UFPE) Uma particula, de massa 1,0 x 10
-10
kg e carga 2,0 x 10
-2
C, penetra em
uma região de campo magnetico uniIorme, de intensidade 1,0 x 10
-3
T, com velocidade
de 3,4 x 10
4
m/s perpendicular ao campo magnetico. Calcule o raio da traietoria da
carga, em cm.

316. (UFPE) A Iigura mostra uma montanha russa. O carro parte do repouso no ponto
A e desloca-se com atrito desprezivel no trilho. Por seguranca, e necessario que haia
uma Iorca normal exercida pelos trilhos sobre o carro em todos os pontos da traietoria.
Qual o menor raio de curvatura, em metros, que o trilho deve ter no ponto B para
satisIazer o requisito de seguranca?






317. (UFPE) Um pequeno corpo A, de massa m
A
÷ M, inicia seu movimento a partir do
repouso, de uma altura H, e desliza em uma pista sem atrito como indicado na Iigura.
Na parte horizontal da pista, ele colide com outro pequeno corpo B, de massa m
B
÷ 6M,
que se encontra em repouso no ponto P. Se a colisão e completamente inelastica, os dois
corpos aderem um ao outro e se elevam ate uma altura h. Qual e a razão H/h ? Despreze
a resistência do ar.



318. (UFPE) Duas cargas puntiIormes no vacuo, de mesmo valor Q ÷ 125 µC e de
sinais opostos, geram campos eletricos no ponto P (vide Iigura). Qual o modulo do
campo eletrico resultante, em P, em unidades de 10
7
N/C?



319. (UFPE) Um Iio MN, de 40 cm de comprimento e massa igual a 30 g, esta
suspenso horizontalmente por uma mola ideal de constante elastica k ÷ 10 N/m. O
coniunto encontra-se em uma região de campo magnetico uniIorme B ÷ 0,1 Wb/m
2
,
como indicado na Iigura. Quando a corrente no Iio Ior 10 A, dirigida de N para M,
atuara sobre o Iio uma Iorca magnetica dirigida verticalmente para baixo. Determine a
elongacão total, devido a Iorca magnetica e a Iorca gravitacional, soIrida pela mola, em
cm.


320. (UFPE) Um bloco de massa 1,5 kg e solto, a partir do repouso, do topo de um
plano inclinado de 5,0 m de altura, conIorme a Iigura. O tempo gasto pelo bloco para
descer ate a base do plano e igual a 2,0 s. Qual o comprimento do plano inclinado, em
metros? Despreze o atrito entre o bloco e o plano.



321. (UFPE) Um bloco cai, a partir do repouso, de uma altura h ÷ 0,9 m acima da
extremidade livre de uma mola de constante elastica k ÷ 4,2 x 10
3
N/m, como mostra a
Iigura. Se a deIormacão maxima da mola e x ÷ 0,1 m, qual o peso do bloco, em
newtons. Despreze a resistência do ar e a massa da mola.



322. (UFPE) O Iluxo magnetico atraves do anel da Iigura e 37 x 10
-3
Wb. Quando a
corrente que produz este Iluxo e interrompida, o Iluxo cai a zero no intervalo de tempo
de 1,0 ms. Determine a intensidade da Iorca eletromotriz media induzida no anel, em
volts.

323. (UFPE) A Iigura mostra um seguimento de um condutor na Iorma de um L de
comprimento 7 cm, por onde circula uma corrente eletrica de 100 A. O condutor em L
esta numa região do espaco onde existe um campo magnetico de modulo 5 T,
perpendicular a pagina e entrando na mesma (ver Iigura). Calcule o modulo da Iorca
resultante que atua no condutor em L, em newtons.



324. (UFPE) A Iigura representa a Iorca aplicada na vertical, sobre uma chave de boca,
por um motorista de caminhão tentando desatarraxar uma das porcas que Iixa uma roda.
O ponto de aplicacão da Iorca dista 15 cm do centro da porca e o modulo da Iorca
maxima aplicada e F ÷ 400 N. Nesta situacão, suponha que o motorista esta proximo de
conseguir desatarraxar a porca. Em seguida, o motorista acopla uma extensão a chave
de boca, de Iorma que o novo ponto de aplicacão da Iorca dista 75 cm do centro da
porca. Calcule o novo valor do modulo da Iorca, F´, em newtons, necessario para que o
motorista novamente esteia proximo de desatarraxar a porca.



325. (UFPE) Uma barra de cobre, de densidade linear d ÷ 4,8 x 10
-2
kg/m, repousa
sobre dois trilhos Iixos horizontais separados por uma distância L (veia Iigura). O
sistema se encontra em uma região de campo magnetico uniIorme B, perpendicular ao
plano da Iigura. O coeIiciente de atrito estatico entre os trilhos e a barra de cobre e µ
e
÷
0,5. Se uma corrente i ÷ 30 A e transportada de um trilho ao outro, atraves da barra,
qual e o maior valor do campo magnetico para que a barra ainda permaneca em repouso
sobre os trilhos? Expresse a sua resposta em gauss (1 gauss ÷ 10
-4
T).


326. (UFPE) A Iigura mostra dois auto-Ialantes separados por 2,0 m, emitindo uma
nota musical de Ireqüência f ÷ 1,0 kHz. Considerando que a velocidade do som e v ÷
340 m/s, determine a distância Y, em centimetros, correspondente ao primeiro minimo
de interIerência sobre um anteparo colocado a distância D ÷ 10 m?



327. (UFPE) Um eletron esta descrevendo uma orbita circular ao redor de um proton.
Qual o modulo da razão 'E
p
/E
c
' entre a energia potencial, E
P
, e a energia cinetica, E
C
,
deste eletron?

328. (UFPE) O cesio metalico tem uma Iuncão trabalho (potencial de superIicie) de 1,8
eV. Qual a energia cinetica maxima dos eletrons, em eV, que escapam da superIicie do
metal quando ele e iluminado com luz ultravioleta de comprimento de onda igual a 327
nm? Considere 1 eV ÷ 1,6 x 10
-19
J.

329. (UFPE) Se tivermos um campo eletrico maior que 1 x 10
6
N/C num ambiente com
certa umidade, ions serão rapidamente Iormados resultando pequenas centelhas (nessas
condicões o ar torna-se um condutor). Qual o raio minimo (em cm) que pode ter uma
esIera condutora para armazenar uma carga Q ÷ 1,1 x 10
-8
C neste ambiente?

330. (UFPE) A Iuncão de onda para uma onda harmônica que se propaga em uma corda
e y(x,t) ÷ 0,04 sen|2a(0,25x 0,75t)|, onde a unidade de comprimento e o metro e a
unidade de tempo e o segundo. Determine a velocidade desta onda, em m/s.

331. (UFU-MG) Uma particula de massa desconhecida e carga eletrica q ÷ 5,0 x 10
-16
C
e acelerada a partir do repouso por uma diIerenca de potencial AV ÷ 1,6 V, indo do
ponto P
1
ate o ponto P
2
, distantes 2 m um do outro, como a Iigura abaixo.



O tempo gasto pela particula no percursos P
1
para P
2
e de 2 x 10
-4
s. Apos atingir o
ponto P
2
, a particula penetra numa região que contem um campo magnetico orientado
perpendicularmente a sua traietoria, como mostrado na Iigura acima. Nessa região, a
particula descreve uma traietoria circular de raio R ÷ 8 x 10
-2
m. Com base nessas
inIormacões, determine:

a) o trabalho realizado pelo campo eletrico sobre a particula no trecho P
1
ate P
2
.
b) a intensidade da Iorca magnetica sobre a particula durante sua traietoria circular.
c) a massa da particula.

332. (UFU-MG) Um carro traIega por uma avenida, com velocidade constante de 54
km/h. A Iigura abaixo ilustra essa situacão.



Quando o carro encontra-se a uma distância de 38 m do semaIoro, o sinal muda de
verde para amarelo, permanecendo assim por 2,5 s. Sabendo que o tempo de reacão do
motorista e de 0,5 s e que a maxima aceleracão (em modulo) que o carro consegue ter e
de 3 m/s·, responda:

a) O motorista conseguira parar o carro (utilizando a desaceleracão maxima) antes de
chegar ao semaIoro? Em caso aIirmativo, a que distância do semaIoro ele conseguira
parar?

b) Considere que, ao ver o sinal mudar de verde para amarelo, o motorista decide
acelerar, passando assim pelo sinal amarelo. VeriIique se ele conseguira atravessar o
cruzamento de 5 m antes que o sinal Iique vermelho.

333. (Fuvest-SP) Duas cargas eletricas puntiIormes idênticas Q
1
e Q
2
cada uma com 1,0
x 10
-7
C, encontram-se Iixas sobre um plano horizontal, conIorme a Iigura adiante. Uma
terceira carga q, de massa 10 g, encontra-se em equilibrio no ponto P, Iormando assim
um triangulo isosceles vertical. Sabendo que as unicas Iorcas que agem em q são as de
interacão eletrostatica com Q
1
e Q
2
e seu proprio peso, o valor desta terceira carga e:
Dado: k ÷ 9,0 x 10
9
N (SI) e g ÷ 10 m/s
2
.



a) 1,0 x 10
-7
C b) 2,0 x 10
-7
C c) 1,0 x 10
-6
C d) 1,0 x 10
-5
C

334. Um condutor de eletricidade encontra-se eletrizado e em equilibrio eletrostatico. O
potencial eletrico no seu centro de gravidade vale ¹ 80 V e o condutor esta isolado de
outras cargas eletricas. Uma carga eletrica de 5µC e transportada do inIinito ate a
superIicie desse condutor. Calcule o trabalho realizado pela Iorca eletrica e diga se o
movimento da carga e Iorcado ou espontâneo.

335. Uma carga eletrica de 400 µC produz um campo eletrico na região do espaco que a
envolve. A constante eletrostatica do vacuo, meio que envolve a carga, e k ÷ 9 x 10
9

(SI) e a distancia entre os pontos A e B e 4,0 m. Com base no enunciado e na Iigura,
calcule:



a) a diIerenca de potencial entre os pontos A e B;
b) o trabalho realizado pelo campo, quando uma carga puntiIorme q ÷ 2,0 x 10
-8
C e
deslocada, vagarosamente, entre os pontos A e B.

336. (UFR1) Dois Iugitivos devem atravessar um lago sem serem notados. Para tal,
emborcam um pequeno barco, que aIunda com o auxilio de pesos adicionais. O barco
emborcado mantem, aprisionada em seu interior, uma certa quantidade de ar, como
mostra a Iigura.



No instante retratado, tanto o barco quanto os Iugitivos estão em repouso e a agua esta
em equilibrio hidrostatico. Considere a densidade da agua do lago igual a 1,00 × 10
3

kg/m
3
e a aceleracão da gravidade igual a 10,0 m/s
2
. Usando os dados indicados na
Iigura, calcule a diIerenca entre a pressão do ar aprisionado pelo barco e a pressão do ar
atmosIerico.

337. Uma maquina termica ideal opera recebendo 450 J de uma Ionte de calor e
liberando 300 J no ambiente. Uma segunda maquina termica ideal opera recebendo 600
J e liberando 450 J. Se dividirmos o rendimento da segunda maquina pelo rendimento
da primeira maquina, obteremos:

a) 1,50.
b) 1,33.
c) 1,00.
d) 0,75.
e) 0,25.




338. Um mol de gas ideal soIre transIormacão A B - C indicada no diaIragma pressão
x volume da Iigura a seguir.


a) Qual e a temperatura do gas no estado A?
b) Qual e o trabalho realizado pelo gas na expansão A - B?
c) Qual e a temperatura pelo gas no estado C?

Dado: R (constante dos gases) ÷ 0,082 atm.l/mol K÷8,3J/mol K

339. (UFR1) No circuito esquematizado na Iigura, os Iios AK e BJ têm resistências
despreziveis (quando comparadas a 12 O) e não se tocam.



a) Calcule a resistência equivalente entre A e B.
b) Calcule as intensidades das correntes nos Iios AK e BJ.

340. (EFOMM-R1) Um toroide, no circuito de uma das repetidoras de radar do
passadico tem uma secão reta quadrada de lado igual a 8 cm, raio interno de 18 cm, 400
espiras e e atravessado por uma corrente de intensidade igual a 0,8 A. O valor
aproximado do Iluxo magnetico atraves da secão reta do toroide, em microwebers, e de
aproximadamente
dado : µ
0
÷ 4a x 10
-7
, em unidades do S.I.


a) 2,056
b) 3,074
c) 5,022
d) 6,034
e) 8,012


341. (EFOMM-R1) No diagrama de Iorcas abaixo aplicadas, a Iorca F ÷ 200 N
promove o equilibrio de rotacão. Pode-se aIirmar que a Iorca 'F¨ esta localizada a




a) 0,5 m da extremidade direita.
b) 1,5 m da extremidade direita.
c) 0,5 m da extremidade esquerda.
d) 1,0 m da extremidade esquerda.
e) 1,5 m da extremidade esquerda.

342. (EFOMM-R1) Seia uma particula de massa 20 gramas, carregada com 18
microcoulombs, viaiando a 500 km/h, deslocando-se horizontalmente da esquerda para
a direita sobre a Iolha da prova. Suponha que, nessa região do espaco, exista um campo
magnetico uniIorme de intensidade 120 T, perpendicular a Iolha de prova, apontando
para dentro. O modulo da Iorca resultante (em newtons) que sobre ela atua e,
aproximadamente, de: (dado: g ÷ 10 m/s·)

a) 0,26
b) 0,36
c) 0,46
d) 0,56
e) 0,66

343. (EFOMM-R1) Num determinado instrumento musical, ha uma corda de 100 g, a
qual mede 80 cm de comprimento e esta sob tensão de 800 N. Colocando-se essa corda
para vibrar, e correto aIirmar que a sua Ireqüência Iundamental, em Hz, e igual a

a) 50
b) 128
c) 250
d) 288
e) 350

344. (EFOMM-R1)


Na Iigura acima, tem-se duas cordas e uma Ionte que vibra na Ireqüência de 15 Hz.
Pode-se aIirmar que, neste caso, a velocidade na corda A e a Ireqüência na corda B
valem, respectivamente,

a) 60 km/h e 15 Hz.
b) 90 km/h e 15 Hz.
c) 60 km/h e 20 Hz.
d) 166 km/h e 20 Hz.
e) 216 km/h e 15 Hz.

345. (EFOMM-R1) Mantendo-se uma tradicão das Olimpiadas, ocorreu, no mês de
marco de 2008, na Grecia, a cerimônia do acendimento da tocha olimpica, que
percorreu diversas cidades de todos os continentes. Para acender a tocha, Ioi usado um
espelho esIerico, que captou os raios solares, dirigindo-os para um ponto onde ela se
encontrava. De acordo com a inIormacão, e correto dizer que a tocha estava

a) no centro de curvatura do espelho convexo.
b) no Ioco do espelho convexo.
c) no centro de curvatura do espelho côncavo.
d) no Ioco do espelho côncavo.
e) entre o Ioco e o vertice do espelho côncavo.

346. (EFOMM-R1) Uma pessoa caminha em direcão a um espelho Iixo com
velocidade escalar constante, medida em relacão ao solo, conIorme mostra a Iigura
abaixo.



Analisando a situacão descrita, pode-se aIirmar que

a) a imagem, de mesmo tamanho, aIasta-se do espelho com velocidade de 1,5 m/s.
b) a imagem, de mesmo tamanho, aproxima-se do espelho com velocidade de 3,0 m/s.
c) a pessoa e a sua imagem aproximam-se com velocidade relativa de 3,0 m/s.
d) a pessoa e a sua imagem aIastam-se com velocidade relativa de 3,0 m/s.
e) a imagem, aumentada devido a aproximacão da pessoa, tem velocidade de 1,5 m/s.

347. (EFOMM-R1) Um capacitor de acoplamento de audio em um radio VHF de
bordo, de capacitância 1,5 µF (microIarads), esta submetido a voltagem eIicaz de
trabalho de 40 V. A intensidade da corrente alternada resultante, para uma Ireqüência de
2,5 kHz nessa voltagem, sera de, aproximadamente,

a) 0,45 A
b) 0,57 A
c) 0,64 A
d) 0,72 A
e) 0,94 A
348. (EFOMM-R1) Observe o circuito.



No circuito acima pode-se aIirmar que a corrente que atravessa o resistor de 10O, em
amperes, vale

a) 3
b) 6
c) 8
d) 10
e) 12

349. (EFOMM-R1) Um marinheiro, deseiando aquecer 1 litro de agua, que,
inicialmente, encontra-se na temperatura de 86 °F, usa um aquecedor do tipo 'rabo
quente¨ cuia resistência vale 15 O. Sabendo que a tomada usada esta sob tensão de 120
V e que o tempo de aquecimento Ioi de 4 min, pode-se aIirmar que a temperatura Iinal
atingida e, na escala Celsius, aproximadamente de

OBS.: Desprezam-se as perdas e considere c
agua
÷ 1 cal/g °C, 1 cal ÷ 4 J e d
agua
÷ 1g/cm
3
.

a) 86°
b) 88°
c) 90°
d) 96°
e) 99°

350. (AFA-SP) Uma esIera de massa m, eletrizada positivamente com carga q, esta
Iixada na extremidade de um Iio ideal e isolante de comprimento ¾. O pêndulo, assim
constituido, esta imerso em uma região onde alem do campo gravitacional ˧Ȏ atua um
campo eletrico horizontal e uniIorme ˗

. Este pêndulo e abandonado do ponto A e Iaz
um ângulo com a vertical conIorme mostra a Iigura.



Desprezando-se quaisquer resistências, ao passar pelo ponto B, simetrico de A em
relacão a vertical, sua energia cinetica vale

a) 2q ¾ sen Û
b) ¾ mg q sen Û
c) 2¾ mg cos Û q sen Û
d) q ¾ cos Û

351. (AFA-SP) Dois corpos, de dimensões despreziveis, A e B presos a molas ideais,
não deIormadas, de constantes elasticas k
A
e k
B
, respectivamente, estão, inicialmente,
separados de uma distância d numa plataIorma sem atrito como mostra a Iigura a seguir.



A partir dessa situacão, os blocos são então lentamente puxados por Iorcas de mesma
intensidade, aproximando-se, ate se encostarem. Em seguida, são abandonados,
passando a oscilar em movimento harmônico simples. Considere que não haia interacão
entre os blocos quando esses se encontram. Nessas condicões, a soma das energias
mecânicas dos corpos A e B sera



352. (AFA-SP) Dois automoveis A e B encontram-se estacionados paralelamente ao
marco zero de uma estrada. Em um dado instante, o automovel A parte, movimentando-
se com velocidade escalar constante v
A
÷ 80 km/h. Depois de certo intervalo de tempo,
At, o automovel B parte no encalco de A com velocidade escalar constante v
B
÷ 100
km/h. Apos 2 h de viagem, o motorista de A veriIica que B se encontra 10 km atras e
conclui que o intervalo At, em que o motorista B ainda permaneceu estacionado, em
horas, e igual a

a) 0,25 c) 1,00
b) 0,50 d) 4,00

353. (AFA-SP) Considere um eletron partindo do repouso e percorrendo uma distância
retilinea, somente sob a acão de um campo eletrico uniIorme gerado por uma ddp U, ate
passar por um oriIicio e penetrar numa região na qual atua somente um campo
magnetico uniIorme de intensidade B. Devido a acão desse campo magnetico, o eletron
descreve uma semicircunIerência atingindo um segundo oriIicio, diametralmente oposto
ao primeiro. Considerando o modulo da carga do eletron igual a q e sua massa igual a
m, o raio da semicircunIerência descrita e igual a



345. (UFPE) A Iigura abaixo mostra uma espira retangular de largura L ÷ 2,0 m e de
resistência eletrica R ÷ 8,0 O que esta parcialmente imersa em um campo magnetico
externo uniIorme e perpendicular ao plano da espira B ÷ 4,0 T. As retas traceiadas da
Iigura mostram os limites do campo magnetico.



Suponha que a espira seia puxada para a direita, por uma mão com velocidade constante
v ÷ 5,0 m/s. Considere desprezivel o eIeito de borda. Analise as proposicões a seguir e
conclua.

a) O valor absoluto da Iorca eletromotriz induzida na espira e c
ind
÷ 40 V.
b) O sentido da corrente induzida na espira e anti-horario.
c) O valor da corrente induzida na espira e i ÷ 5,0 A.
d) A intensidade da Iorca aplicada pela mão para manter a velocidade constante e F ÷
40 N.
e) O trabalho executado para puxar a espira na presenca do campo magnetico e
transIormado em energia termica na espira.

356. (UFMG) Seletores de velocidade são utilizados em alguns aparelhos para permitir
a passagem somente de ions que têm uma determinada velocidade. Nesses seletores, um
campo eletrico e um campo magnetico são aplicados de tal Iorma, que apenas ions com
uma velocidade especiIica o atravessam sem serem desviados. O campo eletrico e
produzido por duas placas metalicas paralelas, nas quais e aplicada uma diIerenca de
potencial, como representado nesta Iigura:



O campo magnetico, constante e uniIorme, e produzido por um eletroimã, não mostrado
nessa Iigura. Considere que o peso dos ions e desprezivel.

a) INDIQUE, na Iigura acima, as direcões e os sentidos que os campos (eletrico e
magnetico) devem ter, na região entre as placas, a Iim de que ions positivos atravessem
o seletor de velocidades sem serem desviados. JUSTIFIQUE sua resposta.

b) Considere que, no seletor representado, a distância entre as placas e de 5,0 mm e a
diIerenca de potencial aplicada e de 5,0 kV e que se deseia que apenas ions com
velocidade de 1,0 x 10
6
m/s seiam selecionados. CALCULE o modulo do campo
magnetico que deve ser aplicado nessa situacão.

357. (UFMG) Na aula de Iisica, Laila Iaz a experiência que se segue. Inicialmente, ela
pendura duas pequenas esIeras metalicas K e L nas extremidades de dois Iios que
estão presos em uma barra metalica, como mostrado na Iigura I. O Iio que sustenta a
esIera K e isolante e o que sustenta a L e condutor. O raio da esIera K e o dobro do raio
da esIera L e ambas têm a mesma massa. Em seguida, Laila transIere uma certa
quantidade de carga eletrica para a barra e observa que as duas esIeras se aproximam,
tocam-se e, depois, aIastam-se, para, Iinalmente, Iicarem em equilibrio, como mostrado
na Iigura II. Seiam 0
k
e 0
L
os ângulos que as esIeras K e L, respectivamente, Iazem com
a vertical.



Com base nessas inIormacões:

a) EXPLIQUE por que as esIeras se movimentam da Iorma descrita, desde a situacão
representada na Iigura I ate a situacão mostrada na Iigura I.
b) RESPONDA: O ângulo 0
K
e menor, igual ou maior que o ângulo 0
L
? JUSTIFIQUE
sua resposta.
358. (UFMG) Em uma aula de eletromagnetismo, o ProIessor Emanuel Iaz a montagem
mostrada, esquematicamente, nesta Iigura:



Nessa montagem, uma barra de metal não magnetico esta em contato eletrico com dois
trilhos metalicos paralelos e pode deslizar sobre eles, sem atrito. Esses trilhos estão
Iixos sobre uma mesa horizontal, em uma região onde ha um campo magnetico
uniIorme, vertical e para baixo, que esta indicado, na Iigura, pelo simbolo ʎ. Os trilhos
são ligados em serie a um amperimetro e a um resistor R. Considere que, inicialmente, a
barra esta em repouso. Em certo momento, Emanuel empurra a barra no sentido
indicado pela seta e, em seguida, solta-a. Nessa situacão, ele observa uma corrente
eletrica no amperimetro. Com base nessas inIormacões,

a) INDIQUE, na Iigura, o sentido da corrente eletrica observada por Emanuel.
JUSTIFIQUE sua resposta.

b) RESPONDA: Apos a barra ser solta, sua velocidade diminui, permanece constante
ou aumenta com o tempo? JUSTIFIQUE sua resposta.

359. (UFMG) O ProIessor Nogueira montou, para seus alunos, a demonstracão de
magnetismo que se descreve a seguir e que esta representada na Figura I. Uma barra
cilindrica, condutora, horizontal, esta pendurada em um suporte por meio de dois Iios
condutores ligados as suas extremidades. Esses dois Iios são ligados eletricamente aos
polos de uma bateria. Em um trecho de comprimento L dessa barra, atua um campo
magnetico B, vertical e uniIorme. O modulo do campo magnetico e de 0,030 T, o
comprimento L ÷ 0,60 m e a corrente eletrica na barra e de 2,0 A. Despreze a massa dos
Iios. Nessas circunstâncias, a barra Iica em equilibrio quando os Iios de sustentacão
estão inclinados 30º em relacão a vertical.


Na Figura II, esta representada a mesma barra, agora vista em perIil, com a corrente
eletrica entrando na barra, no plano do papel.

a) Considerando essas inIormacões, ESBOCE, na Figura II, o diagrama das Iorcas que
atuam na barra e IDENTIFIQUE os agentes que exercem cada uma dessas Iorcas.

b) DETERMINE a massa da barra.

360. (UFR1) Uma onda eletromagnetica atinge uma antena no instante em que um
eletron nela se move com velocidade v. As direcões e os sentidos da velocidade v do
eletron e dos campos eletrico ( ˗

) e magnetico ( ˔

) da onda, no ponto em que o eletron
se encontra nesse instante, estão indicados na Iigura a seguir com relacão a um sistema
de eixos cartesianos xz.



a) Determine as direcões e os sentidos das Iorcas eletrica ( ˘
Ȏ
e
) e magnetica ( ˘
Ȏ
m
) sobre
o eletron nesse instante.

b) Sabendo que '˰Ȏ' ÷ 1,0 x 10
6
m/s, '˗

' ÷ 3,0 x 10
2
V/m e '˔

' ÷ 1,0 x 10
-6
T, calcule a
razão '˘
Ȏ
e
' / '˘
Ȏ
m
' entre os modulos das Iorcas eletrica ( ˘
Ȏ
e
) e magnetica ( ˘
Ȏ
m
).

361.












362. (UFR1) Um gas ideal em equilibrio termodinâmico esta armazenado em um tubo
cilindrico Iino de altura L ÷ 10,0 cm e area transversal A ÷1,0 cm
2
, provido de um
êmbolo movel perIeitamente aiustado as paredes do tubo. Suponha que a massa do
coniunto movel composto por êmbolo, haste e suporte seia desprezivel e, portanto, a
pressão no interior do tubo seia inicialmente igual a pressão atmosIerica, p
a
÷ 1,0 x 10
5

N/m
2
. Uma massa m ÷ 0,5 kg e então colocada sobre o suporte (veia a Iigura). Sob acão
do peso da massa m. o êmbolo desce uma altura x.em que o gas volta a atingir o
equilibrio termodinâmico com a mesma temperatura do estado inicial. Suponha que a
aceleracão da gravidade seia g ÷ 10 m/s
2
. Calcule o valor de x.



363. (UFR1) O cronômetro marcava 1,1 s para o termino de uma partida de basquete do
Brasil, quando Oscar, tendo saltado e Ilexionado o braco, arremessou a bola com uma
Iorca impulsora que atuou por 0,1 s. A bola, que estava a 5,0 m do centro da cesta,
levou 1,0 s para chegar a mesma.


Sabendo que a massa da bola tem 0,6 kg e considerando que, ao pular e arremessar a
bola, a mão de Oscar Iicou na mesma altura que a cesta, calcule:

a) o modulo da velocidade de lancamento para que Oscar converta o arremesso;

b) o modulo da Iorca media necessaria ao lancamento. Considere g ÷ 10 m/s
2
364. (UFR1) Antenas de recepcão ou de transmissão de ondas eletromagneticas
eIicientes têm a dimensão da ordem dos comprimentos de ondas recebidas ou emitidas.
Sabendo que a Ireqüência de um celular e de 6,0 x 10
8
Hz, calcule o comprimento L das
antenas de uma estacão repetidora. Velocidade da luz c ÷ 3,0 x 10
8
m/s.




You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->